Arquivo da tag: RPG

Arkaneiro Demon Hunters, o novo game de American MacGee

Akaneiro Demon Hunters

O célebre produtor American McGee, famoso por títulos como Doom, Quake e o recente Alice, acabou de lançar seu mais novo jogo para Mac e PC. Batizado de Akaneiro Demon Hunters, o título retrata o período Edo no Japão, época em que bravos guerreiros enfrentavam demônios conforme o folclore japonês.

O game foi desenvolvido pelo estúdio Spicy Horse Games de Xangai, China, do próprio McGee e que esteve por trás de Alice: Madness Returns.  Assim como fez com o conto de Alice, McGee utilizou uma obra bastante conhecida como base de seu game, desta vez o jogador encontra uma versão do conto da Chapeuzinho Vermelho mesclado ao folclore nipônico e seus mitos.

Basicamente o jogador irá caçar criaturas lendárias do Japão em um mundo vasto (cerca de 20 mapas). Você irá acompanhar a saga da Order of Arkane, uma organização conhecida como caçadores vermelhos que dedicam suas vidas a combater os temíveis Yokais (monstros, fantasmas e demônios). No mundo dos jogos, eles agem como os famosos Templários do ocidente.

O estilo de jogo é RPG de ação com um estilo visual bastante vivo e vibrante. Além das versões para PC e Mac, a produtora havia disponibilizado uma campanha no Kickstater para financiar versões para Linux e celulares. A meta de 200 mil foi alcançada com sucesso, então é só aguardar informações sobre essas versões.

Voltando a falar da versão de PCs, o game já está disponível e o download é gratuito, porém com algumas restrições. Se o jogador preferir desbloquear todos os mapas e conteúdos, terá a opção de fazê-lo desembolsando US$ 20 dólares. Além disso, há uma moeda dentro do jogo chamada Karma que possibilita habilitar os conteúdos aos poucos.

Para jogar Akaneiro, os jogadores devem visitar a página oficial, registrarem-se e fazer o download gratuito.

Abaixo, vocês conferem o vídeo de Akaneiro Demon Hunters:

Devnation: estúdios brasileiros criam primeiro game para o Ouya

devnation

Todos vocês já devem conhecer o Ouya, o console nascido por meio de crowdfunding, e sua fascinante promessa de permitir que qualquer um desenvolva games para ele a baixos custos de desenvolvimento – mais ou menos como em aparelhos mobile, afinal o próprio Ouya utilizará uma versão do Android.

Pois bem, o console tem previsão de lançamento para abril deste ano (2013) e já tem vários estúdios trabalhando incansavelmente em games para o sistema. O bacana mesmo é que não são somente os gringos que estão desenvolvendo para o novo sistema: os estúdios brasileiros Flux Game Studio e o Reload Game Studio também preparam suas cartas para o lançamento do Ouya.

Ambos os estúdios paulistas uniram forças para desenvolver o primeiro game brasileiro para o console. O nome do jogo é Devnation, um RPG tático com jogabilidade por turnos focados nas decisões dos jogadores e uma narrativa permeada de bom humor.

Um dos atrativos do jogo é a variedade de desafios encontrados, em cada fase os jogadores encontraram elementos que remetem a variados tipos de jogos, como puzzle, FPS, plataforma, entre outros. Conforme superam os desafios de cada estilo, os desenvolvedores ganham novos aliados para usar nas batalhas. Um fator importante é a inclusão de multiplayer na versão Ouya. De acordo com os desenvolvedores, até quatro jogadores poderão se unir nas batalhas e avançar os desafios encontrados pelo caminho.

Na trama do game há todo um universo voltado à arte de criar jogos, ou seja, o jogador toma o controle de uma equipe de desenvolvedores que perderam seus empregos em uma grande Publisher e partem juntos em uma jornada em busca do game perfeito. Nessa quest, os personagens devem enfrentar problemas relacionados ao game design em si, como bugs, desbalanceamento, clichês, etc.

Para quem não entendeu, o game brinca com aquela história de desenvolvedores indies lutando com unhas e forças contra o monopólio das grandes publishers do mercado que apenas visam lucros (eles controlam os inimigos em Devnation). “É claro que a lógica é muito mais complexa do que isso, sabemos que não funciona dessa maneira extrema. Mas achamos que tirar um sarro desses exageros daria um universo rico e divertido para criar o ambiente do jogo”, observa Paulo Luis, Diretor Executivo da Flux Game Studio.

Curiosidade: o game nasceu graças ao concurso CREATE da revista Kill Screen, que desafiava estúdios a games em apenas 10 dias, visando um prêmio de US$. Os dois estúdios eram muito próximos e tocaram o projeto em conjunto.

“A Flux apoiou o projeto Ouya no Kickstarter em agosto, e recebeu o console de desenvolvedores no dia 3 de janeiro. Pouco depois, o concurso foi anunciado, mas não tínhamos equipe disponível para desenvolver algo sólido em um prazo tão curto. Então, começamos a procurar outros desenvolvedores interessados em experimentar a nova tecnologia. Foi assim que chegamos à parceria com os amigos da Reload”, afirmou Paulo Luis.

Devnation deve ser lançado em abril para aproveitar a janela de lançamento do novo console. Até lá vamos torcer para que os brasileiros também possam fazer sucesso no Ouya.

Abaixo você confere o vídeo do jogo Devnation:

Hero Zero: game atinge 1 milhão de brasileiros em seis meses e publisher fará workshop em SP

Hero Zero

A empresa European Games Group da America Latina, grupo mundial especializado em publicação e marketing de jogos de browser gratuitos, só tem motivos para comemorar: o game online Hero Zero conquistou a expressiva audiência de 1 milhão de jogadores brasileiros em apenas deis meses desde seu lançamento.

O número é tão animador que representa 1/3 do total de jogadores conquistados pelo game em 12 países em que já foi lançado, ou seja, o Brasil já é um mercado muito importante para a European Games. De acordo com a empresa, o game tem crescimento na audiência de 20 mil usuários por dia e já soma 3 milhões de jogadores ativos pelo mundo. O acesso ao jogo se dá através do site oficial.

Para quem não conhece, Hero Zero é MMORPG gratuito para browsers cujo atrativo é o bom humor. O jogador assume o comendo de um super-herói que deve realizar tarefas das mais variadas, que vão de tirar gatos de árvore até resolver mirabolantes conspirações malignas. O objetivo é transformar um sujeito comum em um herói mítico, cumprindo missões e equipando o herói. As mecânicas de jogo são bem simples, mas a empresa garante boas horas de diversão e bom humor.

Estamos muito satisfeitos com os nossos primeiros resultados no Brasil – e com o sucesso do nosso jogo Hero Zero por aqui. As adesões continuam crescendo muito rápido, impulsionadas por nossas atividades de marketing eficientes e parcerias de qualidade, com importantes portais brasileiros,” disse Tim Fabian Besser, CEO e Co-fundador da European Games Group América Latina.

Apesar do sucesso que o game está tendo, a Publisher não quer perder qualquer oportunidade de torná-lo ainda mais conhecido aqui no Brasil. Assim sendo, o game será apresentando pelo CEO da European Games, Johannes Sevket, em um workshop para desenvolvedores em São Paulo. O objetivo do evento é mostrar a história de sucesso do jogo, tratando de temas como plano de negócios, custos, lucro e modelos de negócios.

O evento é fruto de uma parceria entre a Publisher, a Abragames (Associação Brasileira das Desenvolvedoras de Jogos Eletrônicos) e a Universidade Presbiteriana Mackenzie. Irá ocorrer no dia 22 de fevereiro de 2013 no auditório do Mackenzie – campus Consolação.

O tema do encontro é “Planejamento de Negócios para Desenvolvedores de Jogos”. Os organizadores esperam receber pelo menos 100 pessoas no workshop, que será uma oportunidade de novos desenvolvedores aprenderem um pouco sobre o lado business do negócio..

Os interessados precisarão se inscrever por e-mail para garantir seus nomes na lista pelo site dedicado. Abaixo você confere o vídeo de Hero Zero:

Workshop de Business para Desenvolvedores de Jogos Online

Quando: 22 de fevereiro de 2013 | 9h – 17h

Onde: Universidade Mackenzie São Paulo, Auditório Benedito Garcez (Google Maps)

Preço: Gratuito | Mais informações no site oficial do evento

Nuuvem anuncia o lançamento do RPG Krater. Quem vai baixar?

RPG Krater

A plataforma de distribuição digital de games Nuuvem anunciou que seus usuários já podem baixar o game de RPG Krater. Para quem não conhece, o game foi desenvolvido pelo estúdio sueco Fastshark e tem seu ambiente em um futuro pós-apocalíptico onde o jogador é colocado no meio de uma disputa entre três facções que disputam o controle de uma cratera que dá acesso a um mundo subterrâneo.

A versão principal contém o primeiro episódio da campanha que abre uma das três nações localizadas no interior da cratera. Além disso, os jogadores terão a sua disposição algumas atualizações gratuitas que trazem novos desafios, cavernas e personagens para a jogatina online. Futuramente haverão expansões que prometem trazer novas campanhas para o jogador.

 “Nós convidamos todos os jogadores a experimentarem o novo game hit Indie sensação do momento, desenvolvido pelo estúdio sueco Fastshark,” convida Thiago Diniz, CEO da Nuuvem. “Em Krater, a morte e os ferimentos realmente significam algo. O título traz de volta a sensação de sentir medo de morrer, como nos velhos títulos do gênero RPG.”

O título pode ser adquirido através do site da Nuuvem e tem o preço sugerido de R$ 29,90. Alguém aí já conhecia o Krater?

Update: Sesc Carmo (SP) realiza a exposição “O Universo Mágico do RPG”

RPG / O Universo Mágico do RPG

O SESC do Carmo está com uma mostra bem interessante para fãs de RPG, trata-se da Exposição “O Universo Mágico do RPG” que conta com diversas miniaturas e objetos advindos de algumas das maiores obras inspiradoras de RPG da atualidade, como Call of Cthulhu de H.P. Lovecraft, Senhor dos Anéis de J.R.R Tolkien, entre outros.

Além disso, os fãs e curiosos podem conferir os objetos mais utilizados neste tipo de jogo como dados especiais (aqueles de múltiplas faces), artefatos de live action como taças, adagas, vestuário típico de figuras medievais como guerreiros, magos, vampiros, lobisomens e por aí vai. Leia-se que o visitante irá conhecer uma autentica ode ao infinito mundo da imaginação que é mantido vivo por gerações a fio.

A exposição é aberta ao público e vai até o dia 5 de junho e está baseado na área de conveniência do Sesc do Carmo, localizado na Rua do Carmo 147, Centro de São Paulo. As visitas podem ser feitas de segundas às sextas, das 9h às 20hs.

De acordo com o flyer do evento, de segunda e terça (entre 13 e 15hs) os visitantes podem experimentar as peças e armauras medievais. E de quartas e quintas (entre as 12 e 16hs) estão abertas as mesas de RPG. Fãs de RPG e cultura medieval não podem perder. Mais informações na página do evento.

*UPDATE: horários corrigidos!

Conheça um pouquinho mais de South Park RPG

South Park RPG

Não é de hoje que o polêmico desenho South Park, dos americanos Trey Parker e Matt Stone, flerta com os videogames. O desenho é conhecido por seu lado gamer, por ironizar os últimos lançamentos tanto dos consoles como dos games de computador. Agora, já imaginou o South Park RPG?

Foi o caso das homenagens ao Guitar Hero, ou mais famoso ainda, o desenho dedicado ao World of Warcraft, chamado Make Love, not Warcraft, que rendeu até a criação de um item no game, a Sword of a Thousand Truths.

South Park RPG

Você já deve saber, também, que a Obsidian, conhecida pela série Neverwinter Nights, está trabalhando no South Park RPG. Bizarro? Bastante, mas deixou todo mundo curioso com o que vem aí. Na história, o jogador assumirá o papel de uma nova criança na cidadezinha do Colorado, com a missão de ser aceito pelos amiguinhos.

Cartman será o seu mentor e auxiliará na escolha de classes, o que torna tudo mais estranho ainda e eleva as expectativas do que vem aí. Quer ir além? O pessoal da Neogaf divulgou algumas imagens do game, que você pode ver aqui

[Via CVG]

O RRPG Firecast permite jogar RPG de mesa pelo computador

RRPG Firecast

Apesar de existir para computadores, o RPG quando jogado em uma mesa é um tanto diferente. E o O RRPG Firecast permite jogar RPG de mesa pelo computador.

O jogo já foi passado para diversas formas: tem quem jogue por email e, há um tempo, no auge do IRC, diversos canais de bate papo se dedicavam a hospedar aventuras narradas online, entre amigos, com um ou outro artifício para tornar possível a rolagem de dados.

Nessa mesma pegada surge o RRPG Firecast, um cliente de RPG por IRC, adaptado para variados tipos de sistema, entre eles os famosos D&D e a linha storytelling (que inclui os sistemas Vampiro, Lobisomem e Mago), entre tantos outros.

RRPG Firecast para download

O sistema conta com, além do bate papo para a aventura e dados, criador de ficha de personagens, tabuleiro para quem gosta de usá-los em combate, integração ao microfone para diminuir o tanto de digitação e até trilha sonora.

Parece legal, né o RRPG Firecast, não? Quem aí topa uma partidinha?

:: Conheça o RRPG Firecast aqui e faça seu download gratuitamente

Conheça The Journey of Elements, um RPG brazuca em progresso

O aluno William “Skyvader”, do curso de Jogos Digitais da FMU, mandou para a gente mais informações sobre seu game The Journey of Elements (ou The JOE), um RPG épico para PCs criado em RPG Maker Vx.

O projeto, iniciado em 2008 durante uma folguinha na empresa em que ele trabalhava, teve seu primeiro capítulo lançado. É um demo do que vem aí, e seria legal que nossos leitores dessem críticas e sugestões para o aprimoramento e desenvolvimento dos próximos capítulos.

Eis o prefácio do game, enviado para nós por William:

“Num Imenso planeta chamado Eryus, sete forças elementares dominam nosso mundo.

E cada ser nasce com uma capacidade de controlar essas forças elementares, que gradualmente cresce após vários tipos de treinamentos. Através das eras os humanos foram construindo seu espaço no planeta, os primeiros clãs surgiram.

Conquista era a palavra de ordem, nisso os clãs espalharam seus domínios por todo o Globo, e eventualmente batalhas eram travadas por território, muito sangue foi derramado em nome das conquistas, até que dois desbravadores de Nome Kizama Ryugi e Shin Yo Pun ambos os líderes dos Clãs de Kuma e Lóng, se uniram para tentar promover a paz e cessar as batalhas territoriais que já duravam há séculos

Assim os sete guerreiros Lendários cada um com sua especialidade em um elemento, se reuniram na planície de Salatiel (mesmo local da guerra), e depois de firmarem um acordo territorial, nomearam as sete vilas, cada uma teria um elemento como destaque, a partir dali a liderança passaria a ser hereditária.

Séculos se passaram as vilas cresceram e se tornaram reinos poderosos, os limites territoriais foram se expandindo mediante acordos o planeta foi quase em sua totalidade dominado.

Porém, a sede de poder absoluto e a idéia do poderio dos clãs fizeram com que 3000 anos depois do acordo de Salatiel, uma grande guerra começasse mais uma vez em nome de conquista e poder, dessa vez as batalhas foram mais sangrentas, havia novas formas de se guerrear e os danos foram consideráveis.

Após 10 anos de guerra, vários guerreiros importantes se foram, mas a corrupção pairava no ar, ninguém confiava em ninguém, Rayza Ni uma das pacifistas foi à autora da criação de um conselho que defenderia os ideais das províncias em uma espécie de assembléia, onde a voz do povo teria força, e o poder dos tiranos seria reduzidos e questionados, após muita discussão o conselho de Kahn foi criado (Kahn foi um grande líder da época colossal), mediante votos sob um sistema democrático.

Oitenta anos se passam, os reinos foram reconstruídos nisso na província de Kuma, nasce um jovem por nome Ryan Kiske.

Dezesste anos se passam nosso jovem cresce e como qualquer Guerreiro de sua idade deseja ser escolhido por seu reino para se sagrar um grande guerreiro Elemental.

Logo após se formar de seu treinamento, Ryan entra na pré-seleção que escolhera os quatro melhores guerreiros do reino, para formar duas equipes “Ômega” e “Alfa” que representará o reino de Kuma no torneio mundial.”

:: Baixe gratuitamente o primeiro capítulo de The JOE