Arquivo da tag: indie

SuperSUS – game da Fiocruz mostra os direitos do cidadão ao utilizar o SUS

A história já é conhecida: você fica doente, tem de ir até um hospital ou unidade de pronto atendimento e fica horas esperando para ser recebido pelo médico, que lhe dispensará poucos minutos de sua atenção, dirá que está com virose e receitará um medicamento qualquer. Se há um consenso entre os brasileiros é que o SUS é pouco eficiente e que precisa de muitas melhorias. Entretanto, poucas pessoas conhecem de fato seus direitos na área da saúde. Foi pensando nos direitos dos paciente que o time de pesquisadores da Fiocruz Pernambuco lança o game SuperSUS, cujo objetivo é contribuir para que o cidadão conheça seus direitos no campo da Saúde Pública.

De acordo com os produtores, SuperSUS permite que os jogadores descubram os serviços oferecidos pelo SUS que são poucos conhecidos pela maioria da população. A ideia é que os cidadãos conheçam seus direitos e lutem por eles a partir do conhecimento pleno do que pode e do que não pode. Para isso, a Fiocruz Pernambuco disponibiliza o título gratuitamente através da Play Store e na App Store.

O jogo é inspirado na conquista do direito a saúde com o Sistema Único de Saúde (SUS), assim o jogador assume o papel do SUS e percorre trajetórias de lutas e conquistas. Em um passeio pela rede de saúde, cada fase do jogo envolve atividades que são ofertadas como serviços e/ou programas do SUS, cada desafio cumprido o jogador vai acumulando conquistas e alcançando objetivos do desenvolvimento sustentável – ODS (com dimensões ambientais, sociais e econômicas).

São 12 minis jogos, nos quais o desafio é conquistar os princípios e diretrizes do SUS, atingindo assim os objetivos de desenvolvimento sustentável preconizados pela Organização Mundial da Saúde. Quem perde, descobre a falta que o SUS faz no dia a dia e os problemas que isso acarreta.

Você pode ver mais detalhes do SuperSUS aqui.

Fantasy Farming: Orange Season – game de administração de fazenda com toque de RPG é lançado na Steam

Já imaginou a fusão de RPG com farming? Pois é justamente essa a ideia do game Fantasy Farming: Orange Season, o novo título da em parceria com o estúdio nacional Tropical Puppy. Basicamente você é um jovem fazendeiro que deve auxiliar seus pais. Para isso, você deve administrar uma fazenda na cidade de Laranjal plantando vegetais e criando animais, enquanto convive com as pessoas excêntricas de Laranjal.

Um detalhe interessante é que você pode fazer amizade com os demais moradores auxiliando-os em pequenas tarefas. Essas tarefas, aliás, podem render prêmios valiosos. As tarefas são bastante variadas, e vão desde minerar pedras preciosas a pescar frutos do mar. Praticamente um simulador da vida de um fazendeiro. A intenção foi criar um game extenso, divertido e repleto de coisas a se fazer.

“Como alguém que cresceu jogando jogos de fazenda, mal posso esperar para começar uma vida como fazendeiro em Laranjal e conheçer as histórias de vida dos moradores do local. O Fantasy Farming: Orange Season parece fantástico e estou empolgado para ver o seu desenvolvimento continuar”, disse Bas de Jonge, Diretor de Marketing na SOEDESCO.

Os fãs de Harvest Moon se sentirão em casa com este jogo.Um Detalhe que chama atenção é o visual do game e sua trilha sonora, pois eles trazem um clima de 16 bits inconfundível.  Fantasy Farming: Orange Season está atualmente disponível em Acesso Antecipado no Steam, com uma pontuação ‘muito positiva’ de 94% de um total de 110 avaliações.

Abaixo você confere o trailer de Fantasy Farming: Orange Season:

Conheça Antifa, o game que quer ensinar os gamers a combater o fascismo

O reino de Dumpland está em apuros! Um líder verborrágico usou sua influência política e sobre os meios de comunicação para perpetuar seu discurso fascista sobre este reino. Centenas de pessoas acabaram aprisionadas em celas por falar contra o governo e os canais de TV parecem presos à imagem hipnótica dos discursos inflamados desse líder. Cabe a um jovem revolucionário combater esse governo controverso utilizando apenas uma máscara de gás e coquetéis molotov para combater o político. Esta é a premissa de Antifa, o jogo do estúdio indie Wobbly Dev, cujo objetivo é justamente trazer um discurso político para os jogos eletrônicos.

Antifa é o herói que dá nome ao jogo e seu antagonista é o líder político Humpel Dumpty, uma analogia clara ao 45º Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. O vilão do game conseguiu utilizar sua influência para entupir os televisores com seus discursos inflamados e – não satisfeito – colocou seus capangas para calar quem se opõem a sua ideologia. Para libertar a população, Antifa deve destruir as TVs com a imagem de Dumpty  e derrotar os capangas saltando sobre suas cabeças. No mundo de Dumpland não há meio termos: para derrotar o fascismo é necessário lutar.

A sátira não passa despercebida e graças a seu tom humorado angariou as atenções dos jogadores, tanto de opositores de Trump quanto dos apoiadores, o que gerou revolta de muita gente pela internet assim que ficou disponível na plataforma itch.io. A jogabilidade e o estilo gráfico não deixam enganos: a inspiração foi Super Mario World, da Nintendo. Inclusive algumas caixas devem ser destruídas para obter suprimentos para continuar a luta, tais como os coquetéis molotov.

Suas mecânicas são básicas, ou seja, progredir da esquerda para a direita e saltar sobre as plataformas para desviar dos capangas, destruir as TVs ou derrotar os inimigos. Ainda que pareça simples, não é muito simples se adaptar aos comandos, pois os controles não são muito responsivos (até lento). Ao final das fases, o jogador deve confrotar sub-chefes, que são analogias aos grandes fascistas da América do Norte. Durante a jogatina o jogador passa por prisões, esgotos, cidades etc, até chegar na infame Dumpel Tower e enfrentar Dumpty pessoalmente.

“O impulso por trás de fazer o jogo Antifa foi simplesmente a falta de jogos de computador abertamente antifascistas”, disse Wobbly Dev para o site VICE, com tradução pela Vice Brasil. “Considerando o entendimento equivocado geral da importância histórica e contemporânea do movimento antifascista, eu queria fazer um jogo que fosse acessível, fofo e inconfundivelmente antifascista em seu conteúdo.”

A jogabilidade é a coisa menos relevante de Antifa, pois o foco mesmo é o conteúdo. A ideia básica é que os fascistas comandados por “Dumpty” devem ser confrontadas pelas pessoas comuns, caso desejem ver a liberdade novamente.

“A primeira fase da prisão é só o começo dos horrores”, diz Wobbly Dev. “As próximas fases vão revelar um mundo maior contra o qual o jogador tem que lutar.”

Abaixo tem o trailer de Antifa:

Conheça o jogo indie Eye of Prophecy para mobile

Hoje o jogo é especial para quem curte o gênero dungeon crawler e está procurando por novidades. Trata-se do game Eye of Prophecy, criado pela produtora Stroopwafel Game Studios, um jogo mobile que coloca o jogador para explorar ambientes inóspitos enquanto tem de derrotar centenas de inimigos.

O título está disponível exclusivamente para Android e tem como diferencial sua trama densa e jogabilidade simples. A trama é sobre a eterna disputa entre a Ordem e o Caos. Após a queda dos 3 guardiões, a antiga profecia que fala do retorno de Galosh, Deus do Caos, está próxima de se cumprir. Para evitar o fim de sua tribo e do mundo dos humanos, Themba, o herói velocista, vai cruzar o Labirinto Eterno lutando com todas suas forças para sobreviver.

 

Além de tentar superar os poderes malignos do labirinto que lhes drenam as forças, um exército de monstro e aberrações estarão entre ele e seu destino. Para sobreviver mais tempo, Themba precisará concentrar sua energia para desferir golpes potentes, mas para isso ele deverá ser cuidadoso, pois os inimigos são astutos e estarão preparados para encurralar o herói. Apesar de perigoso o labirinto proverá tesouros que permitirão o herói se aprimorar. Nos corredores, monstros e baús nosso herói conseguirá moedas que lhe permitirão se tornar mais forte, rápido e resistente.

Além da trama aventureira, outro destaque de Eye of Phophecy é sua jogabilidade simples, porém divertida. O game tem elementos de rogue like, de modo que o jogador terá uma experiência divertida, que é elevada ao passo em que os inimigos também possuem habilidades únicas. De acordo com a produtora, o game conta com nada menos que 24 fases procedurais, com dificuldades elevadas. Há ainda 3 batalhas contra temíveis guardiões desafiadores, que devem ser batidos cada qual com uma estratégia diferente.

Como se não bastasse, Eye of Prophecy tem um jeitão retrô que agrada jogadores das antigas. Inclusive a estética é inspirada em jogos 8 bits e a trilha sonora em chiptune. Trata-se de um prato cheio para quem curte jogos de ação com uma pegada retrô. É como se Diablo encontra-se o NES.

Abaixo você confere o trailer de Eye of Prophecy:

Inscrições de startups de games para sessões de ‘pitching’ da SP Play Week terminam nesta sexta-feira

Se a sua empresa trabalha com gamificação e deseja participar do Pitch for Change da SP Play Week, não deixe o prazo passar. Amanhã (15) é o último dia para as startups inscreverem suas empresas para as rodadas de apresentações rápidas, executivas e vendedoras que fazem parte do VII Festival Games for Change América Latina. A rodada de pitching será acompanhada e validada por investidores e patrocinadores com interesse em associar suas marcas a projetos de inclusão e transformação.

O São Paulo Play Week é considerado o maior evento brasileiro voltado ao segmento de jogos e games de impacto social e é promovido pelo grupo de pesquisa e extensão Cidade do Conhecimento da USP. O evento Games for Change ocorre tem como principal objetivo viabilizar a aproximação de startups voltadas à criação de aplicativos, jogos e games de temáticas inclusivas com os fundos de venture capital, fintechs e investidores-anjo em busca de parcerias com desenvolvedoras de jogos.

O Festival, que vai ocorrer entre 5 e 8 de dezembro, em São Paulo, é uma parceria com a renomada aceleradora de startups G4C – Games for Change Accelerator, de Nova York, e tem apoio da Abragames (Associação Brasileira das Empresas Desenvolvedoras de Jogos Digitais) e das aceleradoras BNDES Garagem e Liga Ventures.

 

Selo de Diversidade

O Pitch for Change visa a dar visibilidade e legitimidade inéditas a jogos brasileiros que possam contribuir para campanhas mundiais como a MIL CLICKS e a Education for Justice da ONU. Alinhada com essa proposta, a Abragames concedeu ao evento o Selo de Apoio e Incentivo à Diversidade em suas três categorias: Diversidade de Gênero, Racial e LGBTQI+. Os Selos atestam que a organização do evento conta com pessoas que representam essas três minorias e que há interesse por parte da organização em fazer dele um evento com público diverso. Esse também é um incentivo para que as empresas adotem propostas de impacto social nos produtos a serem apresentados nos pitching, aumentando o interesse dos investidores.

O processo está organizado em três fases. A primeira, que termina amanhã, dia 15 de novembro, é de pré-inscrição. Basta preencher o formulário online e indicar as características e objetivos básicos de cada projeto. Na segunda fase, serão selecionadas as propostas mais consistentes com a agenda da rede mundial Games for Change. As empresas poderão então, confirmar seu interesse fazendo a inscrição definitiva (uma taxa de inscrição de R$ 100 será cobrada das empresas e projetos selecionados). A partir desse momento, serão selecionadas as propostas que poderão ser apresentadas durante o VII Festival Games for Change América Latina, nos dias 5 e 6 de dezembro.

A comissão julgadora terá a participação de Margaret Wallace, gestora da G4C — Games for Change Accelerator, e especialistas em mercado de games da aceleradora de Nova York, EUA.  Os critérios para a seleção incluem startups que, além de utilizar o conceito de gamificação, fomentem a economia criativa e causem impacto social e pessoal transformadores.

No dia 8 de dezembro, no encerramento da São Paulo Play Week, serão anunciados os vencedores, que terão vários benefícios. Entre eles, apresentação dos projetos no Games for Change Festival, em Nova York, em 2020, e mentoria da equipe de pesquisadores, desenvolvedores e centros de pesquisa associados, tais como a rede “Playable Cities” (Universidade de Coventry), o laboratório ICCA (Universidade de Paris) e outros.

Os projetos vencedores também serão encaminhados para a Abragames, tendo como objetivo a certificação com o selo Diversidade — as propostas de jogo deverão contemplar impactos que atendam aos requisitos de diversidade da Abragames ou aos valores de Acessibilidade, Diversidade e Justiça da São Paulo Play Week. Além disso, serão integrados à plataforma de criptomoedas da Cidade do Conhecimento, ou seja, cada projeto poderá contar com o selo “Cidade do Conhecimento” e integrar uma biblioteca global de jogos de impacto. Você pode realizar a inscrição aqui.

Firmeza Fest – evento em São Paulo reunirá desenvolvedores de jogos indie

Mais um evento promete reunir centenas de jogadores e da comunidade de produtores de jogos neste final de semana: o Firmeza Fest. Basicamente trata-se de um evento com o objetivo de fomentar e mostrar jogos independentes e mostrá-los com outras formas de arte. O evento ocorre neste sábado (16/11), no bairro da Republica, em São Paulo. De acordo com os organizadores, o encontro celebra a mente criativa dos desenvolvedores e seus projetos.

Para isso, o Firmeza Fest contara com uma mostra de jogos independentes, além de uma série de palestras com variados temas. A mostra de jogos conta com novidades até então pouco conhecidas do grande público, tais como Tamashii 2(Vikintor), Got Coffee?! (Brew Beard), Fish Person Shooter (8AH Studio), Pat Pat Revolution , Railgunners (Expresso Studios), Areia (Gilp Studios), Churrasco Simulator (Churrasco Simulator Team), Deff (Dinobox Studios), Sleeping Dragon (Hugo Damiao), Unsighted (Studio Pixel Punk), Tile Tower (Lunic Games), Dandy Ace (Mad Mimic), Lenin – The Lion (Lornyon), e It’s Play Time (Skullfish Studios). São muitos jogos, de modo que os visitantes estarão bastante entretidos e descobrirão produtos novos e promissores.

Já em relação aos debates, o destaque será o Dev Spotlight, uma conversa com desenvolvedores mediada pelas jornalistas Flávia Gasi e pela Letícia Wexell. Além disso, o Firmeza Fest contará com uma série de palestras e eventos interativos, que visam mostrar aspectos do desenvolvimento de um jogo independente e detalhes que todo desenvolvedor deve se atentar. O cronograma você confere aqui.

O Firmeza Fest é um evento de desenvolvedores para desenvolvedores, pesquisadores, estudantes e entusiastas da indústria. A perspectiva é que o sucesso do evento atraia interesse da comunidade por determinados tópicos, que não são muito debatidos atualmente. Mais informações no site do evento.

  • Mostra de jogos: 14 jogos brasileiros inéditos
  • Dev Spotlight: Rodas de conversa com os desenvolvedores dos jogos da Mostra
  • Palestras: 7 palestras com profissionais veteranos da nossa indústria
  • Hypertalks: Injeções rápidas e divertidas de conhecimento! Com duração de até 8 minutos, 18 palestrantes falarão sobre seus projetos, experiências, falhas e fontes de inspiração no seu trabalho com jogos.

Serviço – Firmeza Fest 2019

Quando: 16 de novembro de 2019 das 12h às 22h

Onde: Rua Rego Freitas, 542 – República – São Paulo

Quanto: A entrada para Mostra de Jogos é gratuita. A venda de ingressos (R$60,00)  dá acesso às Palestras, Hypertalks e Dev Spotlight.

Ingressos: Eventbrite

 

Líder indígena Kaka Werá fala sobre a concepção do game Karena na ESPM Soul

Se você é apaixonado pela cultura brasileira e gosta de vê-la representada em jogos eletrônicos, fique atento na programação da escola ESPM SP, pois a instituição está promovendo uma roda de discussões e palestras sobre este rico universo. A novidade da vez é que o líder indígena Kaka Werá participa do evento para contar os detalhes da lenda Tupi, que serviu de inspiração para o game Kerena.

Kaka Werá Jecupé é presidente do Instituto Arapongy e teve participação chave para a criação do jogo Kerena. Durante a palestra, o líder indígena falará sobre as lendas e mitos dos indídios que serviram de inspiração para o game. Além de Werá, a mesa de debate sobre o título conta com Saron e Sawara S. S., do Instituto Arapongy, professora do curso de Cinema e Audiovisual, Adriana Sá Moreira, e Vince Vader, professor e pesquisador da ESPM na área de games.

De acordo com a organização, neste ano, serão 161 atividades, que reunirão mais de 280 palestrantes, entre professores da instituição, especialistas e profissionais do mercado. As discussões sobre o universo dos games terão destaque. O ESPM Soul promove entre os dias 12 e 13 uma maratona de atividades do universos dos games, dos negócios, artísticas e culturais gratuita e aberta ao público.

Serviço: ESPM Soul – edição 2019

Debate Game Kerena: Uma Modelagem da Lenda Tupi Guarani – 13/11 – das 14 às 16 horas – Ludoteca, prédio da Biblioteca, 2º andar.

Endereço: Rua Dr. Álvaro Alvim, 123, Vila Mariana

Para conhecer toda a programação do ESPM Soul acesse o site da instituição.

 

Abragames divulga detalhes das Bolsas da Diversidade para a GDC 2020

Já imaginou participar da Game Developers Conference 2020 (GDC), um dos maiores eventos da indústria de jogos digitais da atualidade? Pois é justamente essa a oportunidade que a Abragames, em parceria com a federação Latino-Americana de desenvolvedores de Jogos de Vídeo, irá oferecer através de 10 bolsas scholarships. A ideia é conceder oportunidades aos indivíduos menos representados da indústria.

As inscrições serão abertas em 25 de novembro e devem ser validadas de acordo com os padrões internacionais exigidos pelo programa de Scholarships da GDC e receberá pontuação de acordo com determinados critérios (explicado abaixo). Os scholarships serão distribuídos para os 10 candidatos com maior pontuação e em caso de empate, o contemplado será decidido via sorteio.

Sua inscrição será validada de acordo com os padrões internacionais exigidos pelo programa de Scholarships da Game Developers Conference e receberão pontuação de acordo com a pontuação recebida que é definida em tabela. Os scholarships serão distribuídos para os 10 candidatos com maior pontuação e em caso de empate, o contemplado será decidido via sorteio.

Fatores que serão considerados para a validação:

– Diversidade racial;
– Diversidade de gênero;
– O candidato DEVE ter condições de custear a viagem (Passagem aérea, hospedagem e custos adicionais não estão incluídos no scholarship);
– Tempo de indústria (serão priorizados iniciantes);
– Quantas vezes você já visitou a GDC? (serão priorizados novos participantes).

O scholarship inclui:

Uma credencial “GDC Core + Summits” (valor US$ 2.199). Confira tudo o que essa credencial dá acesso na tabela abaixo ou no link:

Prazo de inscrição:

25 de novembro às 23h59, horário de Brasília
Resultado preliminar dos contemplados:
05 de dezembro

Exigências:

– Ter mais de 18 anos
– Confirmação de que o/a candidato/a pode cobrir os custos e procedimentos da viagem (estadia, visto, passagem aérea, transporte, alimentação, etc.)
– Ser residente, a pelo menos 2 anos, no BRASIL
– Explicar o impacto que o scholarship terá, se obtido (esta pergunta também será pontuada)
– Não ter sido contemplado/a com o Scholarship da Federação Latino-Americana de Desenvolvedores de Jogos de Vídeo, Latam VGF em 2019 (se você ganhou o scholarship, mas não o utilizou – cedendo o espaço para outra pessoa – você está apto/a a aplicar novamente).

IMPORTANTE:

– O bolsista deverá enviar a confirmação de ter passaporte e visto americano válido ou então confirmar a entrada nos processos para retirada desses documentos até dia 15 de dezembro, caso contrário a Associação poderá transferir o scholarship.
– O scholarship da GDC NÃO pode ser vendido ou transferido.

Mostra de jogos, Game Jam e  palestra são as atividades do  BIG Mix Diversity 2019

Após a ótima repercussão da iniciativa BIG Mix Diversity, realizado no ano passado, está mais do que confirmada a segunda edição do evento que traz games inovadores. Sim, o Festival Mix Brasil de Cultura recebe pelo segundo ano consecutivo o programa, que tem apoio do Conselho da Diversidade da Abragames, Games [4Diversity] da Holanda, dos Países Baixos, do Goethe-Institut São Paulo, da Women Game Jam e da Game Jam +. Nesta edição, os 4 jogos finalistas da categoria BIG Diversity do BIG Festival 2019 serão expostos no Centro Cultural São Paulo, de 14 a 20 de Novembro.

Os seguintes projetos já estão certos de aparecer na mostra “Huni Kuin: Yube Baitana” (Bobware/Beya Xinã Bena) e “Spikes on High Heels” (Amand.APPs), ambos representando o Brasil. Já os finalistas internacionais são “after HOURS” (Bahiyya Khan, Claire Meekel, Tim Flusk and Abi Meekel), da África do Sul e “She Dreams Elsewhere” (Studio Zevere), dos Estados Unidos.

Os jogos do BIG Diversity estão concorrendo ao Coelho de Ouro, tradicional premiação do Mix Brasil na categoria voto popular. O público poderá escolher seu jogo favorito até dia 19 de novembro. O vencedor será anunciado na cerimônia de Premiação do Festival que ocorre dia 20 de novembro, às 19:00h, na sala Adoniran Barbosa, no Centro Cultural São Paulo, CCSP.

Um dos pontos altos da programação é a 2ª BIG Mix Jam [4Diversity], uma game jam que reunirá desenvolvedores de jogos por 48 horas, entre os dias 15 e 17 de novembro, no Goethe-Institut São Paulo, para a criação de um game. A atividade será conduzida por Sabina Dirks, do Games [4Diversity], e contará com mentores das empresas Webcore Games, Tapps Games, entre outras. O tema da jam será revelado na hora do evento, mas, para inspirar os participantes, convidamos o cantor Gaê, a jornalista Roseli Tardelli, e o trans Dan Mendes. O evento é gratuito e as inscrições estão abertas.

“A aproximação dos games com o festival Mix Brasil é uma oportunidade incrível de colocar os jogos como mais uma ferramenta na luta por uma sociedade mais inclusiva e que respeita as diversidade. Os games são a principal mídia de entretenimento e o número de jogadores globalmente é enorme, logo, usá-los em prol de causas nobres como a da diversidade é fantástico”, disse Marina Pecoraro, idealizadora da BIG Mix Jam [4Diversity].

A roda de conversa “Videogames: A mudança de paradigmas para um mundo melhor”, encerra as atividades do 2º BIG Mix Diversity, no dia 17 de novembro, no CCSP. A mesa reunirá profissionais da indústria de games do Brasil e da Holanda para discutir o papel do videogame para uma sociedade mais diversa e socialmente justa. Todas as atividades do BIG Mix Diversity são gratuitas!

 

Serviço: Mostra de Jogos – BIG Diversity

14 a 20 de Novembro

Local: Centro Cultural São Paulo, R. Vergueiro, 1000

 

BIG Mix Jam [4Diversity]

15 a 17 de Novembro

Local: Goethe-Institut R. Lisboa, 974 – Pinheiros, São Paulo

Inscrições: https://bit.ly/2JpgnDN

 

Mix Lab:  Videogames: A mudança de paradigmas para um mundo melhor

Overview: A mesa reúne profissionais da indústria de games do Brasil e da Holanda para discutir o papel do videogame para uma sociedade mais diversa e socialmente justa.

 

Participantes:

Sabina Dirks, Games [4Diversity]

Marina Pecoraro, BIG Festival/Conselho da Diversidade da Abragames-

Simon Gamboa, Tapps Games

Camila Malaman, Webcore Games

Mayara Fortin, Webcore Games

Amanda Sparks, Amand.APPs

 

Game Connection Europe – Brasil é destaque no evento que ocorre na França

Na próxima semana a Associação Brasileira das Desenvolvedoras de Jogos Digitais (Abragames) e a Apex-Brasil levarão uma comitiva de produtores de games nacionais até Paris para participar do evento Game Connection Europe (GCE). A comitiva será composta por 7 empresas, inscritas no Projeto de Exportação Brazil Games. Este é o 5º ano consecultivo que o Brasil leva uma comitiva ao evento europeu, cujo foco são negócios. A Game Connection Europe acontece entre os dias 29 a 31 de outubro.

As empresas que participam da comitiva nacional são: Cafundó Estúdio Criativo, Diorama, FiraSoft, GamePlan, Hermit Crab Game Studio, Kokku e Smash Mountain. Além dos representantes dessas empresas, o Brasil leva ainda 15 empresários, que terão a missão de angariar negócios envolvendo os jogos nacionais. Somente neste ano o projeto Exportação Brazil Games já viajou 7 vezes, incluindo participações na E3 e na Tokyo Game Show.

De acordo com a Abragames, a participação na Game Connection Europe tem sabor especial, pois será a primeira vez que o país terá um painel dedicado na programação geral do evento, com o título “Brazil: The Next Super Territory for Game Development”. O painel será apresentado pela Eliana Russi, gerente executiva do Brazil Games e idealizadora do BIG Festival. O painel brasileiro ocorre no dia 30 de outubro, às 14h.

“Vamos mostrar a vibrante indústria de games brasileira, que tem se destacado na imprensa internacional e nos eventos do setor”. A gerente executiva lembra da primeira participação do projeto na Game Connection Europe em 2013, segundo ela, a indústria brasileira era totalmente desconhecida até então. “Em cinco anos muita coisa mudou e o Brasil se tornou um player importante no mercado global de games. O trabalho feito por parceiros importantes como Apex-Brasil, Abragames, BIG Festival, entre outros, foi fundamental para colocar o país como um produtor de games e não mais um consumidor”, comemora.

 

Brazil Games no Indie Development Awards

Ainda falando sobre a Game Connection Europe, vale destacar que o Cafundó Estúdio Criativo representará nosso país na final do Indie development Awards com o jogo Tetragon. O prêmio é concedido ao melhor jogo indie avaliado pela comissão organizadora. Tetragon é finalista nas categorias Melhor Jogo Mobile e Melhor Arte, além de concorrer na categoria voto popular.

Para quem não conhece ainda, Tetragon é um puzzle 2D ambientado em um mundo em forma de quadrado cujas paredes podem mudar de posição repentinamente, reorganizando a força da gravidade do jogo. A jogabilidade inclui uma sequência de quebra-cabeças guiados por uma narrativa profunda. O lançamento global acontece no primeiro trimestre de 2020 para Mobile, Switch e PC. O jogo está entre os três mais votados no momento, ajude Tetragon a ser o vencedor do “People’s Choice award”. Vote em aqui.

Abaixo você confere um trailer de Tetragon, o finalista brasileiro na Game Connection Europe: