Arquivo da tag: games for change

USP lança, a Games for Change, nova aceleradora de jogos do Brasil

O dia 5 de dezembro será marcado como um acontecimento positivo para nossa indústria de games., pois é nessa data que a USP lança sua nova aceleradora de desenvolvimento de jogos de alto impacto social, a Games for Change. A iniciativa será uma subsidiária da G4C Accelerator de Nova York, em parceria com as agências da ONU para drogas e crime – UNODC, para educação, ciência e tecnologia – UNESCO e apoio da Associação Brasileira da Indústria de Jogos, ABRAGAMES.

“A indústria brasileira nascente na área de jogos digitais já se mostrou tão criativa e competente quanto as melhores do mundo em segmentos como aventura, fantasia e simuladores. Mas é óbvio que nosso potencial criativo precisa ser dirigido para a solução de problemas de natureza social, de saúde individual e coletiva, ambiental e cultural”, afirma Gilson Schwartz, que há 10 anos representa a rede Games for Change na América Latina.

A competição Pitch for Change, que faz parte da primeira edição da SPPW – São Paulo Play Week, marca o lançamento da iniciativa no Brasil. A Comissão Julgadora avalia no dia 5 de dezembro, no Centro de Estudos de Negociações Internacionais do Instituto de Relações Internacionais da USP, mais de 20 projetos pré-selecionados nas categorias ideias, protótipos e jogos em desenvolvimento avançado.

“O futuro da economia criativa no Brasil está nas mãos de quem encontrar o ‘mix’ adequado entre competição por mercado e colaboração para a solução de problemas, tanto por meio de jogos digitais quanto analógicos, brinquedos e aplicativos”, completa Schwartz.

Os vencedores terão apoio da Games for Change para levar seus projetos adiante, apresentar os resultados no festival em Nova York em junho de 2020 e atuar intensivamente no mercado internacional com apoio da CAPES, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior do Ministério da Educação, que apoia a iniciativa de aproximar o grupo da USP de universidades e centros de pesquisa sobre jogos e economia criativa na Inglaterra, Alemanha, Espanha, Israel e EUA. Mais detalhes e inscrição para o evento aqui.

SERVIÇO: Pitch for Change 2019

Data: 5 de dezembro de 2019

Local: Auditório do Instituto de Relações Internacionais

Inscrições de startups de games para sessões de ‘pitching’ da SP Play Week terminam nesta sexta-feira

Se a sua empresa trabalha com gamificação e deseja participar do Pitch for Change da SP Play Week, não deixe o prazo passar. Amanhã (15) é o último dia para as startups inscreverem suas empresas para as rodadas de apresentações rápidas, executivas e vendedoras que fazem parte do VII Festival Games for Change América Latina. A rodada de pitching será acompanhada e validada por investidores e patrocinadores com interesse em associar suas marcas a projetos de inclusão e transformação.

O São Paulo Play Week é considerado o maior evento brasileiro voltado ao segmento de jogos e games de impacto social e é promovido pelo grupo de pesquisa e extensão Cidade do Conhecimento da USP. O evento Games for Change ocorre tem como principal objetivo viabilizar a aproximação de startups voltadas à criação de aplicativos, jogos e games de temáticas inclusivas com os fundos de venture capital, fintechs e investidores-anjo em busca de parcerias com desenvolvedoras de jogos.

O Festival, que vai ocorrer entre 5 e 8 de dezembro, em São Paulo, é uma parceria com a renomada aceleradora de startups G4C – Games for Change Accelerator, de Nova York, e tem apoio da Abragames (Associação Brasileira das Empresas Desenvolvedoras de Jogos Digitais) e das aceleradoras BNDES Garagem e Liga Ventures.

 

Selo de Diversidade

O Pitch for Change visa a dar visibilidade e legitimidade inéditas a jogos brasileiros que possam contribuir para campanhas mundiais como a MIL CLICKS e a Education for Justice da ONU. Alinhada com essa proposta, a Abragames concedeu ao evento o Selo de Apoio e Incentivo à Diversidade em suas três categorias: Diversidade de Gênero, Racial e LGBTQI+. Os Selos atestam que a organização do evento conta com pessoas que representam essas três minorias e que há interesse por parte da organização em fazer dele um evento com público diverso. Esse também é um incentivo para que as empresas adotem propostas de impacto social nos produtos a serem apresentados nos pitching, aumentando o interesse dos investidores.

O processo está organizado em três fases. A primeira, que termina amanhã, dia 15 de novembro, é de pré-inscrição. Basta preencher o formulário online e indicar as características e objetivos básicos de cada projeto. Na segunda fase, serão selecionadas as propostas mais consistentes com a agenda da rede mundial Games for Change. As empresas poderão então, confirmar seu interesse fazendo a inscrição definitiva (uma taxa de inscrição de R$ 100 será cobrada das empresas e projetos selecionados). A partir desse momento, serão selecionadas as propostas que poderão ser apresentadas durante o VII Festival Games for Change América Latina, nos dias 5 e 6 de dezembro.

A comissão julgadora terá a participação de Margaret Wallace, gestora da G4C — Games for Change Accelerator, e especialistas em mercado de games da aceleradora de Nova York, EUA.  Os critérios para a seleção incluem startups que, além de utilizar o conceito de gamificação, fomentem a economia criativa e causem impacto social e pessoal transformadores.

No dia 8 de dezembro, no encerramento da São Paulo Play Week, serão anunciados os vencedores, que terão vários benefícios. Entre eles, apresentação dos projetos no Games for Change Festival, em Nova York, em 2020, e mentoria da equipe de pesquisadores, desenvolvedores e centros de pesquisa associados, tais como a rede “Playable Cities” (Universidade de Coventry), o laboratório ICCA (Universidade de Paris) e outros.

Os projetos vencedores também serão encaminhados para a Abragames, tendo como objetivo a certificação com o selo Diversidade — as propostas de jogo deverão contemplar impactos que atendam aos requisitos de diversidade da Abragames ou aos valores de Acessibilidade, Diversidade e Justiça da São Paulo Play Week. Além disso, serão integrados à plataforma de criptomoedas da Cidade do Conhecimento, ou seja, cada projeto poderá contar com o selo “Cidade do Conhecimento” e integrar uma biblioteca global de jogos de impacto. Você pode realizar a inscrição aqui.

Purposyum, Challengers of Justice –  jogo da ONU será lançado na “São Paulo Play Week”

Um dos games que mais devem chamar as atenções durante o evento São Paulo Play Week, a ocorrer em 28/11/2019, é o Purposyum, Challengers of Justice, um game criado pelos alunos da ETEC Parque da Juventude com a mediação de pesquisadores do grupo de pesquisa Cidade do Conhecimento da USP. Trata-se de um jogo de cartas que coloca os jogadores em um ambiente colaborativo. A ideia é que os jogadores se unam para defender o sistema solar.

Purposyum, Challengers of Justice foi selecionado pela Organização das Nações Unidas para Drogas e Crime (UNODC) em parceria com a UNESCO entre os dez jogos da campanha “Educação para a Justiça”. O motivo para isso é que o game tem um viés social bastante social e impactante. No jogo há uma disputa colaborativa entre planetas que podem se unir para propor soluções que superem os “Desafios da Justiça” e assim evitar a destruição do sistema solar. As soluções propostas são avaliadas pelos jogadores. O macete é que se não houver a resolução de um mínimo de desafios, todos perdem.

Durante a partida, vão surgindo algumas questões como “Salvar a todos ou salvar a mim mesmo?” e “O meu planeta é mais importante que os outros?” que ajudam os participantes a refletir e trabalhar noções e problemas atuais como xenofobia, discursos de ódio, homofobia e porte ilegal de armas.

A ideia do projeto Purposyum, Challengers of Justice ganhou maturidade após Gilson Schwartz, coordenador do grupo “Cidade do Conhecimento” na USP e diretor para América Latina da rede “Games for Change”, convidar alunos da ETEC Parque da Juventude para participar ao longo de 2018 do desenvolvimento do projeto a fim de participar do concurso da ONU, que pedia jogos não-digitais que promovessem a consciência crítica sobre direitos humanos, racismo, porte de armas, guerras, violência de gênero, corrupção, crimes ambientais e respeito às leis.

A participação no São Paulo Play Week serve ao propósito de abrir o projeto à participação de escolas de todo o Brasil, criando cartas com “ícones da justiça” próprias ou até novos jogos que fortaleçam a campanha mundial de “Educação para a Justiça”. De acordo com Schwartz, o evento na USP será uma oportunidade para mobilizar a participação e também para ampliar as fontes de patrocínio e investimento no projeto, por meio de “criptomoedas criativas” (moedas digitais).

“Por meio desse estímulo, veremos que é possível aprender, brincando, sobre justiça, igualdade, diversidade, paz e reconhecimento, estado de direito e tolerância “, disse Gilson Schwartz, coordenador do projeto.

Fotos: Reprodução/TV Globo

Sobre o São Paulo Play Week

O São Paulo Play Week 2019 tem como tema a “Acessibilidade, Diversidade e Justiça” e será realizada em São Paulo, entre os dias 28 de novembro e 8 de dezembro. O evento é conhecido como  o maior evento brasileiro voltado à criação de games, jogos e brinquedos de impactos social e pessoal transformadores, de modo que ele é organizado pela rede mundial “Games for Change” na América Latina em parceria com a ETEC Parque da Juventude e coordenação do grupo de pesquisa “Cidade do Conhecimento” da Universidade de São Paulo (USP). Para saber mais, acesse o site do evento.

Fórum Acadêmico de Estudos Lúdicos abre edital para o VI FAEL

Atenção, produtores de jogos e aficionados por jogos independentes: a Rede Brasileira de Estudos Lúdicos, a Cidade do Conhecimento e a Games For Change América Latina irão organizar um grande evento voltado para a produção de jogos nacional. O Concurso Rebeldias e o VI Fórum Acadêmico de Estudos Lúdicos estão com inscrições abertas para pesquisadores de todos os níveis, bem como criadores de jogos e outras manifestações lúdicas.

Os trabalhos selecionados serão apresentados no VI FAEL, que irá ocorrer entre os dias 28 a 30 de novembro de 2019, no Departamento de Cinema, Rádio e Televisão da USP – Escola de Comunicações e Artes. Todos estão convidados a apresentar seus projetos lúdicos, basta submeter seu projeto até a data limite.

De acordo com a organização do evento, os convidados poderão esperar por:

  • Sessões técnicas – textos submetidos gratuitamente e aprovados pelos pareceristas
  • Oficinas – abertas à comunidade
  • Mesas-redondas – convidados especiais para encontros inusitados Cultura lúdica ● Exposição de jogos e brinquedos – do Concurso Rebeldias
  • Torneio de jogos – dos nossos parceiros
  • Performance – apresentações selecionadas por nossa curadoria

 

São quatro modalidades no concurso, sendo elas: Brinquedos; Histórias em quadrinhos; Jogos digitais e Jogos de sociedade (“jogos analógicos”, “jogos de mesa” etc.). Os projetos podem ser submetidos na forma de protótipos ou produtos finalizados e podem ter o propósito de entretenimento ou serem voltados a arte, educação ou treinamento. Lembrando que uma obra só pode ser submetida ao concurso uma vez.

 

Fique atento nas datas de submissão:

Texto (artigo completo; resumo expandido; relato de desenvolvimento): 9 de setembro;

Brinquedos; jogos de sociedade; jogos digitais; histórias em quadrinhos: 16 de setembro.

 

O CONCURSO REBELDIAS é um espaço para divulgação, exposição e testes de produtos lúdicos, voltados para produções acadêmicas, produções da indústria e iniciativas independentes. Você pode inscrever seu trabalho através do site do evento.

Games For Change indica os Jogos de cartas e tabuleiro que irão mudar o mundo a partir de 2018

Que os jogos são ferramentas transformadoras, disso você já sabe e temos mais um exemplo para mostrar àqueles mais céticos e que acreditam que jogos digitais e de tabuleiros são meras formas de escape da realidade. Recentemente a UNODC (“United Nations Office on Drugs and Crime”, a agência da Organização das Nações Unidas, ONU, sobre drogas e crimes) realizou uma competição, convidando jovens designers de jogos de todo o mundo a apresentarem ideias para vários jogos não eletrônicos.

A competição foi batizada “Educação para a Justiça” (E4J). Qual o objetivo dessa competição, você pergunta!? Mostrar que a jogos são benéficos para a aprendizagem e que os jogos educativos interativos são um meio perfeito para transmitir lições que são mais bem absorvidas. Os jogos de tabuleiro e cartas foram o alvo desta disputa, pois eles implicam um nível pessoal maior de envolvimento e geralmente são flexíveis quanto ao número de jogadores, tornando-os adaptáveis a atividades sociais e escolares.

Passado o período de disputa, chegou a hora de conhecer os jogos que irão transformar vidas e ideias a partir do segundo semestre de 2018. O critério mais importante é abordar pelo menos um dos tópicos cobertos pelo mandato da UNODC tais como tráfico de pessoas; crime organizado; prevenção do extremismo violento; o uso de força pela polícia; cibercrime e segurança on-line; e integridade.

De acordo com a Games For Change América Latina, os projetos selecionados foram contemplados com um subsídio de US$ 10.000 para o desenvolvimento, teste, fabricação e distribuição do jogo, envolvendo estudantes de nível secundário e educadores no processo. Vale destacar que todos os jogos selecionados são de tabuleiro ou de cartas, já que o plano era envolver apenas jogos dessas categorias.

O primeiro deles é Running Out of Time, criado pela “Asociation Socioeducative Llere” da Espanha. Trata-se de um jogo de tabuleiro que ensina sobre corrupção, prevenção ao crime e justiça criminal, terrorismo e tráfico de pessoas. Os jogadores assumem papéis diferentes na sociedade desde funcionários públicos até políticos.

RiotTD, da Universidade de Bournemouth, no Reino Unido, segue o mesmo estilo. Este é um jogo de tabuleiro colaborativo sobre o uso da responsabilidade da força no qual os jogadores aprenderão os princípios básicos das Nações Unidas sobre o uso de força e armas de fogo por policiais, assumindo os papéis de equipes de investigações forenses.

A ONG “Centro de Estudos sobre Mulheres e Crianças” de Bangladesh apostou na triste realidade do tráfico de pessoas e exploração sexual on-line, projetando um jogo interativo envolvendo salas de aula completas e cartas de baralho e fazendo um brainstorming sobre essas formas de crime organizado transnacional.

Na Howard Rheingold University, dos Estados Unidos, um grupo de estudantes desenvolvem o boardgame “Labyrinth“, onde os jogadores tentam alcançar o status de herói, fazendo as escolhas apropriadas e encontrando seu caminho em um labirinto onde há caminhos para o terrorismo e a radicalização.

Já a Integrity Action, do Reino Unido, criou o jogo “Shine“, uma versão moderna dos famosos jogos “anakes and ladders”. Aqui os alunos devem se preocupar com questões envolvendo a integridade e monitoramento dos serviços públicos.

O cybercrime é o grande inimigo do jogo “Rutgers Preparatory School“, criado nos Estados Unidos. Trata-se de um jogo de tabuleiro cooperativo onde os jogadores precisam criar uma estratégia para tornar a internet mais segura.

Students for Integrity” é a ideia da Transparency International Slovenia, onde os jogadores podem mergulhar nos papéis de jornalista, detetive, delator ou político, entre outros, enquanto lidam com várias crises; aquelas que são ignoradas se intensificam, enquanto aquelas que são tratadas estrategicamente são superadas.

A Universidade de São Paulo é a representante do Brasil nesta seleção. A USP está trabalhando no “Purposyum of Justice Challengers“, um tabuleiro e um RPG que ajudará os jovens a desenvolver suas habilidades de narrativa enquanto jogam através de uma jornada para alcançar vários estágios em revelações que levam à Justiça.

E por fim, estudantes da Bolívia, a “Vision Mundial Bolivia” está trabalhando em um jogo onde os jogadores escolhem um objetivo pré-definido, como riqueza, prestígio social, conhecimento ou felicidade, para o qual eles têm que ganhar pontos respondendo a várias situações.

Legião dos Superpoderes é finalista no prêmio internacional Games for Change 2016

Nosso tema do dia é o jogo Legião dos Superpoderes, um título criado pela PushStart especialmente para o programa Unidos por Crianças mais Saudáveis, iniciativa da gigante alimentícia Nestlé. O game é um dos finalistas da premiação internacional Games for Change Festival, evento que esta em sua 13º edição e que busca divulgar iniciativas na área de jogos digitais que busquem impacto social positivo e mudança de atitude de seus usuários. Esta é a primeira vez que um game brasileiro é representado na etapa final do Games for Change. O vencedor será conhecido no dia 23/06 durante a noite de gala em Nova York, EUA.

“Legião dos Superpoderes” faz parte do projeto piloto “Unidos por Crianças mais Saudáveis”, lançado pela Nestlé em 2015, na cidade de São José do Rio Pardo. A iniciativa busca engajar diversos setores da sociedade para proporcionar um futuro mais saudável às novas gerações. O formato do projeto permitiu que cada participante tivesse sua própria “jornada de desenvolvimento dos superpoderes”, estimulando o aprendizado em um game virtual que, diariamente, traz desafios e missões saudáveis a serem vencidos também na vida real, mobilizando crianças e adultos de forma divertida, ativa e voluntária sobre a importância de incluir em seu consumo diário frutas, legumes e verduras, além da prática regular de atividades físicas.

A ideia basicamente é transformar cada criança em super-herói que adquire seus superpoderes ao consumir alimentos saudáveis como frutas, verduras, legumes e ao praticar exercícios físicos com regularidade. O título mobilizou crianças e adultos de toda a cidade de S. José do Rio Pardo, com mais de 3.900 crianças cadastradas em um ano de atividade do projeto, transformando a vida de diversas famílias e mobilizando também diversos setores da cidade a incorporarem melhores hábitos de Nutrição, Saúde e Bem-Estar. Interessante notar que o game transformou o município do interior paulista na 1ª cidade gamificada da América Latina.

Legião dos Superpoderes e o Games for Change

No Games for Change Festival, dez produções internacionais somam os finalistas divididos em quatro categorias: 1) melhor gameplay; 2) impacto mais relevante; 3) mais inovador e 4) melhor jogo educacional.  Os finalistas serão escolhidos por um júri de experts composto por líderes da comunidade de games, setor filantrópico, mídia e tecnologia. Na mesma noite, os finalistas concorrem ainda ao prêmio Game do Ano, concedido ao jogo que apresentar maior relevância e sinergia entre as quatro categorias. Será interessante ver Legião dos Superpoderes ganhar um dos prêmios.

V Games for Change visa os carros do futuro

Um dos destaques do Games for Change 2015 é o desafio proposto pela Secretaria de Educação de São Bernardo do Campo que visa utilizar games para uma visão de como serão os carros do futuro. Em outras palavras, os pesquisadores acreditam que o desenvolvimento dos “veículos do amanhã” passarão pelos jogos eletrônicos, pois os videogames são uma excelente plataforma de experimentação. O V Festival Games for Change América Latina acontece na PUC-SP no próximo final de semana (21 e 22 de novembro).

De acordo com Gilson Schwartz, coordenador do projeto e diretor da rede Games for Change na América Latina, “(…)Já existem escolas totalmente “gamificadas”. As escolas do município que responde pela quase totalidade da produção de carros no Brasil vão mobilizar crianças, educadores e famílias a pensar e a brincar com games, simuladores, robótica e impressoras 3D, vídeos e animações num laboratório voltado à “edugamificação”.

O tema deste ano é “Games e Cidadania” e o evento será permeado com debates, oficinas, minicursos e networking entre os participantes. Pesquisadores, professores e profissionais da área estarão presentes para mostrar como os videogames podem ser plataformas de mudança sociais, educacionais, políticas e culturais. Vale lembrar que muitos jogos impactantes acabam surgindo dentro do Games for Change e mudando a vida de , muitas pessoas, como é o caso de “This War of Mine”, que retrata uma sociedade devastada por conflitos militares.

Com esta ideia de unir videogames com o desenvolvimento de novas tecnologias veiculares, pode-se esperar por ideias inovadoras e que poderão ser colocadas em prática para o bem estar social e ambiental. Afinal de contas, não são poucos os profissionais gabaritados que veem nos meios digitais a nova fronteira das comunicações onde se definirão o futuro da indústria pesada e da sociedade em geral.

“A transformação de toda a prática pedagógica combinando temas transversais, a intensidade tecnológica da gamificação e a participação de todos, dentro e fora da escola, representa um desafio de colocar a própria educação e a imaginação das crianças no cerne dos debates e decisões sobre os carros, as cidades e as fontes de energia do futuro”, completa David de Oliveira Lemes, Chefe do Departamento de Computação da PUC-SP e Coordenador do V Festival, que acontece pelo segundo ano consecutivo no campus da Marquês de Paranaguá.

Como participar do Games for Change:

Para participar do 5º Games for Change é necessário fazer a inscrição na página do evento, porém é necessário urgência, pois as vagas são limitadas. Vale lembrar que o evento é uma forma de participar da mudança do mundo de forma ativa.

PUC-SP sedia Games For Change 2015

Pelo segundo ano consecutivo a PUC-SP sediará o evento Games for Change, o encontro entre professor, desenvolvedores e pesquisadores de jogos digitais com propostas para a melhoria da sociedade e do meio ambiente. O evento ocorre entre os dias 21 e 22 de novembro e o tema desta quinta edição é “Games e Cidadania”.

O evento terá uma série de simpósios, oficinas e até um minicurso para unir fãs de serious games e aplicativos de utilidade pública. As atividades iniciam às 09h00 com a recepção dos visitantes e logo em seguida, os professores Gilson Schwartz (USP), Lúcia Santaella (PUC-SP) e David Lemes (PUC-SP) dão as boas vindas aos visitantes e falam sobre o tema deste ano.

Entre as atividades deste ano, podemos destacar o debate “Games e Conflietos na Escola: Experiência com o FazGame”, com participação da dupla Carla Zeltzer e Antônio Ramos; o Minicurso “Jogos, Filosofia e Educação”, ministrado por Lucas Machado e Danilo Silvestre; “Jogos para aprendizagem, saúde e impacto social”; “Edugamificação Urbana: O Carro do Futuro em Jogo”, entre outros. Tem até uma oficina dedicada a jogos de tabuleiro, onde os visitantes poderão ver um jogo de tabuleiro nascer e se desenvolver.

O Minicurso sobre Jogos, Filosofia e Educação tem duas sessões e serve como introdução ao estudo filosófico dos jogos, mostrando como temas clássicos da filosofia são retomados na reflexão sobre jogos e sobre suas estruturas e modos de interatividade próprios.

Durante a primeira sessão do minicurso será discutida a definição de jogos e de games. Já na segunda sessão, os palestrantes utilizarão autores clássicos como Kant, Schiller, Hegel e Sartre de exemplo para mostrar como os jogos são utilizados como ferramentas lúdicas em contextos educativos e seu forte impacto social.

Como participar do Games for Change:

Para participar do 5º Games for Change é necessário fazer a inscrição na página do evento, porém é necessário urgência, pois as vagas são limitadas. Vale lembrar que o evento é uma forma de participar da mudança do mundo de forma ativa.

Geralmente o evento apresenta games lúdicos e com propostas de transformação social, tais como This War of Mine, Never Alone, Zoo U, Bounden, entre outros. A lista total de atividades do Games for Change pode ser conferida no site do evento.

BIG Change: BIG Festival formaliza parceria inédita com a Games for Change

Mais uma notícia envolvendo o BIG Festival, o maior evento de games independentes do Brasil! Desta vez a novidade é que o evento terá uma parceria inédita com outro grande evento que prestigia desenvolvedores independentes: o Games for Change. A ideia é criar o BIG Change, um espaço para discutir o potencial de games como ferramenta na educação.

Basicamente serão realizados palestras e workshops que abordarão os jogos como ferramenta de transformação eficaz para alcançar propósitos sérios e que envolvam aprendizado, desenvolvimento cognitivo, conscientização, sensibilização etc. Tais palestras serão realizadas nos dias 4, 6 e 7 de julho.

No dia 4 de julho a palestra será no Centro Cultural, em São Paulo, durante o BIG. Nesta ocasião serão realizadas várias palestras que abordam temas distintos como “Jogos na sala de aula”, “Design Thinking e jogos com impacto social”, “Modelos de Negócios e Distribuição” etc. Vale destacar que o professor  Gilson Schwartz (Games for Change) estará presente no evento para dar as boas vindas aos visitantes. Além dele, haverá a participação de outras personalidades nas palestras e debates como a Profa. Estela Picones (FEUSP), Alexey Dodsworth (MEC), Cássia Santos (Escola da Rede Pública Estadual), Francisco Tupy (Colégio Visconde de Porto Seguro), Eduardo Suplicy (Prefeitura de São Paulo), Eliana Russi (Brazilian Game Developers), Gustavo Steinberg (BIG Festival), Mario Lapin (Virgo Games), entre outros.

Já nos dias 6 e 7, as palestras ocorrem no FIRJAN/SENAI, no Rio de Janeiro. Aqui estão previstos três debates com os temas “Oportunidades de Negócio: Jogos sérios e educativos”, “Criando um estúdio indie dentro de um ambiente acadêmico” e “Games para transformar: modelo de negócios da virgo”.

A intenção dessa união é mostrar que jogos indie e serious games tem tudo a ver. Quem sabe até inspirar outros desenvolvedores a criar seus próprios jogos e mostra-los em eventos como a Games for Change? Vale o lembrete que além destas palestras, a cidade do Rio de Janeiro também recebe o do Fórum de Negócios do BIG, em 6 e 7 de Julho, na FIRJAN. No site do BIG Festival tem as datas e horários de cada palestra a ocorrer nos eventos do Rio e São Paulo, além do cronograma completo do evento.

Games for Change seleciona projetos para receber investimentos

Durante os dias 6 e 7 de dezembro, realizou-se na PUC-SP a 4º edição do Games For Change, o evento mundial que visa apresentar projetos sociais ligados aos jogos eletrônicos. Com o apoio do Broota, plataforma pioneira de equity crowdfunding de startups no Brasil, o evento agora seleciona projetos protótipos para receber investimentos e ajudar a tirar as melhores ideias do papel.

Com o tema “Gamificando a Internet das Coisas”, o evento promoveu o pitching “Games e apps Gamificados”, no qual foram apresentados projetos e protótipos com potencial para fortalecer uma internet lúdica, a fim de resolver problemas e transformar o mundo de maneira prática e benéfica. Mais de 15 projetos foram apresentados e divididos entre “ideias-semente”, “incubação” e “aceleração de protótipos”, pela comissão julgadora.

Os grandes vencedores na categoria ideia-semente foram os jogos Think&Play, um projeto educativo sobre política; e o Projeto #AJogada, movimento pela gamificação da cultura de escritório. Já na categoria protótipo, os escolhidos foram GameSquare, plataforma para games em praça pública, e Deborah Game, para ensino de História da Contabilidade. Os projetos selecionados foram encaminhados para a plataforma do Broota, onde irão se preparar para receber investimentos financeiros e mentoria.

“Ficamos muito contentes de participar do evento. O Broota desenvolveu uma ferramenta específica para os jurados e parceiros do Games For Change avaliarem os projetos e agora eles poderão acompanhar o progresso dos selecionados pela plataforma do Broota, que ainda poderá ser usada para captar investimentos, assim que os projetos estiverem mais maduros. Reforçamos nossa crença na força dos jogos para a transformação social e já estamos ansiosos para o próximo ano, quando pretendemos colocar em prática as inúmeras iniciativas que surgiram como desdobramento dessa edição”, disse Frederico Rizzo, fundador do Broota.

Os jogadores podem conhecer esses jogos e ajudar na campanha de arrecadação de valores através do site Broota.