Arquivo da tag: Catarse

A Bandeira do Elefante e da Arara – RPG clássico lança financiamento coletivo para virar game

Quem acompanha o mercado de board games certamente já ouviu falar do RPG A Bandeira do Elefante e da Arara, game ambientado em uma versão fantástica do período colonial brasileiro e que se tornou um dos mais populares e premiados do país. Pois bem, há uma grande chance de ele migrar das mesas para os computadores, afinal há uma campanha de financiamento coletivo em voga no Catarse.

Para quem não conhece, A Bandeira do Elefante e da Arara nasceu com contos e se espalhou por diferentes formatos e mídias, como romances e HQs. A série original levou as histórias e lendas brasileiras para o mundo, sendo traduzida para sete idiomas e alcançando mais de 100 mil leitores. Tornou-se também um RPG de sucesso internacional, já com sete títulos lançados, ao adaptar o riquíssimo folclore do nosso país para a fórmula do RPG de mesa. Trata-se do único RPG nacional a receber nos EUA o prestigioso prêmio ENnie, um dos maiores do RPG.

O objetivo do game é levar toda a tradição do board game para o ambiente digital. Para isso, no gane, o jogador vai acompanhar a história de Baltasar, um jovem português em busca de aventuras e redenção nas terras inexploradas da colônia. O caminho do jovem é interrompido por um touro negro, uma tribo de guerreiras indígenas e uma entidade ancestral. Tudo isso em uma terra em eterno conflito. O jogador forma então um grupo de até quatro personagens para desbravar a região entre Olinda e São José do Maranhão.

O game está sendo desenvolvido pelo Time Galleon Studio, que foi formado para o projeto, mas que conta com experientes profissionais. Outro destaque é que o gane contará com um estilo artístico único, que retrata com esmero o Brasil colonial. As batalhas, vale dizer, serão por turno.

De acordo com os desenvolvedores, a narrativa é intrigante e convida o jogador a testar seus limites de ética e moral através de escolhas ingame. Essas escolhas, aliás, afetam o desenvolvimento e conclusão do jogo. Ao longo da aventura é possível coletar itens e habilidades que afetam as habilidades do personagem. A ideia é fazer um RPG clássico com a adição de coisas mais modernas. Mais informações na página oficial no Catarse.

Abaixo você confere o trailer de Três Reinos:

Bem Vindo ao Game Design – livro busca mostrar todas as etapas da criação de um jogo eletrônico

Quem nunca jogou um game e ficou se perguntando como se deu a sua produção? Pois é justamente sobre as etapas de um game design que se propõe a falar o livro “Bem Vindo ao Game Design”, do Prof. João Victor, fundador da escola de programação One Day e criador do canal One Day Code. A obra pleiteia mostrar como é produzido um título desde seus estágios iniciais até seu derradeiro lançamento, de modo que o leitor irá perceber o que diferencia um game de sucesso, de outro relegado ao ostracismo.

De acordo com o Prof. João, o livro “Bem Vindo ao Game Design” possui linguagem fácil para completos iniciantes, de modo que o leitor interessado em entrar de cabeça no mundo da produção de jogos possa transformar um HOBBY em uma PROFISSÃO, sejam quais forem suas habilidades.

O livro ainda não está finalizado, pois seu idealizador não conta com o apoio de uma grande editora – tudo está sendo feito pelo empenho do autor. Para finalizar o projeto e publicar o livro foi aberto uma campanha de crowdfunding a fim de arrecadar R$ 7.500,00 a fim de garantir a impressão, uma revisão esperta, diagramação etc. De acordo com João, o projeto nasceu após analisar que há muitas pessoas interessadas em produção de jogos, mas que não encontram materiais de pesquisa que tornem sua saga mais fácil.

“No mercado de jogos, existe uma grande falta de profissionais capacitados, e ao mesmo tempo um excesso de pessoas tentando criar jogos, sem saber como começar, gerenciar um projeto, organizar suas ideias e escolher o melhor meio de monetizar e progredir no mercado. O que acontece é que na maioria das vezes, as pessoas miram muito alto e ao tentar criar um “Grande MMORPG Battleroyale 3D” acabam se frustrando, nunca terminando o projeto e desistindo no meio do caminho”, diz o Prof. João Victor.

O livro “Bem Vindo ao Game Design” pode ser considerado um miniguia, ensinando passo a passo como gerenciar um projeto de jogo, quais são as áreas em que você pode se encaixar, recomendações de softwares e materiais de estudo e exercícios práticos sobre Design de Jogos. Você pode experimentar uma prévia da obra baixando o primeiro capítulo aqui.

Um dos capítulos mais interessantes é o que fala sobre as carreiras de game designer, pois é aqui que o leitor fica ciente de que pode atuar em diferentes ramos do designer de um game, tal como arte, música, programação, negócios etc. A ideia de “Bem Vindo ao Game Design” é mostrar que mais do que escrever linhas de programação, a produção de jogos abraça diferentes perfis de profissionais. Além disso, a obra fala sobre como é trabalhar em pequenos e grandes estúdios, além de pincelar um pouco como é o panorama do mercado nacional de jogos.

Você pode descobrir mais sobre o livro “Bem Vindo ao Game Design”, clicando aqui ou assistindo o vídeo abaixo:

Conheça “Poracy: As Sombras da Natureza”, jogo inspirado em tribos da Amazônia

Nosso grande destaque do dia é mais um projeto brasileiro que presta homenagem ao folclore nacional. Trata-se de Poracy: As Sombras da Natureza, criado pelo desenvolvedor Kazuhira Mark. O título é uma ode ao folclore indígena com uma ambientação toda inspirada nas matas amazônicas e o jogador deve enfrentar sete bosses assustadores.

A trama leva o jogador ao passado, centenas de anos após um dos filhos de Taú e Kerana ser morto e o mal ser enfraquecido como um todo. Eis que a luz da lua é roubada do céu, o símbolo da derrocada do mal, e as forças da escuridão ganham força. Cabe a Poracy a árdua missão de derrotar as sete forças malignas que assombram as matas amazônicas e trazer a paz de volta a sua terra.

“Os povos indígenas da América Latina tem um folclore e um imaginário único e rico repleto de histórias e criaturas fantásticas que podem ser exploradas, em nosso jogo utilizamos de vários elementos de toda essa gama, além de traços do imaginário amazônico como um todo para construir um mundo rico em personagens e objetos para o jogador explorar e conhecer mais sobre a cultura dos povos pré-colombianos”, diz Marcus Paz, desenvolvedor de Poracy: As Sombras da Natureza.

O título tem inspiração nas criaturas e mitos da cultura guarani e da cultura Amazônica e cabocla. O mundo do jogo é fictício, bem como o povo retratado na aventura, que é inspirado em várias culturas como marajoara, tupinambá e assurini, contando com reimaginações de conceitos retirados dessas culturas. O objetivo foi construir um universo novo com base na cultura nacional.

A missão principal do jogo gira em volta do mito de Tau e Kerana onde a protagonista deverá derrotar os 7 bosses para completar a sua missão e restaurar a paz em sua terra. Há outras missões secundárias durante a aventura e o jogador estará ocupado durante muito tempo.

De acordo com o time de criação, Poracy terá um “story-telling” semelhante a “Metal Gear Solid Peace Walker” e “Valiant Hearts” em que as “cutscenes” da história são em quadrinhos separados da “Gameplay” em si. Além disso, a jogabilidade será de RPG em terceira pessoa como no vídeo em anexo.

Poracy: As Sombras da Natureza ainda está em fase de crowdfunding via Catarse e deverá ser publicado mesmo que a meta não seja batida. A expectativa é que a meta de R$ 10 mil seja arrecadada para aumentar a qualidade da produção e agilizar todo o processo criativo. O game tem previsão de lançamento para dezembro de 2018.

Abaixo você confere um trailer de Poracy: As Sombras da Natureza:

 

The Crown Stones: Mirrah – jogo indie coloca o jogador para explorar o mundo espiritual

Hoje nosso destaque é todo especial para quem curte jogos old school, mas não deixa de apreciar novidades. A Frater Studios está com um projeto bem interessante no Catarse chamado “The Crown Stones : Mirrah“, um game com cara de 16 bits que mistura os gêneros aventura, RPG e Horror e que tem como característica mais marcante a dificuldade e a atmosfera densa.

Aqui temos um metroidvania bem ambicioso que não esconde suas influências de Castlevania, Demon’s Crest e Blackthorne, mas que não tem medo de usar mecânicas mais atuais, lembrando a franquia Dark Souls por sua dificuldade absurda e o ambiente de total escuridão. Espere bastante dificuldade e momentos em que o raciocínio é mais importante que a ação.

O ambiente denso é desesperador e é com um encontrar seres de uma realidade deturpada. De acordo com os desenvolvedores, uma das maiores inspirações foi o livro de RPG brasileiro “Spiritum: O Reino dos Mortos“. Pessoas que já possuem conhecimentos de espiritismo notarão facilmente as referências, enquanto que quem não conhece nada da crença irão descobrir um mundo totalmente novo.

A trama de The Crown Stones : Mirrah conta a aventura de Rivail Kuth, um membro da Ordem Nephalin (filhos de anjos), que deve adentrar as profundezas do Reino espiritual a fim de resgatar um dos membros da Ordem que fora aprisionado temos atrás. O problema é que o resgate não deve ser nenhum pouco fácil, pois o Umbral é permeado pelos piores espíritos que já passaram pela Terra. Para completar, assim que Rivail entra no mundo espiritual ele perde suas memórias.

Para auxiliar a missão de Rivail, há várias habilidades especiais e um sistema de esquiva bastante útil durante os combates. É possível também passar muitas áreas evitando o confronto graças a mecânica aprimorada de stealth. Já para quem quer bancar o bruto, os desenvolvedores bolaram uma mecânica chamada Rage que nada mais é que uma Barra que sobe pontos à medida que os inimigos são derrotados. Quando a barra está cheia você pode liberar uma habilidade especial através do chakra. São vários ataques especiais que tornam o game mais divertido.

The Crown Stones : Mirrah está com sinal Verde do Greenlight na Steam e versões para as plataformas Xbox One e PS4 estão nos planos do estúdio. A intenção atual é aumentar a popularidade e conquistar mais fãs. A campanha de financiamento, aliás, está aberta no Catarse e pelo entusiasmo da equipe da Frater têm tudo para ser bem sucedida.

Abaixo você confere o trailer de The Crown Stones : Mirrah:

Evil Light – RPG brasileiro que mistura elementos de Gof of War e Darksouls está em campanha no Catarse

Já ouviu falar do Evil Light, o RPG brasileiro de mundo aberto? Pois bem, o projeto retomou sua campanha de crowdfunding no Catarse e merece uma atenção especial. O game é basicamente um RPG ao estilo Hack n Slash em que o jogador explora o cenário, resolve puzzles e enfrenta hordas de inimigos. Até aí nenhuma novidade, pense nele como uma mistura de God of War com Darksouls.

O jogador assume o papel de uma Elfa cujo objetivo é garantir sua própria sobrevivência em uma batalha contra as forças hostis em um mundo gigantesco e caótico. Além disso, a missão de nossa protagonista é resgatar o Fragmento de Luz que foi roubado e por isso ameaça a segurança do mundo de Celestin.

01O esquema de combate de Evil Light promete ser rápido e rasteiro. Você pode atacar vários inimigos ao mesmo tempo, de modo que os embates são repletos de ação. Dependendo do seu tipo de arma, no momento, você poderá ser uma presa fácil em algumas partes desse mundo. Por isso, é crucial buscar melhorar os seus itens antes de bancar o herói com qualquer arma, afinal os inimigos são bastante astutos e não dão trégua para o jogador.

A dificuldade do game é crescente: a cada Fragmento de Luz encontrado e recolhido no Submundo, mais difícil se tornará a sua jornada para se aproximar do Senhor do Submundo. Quando o núcleo for recuperado, a vida será restaurada. Mas não se preocupe: cada vez que você passar por uma batalha complicada, você recebe itens e armas diferentes para prosseguir a missão.

1_jpg

Como dito anteriormente, Evil Light está em campanha no Catarse e necessita da ajuda dos jogadores para atingir sua meta de R$ 38 mil. O game chegou a ser apresentado em alguns eventos de games em Pernambuco e quase foi parar na BGS 2016. Agora com a campanha retomada a expectativa é que o jogo encontre a luz e saia do papel.

Evil Light necessita de muitos parâmetros para ser concluído de maneira satisfatória. Mas, conseguimos chegar longe podendo ter a oportunidade de fazer a exposição do game em eventos locais, em Pernambuco. Um desenvolvimento não simples, a falta de recursos financeiros e de equipamentos de qualidades postergam a conclusão do jogo”, disse Well Gomes, criador do jogo.

Abaixo tem um trailer de Evil Light:

Estúdio Brasileiro Black Castle lança seu primeiro jogo de tabuleiro

O estúdio Black Castle está lançando um projeto bastante ambicioso via Catarse. Trata-se do jogo de tabuleiro Olympus, que coloca os jogadores no controle das quatro principais divindades gregas (Hades, Zeus, Poseidon e Hera) em uma batalha pelo poder absoluto. O jogo foi desenvolvido de modo a assemelhar-se aos RPGs tradicionais, ou seja, o jogador desenvolve seu personagem, cria estratégias e conta com um sistema de cartas para mudar o rumo das partidas.

A meta a ser alcançada é de R$ 20 mil, um valor que visa viabilizar a criação de miniatura para que o jogo fique mais incrível e imersivo aos jogadores. Porém, a princípio a meta é mais baixa para que o projeto saia do papel. As partidas se desenrolam da seguinte forma: a cada rodada o jogador lança dois dados e a soma dos mesmos define a quantidade de movimentos q ser executada pelo jogador na rodada. Além dos dados, os jogadores contam com um baú de cartas do destino que têm a função de protegê-lo dos ataques adversários. Caso o oponente passe três rodadas sobre o seu baú ele tem direito a retirar uma carta.

O objetivo do game é destruir os adversários e tomar o controle de Tesália, um forte que é guardado por uma terrível criatura e está localizada no centro do tabuleiro. Para vencer a partida é obrigatório cumprir os dois objetivos. O game é cheio de estratégia, pois as unidades em campo possuem cartões que definem características próprias como movimentação e espaço. Além disso, é possível subir o nível dos combatentes através de itens mágicos e firmar alianças militares com outros jogadores, como ocorre no clássico War. Contudo as traições podem ocorre a qualquer minuto.

A desenvolvedora já definiu alguns pormenores do game, como o lançamento de vários upgrades e packs a serem lançados mensalmente para que o game se renove e cative os jogadores a cada mês. O projeto é aconselhável para fãs de mitologia grega e amantes de RPGs.

Abaixo está o vídeo do projeto do estúdio Black Castle:

Gladiadores de Belathron: novo projeto da Behold Studios é um jogo de tabuleiro

A Behold Studios acaba de anunciar seu mais novo projeto para o mercado de jogos de tabuleiro: Gladiadores de Belathron. O game busca trazer a experiência dos MOBAs para a mesa de tabuleiro, permitindo que um grupo de amigos tenham seus heróis, habilidades e torres, e enfrentem-se em partidas que podem durar até 3 horas.

De acordo com o estúdio, o game foi desenvolvido para ser jogado com até seis jogadores divididos em dois times. A ideia é traduzir a mesma experiência que cativou milhares de jogadores em um game divertido com miniaturas customizadas, caixa, dados, cartas, tabuleiro, tokens e diversos componentes. Se bem sucedida, a empreitada tem tudo para agarrar os fãs de MOBA, como League of Legends e DOTA.

Durante as partidas os heróis ganham experiência e dinheiro, podendo assim comprar equipamentos e escolher novas habilidades. Isso possibilita que o jogador direcione sua estratégia para se adequar a sua vontade, seja mais ofensiva, defensiva ou tática. Além das cartas de habilidade, os jogadores também ganham cartas de neblina, que possuem ações que surpreendem seus adversários e acrescentam profundidade nas partidas. A dinêmica de jogo é toda inspirada em MOBAs eos fãs do gênero se identificaram rapidamente com os elementos de jogo.

Gladiadores foi idealizado com idioma Português e está em fase de arrecadação de recursos através do site de crowdfunding Catarse. A meta é atingir R$ 92 mil. Com a arrecadação do projeto será possível que o estúdio brasileiro faça a impressão de mil cópias do jogo em uma das mais renomadas gráficas do mundo de jogos físicos.

Os interessados podem ajudar o projeto até o dia 14 de dezembro. No caso de arrecadar mais do que o valor necessário, a Behold vai investir em melhorias técnicas como cartas, dados tabuleiro e novos heróis. Para quem não conhece, a Behold Studios ficou nacionalmente conhecida graças ao sucesso do game Knights of Pen & Paper, além disso, eles também desenvolveram o game Chroma Squad.

Abaixo tem o vídeo de apresentação de Gladiadores de Belathron:

Além da Vida: CR Game Studio lança projeto no Catarse

Além da Vida é um projeto brasileiro que busca financiamento no site de crowdfunding Catarse. Seu grande trunfo para conquistar a simpatia dos jogadores é sua premissa baseada em espiritismo e uma história comovente. Na trama, o jogador assume o papel de um espírito recém-chegado aos portões do paraíso que estão fechados e não o permitem adentrar por causa de sua vida terrena desregrada.

A partir daí, o personagem sai em busca de redenção em uma jornada de autodescobrimento e enfrentando a si mesmo em um mundo abstrato. De acordo com a desenvolvedora, o game baseia-se em escolhas pessoais que irão definir o desfecho da aventura. Além disso, o título buscou inspiração no elogiado Journey do Playstation 3.

O game é em 3º pessoa está em desenvolvimento exclusivamente para PC e deve ser lançado pela Steam com suporte aos idiomas português e inglês. Um ponto interessante é que o game não possui inimigos espalhados pelo cenário e não há meios em que o personagem possa morrer. Além da Vida terá diversos puzzles a serem resolvidos e de forma geral o título será bastante linear, porém com decisões a serem tomadas ao final das fases.

O game é fruto dos esforços do C.R Game Studio, um estúdio independente que conta atualmente com 7 jogos publicados, todos para a plataforma Mobile/Android. A meta de arrecadação é de R$ 15 mil. Quando lançado o game será pago, porém os contribuintes durante a fase de crowdfunding terão direito ao game gratuitamente. Mais informações, descrição e imagens do game estão disponíveis no site da campanha.

Abaixo está o trailer do game Além da Vida:

A Lenda do Herói a caminho de se tornar um game de verdade

Quem conhece a Lenda do Herói? Muita gente, é claro! Para aqueles que nunca ouviram falar, vai uma breve descrição: trata-se de um musical para a internet criada pelos irmãos Marcos e Matheus Castro (os Castro Brothers).

O musical criado em 2012 apresentava canções bem humoradas embalando um vídeo do que parecia um jogo old school tematizado na era medieval. A série de vídeos ficou bastante famosa e conquistou muitos fãs no Brasil. Entretanto, muitos se perguntavam se o vídeo retratava um videogame real. Até o momento não, mas tudo está para mudar.

Depois de muitos pedidos, os irmãos resolveram criar o jogo A Lenda do Herói. O game vai apresentar a mesma estética e canções medievais que acompanhavam a saga do cavaleiro em busca da princesa. O game irá homenagear as gerações 8-16 bits com gráficos pixelados e abusando de clichês do mundo dos games. O título será em 2D e a trilha sonora acompanhará os movimentos do jogador em tempo real.

Durante a aventura, o cavaleiro enfrenta diversos monstros, plataformas flutuantes, itens especiais e puzzles. Por vezes o jogo lembra velhos clássicos como The Legend of Zelda, e isso não é mera coincidência. Haverá oito mundos distintos inspirados nos vídeos originais, sendo que cada uma conta com duas fases e um chefão a ser vencido.

Para sair do mundo do Youtube, os irmãos Castro uniram-se ao estúdio Dumativa para criar uma experiência artística e fiel à intenção da série de vídeos. O estúdio, aliás, é responsável por um projeto bastante elogiado pela direção artística (Dragon Festival). Entre os profissionais envolvidos no projeto podemos citar nomes de peso como Vitor Ottoni, que cuidou da trilha sonora do indie Aritana e a Pena da Harpia; Fabio Yabu, criador do livro Branca dos Mortos e os Sete Zumbis; Caio Yo, diretor de arte para as editoras Ática e Globo; e dos diretores de animação Renato Rossarola e Ronnie Pedra.

“Sabemos que quando as pessoas se mobilizam, elas podem realmente fazer com que algo novo, diferente e muito maior do que a gente espera possa acontecer”, afirma Marcos Castro.

A Lenda do Herói tem lançamento planejado para Windows, Mac e Linux e atualmente está em fase de captação de recursos no Catarse. A meta é de R$ 125 mil e o game conquistou até o fechamento desta matéria mais de R$ 93 mil, restando ainda 54 dias até o término da campanha. No vídeo abaixo, os Castro Brothers explicam melhor o que é o projeto e como surgiu a ideia de tornar a série de vídeos em um jogo de verdade:

Soulbinder: jogo Indie brasileiro em campanha no Catarse

Soulbinder

Nossos amigos da Tendrils Entertainment acabam de lançar uma campanha no site de crowdfunding Catarse para lançar o game Soulbinder, um jogo de RPG por turnos com muitas opções de personalização de personagens e combates envolvendo estratégia.

Na trama os jogadores encarnam o herói Damodar, um guerreiro tribal que sobreviveu ao massacre de sua ordem, um grupo de guardiães que lutam pelo equilíbrio das forças entre o bem e o mal. Agora que o equilíbrio está ameaçado, o protagonista deve viajar por três diferentes dimensões para se vingar de seus inimigos. O game é permeado pelo eterno conflito de forças.

Durante a jornada, Damodar terá a ajuda de diversas criaturas fantásticas e itens mágicos e irá descobrir segredos de seu passado. Esses itens e acessórios coletados na aventura ajudam o jogador a criar a melhor estratégia de combate e fortalecer o guerreiro. Além disso, alguns dos monstros encontrados poderão se unir ao seu time para enfrentar os demônios.

Um dos fatores que contrinuem para aumentar o fator replay do jogo são as diversas áreas escondidas e os combates ferrenhos que são travados. Como se não bastasse, o time de desenvolvimento deixou o mapa aberto, deste modo os jogadores são livres para explorar os cenários e descobrir segredos espalhados.

Soulbinder teve inspirações nas franquias Final Fantasy da Square Enix e em Castlevania: Symphony of the Night da Konami. O projeto ainda está em desenvolvimento e para sair do papel precisa da ajuda dos jogadores. Se você se interessou pelo conceito, vai até a página no Catarse para fazer uma contribuição.

Abaixo você confere o vídeo do game Soulbinder: