Arquivo da tag: brasil

WOMEN GAME JAM 2019 – Maior game jam feminina da América Latina começa em setembro

Atenção, garotas gamers: o mês de setembro guarda um evento exclusivo para as mulheres que produzem jogos eletrônicos! O Women Game Jam é o principal e maior evento da América Latina dedicado a produção de jogos eletrônicos exclusivo para mulheres. Essa é a terceira edição do evento e irá ocorrer entre os dias 13 e 15 de setembro.

O evento nasceu inspirado na versão alemã – que ocorreu pela primeira vez em abril de 2018, em Magdeburg e em São Paulo simultaneamente – e tem a proposta de promover a diversidade na indústria de jogos.  O evento ocorreu simultaneamente em 8 cidades do Brasil na última edição, e dessa vez se expandirá para outros 5 países! Argentina, Chile, Colômbia, México e Peru terão esse ano a sua primeira edição do evento.

Já no Brasil a Women Game Jam acontecerá em Aracaju, Brasília, Novo Hamburgo, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Carlos, São Luís e São Paulo entre os dias 13 e 15 de setembro. O grande diferencial da WGJ é ser um evento apenas para mulheres e pessoas não-binárias. De acordo com a organização, o evento dá espaço para o aprendizado e o networking, promovendo a criação de conteúdo para portfólios e visibilidade pela comunidade.

Se você é produtora de jogos e quer fazer novas amizades no mercado produtor de games eletrônicos, não deixe de participar do evento! A experiência promete ser sensacional. Mais informações no site do Women Game Jam.

Conheça Árida, survival/adventure que se passa no Sertão brasileiro

Hoje vamos falar do primeiro lançamento do estúdio brasileiro Aoca Game Lab. Trata-se Árida, um jogo de aventura e sobrevivência ambientado no sertão brasileiro. Aqui o jogador deve auxiliar explorar ambientes hostis e tentar sobreviver as mazelas da seca nordestina. Você deve reunir recursos e coletar pistas que levem ao paradeiro dos pais da jovem Cícera, a protagonista do game.

Árida é ambientado no século XIX, de modo que o jogador irá se deparar com um ambiente ainda empobrecido e sem quaisquer infraestrutura. Nesse clima seco você deve encontrar Cícera e vivenciar uma jornada de sobrevivência e aventura. Muito da mecânica de jogo envolve reunir recursos, construir utensílios, aprender a utilizar ferramentas e interagir com outros sertanejos.

Para sobreviver, o jogador deve ter à mão equipamentos indispensáveis, como o facão e enxada para obtenção de alimentos, abrir caminho pelo cerrado ou ainda escavar para encontrar água. Outro equipamento importante são as pedras para afiar suas ferramentas. Em alguns momentos Árida faz lembrar o clássico Harvest Moon, afinal existe um sistema de crafting com os itens típicos da região.

Outro elemnto importante em Árida é a interação com NPCs: pessoas mais velhas a vila podem dar conselhos e até abrir novas quests que podem providenciar água e comida para Cícera. O ideal é sempre conversar com as pessoas e explorar a região em busca de novos recursos.

Árida não é apenas um game de sobrevivência, mas também uma forma de despertar o interesse do jogador pela região nordeste e conhecer mais sobre a geografia e a história do lugar. Afinal, o sertão é um lugar único do mundo, repleto de lendas e boas histórias para contar e com um povo forte e guerreiro. Conhecer um pouco dessa cultura, mesmo que pelos videogames é uma experiência encantadora.

De acordo com o estúdio Aoca, Árida: Backland’s Awakening é a primeira de três partes que contam sobre a jornada de Cícera em pleno sertão brasileiro do século XIX. O estúdio foi criado na Bahia e conta com 8 desenvolvedores, que acreditam que jogos eletrônicos são boas ferramentas para contação de história e comunicar valores. Após ver o projeto, temos de concordar. O título chega à Steam em 15 de agosto.

Abaixo tem o trailer de Árida Backland’s Awakening:

Conheça o jogo indie Amora Crystal, que estará disponível na Steam em 9 de setembro

Hoje vamos falar de um novo jogo indie que promete divertir fãs do gênero plataforma. Criado pelo brasileiro Rapha Chiavegati, Amora Crystal nos coloca no papel da personagem homônima ao título que se lança em uma missão para resgatar seu namorado das garras do terrível vilão M, que está disposto a conquistar um poderoso cristal e usá-lo para seus objetivos escusos.

Cabe a Amora utilizar suas habilidades especiais para desbravar os cenários a fim de proteger o cristal e garantir a segurança dos animais da floresta. Sim, um dos motes do jogo é atravessar os cenários sem matar um único animal (acredite, não é tarefa fácil). A jogabilidade se assemelha ao clássico Super Mario Bros., de modo que os animais seriam como os goombas que passa pelo ambiente, e a movimentação de Amora é igual ao de Mario. A cada pulo você deve tomar cuidado para não esmagar os seres vivos da floresta.

Mas você deve estar se perguntando por que é tão importante não matar os animais, certo? Pois então, de acordo com Chiavegati, se você chegar ao final do jogo sem matar nenhum animal durante toda a campanha, será premiado com o final bom. Mas se houver a morte acidental de alguma criatura, o vilão M irá usar isso contra ela.

Amora Crystal terá nada menos que 18 fases, todas elas com boas referências aos games dos anos 90. A ideia é que o jogador tenha uma experiência parecida com a que tínhamos na época dos consoles 8-16 bits. Além disso, o jogo possui diversos itens a serem coletados em todas as fases, o que incentivará a exploração.

Além disso, durante a jogatina o player se depara com algumas aves presas em gaiolas que devem ser libertadas no decorrer da aventura. Coletando os diversos itens e salvando as aves o jogador pode desbloquear desafios extras após finalizar a campanha principal. Amora Crystal estará disponível a partir do dia 9 de setembro na Steam.

Abaixo você confere o trailer de Amora Crystal:

Cube Man, jogo indie brasileiro é prato cheio para quem curte alto desafio

O game de hoje é para quem busca desafio e alta qualidade no meio de tantos jogos independentes. Trata-se do jogo Cube Man, criado pelo desenvolvedor Lucas Kaue, que coloca os jogadores em uma série de fases que misturam os gêneros plataforma e puzzle. Basicamente você deve passar por desafios como serras elétricas, vulcões, estacas etc. Para ser bem sucedido você precisa de agilidade e reflexos rápidos.

Cube Man não esconde suas influências no mega hit Super Meat Boy, afinal, tal como no SMB, aqui o jogador toma o controle de um pequeno homem em formato cúbico que tem por objetivo resgatar seus amigos, que foram sequestrados de maneira misteriosa. Cabe agora desviar de toda sorte de armadilhas e passar pelos diferentes desafios a fim de ser bem sucedido na missão.

O título tem um nível de dificuldade elevado, de modo que jogadores incautos morrerão muitas vezes. É necessário destreza e muita paciência para triunfar. Um dos destaques é que Cube Man tem cores fortes e vibrantes, além de gráficos pixelados bastante trabalhados.

Cube Man ainda não foi lançado oficialmente, de modo que o desenvolvedor tem a previsão de lançar o produto final em meados de 2019. A expectativa é lançar primeiramente na Steam e em algum futuro próximo portá-lo para as plataformas de mesa.

Conheça Raccoo Venture, o game brasileiro inspirado em platformers dos anos 90

Se você já era um gamer no final dos anos 90 deve se lembrar da explosão de jogos adventures que faziam enorme sucesso, tais como Banjo-Kazooie, Conker’s Bad Fur Day e Super Mario 64. Pois bem, o desenvolvedor brasileiro Diego Ras acaba de lançar o game Racco Venture, que presta uma ode a esses games. A intenção é agradar os fãs do estilo platformer 3D que não estão encontrando novas produções do gênero.

A história segue a aventura de Raccoo um guaxinim, que é o último herdeiro do Poder dos Guardiões, que por muitos anos protegeram a Relíquia Sagrada, que deve proteger o mundo de Verta dos perigosos Tatus Tatuados, que almejam roubar a jóia mítica. Cabe ao jogador assumir o controle de Raccoo para enfrentar inimigos, resolver enigmas e quebra-cabeças, enquanto explora as 5 regiões de Verta, descobrindo itens mágicos que ajudarão nesta jornada em busca das peças da Relíquia.

De acordo com o desenvolvedor, Raccoo Venture tem muita influência e referências de grandes clássicos que escreveram a história dos jogos 3D, e traz em sua essência a atmosfera lúdica e inocente que por muitas vezes acabou sendo deixada de lado pela nova indústria dos videogames. Durante a aventura, o jogador explora 5 regiões divididas em 17 fases onde coletar e colecionar itens é uma das ocupações recorrentes no gameplay.

Tal como ocorria nos games dos anos 90, em Raccoo Venture, você irá interagir com diversos personagens espalhados pelo mundo de Verta e irá enfrentar chefões casca grossa. Como se não bastasse, o título é pontuado por vários puzzles e desafios interessantes. Mas não pense que o game sobrevive de elementos do passado: aqui é possível customizar personagens e o estilo visual é extremamente atual. Vale dizer que as roupas obtidas durante as diferentes fases dão novas habilidades ao Raccoo.

Raccoo Venture estará disponível na Steam em breve, porém sem data definida para lançamento. Mais informações podem ser obtidos no site oficial.

Abaixo você confere o trailer de Raccoo Venture:

Família Playstation ganha nova distribuidora no Brasil

Ano novo, vida nova! É assim que a Sony pensa 2019. Após um ano incrível com o sucesso do Playstation 4 e o lançamento de games arrasadores, a empresa japonesa pensa em revitalizar sua marca no Brasil. Para isso, a Sony acaba de firmar uma nova parceria de distribuição com a Ingram Micro Brasil, subsidiária da maior distribuidora mundial de TI. Com isto, toda a família PlayStation, incluindo os consoles de videogame, acessórios e jogos, serão distribuídos pela Ingram e ficam à disposição do canal.

“O Brasil é o principal mercado de jogos digitais na América Latina e o quarto no mundo em consumo desta tecnologia, com 3,4 milhões de jogadores e movimento de US$ 1,5 bilhão. Com nossa experiência em distribuição e os produtos PlayStation, temos certeza que iremos contribuir para um movimento ainda melhor”, comenta Sandra Fantoni, Marketing/C&C Product Director da Ingram Micro.

A expectativa da Ingram Micro para a parceria é bastante positiva. Afinal a indústria de jogos eletrônicos é uma das mais promissoras do entretenimento mundial. Além disso, o Playstation é a plataforma mais vendida do mundo, então as expectativas são de altos faturamentos. Segundo a Newzoo, esse mercado deve ter fechado 2018 com um faturamento global de mais de US$ 125 bilhões e, em 2020, deve chegar a US$143,5 bilhões.

“PlayStation revolucionou a indústria de entretenimento e é uma das mais importantes na história dos games. Só o PS4 já vendeu mais de 86 milhões de unidades. Agora, com a capilaridade da Ingram Micro, estamos confiantes que vamos aumentar ainda mais o market share no Brasil”, diz Sandra. “Além das lojas especializadas, a Ingram Micro ajudará a Sony a atingir outros pontos de venda que não trabalham com jogos e abastecer locais com acesso limitado aos produtos”, finaliza.

Interessados em revender os produtos PlayStation devem entrar em contato com a Ingram Micro.

Brasileiros da Black Dragons vencem torneio mundial de CROSSFIRE e faturam quase R$2 milhões

Após uma acirrada contra os russos da ruLegends, os brasileiros da Black Dragons venceram o torneio mundial CROSSFIRE STARS 2018 (CFS 2018), tornando-se a primeira equipe não-chinesa a levantar o caneco de um dos torneios de eSports mais disputados do mundo. Coma conquista a Black Dragons levou para casa US$ 500 mil (cerca R$ 1.948 milhão).

O CROSSFIRE STARS reuniu 16 dos melhores times de CROSSFIRE do mundo, que competiram por uma premiação total de U$ 1.015.000 (cerca de R$ 3.95 milhões). As fases de quartas de final e semifinal foram realizadas ao longo da última semana, de 4 a 6 de dezembro, presencialmente, no estúdio VSPN, em Taicang/China e classificaram os quatro melhores times para a fase seguinte, formada pela disputa pelo terceiro lugar e grande final, realizados entre 8 e 9 de dezembro, no Parque Esportivo Qing’ao, em Nanjing/China.

Após um intenso confronto em dinâmica melhor de cinco, a Black Dragons venceu a ruLegends por 3 a 0 e garantiu o inédito título da competição. E não foi só a Black dragons a figurar entre os melhores do mundo: a tradicional INTZ enfrentou a SuperValiant Gaming, campeã do CFS 2017, em melhor de três, porém não teve melhor sorte e acabou derrotada, terminando na quarta colocação do torneio, com um prêmio de U$ 40.000 (cerca de R$ 155.800).

Fundada em 1997, a Black Dragons é considerada uma das organizações de eSports mais antigas e respeitadas do América do Sul e, antes de se tornar campeã mundial de CROSSFIRE, já havia vencido outro torneio internacional da modalidade, o CROSSFIRE Stars Invitational Vietnam, em 2017.

CROSSFIRE é um dos jogos de FPS mais jogados online no mundo, com mais de 660 milhões de jogadores registrados. Jogadores podem baixá-lo gratuitamente pelo site oficial. No site do torneio tem uma divertida entrevista da Black Dragon para a imprensa.

Abaixo tem algumas fotos da conquista da Black Dragons:

Museu Nacional se une à Tencent para desenvolver o Museu Digital

Hoje nossa notícia é uma curiosidade pouco ligada ao mundo dos games, mas já que a envolvida é a Tencent, gigante chinesa de serviços na internet e dona da Riot Games, vale a pena dar essa nota! A empresa acaba de divulgar que irá apoiar a restauração do Museu Nacional brasileiro, destruído por um incêndio. O apoio será através da reprodução digital dos artefatos que haviam no museu com base em informação digital.

A cerimônia de assinatura do documento “Renascimento de Luzia – Museu Nacional Digital Brasileiro” foi realizada na embaixada do Brasil em Pequim, em 16 de novembro de 2018. Marcelo Azevedo, chefe da seção das indústrias criativas da embaixada, Alexander W. A. Kellner, diretor do Museu Nacional brasileiro, e Ye Jun, vice-presidente de produtos de navegação móvel da Tencent, participaram da cerimônia.

Como funcionará a parceria

A ideia é que, com base no conteúdo digital existente do museu, a Tencent criará um museu on-line, usando o Tencent Lens, um recurso de reconhecimento de imagem de seu navegador QQ Browser. Os visitantes poderão ler informações sobre os artefatos, uma vez digitalizadas as imagens com o Tencent Lens ou o Mr. Bowu, um miniprograma da Tencent. Guias de áudio e imagens do Museu Nacional brasileiro também poderão ser acessados através do miniprograma.

A cerimônia de assinatura do documento “O renascimento de Luzia – o Museu Nacional Digital do Brasil” (PRNewsfoto/Tencent)

Em suma, a Tencent usará seus recursos e conhecimentos em jogos digitais para trazer uma parte da história do Brasilde volta das cinzas para o meio digital. A empresa e o Museu Nacional brasileiro também irão convidar turistas chineses a compartilhar imagens, vídeos e outros registros que fizeram durante visitas ao museu antes do incêndio, a fim de ajudar na recuperação das relíquias culturais. O navegador QQ Browser irá exibir o conteúdo valioso para visualização pública no futuro.

“O Museu Nacional brasileiro é o mais importante protetor do patrimônio cultural e das relíquias da América Latina. Estamos desolados pelas perdas causadas pelo incêndio. A Tencent se compromete a usar tecnologias avançadas para ajudar o Brasil a reconstruir um museu nacional digital”, disse Ye Jun. de acordo com a empresa, a campanha de revitalização começará em 2019.

Hoplon anuncia data do lançamento oficial de Heavy Metal Machines e lança novo trailer

Após alguns meses de árduo trabalho, a Hoplon finalmente esta pronta para o lançamento de Heavy Metal Machines, o jogo que mistura as corridas de destruição à lá Rock ‘n Roll Racing e o gênero MOBA. O jogo estará disponível em versão completa no próximo dia 19 de setembro através da Steam. Vale lembrar que a versão demo já teve mais de 8oo mil downloads desde seu lançamento em janeiro de 2017.

De acordo com Tatiana Moreira, gerente de marketing da Hoplon, esse período em acesso antecipado permitiu melhorar bastante os aspectos técnicos do game como a jogabilidade e os gráficos. A expectativa é que quem jogou a versão demo sinta uma diferença grande em relação ao jogo final. A Hoplon promete ainda que não abandonara o suporte a Heavy Metal Machines após o lançamento, lançando novas atualizações e tornando o jogo ainda mais competitivo. “A partir de 19 de setembro, os jogadores poderão curtir uma série de aprimoramentos que fizemos em Heavy Metal Machines, tanto do ponto de vista gráfico quanto de mecânicas de jogo”, disse Tatiane Moreira.

HoplonA versão completa de Heavy Metal Machines terá um visual renovado desde o layout da loja, menus e tela de pick, que receberá uma arte exclusiva de um carro em 3D. Já o sistema de progressão de níveis, chamado de “Metal Pass” será totalmente novo e baseado em temporadas. Os jogadores começarão no nível 1 e poderão avançar até o nível 50, de duas formas: free e premium, sendo que o modo premium é pago e dará missões semanais com recompensas mais valiosas aos jogadores.

De acordo com a Hoplon, independentemente do tipo de progressão escolhida, conforme melhoram em Heavy Metal Machines, os jogadores poderão ganhar lores (histórias), personagens, skins, sprays, efeitos (largada, abate, reconstrução e pontuação), bordas do avatar, fama (dinheiro do jogo) e artwork. Na versão premium, ainda haverá recompensas em cash.

“O lançamento de Heavy Metal Machines coroa os anos de dedicação de um time talentoso da Hoplon de mais de 80 pessoas, que seguirá trabalhando duro para oferecer uma experiência cada vez melhor e mais completa à comunidade”, disse Rodrigo Campos, CEO da Hoplon. “Desde o início do projeto, buscamos fazer algo memorável, que trouxesse singularidade e inovação ao cenário de jogos competitivos gratuitos, e estamos orgulhosos do resultado”.

Para acompanhar as novidades da Hoplon e do game, acesse o site.

Abaixo tem o novo trailer de Heavy Metal Machines:

 

E se os candidatos à Presidência da República fossem personagens de videogames?

Ah, as eleições presidenciais 2018! Época de decidir quem será o novo chefe do Brasil e que rumos a economia vai tomar daqui por diante. Para isso é necessário observar os candidatos de perto, analisar suas propostas e blá blá blá. Mas e se ao invés de observar essas figuras com olhar crítico, olhássemos para eles como personagens de videogames? Quem eles seriam?

No artigo de hoje, vamos relacionar os presidenciáveis 2018 com personagens famosos dos jogos eletrônicos, tudo com bom humor e descontração. Antes de ficar pistola e começar a xingar, ligar para advogados ou começar a justiça virtual, lembre-se: este post visa entreter, não discutir política, ok? Não deixamos nenhum candidato de fora da zoeira.

 

Abaixo, vamos conhecer os candidatos à presidente do Brasil (dos games) em 2018:

 

Geraldo Alckmin – Shao Kahn (Mortal Kombat)

Assim como Shao Kahn, Geraldo Alckmin, é uma figura detestada por muitos. Um indivíduo sedento por poder que não mede esforços para conseguir o que quer (mesmo que tenha de infringir leis milenares). Shao Kahn tomou o reino de Outword de assalto e em pouco tempo transformou o reino em uma pilha de esterco fumegante.

Todo aquele que se contrapunha as vontades do imperador deviam se calar e qualquer atitude considerada controversa de sua parte acabava empurrada para debaixo do tapete. Vale ainda lembrar que Geraldo “Picole de Chuchu” Alckmin tentou tomar o controle do Brasil no passado, mas teve seus planos impedidos por uma coalizão que disposta a chutar sua bunda para o reino de onde veio (SP). Kahn teve o mesmo revés.

Vamos enumerar mais alguns motivos, se você acha que não se encaixa: 

1 – ele é o boss final de seu partido;

2 – tornou-se governado de SP e o Estado logo se tornou conhecido como Alckministão;

3 – Não se importa com o povo ao seu redor e não mede esforços para se beneficiar (aumento do próprio salário em tempos de crise)

4 – Faz tudo o que puder fazer desde que cumpra seus objetivos, não importa se isto irá prejudicar crianças;

5 – Figura envolta em polemicas e corrupção (cartel do metro);

Enfim, está provado que Alckmin é um vilão e um grande membro das oligarquias. Dá até para imaginar o ex-governador sentado em uma cadeira confortável olhando para outras pessoas, chamando-as de patéticas antes de gargalhar feito um lunático.

 

Jair Bolsonaro – Duke Nukem (Duke Nukem)

Duke Nukem é um personagem durão, sarcástico, autoconfiante, agressivo, politicamente incorreto, metido a machão, debochado e que não se importa em rasgar o verbo. Ele está numa missão “heróica” de salvar o mundo de uma invasão alienígena. Para isso, ele sai armado até os dentes e atira em qualquer coisa que se mexer. Troque a “ameaça alienígena”, por “ameaça esquerdista” e você tem um retrato fiel da figura de Jair Bolsonaro. Um verdadeiro fanfarrão.

O candidato do PSL está sempre falando demais e acredita fielmente que pode resolver problemas com uma boa dose de chumbo grosso. Tal como o personagem dos videogames, Bolsonaro está relacionado a imagem de machista e violento. Como se não bastasse, Bolsonaro parece ter um ego inflado o bastante para achar que pode salvar todo o seu povo sozinho.

Além do amor por armas, Duke Nukem e Jair Bolsonaro compartilham a característica de ser desbocado, e não tem um vocabulário rico e nem capacidades intelectuais impressionáveis.

Luiz Inácio “Lula” da Silva – Andross (Star Fox)

“De boas intenções o inferno está cheio”. Este velho ditado serve tanto para Andross de Starfox quanto para Lula. Sua história está envolta em conquistas e origem humilde, sendo uma figura de boas intenções. Lula/Andross devota boa parte de sua vida para proteger seus semelhantes (os pobres), porém essa mesma convicção o faz acreditar que ele é o único apto a comandar o mundo. Após ser “embebido” com o poder, Andross/Lula acaba corrompido e busca uma vida de luxuria.

A loucura acaba por direcionar nossas figuras a caminhos tortuosos. No caso de Andross, experimentos genéticos o transformam em um ser desprovido de corpo, uma cabeça flutuante no espaço. No caso de Lula, os esquemas de poder o tornam o “cabeça” de uma operação de corrupção “nunca antes vista na história desse pais”. Eis que Andross/Lula resolve liberar uma arma (Dilma) capaz de devastar sua terra natal.

Após ter seus planos frustrados, Andross/Lula acaba exilado da sociedade, porém seu exército continua a seus serviços e ainda paira no ar a ameaça de um eminente retorno. Tal como o personagem dos games, Lula quer a liberdade e reconstruir seu nome e seu império. De todos os candidatos deste ano, Lula é aquele que mais está associado aos jogos de poder.

João Amoedo – Toad (Super Mario Bros.)

Você provavelmente já o viu várias vezes e deve ter tido a sensação de que ele é uma figura bem intencionada, porém surreal. Sabe o Toad, aqueles cogumelos antropomórficos do Mario? Pois bem, podemos traçar um paralelo com Joao Amoedo, que parece bem intencionado, porem irreais. Além disso, tal como o personagem da Nintendo, Amoedo simplesmente existe. Ninguém se importa com o que ele fala ou faz, ele é apenas um figurante num jogo de poder muito maior.

Cabo Daciolo – Dahlia Gislepie (Silent Hill)

A primeira vez que vimos Dahlia Gislepie foi após momentos turbulentos no mundo obscuro de Silent Hill e a impressão foi das piores. Sempre falando sobre religião e em como Deus é glorioso e sua chegada vai trazer luz ao mundo. Não entenda mal, nosso site não é contra a fé, porém o discurso de Dahlia parece a de uma lunática.

O mesmo pode ser dito do Cabo Daciolo e seu discurso político pautado por religião. A impressão é de que se trata de um fanático, enlouquecido pela perspectiva de ver Deus. Pouca coisa do que Daciolo/Dahlia dizem faz sentido e qualquer pessoa com bom senso quer se afastar, principalmente quando o assunto envereda por teorias da conspiração e outros delírios. Que Deus (de Silent Hill) abençoe nossos candidatos.

Marina Silva – Drácula (Castlevania)

 

 

Drácula aparece de tempos em tempos na franquia Castlevania só para ser derrotado pelo clã Belmont, não importa o quão patético seja o Belmont da época. Saga parecida com Marina Silva, que surge ameaçadora de tempos em tempos tentando conquistar o Brasil, mas sempre acaba derrotada por figuras precárias. Assim como o vampiro dos games, a candidata da REDE não desiste, mesmo levando surras (eleitorais) homéricas.

Outro ponto que ligam as duas figuras são seus discursos absurdamente cansativos. As vezes fala algumas coisas interessantes, mas quase ninguém presta atenção. Todos querem mesmo é que ela/ele volte a seu mausoléu e descanse mais um pouco, deixando o povo em paz e em segurança.

Guilherme Boulos – Zomboss (Plants vs. Zombies)

No mundo de Plants vs. Zombies vemos a saga das plantas tentando defender suas casas da invasão de um exército de zumbis. Esses zumbis estão famintos e irão ocupar todas as casas que estiver pela frente, comer tudo que for possível e depois procurar outras casas para ocupar. A missão é comandada pelo infame Zomboss, o zumbi chefe do grupo, que acredita estar fazendo o que deve ser feito em benefício de sua classe. Afinal, as plantas são muito ricas e privilegiadas, certo?

Tal como Zomboss, Guilherme Boulos tem um exército de pessoas dispostas a marchar para conquistar seu espaço. Assim como Zomboss, Boulos também é estudado e goza de um a vida confortável, porém não consegue dispor de suas ambições desenfreadas por poder.