Arquivo da tag: Brasil Game Show

Inscrições para a 2ª qualificatória do torneio de Dota 2 da Brasil Game Cup encerram hoje

Um dos destaques da Brasil Game Show serão os diversos torneios que ocorrerão entre times amadores e profissionais de e-Sports. Um dos torneios mais aguardados será o de Dota 2, cuja premiação total é de R$ 60 mil. Quem estiver interessado em pôr as mãos nessa bolada, basta inscrever-se para a segunda classificatória da competição, que tem 128 vagas para times brasileiros. Os interessados devem se inscrever até hoje (06 de junho) pelo site dedicado.

As partidas começam em 11 de junho, de modo que os times se enfrentarão para decidir as vagas para a final durante a BGS. A partir de 9 de julho, já nas oitavas-de-final, serão transmitidas ao vivo do estúdio da BGS, no Rio de Janeiro, com narradores e comentaristas profissionais. O time ganhador desta segunda classificatória irá competir na finalíssima da competição, que será realizada em 5 de setembro, no palco da BGS, a maior feira de jogos eletrônicos da América Latina.

O time vencedor do torneio de Dota 2 da BGC terá seu nome gravado no troféu Ralph Baer e levará um prêmio de R$ 30 mil. Já o segundo colocado receberá R$ 10 mil. Cada classificatória distribui mais R$ 10 mil entre os três primeiros colocados. Além do campeonato de Dota 2, em 2016 a BGC terá torneios de outros títulos, que serão anunciados em breve.

Se você e seu time são bons em Dota 2, inscreva-se na competição! Quem sabe você não se revela um cyberatleta vencedor? Os interessados em acompanhar a grande final da BGC já podem adquirir os ingressos da BGS 2016 com desconto. Até as 23h59 do dia 20 de junho, as entradas para cada dia da feira estão com 11% de desconto e saem por R$ 75 (individual). Já o passaporte para todos os dias abertos ao público está com 13% e sai por R$ 260.

Serviço – Brasil Game Show 2016

Quando: 01 a 05 de setembro (1º dia exclusivo para imprensa e business)
Onde: São Paulo Expo
Endereço: Rodovia dos Imigrantes, KM 1,5 – São Paulo – SP
Horário: 13h às 21h
Mais informações: www.brasilgameshow.com.br

Abaixo tem um trailer de Dota 2

O Show de Marcelo Tavares

Uma das pessoas mais influentes da indústria de jogos eletrônicos no Brasil é o Marcelo Tavares. Se esse nome é estranho a você, saiba que os feitos dele são reconhecidos até mesmo por quem não curte jogos eletrônicos. Marcelo Tavares é o idealizador e criador da Brasil Game Show, o maior evento de games da América Latina e um dos eventos de games mais famosos do mundo.

Se antes o evento começou como uma reunião de amigos, hoje em dia é ele que traz as maiores novidades do mercado mundial e consegue reunir produtores e personalidades como Yoshinori Ono (Street Fighter), Katsuhiro Harada (Tekken), Phil Spencer (Xbox), entre outros. Como foi que Tavares conseguiu reunir essa turma conceituada e por que a BGS conseguiu se consolidar no calendário anual, ao passo que outros eventos importantes naufragaram?

Além de empresário bem sucedido, Tavares é também um colecionador compulsivo de videogames (a coleção de consoles na BGS é dele). Em seu acervo há consoles muito reconhecidos como o Atari 2600, mas há também videogames bastante obscuros como o Vectrex. Além disso, cada “novo” console de Tavares é tratado com cuidados dignos de relíquias preciosas, mais ou menos do mesmo modo que você, leitor, trata seu Playstation 4 novo em folha.

O GameReporter conseguiu uma entrevista exclusiva com o Marcelo Tavares, onde falamos sobre os rumos da BGS e sobre sua paixão por videogames. Confira!

 

Como começou sua carreira de empresário? Conte-nos um pouco de sua história.

Minha carreira começou quando fiz 17 anos e passei a fazer alguns trabalhos gráficos caseiros, como cartazes e cartões de visitas. Fazia também serviços de tradução nesta época. Depois disso, trabalhei como vendedor de planos de saúde, mas logo me tornei empresário, como sócio em um curso de computação. Em 2002 criei meu primeiro encontro de “gamers” e a partir daí, minha vontade de atuar nesta área foi crescendo.

bgs 2Em paralelo, escrevi também para diversas editorias de games e cheguei a participar de programas relacionados ao tema. Como não tive muito retorno financeiro,  passei a atuar em outros segmentos e cheguei a gerenciar uma loja de doces, uma padaria, um restaurante e  trabalhar como corretor imobiliário. Felizmente, em 2009, consegui realizar a primeira Rio Game Show e, a partir daí,  não saí mais da área até chegar à Brasil Game Show.

 

A coleção de videogames que você tem é bem impressionante. Você costumava jogar todos os consoles? Sobrava tempo para eles?

Sempre joguei bastante e até hoje gosto de jogar alguns antigos para relembrar. É claro que, com uma quantidade tão grande – atualmente, possuo mais de 350 consoles, cerca de 3.000 jogos e centenas de acessórios – fica complicado jogar todos.

 

Quais eram seus jogos favoritos?

Posso mencionar alguns como Pac Man, River Raid, Fifa, Battlefield, Forza, Need For Speed, Call of Duty, Gran Turismo. Todos estes joguei desde as primeiras versões até as mais novas, no caso dos que tiveram continuidade.

 

Dentro da sua coleção tem algum item que você tenha bastante ciúme?

Tenho um grande apego por todos os meus consoles antigos – até mesmo pela dificuldade em adquirir alguns. Além disso, possuo algumas raridades e consoles que fizeram parte da história e tenho certo receio de danificá-los. Entre eles, destaco o Virtual Boy, Pippin, Microvision, Channel F, Game & Watch, 3DO, Jaguar, Vectrex e Amiga CD 32.

 

BGS 2015Como surgiu a ideia de criar o Rio Game Show? O Rio Game Show começou bem modesto e hoje é a BGS, o maior evento de games do Brasil. Como se deu esse crescimento?

Em 2002 criei um encontro para amantes e colecionadores, assim como eu, para que pudéssemos trocar experiências. Resolvi chamá-lo de GameChurrasco. Na época, a ideia não deu muito certo. Como o nome já indica, era um churrasco e as pessoas não tinham cuidado, acabavam pegando os consoles com as mãos sujas, derramando refrigerante etc. Anos depois, em 2009, criei a Rio Game Show, que era um eventopequeno, regional e com menos de cinco mil visitantes, mas que, desde o princípio demonstrava potencial para crescer e ganhar atenção no mercado.

O evento foi crescendo e tomando proporções incríveis. Maior e mais conhecido, houve a necessidade de um novo título. Foi então que, em 2010, surgiu o nome Brasil Game Show (BGS) e a partir de então, em sua terceira edição, contou com a presença de grandes empresas do mercado. Foi o novo nome e aceitação cada vez maior por parte de empresas e público que fizeram com que, em 2011, o evento recebesse o título de “maior feira de games da América Latina”. Reunindo mais de 60 mil pessoas no Rio de Janeiro, a BGS começou a ser escolhida por algumas das maiores empresas do segmento para fazerem seus anúncios para a América Latina.

Mudamos para São Paulo em 2012 e a BGS foi muito bem aceita no novo local. Nesta edição, contamos com 100 mil visitantes. Nos anos seguintes, felizmente, a BGS continuou crescendo e recebeu 151 mil visitantes em 2013, e 250 mil, no ano seguinte. Em 2015, a feira bateu recorde, recebendo mais de 300 mil pessoas, mais de 100 lançamentos, campeonatos e muitas atrações. Para 2016, estamos inovando mais uma vez. Com nova data e local – 01 a 05 de setembro, no São Paulo Expo –, pretendemos levar aos visitantes um número ainda maior de novidades, empresas participantes, atrações e lançamentos.

 

A que você atribui o sucesso da BGS e ao fracasso dos outros eventos?

Acho que um dos fatores que faz a BGS dar certo é que sou um grande apaixonado pelos games, então tudo é pensado para os fãs.. Quero que eles tenham acesso às novidades do mercado, que possam jogar títulos que ainda nem foram lançados, que conheçam as pessoas responsáveis pelos games que eles gostam. Por outro lado, apesar da paixão, sempre agi com muito profissionalismo e ética. Acho que a BGS conseguiu mostrar seu potencial e, hoje, temos grande credibilidade com fãs e empresas participantes.

 

bgs 3

De todos esses anos organizando eventos, quais você considera os momentos mais relevantes na história da BGS?

Sei o quanto é satisfatório para um fã testar um jogo antes mesmo de seu lançamento mundial. Durante a BGS, todos os anos, junto às empresas participantes, damos aos visitantes esta oportunidade e acho que este é um fator marcante. Além disso, trazemos para a feira grandes nomes do mercado, produtores de algumas das franquias mais aclamadas do mundo e acho que isso não tem preço.

Alguns destaques:

2009 (1ª edição) – Exposição de consoles antigos

2009 (2ª edição) – Videoconferência com Ralph Baer, criador do primeiro videogame da história

2010 – Lançamento da plataforma PlayStation no Brasil com a primeira participação na Brasil Game Show

2011 –XBOX participou oficialmente pela primeira vez na BGS

2012 – Sony, Nintendo e Microsoft participaram

2013 – Apresentação, pela primeira vez para os jogadores brasileiros do XBOX One e do PlayStation 4

2014 – Presença do produtor de Mortal Kombat, Ed Boon

2015 – Presença do Chefe da divisão XBOX, Phill Spencer, Yoshinori Ono, produtor de Street Fighter e participação do YouTube com o maior estande já feito pela empresa no mundo.

 

Você disse em entrevistas que a próxima edição deve ocorrer em outro local? Qual a razão dessa mudança?

Em 2016, a BGS acontecerá, pela primeira vez, no São Paulo Expo. O centro de exposições, congressos e convenções está sendo construído  e ficará pronto em maio de 2016. Será um complexo multifuncional muito mais sintonizado com a expressão e a necessidade da BGS. Com isso, os visitantes podem aguardar ainda mais novidades. A nova estrutura permite montar estandes espetaculares, de até mil m² e com um número muito maior de estações de jogos. Lá, os produtores de games independentes também terão mais oportunidades: vamos duplicar a área indie e cerca de 70 estúdios de desenvolvimento de jogos poderão mostrar seus trabalhos. Em 2014 foram sete, e, em 2015, 36 estandes.

bgsPara os visitantes, as facilidades vão começar antes mesmo de entrarem na feira, pois terão uma área de concentração climatizada. O acesso também fluirá melhor, pois será feito por quatro grandes entradas, o dobro da edição de 2015. Quanto às ruas, serão mais largas e permitirão circular, visualizar e localizar os estandes mais facilmente. Outra novidade do novo espaço irá agradar especialmente à imprensa e convidados, que poderão acessar um exclusivo mezanino, ter uma visão geral da BGS e captar boas imagens.

A localização é outro ponto forte do São Paulo Expo. O novo palco da BGS fica a apenas 10 minutos do aeroporto de Congonhas e do Rodoanel Mario Covas e a 850 metros do metrô Jabaquara, com traslado grátis de ônibus durante todos os dias de feira. Estão sendo investidos R$ 300 milhões na reforma dos 40 mil m² de pavilhões já existentes e na construção de mais de 50 mil m² de área de exposição e 10 mil m² de centro de convenções. O “novo” São Paulo Expo será inaugurado em 2016 e também terá um edifício garagem com 4,5 mil vagas (o maior estacionamento coberto do Brasil), e um avançado sistema de climatização e rede Wi-Fi.

 

Falando com as grandes e pequenas produtoras, você acredita que o mercado de games está em alta no Brasil?

Felizmente, o cenário brasileiro de games é bastante positivo. Atualmente, o Brasil é o maior  mercado da América Latina e ocupa a quarta  colocação  no ranking mundial. O País tem mostrado grande potencial e podemos observar isso dentro da própria BGS, onde o número de produtoras independentes brasileiras vem crescendo e se destacando. Como afirmei anteriormente, na BGS 2014 tínhamos sete estandes indies. Em 2015 este número subiu para 36 e, para 2016, serão 72 espaços dedicados a eles  nesta área. Este é apenas um exemplo deste crescimento.

 

Marcelo Tavares, numa escala de zero a dez, o quanto os impostos atrasam a indústria de jogos no Brasil? Por quê?

Dez. O mercado já cresce com eles, imagina sem , ou ao menos com uma tributação mais justa? Tudo bem que as empresas, hoje em dia, se adaptaram às regras brasileiras e muitas produzem por aqui. Mas o mundo é globalizado, o Brasil precisa ser competitivo. Os impostos tiram a nossa competitividade e ainda afastam uma minoria importante de empresas que esperamos que venham atuar aqui nos próximos anos.

 

BGS 4

O evento já é consolidado na América Latina. Qual o próximo passo da BGS?

Estamos trabalhando para que a BGS melhore a cada ano. Em cada edição, tentamos melhorar algum ponto e aplicar as sugestões feitas por nossos visitantes. Este ano, por exemplo, conseguimos antecipar a venda de ingressos para facilitar ainda mais. Além disso, estamos nos mudando para um novo lugar, que será o maior e mais moderno centro de exposições do Brasil – o São Paulo Expo. A data também irá favorecer os visitantes, de forma que tenham a oportunidade de testar um número ainda maior de lançamentos.

Queremos mostrar, cada vez mais, a força do mercado nacional, para que os outros países e mercados tenham a oportunidade de conhecer nosso potencial. Desta forma, conseguimos atrair também a atenção das grandes empresas que, hoje, já olham para o Brasil com outros olhos. Um dos maiores avanços que posso destacar neste sentido é o grande número de jogos traduzidos para português e até mesmo fases e personagens e brasileiros em alguns dos títulos mais famosos do mundo gamer.

 

Costumamos falar muito sobre jogos e produtores indie. Qual a dica que você pode dar para que eles façam bonito nas próximas edições da BGS?

É necessário conhecer bem o mercado antes de iniciar qualquer negócio. Analisar as empresas já existentes e ver quais são as oportunidades é uma boa estratégia. Além disso, é preciso se especializar e, se for o caso, fazer bons cursos, sem esquecer-se de manter contato com outros profissionais da área para observar o máximo de informações através de suas experiências.

 

Infância Livre: FACISA e MPT da Paraíba lançam jogo para alertar sobre a Exploração Infantil

Um dos melhores games (senão o melhor) a dar as caras na Brasil game Show 2015 foi o indie Infância Livre, criado em parceria entre o Ministério Público do Trabalho (MPT) de Campina Grande (PB) e o Curso Superior de Jogos Digitais (FACISA). O que eleva o título a este patamar de “melhores do evento” não é propriamente a sua qualidade técnica, mas sim a mensagem que ele tenta passar ao jogador.

Criado como Projeto de Extensão dos estudantes da FACISA, o título alerta para os males do trabalho infantil para o desenvolvimento da criança e do adolescente, destacando também que o trabalho infantil fere o Estatuto da Criança e do Adolescente. Para isso, o jogador acompanha a saga de um agente especial que visita lugares de exploração infantil alertando as crianças e adultos sobre o tema. O objetivo é tirar as crianças da situação do trabalho ilegal.

Um ponto interessante de Infância Livre é que os diálogos e situações apresentadas no título são inspirados em fatos reais, de modo que a aventura consegue sensibilizar o jogador. Afinal, quem não ficaria com pena ao ouvir a história do garoto que trabalha no farol à noite para ajudar a família? Durante a aventura o jogador explora diversos ambientes como lixões, o meio rural, o trânsito e até o trabalho doméstico.

De acordo com os desenvolvedores, existem cerca de 170 milhões de crianças desenvolvendo trabalho escravo no mundo, sendo que somente no Brasil são mais de 3 milhões de jovens nesta situação. A ideia é que o game possa mobilizar a sociedade para a erradicação dessa prática e assim sirva de ferramenta de conscientização. O processo de criação foi possível graças aos esforços dos estudantes Aleff Ghimel, César Augusto, Aurélio Filgueiras e Valdemir Segundo, sob a supervisão do coordenador do curso, Rodrigo Motta.

Durante a BGS 2015 os visitantes podiam testar o jogo e conversar com os desenvolvedores. De acordo com eles, a recepção dos jogadores era das mais calorosas. Infância Livre é gratuito e pode ser acessado pela web. Posteriormente haverá lançamento para Android e iOS.

Abaixo tem o trailer de Infância Livre:

Ubisoft promove desafio cosplay durante a Brasil Game Show

Mais um bom motivo para participar da Brasil Game Show acabou de surgir: a Ubisoft convida os visitantes a participar de um desafio cosplay e o vencedor vai levar um Xbox One para casa.

O Desafio Cosplay Ubisoft é muito simples e qualquer um pode participar: basta ir trajado com um cosplay de algum personagem dos games da Ubisoft. O melhor cosplayer vence o desafio. Este desafio cosplay ocorrera no dia 11 de outubro (domingo).

Haverão apenas trinta vagas neste desafio, de modo que os interessados devem correr até o estande da Ubisoft para fazer a inscrição. A partir das 16h os inscritos devem estar no estande e encontrar o Rabbid gigante, que indicará o local da primeira triagem, onde serão feitas a apresentações dos cosplayers para o público e para os jurados. O mais ovacionado levará o console de nova geração da Microsoft para casa.

Além deste desafio cosplay, a Ubisoft prepara uma série de atrações para a BGS como o campeonato mundial de Just Dance, a presença de produtores, youtubers e os jogos mais recentes da publisher francesa. Se voce tiver um cosplay de Ézio ou de Rayman não o deixe em casa! Quem sabe você não ganha um videogame novo em folha?

Tanto os presentes na BGS quanto aqueles que estiverem em casa poderão acompanhar as atraçoes do estande da Ubisoft pelos canais oficiais da Ubisoft Brasil no Twitch. Vale lembrar que o GameReporter estará na feira para destacar as grandes novidades.

Produtores independentes também tem vez na Brasil Game Show

Se havia uma crítica a ser feita às edições anteriores da Brasil Game Show era quanto ao espaço dedicado aos produtores independentes, pois era bastante reduzido. Mas parece que as coisas irão mudar a partir deste ano, pois a organização da feira divulgou que o espaço aos indies será cinco vezes maior do que a edição passada.

De acordo com a organização, o espaço é ideal para interação entre os desenvolvedores locais e investidores, além da oportunidade de apresentar seus produtos para um público estimado de 300 mil pessoas. Além dos jogos indies brasileiros, o espaço terá a presença do estúdio americano Data Realms.

Este espaço Indie Meeting servirá para os desenvolvedores mostrar seus jogos em 45 minutos para a plateia interessada. Serão cinco palestras por dia com 30 minutos de apresentação, 15 de perguntas e respostas e interação com o público. Tais palestras ocorrerão sob a coordenação do professor Esteban Clua, da Universidade Federal Fluminense (UFF).

“Há cada vez mais empresas produzindo jogos no Brasil e é papel da BGS, principal evento do setor no país e no continente, apoiar quem está dando os primeiros passos, principalmente considerando que as produtoras independentes brasileiras evoluíram bastante e muitas não deixam nada a desejar em relação às principais empresas internacionais”, disse Marcelo Tavares, idealizador e CEO da BGS.

Vale destacar que muitos estúdios indies acabam ganhando reconhecimento do público durante a BGS, tal como foi com a Duaik Entretenimento (Aritana e a Pena da Harpia). Tal sucesso deve se repetir com a Void Studios e com a 2Dverse, que irão apresentar ao público os jogos “Eternity: The Last Unicorn” e “A Treta dos Irmãos Piologo”, respectivamente. Outro estúdio que deve impressionar é o Réquiem Studios, que faz sua primeira aparição pública para apresentar o game “Lumen”, um jogo de plataforma em 2D com belos efeitos visuais.

Além destes estúdios, a BGS terá a participação dos seguintes estúdios independentes: Data Realms, Digi Ten Studio, DNAe Studios, Flux Game Studio, G2E, Garage 227 Studios, Maxlab Studios, Messier Games & Animations, Odin Game Studio, Overlord Game Studio , Reload Game Studio, Samaritan Studios, Smyowl, Streamy, Tree of Dreams, Too Nerd to Die e Unique Entretenimento Digital. Cada um destes estúdios vai apresentar jogos próprios e que devem despertar a atenção de muitos jogadores. O GameReporter vai mostrar a maioria deles nos próximos dias.

Serviço: Brasil Game Show 2015

Quando: 08 a 12 de outubro (08 só para business e imprensa)

OndeExpo Center Norte | Veja a programação do Indie Meeting

Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme – SP

Horário: 13h às 21h

Ingressos: até 30 de setembro de 2015: R$ 75,00 (individual meia-entrada) Outras opções de ingressos e preços podem ser obtidas no site http://www.brasilgameshow.com.br/sou-visitante/ingressos

Meia-entrada: benefício válido para doadores de 1kg de alimento não-perecível na entrada do evento, além de estudantes, portadores de necessidades especiais, idosos com idade a partir de 60 anos e professores, todos mediante apresentação de comprovação.

 

Pixtoy lança beat ‘em up War Dogs durante a BGS 2015

Durante a Brasil Game Show a desenvolvedora Pixtoy, localizada em Vitória (ES), lançará seu mais novo game. O título chama-se War Dogs e ele é do gênero beat ‘em up e tentará agarrar os jogadores graças ao design especialmente produzido para homenagear os games do estilo.

De acordo com a Pixtoy, War Dogs mesclará os esportes de impacto, ou seja, diversas artes marciais com a jogabilidade clássica em que os jogadores percorrem os ambientes enquanto derrotam centenas de adversários. O protagonista é Red, um pitbull red-nose mutante  que teve de aprender diversos estilos de luta para sobreviver.

A ação se passa em Xtreme Town, uma das maiores metrópoles do Novo Mundo, com um estilo cyberpunk. O mundo do jogo é distópico e a ambientação é explicada devido a uma guerra nuclear que dizimou quase todos os seres humanos. Deste modo, os poucos sobreviventes sofreram mutações dividindo-se ente os Mastiffs, humanoides com cabeça de cachorro e Hound Wars, uma nova raça de cyborgs com inteligência humana e poder físico canino e robótico.

Neste ambiente caótico a sobrevivência tem de ser garantida com punhos e violência. É então que o restaurante de uma amiga de Red é atacado e o protagonista resolve tirar a história a limpo enfrentando grupos de Mastiffs e de Hound Wars. Para isso, ele utiliza as “Habilidades”, que são estilos de diversas artes marciais, como Boxe, Karatê, Muay Thay e Jiu-Jitsu.

O game estará disponível para Android e iOS no estande da Pixtoy durante a BGS e a produtora já deixou o convite aberto para todos os fãs de beat ‘em up conhecê-los.

Max Quiz: casal brasileiro lançará Quiz em 3D na Brasil Game Show

Hoje vamos falar de um jogo independente que fará seu lançamento durante a feira Brasil Game Show, a ser realizada entre os dias 8 a 12 de outubro de 2015. O game em questão é produção da Maxlab Studios, criada pelos desenvolvedores brasileiros Glauber e Camila, e chama-se Max Quiz, um jogo de perguntas e respostas inspirado em programas de televisão e que promete testar o nível de conhecimento dos jogadores.

Ao contrário de jogos do gênero, o Max Quiz busca se diferenciar ao colocar alguns mimos para o jogador, de modo que o game fique parecido com uma transmissão de televisão: tem apresentador, palco e os personagens são em 3D. Como se não bastasse, o jogador pode personalizar a aparência do personagem alterando roupas, cabelos, etc.

O game possui cinco categorias de perguntas: Conhecimento Geral, Ciência, Cultura Geek, Cinema & TV e Esporte. Há uma opção que permite desafiar os amigos através de partidas pelas redes sociais em um esquema de playoffs (mata-mata), além de um sistema de ranking semanal que lista os melhores jogadores do mundo.

A melhor parte é que o game permite que os jogadores enviem perguntas, que ficam armazenas no Banco de Questões, ou seja, o game acaba se tornando gigantesco e a cada nova partida o jogador será surpreendido. O título estará disponível em português e inglês.

De acordo com os desenvolvedores, Max Quiz estará disponível para as seguintes plataformas: Android, iPhone/iPad, Windows Phone e Windows 10. O download será disponibilizado gratuitamente.

Abaixo tem o trailer de Max Quiz:

Brasil Game Show lança aplicativo para manter fãs atualizados sobre o evento

Sabe uma maneira fácil e rápida de estar por dentro das notícias da Brasil Game Show a qualquer hora do dia? Baixando o aplicativo oficial do evento! Sim, a organização da maior feira de games da América Latina lançou um aplicativo exclusivo para manter os fãs atualizados sobre as novidades da feira.

O aplicativo chamado Brasil Game Show Official App é gratuito para as plataformas Android, iOS e Windows. A grande sacada é que o aplicativo disponibiliza as principais informações sobre o evento, tais como expositores, jogos confirmados, personalidades, ingressos, campeonatos, agenda de atrações, mapa da feia e notícias em primeira mão.

A melhor função do aplicativo, porém, é a possibilidade de compartilhar textos e fotos com outros usuários e visitantes do evento. Essa função funciona como uma rede social, permitindo que os usuários compartilhem fotos, interajam entre si e curtam conteúdos. A intenção é que o aplicativo ajude quem quer ir à BGS quanto quem já estiver por lá e tem a intenção de aproveitar ao máximo as centenas de atrações que ocuparão os 70 mil m² dedicados aos games. Além disso, o aplicativo vai tornar a BGS em um espaço mais dedicado à família.

Para que o visitante não deixe de ver nenhuma novidade, o app inclui um sistema de check-in que permite marcar quais foram os estandes já visitados. O aplicativo tem também um sistema de gamificação, pelo qual o usuário pontua conforme for interagindo com outros utilizadores. “Procuramos reunir todas as novidades da BGS 2015 em um único lugar. Isso permite que os visitantes fiquem atualizados sobre quais jogos, atrações e empresas estarão presentes e ainda possam interagir entre si”, afirma Marcelo Tavares, criador e CEO da BGS.

O aplicativo já está disponível gratuitamente para Android, iOS e Windows. A BGS ocorre entre os dias 8 a 12 de outubro no Expo Center Norte, em São Paulo.

Aplicativo da Brasil Game Show:

 

Serviço – BGS 2015

Quando: 08 a 12 de outubro (08 só para business e imprensa)
Onde: Expo Center Norte – Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme – SP – 13h às 21h

Quanto: até 14 de setembro de 2015: R$ 69,00 (individual meia-entrada)

Recorde: Brasil Game Show recebe mais de 250 mil visitantes em sua sétima edição

A edição 2014 da feira Brasil Game Show atraiu um público recorde de 250 mil pessoas nos cinco dias de evento. Dificilmente este número será batido por outros eventos em muitos anos. Para se ter ideia, a edição do ano passado trouxe ao Expo Center Norte cerca de 150 mil visitantes. Veja mais fotos aqui.

Para alcançar tal número, a BGS contou com diversos lançamentos, incluindo jogos, acessórios e demais produtos para gamers. Além disso, houve campeonatos de jogos como Point Blank, Might & Magic: Duel of Champions. O evento contou ainda com a participação de produtores como Ed Boon de Mortal Kombat, Chance Glasco de Call of Duty, Peter Wyse de Sombras de Mordor e Manorito Hosoda de PES.

Sobre os jogos que agitaram a feira, destaques para Assassin’s Creed Unity, Batman Arkham Knight, Battlefield Hardline, COD: Advanced Warfare, Dragon Age: Inquisiton, Far Cry 4, Forza Horizon 2, Halo: TMCC, Mortal Kombat, X, Ori and the Blind Forest, Resident Evil: Revelations 2, Terra-média: Sombras de Mordor, The Crew, The Evil Within, The Order 1886, The Witcher 3 : Wild Hunt.

Mas não foram somente os grandes jogos, dentro da feira havia um espaço dedicado aos desenvolvedores independentes como Aritana e a Pena da Harpia, Garage227, Devolver Digital, TheGameWall, Gameblox, Swordtales, Fira Soft, Digiten, Reload e Gilp foram algumas das participantes. Os desenvolvedores puderam agendar reuniões com outras empresas, com a oportunidade de apresentar seus trabalhos.

Um das melhores áreas certamente foi a mostra “Evolução do Videogame”, trazida pelo colecionador Marcelo Tavares, diretor e idealizador do Evento. Marcelo é o maior colecionador de games do Brasil, com mais de 350 consoles e mais de três mil jogos e acessórios. Ele disponibilizou mais de 120 consoles de seu acervo pessoal para que os visitantes pudessem ver de perto os aparelhos de cada uma das oito gerações do videogame. Além disso, uma área de Arcades com dezenas de máquinas de Fliperama estava à disposição dos visitantes.

Com o sucesso desta edição, a organização já confirmou a edição 2015. Irá ocorrer entre os dias  08, 09, 10, 11 e 12 de Outubro de 2015 e contará com a mesma área utilizada no Expo Center Norte, em São Paulo. Nos vemos por lá!

Brasil Game Cup confirma participação dos times participantes do campeonato de DotA 2

A organização da feira Brasil Game Show, maior evento de games da América Latina, divulgou os nomes dos times classificados e que disputarão a final da Brasil Game Cup, o esperado campeonato de DotA 2. Os times são: Not Today, Union Gaming, Isurus Gaming, paiN Gaming, The House is Down, Keyd Stars, CNB e INTZ e-Sports. O torneio ocorrerá entre os dias 9 a 12 de outubro e contará com a premiação de R$ 60 mil.

Além do dinheiro, a equipe vencedora leva o troféu Ralph Baer, que recebeu este nome em homenagem ao “Pai dos Videogames”. Para os visitantes, além de conferir de perto as táticas dos cyber-atletas, pode-se divertir com a apresentação de Luciano Amaral, o eterno Lucas Silva e Silva , que será o host do campeonato e estará acompanhado das belas Fernanda Gimenez e Stella Abreu, que já foram destaque em uma importante revista de games do Brasil.

Para quem não puder acompanhar pessoalmente os torneios, os organizadores farão streaming através do Twitch nos canais oficiais da Brasil Game Cup e Brasil Game Show.

Abaixo as datas e horários dos jogos:

Jogo A – Dia 9 – 13:00

Jogo B – Dia 9 – 14:15

Jogo C – Dia 9 – 15:30

Jogo D – Dia 9 – 16:45

Jogo J – Dia 9 – 18:00

Jogo K – Dia 9 – 19:15

Jogo E – Dia 10 – 13:00

Jogo F – Dia 10 – 14:15

Jogo L – Dia 10 – 15:30

Jogo M – Dia 10 – 16:45

Jogo G – Dia 10 – 18:00

Jogo N – Dia 11 – 13:30

Jogo O – Dia 11 – 17:00

Jogo H – Dia 12 – 13:30

Jogo I – Dia 12 – 17:00

Serviço: Brasil Game Show

Data: 08 a 12 de Outubro
Local: Expo Center Norte – Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme – SP
Horários: 08 de Outubro (exclusivo para Imprensa e Business) – 13h às 21h 09 a 12 de Outubro (público geral) – 13h às 21h
Informações: www.brasilgameshow.com.br e www.brasilgamecup.com.br.