Arquivo da tag: Brasil Game Show

BGS JAM premiará vencedores com estágio em estúdio de games Skullfish

Mais uma notícia importante vinda diretamente da BGS 2019. A organização da maior feira de jogos da América latina anunciou seus planos para a BGS Jam, prometendo que será a maior maratona de desenvolvimento de jogos de toda a história do evento.  Além de participar de uma competição em equipe dentro da maior feira de games da América Latina e expor seu trabalho para um público total de mais de 300 mil pessoas, os participantes deste ano terão a chance de garantir um estágio de um mês no estúdio de games Skullfish e levar pra casa um cartão pré-pago do Banco do Brasil com R$6 mil.

Como é de praxe, a competição terá duração de 48 horas, com início às 15h de 9 de outubro, e será realizada em uma área exclusiva do pavilhão de exposições do Expo Center Norte, durante a BGS, que vai de 9 a 13 de outubro. Os universitários de todo o país interessados no BGS Jam têm até o dia 30 de agosto para se inscrever gratuitamente pelo site oficial do evento. Dez equipes serão selecionadas para participar da disputa com base nos seus portfólios e as escolhidas serão reveladas até 2 de setembro, no site da BGS.

“Como maior feira de games do país, é nosso dever promover iniciativas que favoreçam e fomentem a produção nacional. Contamos com o apoio do Banco do Brasil para oferecer aos estudantes brasileiros uma competição saudável em prol da educação tecnológica e criativa. Estamos ansiosos para conhecer os participantes e, claro, seus jogos”, disse Marcelo Tavares, fundador e CEO da Brasil Game Show.

Como vai funcionar a BGS JAM em 2019

Cada time participante da BGS JAM terá três integrantes com idade igual ou superior a 18 anos, estudantes de cursos de graduação, especialização ou pós-graduação.   A competição começa às 15h, de 9 de outubro, com a revelação de um tema surpresa, que deverá ser a inspiração das equipes para desenvolverem seus jogos.

Assim como em anos anteriores, os participantes ficarão confinados em uma sala de vidro, onde, inclusive, dormirão e farão as refeições. A disputa poderá ser acompanhada em tempo real pelos visitantes da Brasil Game Show e, após as 48 horas, os jogos serão avaliados por uma banca de especialistas e ficarão disponíveis para a experimentação do público. Os vencedores serão conhecidos em 13 de outubro, às 18h.

 

Serviço – BGS 2019

Quando: 9 a 13 de outubro

Onde: Expo Center Norte, em São Paulo/SP

Brasil Game Show anuncia Al Lowe, criador da série Leisure Suit Larry, como quinto convidado internacional

A Brasil Game Show acaba de divulgar seu quinto convidado especial! Trata-se do americano Al Lowe, criador de jogos polêmicos como Leisure Suit Larry. O game designer irá participar do evento para interagir com o público em sessões gratuitas de meet & greet, participar do painel BGS Talks, palestrar no BGS Summit e servir como jurado no concurso cosplay. A BGS será realizada entre 9 e 13 de outubro no Expo Center Norte, em São Paulo/SP.

De acordo com a organização do evento, Al Lowe irá dar uma palestra voltada a profissionais e entusiastas do mercado, em concursos de cosplay, como jurado, e no Wall of Fame, onde será homenageado e deixará a marca das suas mãos. Esta é a primeira vez que o desenvolvedor participa da BGS e para celebrar seus feitos na indútria será homenageado deixando suas mãos no Wall of Fame.

 

Mais sobre Al Lowe

Al Lowe começou sua carreira na indústria dos jogos eletrônicos em 1982, quando entrou na Sierra para trabalhar no desenvolvimento de games baseados em filmes e personagens da Disney. Nos primeiros anos, supervisionava diversos elementos de design de trilha e gráficos, até que em 1986 se tornou programador chefe e esteve à frente de jogos como “King’s Quest III” e “Police Quest”. No ano seguinte, criou o primeiro jogo da série que lhe daria maior destaque profissional: “Leisure Suit Larry in the Land of Lounge Lizards”, um game que conquistou prêmios e a imprensa especializada com senso de humor peculiar e gráficos avançados para a época.

Foi o responsável por outros títulos famosos, como “Freddy Pharkas” (1992) e “Torin’s Passage” (1995), até que, em 1996, lançou Leisure Suit Larry 7, uma aventura libidinosa do protagonista Larry Laffer por um cruzeiro muito louco. Nas últimas décadas, Lowe seguiu trabalhando em novos títulos da sua série mais conhecida, lançou o CyberJoke 3000, uma newsletter diária que já compartilhou mais de 8 mil piadas, e se dedicou a outros projetos como escritor, fotógrafo, ator e produtor executivo.

Abaixo você confere o vídeo que Al Lowe deixou para os fãs brasileiros da BGS:

00

 

Serviço – BGS 2019

Quando: 09 a 13 de outubro (1º dia exclusivo para imprensa e negócios)

Onde: Expo Center Norte

Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme, São Paulo/SP

Horário: 13h às 21h

John Romero, criador de DOOM, vem ao Brasil para participar da BGS 2019

Se você é fã de jogos de tiro, certamente já ouviu falar de John Romero, afinal é ele a mente por trás dos icônicos Doom, Wolfestein 3D e Quake, dois dos jogos mais influentes de todos os tempos. Pois bem, o “pai” dos jogos de tiro em primeira pessoa virá ao Brasil pela primeira vez para participar da Brasil Game Show 2019, a maior feira de jogos eletrônicos da América Latina, que acontece entre  9 e 13 de outubro, no Expo Center Norte, em São Paulo.

Romero virá ao evento para cumprir uma série de atividades com seus os fãs, como sessões de fotos e autógrafos na área gratuita de meet & greet, apresentações no BGS Talks, onde revelará aos fãs curiosidades de sua carreira, participação como jurado de concursos de cosplay e  painel no BGS Summit, atração criada em 2018, voltada para profissionais do mercado de jogos eletrônicos. Além disso, Romero será um dos grandes homenageados da BGS 2019, onde deixará a marca de suas mãos gravadas no Wall of Fame e receberá o prêmio Lifetime Achievement Award.

“John Romero é uma das mentes mais brilhantes da indústria de games, por sua capacidade de inovar e se reinventar. Sua trajetória é inspiradora, tanto para aqueles que jogam quanto para os que desejam trabalhar no setor”, disse Marcelo Tavares, CEO e fundador da BGS. “Lembro que ia para lan houses jogar Doom com os amigos. Depois, um dos jogos que mais curti foi Quake. Será uma honra ter Romero na BGS deste ano. Como eu, tenho certeza que milhares de fãs vibrarão com sua presença. Estou ansioso por promover e testemunhar esse encontro”.

Além de John Romero, a organização da BGS também já confirmou a participação de Charles Martinet, dublador de Mario, icônico personagem da Nintendo, e Shota Nakama, criador da Video Game Orchestra, que, pela primeira vez, trará sua banda para o Brasil. Para mais informações sobre a Brasil Game Show, acesse o site oficial do evento.

 

Serviço – BGS 2019

Quando: 09 a 13 de outubro (1º dia exclusivo para imprensa e negócios)

Onde: Expo Center Norte – Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme, São Paulo/SP

Criador da Video Game Orchestra retorna à Brasil Game Show e se apresenta pela primeira vez no país

Mais uma novidade para quem está ansioso pela Brasil Game Show: a organização da maior feira de games da América Latina acaba de confirmar que o produtor musical Nakama irá retornar neste ano para se apresentar ao vivo com sua banda Video Game Orchestra (VGO) nos dias 11 e 12 de outubro, no palco Brasil Game Cup (BGC). De acordo com a BGS, Nakama e sua banda farão releituras de grandes clássicos dos games em apresentações de aproximadamente 90 minutos.

Criada por Shota Nakama em 2008, em Boston-EUA, a Video Game Orchestra faz concertos de trilhas de videogame misturando orquestra, coro e banda de rock, um conceito chamado “rockestral”. Sucesso de crítica e público, a banda já realizou turnês em diversos países, como Canadá, Japão, China e Taiwan. O objetivo é apelar para todo o espírito nostálgico dos jogadores, apostando em composições extremamente reconhecidas, tais como Mario, Zelda, Sonic etc.

Além das apresentações no palco da BGC, Nakama terá uma extensa agenda com o público e, assim como no ano passado, participará de sessões gratuitas de meet & greet, falará sobre sua trajetória de sucesso no palco do BGS Talks e será um dos jurados dos concursos de cosplay.

“Será a primeira vez que a Video Game Orchestra vem ao Brasil e não há lugar melhor para essa estreia do que na Brasil Game Show. Além de muito querido pelo público, o Nakama é um dos maiores produtores musicais de games do mundo e tenho certeza que os shows serão inesquecíveis para os gamers”, comenta Marcelo Tavares, CEO e fundador da Brasil Game Show.

Nakama também é produtor do projeto Capcom Live, que segue os mesmos moldes da Video Game Orchestra mas com trilhas de games da Capcom. Entre as franquias para as quais já compôs, organizou, orquestrou, gravou e mixou estão Final Fantasy, Kingdom Hearts, Sonic Mania, Little Witch Academia (Netflix).

Para mais informações sobre a Brasil Game Show, acesse o site oficial da BGS.

Serviço – Brasil Game Show 2019

 

Quando: 09 a 13 de outubro (1º dia exclusivo para imprensa e negócios)

Onde: Expo Center Norte

Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme, São Paulo/SP

Horário: 13h às 21h

Brasil Game Show atende pedido dos fãs e anuncia retorno de Charles Martinet em 2019

Após fazer bastante sucesso na BGS 2018, o astro Charles Martinet, dublador do Mario, foi convidado a retornar à maior feira de games da América Latina. Durante os dias 9 e 13 de outubro os visitantes do Expo Center Norte poderão bater papo com Martinet, tirar fotos, pegar autógrafos e conferir uma divertida palestra. Além disso, o dublador também fará uma sessão de meet & greet gratuitas e será jurado no tradicional concurso cosplay.

“Além de um legado profissional incrível, Charles Martinet tem um carisma e simpatia contagiantes. Na BGS de 2018, nos surpreendeu pela disponibilidade para atender aos fãs, sempre sorrindo e, nitidamente, se divertindo com o entusiasmo dos brasileiros”, comentou Marcelo Tavares, CEO e fundador da Brasil Game Show. “Era um grande desejo da BGS que ele retornasse e será um prazer para a organização do evento tê-lo aqui novamente”.

Norte-americano, Charles Martinet se dedica à carreira de ator há mais de quatro décadas e ganhou projeção mundial com a dublagem de Mario. A relação do ator com o personagem vem desde o início da década de 90, quando, por indicação de um amigo, participou de um teste para interpretar o protagonista bigodudo da Nintendo em um sistema de animação ao vivo em que interagia com o público em tempo real. A voz de Martinet pode ser ouvida em mais de 100 jogos do Mario e também em outros títulos, como Skies of Arcadia, Shadow of Destiny, The Elder Scrolls V: Skyrim, Bit Trip Runner, Tiger Woods, PGA Golf e Senhor dos Anéis.

Durante a 11ª edição da Brasil Game Show, Martinet ressaltou sua paixão pelo Brasil e os momentos incríveis que estava vivendo na BGS. Nos próximos meses, a organização do evento ainda promete revelar diversas atrações, entre expositores, áreas de jogo, campeonatos, espaços temáticos e cerca de 20 convidados internacionais.

Abaixo você confere um vídeo do Charles Martinet para os futuros visitantes da BGS:

 

Serviço – Brasil Game Show 2019

Quando: 09 a 13 de outubro (1º dia exclusivo para imprensa e negócios)

Onde: Expo Center Norte

Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme, São Paulo/SP

Horário: 13h às 21h

Dazz divulga balanço da participação na BGS 2018 e expectativas de crescimento para 2018 e 2019

Após participar da 11 edição da Brasil Game Show, a Dazz, proeminente fabricante de periféricos para PCs voltados ao publico gamer, traz seu balanço final da feira, realizada entre os dias 10 a 14 de outubro. O resultado foi tao promissor que, de acordo com a empresa, o evento superou todas as expectativas de visitação, contatos e negócios.

Os resultados do evento aumentaram as projeções da companhia para 2018 e 2019. As expectativa é que com o lançamento de 30 produtos para este ano, a empresa deve fechar o ano com aumento de faturamento de 50%. Para 2019, as projeções são ainda mais otimistas: crescimento de 60%.

“Tivemos uma participação realmente marcante nesta edição da BGS. Além de nosso estande ficar em um local privilegiado, ao lado de grandes players como Nintendo, PlayStation e Xbox, contamos com 18 lançamentos para o mercado de games que fizeram bastante sucesso entre os visitantes”, enfatiza Antônio Nascimento, gerente de produtos da Dazz.

Só para o primeiro trimestre de 2019, a Dazz já planeja o lançamento de 40 novos itens, o que levará a marca a um total de 160 SKUs na linha de games. Para conquistar o consumidor, a Dazz irá manter a estratégia de oferecer produtos com tecnologia e design em harmonia com as mais atuais tendências de mercado.  Algumas das grandes novidades para o ano que vem serão a chegada de nobreaks para gamers e outros lançamentos que prometem surpreender o consumidor.

O estande da Dazz na BGS contou com diversas atrações, como campeonatos de games, sorteio de brindes; atividades de palco, área kids tematizada e a presença de Youtubers famosos. Além de proporcionar ao visitante uma experiência real com os principais lançamentos da marca, o estande ainda apresentou protótipos de futuros lançamentos.

Entre seus 18 lançamentos para a BGS 2018, a Dazz trouxe teclados, mouses, headsets, controles e cadeiras gamers. Abaixo você confere a galeria de fotos do estande da Dazz na Brasil Game Show 2018 . Você pode conferir todo o catálogo da empresa no site oficial.

Galeria de fotos da Dazz na BGS 2018:

Este slideshow necessita de JavaScript.

(Fotos por Victor Candido)

 

Logitech – Entrevistamos Ujesh Desai, VP da empresa, durante a BGS 2018

A Logitech, uma das maiores empresas no ramo de periféricos e acessórios, esteve presente na BGS 2018 com suas duas marcas voltadas para o público gamer, a Logitech G e a Astro em um estande impecável. E para essa edição a empresa trouxe não somente produtos, mas também a esperada final de seu campeonato de eSport, o Logitech G Challenge.

O torneio serviu para atrair uma legião de fãs de eSports para dentro do estande da gigante da informática. Aproveitamos alguns momentos para um breve bate papo com o pessoal da Logitech e, principalmente, Ujesh Desai, VP da Logitech G, conseguimos notar que os planos da Logitech é continuar trabalhando lado a lado com o público gamer e expandir ainda mais o crescente cenário dos eSports.

Veja abaixo um pouco da conversa que tivemos com o pessoal da Logitech:

 

  1. Quais os lançamentos da Logitech para a BGS 2018?
Ujesh deasi, VP da Logitech

Trouxemos alguns de nossos produtos mais bem conceituados, tanto da Logitech G, quanto da Astro, mas trouxemos também alguns produtos novos, como mouses, teclados e headsets.

Temos também uma grande novidade! Em parceria com a EA e a marca Battlefield, desenvolvemos um set especial, teclado, mouse e headset de edição limitada Battlefield V que serão distribuídos como prêmios para os participantes da G Challenge.

 

  1. Observamos que a empresa lançou recentemente o mouse gamer G305 recentemente, como tem sido a recepção da comunidade?Nós temos uma ótima recepção de nossos produtos vindo do público latino americano e, principalmente, o Brasileiro. O público gamer está a par do trabalho da Logitech G e tem se mostrado cada vez mais interessada em nossos produtos e marcas (Falando sobre a Astro).

 

  1. Há planos de lançar o acessório exclusivo para o público brasileiro?

Pode se dizer que sim, mas tudo depende sempre da receptividade do público e de como reagem aos produtos e lançamentos da marca. A nossa ideia é sempre investir nos jogadores, por exemplo, trouxemos esse ano alguns teclados mecânicos, pois percebemos a receptividade relacionada a esse tipo de produto, pela qualidade, conforto e melhor experiência que proporciona para os jogadores.

Caso tenham alguma ideia de produto (acessórios e afins) específico, podem entrar em contato! Estamos sempre à disposição e esperamos o contato dos jogadores.

  1. Após as finais da Logitech G Challenge, vocês continuarão a promover mais torneios de eSports?Sim, a ideia é continuar espalhando a cultura do eSport, populariza-lo ainda mais. A Logitech continuará com os torneios, direta e indiretamente.

 

  1. Alguma chance de vermos a fabricante investindo em um torneio exclusivamente brasileiro nos moldes do G Challenge?

A resposta é não, não vemos a necessidade de criação de torneios ‘regionais’ exclusivos para evitar algum tipo de restrição, nosso compromisso é com a ‘universalização’ dos eSports, com torneios internacionais e que possam ser aproveitados por todos. Nosso compromisso está focado na expansão dos eSports, tanto para times grandes, como os pequenos, e também para os jogadores não competidores.

Essa expansão pode tornar os eSports e produtos da categoria mais acessíveis aos grande público, assim haverá um empoderamento do público gamer.

  1. Atualmente muitas empresas ligadas à tecnologia investem em times de eSports. A Logitech tem se mostrado parceira importante de equipes como a INTZ há muito tempo. Mas sempre nos perguntam se há qualquer plano futuro de montar um time com a marca da empresa e competir com outras equipes?

Não. A Logitech tem um perfil diferente que visa o patrocínio e parceria com os times e equipes, assim permite que os mesmos possam ter sua própria liberdade. Além disso, a empresa visa a expansão dos eSports pelo mundo, criar um time próprio poderia tirar esse o foco da ideologia que propomos. A ideia é expandir e não restringir.

Texto por Fernando Paixão

BGS 2018 – Resident Evil 2 rouba o show e se mostra um prato cheio para fãs de terror

Um dos jogos mais esperados na Brasil Game Show foi Resident Evil 2 da Capcom, um remake muito esperado e que já deu mostras de revitalizar a série na próxima temporada. O título estava com demo jogável no evento paulista e o GameReporter teve a chance de testá-lo durante uma fase e trouxemos agora as nossas impressões.

A primeira coisa que você precisa saber: esqueça todas as horas de jogo que você teve no PS1 e no Nintendo 64, elas não valerão de nada! O game está bem diferente do original e muito mais difícil. A Capcom está fazendo questão de mudar praticamente tudo que você conhece em prol de um desafio maior. Então, não importa quantas vezes você já zerou o Resident Evil 2 original, aqui a experiência é bem diferente.

Desde o visual realista dos corredores e salas até o modo como a câmera, a impressão que você tem é de que Resident Evil 2 está totalmente revigorado. O sentimento é tão intenso que dificilmente você vai reconhecer este jogo, mesmo que tenha passado centenas de horas no PS1. Mas não se deixe enganar: muito da essência do original permanece inalterada. Leon e Claire estão ali, bem como a delegacia e os temíveis zumbis.

São duas demos distintas que servem para mostrar como será o gameplay, uma com Leon e outra com a Claire. Ambas as demos mostram toda a capacidade que o jogo possui em levar o jogador para atmosferas arrepiantes e atestam que os puzzles estão mais complexos e os inimigos estão mais brutais. A ambientação de  Resident Evil 2 é aterrorizante e as mecânicas são bem funcionais, apesar de achar a mira um pouco leve demais.

A primeira demo que testamos é a de Leon, que é a mais conhecida. Basicamente você deve ajudar Marvin o policial em estado grave. Para isso, você deve resolver o puzzle da estátua realizando três combinações em estátuas espalhadas pelo cenário. O objetivo é chegar nos andares inferiores. Já a segunda demo é com Clare Redfield, na demonstração você deve enfrentar William Birkin em sua primeira forma.

O título chega ao mercado em janeiro do próximo ano, e ao que tudo indica parece ser uma compra certa. Se você curtiu o remake do primeiro jogo, já deve ter uma ideia do que esperar aqui, certo?

Abaixo tem um trailer de Resident Evil 2:

Texto por Victor Cândido

Devil May Cry 5: Será que a Capcom respeitou o legado da série?

Devil May Cry sempre foi uma franquia respeitada, sendo considerada uma das mais importantes do portfólio da Capcom. O 4º capítulo da franquia tem cerca de 10 anos desde seu lançamento. Uma entrega respeitável (não memorável), que fazia jus à marca nascida no PS2. Quando a Capcom anunciou o novo game para a nova geração, durante a E3 2018, muita gente imaginou se não era apenas mais um caça-níqueis. Após alguns meses, podemos colocar o jogo à prova.

Por mais que a fã base de Devil May Cry não seja lá tão fã do último reboot, é inegável que a Capcom utilizou muitos dos conceitos do quarto episódio para a produção do quinto capítulo. O título está presente na Brasil Game Show para que os fãs de Dante confiram a nova entrada da série. O GameReporter teve a oportunidade de testar o título e neste texto você confere nossas impressões.

Em Devil May Cry 5 acompanhamos Nero, um personagem bem mais ágil do que sua encarnação do quarto jogo. Os jogadores terão uma sensação de familiaridade bastante forte neste capítulo, pois a Capcom parece ter reciclado muito do jogo anterior. Até mesmo a câmera se comporta de forma similar a vista no reboot e os combates possuem comportamentos similares. Fica a sensação de que faltou inspiração.

O visual da demo da BGS 2018 está bem trabalhada e possui uma fluidez digna de um hack’n slash. Além disso, o jogo conta com um sistema chamado Devil Breaker, que permite que o personagem central utilize poderes especiais com o braço direito de Nero. A ideia basicamente é destroçar os inimigos com poucos comandos.

É possível trocar de braço ao longo da jogatina, basta encontrar outro braço durante o percurso. E cada braço possui funções diferentes, deixando o combate diversificado. A ideia é tornar os combates mais dinâmicos, menos repetitivos e viscerais.

Importante: durante o gameplay não encontramos uma forma de travar a mira em algum inimigo, sem a necessidade de soltar o botão RB (Xbox One). Tudo leva a crer que o jogo realmente não usufrua de um lock-on ilimitado, deixando-o limitado para execuções de golpes específicos apenas.

Resumindo, Devil May Cry 5 é um jogo que promete ser bom, ainda que não pareça surpreendente o bastante para ser apontado como nova geração. Contudo, há um bom tempo que não vimos a franquia retornar e bate aquele sentimento nostálgico de ver algo retornar do além túmulo. O melhor? Não é um remaster.

Texto por Victor Cândido

Abaixo tem um trailer de Devil May Cry 5:

 

BGS 2018 – Veja porquê você deve conferir a demo de Kingdom Hearts 3

Um dos jogos mais aguardados da última década é Kingdom Hearts 3. A franquia da Square-Enix foi uma das que mais cativaram a comunidade na era 128 bits e o segundo jogo (também para PS2) melhorou muito a fórmula de RPG de ação. Não por acaso, a terceira entrada da franquia parecia tão certa quanto qualquer novo Final Fantasy, entretanto, Tetsuya Nomura deixou o projeto de lado para se dedicar a spin-offs e em Final Fantasy. Eis o momento de ver como será a terceira entrega da franquia.

A demo possui duas fases, uma no universo de Toy Story e outra no universo de Hércules. A primeira você deve liderar Woody e sua turma até a loja de brinquedos e lá você combater heartless-robôs utilizando um robô. O trajeto é repleto de muita ação onde logo se percebe que as mecânicas de combate foram reaproveitadas e melhoradas. O jogo apela bastante para a nostalgia de quem cresceu jogando os dois primeiros games.

A boa notícia: câmera (inimiga de muita gente), agora não é tão atrapalhada nos momentos de hordas de inimigos. Isso ocorre porque o Lock -on não fica doido quando se está enfrentando muita gente. Por falar nisso, a quantidade de inimigos é bem grande e já torcemos para ver uma nova “luta contra mil”, de Kingdom Hearts 2.

A parte negativa é que o velho menu de selecionar magias e itens contínua com a necessidade de interromper as ações para que sejam feitas as utilizações destes elementos através dos direcionais e isso acaba atrapalhando a ação. Parece que a Square-Enix não quis mexer demais na estrutura de jogo, ainda que atualmente existam soluções mais eficazes.

A segunda fase baseada em Hércules você enfrenta um grande boss de pedra. Lembra do Titã de pedra? Pois bem, aqui temos uma ótima homenagem à cena clássica do filme. O combate é cheio de tensão devido a altura do inimigo e você usufrui de diversas habilidades para enfrentá-lo. O destaque maior sem dúvidas é a montanha-russa.

O visual dos dois cenários são verdadeiros colírios para os olhos, cheios de cor e com muitos efeitos visuais. E não é por menos: a  Square-Enix está utilizando a Unreal Engine 4 na produção. Espere ambientes e visuais tão embasbacantes quanto o ótimo Final Fantasy XV, com uma melhor fluidez.

A demo de Kingdom Hearts 3 apresentada na BGS é a mesmíssima apresentada em outros eventos, como E3 e Tokyo Game Show. Então não chegam a ser algo realmente inédito, porém ela servirá bem para mostrar aos fãs brasileiros que o jogo finalmente sairá do limbo criativo.

Quanto ao enredo, nada! A demo de Kingdom Hearts 3 esconde eficientemente qualquer coisa relacionada à história. A estratégia é evitar spoilers, ao mesmo tempo que deixa o trem do hype seguir seu caminho. Somente o tempo dirá se a combinação desta boa jogabilidade será com uma excelente história, espero que sim.

Se você estiver na BGS 2018, não deixe de conferir essa belíssima demo. Mais informações sobre a BGS aqui.

Texto: Victor Cândido

Abaixo tem um trailer de Kingdom Hearts 3: