Arquivo da categoria: Indie

V de Vinagre: sucesso em 2013 ganha nova versão com gráficos 2,5 D

Quem não se lembra do game “V de Vinagre”, sucesso em 2013 por satirizar a ação da Polícia Militar durante as manifestações que abalaram o país? O jogo da Flux Game Studio ganhou notoriedade por seu humor ácido e pela crítica social que fazia da situação – próprio título era uma referência aos jornalistas que foram detidos por trazer vinagres em suas mochilas. Pois bem, a Flux Game lançou a segunda versão do game, desta vez para aproveitar a nova onda de manifestações que ocorreram na cidade de São Paulo após o aumento das tarifas de ônibus.

A nova versão do game segue a mesma dinâmica da anterior: a polícia está perseguindo o jogador e quer descer o cacete nele porque ele está se manifestando pacificamente. Vale destacar que houve excesso por parte de alguns policiais nas manifestações, ainda que seja notório que houve a participação de alguns vândalos durante as manifestações.

“Entendemos que há um problema crônico com a abordagem da Polícia Militar do Estado de São Paulo em eventos majoritariamente pacíficos. Quando ocorreu a pancadaria no último dia nove de janeiro, vimos que o tema pode, e deve, ser idêntico – a truculência e exageros da PM não mudaram, então o vilão do V de Vinagre também se mantém”, explica Paulo Luís Santos, diretor da Flux Game Studio, desenvolvedora do jogo.

A primeira versão do game foi desenvolvida às pressas para aproveitar a pauta do momento. Desta vez, a Flux garante que houve um trabalho maior para garantir que o game seja mais refinado: os gráficos são em “2,5D”; as animações são mais fluídas; o game está maior (10 fases). Além dessas novidades, o título possui um sistema de customização de personagens, podendo misturar cabeças, torso e pernas de diversas personalidades desenhadas de forma caricata.

Há também itens coletáveis que desbloqueiam notícias bizarras sobre absurdos que acontecem no Brasil, em geral, sobre corrupção, mal uso de verba pública, ou fatos escabrosos. O que sofreu poucas mudanças foi a jogabilidade: manteve-se o estilo runner com comandos de pular e deslizar. Há objetos interativos nas fases que servem para derrotar os policiais e ganhar mais pontos.

O personagem principal é o mesmo – o manifestante com a máscara de Guy Fawkes. No entanto, conforme coleta vinagres, o jogador pode liberar novos personagens, que são sátiras de pessoas que vão desde jogadores de futebol até celebridades.

“Estamos vivendo um momento muito parecido com aquele junho de 2013, com a truculência diante das manifestações, mas a situação atual é ainda mais complicada: indignação com políticas públicas, cenário político conturbado, falta água e luz em São Paulo todos os dias. A coisa está feia! O V de Vinagre é um game calcado neste tipo de problema, então acredito que esta situação, por mais lamentável que seja, acaba potencializando o lançamento do novo V.”, afirma Santos.

O game foi lançado em janeiro somente para Android. De acordo com a produtora, há planos de levá-lo até outras plataformas se o desempenho for bom. A previsão é que em algum momento a Flux lance versões para iOS e Windows Phone.

Jogo da Bunda é lançado no Splitplay e terá torneio na Campus Party

O Jogo da Bunda é o destaque da vez. Não é piada! É assim que o novo título da desenvolvedora indie Big Green Pillow está sendo conhecido pelos jogadores. O nome oficial é Porcunipine e trata-se de um battle arena que coloca porcos-espinhos para se enfrentar com um único espinho cada. O game é bastante dinâmico e oferece três modos de jogo em nove arenas temáticas.

Entre os destaques estão: os seis personagens jogáveis; bots difíceis com habilidades sobre-humanas; tem suporte para controles Xbox (outros controles também) e trilha sonora feita pelo artista sueco Goto80.

Porcunipine está sendo lançado no Splitplay e até receberá destaque durante a Campus Party, graças a um campeonato que será realizado dentro do evento. Há suporte para até quatro jogadores simultâneos. O jogo é brasileiro e ganhou repercussão mundial após o famoso Youtuber Pew Die Pie lançar um vídeo de avaliação da obra com sua namorada. A partir da avaliação de Pew, o game ficou conhecido como “o jogo da bunda”, pois um dos personagens fica com as nádegas à mostra durante os embates.

Durante o torneio na Campus Party 2015, os jogadores concorrerão a diferentes brindes e bolsas de estudo para os vencedores. Quem não puder comparecer, pode acompanhar a competição de maneira remota pelo Twitch TV do Splitplay e Labindie que aconteceu nos dias 5 e  6 de fevereiro. Vale destacar que no dia 07 haverá uma entrevista de lançamento do Porcunipine com os criadores do projeto no Splitplay.

Pew Die Pie e o Jogo da Bunda

Legacy of Horus: game de RPG e aventura reconta lendas do Egito Antigo

O destaque da vez é o game Legacy of Horus do desenvolvedor indie Carlos Júnior. O game era conhecido pelos jogadores como Projeto Hórus e chamou a atenção por sua ambição e trama envolvente.

No game você controla um garoto de nome Yey que sai em uma missão no antigo Egito a fim de ganhar forças e habilidades que servirão para impedir as forças terríveis  do soberano Persa Seth, que escravizou e dominou as terras do Egito. O game é de estilo aventura com elementos de RPG com um mundo aberto. De acordo com os desenvolvedores, ele tem influências fortes da franquia Legend of Zelda.

Toda a aventura é pontuada por diversos puzzles e descobertas que ajudam a desvendar mistérios do Egito antigo. A trama é bastante densa e envolvente, de modo que ocupa bastante tempo do jogador até chegar ao seu final.

Legacy of Horus está em fase de produção e necessita de apoio da comunidade para ser concluído, de acordo com o desenvolvedor. Mais informações no site do game.

Trailer oficial de Legacy of Horus:


Desenho animado brasileiro Carrapatos e Catapultas ganhará versão em game

O desenho animado brasileiro Carrapatos e Catapultas têm feito relativo sucesso entre as crianças que assistem a TV Brasil, TV Cultura e a Cartoon Network. Não é segredo que há um game sendo desenvolvido pelo estúdio Cuca Games que é inspirado na animação. Pois bem, o estúdio  Cuca Games lançou oficialmente a página oficial do jogo no Facebook a fim de manter os fãs atualizados a cerca da obra.

De acordo com o estúdio, o game deve ser lançado oficialmente em fevereiro próximo. O que se sabe do jogo até o momento é que o jogador toma o controle de Bum e deve salvar o planeta Vaca que está em perigo iminente graças a uma invasão. Mais nada foi dito sobre como funciona o gameplay ou o enredo.

Ainda não foram anunciadas as plataformas em que o game será lançado. Porém espera-se que tenha versão para Android. Carrapatos e Catapultas será o segundo game do estúdio, que anteriormente lançou um jogo chamado Snail para Android. Este game não chegou a ficar muito conhecido, mas contava com um estilo artístico bastante arrojado.

A Cuca Games ainda não disponibilizou um vídeo gameplay, porém as novidades acerca do título devem surgir em breve. Conforme as notícias surgirem, a desenvolvedora manterá os fãs avisados através da página no Facebook.

Carrapatos e Catapultas

Ludic Side lança Candy World Quest para mobile e web

A Ludic Side Game Studio, de Belo Horizonte, MG, acaba de lançar seu mais novo game social, prometendo uma experiência diferente do habitual. Candy World Quest é um game de puzzle que lembra algo de Angry Birds. A tarefa do jogador é mirar em alvos específicos com uma rosquinha. A graça é treinar a pontaria enquanto destrava novos níveis e doces.

O jogo é dos mesmos criadores de Hotel Panic e Freeze the Way, ou seja, pode esperar bastante desafio. Felizmente existem alguns power ups especiais que facilitam a vida do jogador nas fases mais complicadas. São cerca de 50 fases desafiadoras e o game ainda possui integração com o Facebook, de modo que pode-se desafiar os amigos em competições rankeadas.

Candy World Quest está disponível gratuitamente para iOS, Android e Web. O jogo é indicado para fãs de jogos casuais e que gostam de games bastante coloridos e desafiadores. A trilha sonora é alegre e até um pouco infantil. Há suporte para os idiomas Inglês, espanhol, português, italiano, francês e alemão.

Trailer do game Candy World Quest:

Global Game Jam ocorre entre 23 a 25 de janeiro na Unicamp

Quem esperava o evento Global Game Jam já pode ir se preparando: nos próximos dias 23 a 25 de janeiro a Unicamp será uma das sedes da maior game jam do planeta. Quem já participou e acompanha, sabe que o evento é uma mega maratona de desenvolvedores indie para a criação de jogos em pouco tempo. A organização internacional está por conta da Global Game Jam Inc, empresa sediada na Califórnia, EUA.

Confira a lista completa das sedes brasileiras da Global Game Jam.

Como de praxe, os desenvolvedores terão o prazo de 48 horas para desenvolver um game completo que siga o tema proposto pela organização. Toda a comissão de organização na Unicamp é formada por membros do Gamux – uma instituição estudantil organizada na forma de uma escola interna de desenvolvimento de jogos; que visa oferecer aos estudantes da Unicamp a oportunidade de participar do processo de produção dos mesmos.

De acordo com a organização o cronograma inicia com os estudantes se reunindo na sexta-feira à tarde para assistir um breve vídeo que contém dicas e conselhos para a maratona que vêm pela frente. Em seguida o tema é anunciado. A previsão é de reunir cerca de 100 estudantes, que poderão utilizar as salas de desenvolvimento e as salas de descanso preparadas para quem vêm de fora da cidade.

Para ter ideia da grandiosidade do evento, em 2012 cerca de 50 países participaram do evento com 242 sedes e no período do evento foram criados cerca de 2000 jogos (um recorde mundial). Muito além de criar jogos, o Global Game Jam acaba contribuindo para formar novos contatos profissionais, desafiar os desenvolvedores intelectualmente, explorar novas tecnologias. O espírito não é de competição, mas sim de colaboração.

O evento ocorre dentro da FEEC (Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação) dentro da Unicamp, nas salas FE11, FE12, FE21, FE22, FE23, tendo início às 16, com a liberação do tema pela organização internacional do evento às 17h. Para participar, basta fazer a inscrição no site da Gamux.

Confira a lista completa das sedes brasileiras da Global Game Jam.

Phoenix Force 2 terá crossover com personagens de games brasileiros

Crossovers é uma ideia bem utilizada em jogos estrangeiros, mas no Brasil isso ainda é uma coisa incomum, principalmente se forem personagens de jogos brasileiros. O time do estúdio Awoker Games juntou forças com a Splitplay (primeira loja de games indie brasileiros) para reunir diversos personagens de jogos nacionais para o Phoenix Force 2. Os personagens cedidos são Aritana por Duaik; Balloon por Odig Games; Mr.Bree por TawStudio; Porcunipine por Big Green Pillow; Odallus por Joymasher; Tormenta por Trio Tormenta; Gryphon Knight Epic por Cyber Rhino Games; Project Tilt por BitCake e Capitain Split por Splitplay.

A intenção é levantar a campanha que está rolando no Catarse para os levantamentos de fundos de Phoenix Force 2. A ideia surgiu após uma conversa entre Rodrigo Coelho, CEO da Splitplay e Sérgio Alonso, desenvolvedor da Awoker. Como a ideia foi abraçada pelos envolvidos no game e pelos outros estúdios, em breve teremos um game que conta com muitos dos ícones de jogos nacionais, algo inédito no Brasil.

“Fico muito orgulhoso do Splitplay participar dessa união fantástica de personagens brasileiros, acho isso um evento histórico que nunca foi feito antes nessa escala. São todos personagens de grandes jogos que merecem ser jogados, tenho certeza que essa junção vai ajudar a todos, isso que está acontecendo é simplesmente muito divertido!”, disse Rodrigo Coelho, CEO do Splitplay.

Para quem não conhece, Phoenix force é um shoot ´em up sobre um grupo de fênix que enfrentam grandes e poderosos seres mitológicos. Todos os níveis finalizam como os jogos de nave clássicos, ou seja, um embate com um chefão, criando batalhas desafiadoras e rápidas que precisam dos seus melhores reflexos e estratégia do jogador.

Gostou? Colabore com o Phoenix Force 2 no Catarse.

Phoenix Force 2

Avodzman Entertainment lança Royal Gardens para Android

O game de hoje é da produtora independente Avodzman Entertainment, e trata-se de um endless casual para plataformas Android chamado Royal Gardens. No título, o jogador encarna um cavaleiro medieval que acaba de escapar de uma prisão e antes de declarar-se livre precisa fugir em disparada desviando de obstáculos e armadilhas que rodeiam o castelo.

O jogo tem mecânica 2D e tem nuances de ação/arcade, lembrando bastante jogos clássicos da era 16 bits. O fator desafio está em atingir os níveis mais altos de pontuação e exibir para os amigos quebrarem seu recorde.

A jogabilidade é bastante simples: basta desviar das flechas disparadas pelos soldados no castelo. O problema é que são muitas flechas a serem evitadas ao mesmo tempo, de modo que em dado momento o jogador pode acabar se atrapalhando. Reflexos rápidos e um pouco de sorte são fundamentais para conseguir manter-se vivo.

São muitos inimigos que estão na captura do pobre cavaleiro, além disso, há uma densa floresta que impede o caminho. O desafio aumenta conforme nosso herói permanece vivo na arena. Os guardas do castelo não deixarão isso ser um passeio fácil. Felizmente há formas de evitar a derrota, como um escudo que pode ser coletado, por exemplo.

Royal Gardens já teve seu lançamento na Google Play. Os jogadores podem acessar o game pelo preço de R$ 2,67.

O trailer de Royal Gardens pode ser visto abaixo:

Já estão abertas as inscrições para o BIG Festival 2015

E já estão abertas as inscrições para o Brazil’s Independent Games Festival – o BIG Festival 2015, primeiro e único evento de games da América Latina que celebra os jogos independentes. A terceira edição ocorrerá entre os dias 1 e 10 de maio no Centro Cultural e os desenvolvedores podem submeter seus jogos para participar do evento.

As inscrições podem ser feitas até o dia 20 de março através do site do evento. Não importa qual a plataforma do seu game, basta submetê-lo à análise da organização do evento. As estimativas são de que os vencedores recebem cerca de R$ 50 mil em prêmios, sendo que aspectos visuais, sonoros, narrativos, gameplay e inovação são levados em consideração para a seleção dos títulos expostos.

Desenvolvedores de fora do Brasil também podem se inscrever, e, caso o game seja escolhido para participar do evento, ganham a viagem para São Paulo. Como é de praxe, os jogos finalistas ficam disponíveis para os visitantes testarem (alguns também ficam online). Outra novidade é que a edição deste ano terá uma seção especial voltada aos jogos educacionais e de aprendizado.

Mais informações no site do evento.

Urban Legends: game indie explora o conto de Jeff the Killer para assustar os jogadores

Quem não conhece as famosas creepypastas que assolam a internet e geram diversas lendas urbanas que acabam assustando muita gente? Uma das mais famosas é a do assassino em série Jeff the Killer. Para quem não conhece, a história é de um garoto que acaba deformado e com gosto por assassinatos violentos na calada da noite.

Pensando nessa lenda tão famosa, o time do estúdio indie Machine Bear criou o game Urban Legends. Na trama, o jogador controla o jornalista PJ que se encontra em um hospital abandonado e deve investigá-lo em buscas de pistas de seu próprio passado. O ambiente é todo escuro e aterrorizante e, para piorar a situação, surge o assassino Jeff the Killer em seu encalço.

O game é em primeira pessoa e lembra bastante o famoso Slender: The Eight Pages (que também é inspirado em uma creepypasta muito conhecida). De acordo com a desenvolvedora, o game guarda muitos sustos e momentos típicos de survival horror psicológico. A única defesa do jogador é se esconder.

O game desafia o jogador a resolver um intrincado mistério envolvendo algumas cartas semelhantes ao tarô. No aspecto gráfico, o game segue uma linha mais simples de arte, entretanto os cxenários exploram os efeitos de luz e sombra. Deste modo, os sustos são uma constante. Há sons macabros dos corredores e risadas perturbadoras.

O game é para PC e passou pelo Greenlight da Steam. A desenvolvedora promete suporte para os idiomas Português (Br), Inglês, Francês, Espanhol, Norueguês,Alemão,Romeno. A demo será lançada em breve e o game está em estágio de correção de erros. A previsão é de um lançamento breve dentro da plataforma da Valve.

Veja o trailer do game Urban Legends: