Todos os posts de Luiz Silva

Luiz Silva, jornalista de games formado pela Universidade Paulista. Já escreveu para as revistas da Tambor Digital (EGW, Gameworld), para o site Player 2 entre outras coisas. "Sou um entusiasta por videogames, apesar de jovem já tive até um Atari, minha série favorita é Silent Hill".

Líder indígena Kaka Werá fala sobre a concepção do game Karena na ESPM Soul

Se você é apaixonado pela cultura brasileira e gosta de vê-la representada em jogos eletrônicos, fique atento na programação da escola ESPM SP, pois a instituição está promovendo uma roda de discussões e palestras sobre este rico universo. A novidade da vez é que o líder indígena Kaka Werá participa do evento para contar os detalhes da lenda Tupi, que serviu de inspiração para o game Kerena.

Kaka Werá Jecupé é presidente do Instituto Arapongy e teve participação chave para a criação do jogo Kerena. Durante a palestra, o líder indígena falará sobre as lendas e mitos dos indídios que serviram de inspiração para o game. Além de Werá, a mesa de debate sobre o título conta com Saron e Sawara S. S., do Instituto Arapongy, professora do curso de Cinema e Audiovisual, Adriana Sá Moreira, e Vince Vader, professor e pesquisador da ESPM na área de games.

De acordo com a organização, neste ano, serão 161 atividades, que reunirão mais de 280 palestrantes, entre professores da instituição, especialistas e profissionais do mercado. As discussões sobre o universo dos games terão destaque. O ESPM Soul promove entre os dias 12 e 13 uma maratona de atividades do universos dos games, dos negócios, artísticas e culturais gratuita e aberta ao público.

Serviço: ESPM Soul – edição 2019

Debate Game Kerena: Uma Modelagem da Lenda Tupi Guarani – 13/11 – das 14 às 16 horas – Ludoteca, prédio da Biblioteca, 2º andar.

Endereço: Rua Dr. Álvaro Alvim, 123, Vila Mariana

Para conhecer toda a programação do ESPM Soul acesse o site da instituição.

 

Purposyum, Challengers of Justice –  jogo da ONU será lançado na “São Paulo Play Week”

Um dos games que mais devem chamar as atenções durante o evento São Paulo Play Week, a ocorrer em 28/11/2019, é o Purposyum, Challengers of Justice, um game criado pelos alunos da ETEC Parque da Juventude com a mediação de pesquisadores do grupo de pesquisa Cidade do Conhecimento da USP. Trata-se de um jogo de cartas que coloca os jogadores em um ambiente colaborativo. A ideia é que os jogadores se unam para defender o sistema solar.

Purposyum, Challengers of Justice foi selecionado pela Organização das Nações Unidas para Drogas e Crime (UNODC) em parceria com a UNESCO entre os dez jogos da campanha “Educação para a Justiça”. O motivo para isso é que o game tem um viés social bastante social e impactante. No jogo há uma disputa colaborativa entre planetas que podem se unir para propor soluções que superem os “Desafios da Justiça” e assim evitar a destruição do sistema solar. As soluções propostas são avaliadas pelos jogadores. O macete é que se não houver a resolução de um mínimo de desafios, todos perdem.

Durante a partida, vão surgindo algumas questões como “Salvar a todos ou salvar a mim mesmo?” e “O meu planeta é mais importante que os outros?” que ajudam os participantes a refletir e trabalhar noções e problemas atuais como xenofobia, discursos de ódio, homofobia e porte ilegal de armas.

A ideia do projeto Purposyum, Challengers of Justice ganhou maturidade após Gilson Schwartz, coordenador do grupo “Cidade do Conhecimento” na USP e diretor para América Latina da rede “Games for Change”, convidar alunos da ETEC Parque da Juventude para participar ao longo de 2018 do desenvolvimento do projeto a fim de participar do concurso da ONU, que pedia jogos não-digitais que promovessem a consciência crítica sobre direitos humanos, racismo, porte de armas, guerras, violência de gênero, corrupção, crimes ambientais e respeito às leis.

A participação no São Paulo Play Week serve ao propósito de abrir o projeto à participação de escolas de todo o Brasil, criando cartas com “ícones da justiça” próprias ou até novos jogos que fortaleçam a campanha mundial de “Educação para a Justiça”. De acordo com Schwartz, o evento na USP será uma oportunidade para mobilizar a participação e também para ampliar as fontes de patrocínio e investimento no projeto, por meio de “criptomoedas criativas” (moedas digitais).

“Por meio desse estímulo, veremos que é possível aprender, brincando, sobre justiça, igualdade, diversidade, paz e reconhecimento, estado de direito e tolerância “, disse Gilson Schwartz, coordenador do projeto.

Fotos: Reprodução/TV Globo

Sobre o São Paulo Play Week

O São Paulo Play Week 2019 tem como tema a “Acessibilidade, Diversidade e Justiça” e será realizada em São Paulo, entre os dias 28 de novembro e 8 de dezembro. O evento é conhecido como  o maior evento brasileiro voltado à criação de games, jogos e brinquedos de impactos social e pessoal transformadores, de modo que ele é organizado pela rede mundial “Games for Change” na América Latina em parceria com a ETEC Parque da Juventude e coordenação do grupo de pesquisa “Cidade do Conhecimento” da Universidade de São Paulo (USP). Para saber mais, acesse o site do evento.

Players Part – evento em SP reunirá fãs da cultura geek no Seu Bezerra Bar

Mais um evento voltado à comunidade gamer promete esquentar o final de semana dos paulistanos! O espaço Seu Bezerra, localizado no bairro da Vila Madalena, vai sediar o evento Players Party, uma festa com temática geek incluindo decoração, jogatina, comidas míticas, filmes, RPG de mesa e free play.

De acordo com a organização do evento, os visitantes podem esperar por partidas de Dungeons e Dragon (D&D), WAR e outros jogos de tabuleiro disponíveis para competição. Além disso, os jogos eletrônicos estarão bem representados com o clássico Guitar Hero (no controle), Mario Kart e o atemporal King of Fighters 97 da SNK.

Outro detalhe do Players Party é que os visitantes podem ajudar a selecionar as músicas que irão embalar o evento. Para isso, basta colocar no mural do evento o som que não pode faltar em nenhuma masmorra, party, ou caçada. Os DJs contratados da festa irão garantir que a The Bard’s Song seja tocada.

Serviço – Players Party 2019

Onde: Seu Bezerra Bar – Rua Aspicuelta, 713, Alto de Pinheiros

Quando: 10/11/2019

Quanto: R$ 15 com nome na lista / R$ 20 na porta

Mais informações: bit.ly/PLAYERS10

Abragames divulga detalhes das Bolsas da Diversidade para a GDC 2020

Já imaginou participar da Game Developers Conference 2020 (GDC), um dos maiores eventos da indústria de jogos digitais da atualidade? Pois é justamente essa a oportunidade que a Abragames, em parceria com a federação Latino-Americana de desenvolvedores de Jogos de Vídeo, irá oferecer através de 10 bolsas scholarships. A ideia é conceder oportunidades aos indivíduos menos representados da indústria.

As inscrições serão abertas em 25 de novembro e devem ser validadas de acordo com os padrões internacionais exigidos pelo programa de Scholarships da GDC e receberá pontuação de acordo com determinados critérios (explicado abaixo). Os scholarships serão distribuídos para os 10 candidatos com maior pontuação e em caso de empate, o contemplado será decidido via sorteio.

Sua inscrição será validada de acordo com os padrões internacionais exigidos pelo programa de Scholarships da Game Developers Conference e receberão pontuação de acordo com a pontuação recebida que é definida em tabela. Os scholarships serão distribuídos para os 10 candidatos com maior pontuação e em caso de empate, o contemplado será decidido via sorteio.

Fatores que serão considerados para a validação:

– Diversidade racial;
– Diversidade de gênero;
– O candidato DEVE ter condições de custear a viagem (Passagem aérea, hospedagem e custos adicionais não estão incluídos no scholarship);
– Tempo de indústria (serão priorizados iniciantes);
– Quantas vezes você já visitou a GDC? (serão priorizados novos participantes).

O scholarship inclui:

Uma credencial “GDC Core + Summits” (valor US$ 2.199). Confira tudo o que essa credencial dá acesso na tabela abaixo ou no link:

Prazo de inscrição:

25 de novembro às 23h59, horário de Brasília
Resultado preliminar dos contemplados:
05 de dezembro

Exigências:

– Ter mais de 18 anos
– Confirmação de que o/a candidato/a pode cobrir os custos e procedimentos da viagem (estadia, visto, passagem aérea, transporte, alimentação, etc.)
– Ser residente, a pelo menos 2 anos, no BRASIL
– Explicar o impacto que o scholarship terá, se obtido (esta pergunta também será pontuada)
– Não ter sido contemplado/a com o Scholarship da Federação Latino-Americana de Desenvolvedores de Jogos de Vídeo, Latam VGF em 2019 (se você ganhou o scholarship, mas não o utilizou – cedendo o espaço para outra pessoa – você está apto/a a aplicar novamente).

IMPORTANTE:

– O bolsista deverá enviar a confirmação de ter passaporte e visto americano válido ou então confirmar a entrada nos processos para retirada desses documentos até dia 15 de dezembro, caso contrário a Associação poderá transferir o scholarship.
– O scholarship da GDC NÃO pode ser vendido ou transferido.

Mostra de jogos, Game Jam e  palestra são as atividades do  BIG Mix Diversity 2019

Após a ótima repercussão da iniciativa BIG Mix Diversity, realizado no ano passado, está mais do que confirmada a segunda edição do evento que traz games inovadores. Sim, o Festival Mix Brasil de Cultura recebe pelo segundo ano consecutivo o programa, que tem apoio do Conselho da Diversidade da Abragames, Games [4Diversity] da Holanda, dos Países Baixos, do Goethe-Institut São Paulo, da Women Game Jam e da Game Jam +. Nesta edição, os 4 jogos finalistas da categoria BIG Diversity do BIG Festival 2019 serão expostos no Centro Cultural São Paulo, de 14 a 20 de Novembro.

Os seguintes projetos já estão certos de aparecer na mostra “Huni Kuin: Yube Baitana” (Bobware/Beya Xinã Bena) e “Spikes on High Heels” (Amand.APPs), ambos representando o Brasil. Já os finalistas internacionais são “after HOURS” (Bahiyya Khan, Claire Meekel, Tim Flusk and Abi Meekel), da África do Sul e “She Dreams Elsewhere” (Studio Zevere), dos Estados Unidos.

Os jogos do BIG Diversity estão concorrendo ao Coelho de Ouro, tradicional premiação do Mix Brasil na categoria voto popular. O público poderá escolher seu jogo favorito até dia 19 de novembro. O vencedor será anunciado na cerimônia de Premiação do Festival que ocorre dia 20 de novembro, às 19:00h, na sala Adoniran Barbosa, no Centro Cultural São Paulo, CCSP.

Um dos pontos altos da programação é a 2ª BIG Mix Jam [4Diversity], uma game jam que reunirá desenvolvedores de jogos por 48 horas, entre os dias 15 e 17 de novembro, no Goethe-Institut São Paulo, para a criação de um game. A atividade será conduzida por Sabina Dirks, do Games [4Diversity], e contará com mentores das empresas Webcore Games, Tapps Games, entre outras. O tema da jam será revelado na hora do evento, mas, para inspirar os participantes, convidamos o cantor Gaê, a jornalista Roseli Tardelli, e o trans Dan Mendes. O evento é gratuito e as inscrições estão abertas.

“A aproximação dos games com o festival Mix Brasil é uma oportunidade incrível de colocar os jogos como mais uma ferramenta na luta por uma sociedade mais inclusiva e que respeita as diversidade. Os games são a principal mídia de entretenimento e o número de jogadores globalmente é enorme, logo, usá-los em prol de causas nobres como a da diversidade é fantástico”, disse Marina Pecoraro, idealizadora da BIG Mix Jam [4Diversity].

A roda de conversa “Videogames: A mudança de paradigmas para um mundo melhor”, encerra as atividades do 2º BIG Mix Diversity, no dia 17 de novembro, no CCSP. A mesa reunirá profissionais da indústria de games do Brasil e da Holanda para discutir o papel do videogame para uma sociedade mais diversa e socialmente justa. Todas as atividades do BIG Mix Diversity são gratuitas!

 

Serviço: Mostra de Jogos – BIG Diversity

14 a 20 de Novembro

Local: Centro Cultural São Paulo, R. Vergueiro, 1000

 

BIG Mix Jam [4Diversity]

15 a 17 de Novembro

Local: Goethe-Institut R. Lisboa, 974 – Pinheiros, São Paulo

Inscrições: https://bit.ly/2JpgnDN

 

Mix Lab:  Videogames: A mudança de paradigmas para um mundo melhor

Overview: A mesa reúne profissionais da indústria de games do Brasil e da Holanda para discutir o papel do videogame para uma sociedade mais diversa e socialmente justa.

 

Participantes:

Sabina Dirks, Games [4Diversity]

Marina Pecoraro, BIG Festival/Conselho da Diversidade da Abragames-

Simon Gamboa, Tapps Games

Camila Malaman, Webcore Games

Mayara Fortin, Webcore Games

Amanda Sparks, Amand.APPs

 

Jogos de tabuleiro ajudam no desenvolvimento de crianças e adolescentes

Que os jogos analógicos podem ser divertidos, disso você já sabe. Mas já imaginou que jogos de tabuleiro também podem impulsionar o desenvolvimento cognitivo e social de crianças e adolescentes? Pois é essa a conclusão que Renato Simões, CEO da editora Geek N’ Orcs, chegou ao longo de seu trabalho neste meio. De acordo com Simões, durante a atividade, os jogadores são estimulados a exercitar habilidades como a atenção, memória e raciocínio lógico.

De acordo com o executivo, ao lidarem com regras, vitórias e derrotas, os participantes aprendem a colocar em prática importantes conceitos como a estratégia, concentração, paciência, liderança e comunicação. Além disso, o jogo é capaz de promover a interação, convívio e estreitamento de laços entre as crianças ou adolescentes, aponta.

Renato Simões do Geeks N’ Orcs. Foto: Arquivo pessoal.

Não é por acaso que bares e restaurantes de Belo Horizonte estão adotando jogos digitais e analógicos em seus ambientes para agradar os visitantes. O próximo passo parece ser envolver as escolas. “Vejo com muito entusiasmo, a adoção dos jogos como uma atividade didática nas salas de aula, pois ao longo das partidas, as crianças entram em contato com uma série de ensinamentos e princípios que não só são essenciais para a dinâmica do jogo, mas também para o desenvolvimento intelectual e estabelecimento de uma boa conivência em comunidade”, comenta.

Segundo Renato, atitudes como a de respeitar a vez do colega, saber lidar com a vitória ou derrota e compreender o êxito ou o insucesso como consequências comuns aos jogos, são alguns dos principais preceitos e valores que a prática pode fornecer a uma criança. O game designer aponta que além de estar nas escolas e casas, os jogos de tabuleiro vêm se fazendo presentes em estabelecimentos comerciais e também em diversos outros locais e contextos.

Giro de Profissões: Jogada de Mestre – Anhanguera lança game para auxiliar jovem na escolha da carreira

Existe uma inquietação comum entre os jovens recém-egressos do ensino médio: o que fazer da vida? Se para alguns, a escolha da carreira não é mistério nenhum, para a maioria das pessoas, a decisão pode ser encarada como um verdadeiro desafio. De acordo com pesquisadores, cerca de 60% dos jovens não fazem ideia do que fazer após sair da escola.

Felizmente existem testes vocacionais que podem ajudar a escolher uma profissão, porém o difícil acesso ainda é uma barreira para fazer o teste. Foi pensando nisso que a Anhanguera lançou o game Giro de Profissões: Jogada de Mestre que promete realizar o teste vocacional de maneira interativa e divertida.

“Hoje, quem embarca no ensino superior tem inúmeras possibilidades e a escolha inadequada pode representar uma carreira desmotivadora que afetará várias áreas, inclusive a saúde, por isso, autoconhecimento é fundamental”, comenta Aldenira Barbosa Cavalcante, coordenadora do curso de Psicologia da Anhanguera Taguatinga Sul — Pistão Sul.

A linguagem de Giro de Profissões: Jogada de Mestre é bastante atual, ou seja, ele foi desenvolvido para falar com o jovem. Há até um avatar para representar o jogador, assim como um teste de habilidades para ajudar o jogador a conhecer melhor seu perfil e a ter maior clareza na hora de escolher a futura profissão.

Após responder o questionário, o jogador conhece um pouco mais sobre as carreiras sugeridas. Para isso, o aplicativo abre um ebook contendo detalhes sobre a profissão, o público-alvo e os seguimentos de atuação deste profissional. A ideia é que o jogador conheça a área que tenha afinidade e passe a refletir sobre o que pode lhe dar prazer na carreira profissional, evitando frustração e arrependimentos.

Para participar do Giro de Profissões: Jogada de Mestre, basta acessar o site e se cadastrar gratuitamente.

Vai comprar TV 4K? Veja quais detalhes mais importantes na hora de escolher

Os aficionados por tecnologia já sabem: as TVs 4K dominarão o mundo! Afinal de contas esses eletrônicos são capazes de providenciar a mais alta definição e qualidade para imagens, com uma riqueza de detalhes que outras TVs são incapazes. Basicamente as TVs 4K – conhecidas também como Ultra HD – são televisores cuja resolução de pixels são cerca de 8.3 milhões de pixels.

O nome 4K é proveniente de sua capacidade de resolução quando comparadas às TVs Full HD (2 milhões de pixels), ou seja, as TVs 4K possuem resolução 4 vezes superior. Mesmo para olhos destreinados a diferença é brutal: a TV 4K é capaz de exibir imagens com riqueza de detalhes, cores mais vivas e textos mais nítidos. Além disso, em produções filmadas com câmeras 70 mm são capazes de exibir até mesmo imperfeições na pele dos atores.

Se você pretende aproveitar o melhor da tecnologia para assistir filmes, jogar videogames ou ver seu time de coração e ainda não comprou a sua TV 4K, fique atento nestes detalhes para obter a melhor experiência! É um velo ponto de partida, caso você pretenda aproveitar a Black Friday para comprar um novo aparelho.

Tamanho

A primeira coisa que você deve prestar atenção é no tamanho da TV. É possível encontrar opções no mercado que vão de 40 até 86 polegadas. Os preços são proporcionais ao tamanho da TV – é possível encontrar modelos de R$ 1.500,00 até R$ 30.000,00. Seja qual o tamanho, a qualidade da imagem não é afetada por isso. Neste quesito você deve se atentar mais ao espaço onde irá colocar o televisor.  Se pesquisar direitinho, é possível encontrar boas promoções de TVs 4K.

LED vs OLED vs QLED

Outro detalhe importante é o tipo de tela: LED, OLED ou QLED. Esses são os padrões mais comercializados. A TV LED é a mais barata e sua tecnologia é composta por pequenas lâmpadas LED em sua tela, tornando a imagem mais iluminada e as cores mais vibrantes. Já o padrão OLED é ainda superior, uma vez que sua qualidade de contraste e nitidez é maior, principalmente em imagens escuras. Isto porque as pequenas luzes LED da tela se desligam automaticamente quando aparecem imagens pretas na tela.

A intenção é tornar a imagem da tela mais parecido com o que vemos na vida real. Além disso, por apagar as pequenas lâmpadas LED da tela, o padrão OLED é mais econômico. É um pouco mais trabalhoso encontrar uma TV OLED, pois elas têm um custo mais elevado e sua baixa longevidade. Isto ocorre porque as luzes são alimentadas por componentes orgânicos que se deterioram com o tempo. O “X” da questão é definir quanto tempo vai ficar com o televisor e o quanto se incomoda com brilho e contraste.

Por fim, temos as TVs QLED, que são conhecidas por exibir 100% das cores das imagens. Isto porque elas utilizam a tecnologia HDR, a mesma utilizada por Hollywood. As TVs QLED também são famosas por sua “inteligência”, pois elas não deixam com que outras fontes de luz atrapalhem a imagem, pois elas aumentam as cores da tela automaticamente. Esta tecnologia é mais cara que as demais, mas é possível encontrar algumas promoções no site da Promobit.

Tela plana ou curva?

Este aspecto é completamente subjetivo e depende da preferência do usuário, contudo há um consenso em alguns aspectos. Um deles é que TVs com tela plana são mais suscetíveis e reflexos, enquanto que o formato côncavo possui melhor contraste e amplitude maior de tela. Além disso, o formato curvo é capaz de tornar a experiência mais imersiva, pois a tela neste molde é capaz de trazer efeito de profundidade e facilitar o efeito 3D.

Além disso, as telas curvas oferecem maior campo de visão, pois passam a sensação de que a imagem é mais ampla do que a verdadeiramente exibida em uma tela plana. Por fim, outra vantagem é que as telas curvas produzem cerca de quase 2x mais contraste que uma tela plana. Isto ocorre porque elas concentram melhor a imagem nos olhos do espectador.

Quantidade e tipos de entradas

Ter um aparelho com um número razoável de entradas USB ou conexões é garantia de possibilitar o uso da TV para mais coisas. A tendência para o futuro é ter cada vez mais aparelhos conectados. Deste modo, você pode até utilizar a TV para jogar videogame, como monitor de computador, controlar outros equipamentos etc. TVs com processador dual-core são o mínimo que você vai querer, pois são mais rápidas para responder os comandos e evitarão as fatídicas travadas. Além disso, você vai querer que a TV possua ao menos três portas HDMI (para conectar múltiplos aparelhos) e conexão wi-fi para facilitar a conexão com a Netflix, Youtube e outros aplicativos. Se a TV tiver porta ethernet, melhor ainda, caso precise de uma conexão por cabo mais estável.

Sistema Operacional

Assim como nos smartphones, é necessário estar atento qual OS vai te atender melhor antes de escolher qual a TV levará para casa. As TVs costumam utilizar o Tizen, enquanto a LG conta com o webOS, a Panasonic tem a Firefox OS, e a Sony tem o Android TV. O Tizen é o mais popular atualmente, seguido do webOS. Ambos estão consolidados no mercado, pois as emissoras de TVs nacionais e internacionais investiram bastante em apps para esses sistemas, além de serviços de transmissão como a Netflix e conexão com celulares.

Apesar do Android TV ser bastante promissor, a adaptação do que é feito com celulares para a TV ainda não vingou, mas especialistas apostam que logo o Android TV irá virar o jogo e se tornar o número 1 entre os sistemas operacionais para TVs. A ideia básica é que o smartphone pode estar completamente conectado a TV, de modo que controlar o que se assiste fique a algumas Cabe ao usuário fazer uma aposta para o futuro ou optar pelo que já está estabelecido. O que a comunidade tecnológica idealiza é que Smart TVs e smartphones ficarão em completa simbiose, inclusive para acessar funções do celular através da TV e vice-versa.

Conexão com o videogame

Não se trata de uma função específica das TVs 4K, mas sim a configuração que torna a imagem otimizada para jogos. A maioria dos modelos tem opções prontas para escolher o modo “jogos”, que deixam a imagem com o contraste e brilho específico para jogos eletrônicos. Afinal de contas, essas configurações tendem a utilizar cores menos berrantes que um desenho animado ou uma partida de futebol. Como de não bastasse, vale lembrar que tanto o Xbox One quanto o PS4 possuem configurações específicas para uso em TVs 4K.

No PS4, por exemplo, você deve ativar o suporte TV 4K ou HDR (no caso de utilizar o PS4 Pro). Para isso, basta ir até o menu configurações”, “Som e tela”, “Configurações de saída de vídeo”; selecionar as opções “automático” nos menus “resolução” e “HDR”. Assim seu videogame estará pronto para proporcionar a melhor definição possível.

Já no Xbox One, a tarefa é igualmente simples, basta pressionar o botão “home” (o botão central do controle); ir até a opção “sistema”; “configurações”; “tela e som”. Após isso, basta ir até a opção “saída de vídeo” e selecionar a opção “4K UHD” no menu “resolução da TV”. Contudo, vale lembrar que nos dois consoles a definição somente fará efeito nos jogos desenvolvidos em 4K, ou seja, jogos mais antigos e aqueles que não foram otimizados não sofrerão mudanças na resolução. Se a intenção é usar a TV para jogar, vale a pena pesquisar no App de desconto da Promobit.

Guia: Como escolher o smartphone ideal

Já imaginou comprar um smartphone e, horas depois de chegar da loja, bater aquele arrependimento? Qual aparelho vai te atender melhor: um Xiaomi RedMi 9t ou um Samsung A80? Acredite, dificuldade para escolher um aparelho é mais comum do que parece. Afinal, existem tantas opções no mercado com preços tão similares, que é comum elevar as expectativas acerca de um smartphone e, no final, sair com um abacaxi nas mãos. O problema é que a maioria das pessoas não leva em consideração alguns fatores, antes de decidir qual modelo comprar.

Pensando nisso, e com a proximidade da Black Friday, decidimos apontar os principais pontos a serem analisados na hora de comprar um aparelho celular. 

Armazenamento

Antes de comprar um celular, você deve responder a seguinte pergunta: qual será o maior uso que darei a ele? Tem gente que adora carregar toda a discografia do U2. Soma-se a isso, que o usuário pode querer instalar aplicativos e jogos, além de não dispensar ter à mão todas as fotos de sua infância, vídeos de gatos fofinhos, ebooks e todo tipo de parafernália que encontrar na internet. Um aparelho com boa memória será indispensável. Se antes os modelos com 8GB de armazenamento interno eram suficientes, hoje em dia um modelo com 32GB já parece pouco. Vale lembrar que, diferente de qualquer outra fabricante, os aparelhos da Apple não permitem expandir a memória através de cartões de memória.

É bem verdade que há serviços de armazenamento através da nuvem. Mas, para quem quer praticidade e velocidade, um aparelho com boa memória é indispensável. Felizmente, é possível encontrar opções a preços razoáveis, com capacidade de armazenamento de 64GB e entrada para cartões de memória. 

Memória RAM

Outro fator indispensável é a memória RAM, o cérebro do seu smartphone. Quanto maior a memória, melhor o desempenho. Se o seu aparelho tiver pouca memória RAM, é fatal que ocorrerão travadas e lentidões constantes. É até possível que alguns aplicativos mais pesados não abram, como jogos mais novos como PUBG, Asphalt 9 ou Free Fire.

Obviamente que, se a sua necessidade é acessar e-mails ou tirar fotos, não vai precisar de um processador poderoso, até por que este é um dos fatores que mais encarecem o aparelho. Para quem quer manter um aparelho durante alguns anos e aproveitar as novidades do mundo dos games, o ideal é comprar um celular octa-core. Mas, se o seu uso será intermediário e não quer gastar muito, um aparelho com 6GB de RAM estará mais do que satisfatório.

  • Facebook e WhatsApp – 4GB de RAM
  • Games pesados – 6GB de RAM
  • Acessar de tudo e realizar trabalhos do Office no celular – 8GB de RAM

OS e loja online

O sistema operacional é responsável por gerenciar os recursos do sistema (definir qual programa recebe atenção do processador, administrar a memória, criar um sistema de arquivos, etc.), fornecendo uma interface entre o aparelho e o usuário. Atualmente, existem duas opções prioritárias no mercado: Android e iOS. Há quem acredite que o iOS da Apple é melhor, por ser otimizado para o aparelho a que se destina, evitando engasgos durante a utilização. Outros acreditam que o Android é mais benéfico, pois a loja Google Play tem maior liberdade de utilização.

Na prática, as diferenças entre os sistemas são poucas, se o usuário desconsiderar questões estéticas e o layout. O Android é bastante customizável, enquanto que o iOS é mais restrito, porém com uma segurança maior – já que a Apple tem uma política rígida para disponibilização de aplicativos em sua loja.

Talvez mais do que a interface, a briga entre iOS e Android se deva mesmo ao que é disponibilizado nas lojas online (Google Play e App Store). De acordo com levantamento da appFigures, o Google Play possui maior número de aplicativos na loja, contudo os principais aplicativos como Facebook e Whatsapp estão disponíveis para os dois sistemas operacionais. Entre um e outro, depende do gosto do usuário. Só não vá cometer o engano de comprar um Windows Phone, pois a Microsoft acaba de anunciar que a loja será encerrada em dezembro deste ano. 

Tamanho de tela

O tamanho da tela pode não parecer grande coisa a se levar em consideração. Mas, na prática, quem quer usar o celular para jogos ou leitura vai querer uma tela maior, pois ela representa mais conforto e espaço para utilização. Uma tela de 4 polegadas (sim, ainda é possível encontrar) pode te fazer forçar a vista e causar desconforto. Há sempre a opção de se comprar um tablet, porém o tamanho excessivo pode ser um problema, principalmente para carregar no bolso.

Pesquisa da DeviceAtlas, em 2018, demonstra que as preferências dos usuários estão para celulares com, pelo menos, 5 polegadas. E por falar em tela, é importante também ficar de olho na resolução, pois se a intenção é assistir vídeos em alta resolução ou jogar jogos, é bom ter uma tela de alta performance. Telas Full HD são capazes de exibir vídeos e games em alta resolução e, se o celular for otimizado, os resultados poderão ser surpreendentes. O problema é o preço que pode ser proibitivo. Não por acaso, a maioria das pessoas opta por telas HD (720p).

Abaixo, há uma tabela que ilustra qual a melhor qualidade e o tamanho de tela recomendados para sua utilização:

Utilização para pacote office 5’’ ou superior – HD
Multitarefa 5’’ ou superior – Full HD
Vídeos e Jogos eletrônicos 6’’ ou superior – Full HD
Uso básico 4’’ ou superior – Full HD

 Bateria

A maioria das pessoas tem um problema em comum: sair cedo para trabalhar e voltar apenas à noite. Nesse meio tempo é impossível não fazer uso do celular, seja para trabalhar ou entrar em contato com algum familiar ou amigo. Infelizmente, a maioria dos aparelhos celulares não conta com boa autonomia de bateria, deixando seu usuário obrigado a utilizar Power Banks ou ter de levar carregadores pra todo lado. Deste modo, um dos requisitos mais importantes na hora de escolher um aparelho é a autonomia da bateria.

Basicamente, o que determina a durabilidade da carga das baterias é a capacidade de retenção da carga (medida em mAh – milliampères/hora). O que você deve ficar de olho é a quantidade que a bateria suporta- quanto mais mAh de potência ela tem, mais energia o aparelho armazena. A maioria dos aparelhos possui média de 3.000 mAh de potência, o que representa autonomia aproximada de 10 horas de uso moderado. O problema é que, se o usuário faz uso acentuado do aparelho, a autonomia não dura mais que 6 horas. Atualmente, existem duas tecnologias para fabricação de baterias: íons de lítio e Li-Polymer (polímero de lítio). A primeira é mais popular, porém pode sofrer problemas de superaquecimento, enquanto que a segunda é mais compacta. A composição química é a mesma, então essas especificações não são essenciais aos usuários. O importante mesmo é ficar atento na medida de mAh. Há baterias que chegam a 10.000 mAh. Portanto,se o seu uso for intenso, uma bateria a partir de 7.000 mAh deve durar o dia todo, como o ASUS Zenfone Max. 

Câmera

Quanto à câmera, é um ponto complicado de definir qual a melhor. Foi-se o tempo em que apenas a quantidade de Megapixels ditava qual aparelho tinha a melhor câmera. O que as fabricantes levam em conta mesmo é a abertura da lente, nitidez, exposição de luz, etc. Esses aspectos técnicos costumam interessar mais os grandes aficionados por fotografia. O iPhone X, por exemplo, possui “apenas” 12 megapixels, mas está entre as mais elogiadas das últimas décadas.

Para quem curte tirar selfies, uma ótima aquisição é o aparelho Galaxy A8, que possui duas câmeras de 16MP e outra de 8 MP. Um dos recursos é a ferramenta que embeleza as fotos do usuário.

KINGDOM HEARTS Orchestra –World of Tres: novo concerto sinfônico chega pela primeira vez à América Latina

Kingdom Hearts é considerada uma das franquias mais bem sucedidas de história recente da Square-Enix, um fato inegável. Um dos aspectos mais interessantes de toda a franquia é sua trilha sonora emocionante, repleta de temas da Disney com uma roupagem orquestrada. Quem curte os temas dessa amada franquia, poderá acompanhar o espetáculo KINGDOM HEARTS –World of Tres-, um show totalmente novo que está em turnê pelo mundo agora e vai passar pela cidade de São Paulo no dia 02 de novembro, no Espaço das Américas, em SP.

O espetáculo foi produzido e criado pelo diretor Tetsuya Nomura e vai incluir vídeos dos três jogos. Além disso, o concerto musical foi elaborado pelos criadores da trilha sonora de KINGDOM HEARTS, os lendários compositores Yoko Shimomura, Takeharu Ishimoto e Tsuyoshi Sekito. O show apresenta, pela primeira vez no palco, versões orquestradas das novas canções tema criadas por Hikaru Utada, “Face My Fears” e “Don’t Think Twice”, e novos arranjos de “Dearly Beloved” e “Simple and Clean.

A primeira metade do concerto é dedicada ao enredo, jogo por jogo, e é finalizada com a poderosa sequência do chefe “Diabolic Bash”, que apresenta muitas das famosas canções tema de toda a saga com novos arranjos musicais ainda mais impressionantes. A segunda metade do concerto está voltada para o desfecho épico e intenso da saga: KINGDOM HEARTS III. O show tem mais de duas horas e revive o enredo do começo ao fim.

Os ingressos para Kingdom Hearts – World of Tres estão disponíveis pelo site do Uhuul e nos postos de venda Bilheteria do Teatro Bradesco e Bilheteria do Teatro Opus. A promessa é de que os visitantes terão uma noite inesquecível.

 

Serviço – Kingdom Hearts – World of Tres

Quando: 02/11/2019 às 20:00

Onde: Espaço das Américas – Rua Tagipuru, 795 – Barra Funda, São Paulo/SP

Ingressos: https://uhuu.com/evento/sp/sao-paulo/kingdom-hearts-orchestra-world-of-tres-6863