Arquivo da tag: transformação

Games For Change indica os Jogos de cartas e tabuleiro que irão mudar o mundo a partir de 2018

Que os jogos são ferramentas transformadoras, disso você já sabe e temos mais um exemplo para mostrar àqueles mais céticos e que acreditam que jogos digitais e de tabuleiros são meras formas de escape da realidade. Recentemente a UNODC (“United Nations Office on Drugs and Crime”, a agência da Organização das Nações Unidas, ONU, sobre drogas e crimes) realizou uma competição, convidando jovens designers de jogos de todo o mundo a apresentarem ideias para vários jogos não eletrônicos.

A competição foi batizada “Educação para a Justiça” (E4J). Qual o objetivo dessa competição, você pergunta!? Mostrar que a jogos são benéficos para a aprendizagem e que os jogos educativos interativos são um meio perfeito para transmitir lições que são mais bem absorvidas. Os jogos de tabuleiro e cartas foram o alvo desta disputa, pois eles implicam um nível pessoal maior de envolvimento e geralmente são flexíveis quanto ao número de jogadores, tornando-os adaptáveis a atividades sociais e escolares.

Passado o período de disputa, chegou a hora de conhecer os jogos que irão transformar vidas e ideias a partir do segundo semestre de 2018. O critério mais importante é abordar pelo menos um dos tópicos cobertos pelo mandato da UNODC tais como tráfico de pessoas; crime organizado; prevenção do extremismo violento; o uso de força pela polícia; cibercrime e segurança on-line; e integridade.

De acordo com a Games For Change América Latina, os projetos selecionados foram contemplados com um subsídio de US$ 10.000 para o desenvolvimento, teste, fabricação e distribuição do jogo, envolvendo estudantes de nível secundário e educadores no processo. Vale destacar que todos os jogos selecionados são de tabuleiro ou de cartas, já que o plano era envolver apenas jogos dessas categorias.

O primeiro deles é Running Out of Time, criado pela “Asociation Socioeducative Llere” da Espanha. Trata-se de um jogo de tabuleiro que ensina sobre corrupção, prevenção ao crime e justiça criminal, terrorismo e tráfico de pessoas. Os jogadores assumem papéis diferentes na sociedade desde funcionários públicos até políticos.

RiotTD, da Universidade de Bournemouth, no Reino Unido, segue o mesmo estilo. Este é um jogo de tabuleiro colaborativo sobre o uso da responsabilidade da força no qual os jogadores aprenderão os princípios básicos das Nações Unidas sobre o uso de força e armas de fogo por policiais, assumindo os papéis de equipes de investigações forenses.

A ONG “Centro de Estudos sobre Mulheres e Crianças” de Bangladesh apostou na triste realidade do tráfico de pessoas e exploração sexual on-line, projetando um jogo interativo envolvendo salas de aula completas e cartas de baralho e fazendo um brainstorming sobre essas formas de crime organizado transnacional.

Na Howard Rheingold University, dos Estados Unidos, um grupo de estudantes desenvolvem o boardgame “Labyrinth“, onde os jogadores tentam alcançar o status de herói, fazendo as escolhas apropriadas e encontrando seu caminho em um labirinto onde há caminhos para o terrorismo e a radicalização.

Já a Integrity Action, do Reino Unido, criou o jogo “Shine“, uma versão moderna dos famosos jogos “anakes and ladders”. Aqui os alunos devem se preocupar com questões envolvendo a integridade e monitoramento dos serviços públicos.

O cybercrime é o grande inimigo do jogo “Rutgers Preparatory School“, criado nos Estados Unidos. Trata-se de um jogo de tabuleiro cooperativo onde os jogadores precisam criar uma estratégia para tornar a internet mais segura.

Students for Integrity” é a ideia da Transparency International Slovenia, onde os jogadores podem mergulhar nos papéis de jornalista, detetive, delator ou político, entre outros, enquanto lidam com várias crises; aquelas que são ignoradas se intensificam, enquanto aquelas que são tratadas estrategicamente são superadas.

A Universidade de São Paulo é a representante do Brasil nesta seleção. A USP está trabalhando no “Purposyum of Justice Challengers“, um tabuleiro e um RPG que ajudará os jovens a desenvolver suas habilidades de narrativa enquanto jogam através de uma jornada para alcançar vários estágios em revelações que levam à Justiça.

E por fim, estudantes da Bolívia, a “Vision Mundial Bolivia” está trabalhando em um jogo onde os jogadores escolhem um objetivo pré-definido, como riqueza, prestígio social, conhecimento ou felicidade, para o qual eles têm que ganhar pontos respondendo a várias situações.

PUC-SP sedia Games For Change 2015

Pelo segundo ano consecutivo a PUC-SP sediará o evento Games for Change, o encontro entre professor, desenvolvedores e pesquisadores de jogos digitais com propostas para a melhoria da sociedade e do meio ambiente. O evento ocorre entre os dias 21 e 22 de novembro e o tema desta quinta edição é “Games e Cidadania”.

O evento terá uma série de simpósios, oficinas e até um minicurso para unir fãs de serious games e aplicativos de utilidade pública. As atividades iniciam às 09h00 com a recepção dos visitantes e logo em seguida, os professores Gilson Schwartz (USP), Lúcia Santaella (PUC-SP) e David Lemes (PUC-SP) dão as boas vindas aos visitantes e falam sobre o tema deste ano.

Entre as atividades deste ano, podemos destacar o debate “Games e Conflietos na Escola: Experiência com o FazGame”, com participação da dupla Carla Zeltzer e Antônio Ramos; o Minicurso “Jogos, Filosofia e Educação”, ministrado por Lucas Machado e Danilo Silvestre; “Jogos para aprendizagem, saúde e impacto social”; “Edugamificação Urbana: O Carro do Futuro em Jogo”, entre outros. Tem até uma oficina dedicada a jogos de tabuleiro, onde os visitantes poderão ver um jogo de tabuleiro nascer e se desenvolver.

O Minicurso sobre Jogos, Filosofia e Educação tem duas sessões e serve como introdução ao estudo filosófico dos jogos, mostrando como temas clássicos da filosofia são retomados na reflexão sobre jogos e sobre suas estruturas e modos de interatividade próprios.

Durante a primeira sessão do minicurso será discutida a definição de jogos e de games. Já na segunda sessão, os palestrantes utilizarão autores clássicos como Kant, Schiller, Hegel e Sartre de exemplo para mostrar como os jogos são utilizados como ferramentas lúdicas em contextos educativos e seu forte impacto social.

Como participar do Games for Change:

Para participar do 5º Games for Change é necessário fazer a inscrição na página do evento, porém é necessário urgência, pois as vagas são limitadas. Vale lembrar que o evento é uma forma de participar da mudança do mundo de forma ativa.

Geralmente o evento apresenta games lúdicos e com propostas de transformação social, tais como This War of Mine, Never Alone, Zoo U, Bounden, entre outros. A lista total de atividades do Games for Change pode ser conferida no site do evento.