Arquivo da tag: Terror

Editora Intrínseca lança o livro Five Night at Freddy’s Olhos Prateados no Brasil

Nenhum outro game de terror causou impacto tão imediato e sensível aos jogadores nos últimos anos quanto a franquia Five Nights at Freddy’s. Não por acaso, desde o lançamento do original em 2014 já existem cinco jogos principais e dois spins-off. Pois bem, a série de terror não vai se limitar aos jogos eletrônicos: no fim do ano passado, o universo da série se expandiu com o lançamento do primeiro livro da trilogia Five Nights at Freddy’s: Olhos Prateados.

Gostou? Compre o livro Five Night at Freddy’s Olhos Prateados no Brasil agora

O lançamento foi tão bem sucedido que o livro está há mais de quinze semanas na lista de mais vendidos do New York Times. Os fãs brasileiros poderão colocar as mãos na obra literária em breve, pois a editora Intrínseca está trazendo este lançamento em nosso país. Olhos Prateados foi escrito pelo próprio Scott Cawthon, o criador da série Five Nights at Freddy’s, ou seja, é uma obra canône e com bastante detalhes sobre a trama.

olhos-prateadosO mais interessante é que o lançamento de Olhos Prateados pode responder muitos mistérios que permeiam a obra de Cawthon. E já não era sem tempo: a própria comunidade criou centenas de teorias sobre os acontecimentos vivenciados ao longo dos cinco games. Na série de jogos, o gamer assume o papel de um vigia noturno, contratado para cuidar de uma pizzaria que abriga grandes bonecos eletrônicos. Estes, porém, não só ganharam vida como passam a perseguir o vigia.

O horror em Five Nights at Freddy’s: Olhos Prateados

Já o livro Olhos Perdidos leva o leitor ao mundo de Charlie, uma adolescente que volta para sua cidade natal quando é convidada para participar de uma homenagem a um de seus amigos de infância, morto misteriosamente na pizzaria que pertencia ao pai da garota.

Dez anos depois, ela está de volta à cidade do assassinato e, com os amigos, decide revisitar o lugar que marcou a todos de forma tão pesada: a Pizzaria Freddy Fazbear’s. O local, cujas principais atrações eram os animatrônicos, ainda está de pé, mas, abandonado, se assemelha agora a um cenário de filme de terror.

7847a4fbd3ff176718821de6afa4d7f3

A atmosfera angustiante está presente tanto no jogo eletrônico quanto no livro. Se, no computador, os sustos causados pela aproximação dos bonecos são o grande ápice, no livro, o mistério que ameaça os jovens e as reviravoltas do enredo dão o tom de tensão, que se tornou marca registrada de Five Nights at Freddy’s.

Ao longo das 368 páginas o leitor vai mergulhar em um mundo de terror psicológico recheado de detalhes. A tradução ficou a cargo da Glenda D’Oliveira e o leitor encontrará o livro em formato impresso e em eBook pelos preços de R$ 39,90 e R$ 24,90, respectivamente.

Colina Legacy é o game de terror psicológico da Samurai Games

A dica de hoje é para quem curte horror psicológico e clima de suspense. Colina Legacy é um jogo publicado pela Samurai Games e não é nenhuma novidade (ele foi apresentado ao público durante a BGS 2016 e teve a demo liberada no início de outubro). Você controla, um jovem chamado Alex que vai até a antiga casa da colina onde sua avó vivera um dia. Nesta estranha casa acontecem muitos fenômenos paranormais e acontecimentos que colocam sua vida em perigo. Cabe a Alex descobrir o que está acontecendo na casa e onde estão as outras pessoas.

O game começa assim que Alex acorda dentro do carro de seus pais sozinho e em frente a casa da colina. Sem alternativas a não ser procurar por seus pais, Alex adentra a casa ciente de que algo está muito errado. O game não é linear, de modo que há um clima de incerteza do que se vai encontrar em sua jogatina a cada corredor ou nova porta. De acordo com a Samurai Games, a ideia é manter o suspense, ou seja, os elementos de ambientação do gameplay são dinâmicos e cada partida é única.

Diferente do habitual, Colina Legacy tem jogabilidade em 3º pessoa, pois, de acordo com os desenvolvedores, havia a intenção de reviver a experiência de terror psicológico old school. Os puzzles também são bem complicados, lembrando games da era 32/64 bits como Silent Hill e Resident Evil. Mas a Samurai Games deu um jeito de colocar mecânicas mais novas para prender a atenção dos jogadores mais novos, bem à lá Alan Wake em que você enfrenta inimigos com a luz da lanterna. Os gráficos também são bem bonitos e a ambientação é bem aterrorizante e contribui com  clima de mistério e suspense.

Para quem não conhece, a Samurai Games é uma pequena produtora brasileira de jogos. A demo está disponível para download na Steam. A ideia inicial era lançar Colina Legacy no final deste ano, porém os desenvolvedores tiveram de alongar o prazo e a expectativa é lançar a versão final em meados de 2017. O game é uma boa pedida para quem curte horror psicológico e sente saudades da pegada Silent Hill clássica.

Abaixo você confere o trailer de Colina Legacy:

Já conhece o game de terror psicológico Room 404?

Hoje vamos falar de um título que não é exatamente novidade, mas que merece destaque pela comunidade, pois trata-se de um título que tenta reviver o gênero de terror psicológico que fez fama no fim dos anos 90. Room 404 é fruto de uma parceria entre os estúdios brasileiros Machine Bear e 3DTM e possui mecânica em 1º pessoa. O jogo mescla horror psicológico com uma atmosfera sobrenatural, para contar a historia de Alex, um homem que perdeu o filho num misterioso acidente dentro do quarto 404 de um antigo hotel.

A trama narra a história de Alex, um homem que perdeu seu filho de maneira trágica dentro do quarto 404 de um misterioso hotel. O menino foi assassinado e sua mãe Catherine ficou foi encontrada ao lado do corpo, totalmente catatônica. Este fato a levou a completa loucura e internação em um manicômio. Após algum tempo, Catherine foge do hospital e os indícios apontam que ela tenha voltado ao quarto 404 atrás do filho falecido. Agora Alex tem que voltar ao Hotel, em busca de sua esposa, enquanto lida com o sobrenatural.

O game tem elementos típicos de horror psicológico, lembrando algo de Silent Hill ou Outlast. Parece que o objetivo do estúdio é deixar o jogador o mais perturbado possível. Para isso, foram colocados elementos para tornar o game mais tenebroso, como cenários que mudam sozinhos e uma trilha sonora bem sombria, além de terríveis aparições dignas de pesadelos.

Room 404 foi produzido com a Unreal Engine 4 e, por isso, consegue efeitos de luz e sombra dignos de menção. A física também é bem interessante, tal como o gameplay. Por se tratar de um game com atmosfera densa, não é indicado para jogadores mais novos. Há diversos quebra-cabeças a serem resolvidos e jump scares à lá Slender: The Eight Pages. O game já está disponível (exclusivo de PCs) através da Steam.

Abaixo temos o trailer de Room 404:

Night Terrors: The Beginning vai transformar sua casa em um cenário de filme de terror

Pokémon Go foi o primeiro grande título a utilizar realidade virtual no celular. Portanto, não é de se espantar que após o sucesso do jogo da Niantic outros jogos viessem nesse embalo. A próxima grande tacada é Night Terrors: The Beginnig, cuja temática deixa os monstrinhos fofinhos para apresentar verdadeiras aparições macabras (fantasmas, demônios e monstros) para assustar o jogador.  Apesar da fama de ser um clone sinistro de Pokémon Go, Night Terrors surgiu antes do jogo da Niantic Labs através do site de crowdfunding IndieGogo, porém o longo tempo de desenvolvimento atrasou o lançamento.

O detalhe é que assim como Pokémon Go, Night Terrors utiliza a câmera para mostrar as aparições como se estivessem nos corredores de sua casa. Ah, o jogo só funciona à noite, para dar mais um toque de horror na jogatina. Como se não bastasse, você precisa conectar os fones de ouvido para desfrutar da experiência, Além disso, o aparelho celular começa a funcionar de maneira estranha, como o flash piscando e interferências estranhas. É importante ressaltar que o game só funciona plenamente em ambientes internos e você deve desligar todas as luzes de casa.

Night Terrors junta elementos do filme Rec e da franquia Silent Hill, ou seja, você se guia através da escuridão da sua casa usando a parca iluminação do flash (que serve como lanterna). De tempos em tempos o celular tira fotos com aparições estranhas e objetos da casa se movem através da tela do celular. A ideia é fazer parecer que equipamentos eletrônicos sofrem interferência quando estão próximos de criaturas sobrenaturais.

A desenvolvedora Novum Analytics caprichou nos detalhes para tornar a experiência mais tenebrosa: o jogo até mesmo usa os sensores do smartphone para saber se o usuário está parado ou se movimentando. Todas as informações alimentadas pelo ambiente ditam o rumo da narrativa.  O objetivo inicial é encontrar uma garota perdida seguindo uma estranha frequência, porém, conforme as aparições surgem, seu objetivo rapidamente torna-se sobreviver. Caso você “morra”, seu progresso vai a zero e você deve recomeçar sua escabrosa aventura.

Segundo a Novum Analytics, após jogar Night Terrors, o jogador jamais verá a própria casa do mesmo modo. Se você ficou empolgado, saiba que o game já está disponível para download (por enquanto apenas para usuários iOS). A desenvolvedora promete que a versão para Android chega em breve, basta ficar antenado. Segundo os desenvolvedores, serão feitos updates de tempos em tempos para tornar a experiência melhor.

Abaixo tem o trailer de Night Terrors: The Beginning:

Capcom celebra os 20 anos de Resident Evil

Este final de março marca o aniversário de 20 anos de uma das franquias mais amadas de todos os tempos entre os jogos eletrônicos. Quando lançou Resident Evil, a Capcom sequer esperava que a série de terror se tornaria tão popular quanto se tornou e muito menos que ela sobreviveria por tantos anos, apesar dos altos e baixos.

Resident Evil narrava a aventura do aloja tema em busca de respostas acerca do desaparecimento da equipe bravo tema que desapareceu nas florestas próximas a Raccoon City, a aventura os levam até uma mansão infestada de zumbis e criaturas saídas de pesadelos. O Game revolucionou o significado da palavra survival horror ao entregar uma trama envolvente, puzzles desafiadores e uma ambientação típica de filmes de zumbi.

O jogo era pontuado por corredores escuros, aposentos agourentos, jump scares e momentos tão arrepiantes que qualquer um ficaria com a espinha congelada. Quem não se lembra da clássica cena do primeiro zumbi encarando o jogador? O peso da marca Resident  Evil é enorme e sem sombra de dúvidas é sinônimo de sucesso e já deixou seu nome registrado como ícone da cultura pop.

São mais 66 milhões de jogos vendidos, além de filmes e livros licenciados. Para celebrar o 20º aniversário da série, a Capcom lança uma série de entrevistas com os desenvolvedores, com comentários de alguns dos mais influentes membros da equipe até hoje. Os responsáveis pela franquia reabrem as portas da mansão para rememorar os primórdios do fenômeno do survival horror e sua ascensão épica ao longo dos anos.

O primeiro vídeo, com o produtor Hiroyuki Kobayashi, já está disponível no canal oficial do YouTube com legendas em português brasileiro (é preciso ativar as legendas no player). De acordo com a Capcom, as comemorações do aniversário irão continuar ao longo dos próximos 12 meses e a equipe está trabalhando duro para revelar algumas surpresas incríveis. Uma das novidades, aliás, já foi revelada: o novo filme em CGI Resident Evil: Vendetta. Além disso, a Capcom relançou Resident Evil 6 para Xbox One e Playstation 4.

Já para aqueles que querem sentir o gosto de nostalgia de um dos jogos mais emblemáticos da geração 32 bits, a dica é jogar Resident Evil Origins Collection, que foi lançado há pouco tempo para os consoles de nova geração. Ainda que a nova versão seja um revival do jogo lançado em 2002 para o Game Cube, a experiência está toda lá, porém melhorada. Nele você revê todos os momentos clássicos como o encontro com o primeiro zumbi, o ataque dos cachorros infectados e as batalhas contra cova gigante e chefão do jogo.

Abaixo fica o primeiro vídeo especial dos 20 anos de Resident Evil:

O mistério do game Ben and Ed

A internet é cheia de coisas raras e um espaço comum para teorias terríveis e conteúdos obscuros. Nosso tema de hoje é o jogo indie Ben and Ed, um “jump & run” lançado em dezembro de 2015 que a princípio parece bem inocente, mas que por trás pode esconder um mistério muito inquietante. No jogo você controle Ben, um zumbi que é forçado a participar de um bizarro programa de TV cujo objetivo é desviar de armadilhas e obstáculos até que se chegue ao final e salve seu amigo humano chamado Ed.

As armadilhas são mortais, de modo que Ben deve pular para desviar de lâminas e martelos enquanto corre em um cenário linear. A jogabilidade é bem simples e o macete é a dificuldade que aumenta gradativamente. Até aqui o jogo não tem nada de espetacular, certo? Mas as coisas ficam mais sombrias ao passo que, apesar dos visuais cartunescos, as mortes no jogo deixam uma péssima sensação. Desmembramentos, quedas e esmagamentos são frequentes. O game possui easter eggs bem sombrios, como a aparição de Ben Drowned, da famosa creepypasta de Zelda. Mas isto não é nada…

Ao passar todas as armadilhas e terminar o game (spoiler alert), você recebe seu prêmio que é reunir-se com o menino Ed. Adivinhem o que Ben faz ao encontrar seu amigo? Começa a devorá-lo. Um final nada feliz. No mesmo dia em que o jogo foi lançado, surgiu no Facebook uma página chamada Bennnnnnn, cuja descrição é “Chopped up, hiden” (picado, escondido) e que trazia ilustrações dos personagens do jogo e uma foto com as escritas “press e to celebrate”, a mesma que aparece no final do game. A ligação da página com o jogo era óbvia.

Além desta imagem, a página contém muitas outras fotos com mensagens desconhecidas e rostos encobertos pelas sombras. Há até fotos de Armin Meiwes (o notório Canibal de Rotenburg), que pode significar uma alegoria do final do game. Com tantos segredos, não demorou para o game ser postado na comunidade 4Chan, onde os internautas descobriram coisas interessantes, como a localização das estranhas fotografias.

De acordo com as pesquisas utilizando geolocalização, chegou-se à conclusão que o local das fotos são as imediações de Essen, uma cidade na Alemanha repleta de bosques. Uma das fotos foi claramente tirada em uma dessas áreas florestais. Pois bem, um dos interunautas chamado Ryan que mora nas proximidades de Essen teria resolvido ir até o local para esclarecer o mistério entre a ligação entre o jogo Ben and Ed e a página do Facebook. O que Ryan descobriu é perturbador: um iPod abandonado e restos de uma ossada.

Até então ninguém pode ter certeza do que tudo isto significa, mas há quem acredite que o jogo é uma alusão a um crime de morte e canibalismo real. Será que o suposto assassino seria um desenvolvedor de jogos que utilizou sua obra como alegoria como uma metáfora para suas atividades depravadas? Seja como for, há de se concordar que a ligação entre o jogo e a página é bastante perturbadora. Ainda assim, a popularidade da teoria certamente teria despertado a atenção das autoridades e o caso já teria sido solucionado.

O caso circulou a internet e até apareceu no canal DrossRotzank, onde alcançou uma grande audiência. Se você ficou curioso acerca deste mistério, junte-se aos outros internautas e tente solucionar o mistério acerca deste game. O jogo é para PCs e pode ser acessado através da Steam.

Abaixo tem o trailer de Ben and Ed:

“Pesadelo – Regressão” está disponível no Steam

Após uma longa espera finalmente os jogadores poderão jogar Pesadelo – Regressão, a sequência de terror do jogo da Skyjaz Games. O novo game é um survival horror com elementos do folclore brasileiro e ele chega ai mercado com dublagem em português e opção de legendas em inglês. O lançamento ocorre hoje (11/02) apenas para PCs e Mac. A Skyjaz está bastante animado com este lançamento, pois o jogo anterior (Pesadelo – O Início) foi baixado mais de 2 milhões de vezes.

A trama conta a saga de Alex, um jovem comum sem memórias de seu passado. Após conhecer Sara, uma cientista que o incentiva a ser cobaia em um programa de recuperação de memórias, Alex passa a adentrar um pesadelo de onde será difícil sair ileso. Alex é conectado a um software que reconstrói memórias perdidas, recriando cenários e projetando-os através de sonhos. É aí que as coisas começam a dar errado para ele. Em um desses sonhos, Alex passa a ser perseguido por uma garota que ele atormentava na escola quando criança, e que, agora, busca vingança.

O jogador toma controle do personagem em um mundo sombrio criado por sua própria mente, enfrentando problemas que ele preferiria manter esquecidos. Entre os ambientes visitados neste pesadelo estão um cemitério, uma igreja, laboratórios, florestas, mausoléus e escolas abandonadas. Em cada um deles o personagem deve encontrar pistas que o ajudem a descobrir mais de seu próprio passado.

O grande macete é que o game é pontuado por criaturas do folclore brasileiro como a Mula-Sem-Cabeça e o Curupira. Eles fazem parte das memórias do personagem, e por isso, deve-se enfrenta-los para lidar com seus medos. Este é um dos primeiros games indie brasileiro a fazer uso do folclore nacional para assustar os jogadores.

Tal como em jogos de survival horror clássicos, Pesadelo – Regressão não possui armas para enfrentar os inimigos. Para ajudar na missão, Alex carrega consigo um cinto de utilidades com objetos coletados pelo caminho como chaves, isqueiro e plantas medicinais. A ambientação é bem escura e a lanterna é o item mais importante de todos, de modo que os sustos podem ocorrer a qualquer momento.

O trabalho de áudio contribui e muito para o clima de tensão. A trilha e efeitos foram desenvolvidos para que os jogadores fiquem sempre atentos aos mínimos ruídos. A ambientação sonora dos cenários foi captada em locais reais, como fazendas, currais e escolas. Regressão, aliás, foi criado através da Unreal Engine 4, portanto houve um trabalho meticuloso e tecnologia avançada para criar um produto de padrão AAA. A intenção da Skyjaz é que o jogo seja lançado também para o Playstation 4, futuramente.

Pesadelo – Regressão está disponível na Nuuvem e na Steam. Abaixo tem o trailer do game:

Confira o trailer de Pesadelo – Regressão

Um dos jogos indie brasileiros mais famosos dos últimos tempos foi Pesadelo, da desenvolvedora Skyjaz, que foi jogado por diversos youtubers famosos como o Pew Die Pie e recebeu críticas positivas em diversas publicações. A desenvolvedora esta prestes a lançar o segundo capítulo da série chamado “Pesadelo – Regressão” através da Steam.

A premissa do jogo continua sendo o horror psicológico, apresentando ambientes deturpados e criaturas dignas de um pesadelo. No novo game os jogadores tomam o controle de Alex, um rapaz com uma mente inventiva e bastante perturbada. De alguma forma inexplicável, Alex fica preso em sua própria mente, que gera ambientes terríveis e criaturas sinistras para ataca-lo.

Para sair desta prisão mental, Alex precisa adentrar mais fundo nesses sonhos terríveis, descobrindo lembranças há muito esquecidas (e nada agradáveis). Contudo, é necessário ter cautela, pois a cada novo passo, Alex vai em direção à completa loucura e perdição. Pesadelo – Regressão ainda guarda uma surpresa para os jogadores brasileiros: a aventura de Alex irá explorar figuras do folclore brasileiro. Pode esperar aparições de lendas locais, como a Mula-sem-cabeça.

Outra novidade é o motor de jogo, se no original era utilizado a Unity, neste segundo game a equipe resolveu apostar na Unreal, de modo que os gráficos são melhores e a física mais apurada, além dos efeitos de partículas e fogo serem mais realistas. A trama é envolvente e bastante imersiva, repleta de possibilidades. Se você é do tipo que fica assustado facilmente, pode ser que pesadelo deixe de ser apenas o nome do jogo para se tornar sua rotina noturna.

A Skyjaz acabou de lançar o trailer do game e anunciou que o lançamento ocorre em meados de fevereiro de 2016. A pré-venda será liberada em breve.

Abaixo tem o trailer de Pesadelo – Regressão:

Fragmentorum Alba: startup de games lança primeiro jogo dentro de aceleradora

A Otus, desenvolvedora brasileira e primeira startup surgida dentro de uma aceleradora no Rio Grande do Sul (Estarte.Me) acaba de anunciar que seu primeiro jogo chega ao mercado em setembro deste ano. O game chama-se Fragmentorum Alba e levou um ano inteiro para ser desenvolvido.

O game segue o gênero de terror e conta a história de um professor britânico que recebe uma mensagem gravada em uma misteriosa fita. O conteúdo da fita é desconhecido, pois sempre que o professor tenta ouvi-la ocorrem distúrbios relacionados a eletrônicos e tecnologia.

O professor acredita que a fita vem de algo maior e desconhecido e resolve ir aos EUA tentar decodificá-la. Ao entrar no elevador do hotel Arx Rubra, um novo distúrbio ocorre, deixando o professor preso no prédio. Neste local ocorrerão diversos fenômenos estranhos, cabendo ao jogador guiar o pobre professor a descobrir o que se passa no local.

O game busca inspiração em clássicos do terror para obter seu tom sinistro como os filmes Eraserhead, Cidade dos Sonhos, O Iluminado e a série Além da Imaginação. Além deles, “(…) Séries como Mad Men foram de grande valia para estudarmos a vestimenta da época e criar cenários de acordo com o período histórico do jogo”, disse Tiago Rech, um dos membros da Otus.

O game promete muito suspense e cenas de congelar a espinha. O interessante é que o projeto é a primeira obra gerada através de uma aceleradora no RS, prática que aos poucos vai se popularizando pelo Brasil. A Otus, aliás, é bem conhecida do público brasileiro, afinal a desenvolvedora conquistou destaque em alguns eventos como primeiro lugar no Desafio de Games Sebrae, primeiro lugar na categoria ambientação na Ludum Dare #25, terceiro lugar na categoria ambientação na Ludum Dare #27 e finalista da Indie Speed Run 2013.

“Os desafios nos deram a possibilidade de testar detalhes do Fragmentorum Alba, como iluminação, cor, elementos de som, cenários 3D e sistema de rotação de câmera”, conta Klos Cunha, desenvolvedor na Otus.

O teaser de Fragmentorum Alba pode ser conferido abaixo:

Os melhores jogos de terror da atualidade

Por Bruna Cardoso, do Blog Jogos de Terror.

Eis aqui mais uma lista de melhores jogos de terror da atualidade… Não! Todas as listas espalhadas pela internet estão erradas e esta aqui também.

A lista (em ordem de lançamento):

  • Série Dead Space (2008)
  • Deadly Premonition (2010)
  • Série Metro (2010)
  • Alan Wake (2010)
  • Limbo (2010)
  • Amnesia (2010)
  • Slender: The Eight Pages (2012)
  • The Last of Us (2013)
  • Outlast (2013)
  • As sagas zombie (compilação dos jogos de zombies)

Não tem como definir o melhor jogo somente olhando para alguns fatores como, por exemplo, a história, gráfico, ambientação, personagens, desenvolvimento da trama, popularidade.

Jogos de vídeo game não são filmes, não são livros e muito menos novelas, são mecanismos geradores de experiências e elas não seguem um script pronto, elas são vividas por cada um de nós individualmente, somos nós os protagonistas da história.

Por que gostamos de listas?

Se várias pessoas tiveram experiências incríveis com determinados jogos é certeza que teremos também, certo? Errado! Ninguém neste mundo é igual.

Mas por que então fazemos listas de melhores jogos? Para facilitar a nossa vida, existem muitos jogos de terror e não temos tempo de jogar todos, as listas mostram o que a maioria gosta ou às vezes até opiniões pessoais do autor da lista, desta forma fica mais fácil escolhermos qual vamos jogar em meio a tantas escolhas.

Jogos de terror da atualidade

 Nesta compilação de jogos eu levei em consideração os jogos em que o primeiro da série foi lançado de 2008 pra frente, então você não vai encontrar jogos de vanguarda como Resident Evil e Silent Hill, nenhuma sequência de jogos antigos e nem jogos onde o lançamento foi em 2007.

Não considerei jogos que ainda não foram lançados por completo antes de fevereiro de 2014, pois é a data que escrevo este artigo. Nem todos os jogos da lista são 100% terror, alguns possuem somente características marcantes deste estilo, mas não podem ser ignorados. Esta lista não é uma opinião pessoal com base em minhas experiências, mas sim em pesquisas, em outras palavras estou lavando as mãos.

Quer experimentar os jogos de terror da atualidade, mas não sabe qual escolher? Dê uma olhada abaixo e comece com aquele que mais te agradar.

Série Dead Space (2008)

th

A série Dead Space ganhou vários fãs devido aos dois primeiros jogos que unia elementos de sobrevivência e terror em um ambiente espacial do futuro, com a chegada do terceiro jogo, foi retirados muitos dos elementos que traziam identidade à série.  Apesar de tudo, Dead Space é um jogo pioneiro desta nova geração.

Em uma era bem distante onde os recursos na terra são escassos e a tecnologia foi usada para alcançar outros planetas em busca de uma nova esperança de vida humana, você controla Isaac Clarke em uma investigação de uma nave espacial que não apresenta sinal de vida, ao chegar à nave, é encontrada uma ameaça alienígena e você tem que sobreviver e escapar.

Deadly Premonition (2010)

deadly_premonition__directors_cut_wallpaper_by_christian2506-d5vj88t

Deadly Premonition é um dos títulos mais controversos em crítica, alguns amam outros odeiam, mas o fato é que o jogo teve sucesso e é muito interessante.

O personagem principal é um misterioso investigador que fala sozinho e têm sonhos estranhos, o seu objetivo é investigar uma série de assassinatos em uma pequena cidade, lá você de cara encontra criaturas e acontecimentos misteriosos.

O jogo apresenta uma mistura de investigação (conversar com as pessoas, verificar o cenário, encontrar pistas) com ação (enfrentar monstros, dirigir a viatura da polícia, encontrar caminhos) e uma história com clima de mistério e terror.

O inusitado, a história, personagens únicos, o humor e cenas desagradáveis (no bom sentido) marcam Deadly Premonition, confira no vídeo trailer:

Série Metro (2010)

284927

Em um mundo exterminado pelas bombas atômicas, sobreviventes vivem nos metrôs das cidades se escondendo da radiação e das criaturas alteradas pela radiação.

Belos cenários escuros e realísticos com ótimos controles FPS e toda a contextualização da história fazem dos atuais jogos Metro 2033 e Metro Last Light uma experiência inesquecível.

Você controla um personagem que nasceu no metrô da Rússia logo depois dos ataques nucleares e conforme for suas escolhas no jogo, você pode ter dois finais diferentes.

Alan Wake (2010)

Alan_Wake_Wallpaper

Um jogo impressionante com um charme cinematográfico e elementos únicos é Alan Wake, realmente é maravilhoso quando um jogo tem uma história bem elaborada.

História

Alan Wake é um escritor de livros que foi passar as férias em uma cidade pequena, porém ele começa a ter visões estranhas e partes do último livro que ele escreveu misteriosamente aparece, o mais sinistro é que Alan não se lembra de ter escrito nada deste livro, quando a esposa de Alan some, ele tem que resolver este mistério e encontrá-la.

Confira o trailer deste jogo fantástico:

Limbo (2010)

limbo__reunion_by_anneliesse666-d5j870q

Se em algum lugar existir a classificação jogo de terror arte, Limbo necessariamente deveria estar nesta lista. Limbo é um jogo produzido por uma desenvolvedora independente que obteve muito sucesso ao trazer uma experiência nova para o jogador.

O terror não está em monstros ou grandes sustos com cenas de impacto, mas sim em pequenos detalhes macabros, tanto sonoros quanto em toda sua estética.

O jogo foi lançado para Xbox 360, Windows e PS3 e é totalmente em preto e branco, o jogo é em 2D e sua mecânica é bem simples, você encontrará muitos quebra-cabeças no jogo e não terá dicas diretas para resolve-los, realmente um formato bem diferente para um jogo de terror lançado para consoles da atualidade.

Limbo é um jogo relativamente pequeno com aproximadamente 3 até 6 horas de duração. Confira o trailer do jogo:

História?

O mistério do jogo é a história, você controla um menino em uma floresta cercada de armadilhas e animais selvagens e seu objetivo é encontrar sua irmã que não sabemos ao certo se está viva ou morta.

Não há diálogos ou pistas concretas do que realmente é o jogo Limbo, cada um pode interpretar sua história de forma diferente, será que este menino realmente está vivo? Será que Limbo seria a representação do purgatório? Será que ele já está no inferno ou a história é uma representação da evolução humana?

Não pense que zerar o jogo vai ser o suficiente para entendê-lo, mas será gratificante jogar.

Amnesia (2010)

maxresdefault

Atualmente Amnesia tem dois jogos lançados para a série: Amnesia The Dark Descent e Amnesia: A Machine For Pigs. Realmente um jogo obrigatório para os amantes de jogos de terror.

Em Amnesia você se sente inseguro, seu personagem não possui armas de fogo, você não sabe o que está acontecendo ou o que vai acontecer e você não tem lembranças de quem você realmente é ou o que fez.

Se você ainda não jogou Amnesia, faça um favor para você mesmo e comece a jogar agora.

Slender: The Eight Pages (2012)

2267718-slender_title

Slender é um jogo baseado em uma lenda urbana de uma criatura chamada Slender Man, muito bem vestido por sinal, que rapta crianças em ambientes escuros e desertos. Este jogo fez tanto sucesso que existem várias versões dele espalhadas pela internet, a mais consagrada é a versão gratuita chamada Slender: The Eight Pages .

Em Slender você está sozinho na floresta com somente uma lanterna, seu objetivo é coletar 8 páginas de um caderno espalhadas pelo ambiente noturno. O Slender Man vai tentar te pegar, ele tem teletransporte, é imortal e basta chegar muito perto dele para que você morra.

O jogo em si não é uma grande produção com uma história elaborada, gráficos elegantes, personagens marcantes e é bem pequeno com relação ao tempo de duração de um jogo. O que é atrativo em Slender é o fator psicológico, o fato de existir um vilão que não dá pra combater, o ambiente escuro e sombrio combinado com a sonorização do jogo.

The Last of Us (2013)

The_Last_of_Us_free_poster_03

Apesar de The Last Of Us não ser um jogo totalmente voltado para o terror, ele possui vários elementos do mundo do horror, este jogo recebeu tantos prêmios importantes e a recepção foi tão boa que é impossível ignorarmos o fato de que ele é muito importante para o cenário atual.

História

 The Last Of Us é um jogo ambientado em um mundo pós apocalíptico onde você tem que sobreviver à escassez de mantimentos e ataque de criaturas hostis, ambientado em cidades dos Estados Unidos.

Os acontecimentos do jogo são em 2033 e o que causou a tragédia no mundo foi uma infecção de humanos com um fungo chamado de Cordyceps, ao serem contaminadas com este fungo, as pessoas viram uma espécie de zumbi.

Você assume o papel de Joel, um anti-herói que a troco de recuperar suas armas, segue na escolta de uma garotinha de 14 anos chamada Ellie que possivelmente seria a chave para a cura da doença causada pelo fungo.

Por que é tão especial?

 A história é bem clichê e muito usada em vários jogos, por que então obteve tanto sucesso? A resposta para esta pergunta poderia ser um conjunto de fatores que juntos formam não somente um jogo como qualquer outro, mas sim uma obra prima.

Com elementos cinematográficos de causar inveja, jogabilidade desenvolvida para o jogo de forma que a realidade da história seja mais envolvente (exemplo disso é o fato de que se o jogador se ferir ele não pode ser regenerado), personagens cativantes, cenários maravilhosos, trilha sonora e vários outros detalhes tornam este jogo um sucesso.

Infelizmente, The Last Of Us é um jogo disponibilizado somente para PS3, portanto se você tem condições de jogar, não perca esta chance, seja você um fã de um bom survival horror ou não.

Outlast (2013)

outlast-02

Outlast é um jogo com todos os ingredientes necessários para um game aterrorizante, desde os cenários até a história.

O personagem principal é um jornalista que resolveu investigar de perto um sanatório que tem um passado sombrio, o jogo se passe dentro deste sanatório que está cheio de monstros, seu objetivo é fugir.

Você pode achar que é somente mais um joguinho de terror onde você tem que escapar de um lugar infestado de criaturas, mas não é bem assim, o clima desse jogo e a direção que ele leva a história é impressionante.

As sagas zombie

thNH0LQIQ9

E como estou listando jogos contemporâneos, não posso deixar de lado a febre zombie que vem se alastrando nos últimos anos.

Como existem vários jogos com a mesma temática que obtiveram um público respeitável e levou a terror para os amantes da ação, resolvi não falar somente em uma franquia, mas sim nas mais influentes, assim você pode escolher qual delas mais lhe agrada.

Left For Dead (2008)

Como você sobreviveria se fosse um dos poucos imunes a uma infestação zombie? Em Left for dead é melhor que você não esteja sozinho.

O modo multiplayer é o grande atrativo do jogo, você encontrará a sua disposição várias formas de jogar, por exemplo, você pode escolher também ser um dos infectados e colaborar com outros para acabar com os mocinhos. Em Left for dead você pode usar armas de fogo e durante o caminho você vai encontrar muitos infectados e alguns com características bem próprias.

Left for dead está atualmente com dois jogos e foi muito bem aceito pela maioria dos jogadores.

Dead Island (2011)

 Você está nas férias de seus sonhos em um paraíso tropical, mas algo inesperado acontece e tudo vira um pesadelo quando uma infestação de zombies tomam conta da ilha, isso mesmo você está ilhado e cercado de monstros de sungas.

O jogo é em primeira pessoa e a predominância é a de armas brancas que podem ser customizadas e não as de fogo como comumente são usadas no estilo. Existe um modo multiplayer do jogo e a história não segue um padrão linear, você pode escolher qual missão deve fazer ou ficar somente explorando e matando Zombies. No inicio do jogo você pode escolher com qual personagem quer jogar.

Atualmente a série possui um jogo continuação chamado Dead Island Riptide, a série Dead Island ficou muito popular devido ao ótimo trabalho de marketing da produtora.

The Walking Dead: The Game (2012)

Jogo para uma das mais amadas séries de zombies da atualidade ganhou sua versão game e não desapontou, foi sucesso na certa e não somente por ser uma adaptação para The Walking Dead, mas sim por que realmente o jogo é cativante.

O game foi lançado em capítulos e a história do jogo é baseada nos quadrinhos da série, mas os personagens principais são feitos exclusivamente para a versão do game, porém com a participação de alguns personagens do seriado.

The walking dead: the game é um jogo no formato point and click, onde o jogador tem que escolher quais as falas dos personagens e às vezes consegue controlar o personagem, todas suas escolhas influenciam no desenrolar da história.

ZombiU (2012)

ZombiU é um jogo de zombie com uma ambientação sombria e envolvente, neste jogo se você morrer você vira um zombie e toma o controle de outro sobrevivente humano e inclusive pode encontrar o seu antigo personagem já transformado e recuperar seus itens.

Durante o jogo você tem que sobreviver a um apocalipse zombie em Londres e você pode assumir o controle de personagens diferentes.

Infelizmente o jogo é somente fornecido para quem tem um Nintendo Wii U, se você tem um não perca a chance de jogar ZombiU.

Infestation: Survivor Stories – THE WAR Z (2012)

Infestation é um jogo de sobrevivência em meio a um mundo que foi devastado por zombies, neste ambiente você além de enfrentar os zombies, terá que lidar com os outros jogadores que tentarão te matar e roubar seus itens.

Primeiramente o jogo se chamava The War Z, mas seu nome mudou para Infestation. Em Infestation você pode escolher seu personagem e jogar online que é um dos pontos fortes do jogo, realmente uma ótima opção para jogar com amigos.

DayZ (2013)

DayZ foi primeiramente um mod (modificação extra) do jogo ARMA 2, mas sua aprovação foi tanta que resolveram lançar DayZ como um jogo separado.

O jogo é online e é um survival com algumas mecânicas que não estamos acostumados em ver em outros jogos do estilo, os zombies não são bobinhos, eles correm, podem escutar os barulhos e além destas ameaças tem os outros jogadores que podem te matar e pegar seus itens.

O mapa é também um diferencial, é bem extenso e você tem que explorar ele ao máximo para encontrar recursos para continuar vivo o mais tempo possível. Ser morto por zombies e outros players não é a única forma de morrer, você pode cair de lugares altos, ingerir materiais nocivos, morrer de fome e entre diversas outras divertidas formas.

Deixe nos comentários abaixo por que os jogos da lista ou alguns não deveriam de jeito nenhum estar nela e porque alguns deveriam estar sim nesta lista. E mais importante de tudo, qual a sua lista?

ATENÇÃO: O texto de hoje é cortesia da redatora Bruna Cardoso, criadora do site “Jogo de Terror“, que é especialmente dedicado a falar sobre os games mais assustadores que foram lançados.