Arquivo da tag: Tablets

Pesquisa da Kantar revela maior interesse das mulheres na tecnologia

Neste dia Internacional das Mulheres, a Kantar Brasil Insights realizou uma pesquisa que aponta maior participação do público feminino em todos os ramos da tecnologia, como games, serviços de straming e smartphones. O tema da disparidade de gênero tem feito parte de reuniões de negócios, estratégias de contratação, posicionamentos de marca e até debates em grandes eventos, como foi o caso recente da Mobile World Congress, que através da programação Women4Tech levantou debates que provocavam sobre a necessidade de mais inclusão feminina na indústria de tecnologia móvel.

Na semana do dia internacional da mulher, é interessante ver que aos poucos o mercado também vai refletindo essas mudanças, especialmente dentro do setor de tecnologia. Dados da Kantar mostram que no Brasil as mulheres têm se interessado mais por vídeo games nos últimos 3 anos, segundo dados do estudo Connected Life.

Clique na imagem para ampliar
Clique na imagem para ampliar

Em 2015, 30% das mulheres no Brasil que possuem acesso à internet tinham um console de games, enquanto 9% declaravam ter intenções de comprar um vídeo game no futuro. Dois anos mais tarde, 40% das brasileiras possuem um vídeo game em casa, enquanto 15% pretendem comprar um.

“O aumento do interesse das mulheres por games e tecnologia, em geral, está muito associado ao incentivo”, explica Aline Pereira, jornalista e editora do coletivo MinasNerds. Para ela, esses setores sempre foram dominados por homens e as mulheres nunca foram encorajadas a descobri-los. “Os coletivos, como o MinasNerds, ajudam a mostrar que elas não estão sozinhas, que existem milhares de outras garotas que enfrentam as mesmas dificuldades, mas que apoiamos umas às outras”, defende ela.

Além disso, grupos e comunidades de games e de tecnologia com foco no público feminino incentivam o diálogo, a troca de ideias e experiências e o empoderamento. A própria indústria de tecnologia e games acaba precisando rever seus posicionamentos.

“A boa notícia é que ao longo dos últimos anos as mulheres têm ficado menos tolerantes [ao sexismo] e mais conscientes em relação à estereótipos que inferiorizam as mulheres, o que faz com que a indústria gradualmente passe a investir em histórias e personagens que fogem de preconceitos de gênero”, conclui Pereira.

unnamed-2

O mesmo tipo de mudança também pode ser percebido com a tecnologia móvel, como smartphones e tablets. Hoje, 91% das mulheres do Brasil possuem um smartphone e 49% pretendem comprar (ou atualizar os seus) smartphones. Tablets também estão nas mãos de 48% das brasileiras, um bom crescimento se comparado aos 27% de 2015.

Clique na imagem para ampliar
Clique na imagem para ampliar

Ao comparar mulheres dos principais mercados globais, como EUA, Reino Unido, França, China, Espanha, Malásia e Cingapura, as brasileiras estão entre as que mais se interessam em comprar equipamentos tecnológicos como tablets, console de games, smartphones, smartwatches, dispositivos de realidade virtual e serviços de streaming online, um comportamento bem similar ao de outros mercados em desenvolvimento, como China e Malásia. Entre estes países, o Brasil aparece entre os top 3 onde as mulheres mais possuem smartwatches e serviços de streaming online.

unnamed-5

Em termos de consumo de mídias digitais, mulheres e homens no Brasil tem comportamentos muito parecidos. Não existem diferenças significantes entre os gêneros em termos de acesso a redes sociais ou ao tempo gasto em sites/aplicativos como Twitter, Facebook e Linked In, ou até mesmo em sites de entretenimento, como Netflix ou Spotify, segundo dados do Target Group Index da Kantar IBOPE Media. Além disso, 41% das brasileiras declaram se manter em dia com os avanços tecnológicos e 59% dizem fazer a maior quantidade possível de buscas antes de comprar um equipamento eletrônicos.

No entanto, ainda se percebe uma disparidade de comportamento entre os gêneros no Brasil no modo como as mulheres acompanham as novidades de tecnologia ou no comportamento de compra de aparelhos tecnológicos. Elas ainda estão menos propensas a visitar sites de tecnologia (23% das mulheres versus 28% dos homens) e também estão menos propensas a pedir conselho aos amigos na hora de comprar um equipamento eletrônico (23% das mulheres versus 30% dos homens).

Microsoft organiza Windows 10 Game Jam no final de maio

Como todos sabem, a Microsoft está se preparando para o lançamento do Windows 10 e a expectativa ao redor do mundo é muito alta. Uma das certezas é que o mercado de jogos para PC novamente estará mais do que direcionado ao Windows, apesar dos sistemas concorrentes terem crescido exponencialmente. Tendo isso em mente, a Microsoft organizará o primeiro Windows 10 Game Jam.

Trata-se de um hackaton de 30 horas que ocorrerá em 22 países do mundo. O objetivo é reunir estudantes e desenvolvedores para criar jogos em uma verdadeira maratona para o novo sistema operacional da gigante americana. O evento ocorre entre os dias 23 e 24 de maio na Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo.

Vale dizer que mais que um sistema operacional, a Microsoft quer criar um sistema único para todos os devices do jogador. Ou seja, o Windows 10 terá versões para PC, mobile e Xbox One. A intenção é que com alguns poucos ajustes, um game criado para PC possa ser portado para smartphones, tablets ou para o Xbox One. Claro que isso são conceitos que devem ser explorados pela Microsoft ao longo dos meses e são eventos como o Windows 10 Game Jam que devem tronar as coisas mais palpáveis.

Para participar, basta fazer a inscrição no site do evento. Não se esqueça que você precisa levar seu próprio laptop já com o Windows 10 SDK e o Visual Studio Community Edition instalados. Uma dica é acompanhar o blog do Windows 10, pois lá tem dicas e informações sobre o novo sistema operacional.

Windows 10 Game Jam

Quando: 23 e 24 de maio de 2015

Horários: das 10h de 23/05 às 16h de 24/05

Onde: Universidade Anhembi Morumbi – Rua Casa do Ator, 294 – sala 501-C – Vila Olímpia

Blizzard lança Hearthstone para tablets Android

Após muitos pedidos dos fãs, enfim a Blizzard começa a lançar o elogiado jogo de cards Hearthstone: Heroes of Warcraft para os tablets Android. A princípio, a empresa começa a distribuir o jogo pelo Google Play no Canadá, Austrália e Nova Zelândia, mas ao longo dos próximos dias o game será lançado no resto do mundo. O lançamento mundial será feiro no Google Play e também na Amazon App Store para Android. De acordo com a publisher, o game tem jogabilidade ideal para tablets e por isso a possibilidade de sucesso é grande.

“Nos esforçamos bastante para que os jogadores tivessem uma ótima experiência em uma ampla gama de dispositivos Android”, disse Mike Morhaime, CEO e cofundador da Blizzard Entertainment. “Estamos empolgados para acolher os jogadores Android na comunidade Hearthstone e mal podemos esperar para levar o jogo no futuro a outras plataformas móveis, inclusive celulares.”

Com este lançamento para o mercado mobile, a Blizzard espera popularizar ainda mais seu card game. No jogo, os gamers entram em duelos de cartas que utilizam toda a mitologia de World of Warcraft. Devem-se montar decks e encarar outros usuários em partidas online a fim de conquistar a supremacia do ranking online e testar as habilidades. Os confrontos são estratégicos e demandam muito da perícia e habilidade dos jogadores.

Os jogadores de Hearthstone usando tablets Android têm acesso a todos os recursos e conteúdos empolgantes disponíveis nas versões Windows, Mac e iPad do jogo, de acordo com a Blizzard. O recente pacote que foi lançado (Goblins vs. Gnomos), que traz cerca de 120 novas cartas também podem ser utilizadas pelos usuários dos tablets.

Abaixo está o trailer do game Hearthstone:

Guardiões da Cidadania: game educativo para tablets

Pensando no bem estar coletivo e nos jogadores mais jovens, a Editora Ática lançou o aplicativo Guardiões da Cidadania para as plataformas iOS e Android. O aplicativo ambiciona tornar-se uma ferramenta importante na aprendizagem em ambientes escolares, pois propõe uma reflexão de ideias acerca de valores humanos como compaixão, amor ao próximo e respeito.

A aplicação é a primeira investida na área de games cuja temática é voltada para a cidadania. O game é inspirado pelo quadrinho “O Cidadão Invisível”, escrito em 2011 por Gilberto Dimenstein (que também foi lançado pela Ática). No game o jogador encontra os personagens Naco e Patrícia que residem na mesma cidade, porém de classes sociais distintas. Após o encontro dos personagens a vida de cada um se transforma de maneira surpreendente.

O objetivo do jogador é não permitir que o jovem Naco se torne “invisível” aos olhos da sociedade. O garoto mora nas ruas e está constantemente sendo ignorado pelas pessoas nas ruas. Para não permitir que Naco seja ignorado pela sociedade, o jogador deve criar um verdadeiro embate entre o bem e o mal utilizando corretamente as cartas com personagens do livro.

O game integra recursos de animação e jogabilidade semelhante ao Super Trunfo. Deste modo, a narrativa e jogabilidade são exploradas em partidas que envolvem atributos como ataque, defesa e estado de espírito.

“Hoje, nossas bandeiras implicam em educação de qualidade para todos, com acesso universal às novas e qualificadoras tecnologias educacionais”, ressalta Ana Teresa Ralston, diretora de Tecnologia de Educação da Abril Educação.

O game tenta explorar os conceitos criados por Dimenstein e atingir os jovens com a gamificação bem aplicada. Aos que tiverem interesse, o aplicativo já está disponível para iOS e Android para tablets e pode ser baixado gratuitamente.

Tablets superam notebooks em vendas pela primeira vez, segundo estudo da IDC

Há vários motivos para se investir tanto em jogos para plataformas móveis em detrimento à jogos para PCs: o baixo custo de produção de jogos e também a popularização desses dispositivos . De acordo com dados apresentados pela IDC Brasil os tablets foram mais comercializados em 2013 do que notebooks.

A empresa de consultoria divulgou dados consolidados do mercado de tablets no Brasil referentes ao quarto trimestre e do ano de 2013. De acordo com os dados, foram vendidos cerca de 8,4 milhões de unidades de tablets no Brasil, o que representa um crescimento de 157% em comparação com o que foi comercializado em 2012. No último trimestre foram vendidos cerca de 3 milhões de tablets devido às festividades de fim de ano.

“No ultimo trimestre de 2013 foi a primeira vez, desde que foram lançados, que os tablets superam os notebooks em volume de vendas em mais de 800 mil unidades”, disse Pedro Hagge, analista de mercado da IDC Brasil. Além do Natal, outra data que contribuiu para o crescimento de tablets foi a Black Friday, que empurrou preços para baixo e as vendas para cima.

Com o mercado de tablets aquecido é certo que mais estúdios devem investir na criação de novos jogos e aplicativos. Além disso, os tablets são mais fáceis de serem portados que os notebooks, sendo que alguns até possuem tecnologia superior a alguns notebooks. Espere que o setor cresça mais e mais games sejam desenvolvidos para tablets.

Beemoov lança Amor Doce para Android e iOS

Castiel 3

Após conquistar mais de 1 milhão de jogadores, a produtora Beemoov resolver trazer o jogo Doce Amor para o universo dos tablets e smartphones. Para quem não conhece, trata-se de um otome game, em que o objetivo é conquistar uma das garotas do game e viver uma bela história de amor. De acordo com a produtora, o game mantém as características da versão de PC, mantendo o clima de romance de paquera virtual.

Na trama, acompanhamos a história de uma estudante recém-chegada na escola Sweet Amoris. No novo ambiente escolar, a jovem conhece diferentes rapazes e é conhecendo-os que ela deve escolher o melhor partido e marcar um encontro. O desafio é escolher quem é o par mais apropriado, pois esses garotos têm suas próprias características e personalidades. No decorrer do jogo, vai-se descobrindo mais sobre o paquera favorito e quais situações e frases mais o agradam.

O game é voltado especialmente para as garotas e é inspirado em nos típicos games japoneses para otomes, conforme fica evidenciado com o character design e no foco voltado para as aventuras sentimentais de uma garota. Em outras palavras, esqueça ação e combates. O game envolve muitos diálogos e personalização de avatar, comprando roupas e mudando roupas e o cabelo.

Amor Doce para móbiles está disponível gratuitamente através do Google Play e da App Store. Após o download, o usuário escolhe se pretende criar uma conta ou logar-se na que já possui da versão web.

Confira abaixo o vídeo do game:

Tectoy Studios abre vaga para programador Android

Tectoy Programador Android

Outra oportunidade para game designers e programadores de jogos! A Tectoy Studios está a procura de um programador Android para trabalhar com o Tablet Android da própria Tectoy. O funcionário irá auxiliar no desenvolvimento de protótipos e arquitetura de novos aplicativos para o aparelho.

Para se candidatar a vaga é exigida formação em Engenharia ou Ciência da Computação ou áreas relacionadas. Também é necessário idioma inglês em nível avançado tanto para leitura quanto para escrita e bons conhecimentos de plataforma Java.

Além de boa comunicação, serão diferenciais para o candidato se tiver experiências com a plataforma Android e conhecimentos da metodologia Agile de desenvolvimento. Sálarios, horas trabalhadas e demais informações sobre a vaga serão passadas aos candidatos que preencherem os requisitos. Se a vaga é do seu interesse, basta enviar seu currículo e portfólio para o e-mail rh@tectoy.com.br com o assunto Programador Android.

Depois é só aguardar! Boa sorte programador Android ;)

Aeria Games e Gamepot fundem-se para criar uma força global no ramo de games online

Aeria Games e Gamepot

Visando expandir-se no mercado de games, a Aeria Games, responsável por títulos como Eden Eternal e Command  anunciou oficialmente uma parceria com a empresa Gamepot do Japão. Com esta união, a nova gigante terá alcance global para o lançamento de seus jogos nos cinco continentes do globo.

Para quem não conhece, a Gamepot é uma das maiores empresas nipônicas dedicadas a games para PC e celular. Com esta nova junção, a nova entidade conta com um portfólio de mais de 50 títulos para PCs e plataformas móveis, além disso, estima-se que pelo menos 50 milhões de pessoas estão registradas nos games em algum game da nova gigante. Com a união, espera-se que a plataforma Ignite alcance pelo menos os quatro principais continentes do globo.

Apesar dessa união, cada empresa poderá manter suas operações e marcas inalteradas. O que muda mesmo é o quadro executivo, que terá sua sede nos EUA e será presidida pelos CEOs Hiroki Totoki (da Gamepot) e Hoang Lan (da Aeria). Além disso, os acionistas da Aeria terão participação majoritária na holding. Os benefícios para essas empresas serão basicamente o compartilhamento de tecnologia, cooperação em desenvolvimento de games mobile e um alinhamento para o licenciamento e publicação de jogos de IPs globais.

“Esta parceria estratégica ajuda a cimentar a nossa posição como editora e desenvolvedora multiplataforma verdadeiramente global “,. “Estamos adicionando importantes recursos de desenvolvimento aos jogos para celular enquanto expandimos nosso principal negócio, que são os jogos para PC, além disso, aumentamos nosso alcance internacional e recursos para adquirir e publicar títulos AAA. A combinação fortalece cada faceta do nosso”, disse Lan Hoang, co-CEO da nova companhia.

A nova empresa formada por Aeria Games e Gamepot terá cerca de 600 funcionários e contará com escritórios no Brasil EUA, Japão, Alemanha e Coréia. Com a nova união, pode esperar para uma verdadeira avalanche de títulos para PC e celular chegando ao mercado brasileiro pelas mãos da Aeria. É esperar e torcer para que a nova empreitada traga bons frutos para cá!

Pet it out, o novo jogo desafio que chega para smartphones e tablets

Desenvolvido pela empresa brasiliense Candango Games, o título casual oferece 150 fases que desafiam o usuário a mostrar habilidade e muita precisão

Raciocínio rápido, precisão nos movimentos e muita concentração. Essas são apenas algumas das habilidades que o usuário terá que mostrar ao jogar Pet it out. O game, disponível para iPhone, iPad, iPod e celulares equipados com Android, chega para ser mais uma opção de game casual para crianças e adultos testem suas habilidades.

Desenvolvido pela Candango Games, o jogo permite interagir com diferentes personagens que contam com características próprias que lhes possibilitem enfrentar as mais diversas situações. Presos misteriosamente num zoológico intergalático, os pets devem explorar um total de 150 fases até conseguir encontrar o caminho de volta para casa. Seja escalando paredes com o agitado macaquinho, mergulhando fundo no oceano com o ousado pinguim ou saltando alto com o valente sapinho, o jogador terá que mostrar muita habilidade, ao aliar velocidade, inteligência e capacidade de orientação.

Isso porque ele deve conduzir cada pet por trajetos repletos de perigos e armadilhas como campos gravitacionais que desafiam as leis da física ou chuvas de raios laser que atrasam o progresso de cada mascote. Tudo isso o mais rápido possível e utilizando o menor número de movimentos até chegar ao portal que permite avançar para a etapa seguinte. E é claro, sem esquecer de recolher a maior quantidade de estrelas e troféus espalhados pelos cenários. Na medida em que os planetas vão sendo deixados para trás a complexidade e os desafios só aumentam.

Com uma jogabilidade intuitiva em fases de diferentes graus de dificuldade, Pet it out faz com que o jogador – seja ele casual ou mais experiente – tire todo o proveito do recurso da tela sensível ao toque para explorar os mais diferentes planetas do espaço. Ao melhor estilo adventure, o usuário deverá saber tomar as decisões corretas no tempo certo para atingir os objetivos e alcançar a pontuação máxima.

O game conta com um raking que permite comparar o resultado alcançado pelos animalzinhos em cada fases com a performance obtida por outros jogadores. Além disso, é possível utilizar outros dois sistemas de classificação: o Game Center, da Apple, e o Openfeint, utilizado por celulares Android. Também pode postar a pontuação alcançada em redes sociais como o Facebook e o Twitter e compartilhar com toda a rede de contatos como anda o desempenho no Pet it out.

O nível de dificuldade pode ser alterado, acelerando ou diminuindo a velocidade com que os obstáculos se apresentam em cada um dos mundos enfrentados. As músicas armazenadas no gadget do usuário podem, inclusive, ser selecionadas para servir de trilha sonora durante a aventura.

Disponível para download na App Store pelo valor de US$ 0,99, o game também conta com uma versão on-line e para Facebook, em que o jogador pode conhecer um pouco mais sobre o título e testar a jogabilidade de Pet it out. Para conferir, basta acessar a página oficial do jogo.

Tablets são usados mais para jogo e já representam 8% do mercado americano de games


Uma pesquisa recente da AdMob, subsidiária da Google, descobriu que o uso primário dos tablets está nos jogos. Dos 1.400 proprietários de tablets entrevistados nos EUA, 84% usam o aparelho para jogar.

A atividade que tanto gostamos foi seguida, meio de longe, por “busca de informação” (78%), email (74%), ler notícias (61%), acessar redes sociais (56%), reproduzir músicas e vídeos (51%), ler eboos (46%) e fazer compras (42%).

O uso do tablet também está em alta, e 43% dos usuários afirmou passar mais tempo no portátil que em um PC de mesa ou mesmo notebook, e um terço disse gastar mais tempo no tablet que assistar televisão.

A pesquisa reflete outro dado recente interessante, que diz que o console doméstico está perdendo terreno graças ao de smartphones e tablets, que hoje já representam 8% do mercado de games nos Estados Unidos.

O futuro do games está nos tablets?

[Via GamesIndustry]