Arquivo da tag: Steam

Locomotivah convida jogadores a testar Cahors Sunset

Nosso game do dia é cortesia do desenvolvedor brasileiro Rodrigo Silvestre do estúdio Locomotivah. O game chama-se Cahors Sunset e é para a plataforma Windows. No game, o jogador define as ações de um velho francês que nasceu e viveu na cidade de Cahors (França), local conhecido pela produção de vinhos e pela proximidade com o rio Lot.

O objetivo do jogador é simples: manter o jogador vivo. Para isso, basta valer-se de ações que lhe sejam benéficas. Entretanto, assim como na vida real, cada ação carrega uma reação e nem todas as escolhas mostram-se acertadas para o personagem, ou seja, alguns efeitos colaterais indesejáveis aguardam o personagem se as escolhas forem tolas.

A ideia é balancear os efeitos positivos e negativos de cada ação, de modo que o impacto na saúde do velho senhor sejam positivas. É um jogo sobre a vida, ainda que isto soe genérico. Além disso, podemos ver que o game pleiteia dar ao jogador liberdades de decisão e caráter inerentes a cada gamer. Quanto tempo você pode viver?

O time de desenvolvimento providenciou uma demo para quem quer entender este conceito ambicioso, para isso basta acessar o link do jogo.  Para quem quer o game completo, basta acessá-lo através do Desura ou do IndieCity. Cahors Sunset também pode entrar no Steam Greenlight , mas para tanto será necessário a ajuda dos jogadores.

Abaixo tem o trailer conceitual do game. Não mostra como é o título, mas introduz o conceito. Mais informações no site da Locomotivah.

Abaixo você confere o trailer do game Cahors Sunset

Painters Guild: game indie brasileiro retrata período da Renascença

Games e arte. Aí está uma discussão antiga que já deu muito o que falar. Nosso game do dia tenta aproximar os jogos digitais de uma forma de arte reconhecida: a pintura. Painters Guild é um game indie que coloca o jogador no controle do jovem Leonardo Da Vinci, que está dedicado a ganhar a vida com quadros, pintando-os, vendendo-os e sendo reconhecido entre os grandes mestres da Renascença.

A primeira versão do game mostra os primeiros anos da carreira de Da Vinci, ainda quando era um mero aprendiz de Verrocchio. Entretanto há planos para que novas versões sejam lançadas contando um pouco da vida de outros artistas. Além de criar quadros, o game permite que o jogador customize seu ambiente de trabalho, escolhendo papel de parede, decoração, etc. Além disso, é possível se relacionar com outros personagens do jogo, até mesmo formar relacionamentos amorosos.

Painters Guild é um RPG que tenciona mostrar o cenário artístico parisiense do século XVI. O título é criação do desenvolvedor gaúcho Lucas Molina, que resolveu contar a História da Arte através dos videogames para um trabalho de mestrado da UFRGS. A previsão é que o jogo chegue a sua versão final à Steam em agosto deste ano, mas antes disso há a possibilidade dele dar as caras no BIG Festival em maio.

A versão final deverá ser um sandbox em que a aristocracia francesa encomenda quadros de artistas em ascensão. O jogador controlará uma guilda de artistas nesse cenário, e é aí que surgem problemáticas como disciplinar seus artistas ou vender seus bens para salvar a carreira de um artista que é talentoso, mas está ficando cego. As decisões do jogador influenciarão o desenrolar do jogo.

Os gráficos do game são em pixel art, o que confere um ar retro/indie ao produto. O interessante é que, com exceção da trilha sonora, todo o jogo é criação de Molina. Outra curiosidade é que o game entrou para o Steam Greelight com ampla aceitação do público, mostrando que ainda existe interesse de muitas pessoas pela História da Arte. Enquanto a versão final não chega, veja o vídeo abaixo.

Confira o trailer de Painters Guild:

Jogo indie Mr. Bree+ lança trailers e página do Greenlight​

Mr. Bree

Nosso game de hoje chama-se Mr. Bree+, um título que mescla aventura e plataforma hardcore da produtora Taw Studio. O jogo deverá agradar os fãs de jogos dos gêneros mencionados, pois tem alguns elementos que fazem lembrar os adorados Super Meat Boy, Megaman e a série Castlevania. Isso com um aspecto visual agradável e efeitos sonoros de arrepiar ao longo de 60 fases.

Cada uma das fases conta um pouco da história do protagonista do jogo, um porco fazendeiro e pai de família que foi capturado por javalis selvagens para trabalhar forçadamente. Descontente com o destino que teve, Mr. Bree decide fugir de seus captores, os problemas começam mesmo quando o nosso herói se acidenta e perde a memória juntamente com sua coordenação motora. O objetivo é ajudar Mr. Bree a achar o caminho para casa, recuperar a memória e descobrir o que houve com sua família. De acordo com os desenvolvedores, a jornada de Mr. Bree trará revelações inacreditáveis.

O game conta com 4 modos de jogo e mais de 60 conquistas, além de batalhas contra chefes que irão tornar a aventura menos tranquila do que se possa imaginar. O game merece especial atenção por ser a sequência do webgame “Mr. Bree: Returning Home”, que teve mais de 5 milhões de gameplays no mundo. Além disso, Mr. Bree já foi premiado nas categorias “Melhor jogo de PC” e “Melhor Trilha Sonora” no Festival SBGames 2012.

Atualmente Mr. Bree + está numa campanha no Greenlight para ser lançada através da Steam, então você pode ajudar o game a ficar disponível em mais lugares.

Abaixo você confere o trailer do game Mr. Bree+:

Papo & Yo está disponível para PCs

Papo & Yo

Vocês se lembram do game indie que fez bastante barulho na PSN no ano passado chamado Papo & Yo? Pois bem, o game cheio de personalidade era um exclusivo do PS3, entretanto os jogadores de PC também já podem curtir a aventura lúdica do menino Quico.

Papo & Yo chegou até a Steam no último dia 18 de abril de 2013 com o preço de R$ 24,99 junto com a trilha sonora (OST) no pacote. De acordo com a produtora, o lançamento para PC teve direito a um banho gráfico e ajustes no gameplay  e efeitos visuais. Além disso, a versão suportará o controle do Xbox 360 para o modo Steam Big Picture e à multi-monitores, A expectativa da produtora “Minority” é de que o game torne-se ainda mais reconhecido pelo mundo após alcançar uma audiência mais vasta.

Como se não bastasse, a trilha sonora de Papo & Yo, criada pelo compositor Brian D’Oliveira, também será disponibilizada através da loja iTunes. Quem jogou o game, sabe que a trilhe tem a cara do Brasil e é um dos aspectos mais importantes durante a jogatina, dando o clima de aventura apropriada à história. Você pode conferir uma prévia através deste link.

Na trama o jogador acompanha a história do garoto Quico e do robozinho Lula que devem resolver uma série de puzzles ao longo de uma grande favela. Durante a aventura Quico conhece a criatura chamada Monster, com quem  deve firmar uma relação de amizade a fim de resolver os quebra cabeças.

O relacionamento entre Quico e Monster é inspirado fortemente na infância do criador do jogo, o designer Vander Caballero, que vivia uma relação conturbada com o pai que tinha problemas com o álcool. O GameReporter já teve a oportunidade de testar o game, e por isso podemos afirmar que o jogo é imperdível!

Confira o trailer de Papo & Yo abaixo:

Steam Linux já é realidade. Que venham os pinguins!

Steam Linux

Steam Linux já é realidade! Uma ótima notícia para não-usuários de Windows que buscam uma ótima experiência de compra.  A Valve anunciou que partir de agora o portal Steam também está disponível para usuários de Linux. De acordo com a companhia, o aplicativo “cliente Steam” pode ser baixado gratuitamente através da Central de Programas Ubuntu.

“A chegada do Steam para Ubuntu demonstra a crescente demanda por sistemas abertos por parte dos jogadores e desenvolvedores de games” diz David Pitkin, Diretor de Aplicações para Consumidores da Canonical. “Nós esperamos que um grande número de desenvolvedores de jogos comece a incluir o Ubuntu entre as opções de plataforma de seus produtos. Estamos ansiosos para ver o desenvolvimento de jogos AAA que tenham o Ubuntu em mente, como parte de um lançamento multiplataforma no Steam”, explica ele.

Alguns dos primeiros games disponíveis para o Steam Linux são da própria Valve como Team Fortress 2, Half Life, Counter-Strike 1.6 e Counter-Strike: Source. De acordo com a Valve, Team Fortress 2 premiará os jogadores que estiverem utilizando o Linux com o Tux, o mascote oficial do sistema, que será um item in-game. Além dos games, foi disponibilizada a opção Big Picture, uma ferramenta projetada para utilizar o serviço com a combinação TV e Joystick.

Com este lançamento a Valve esperar alcançar mais jogadores através do Steam. Mais informações sobre os serviços e novidades poderão ser encontradas na Central da Comunidade Steam para Linux.

Quem já está usando o Steam Linux?

Distribuição digital de games: oportunidades e briga por espaços

Distribuição Digital de Games

Por Alan Brambila, especial para o GameReporter

O filme ‘Indie Game: The Movie’ abre com Tommy Refenes, co-criador de Super Meat Boy, ligando seu Xbox para conferir se seu jogo está nos destaques da Xbox Live. Ele confere várias vezes e não encontra. As cenas seguintes são de angústia, raiva e desespero: era o dia de lançamento e o jogo não estava nos destaques da loja.

A cena apresenta duas realidades comuns entre desenvolvedores independentes e pequenos estúdios mundo a fora: a facilidade de publicação por meio da distribuição digital de games e a dificuldade de conseguir espaço nessas lojas online em uma época que todos estão fazendo o mesmo.

Esta semana tivemos o lançamento do iPhone 5, que mesmo com poucas novidades, roubou a atenção dos sites de tecnologia e já em pré-venda, arrecadou o dobro de aparelhos que seu antecessor em mesmo período. Dentre os vários motivos para o fenômeno iPhone está sua loja de aplicativos. Desde 2007, ano de lançamento do aparelho, temos visto o surgimento de novas desenvolvedoras no Brasil e no mundo bem como cursos de desenvolvimento de jogos.

O sistema opera de forma simples: o desenvolvedor termina seu jogo e envia para avaliação da Apple. Se tudo estiver dentro das especificações, em alguns dias o jogo estará disponível na loja – que hoje conta com mais de 400 milhões assinantes. A Apple fica com 30% dos lucros e o desenvolvedor com os 70% restantes. Essa formula é um grande sucesso replicado em outros sistemas.

O aquecimento provocado pelo modelo proporcionou a abertura de estúdios em mercados emergentes da América Latina e Ásia criando uma concorrência de visibilidade nas lojas. Alguns estúdios investem na fórmula de clonar a jogabilidade de jogos famosos, inserindo nova roupagem e investindo em uma fórmula de sucesso comprovado. Outros aproveitam lojas emergentes e sua baixa concorrência para abocanhar uma clientela carente de jogos. É o caso de desenvolvedores de Windows Phone, BlackBerry e Nokia.

Xbox Live Indie Games

Em 2008 estreou no mundo dos consoles uma ferramenta de auto-publicação: a ‘Xbox Live Indie Games’ (XBLIG). O serviço propõe uma forma barata de desenvolvedores explorarem seu potencial criativo no poder tecnológico de um console, e que jogadores conheçam a preços módicos jogos inovadores e únicos que provavelmente jamais seriam produzidos nas mãos de uma grande desenvolvedora de games.

Contudo, o efeito tem sido exatamente o oposto. Em quatro anos de serviço, os problemas de visibilidade da loja criaram um efeito onde clones de Minecraft vendem centenas de milhares de downloads e jogos realmente inovadores amargam poucas centenas que não pagam o custo de desenvolvimento. A cada mês, mais e mais desenvolvedores abandonam a plataforma.

PlayStation Mobile

Com beta aberto esse ano, a Sony vai inaugurar em breve a PlayStation Mobile (antes PlayStation Suite). A plataforma de publicação e desenvolvimento pretende replicar a formula do XBLIG para a PlayStation Network. Em entrevista ao site Gamasutra, Jack Buser, Diretor Sênior de plataformas digitais PlayStation afirmou: “estamos cientes do que está acontecendo em plataformas concorrentes e estamos dedicados em entregar uma melhor experiência através do PlayStation. Embora não temos nada a anunciar neste momento, estamos cientes deste problema”. A plataforma no momento funciona apenas em celulares e tablets certificados e também o PS Vita.

Steam Greenlight

O Steam, considerado a Meca da distribuição digital de jogos, tinha um sistema de onde desenvolvedores indies podiam enviar jogos para avaliação da Valve com a esperança de serem publicados na plataforma. A Valve recebia incontáveis jogos para serem avaliados, a ponto de inviabilizar o processo avaliativo em um prazo realista.

Anunciado em julho de 2012, a Valve montou um novo sistema de auto-publicação onde os jogadores votam em quais jogos são merecedores de entrar na loja. Em poucos dias milhares de jogos foram inscritos. Muitos clones, fakes, piadas e até mesmo ideias de jogos que nunca foram produzidos. Para filtrar o próprio filtro, a Valve aplicou recentemente uma taxa de US$ 100, o que desagradou alguns desenvolvedores indies que terão que arcar com um investimento de poucas garantias.

Do lado de cá do Equador, recentemente tivemos o anuncio do Nuuvem Underground, com previsão de estreia para esse mês. O sistema usará um esquema parecido com o Steam Greenlight.

A volta das Publishers e a solução dos nichos

Ciente dos problemas de visibilidade das plataformas digitais, recentemente surgiu a tendência das grandes publishers procurarem desenvolvedores pequenos e indies para tirá-los do limbo. É o caso da Square-Enix. A gigante japonesa está promovendo na América Latina um concurso para descobrir talentos que farão novas franquias mobile para a empresa.

A proposta dos publishers é oferecer liberdade criativa, publicidade e um selo para desenvolvedores que levariam anos para conquistar espaço entre tantos outros. Como é uma solução nova, ainda é cedo para saber se dará certo.

Outro caminho oferecido são as lojas de nicho. De tempos em tempos têm aparecido lojas temáticas oferecendo bons jogos e pouca disputa de visibilidade. É o caso do Desura que tem atraído para seu catalogo jogos indies, mods e clássicos antigos.

O caráter definitivo da distribuição digital se mostra cada vez mais irreversível – cresceu 220% em 2011, somando todos os setores. Essa é a hora certa dos novos desenvolvedores brigarem por um espaço e enfrentarem os desafios. Num futuro onde todos brigarão pelo mesmo espaço, reina quem já estiver bem acomodado e não ignora novas oportunidades.

Será que os brasileiros conseguirão este espaço? Vamos acompanhar para ver, mas eu acredito que sim.

——-

Alan Brambila é estudante de Jogos Digitais na PUC-SP e  começa agora a escrever para o GameReporter.

Indie Game: The Movie será distribuído com legendas em Português do Brasil

Indie Game The Movie

Estamos de volta com mais novidades sobre o documentário Indie Game: The Movie que tem data de estreia prevista para 12 de Junho de 2012.

Após entrar em contato com os produtores do filme questionando se os releases disponibilizados na data de estreia terão packs de legendas inclusos, recebemos a seguinte resposta, traduzida abaixo:

Olá Eduardo,

Obrigado por escrever,

Atualmente, só temos legendas confirmadas em Inglês, Espanhol, Português, Francês, Italiano e Chinês  para a versão de download DRM-Free presente no: http://buy.indiegamethemovie.com/

Esperamos adicioná-la na versão do STEAM , mas não estamos 100% de certeza que conseguiremos fazer isso (ainda estamos trabalhando no pacote).

Espero que essa informação ajude!

Após essa resposta eu fiquei receoso se o português incluso nessas legendas seria de fato nosso português brasileiro. Então, enviei outro e-mail para esclarecer essa dúvida, o qual foi respondido rapidamente  confirmando que a versão DRM-free disponibilizada no site do Indie Game: The Movie possuirá legendas em Português do Brasil !

Lembrando que o documentário  está em pré-venda por US$ 9,99 em cópias em 720 pixels e 1080 pixels.

Então, lhes pergunto: o que vocês estão esperando que ainda não foram até o site oficial e compraram o documentário ?

Caso não conheçam o documentário, vejam o trailer abaixo e se empolguem, como nós por aqui:

Indie Game: The Movie será distribuído via iTunes em Blu-ray e também pelo Steam

Já falamos sobre o “fenômeno” que é Indie Game: The Movie no Game Reporter, lembram ?!

A notícia de hoje sobre esse documentário é que  ele está em pré-venda na iTunes americana por US$ 9,99 a cópia normal e por US$ 12,99 a cópia em HD  (até a escrita desse post, não achei o filme na iTunes brasileira). Também é possível comprar o filme através do seu site oficial por Us$ 9,99 em cópias sem DRM em 720p e 1080p.

A parte mais legal desta notícia que o filme também está disponível para pré-venda no Steam. Sim, você leu certo. Nossa amada plataforma de compras de jogos para PC e Mac também terá filmes (pelo menos um até agora). E como se não bastasse você poder ver esse documentário por lá, ainda vai pagar mais barato do que nos outros links, já que a compra pelo Steam sai por US$ 8,99. Essa “oferta” é válida até o dia 12 de junho.

E vocês, já decidiram onde, como e quando verão Indie Game: The Movie ?!

(via Destructoid)

Steam promove grande promoção de fim de ano

Vai passar o fim de ano em casa? Provavelmente jogando, né? Então, se esse é o caso, dê uma olhada no Steam, que está com uma promoção bem legal para seus membros.

De agora até o dia primeiro de janeiro, o serviço realizará desafios, cujas conclusões levarão a prêmios de cupons a jogos completos. Também serão dado “carvões” que podem ser juntados e trocados por presentes ou ainda pela participação em um grande sorteio que dará ao felizardo a licença de cada um dos games existentes no catálogo do Steam.

:: Confira os detalhes da programação

[Via CVG]

Pacotão de Natal de games independentes está no ar

Somos adeptos de bundles, aqueles pacotões de games lançados por preços muito mais baixos que os tradicionais e que nos trazem pérolas do mundo de jogos indies.

O mais recente deles é trazido pelo site IndieGames e se chama Indie Royale – The Xmas Bundle. O pacote traz seis quatro jogos: The Oil Blue (simulador), Dino D Day (FPS), Eets (plataformas) e o The Blackwell Trilogy: Remastered (adventure point-and-click).

Os jogos são para Windows, e estão disponíveis, exceto o The Oil Blue, também via Steam. Todos estão atrelados ao serviço Desura, de distribuição digital.

Diferente dos Humble Bundles, em que se paga quanto quer, o Xmas Bundle tem valor mínimo dinâmico, que no fechamento dessa notinha era de US$ 4,20.

Gostou da ideia? Você tem mais 13 dias para garantir o seu. Por menos de US$ 5, é uma boa ideia de presente, não?

Prefere esperar? O Indie Royale voltará em 3 semanas (com o New Year Bundle), em 5 semanas (com o Alpha Fund Bundle) e em 8 semanas (com o Valentine’s Bundle), todavia não foram divulgados quais serão os games inclusos.

:: Compre o Indie Royale -The Xmas Bundle agora