Arquivo da tag: square enix

Kingdom Hearts III poderá ser o maior RPG da Square Enix

eurogamer-s257wq

Lá se vão 7 anos desde o lançamento de Kingdom Hearts II no Playstation 2 e desde então tivemos uma sucessão de spin offs para manter a franquia fresca na cabeça dos jogadores como 358/2 Days, Dream Drop Distance e Birth By Sleep para plataformas portáteis. Esses lançamentos não eram ruins, entretanto é certo que não eram exatamente aquilo que os fãs mais fervorosos esperavam. Provavelmente a franquia Kingdom Hearts está somente atrás de Final Fantasy e Dragon Quest em ordem de importância no portfólio da Square Enix. A saga protagonizada por Sora foi uma das mais vendidas na geração 128 bits e conquistou milhões de fãs em todo o mundo.

Os anos se passaram, os RPGs orientais foram perdendo espaço na mídia, incluindo Final Fantasy XIII e sua sequência, ao passo em que games como Skyrim e The Witcher ganhavam as massas com seus jogos para consoles de mesa. É difícil entender os motivos que levaram a demora para o lançamento de Kingdom Hearts 3, passamos uma geração inteira sem um novo capítulo para os consoles “grandes”. Mesmo assim a franquia criada por Tetsuya Nomura se manteve relevante entre os adorares de um bom Action-RPG.

Eis que a E3 2013 surgiu e durante uma morna apresentação do Playstation 4 a Square anuncia a produção do 3º capítulo da série para surpresa de muita gente (que nem botava mais fé no projeto). Agora que Kingdom Hearts III é uma realidade podemos olhar para trás e apenas conjecturar o que foi feito da Disney e da Square Enix ao longo de todos esses anos e imaginar que IPs poderiam integrar o próximo game de Nomura? O próprio produtor já deu sinais do que gostaria de fazer com o novo jogo.

Claro, seria ótimo trazer conteúdos da Marvel e da Lucas Arts para Kingdom Hearts 3. Mas existem várias restrições e regras que a Disney impõe, então não podemos pôr tudo que as pessoas querem, mas iremos preparar várias surpresas para os fãs, aguardem mais informações”, disse Nomura ao site Finaland. “Temos falado sobre Star Wars desde que se tornou conteúdo da Disney recentemente. Quando eu ouvi a notícia eu disse “Uau!”. Sim, obviamente vai ser ótimo se pudéssemos adicioná-lo, mas como eu disse, há uma série de restrições e regras da Disney por isso não sei o que vai acontecer, mas, sim, vamos ver”, finalizou o produtor.

star-warsA Disney adquiriu os direitos de Star Wars em um negócio de US$ 4,05 bilhões e de cara anunciou o tão prometido Episódio VII. É óbvio que uma forma esperta de promover a marca e trazer mais dinheiro (como se Star Wars por si só precisasse de marketing…) seria com um novo jogo que unisse o melhor desses dois universos. Que melhor forma do que em Kingdom Hearts? Todos já estão extasiados com a possibilidade de levar Sora e Donald aos corredores sufocantes da Estrela da Morte em uma batalha contra o Império Galáctico. Mas há quem acredite que Star Wars é grandioso demais para um papel secundário na trama de Kingdom Hearts. Balelas se querem saber, até porque não tem como deixar de imaginar que uma batalha contra Darth Vader (Keyblade vs Sabre de Luz) seria empolgante. Mas vale lembrar que Star Wars não é a única novidade da Disney nos últimos anos…

Outra importante aquisição da Disney nesse meio tempo foi a editora Marvel e todo o seu catálogo de super-heróis. Ao contrário de Star Wars, acredito que adicionar os cenários de X-Men, Quarteto Fantástico, Vingadores, entre outros, ao mundo colorido da franquia KH seria mais difícil do que parece. Não que Nomura e sua equipe não pudessem fazê-lo. Seria bem legal ver o Wolverine se juntando ao Sora numa batalha contra Em Sabbah Nur ou contra o Magneto, mas é sabido que os personagens da Marvel estão com tantos contratos vinculados que é quase impossível que a Square possa utilizar todos eles a seu bel prazer. Atente-se que a sequência para os cinemas de X-Men: Primeira Classe teve seus atritos com os produtores de Vingadores 2. Naturalmente é lógico afirmar que caras como Deadpool e Spiderman dificilmente aparecerão em um game não produzido pela Activision.

Tem também a Pixar, a consagrada melhor produtora de animação do mundo é responsável pela criação de alguns dos personagens mais carismáticos do cinema como Toy Story e Monstros S.A. Se a Square puder utilizar os personagens da Pixar imaginamos que no mínimo  iremos esquecer a enfadonha sequência musical da Pequena Sereia em Kingdom Hearts II em prol de uma aventura nas profundezas de Procurando Nemo. Ou quem sabe teremos uma versão inseto de Sora lutando contra os gafanhotos de Vida de Inseto? Seria legal também uma versão monstruosa do grupo numa missão de resgate da pequena Boo no mundo de Monstros S.A.

originalVocês conseguem imaginar o Sora vestido de Super Herói ajudando Os Incríveis? Ou como um brinquedo em Toy Story? As possibilidades serão limitadas unicamente pela mente de Tetsuya Nomura e da liberação por parte da Disney. Isso garante que Kingdom Hearts III poderá ser o RPG mais variado e grandioso já criado pela Square-Enix, além de elevar a marca Disney no mundo dos games após a investida com Epic Mickey.

Square-Enix, Pixar, Star Wars e Marvel. Isso já dá um game e tanto, certo? Mas dá para expandi-lo ainda mais. Afinal a Disney tem tantas propriedades intelectuais sob sua batuta, e que não foram previamente inclusas em Kingdom Hearts I e II, que o terceiro game pode soar como uma novidade completa. Certamente isso é viajar demais, e nem gostaríamos de visitar tais mundos, mas imaginem breves aparições de Chicken Little, Força G, Bolt: Supercão, A Espada era a Lei, Mogli, Aristogatas, Robin Hood, Hocus Pocus (Abracadabra), A Incrível Jornada, Doug, Irmão Urso, A Família do Futuro, A lenda do Tesouro Perdido, Detona Ralph, etc. Além desses, tem os mundos que já exploramos e foram divertidos ao extremo e seriam bem vindos se retornassem. Contudo, há quem pense que o mundo Disney clássico já foi bem explorado nos jogos anteriores e não faria mal para a franquia buscar novos ares.

Será que mesmo as dezenas de GB de uma mídia Bluray poderão comportar um game com tanta coisa envolvida? Do lado da Square, imaginamos que será fatal a aparição de personagens de Final Fantasy XIII e XV. Afinal de contas, a empresa japonesa também precisa lustrar sua série mais influente. Só não conseguimos imaginar as recentes aquisições da Square fazendo parte do mundo de Kingdom Hearts, como Tomb Raider e Hitman, por exemplo. Mas nada impede que outros títulos da companhia façam alguma ponta, principalmente àqueles que tiveram o dedo de Tetsuya Nomura, como The World Ends with You (que já apareceu em Kingdom Hearts 3D), ou quem sabe o improvável The 3rd Birthday?

No fim, até que a Tokyo Game Show 2013 ocorra só dá para ficar especulando e imaginando que Kingdom Hearts 3 será um jogo e tanto!

E vocês, estão empolgados com Kingdom Hearts III?

Colaboração: Victor Candido

Emprego: Square-Enix contrata Gerente de Projetos Associado

Emprego Square-Enix

A gigante Square-Enix está recrutando força de trabalho para fazer parte de sua equipe de desenvolvimento de jogos. O cargo é para Gerente de Projetos Associado e vai trabalhar em jogos para mídias sociais e mobile. De acordo com a Square, a vaga é parte de seu plano de expansão na América Latina e posteriormente, havendo interesse poderá ocorrer promoção para Gerente de Projetos Pleno. Se você é ilustrador ou designer, veja esta outra vaga de emprego.

O funcionário ficará responsável por gerenciar o desenvolvimento de jogos desde o conceito até a pós-produção. Além disso, o funcionário também vai cuidar do orçamento de desenvolvimento, cronograma e alocação de equipe.

É essencial que o candidato possa gerenciar vários projetos simultaneamente e definir metas para a equipe, relatando os progressos para os superiores. Em outras palavras, o contratado vai ser responsável por todo o projeto, não é brincadeira!Em suma a tarefa é supervisionar a equipe de produção e garantir que tudo sai de acordo com o prazo e orçamento estabelecidos, garantindo que todos os problemas sejam resolvidos rapidamente.

Como se candidatar ao emprego na Square-Enix?

Para se candidatar é necessário ter experiência em desenvolvimento de jogos, liderança, boa comunicação, conhecimento técnico, familiaridade com testes de qualidade, conhecimentos em marketing e PR, disponibilidade para mudar de país (se necessário), e fluência em inglês e espanhol.

O salário não foi divulgado, mas a Square-Enix garante que é um salário competitivo e está aberto a negociação. Para se candidatar, basta enviar um curriculo para o e-mail para hr@latam.square-enix.com. Não se esqueça de relatar no corpo do e-mail os motivos de porque acredita se encaixar na vaga e informando experiências profissionais.

Emprego: Square-Enix contrata Designer Gráfico / Ilustrador

square-enix

A Square-Enix lançou mais uma vaga a ser preenchida por latinos americanos. Desta vez a oportunidade é para designer gráfico/ ilustrador. O funcionário irá criar e editar imagens de acordo com os temas solicitados. A Square-Enix prima que o candidato tenha em seu trabalho uma qualidade estética acima da média, boa técnica e originalidade narrativa.

Ai ficar responsável pela criação de obras de arte em diferentes formatos, como por exemplo, pôsteres, web, cartões-postais, papel de parede, logotipos, ícones, banners, storyboards, merchandising desenhos, etc. Além disso, vai trabalhar com vetores.

Para se candidatar é necessário preencher alguns requisitos, como licenciatura em design gráfico / ilustração ou cursos relacionados (ou experiência relevante nessa área). Também é necessário domínio nas ferramentas do Adobe Creative Suite (Photoshop, Illustrator, InDesign, Flash, Fireworks, Acrobat). Vale lembrar que a Square deseja um funcionário disposto a cumprir prazos determinados.

Como se candidatar para o emprego na Square-Enix?

Para se candidatar primeiramente você deve criar um pôster com o tema:  “SQUARE ENIX e América Latina”. O objetivo é mostrar suas habilidades como designer gráfico / ilustrador. O melhor é que você poderá até usar algum personagem da Square-Enix em seu pôster, ou, se preferir criar seu próprio personagem. Tire cinco fotos do processo de produção (a fim de mostrar que foi você mesmo quem fez).

Você deve criar uma pasta no Dropbox com o pôster e as imagens, adicione também seu currículo e “book”. Em seguida encaminhe o link para o e-mail info@latam.square-enix.com. Vale lembrar que a imagem deve ter resolução de 150 dpi. O prazo para enviar é até o dia 6 de janeiro de 2013 às 23:59 (horário do México – GMT-6). Se seu trabalho for de agrado, a Square-Enix entra em contato através dos dados informados no seu currículo.

Boa sorte!

Brasileiro está na final do Square-Enix Latin America Game Contest

Square-Enix Latin America Game Contest

Quem se lembra do Square-Enix Latin America Game Contest? Pois é a disputa chegou na fase decisiva em que o público deve escolher seus jogos favoritos. Como muitos sabem, o concurso engloba toda a América Latina, e não apenas o Brasil. Entretanto engana-se quem achou que o Brasil não teria nenhum representante nesta fase.

Um webgame brasileiro está entre os dez finalistas e foi desenvolvido pelo time do Renan Reis, que já apareceu nas páginas do GameReporter com seu game bem humorado Gritar Hero. O jogo que lhe valeu entrar na etapa decisiva do concurso da Square é o Galaxy Runner.

O título coloca o jogador no controle de um cometa Deus da Destruição que chega até o planeta para causar a devastação em toda a sua superfície. O destaque é que o cometa do jogo foi previsto por uma profecia Maia a se realizar em meados de 2012 (!). O controle é em primeira pessoa e o desafio é desviar de obstáculos utilizando o mouse para coletar estrelas em túneis interdimensionais. A missão é chegar na Terra para arrasá-la completamente.

O game é simples porém divertido, e já está disponível para testes, basta acessar a página do jogo. Você pode jogar e posteriormente avaliar o título para ajudar nossos compatriotas a impressionar o pessoal da Square. Apostamos que com toda essa onda de fim de mundo, esse game tem tudo para fazer bastante sucesso por aí!

Público decide o vencedor do Latin America Game Contest 2012 pelo Facebook

 Latin America Game Contest

Lembram do Square Enix Latin America Game Contest 2012, aquele concurso da Square que visa descobrir desenvolvedores de games talentosos na América do Sul? Nós até falamos com o presidente honorário da Square. Pois bem, o concurso entrou em sua etapa mais decisiva: agora o público tem de decidir quais são os melhores games entre os finalistas.

Foram oito os escolhidos em mais de 1000 equipes inscritas desde o início do torneio. Após o filtro da Square Enix, chegou-se aos oito games mais criativos e ambiciosos que se inscreveram no concurso. Agora fica a cargo do público decidir o melhor através de votação aberta até o dia 25 de novembro de 2012 no Facebook e nos sites dos participantes.

Obviamente que para decidir quem deve ser contemplado com o prêmio máximo o público deve ter a oportunidade de conhecer mais intimamente os projetos e é justamente por isso que eles foram disponibilizados gratuitamente para download no site e no perfil do Facebook do concurso. Os downloads são disponibilizados tanto na App Store quanto no Google Play.

Veja a lista do Latin America Game Contest 2012

Depois que você baixar e instalar os games, basta jogá-los. Depois que tiver feito um teste no game vai aparecer um link para que você já possa votar no seu favorito. O resultado final deve sair no dia 1 de dezembro. A votação já está a todo vapor! Lembrando que os responsáveis pelos projetos de maior destaque devem ganhar uma “mãozinha” da Square para encontrar o grande público, além de prêmios em dinheiro para os três melhores classificados.

Abaixo segue a lista dos oito games finalistas que estão na fase de votação. Vamos votar?

• Barbarian siege

• Bonfire Trail

• Chromabot

• Commander Flag

• Klaus

• Poltergeist

• Run For Rum

• Soul Savior

Presidente da Square Enix fala sobre o Latin America Contest e como a empresa vê o Brasil

Em poucos meses a poderosa Square Enix irá organizar um grande concurso de games chamado Latin America Contest. Já falamos dele algumas vezes aqui no GameReporter, contudo este é um pequeno de uma audaciosa estratégia da empresa para portar com os dois pés firmes em território Latino Americano.

Conforme nos contou Yasuhiro Fukushima, presidente honorário da companhia, em entrevista exclusiva, os planos é de abrir um escritório nessa região. E o melhor: o Brasil está na mira da companhia responsável por Dragon Quest e Final Fantasy. Se a ideia correr como espera o executivo, nosso país tem tudo para se tornar um importante pólo criativo e produtor de games em um futuro muito próximo.

Contudo, o Brasil não é o único que está sendo visado pela Square, portanto é necessário que os candidatos ao concurso se esforcem se quiserem a tão esperada oportunidade para trabalhar em conjunto com uma das maiores produtoras de games do mundo.

Além disso, o bom desempenho dos brasileiros pode ser fator decisivo na abertura de um escritório no Brasil. Só nos resta torcer para que os desenvolvedores daqui façam bonito e aproveitem o tempo que ainda resta até o concurso para dar aquela merecida polida em seus projetos.

Confira abaixo a entrevista exclusiva de Fukushima para o GameReporter:


GameReporter: Como surgiu a ideia do Square Enix Latin America Contest?

Yasuhiro Fukushima: Como muitos sabem quando criamos a nossa primeira empresa, a Enix, nosso primeiro passo foi criar o concurso First Game Hobby Program Contest, que foi um sucesso. Acreditamos que a América Latina tem muito potencial de crescimento no mercado de jogos eletrônicos como no Japão daquela época, portanto decidimos criar algo semelhante e descobrir novas IPs.

Existem semelhanças entre este concurso e aquele que você organizou nos tempos da criação da Enix? Quais seriam elas?

Basicamente o formato será o mesmo. Após o encerramento das inscrições será feita uma filtragem dos candidatos que deve durar até setembro. O próximo estágio será selecionar os finalistas e disponibilizar os jogos para votação popular.

O Sr.  já teve alguma experiência com jogos produzidos por brasileiros? Qual a impressão que teve?

Não, ainda não tive nenhum contato, porém estou muito interessado no que os brasileiros são capazes de fazer. Organizamos um almoço com desenvolvedores brasileiros a fim de conhecê-los melhor e discutir sobre o concurso. E até onde soube, os brasileiros são muito inventivos.

Evidentemente foi proposital a escolha pela produção de jogos para plataformas mobile. Gostaríamos de entender como e porque vocês chegaram neste objetivo.

O principal motivo foi o número da população do Brasil e, sobretudo, da América Latina. Acreditamos que seja o momento certo para esta ação. Além disso, o número de celulares é maior do que o de consoles domésticos.

Mas aqui no Brasil o mercado de celulares e games móveis ainda não está no patamar do Japão e EUA. Vocês acreditam que esse é de fato um bom investimento?

Essa é a realidade do Brasil hoje, porém nossos estudos apontam que em dois anos a tecnologia estará bem avançada. Muitos acreditam que o Brasil tem a mania de copiar o que vem dos americanos, porém acreditamos que o crescimento do mercado aqui será explosivo.

Visto que a Square Enix fez estudos sobre o mercado russo e indiano. Há alguma razão especial para o concurso ocorrer por aqui e não em países como China, Rússia ou Índia?

Não há um motivo específico, apenas acreditamos que este seja o momento mais adequado para entrar nesse mercado, que vem crescendo a olhos vistos. Faremos concursos similares nesses países em breve, porém decidimos que a América é um bom lugar para começar esse projeto.

Assim que ouvimos falar da Square Enix no Brasil, já pensamos em algum tipo de Final Fantasy com alguma referência ao nosso país. Contudo, vocês deixaram claro que o plano é buscar novas propriedades intelectuais. Porém há poucos cursos voltados ao game design e o mercado de trabalho ainda é escasso. Você acredita que estamos em condições de lançar um grande titulo?

Ao olhar para todas as indústrias de entretenimento como o cinema música e literatura em cada país do mundo, seja no Japão, EUA ou Brasil, notamos e sentimos que o mercado depende muito do conteúdo produzido localmente. Esse é o padrão em vários locais do mundo e em longo prazo os jogos brasileiros devem ganhar maior importância. É sempre bom, manter a cultura de seu próprio país consumir produtos oriundos de seu próprio país.

De acordo com informações, a Square tem planos de montar uma filial na América latina. Quantos escritórios serão montados e quais serão os critérios levados em consideração para escolher qual país abrigará o novo escritório?

Haverá somente um escritório, mas provavelmente haverá pessoas de diferentes países trabalhando nele.

Naturalmente cada país tem suas particularidades, prós e contras. Estamos estudando como se comportam o mercado Mexicano, Chileno e Brasileiro e esse evento será decisivo para nossa escolha. Podemos adiantar que o maior problema do Brasil atualmente são os altos impostos.

Muito se tem dito por aqui que o mercado de games está em declínio no Japão por causa de uma suposta ausência de “criatividade” dos produtores de lá. Isso é verdade? E a que se deve esse suposto declínio?

Não condiz com a realidade. Esses são boatos criados por alguns profissionais que não fizeram a pesquisa corretamente. Na verdade temos dados que comprovam o quanto o mercado de jogos mobile está em franca expansão no Japão.

Como será a participação da Acigames no concurso?

Basicamente eles agirão como nossos parceiros e ajudarão a promover o evento. Ainda não os conheci pessoalmente, porém devo encontrá-los em breve e discutir algumas questões.

[Nota do redator: o almoço com o pessoal da Acigames ocorreu horas após a conclusão dessa entrevista]

O que achou do Brasil e dos brasileiros?

Infelizmente passei a maior parte do tempo no hotel fazendo entrevistas e tratando de negócios, por isso não tive a oportunidade de conhecer a cidade e as pessoas mais intimamente, contudo, pelo que pude ver, o Brasil é cheio de pessoas interessantes.

Algum recado para os fãs da Square Enix aqui no Brasil?

Estamos vindo para a América Latina com o intuito de buscar novos talentos capazes de desenvolver novos games e esperamos que a empreitada seja bem sucedida e que as pessoas divirtam-se com os jogos que criarmos.

*Agradecimentos especiais ao amigo Wolfigang Emiliano.

Presidente da Square Enix vêm ao Brasil para falar sobre o Latin America Game Contest 2012

Aí está a grande chance para os desenvolvedores de games no Brasil mostrarem do que são capazes e conquistarem o espaço ao sol que tanto almejavam. Conforme já havíamos adiantado, a Square Enix, a proeminente produtora de Final Fantasy, anunciou oficialmente o lançamento do concurso Square Enix Latin America Game Contest 2012. E para mostrar que a coisa é séria mesmo, tem até alto executivo vindo para cá falar com os jogadores.

O concurso, para quem não soube, tem como objetivo descobrir novos talentos em nosso país, e dar a eles a real oportunidade de levar seus projetos a vôos mais altos. Para promover o concurso e evidenciar a seriedade do projeto, o próprio fundador e presidente honorário da Square Enix virá ao Brasil. O Sr. Yasuhiro Fukushima irá falar sobre o concurso em evento a ser realizado neste sábado (21/04/2012)  a partir das 10 horas no auditório da PUC-SP no campus Marquês de Paranaguá, 111 (em São Paulo/SP) com entrada franca. Veja mais detalhes aqui.

“Este concurso terá como alvo toda a região latino-americana, sendo aberto a profissionais e amadores. Esperamos que pessoas de diversas áreas se juntem e que muitos criadores talentosos sejam descobertos através desta iniciativa. Vamos juntos trazer os melhores jogos da América Latina para o mundo!”, disse Yasuhiro Fukushima, fundador e Presidente Honorário da Square Enix.

De acordo com o Sr. Fukushima a própria história da Square começou com um concurso similar a este que eles estão promovendo. Ou seja, quem sabe não é do Brasil que vai surgir mais produtoras tão influentes quanto a Square?

A história da SQUARE ENIX começou com um concurso. Em 1982 fizemos o primeiro concurso “Game Hobby Program Contest” para descobrir brilhantes desenvolvedores de jogos no Japão. Este concurso foi avaliado como uma iniciativa que contribuiu para o desenvolvimento de toda a indústria de jogos, já que mais tarde, muitos participantes se tornaram líderes no desenvolvimento de jogos no Japão. Na América Latina, o primeiro passo da Square Enix será o concurso Square Enix Latin America Game Contest 2012, e estamos ansiosos para repetir a nossa história aqui também”.

Vale lembrar que para participar do concurso não há restrição com relação ao gênero do game, o que mais conta é a criatividade. Contudo o foco serão os games para smartphones, tablets e browser. Além disso, os concorrentes devem se atentar a criar o jogo em Português, Inglês ou espanhol. O prazo para o envio dos trabalhos é entre os dias 1 e 31 de agosto de 2012. O primeiro prêmio leva a quantia de US$ 20.000.

Mais informações através do site da competição.

Acigames e Square Enix promovem concurso de criação de jogos

Uma novidade um tanto inesperada e bem interessante para desenvolvedores de jogos que esperavam uma boa oportunidade para despontar no mercado: a Acigames e a gigante dos RPGs, a Square-Enix, acabaram de firmar uma parceria para a criação de um concurso chamado “Latin America Game Contest”.

Basicamente, os competidores apresentarão seus projetos através de um site definido pela organização do concurso a fim de conquistar alguma verba para seus projetos. Após a análise dos organizadores serão escolhidos os três melhores projetos, que serão julgados por critérios como criatividade, originalidade, diversão, jogabilidade e qualidade do produto final.

Além disso, os vencedores e participantes mais audaciosos poderão ter a oportunidade de trabalhar com a Square como parceiros de desenvolvimento se houver acordo entre as partes. A Acigames irá prestar serviço de auxílio e orientação aos desenvolvedores com o objetivo de melhorar a qualidade de seus produtos.

“O objetivo através do Concurso, é atrair profissionais mais qualificados para a indústria de games da América Latina, resultando no fortalecimento da indústria do jogo e beneficiando toda a economia,” disse Gerson Souza, representante da Square Enix Co. Ltd. no Brasil.

Para participar, os interessados terão de inscrever seus projetos na página do concurso (ainda a ser divulgado) durante todo o mês de agosto. Só poderão participar pessoas e empresas estabilizadas na América Latina. Além disso, os projetos precisam estar nas plataformas Android OS (2.2 ou superior), iOS (4.0 ou superior), Windows Mobile (superior ao 7.1) e jogos para PC baseados em Web Browser.

O gênero dos games ficará a critério dos participantes, a única restrição é comm relação ao idioma, devendo os projetos estar em Português, Inglês ou Espanhol. A primeira colocação embolsa US$ 20,000, o segundo fica com US$ 10,000 e o terceiro com US$ 5,000. Os ganhadores serão anunciados em 31 de outubro.

Detalhes adicionais do 1º Latin America Game Contest deverão ser divulgados durante a feira GameWorld 2012, que ocorre neste final de semana no shopping Frei Caneca em São Paulo. Ficaremos atentos para repassar as novidades a você, leitor do GameReporter.

Para Square Enix, tecnologia 3D com óculos é grande problema

Mais uma empresa se declarou contrária a jogos 3D com as tecnologias atuais, dependentes de óculos: a Square Enix.

Julien Merceron, diretor de tecnologia mundial da companhia declarou que 3D sem óculos é bom, mas com óculos é um grande problema. “Eu acho que a única forma de fazer 3D funcionar na sala é remover a necessidade de óculos, o que elevará a adoção”, comentou ao site VideoGamer.

O executivo avaliou positivamente a tecnologia do 3DS, e acredita que o passo dado pela Nintendo com o seu portátil pode abrir o caminho para dispositivos futuros.

“Se o 3D em celulares e portáteis de pequenas telas realmente decolar, isso ajudará as companhias a investir muito dinheiro na pesquisa para a solução de problemas em telas maiores”, declarou.