Arquivo da tag: shmups

Derrote a invasão alienígena no shmup Esquadrão51

Quem curte shmups sabe que o gênero é um dos mais divertidos e reconhecidos da geração 16-32 bits. Infelizmente os produtores de jogos parecem ter esquecido este gênero de jogos, mas vez ou outra surgem pérolas que merecem atenção especial. Este é o caso de Esquadrão 51, um jogo indie brasileiro que te coloca em um combate ferrenho contra invasores alienígenas.

Tal como na maioria dos shmups, aqui você pode esperar chuvas de tiros e muita ação. Na breve descrição do enredo é dito que formas de vida alienígena enganaram e exploraram a raça humana por tempo demais. Para libertar a humanidade do julgo extraterrestre, cabe ao jogador pilotar um avião de guerra para combater os inimigos.

Essa invasão foi orquestrada pela Corporação Vega, que veio com a promessa de ajudar a humanidade a desenvolver a própria tecnologia, porém as coisas se converteram numa ditadura baseada na violência e exploração. Assim é formado o Esquadrão 51, a única esperança de derrotar os invasores alienígenas.

Quem esteve no BIG Festival 2017, maior evento de jogos independentes da América Latina, pôde conferir em primeira mão o Esquadrão 51, pois ele estava presente para testes e foi indicado aos prêmios de “Melhor Jogo Brasileiro” e “Melhor Arte”. Ambas as indicações são bastante justas, visto que a arte em preto e branco são extremamente chamativas e há ótimos efeitos gráficos de explosões e as naves inimigas possuem muitos detalhes.

Parece que a inspiração do jogo foram os inúmeros vídeos e documentários sobre OVNIS dos anos 50/60, além dos filmes de ficção da época, pois além do design em preto e branco, o design das naves remetem claramente as aeronaves do final da segunda guerra mundial. A primeira nave utilizada é um Republic P-47 Thunderbolt. Esquadrão 51 foi desenvolvido por Marcio Rosa, que fez o possível para homenagear os grandes jogos de navinha dos anos 90. O game é bastante nostálgico e uma verdadeira ode ao gênero.

Abaixo tem o trailer de Esquadrão 51:

RX Squad é o jogo para quem sentia saudades dos shmups

Houve um tempo em que jogos do gênero shmups (shoot ’em up) estavam no auge da popularidade, sobretudo em árcades. O tempo passou e as grandes franquias do mercado como Gradius e R-Type caíram no ostracismo, deixando muitos fãs carentes desse tipo de game. Para quem gosta de “games de navinha”, a recomendação é ficar de olho em RX Squad, novo jogo do estúdio indie YFYX Games .

RX Squad é uma ode aos clássicos jogos shmups, com direito a todos os elementos que tornaram o gênero tão popular nos anos 90, ou seja, progressão lateral, dezenas de naves inimigas ao mesmo tempo, chuva de tiros adversários e os providenciais power ups. O game é bastante colorido e possui bastante ação e efeitos de partículas, de modo que a dificuldade é um dos pontos altos do jogo.

Apesar de ser inspirado nos clássicos dos anos 90, RX Squad busca identidade própria ao entregar um visual moderno e inovador, com uma nova roupagem e um estilo de arte capaz de impressionar os jogadores mais exigentes. A trilha sonora também é um dos pontos altos do jogo. O título está sendo programado por Thiago Correia com parte das ilustrações desenvolvidos pela MegaBoss.

A trama envolve uma invasão alienígena ao nosso planeta que ocasionou distúrbios na superfície. Alguns desses monstros alienígenas foram capazes de causar modificações na gravidade, de modo que aproximar-se deles é uma tarefa perigosa. Como se não bastasse, eles são extremamente agressivos e não medem esforços para aniquilar a humanidade. Para derrota-los, cabe ao jogador escolher uma das sete naves do Esquadrão RX e sentar bala nos invasores.

RX Squad foi colocado em votação na Steam Greenlight e recebeu sinal verde da comunidade. Agora resta aguardar o lançamento oficial, que ainda não recebeu data definida. De acordo com os produtores, ele terá jogabilidade focada na diversão casual, com duração aproximada de 1 hora. O planejamento é lançar o game para PCs no primeiro momento pelo preço de US$ 2 dólares.

EDIT: Algumas informações da matéria foram atualizadas e/ou corrigidas. RX Squad já está disponível na Steam pelo preço de R$ 4,29.

Abaixo tem o trailer de RX Squad:

Scram Kitty DX é lançado para PlayStation Vita e PS4

No ano passado um jogo indie fez relativo sucesso ao redor do mundo: “Scram Kitty and his Buddy on Rails”. Pois bem, os usuários do Playstation 4 já podem jogar uma versão melhorada no console, pois o estúdio Dakko Dakko lançou Scram Kitty DX na PSN em 10 de março.

Para quem não conhece, o título é um jogo de tiro de plataforma intenso, com embates frenéticos. A produtora buscou inspiração em jogos clássicos, porém com alguns macetes mais atuais, de modo que a mistura forma um jogo com identidade própria.

O game possui uma jogabilidade bastante diferenciada, permitindo ação de plataformas em 360 graus e um sistema de tiro em 2D que lembra os famosos shmups. A diferença é que ao contrário de jogos de nave, a movimentação é realizada através de trilhos coloridos. Parte do desafio é desviar de armadilhas e inimigos que estão espalhados pelas fases.

De acordo com a desenvolvedora, o game chega à PSN por US$ 9,99 e de modo cross-buy, ou seja, donos de PS4 e PSVita podem baixar o game para os dois sistemas ao preço de uma compra.

“Depois de um grande ano com Scram Kitty em 2014, estamos muito animado por trazer Scram Kitty DX para os jogadores da PlayStation! Estou especialmente feliz em dizer que, porque fizemos um DX Cross-Compre e Cross-Save jogo, os jogadores que possuem tanto PS4 e Vita pode sincronizar seu progresso entre os dispositivos e manter os gatos de poupança seja em casa ou em qualquer lugar!, disse Rhodri Broadbent, fundador do estúdio Dakko Dakk”

Para mais informações de Scram Kitty DX, basta acessar o site do game. E depois nos conte o que achou. ;)

Confira o vídeo do game Scram Kitty DX:

Reviva os tempos de Shmups no jogo brasileiro Galaxy Rush

Galaxy Rush

Um de nossos gêneros favoritos sempre foram os Shmups, os chamados jogos de navinha, pois testavam nossas habilidades, perícia e sorte ao longo de cenários imensos infestados de inimigos pré-dispostos a nos transformar em poeira cósmica. Quem não se lembra de clássicos como Gradius, R-Type ou Sonic Wings? Pois é na vibe desses jogos que o pessoal do estúdio brasileiro Breaking Fingers desenvolveram o jogo Galaxy Rush.

O game coloca o jogador no controle do Shitake, um experimento de laboratório que fugiu ao controle dos cientistas e saiu tocando o terror no universo. Rapidamente os cientistas que o criaram colocam uma infinidade de naves para tentar detê-lo detê-lo a todo custo. O mostrinho, que se assemelha ao vilão Shuma-Gorath da Marvel, agora vaga pelo espaço infinito tocando o terror, podendo se defender das pobres naves humanas disparando raios lasers e tiros de plasma.

Durante as fases você pode coletar power ups para detonar seus opositores e aumentar a pontuação ao final das fases. De acordo com o time de desenvolvimento, o jogo é uma fusão do que havia de melhor na era 8-16 bits com a tecnologia atual, a mecânica de jogo é abertamente old school.

Este é o primeríssimo game da Breaking Fingers e promete revigorar um dos gêneros mais interessantes dos jogos eletrônicos graças aos controles de toque, arte cartunesca e muita chuva de bala pelo espaço. O jogo foi lançado no mês de agosto de 2012 com versões para iOS e Android. Se você curte um shmup, dê uma olhada neste game:

Game indie relembra os clássicos shmups da era MSX

Então você achava que nunca mais veria um game de shmup sendo feito para o MSX? Ledo engano! O GameReporter encontrou um game chamado Genesis: Dawn of a New Day, que foi produzido pelos desenvolvedores entusiastas do retroworks.

O game é bem simples e segue à risca a cartilha dos “games de navinha” do MSX, ou seja, há poucos inimigos no cenário, a música tem aquele tom característico dos sistemas 8 bits, baixo framerate, Power ups e batalhas contra chefes.  Está tudo lá!

E apesar de ser um game que respira a simplicidade, tem uma história de pano de fundo: basicamente você é o piloto-herói destacado para acabar com a ameaça espacial chamada Dork que resolveu invadir nosso planeta.

Para cumprir a missão o jogador deve passar por cinco planetas a fim de coletar partes perdidas da nave Genesis, essas peças aumentam o poder de fogo da nave. Após isso, basta voltar à Terra para derrotar os invasores.

Parece meio forçado, certo? Contudo, analisando friamente a técnica e o objetivo dos desenvolvedores esse é um trabalho digno de nota, apesar de parecer batido frente a pérolas  mais recentes como “Raiden IV” ou “R-Type Dimensions” do Xbox 360.

O grande macete é que Genesis: Dawn of a new Day é um game com alma retro que foi produzido em 2010. Nem faz tanto tempo assim, vai. Caso tenha se interessado o game está disponível para download no site dos produtores e ainda tem um plus: o código fonte do jogo Spectrume está lá no site também.

Confira abaixo o vídeo do game em ação: