Arquivo da tag: sega

Os Piores Jogos do Mundo #04: Night Trap, o game que já nasceu trash

Era o auge da guerra dos consoles 16 bits. A SEGA era a primeira empresa a desafiar a Nintendo com chances reais de vitória. Cada uma apostava em games que mostrassem ao jogador o quanto sua plataforma era diferenciada e superior ao concorrente. Eis que a SEGA decidiu que o Genesis precisava de mais poder do que seu concorrente. A grande tendência para a época se revelava os CDs como nova mídia padrão, substituindo os cartuchos, pois eles eram mais baratos e fáceis de fabricar. A SEGA se antecipou aos concorrentes e trouxe para o Genesis o acessório SEGA CD ao final de 1991. Parecia uma vitória brilhante.

Mas para vender acessórios, era necessário criar jogos que mostrassem para que ele servia e foi aí que surgiram os famigerados interactive movies (ou FMV), games com estética de filmes, algo que um cartucho da época era incapaz de fazer. Infelizmente esse tipo de jogo não se tornariam populares por sua qualidade, mas sim pela atuação vergonhosa dos atores e conceitos terríveis. Um dos jogos que selariam a má fama do gênero e causaria uma revolução na indústria dos jogos eletrônicos seria justamente o Night Trap, o nosso game do dia.

Lançado em 1992 pela própria SEGA, Night Trap tinha a missão de mostrar o poderio do recém-lançado SEGA-CD. Ele foi, aliás, o primeiro filme interativo do sistema. Entretanto seu desenvolvimento remete ao histórico crash dos videogames de 1983. Nolan Bushnell, fundador da Atari e outros desenvolvedores mantinham a esperança de que a indústria fosse se recuperar, mas para isso seria necessário que ela fosse reinventada, oferecesse mais do que os jogadores estavam acostumados a ver. Nesse ínterim, Bushnell e Tom Zito (outro desenvolvedor da época) foram apresentados a um dispositivo capaz de reproduzir até quatro vídeos em VHS simultaneamente. O dispositivo era conhecido como NEMO (Never Ever Mention Outside). A ideia seria intercambiar as cenas de acordo com a vontade do usuário com apenas um comando.

 

A ideia por trás do jogo

A equipe precisava criar uma demo para apresentar a Hasbro, uma das possíveis investidoras do projeto. Assim surgiu o conceito de que o jogador deveria monitorar câmeras de vigilância para descobrir algum crime, o que deu origem ao jogo demo Scene of the Crime, em que o jogador deveria descobrir o responsável pelo sumiço de dinheiro. Stephen Hassenfeld, CEO da Hasbro na época, ficou encantado com o projeto e autorizou um generoso investimento para o desenvolvimento da tecnologia e novos games.

A primeira ideia foi criar um game interativo licenciado do filme A Hora do Pesadelo, porém o acordo foi por água abaixo, o que levou a equipe de Tom Zito a se decidir por apostar no conceito de um ambiente bem vigiado sendo invadido por bandidos. Daí surgiu a ideia de que a casa de um bilionário guardava dinheiro e uma gangue de ninjas tentaria assaltar o imóvel, porém teriam seus planos frustrados pela filha do bilionário e seus amigos que estavam dando uma festa. A Hasbro estava preocupada com a possibilidade de o público ficar insatisfeito dada a violência que um roubo pode causar. Então a equipe da Digital Pictures decidiu substituir os ninjas por vampiros, que ao invés de dinheiro estava atrás de sangue!?

O atores foram contratados e os desenvolvedores foram orientados pelo diretor James Riley sobre o desenvolvimento esperado. Em apenas 16 dias as filmagens foram feitas e o trabalho de montagem levou apenas seis meses para dar cara de videogame. Apesar dos problemas de produção, os obstáculos foram superados e Night Trap estava pronto para chegar ao NEMO (rebatizado como Control-Vision) em 1989, junto de Sewer Shark, outro projeto da Digital Pictures. Entretanto, para desapontamento da equipe, a Hasbro decidiu cancelar o hardware devido aos altos custos de produção.

Em dado momento foi sinalizado que a Sony poderia comprar os direitos do game para lançar no sistema Super NES CD-ROM, porém o acordo não vingou. Zito então se aproximou da SEGA, que parecia mesmo disposta a lançar um leitor de CD para o Genesis. Os direitos de distribuição passaram para a companhia japonesa e o game passou do formato VHS para o CD em pouco tempo. Cinco anos após sua criação, Night Trap finalmente fora lançado em 1992.

 

O gameplay segue a linha do enredo

Qual não foi a surpresa dos jogadores do SEGA-CD ao colocar o disco para rodar ao perceber que a aventura era extremamente desinteressante. Aqui você toma o papel de um agente especial que deve monitorar uma mansão cheia de garotas em poucas roupas. Ao todo são seis ambientes a serem monitorados. O objetivo é ativar armadilhas para capturar qualquer um que ameace a segurança das garotas, tomando cuidado para não prender as garotas ou outros agentes por acidente. Outra coisa a se fazer é prestar atenção nas falas das moçoilas a fim de obter pistas e entender a história. Você é livre para trocar a visão da câmera a todo momento. O game tem todo o jeitão de filme B com humor pastelão e atuações debochadas. Esse é o ponto positivo (se você gostar desse tipo de filme).

Os problemas começam ao analisar os aspectos técnicos: o gameplay é realmente muito ruim. As armadilhas eram realmente pouco responsivas, de modo que o jogador somente pode ativá-las quando o código de acesso estiver correto. Existem seis códigos de acesso e eles mudam constantemente. Para descobrir o código correto você deve prestar atenção nas falas dos personagens, o que obriga o jogador a levar a sério uma trama completamente nonsense. Se você não levar as coisas a sério é extremamente difícil prosseguir no game. São 90 minutos de puro pastelão e controles disfuncionais.

Neste momento você deve estar pensado “mas, ei, este jogo nem é tão ruim. Nem mesmo é um verdadeiro videogame”. Ao olhar as notas de Night Trap, fica claro que o jogo não foi mal recepcionado pela crítica. O que elege o game como um dos piores do mundo não são os controles ruins, dificuldade desbalanceada ou as atuações risíveis, mas sim seu legado na cultura pop. Night Trap foi um dos jogos que culminaram na criação do ESRB, órgão que regulamenta os jogos eletrônicos por faixa etária.

 

Mulheres nuas, vampiros e a ira do Senado

Aquele que parecia apenas mais um jogo tosco da SEGA logo se viu alvo do senado americano que na época estava de olho em jogos considerados violentos, tais como Doom e Mortal Kombat. No caso de Night Trap, os políticos americanos não viram com bons olhos uma casa repleta de mulheres seminuas sendo atacadas por vampiros. De acordo com os senadores, a semi-nudez era desnecessária e o grafismo era muito real, podendo assustar crianças. Lembre-se que nos anos 90 os videogames eram considerados meros brinquedos. O Estado acreditava que os jogos eletrônicos deveriam ser regulamentados antes que a mente das crianças fossem danificadas permanentemente.

Ainda que a SEGA e a Digital Pictures tivessem reclamado bastante das acusações, a pressão pública e uma esperta edição de vídeo colocou a percepção pública contra Night Trap. Uma garota sendo atacada por vários homens no jornal da noite não era nada legal de se ver, pior ainda se tais imagens fossem a reportagem do mais novo game que seu filho estava vidrado. Assim, a SEGA foi obrigada a tirar Night Trap do mercado.  Posteriormente ele voltaria às lojas com versões para SEGA CD 32X, 3DO, PC e Mac, porém a percepção pública era de que o game era um festival de monstruosidade e violência. Já os 400 mil jogadores que compraram o game sabiam da verdade: Night Trap valia mais pelo valor histórico do que pela sua qualidade em si.

 

O legado de um “filme B”

Em 1993 o senado venceu a disputa contra os videogames e pouco depois decidiu-se pela criação da ESRB (Entertainment Software Rating Board), que ditaria quais games podem ou não ser jogados por crianças. Anos após seu controverso lançamento, Night Trap foi eleito um dos piores jogos de todos os tempos pela revista EGM. Já o site GamesRadar disse em 2014 que o título era mais parecido com um teste de paciência do que com um videogame. Qualquer lista de piores jogos do mundo acabam mencionando Night Trap, seja pelos aspectos técnicos ou pela polêmica que ele esteve envolto. Concluímos que se as críticas não foram tão ruins na época é devido ao fato de que para a época ele realmente parecia algo inovador, não apenas um protótipo.

Night Trap pode ser redimido pelo fato de ter pavimentado terreno para um novo gênero de games menos interativos. Até mesmo podemos citar ele como fonte de inspiração para Five Nights at Freddy’s e uma dúzia de jogos em que o jogador é mais espectador do que atuante. Recentemente saiu uma versão comemorativa dos 25 anos do jogo para Xbox One e Playstation 4, que a exemplo do original, deve ser evitada, a menos que você não tenha dó do seu dinheirinho.

 

Abaixo tem um vídeo de Night Trap:

 

Pac-Man e Sonic unem forças pela primeira vez em crossovers para games mobile em evento limitado

Outrora ícones imbatíveis dos games, Sonic e Pac-Man acabaram meio largados de lado nas últimas gerações de jogos eletrônicos, porém não perderam o carinho dos fãs de ambas franquias. Pois bem, os dois mascotes uniram forças graças a uma parceria inédita da SEGA e Bandai Namco. Os personagens Pac-Man e Ms. Pac-Man são os novos convidados especiais no Sonic Dash, jogo mobile. Esta e uma das diversas comemorações que a SEGA prepara para o quinto ano do jogo.

Já o ouriço da SEGA aparece no jogo Pac-Man para iOS e Android como conteúdo especial. De acordo com os organizadores dessa empreitada, este evento de crossover promocional acontecerá no período de 20 de Fevereiro à 20 de Março, tanto em Sonic Dash quanto PAC-MAN. Para baixar PAC-MAN, visite a loja Google Play para Android, ou a App Store para iOS. Para fazer o download de Sonic Dash, visite o link da Google Play para Android ou App Store para iOS.

Para mostrar que o crossover está sendo levado a sério foi criado até mesmo uma trama pra justificar a presença dos dois mascotes no mesmo universo de jogo: Dr. Eggman, o maior inimigo de Sonic, está aprontando novamente. Ressentido por ser deixado de fora da festa de quinto aniversário de Sonic Dash, este maléfico vilão conspira com BASH, o fantasma, para conseguir sua vingança em Sonic Dash. Ao ver seu amigo em perigo, PAC-MAN e Ms. PAC-MAN decidem entrar no jogo para ajudá-lo. Como se a situação já não fosse caótica o suficiente, Dr. Eggman sequestrou os animais amigos de Sonic, e agora o ouriço mais rápido do mundo deve encarar os labirintos de PAC-MAN para resgatá-los.

Em Sonic Dash, os jogadores poderão correr como PAC-MAN ou Ms. PAC-MAN e competir em quatro eventos de personagens especiais, cada um com uma semana de duração, coletando Power Pellets (Pastilhas do Poder) enquanto aceleram até a linha de chegada, ou encarar Bash the Ghost, em uma batalha de chefe completamente nova. Jogadores que coletarem quantidades suficientes de itens clássicos de PAC-MAN, como: frutas, sinos e chaves, durante o evento, ganharão estes personagens convidados permanentemente.

Assim como PAC-MAN e Ms. PAC-MAN entraram em Sonic Dash para ajudar seu amigo, Sonic corre para o mundo do jogo mobile PAC-MAN para resgatar seus companheiros sequestrados. Jogadores que entrarem durante este evento limitado poderão jogar como Sonic em labirintos totalmente refeitos e estilizados – referenciando a clássica Green Hill Zone – coletando anéis e acabando com Moto Bugs. Esta atualização também contará com seis estágios únicos e torneios de Sonic gratuitos. Gamers que participarem neste grande evento, que começa hoje e vai até a Terça do dia 20 de Março, poderão desbloquear o conteúdo de Sonic Maze em PAC-MAN definitivamente. Após o fim deste período, o labirinto não poderá mais ser desbloqueado.

PAC-MAN e Sonic Dash estão disponíveis gratuitamente para dispositivos Android na Play e na App Store da Apple para iPhone e iPad. O conteúdo de Crossover será incluído como parte de um update gratuito para PAC-MAN a partir de hoje, até o dia 20 de Março de 2018.

Abaixo você confere o trailer épico do crossover entre Sonic e Pac-Man:

Warpzone lança livro com a história definitiva do Mega Drive

O Mega Drive é até hoje considerado um dos melhores consoles de videogame já produzido pela SEGA. Não por acaso a plataforma ainda conta com milhares de fãs espalhados pelo Brasil e pelo mundo. Pensando nisso, a Warpzone uniu-se com a Tectoy para lançar o livro definitivo que vai contar toda a trajetória do console de 16 bits.

megawz_capaO livro cataloga todos os jogos lançados para o Mega Drive, Sega CD e 32X, ou seja, mais de 1200 jogos. Cada um deles com análises em texto, contendo uma breve descrição e telas de todos os jogos. O livro traz também a história do console incluindo um capítulo inteiro sobre a Tectoy e sua mítica parceria com a SEGA.

O livro Mega Drive Definitivo possui 358 páginas e serve como uma homenagem ao maior console que a SEGA já lançou e a seus fãs. Quem comprar a obra até o dia 31/05 poderá gravar seu nome e uma frase no livro. O livro é vendido em dois formatos (com e sem caixa) pelos preços de R$ 274 e R$ 174, respectivamente. A pré-venda está disponível no site da Warpzone.

Abaixo tem um vídeo unboxing do Livro Definitivo do Mega Drive:

Tec Toy anuncia que o novo Mega Drive poderá ser personalizado gratuitamente pelo consumidor

Já imaginou um videogame personalizado com o seu nome? Pois é justamente essa a ideia da tec Toy com o relançamento do Mega Drive 2017. Como parte das comemorações de seu 30º aniversário, a empresa acaba de anunciar a promoção “Meu Mega Drive Personalizado”, que permitirá ao consumidor escolher um nome ou frase de até 15 caracteres para ser gravada gratuitamente em seu videogame, após a expressão “Feito para:”.

A ação é válida para quem adquirir o Mega Drive até 15 de janeiro de 2017. Consumidores que já realizaram a compra também podem solicitar a personalização pelo site. O console foi anunciado no final de outubro e desde então muitos retrogamers estão ansiosos pelo lançamento. O destaque é que além dos jogos em cartão, o console tem suporte para os antigos cartuchos.

O novo Mega Drive será produzido em edição limitada com o clássico controle de três botões e o mesmo design do original, inclusive com a entrada para cartuchos – que poderá ser usada com os jogos da época –, além de entrada para cartão SD e 22 jogos na memória, como os sucessos Sonic the Hedgehog 3, Alex Kidd in the Enchanted Castle e Golden Axe.

Onde encontrar o novo Mega Drive

De acordo com a Tec Toy, o novo Mega Drive já pode ser adquirido em pré-venda pelo preço de R$ 399 exclusivamente no site da companhia. Quando lançado, em junho de 2017, o preço será R$ 449. A intenção é agarrar o público retro gamer e também novos jogadores que não tiveram a oportunidade de conhecer um dos consoles mais clássicos da SEGA.

Shopping SP Market recebe o Museu do Videogame Itinerante

Outra boa pedida para o mês das crianças é a exposição “Museu do Videogame Itinerante”, que estará no Shopping SP Market entre o dias 8 e 30 de outubro. Esta é a primeira vez que a atração vem para a capital paulista e, de acordo com os organizadores, haverão mais de 250 consoles para os visitantes conferirem de perto. A ideia é retratar cerca de 40 anos da história dos jogos eletrônicos mundiais.

A exposição é gratuita e é bastante recomendado para jogares das antigas e das novas gerações. Como não pode deixar de ser, os grandes clássicos estarão presentes como o Telejogo, Atari 2600, NES, Mega Drive, Super Nintendo, entre outros. Os consoles de nova geração também fazem da parte da mostra, assim os jogadores podem conferir toda a evolução ao longo os anos até culminar nos poderosos XBox One e PlayStation 4.

Além da exposição, o espaço Museu do Videogame Itinerante também é interativo. Lá os games podem conferir desafios de Just Dance, simuladores de corrida, desfile de cosplay e muitos outros. O evento, que somente em 2015 recebeu mais de 4 milhões de visitantes em nove estados, é o primeiro do gênero do país registrado pelo Ibram – Instituto Brasileiro de Museus.

Em 2014, o Museu do Videogame Itinerante recebeu o prêmio do Ministério da Cultura como o museu mais criativo do país. Em 2016, foi um dos museus brasileiros escolhidos para representar o país no maior encontro de museus do mundo, em Paris.

De acordo com o curador do evento, Cleidson Lima, entre as relíquias estão o primeiro console fabricado no mundo, o Magnavox Odyssey, de 1972; o Atari Pong (primeiro console doméstico da Atari), de 1976; o Fairchild Channel F, de 1976 (primeiro console a usar cartuchos de jogos); o Telejogo Philco Ford, de 1977 (o primeiro videogame fabricado no Brasil); o Nintendo Virtual Boy, de 1995 (primeiro a rodar jogos 3D); o Vectrex, de 1982 (console com jogos vetoriais que já vinha com monitor); entre outros.

Um passeio pelo Museu do Videogame Itinerante é uma ótima atividade em família, onde pais e filhos podem compartilhar bons momentos sobre as mesmas paixões: videogames. Para mais informações sobre o Museu do Videogame, basta acessar o site.

Serviço: Museu do Videogame Itinerante no Shopping SP Market

Endereço: Av. das Nações Unidas, 22.540 – ao lado estação Jurubatuba – Linha 9 da CPTM
Período: de 8 a 30 de outubro de 2016 – GRATIS
Estacionamento: R$ 8,00 por 2 horas, e R$ 2,00 por hora adicional / Manobrista: R$ 9,00 a primeira hora e R$ 2,00 por hora adicional (carro). Moto: primeira hora R$ 4,00 e R$ 1,00 por hora adicional.
Informações: (11) 5682.3666 – www.shoppingspmarket.com.br

Conheça Help: The Game, um jogo que ajuda crianças vítimas de guerras

São poucos os jogos eletrônicos cujo objetivo é ajudar alguma causa social. O nosso destaque do dia destaca-se justamente por sua proposta humanitária e bem enganada. Trata-se do game Help: The Game, projeto criado pela instituição beneficente War Child, que presta auxílio às crianças que vivem em zonas de conflitos militares. O projeto mobilizou 11 estúdios de todo o mundo, que desenvolveram jogos para a plataforma PC.

Esses jogos foram reunidos em uma coletânea e estão prontos para chegar ao consumidor no dia 26 de julho com distribuição global na Steam. Toda a renda obtida será destinada para a War Child e servirão para ajudar vítimas de guerras, como os conflitos na região do Oriente Médio.

A maioria dos jogos que compõe a coletânea foram finalizados em seis dias e os demais estarão prontos em breve. Os onze estúdios que abraçaram a causa são bastante promissores, sendo eles a Bossa Studios, Creative Assembly, Curve Digital, Hardlight, Modern Dream, Rovio Sweden AB, Spit Milk Studios, Sports Interactive, Sumo Digital, Team 17 e Torn Banner. O detalhe é que a publisher será a SEGA Europe.

Para quem não conhece, a War Child é a única instituição dedicada a crianças que vivem em zonas de conflito. De acordo com estudos realizados pela instituição, atualmente existem mais de 230 milhões de crianças em condições desumanas ocasionaras por guerras e conflitos bélicos no mundo inteiro. A intenção da instituição é ajudar a prover educação, alimentação e condições mínimas favoráveis à vida dessas crianças, que na maioria dos casos não possuem o convívio familiar.

“Quando nós revelamos os planos para ‘Help: The Game’, estávamos apenas levemente otimistas de que a iniciativa geraria interesse entre a indústria de jogos eletrônicos. Mas o nível de entusiasmo que tivemos em retorno superou quaisquer expectativas. Tendo visto o resultado dos games que já foram finalizados até agora, fica claro que os estúdios se divertiram bastante durante o processo. E que em 26 de julho será a vez dos jogadores”, disse Miles Jacobson, diretor da Sports Interactive e presidente da comissão da War Child UK para a criação de ‘Help: The Game’.

O pacote será lançado via Steam no dia 26 de julho com o preço sugerido de US$ 14.99. Para mais informações, visite o site da Warchild.

Abaixo tem um trailer de Help The Game:

MetalHog é a homenagem da MegaDriver aos 25 anos de Sonic

O ouriço azul da SEGA está completando 25 anos de existência. Para comemorar, a banda MegaDriver acabou de lançar um novo álbum especialmente dedicado ao Sonic The Hedgehog. O CD é chamado “MetalHog” e já está disponível através do Spotify. Esta é a versão 2.0 do famoso álbum da banda que mistura game music e metal pesado.

O álbum contem 17 músicas da série, incluindo todas as faixas do álbum original, regravadas e remixadas. Além disso, há três músicas inéditas: “City Escape”, “Sonic Boom” e “La Leyenda De Sonic”. Esta última foi inspirada em Scrap Brain da versão de Sega Master System e é cantada em espanhol.

MetalHog é um presente para quem é fã de Sonic e estava esperando alguma novidade por conta do aniversário do mascote. Infelizmente a SEGA ainda não anunciou nenhum título novo da franquia, mas espera-se que em breve a empresa faça um anúncio oficial. Enquanto isso, dá para curtir as músicas do jogo no melhor estilo pauleira.

Para quem não conhece, a banda Megadriver é totalmente dedicada a criação de versões heavy-metal dos temas dos maiores clássicos dos videogames. Muitos a consideram como a criadora do estilo musical “GAME METAL”. “Nosso principal objetivo é homenagear os jogos e os compositores que trabalharam em sua trilha sonora”, diz o site do grupo.

MetalHog está disponível nas lojas digitais iTunes, Spotify, Amazon e Loudr.fm. Ainda de acordo com Nino, líder da banda, será disponibilizada uma versão gratuita disponível para download no aniversário de 25 anos do ouriço, em 23 de Junho de 2016. Para acessar o CD, basta ir no site oficial.

Abaixo tem o teaser oficial de MetalHog:

Valkyria Chronicles: Ongame faz parceria com Sega para trazer novos personagens ao Chaos Online

A Ongame e a Sega fecharam uma parceria inédita neste mês para celebrar o lançamento de Valkyria Chronicles para PC. A parceria veio em forma de crossover com os personagens Alicia e Selvária do RPG da Sega fazendo uma ponta no MOBA Chaos Online. As personagens passam a integrar as forças da Legião Imortal e União Divina, respectivamente.

Além das duas personagens, a Ongame anunciou que outros personagens da Sega chegarão ao Chaos Online. Estes personagens serão das franquias Blaz Blue, Guilty Gear e Space Channel Five. O MOBA passa a receber atualizações frequentes para receber os personagens citados e uma história exclusiva de cada um para explicar a participação deles no MOBA.

“Geralmente é o sonho de todo jogador poder controlar seu personagem favorito numa mecânica totalmente diferente como do MOBA. O modo de jogar, de se movimentar e de agir para atingir os objetivos são outros”, disse Caio Bergamin, Gerente de Produtos do Chaos Online.

As personagens foram colocadas em Chaos Online de forma fiel ao original, incluindo roupas, armas e habilidades especiais. De acordo com a Ongame, foram disponibilizadas duas surpresas aos jogadores mais dedicados como o golpe ultimate e cartas que mudam as roupas das personagens (tem até biquíni).

As personagens já estão disponíveis para download através do próprio game. Mais informações no site do jogo.

Guia de Personagens: Valkyria Chronicles

Football Manager 2014 em português brasileiro faz vendas subirem 29% no país

Football-Manager-2014

O recente sucesso é creditado em parte pela introdução do idioma português no jogo. De acordo com os desenvolvedores, a opção de incluir o idioma português atraiu grande parte dos jogadores brasileiros que não tinham intimidade com o inglês. Além disso, o título tem uma novidade chamada Cloud Save que permite que os jogadores salvem seus progressos e possam continuar o jogo em qualquer computador, em qualquer lugar.

Nossa eterna meta é desenvolver a série do Football Manager entregando a simulação mais autêntica e profunda do mundo real de gerenciamento de futebol seja onde for“, explica Miles Jacobson, diretor da Sports Interactive.

Para quem não conhece, a franquia se distancia das séries FIFA e PES ao explorar mais o lado tático das partidas, ou seja, o jogador assume a posição de técnico de um time de futebol e deve definir as melhores táticas para cada jogo, escalando o time, definindo posições e a melhor estratégia durante o ataque e a defesa. A série tornou-se muito popular na Europa, mas nunca havia caído nas graças do público brasileiro (até agora).

Football Manager 2014 está disponível para PC, Mac (com compatibilidade inédita com o Linux) e dispositivos mobile compatíveis com iOS e Android. A SEGA e a Sports Interactive estão satisfeitas com a procura da versão móbile e esperam que o sucesso atraia ainda mais jogadores.

E você, curtiu Football Manager 2014?

Aliens Colonial Marines: ninho de Xenomorphs é encontrado em estação de metrô em São Paulo

Aliens Colonial Marines

Aliens Colonial Marines é um dos principais lançamentos da SEGA neste primeiro semestre e, para promover o jogo no Brasil, a empresa criou uma réplica em tamanho real de um ninho Xenomorph. A reprodução está exposta na estação de Metrô Trianon-Masp em São Paulo e ficará no local até o dia 13 de abril de 2013.

O bacana mesmo é a possibilidade de ver como nascem as criaturas mais grotescas e mortíferas da ficção científica. Todos os visitantes podem filmar e fotografar o ninho que foi criado em riquezas de detalhes. A peça foi enriquecida com movimentos e efeitos de luz tão característicos dessas criaturas espaciais.

A obra possui cerca de 1,60m de largura e 1,60m de altura e é de responsabilidade do artista plástico Eduardo Fraga, especialista mock-ups e em bonecos e efeitos especiais. De acordo com o artista, o modelo em exposição no Metrô levou cerca de 45 dias desde a concepção do projeto até ficar tudo pronto. Além disso, a peça tomou como base as artes e peças criadas pelo artista H.R. Giger, o criador do design do Alien.

“De longe, este foi um dos trabalhos com que mais me diverti. Pude fazer parte de um universo do qual sempre fui fã e adoro, tendo como inspiração o mestre H.R. Giger. Foi um dos projetos com o qual mais aprendi. É uma grande satisfação ver este filho nascendo, e será um grande prazer receber fãs, entusiastas, curiosos e qualquer tipo de pessoa que se encante com a franquia dos filmes”, disse Eduardo.

Se você é fã da franquia Aliens, não perca a oportunidade de conferir de perto um dos melhores trabalhos em esculturas já feitos para homenagera essa série. Em relação ao jogo, Aliens Colonial Marines já está disponível desde o dia 18 de Fevereiro de 2013 para PlayStation 3 e Xbox 360. A SEGA tem planos de lançar versões para PC e Wii U em breve.

Aliens Colonial Marines apresenta: The Subway Egg

Local: Estação Trianon-Masp (saída rua Pamplona, próximo aos guichês da bilheteria)
Data: Diariamente de 13/03/13 a 13/04/13
Horário: das 04h40 a 0h