Arquivo da tag: puc-sp

PUC-SP abre inscrições para curso de pós-graduação em Desenvolvimento de Jogos

Já pensou em se tornar Mestre em Desenvolvimento de Jogos Digitais? Pois sua oportunidade está aberta, visto que a PUC-SP abriu inscrições para o curso de mestrado profissional em Desenvolvimento de Jogos. Este curso é uma das novidades que a PUC-SP preparou para este ano.  As inscrições para os cursos de pós-graduação stricto sensu estão abertas até o dia 28 de abril com início no segundo semestre de 2017.

De acordo com a organização da instituição acadêmica, há vagas em 25 cursos de mestrado acadêmico, 03 cursos de mestrado profissional e 20 cursos de doutorado. Ex-alunos que concluíram graduação, especialização ou mestrado na PUC-SP têm isenção da taxa de inscrição, assim como os alunos que concluirão seu curso no 1º semestre de 2017.

dev

O Mestrado Profissional em Desenvolvimento de Jogos Digitais procura aliar teoria e prática à produção de games, combinando os campos do design e da computação, tanto nas disciplinas quanto na orientação e nas produções dos alunos. Por isso, aproveita a experiência e infraestrutura já existentes na Universidade, incluindo o Curso Superior de Tecnologia em Jogos Digitais, bibliotecas e laboratórios.

Estas são as disciplinas que compõe o curso de Mestrado em Desenvolvimento de Jogos Digitais da PUC-SP

  • Análise e Modelagem de Jogos Digitais
  • Implementação de Jogos Digitais
  • Processos de Desenvolvimento de Jogos Digitais
  • Arquitetura de Jogos Digitais
  • Design de Interação
  • Ergonomia e Usabilidade
  • Roteiro Audiovisual
  • Narrativas no Design Interativo de Games

Todo aluno frequentará também laboratórios em que formará um par com um colega de outra linha de pesquisa, para a produção de um trabalho de conclusão de curso.

 

Linhas de pesquisa

A Área de Concentração do curso é Engenharia e Design de Jogos Digitais, dividida em duas linhas de pesquisa:

  • Software de Jogos Digitais.
  • Design de Conteúdo para Jogos Digitais.

 

Todas as informações necessárias para participar do processo seletivo constam nos editais de cada Programa disponíveis aqui. Em caso de dúvida, o candidato deverá entrar em contato com a Secretaria Acadêmica da Pós-Graduação da PUC-SP no telefone (11) 3670-8526 ou email alunospos@pucsp.br.

 

Serviço: Processo Seletivo Pós –Graduação – PUC-SP – 2º semestre

Inscrições: até 28/4 no site www.pucsp.br/pos-graduacao/mestrado-e-doutorado

Informações: (11) 3670-8526 ou alunospos@pucsp.br

PUC-SP sedia Games For Change 2015

Pelo segundo ano consecutivo a PUC-SP sediará o evento Games for Change, o encontro entre professor, desenvolvedores e pesquisadores de jogos digitais com propostas para a melhoria da sociedade e do meio ambiente. O evento ocorre entre os dias 21 e 22 de novembro e o tema desta quinta edição é “Games e Cidadania”.

O evento terá uma série de simpósios, oficinas e até um minicurso para unir fãs de serious games e aplicativos de utilidade pública. As atividades iniciam às 09h00 com a recepção dos visitantes e logo em seguida, os professores Gilson Schwartz (USP), Lúcia Santaella (PUC-SP) e David Lemes (PUC-SP) dão as boas vindas aos visitantes e falam sobre o tema deste ano.

Entre as atividades deste ano, podemos destacar o debate “Games e Conflietos na Escola: Experiência com o FazGame”, com participação da dupla Carla Zeltzer e Antônio Ramos; o Minicurso “Jogos, Filosofia e Educação”, ministrado por Lucas Machado e Danilo Silvestre; “Jogos para aprendizagem, saúde e impacto social”; “Edugamificação Urbana: O Carro do Futuro em Jogo”, entre outros. Tem até uma oficina dedicada a jogos de tabuleiro, onde os visitantes poderão ver um jogo de tabuleiro nascer e se desenvolver.

O Minicurso sobre Jogos, Filosofia e Educação tem duas sessões e serve como introdução ao estudo filosófico dos jogos, mostrando como temas clássicos da filosofia são retomados na reflexão sobre jogos e sobre suas estruturas e modos de interatividade próprios.

Durante a primeira sessão do minicurso será discutida a definição de jogos e de games. Já na segunda sessão, os palestrantes utilizarão autores clássicos como Kant, Schiller, Hegel e Sartre de exemplo para mostrar como os jogos são utilizados como ferramentas lúdicas em contextos educativos e seu forte impacto social.

Como participar do Games for Change:

Para participar do 5º Games for Change é necessário fazer a inscrição na página do evento, porém é necessário urgência, pois as vagas são limitadas. Vale lembrar que o evento é uma forma de participar da mudança do mundo de forma ativa.

Geralmente o evento apresenta games lúdicos e com propostas de transformação social, tais como This War of Mine, Never Alone, Zoo U, Bounden, entre outros. A lista total de atividades do Games for Change pode ser conferida no site do evento.

IV Festival Games For Change América Latina ocorre na PUC-SP em Dezembro

Nos próximos dias 6 e 7 de dezembro a PUC-SP, campus Consolação, sediará o IV Festival Games For Change, o tradicional evento de jogos eletrônicos que apresenta tendências da gamification e games sérios. O tema deste ano é Gamificando a Internet das Coisas e serão realizadas palestras, simpósios, oficinas e, pela primeira vez, um pitching de projetos para selecionar games e apps para avaliação de possíveis investidores em parceria com a Broota Brasil e o Fórum Brasileiro de Competitividade em Internet das Coisas.

De acordo com a organização, no dia 6 haverá um simpósio às 14 horas com o tema “Cultura Digital e Saúde Individual, Coletiva, Pública e Socioambiental” com a participação de Marcelo de Vasconcellos (Fiocruz), Helena Morgani (Medicina, USP) e Alexandre Brandão (UFSCAR). Também haverá outro simpósio voltado para a “Edugamificação e Criatividade Tecnológica” com o Alexandre Sayad (MEL, Gelly Jam), Maurício Cardoso (Diversitas e História, FFLCH, USP), Sergio Bairon (Diversitas e ECA, USP).

Ainda no dia 16, haverá um simpósio às 17 horas falando sobre “Criptomoedas Digitais, Internet das Coisas e a Economia Política dos Games + Festa” com os profissionais José Roberto Amazonas (POLI, USP), Diego Viana (Diversitas, FFLCH, USP), Julio Lucchesi (Cidade do Conhecimento/Iconomia, USP), Zilda Iokoi (Diversitas, FFLCH,USP). A moderação dos debates fica por conta de Gilson Schwartz (ECA, Diversitas, FFLCH, USP), que é o organizador do Games For Change. Por fim, às 20 horas será realizado uma Game Party Surpresa no Campus.

Já no dia 7, o evento reinicia às 10 horas com o debate “Videogames, Aprendizagem e Memória” com o Ricardo Nakamura (POLI, USP), Joanne Garde-Hansen (University of Warwick), Karen Worcman (Museu da Pessoa). A partir das 14 horas começa o simpósio “Gamificação na Internet das Coisas” com Romero Tori (CEST, POLI, USP), Edison Spina (POLI, USP), Leandro Andrade e Victor Hugo Batista (iRIOT, USP), Frederico Rizzo (Broota Brasil). Às 17 horas haverá um debate de encerramento com o tema “Ensino de Game Design para Mudança: Jogos Sérios, Simuladores e Transmídia no Ensino Brasileiro (Ensino Técnico, Graduação e Pós-Graduação)” com os professores Luiz Carlos Petry (PUC-SP), Luiz Almeida (UNITAU), Marsal Avila Alves Branco (Feevale), Gilson Schwartz (Games for Change, USP), Randolph Aparecido de Souza (UNISO), Charles Madeira (Instituto Metrópole Digital, UFRN).

Para além dos debates, o Games For Change também contará com diversas oficinas em três laboratórios da PUC e também na Sala de estudos da Biblioteca. Cada uma das oficinas tem seu próprio tema e ocorrem nos períodos da manhã e tarde. Além disso, há um espaço para pitching e pôsteres em três salas da universidade. Esses pitchings e pôsteres terão seleção por meio de chamada pública e serão eleitos os melhores através de votos populares e comissão julgadora. Para participar, basta encaminhar o relato e pôster no email g4cal2014@gmail.com. Vale destacar que algumas dessas apresentações poderão ocorrer de maneira remota pelo Skype.

As inscrições para o simpósio custam R$ 100,00 e para participar do Pitching com Investidores, e ter acesso livre para o evento, basta inscrever-se no site do evento. No site também há diversas informações sobre o evento e as atividades programadas.

PUC-SP e Globo realizam seminário voltado a construir negócios no mundo digital

A PUC-SP e a Globo irão organizar um seminário inédito no próximo dia 25 de setembro voltado aos jogos eletrônicos. Batizado de “Games & Marketing – Aprendendo a Construir Negócios no Mundo Digital”, o evento irá abordar conhecimentos práticos de processos de marketing aplicado em jogos eletrônicos, ou seja, dicas para trazer negócios ao seu jogo eletrônico.

O encontro vai contar com a participação de desenvolvedores que discutirão peculiaridades dos jogos e sua utilização em empresas. Neste encontro estarão presentes os profissionais Roberto Schmidt, diretor de planejamento de marketing da Globo;  Fernando Chamis, da Webcore e Mario Lapin, da Virgo Games. Os visitantes conhecerão técnicas e histórias de sucesso envolvendo games e marketing.

“Aprendendo a Construir Negócios no Mundo Digital” ocorrerá no período das 9h às 12h30, no Anfiteatro da Faculdade de Ciências Exatas e Tecnologia da PUC-SP, localizada na rua Marquês de Paranaguá, 111. O evento é gratuito e aberto a estudantes e interessados em games em geral. Para participar é necessário preencher uma ficha de inscrição no formulário do evento ou encaminhar um email para globo.universidade@tvglobo.com.br. Os espectadores receberão um certificado de participação válido para 3 horas de atividades complementares, caso sejam estudantes.

Abaixo segue a programação do evento, de acordo com a organização:

Programação:

08h30 às 09h15    
Credenciamento + Café de boas vindas

09h15 às 09h30     
Mesa de abertura

09h30 às 10h15
Do Game ao Business. Como desenvolver o negócio?                                Roberto Schmidt – Diretor de Planejamento de Marketing da Globo

10h15 às 11H00   
Game Futebol: Como desenvolver para diversas plataformas?
Fernando Chamis – WebCore

11h00 às 11H45   
Aplicativo Álbum Esperança: Como escalonar para milhões de acessos?
Mario Lapin – Virgo Games

11h45 às 12H30
Bate-papo

SPJam 2014: PUC-SP recebe maratona de 48h de criação de games

Durante 48h, o campus Consolação da PUC-SP se transformará num imenso estúdio de desenvolvimento de jogos digitais e analógicos (tabuleiros, cartas, RPG, dados e outros). A maratona começa na noite de sexta-feira, 29/8, e termina no domingo, 31/8: nesses dois dias, a 4ª edição da SPJam espera reunir cerca de 300 participantes.

O tema do evento será revelado no início da gamejam, assim como certos desafios extras. Os participantes poderão utilizar quaisquer tecnologias ou materiais para produzir os jogos, exceto aqueles que ofereçam risco à vida, saúde e integridade moral dos demais participantes. Durante os dois dias, as equipes terão espaços reservados na Universidade para descansar (em seus próprios colchões ou saco de dormir), tomar banho e cozinhar. Os jogos criados durante a maratona serão expostos, em conjunto com obras de artistas convidados, em um evento a ser realizado ainda neste semestre.

No ano passado, a SPJam recebeu 96 equipes e um total de 314 desenvolvedores, muitos de fora de São Paulo (de cidades como Porto Alegre, Belo Horizonte, Salvador, Rio de Janeiro e estados como Paraná e Santa Catarina). Foram criados 47 jogos. O evento é realizado pelo estúdio Vórtex Game Studios, com apoio da Faculdade de Ciências Exatas e Tecnologia (FCET) da PUC-SP.

A participação da Universidade no projeto reforça seu papel como polo de referência em games: além da graduação em Jogos Digitais e diversos cursos de extensão, a Instituição se prepara para oferecer em breve cursos em nível de pós-graduação para a área.

A Direção da FCET também pretende fazer do campus Consolação da PUC-SP uma referência e um espaço de discussão colaborativo e aberto para comunidades de tecnologia, inovação e empreendedorismo. Por isso, além da SPJam, a Universidade irá receber mais três eventos neste segundo semestre: o BarCampSP (encontro preparado pelos próprios participantes, visando ao compartilhamento de ideias, pontos de vista e aprendizado aberto), dia 13/9; o Agile Tour São Paulo (a maior conferência sobre metodologias ágeis no mundo), dia 27/9; e o WordCamp (conferência oficial da comunidade WordPress realizada em diversas cidades do mundo), dia 18/10.

Em junho, foram realizados no local a primeira edição brasileira do AngelHack (o maior organizador de hackathons, maratonas de programação) do mundo e a Virada Tecnológica da E-PUC Júnior (empresa júnior dos alunos de Ciências Exatas e Tecnologia).

SERVIÇO

4ª SPJam

Maratona de 48h de criação e desenvolvimento de jogos digitais e analógicos
Datas: De 29/8 (sexta-feira) a 31/8 (domingo)
Local: Campus Consolação da PUC-SP (rua Marquês de Paranaguá, 111, Consolação)
Informações: www.spjam.com.br

BNDEs divulga resultado de extensa pesquisa sobre games

O Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDEs) publicou na quarta-feira (2) uma pesquisa inédita que mostra o atual estado da indústria de jogos eletrônicos no Brasil. O estudo é bastante extenso e revelador, explorando características da indústria, tendências, necessidades e até soluções para o mercado progredir. A pesquisa está disponível online.

O relatório levou cerca de uma no para ser concluído e foi realizado pela Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo (FUSP). Apesar de a pesquisa demonstrar interesse do BNDES pela indústria, isto não indica de modo algum que a entidade planeja criar linhas de crédito para investir no setor ou criação de novos projetos. De acordo com Luciane Melo, gerente do departamento de pesquisa e operações do BNDES, o banco pode financiar jogos sem a criação de uma linha de crédito específica.

A pesquisa deixa claro que existe uma diferença muito grande entre a indústria nacional e os países líderes do setor. “O mercado brasileiro não é maduro como o de outros países e se inserir nele não seria algo simples e barato”, alerta Davi Nakano, vice coordenador da pesquisa.

O mais interessante do estudo é que ele disseca a indústria de modo cirúrgico, contando até como começa o desenvolvimento de um projeto e formas de conseguir sucesso financeiro com um projeto. Todavia, apesar de um cenário promissor para a indústria, o Brasil ainda está muito atrás dos EUA, Canadá, Japão, França, entre outros, no quesito investimento em políticas públicas para o setor. Investir na produção de jogos para consoles de mesa como PS3 e X360 não é o correto a se fazer, de acordo com o BNDES, mas sim investir em jogos para plataformas mobile e jogos sociais.

Ainda de acordo com o mapeamento, o Brasil possui cerca de 133 empresas dedicadas a produzir jogos no Brasil, ainda que e a indústria não tenha grandes diferenças entre startups e de empresas desenvolvedoras de aplicativos. A maior parte das empresas são pequenas e ainda precisam de incentivos governamentais para continuar existindo.

Por fim, o relatório diz que o Estado é muito importante para difundir novos paradigamas tecnológicos através de capacitar profissionais, superar atrasos tecnológicos, promover a produção internar e aumentar a competitividade e inovação. Uma etapa importante para isso é incentivar universidades dedicadas a jogos digitais e promover financiamento estudantil a quem mostrar-se interessado.

Além de apontar o estado atual, o relatório mostra onde os jogos brasileiros podem melhorar, como na criação de novas IPs, melhorar a qualidade profissional. O BNDES até sugere que para não só os inteiramente pobres, mas sim ocupados demais em suas carreiras.

Os relatórios completos você pode baixar aqui.

Curso de Desenvolvimento de Games com Unity 3D na PUC-SP

Unity 3d

Vejam só a ótima oportunidade de se destacar no concorrido mercado de trabalho de game design no Brasil: a PUC de São Paulo acaba de abrir uma nova turma para o curso de especialização de Desenvolvimento de Games com Unity 3D. O curso, que tem início em 13 de março e finaliza em 3 de julho de 2013, já está com as matrículas abertas e tem como foco principal o desenvolvimento de games usando a engine Unity 3D, além de abordar tópicos como física para games, métodos de programação popularizadas em diversas plataformas e também distribuição digital.

O objetivo do curso é capacitar ainda mais os profissionais e estudantes de desenvolvimento de games para atuarem na produção de jogos digitais que possam se integrar no ambiente de distribuição digital, ganhando expertise no meio das lojas virtuais e redes digitais. Vale dizer também, que o curso deve servir para manter os profissionais da área atualizados do cenário e metodologia empregada no desenvolvimento de games no Brasil nos últimos anos.

O curso será ministrado pelo Prof. Reinaldo Ramos, da QUByte Interactive, e terá a coordenação do Prof. David de Oliveira Lemes, criador do GameReporter. Além de estudar o impacto e importância da distribuição digital, o curso também estimulará a reflexão sobre a prática profissional, trazendo questões referentes a importância de criação e exibição de marca, permanência do jogador e a qualidade do software desenvolvido.

Desta maneira, espera-se que o aluno formado no curso torne-se um profissional pronto para o mercado. O curso de destina a estudantes e profissionais de Tecnologias e Mídias Digitais, Sistemas de Informação, Jogos Digitais, Comunicação e Multimeios, além do curso de Ciência da Computação. A carga horária total é de 48 horas e o investimento total é de R$ 1.221,00, mas pode ser parcelado. Basta consultar a PUC-SP.

Para garantir sua matrícula, basta comparecer no campus da PUC-SP na Rua da Consolação 881, São Paulo – SP, munido de documentação pessoal, comprovante de endereço e diploma ou histórico escolar, no caso de graduandos. O atendimento é feito de segunda à sexta das 9 às 20:30 e aos sábados das 8h às 12h30. Se seu objetivo é se destacar no meio de tantos game designers, eis aí uma bela oportunidade de sair na frente.

Todos os detalhes do Curso de Desenvolvimento de Games com Unity 3D você encontra aqui.

Longwei, o dragão: um game no estilo Snake com um visual nota 10

Longwei

Baseado no jogo Snake, o game Longwei foi desenvolvido para ser um jogo casual que mistura a diversão dos jogos arcade com os belos gráficos atuais. Longwei, o dragão, anda pelo cenário comendo moedas (tradicional item que aumenta seu tamanho), mas além deste, adicionamos três itens extras. Um que aumenta sua velocidade, outro que diminui seu tamanho e por último um item bônus raro.

Longwei, o dragão

O jogo foi desenvolvido inicialmente para a conclusão de semestre na disciplina de Laboratório de Produção de Games III do Curso de Jogos Digitais da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo ministrada pelo Prof. Ms. Eduardo Savino Gomes.  O trabalho consistia no desenvolvimento de um jogo em XNA para desktop.

Com as oficinas de desenvolvimento que a Nokia realizou em parceria com a Universidade, aprendemos a produzir jogos em XNA voltados para plataforma Windows Phone.

Contentes com o resultado final, decidimos portar o jogo do desktop para Mobile. Hoje, Longwei já possui uma atualização gratuita disponível para download em todos os marketplace com exceção do Brasil e Coreia, por questões judiciais.

Gostou? Clique aqui para baixar Longwei, o dragão

 

Equipe de desenvolvimento:

– Bréndal Teixeira Mendonça (Programador) • brendalteixeira@hotmail.com

– Larissa Akemi Ferreira (Artista 2D) • a.kemi@live.jp

– Thais Naomi ikeoka (Artista 2D) • tha_ikeoka@hotmail.com

Longwei

Conheça o TEC: o Robo, game desenvolvido por ex-alunos da PUC-SP

Depois de ter sua nave danificada, TEC: o Robo fica preso em um planeta desconhecido. Para voltar ao seu planeta de origem, ele precisa reconectar as baterias de sua espaçonave.

O objetivo deste jogo é acender todas as luzes do chão de forma que a sua última posição precisa estar posicionada ao lado da saída. Conforme você progride através dos estágios, o nível de dificuldade aumenta. O game é divido em 3 níveis: fácil, moderado e difícil.

Complete todas as 45 etapas atingindo todos os 3 níveis para ajudar TEC a reiniciar sua nave espacial. Um jogo que instiga sua mente através de caminhos e desafios.

O jogo foi desenvolvido por ex-alunos do Curso de Jogos Digitais da PUC-SP. Fernando Pepe B. Pereira, Marcos Melendez, André Luiz Teodoro e Tiago Casagrande, do Mayness Studios, fazem parte da equipe de desenvolvimento do game TEC: o Robo.

Gostou? Baixe o TEC: o Robo na App Store Brasil. Caso queira conhecer o game, pode também baixar a versão Lite aqui.

IndieReporter: jogue Estamos Pensando e conheça mais sobre o game

Esta semana publicamos aqui no GameReporter nosso primeiro texto do IndieReporter, uma série com desenvolvedores do cenário independente nacional, estúdios brazucas e suas produções.

Hoje voltamos ao nosso primeiro personagem, Daniel Novais, e sugerimos seu primeiro game Estamos Pensando. Criado como uma pequena peça de arte digital para o simpósio SBGames 2008, o joguinho em Flash teve destaque aqui no próprio GameReporter na época.

Estamos Pensando puxa para a filosofia, e em vez de colocar o jogador no papel de um herói, traz um dilema corriqueiro na vida amorosa de muitos: o sofrimento com a expectativa da pessoa amada. Apesar de bastante simples, o game tem pontos altos e merece um lugar de destaque. E, é claro, pode inspirar quem está entrando na área agora.

Com a palavra, Daniel, contando um pouquinho sobre o desenvolvimento e a receptividade ao Estamos Pensando:

“O primeiro semestre de programação da PUC-SP usava o Flash para ensinar o básico de programação. Apesar de já ter tido diversos contatos com o Flash, não sabia fazer absolutamente nada. Depois de um final do semestre muito proveitoso, fiquei sabendo do SBGames e estava com as férias escolares e um pequeno período de ociosidade com o trabalho, então resolvi desenvolver o game pensando no festival.

Na época, estava descobrindo os games como forma de arte (em especial, Passage e Gravitation do Jason Rohrer) e sempre lia a seção Artistic Saturday Timewaster do Kotaku US. A idéia era fazer um game simples de plataforma, mas no final a coisa acabou ganhando essa orientação artística.

O nome do game é Estamos Pensando pelo motivo mais bobo. Eu estava tentando fazer um logotipo sem ter decidido ainda o título do jogo. Então eu deixei Estamos Pensando (como em “ainda estamos pensando no título”) como texto de teste. Quando chegou a hora de fazer o submit pro festival, ainda não tinha pensado em nada e resolvi deixar desse jeito mesmo. Um lado meu se arrepende e muito disso: tem muita gente nesse mundo que é brutal com títulos de jogos que não sejam em inglês ou japonês. Fora, claro, que deu uma impressão de arte pretensiosa.

Lição aprendida!

Quanto ao jogo, uma coisa que eu simplesmente não consegui imaginar enquanto desenvolvia foi esse pensamento de suicídio que as pessoas tiveram. Muita gente acha que o jogo é depressivo porque o personagem se suicida. Pra mim, nunca foi um caso de suicídio. É um momento inconsequente, de esquecer a razão e fazer a coisa mais idiota sem pensar. Um erro, e não uma tentativa com sucesso de suicídio. Foi essa sensação que eu tentei causar no jogador e, acho eu, os que gostaram do jogo gostaram exatamente porque “caíram” e entenderam essa intenção.

Com todo o respeito do mundo ao SBGames (e lembrando que quem estava lá viu que eu estava completamente eufórico na hora do anúncio), este acabou sendo um evento de segundo plano. Destaque num fim de semana no Kotaku US é uma experiência completamente maluca e que nunca vai sumir de mim. Acho que passei umas duas semanas sem saber o que acontecia no resto do mundo, só encontrando no Google gente falando as coisas mais horríveis e mais bacanas sobre o jogo. Era uma alegria extrema combinada com muita dor. Ás vezes até na mesma frase. Lembro de um “o game mais legal já feito por alguém que não sabe escrever”.

O mais engraçado é que ficou uma sensação de melancolia e depressão no jogo. Na verdade, sou um cara muito sorridente e isso me incomodava muito. Acho que isso está mais claro agora no Mystery of the Japanese Werewolf. E, ainda bem, o comentário mais repetido sobre o jogo até agora é que o humor dele é o que mais vale a pena. Ufa!”

:: Gostou? Jogue Estamos Pensando agora