Arquivo da tag: pokémon

Fãs de Pokémon têm encontro marcado na Arena Gamer do Shopping Metrô Tucuruvi

Havia rumores de que a febre Pokémon já era, mas a verdade é que os monstrinhos de bolso seguem com toda a força após o badalado Pokémon Go. O card game não é exceção: os torneios e disputas continuam conquistando mais jogadores a cada dia. Para quem é jogador do card game, eis a dica: a Arena Gamer, do Shopping Metrô Tucuruvi, é o endereço certo para quem quer trocar cards dos personagens, se divertir com os jogos de sucesso e fazer novas amizades, pois haverá um encontro para colecionadores no dia 9 de setembro, às 15h, no ambiente instalado especialmente no Piso 1.

“As versões digitais de Pokémon reúnem famílias inteiras na brincadeira. Das telas da TV para os smartphones, o jogo continua sendo um sucesso, sem perder a originalidade, por isso, preparamos esse encontro para diferentes gerações aproveitarem juntas”, destaca Laís Marques, gerente de Marketing Shopping Metrô Tucuruvi.

Além de recepcionar os adoradores dos Pokémons, os visitantes da Arena Gamer poderão jogar também videogames retrôs, como Pac Man, Super Mario e Sonic, e as versões mais atuais com PES 2017, Fifa 17 e Street Fighter V. Os consoles disponíveis na arena são: PlayStation 3 e 4, Xbox One e 360, Super Nintendo, Atari e muito mais. Para participar é necessário ter mais de 18 anos ou estar acompanhado pelos pais ou responsáveis.

A entrada custa R$ 15 para 30 minutos e R$ 20 para 60 minutos. Cada minuto excedente tem custo de R$ 1. De segunda a quarta-feira, participantes que adquirirem 60 minutos ganham meia hora a mais de jogo. Crianças menores de quatro anos não pagam, mediante acompanhamento de um adulto pagante.

 

Arena Gamer no Shopping Metrô Tucuruvi

Data: até 10 de setembro

Horário: segunda-feira a sábado, das 10 às 22h, domingo das 12h às 20h

Encontro entre colecionadores Pokémon TCG

Data: sábado, dia 9 de setembro

Horário: às 15h

Local: Piso 1, ao lado da loja Havaianas

Endereço: Av. Dr Antonio Maria Laet, 566 – Tucuruvi – São Paulo

Valores: R$ 15 para 30 minutos e R$ 20 para 60. De segunda a quarta-feira, a cada 60 minutos comprados, ganha-se mais meia hora

O 5 Melhores (e piores) momentos da Nintendo na E3 2017

Como já vem ocorrendo há alguns anos, a Nintendo não fez uma conferência para a imprensa durante a E3. Ao invés disso, a empresa japonesa publicou um vídeo no padrão Nintendo Direct para mostrar suas novidades para os próximos meses. E se pudéssemos resumir o que foi mostrado, seria: a Nintendo roubou a E3!

Mesmo tendo de competir com um novo console da Microsoft e com as exclusividades da Sony, a Nintendo não desapontou, mostrando a força de suas marcas e o empenho que está tendo com o Switch. Sério, foram trinta minutos extremamente bem aproveitados. A impressão geral foi que a Nintendo foi a que mais se destacou no evento americano.

 

Confira os highlights da Nintendo na E3 2017:

 

Kirby, Pokémon e Fire Emblem mostram a força da Nintendo

É incrível a força que a Nintendo tem, mesmo quando seus próprios fãs estão céticos e seus produtos desacreditados. A E3 2017 serviu para mostrar que a companhia deve se apoiar mais do que nunca em suas franquias. Este ano, tivemos muitas novidades sobre os exclusivos Nintendo e somente isso serviu para arrancar lágrimas de fãs por todo o mundo.

Desde um novo Kirby, conteúdo adicional para o Zelda, um novo Pokémon em produção e o Firem Emblem. Enfim, a Big N fez o que se esperava das concorrentes, ou seja, apostou alto no que tem, mostrou suas armas mais letais para os próximos meses e garantiu que quem investiu no Switch não vai passar maus bocados. Grande destaque, aliás, para o novo Kirby, que parece ótimo. Nessa lineup só faltou mesmo um novo Donkey Kong…

 

O novo Mario parece incrível

Na edição de 2016 a Nintendo mostrou um pouco do Super Mario Odissey, então ele não era realmente uma surpresa. Ainda assim, muita gente teve uma péssima impressão do que a empresa reservava para a próxima aventura do bigodudo. Neste ano tivemos alguns detalhes sobre a jogabilidade.

Pelo que foi apresentado, Odissey vai misturar elementos 2D e 3D, além disso, Mario vai poder controlar o corpo de outros personagens e inimigos ao jogar o chapéu em suas cabeças. Parece que a jogabilidade será das mais divertidas e os mundos de jogo serão diversos e coloridos. O mais impactante: Mario chega ainda em 2017, e possivelmente vai lutar contra Zelda pela corrida do Game of the Year.

 

Metroid Prime 4 está sendo feito

Fazia tempo que a comunidade clamava por uma sequência da respeitada franquia Metroid Prime. Após Metroid Other M e Federation Force, parecia que um novo Prime era uma utopia. Eis que a Nintendo surpreendeu ao revelar que Metroid Prime 4 está em produção. Nada além disso foi dito, nem data de lançamento, nem imagens, nada! O anúncio foi mais para surpreender mesmo e a expectativa é que este se torne um dos melhores games do Switch.

Sabe-se que o novo título não vai ter o dedo da retro Studios. Bill Trinen, diretor da Treehouse, não revelou quem são os responsáveis pelo desenvolvimento, porém revelou que o produtor Kensuke Tanabe, que trabalhou em títulos anteriores da série Metroid Prime, estará envolvido.

 

Yoshi tem novo jogo

Outra grata surpresa foi o anúncio de um novo jogo estrelado pelo Yoshi. A Nintendo está apostando alto no Yoshi, afinal não faz muito tempo que a comunidade foi presenteada com o ótimo Yoshi’s Woolly World. Este novo jogo segue mecânicas retiradas do clássico Yoshi’s Island do SNES, com um toque de Paper Mario.

O mundo de jogo é bem colorido e tem tudo para agradar jogadores mais novos, e também os antigos. Sabemos que o motor utilizado é a Unreal Engine 4, provando que o Switch não apenas é compatível, mas que pode surpreender bastante em aspectos gráficos e físicos.

 

Nintendo abraçando o cross-play

Um dos jogos mostrados durante a apresentação em vídeo foi Rocket League. Tudo bem que o jogo não é nenhuma novidade e quem tinha de jogar, já jogou. Contudo, um aspecto não pôde ser ignorado: o jogo vai ter cross-play, permitindo que quem joga no Switch possa competir com jogadores do PC e do Xbox One. É interessante ver que a Nintendo está de fato empenhada a oferecer à comunidade o que ela quer.

E aqui vai uma crítica para a soberba da Sony, que é a única a ignorar este desejo tão antigo da comunidade. E vejam só, logo a Nintendo que foi tão cabeça dura com relação às comunidades online agora está um passo a frente da Sony. A expectativa é que ao longo dos anos mais jogos tenha cross-play entre plataformas concorrentes.

 

E os pontos negativos da apresentação

 

Pouco tempo para jogos de alta qualidade

A Microsoft teve quase duas horas de apresentação e a Sony ficou no palco por uma hora inteira. Mesmo que esse tempo todo das duas empresas tenha sido aproveitado de forma mediana, vale dizer que poucas dúvidas ficaram no ar e serviu para mostrar muito conteúdo. Já a Nintendo teve apenas 30 minutos de vídeo.

Esse tempo é muito curto e não serviu para saciar o gosto de quero mais. Claro, o que foi mostrado roubou o show, mas porque não ter mais tempo de vídeo, mostrar os jogos com mais destaque e mais detalhes? A impressão foi que foi muito pouco tempo para mostrar tanta coisa boa.

 

Nada de novo no Virtual Console

A Nintendo não mostrou nada de novo para o Virtual Console, a plataforma de jogos online do Switch. Nenhuma nova promoção, nem jogos novos. Nem mesmo os indies deram as caras ou a retrocompatibilidade com plataformas antigas. A Nintendo está dando suporte ao Virtual Console, disso não há dúvidas, mas a impressão é que ao focar apenas nos jogos novos, a Big N ignorou uma base de fãs que esperam novidades sobre a plataforma.

 

Nenhuma nova IP

Tudo bem que Arms já é um dos jogos mais esperado do Nintendo Switch, mas ficamos sabendo dele na E3 2016. Deste modo, a Nintendo não apresentou nenhuma IP nova neste evento. Não que o line up tenha sido ruim, mas tal como a maioria das empresas desenvolvedoras, parece que o forte da indústria esteja em repetir fórmulas e em franquias já estabelecidas.

São raras as oportunidades que novas franquias podem brilhar e a E3 é o palco ideal para isso. Visto que a Nintendo conseguiu muito destaque nos últimos anos com Splatoon e Arms, seria de esperar que a companhia mantivesse sua sina de mostrar jogos novos no evento americano. Uma pena que desta vez isto não aconteceu.

 

3DS ficou às moscas

O Nintendo Switch é o grande foco da Nintendo para o ano e isto pôde ser visto durante a E3 2017. Assim, o 3DS acabou ficando meio que ignorado. Não que não houvessem novos jogos, afinal a empresa revelou Metroid: Samus Returns, Sushi Striker  e Mario & Luigi: Superstar Saga + Bowser’s Minions, mas a impressão geral foi que faltou alguma coisa.

Muita gente esperava que desta vez era um novo Zelda para o portátil ou quem sabe um novo Donkey Kong, mas a Big N deixou a oportunidade de lado e o que foi mostrado para o sistema foi muito pouco para uma das plataformas mais populares do mercado. A esperança é que ao longo dos meses surjam novos jogos para a sólida base instalada de jogadores do 3DS.

 

Third Parties ignoraram a Nintendo?

O principal jogo terceirizado para o Switch foi Skyrim, um título que continua estupendo, mas que já está no mercado há muitos anos. Outro destaque foi Mario + Rabbids Kingdom Battle, crossover que coloca os mascotes da Ubisoft no Reino do Cogumelo. Dois jogos. Será que o Switch vai sofrer o mesmo destino do Wii U? Ainda é cedo para cravar que o Switch será ignorada pelas desenvolvedoras, visto que a Nintendo está tentando atrair as empresas rapidamente.

Dados do VGChartz sugerem que já existem 3 milhões de consoles Switch no mercado, um número até expressivo para o pouco tempo de vida da plataforma. Mas esses números ainda não foram suficientes para que os desenvolvedores comecem a apoiar massivamente a plataforma. Se a e3 serve de termômetro, no próximo ano o Switch vai sobreviver quase que exclusivamente de jogos 1st Party.

Aplicativo de mobilidade urbana “Leve-Me” ajuda a caçar pokémons

 

Já caçou Pokémons em todo o seu bairro e esgotaram-se as alternativas de onde encontrar os poderosos monstrinhos? Precisa de novas sugestões de rotas seguras e fáceis para a caminhada atrás de pokémons? Se a resposta for sim, então há uma boa chance de o aplicativo “Leve-me” ter sido criado para você. Trata-se de uma aplicação de mobilidade urbana gratuita desenvolvido pela Otima, que recebeu um upgrade recentemente que é ideal para os mestres pokemons.

Após uma atualização o aplicativo permite que o usuário veja no mapa quais são os locais da cidade de São Paulo que tem mais Pokémons e traçar a melhor rota para chegar lá, utilizando ônibus, metro, trem, bike ou táxi. Assim que você abre o programa, há um ícone que indica o modo para caçar pokémons. O aplicativo é bem intuitivo e fácil de utilizar, mesmo para jogadores mais jovens.

“Estamos usando a tecnologia para proporcionar ao usuário uma experiência diferenciada enquanto se locomove em uma cidade do tamanho de São Paulo. O usuário pode traçar a melhor rota para chegar ao seu destino e, ainda, se divertir caçando e conquistando mais Pokémons”, disse Gustavo Brancante, Gerente de Tecnologia e Inovação da Otima.

Ao escolher o destino pelo Leve-me, o usuário do aplicativo recebe em segundos as melhores opções de rotas seja de ônibus, metrô, trem, bicicleta ou táxi e pode optar pela mais rápida, mais confortável ou mais saudável. E ainda tem à sua disposição a função “ônibus em tempo real” que mostra o horário de chegada do ônibus em um determinado ponto.

Além das opções de rota, o usuário poderá interagir via QR Code ou Realidade Aumentada com campanhas publicitárias veiculadas nos painéis de pontos de ônibus da cidade, participando de promoções, recebendo conteúdos exclusivos, cupons de desconto e até brindes. De acordo com a Otima, este é o primeiro app da categoria a reunir todos esses atributos em uma única plataforma.

Onde encontrar o aplicativo Leve-Me

O Leve-me foi desenvolvido para os sistemas Android e iOS está disponível para download gratuitamente na Apple Store e na Google Play Store. Para mais informações, basta acessar o site especial.

Guia para iniciantes em Pokémon Go

Poucos jogos causaram impacto tão grande na comunidade de jogadores quanto Pokémon Go, o novo jogo de celular que utiliza realidade aumentada para trazer os pocket monsters para o mundo real. O título ainda não está disponível oficialmente no Brasil, mas no que depender da expectativa dos brasileiros podemos esperar uma recepção tão grande quanto teve nos EUA e em outras regiões do mundo. Pensando nisso, resolvemos criar um guia especial para iniciantes em Pokémon Go.

O que tem de mais em Pokémon Go?

Trata-se d um jogo para dispositivos móveis que utiliza a realidade aumentada e multiplayer online para transformar o mundo real em um mundo Pokémon. Assim você encontra centenas de monstrinhos e outros treinadores em suas andanças pelo mundo, sempre sendo notificado sobre pokémons nas proximidades. A ideia é capturar a maior quantidade de pokémons possível, tal como ocorria nos jogos para portáteis e nas animações.

A Nintendo desenvolveu Pokémon Go?

Na verdade não, apesar de Pokémon ser de propriedade da Big N, Pokémon Go na verdade é fruto de colaboração entre as empresas Niantic, Inc., a Nintendo e a The Pokémon Company. A etapa de desenvolvimento e criação das mecânicas ficou sob responsabilidade da Niantic, ou seja, é ela quem mais está lucrando com o jogo.

O jogo é bom? Por que é tão popular?

Pokémon Go teve críticas mistas pelos veículos especializados e pelos usuários. De acordo com o agregador Metacritic, Pokémon Go tem score de 68 pontos pela crítica e 5,5 pelas avaliações de usuários. Estimativas apontam que o aplicativo foi baixado por mais de 75 milhões de pessoas ao redor do mundo, tornando-o um dos jogos mais baixados de todos os tempos. A popularidade é tanta que a palavra Pokémon Go foi o termo mais buscado da internet durante várias semanas, superando inclusive buscas por pornografia.

A que se atribui a polêmica envolvendo o jogo?

Houve algumas polêmicas envolvendo Pokémon Go devido a alguns fatos inusitados envolvendo jogadores de Go, tais como acidentes de carros, assaltos, encontros com cadáveres e até ataques de hackers a usuários da aplicação. Recentemente o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse que “Pokémon Go promove a cultura da morte, incentivando a violência entre os jovens”, em entrevista à TV Venezuelana. O jogo em si não tem nada comprovadamente perigoso.

Como capturar Pokémons?

Ao encontrar um Pokémon, basta entrar no modo de captura e mirar o celular de frente para o monstrinho e arremessar a pokébola. O Pokémon pode tentar desviar ou rebater a pokébola, de modo que o jogador precisa ter precisão e astúcia para ser bem sucedido.

Onde encontrar os Pokémons?

Em qualquer lugar. Sim, pokémons podem habitar qualquer tipo de ambiente, tais como museus, parques, praias, ou a casa do jogador. Vale lembrar que pokémon selvagens podem aparecer no mapa, dependendo do tipo de região em que se encontra. Com isso, ao estar próximo a uma praia ou rio, por exemplo, será mais fácil encontrar Pokémon do tipo água. A dica é ficar atento ao indicado “nearby”.

Quantos pokémons existem? Posso trocar pokémons com um amigo?

Até o momento existem 151 pokémons no universo do jogo, mas a Niantic não esconde a intenção de aumentar a biblioteca de monstros através de upgrades futuros. Ainda não há a opção de trocar os Pokémons com um amigo localmente, mas essa é uma função que deve ser implementada em algum momento.

Como posso evoluir pokémons?

ara evoluir as criaturas basta cumprir pequenas missões ingame, tais como andar por 10km ou encontrar uma quantidade determinada de treinadores nas suas andanças. Além disso, é possível evoluir as criaturas treinando-as em ginásios. Funciona da seguinte forma: ao encontrar um estágio, você é obrigado a escolher um time, Vermelho, Azul ou Amarelo, cada qual representando a cor de uma das três aves lendárias, Moltres, Articuno e Zapdos. Se este ginásio for do mesmo time que o do usuário, ele pode treinar nele e evoluir seus Pokémon.

Mas e se o estágio for de uma equipe inimiga?

Caso você tenha encontrado um ginásio inimigo, então irá batalhar com todos os membros dentro desse estágio e, caso ganhe, poderá tomar este ginásio para o time ao qual pertence, tornando-se o dono dele. Neste modo de batalha, também pode-se optar por utilizar o modo câmera para ver o Pokémon batalhando no mundo real. Caso os itens acabem e não haja uma PokéStop por perto, o usuário pode optar por comprar itens na loja do jogo.

O que é PokeStop?

É o termo utilizado no jogo Pokémon Go que designa os pontos onde o jogador pode conseguir itens como poções, incensos, revives, doces, pokébolas (pokéballs), ovos (eggs) ou até mesmo Pokémons. Nestes locais, não há a necessidade de lutar para conseguir Pokémons quando estes estão disponíveis nos PokeStops, os demais itens também são gratuitos.

Para encontrar os PokeStops, o jogador deve se orientar pelo mapa do jogo e basta se aproximar com seu smartphone e pegar o que está disponível no local utilizando o aplicativo para girar o disco azul que irá aparecer. Há a possibilidade de simplesmente sair do PokeStop que os itens também serão apanhados, no entanto, não funciona se estiver em deslocamento com carro ou ônibus.

Os PokeStops podem estar localizadas em shoppings, monumentos, praças, parques e lugares públicos em geral. Existem maior concentração nas grandes cidades do que nas pequenas, mas em geral não é necessário um deslocamento muito grande para encontrar um, sendo que são mais comuns do que os ginásios.

O que é CP? E como posso aumentar?

CP é o indicador que mostra o poder total do seu Pokémon. Quanto maior o CP, mais forte ele é. Para aumentar a força do Pokémon, basta equipar a criatura com os itens StarDust e Candy (que são ganhos a cada nova captura de Pokémon). Cada aumento de CP exige uma quantidade determinado desses itens. Quando você tiver a quantidade necessária, basta clicar em Power Up e ver seu Pokémon ficar mais forte.

Como faço para evoluir o Pokémon?

Não é difícil fazer seu Pokémon evoluir, mas é necessário dedicação. Para isso, você deve selecionar seu Pokémon na seleção do menu e clicar em Evoluir. Mas ele somente poderá proceder com a evolução se estiver com a quantidade pedida de Candys, por exemplo, 25 Candys para evoluir um Charmander.

Tem microtransações?

Sim. As microtransações servem para comprar itens que melhoram a forçam do Pokémon, curem seus ferimentos ou comprar novas pokébolas. Naturalmente você precisará gastar dinheiro de verdade. Alguns itens ingame podem ser adquiridos apenas ao jogar, tais como as pokébolas, que são conquistadas em ginásios ou subir de nível.

Preciso criar uma conta para jogar?

Sim, mas se você for usuário do Android, basta fazer login pelo Google. Caso não queira atrelar sua conta do Google com suas aventuras no mundo Pokémon não tem problema: basta criar seu perfil desde o zero no Pokémon Trainer Club.

Quais cuidados básicos ao jogar Pokémon Go?

Conforme dissemos, o título não oferece perigos em si, mas já que há incentivo por sair caminhando você vai ter de tomar cuidados básicos como se estivesse fazendo qualquer outra atividade física. Se for fazer longas caminhadas, procure se hidratar. Preste atenção no trânsito e nas pessoas que o cercam. Tome cuidado para não tropeçar em buracos e demais obstáculos. Também não fique dando mole andando com o celular à mostra nos grandes centros urbanos, pois há muitas pessoas mal intencionadas em todas as regiões do Brasil e do mundo.

Pokémon Go está disponível no Brasil? Quando chega?

Até o momento não há previsão de chegada de Pokémon Go no Brasil. De acordo com a Niantic, há muita vontade em lançar o título em nosso país, mas os esforços estão por manter o game estável nas regiões previamente lançadas. Deste modo só nos resta aguardar. Rumores dão certo de que o aplicativo será liberado ainda neste ano para os usuários brasileiros. A dica é aguardar o lançamento oficial e ficar longe de versões que circulam na internet, pois elas podem estar carregadas por cavalos de tróia e outras surpresinhas desagradáveis.

É verdade que a CIA e o governo americano nos espionam com Pokémon Go?

Para ser franco, não há como sabermos ao certo. Apesar de ter cara de teoria conspiratória barata, há diversas outras teorias que se mostraram verdadeiras, como o caso do “Experimento de Tuskegee”. A teoria acerca de Pokémon Go não é muito diferente daquela que diz que o governo americano tem parceria com o Facebook e o What’s App para coletar informações dos usuários. O detalhe é que até mesmo algumas autoridades russas entraram nessa onda conspiracionista.

“Suponha que o monstrinho em questão não apareça em um parque, mas sim em uma instalação secreta onde um alistado ou outro soldado o capture e tire uma foto com sua câmera”, declarou. “É recrutamento de espontânea vontade e sem qualquer coerção. Essa é a forma ideal de serviços de inteligência para conseguir informações”, disse o major general russo (já aposentado) Aleksander Mikhailov, em entrevista à agência de notícias estatal RIA Novosti.

Um boato assustador é que o criador do jogo foi John Hanke, o mesmo resposnável pela empresa Keyhole, que em algum momento do passado recebeu patrocínio da CIA. De acordo com algumas pessoas, o uso da câmera, GPS e microfone do smartphone são peças fundamentais para a CIA coletar informações do interior das casas de todos os usuários de Pokémon Go. Seja como for, Pokémon Go permanece como o top app dos últimos meses ao redor do mundo.

Abaixo tem um trailer de Pokémon Go:

Campeonato Nacional de Pokémon supera as expectativas da Copag em número de inscritos

O último final de semana do mês de maio (28 e 29) foi extremamente positivo para os fãs de Pokémon, mostrando que a franquia da Nintendo ainda possui muita força. A Copag, empresa dedicada a card games, promoveu mais uma edição do Campeonato Nacional de Pokémon. O torneio recebeu 422 inscritos de várias localidades do Brasil, como São Paulo, Manaus, Fortaleza, Goiânia, Salvador, Rio de Janeiro etc. Esses números colocam o Brasil como tendo o segundo maior Campeonato Nacional de Pokémon do Mundo.

As partidas da categoria Junior foram bastante disputadas e mostraram que os jogadores brasileiros são muito dedicados ao jogo. “Saber que essa categoria aumenta a cada ano é extremamente gratificante para a Copag. Esse público é o responsável por dar continuidade ao Pokémon Trading Card Game e perpetuar esse universo dos jogos colecionáveis. Vemos que o jogo off-line une as famílias e promove a sociabilidade. No Campeonato temos pais que acompanham os filhos e familiares que chegam para torcer pelos competidores. Um universo incrível que conta com mais fãs a cada ano”, disse Fernando Carvalho, coordenador de Projetos Especiais da Copag.

Na categoria Master, o vencedor foi Raphael Branco, de São Paulo. Na Sênior, o primeiro lugar ficou para Patrick de Souza, de São José dos Campos (SP), e no Junior quem levou foi Matheus Rocha, de Goiás. Os vencedores foram premiados com uma passagem para o Mundial, que acontece em agosto, em São Francisco (EUA), entre os dias 19 a 21 de Agosto.

O segundo lugar foi contemplado com um vale compras no valor de R$ 800,00 (oitocentos reais) na loja Virtual da Copag além de um set completo de cada uma das coleções: XY – Crise Dupla; XY – Céus Estrondosos; XY – Origens Ancestrais; XY – TURBO Revolução; XY – TURBO Colisão; e quatro booster box da próxima coleção (XY 10) em português assim que a mesma for lançada pela Copag.

O Campeonato reuniu participantes de diversas faixas etárias, de modo que as categorias são divididas por: Junior (nascidos em 2005 ou depois), Sênior (nascidos em 2001, 2002, 2003 e 2004) e Master (nascidos em 2000 ou antes). Durante o Nacional houve o Professor Cup South America – Torneio apenas para os juízes de Pokémon, em que Lucas Cunha ganhou, conhecido como Tiu Sam.

De acordo com a Copag, a meta para o Nacional no ano que vem é aumentar em 20% o número de inscritos. “Queremos aumentar nossa cadeia de distribuição e pontos de venda de diversos produtos da marca Pokémon. Já fizemos isso desde o ano passado e o resultado foi muito positivo. A estratégia continuará para ganharmos adeptos cada vez mais”, afirma o executivo da Copag.

Sobre Pokémon Trading Card Game

Para quem não está antenado, o Card Game Pokémon (TCG), é um dos jogos de cartas colecionáveis mais vendidos de todos os tempos. O jogo foi lançado em 1996, no Japão, e atualmente o card game está presente em mais de 73 países e conta com quatro novas expansões anuais. A Copag iniciou a parceria com a Pokémon Company International em 2011, para fabricação e distribuição dos cards. A primeira coleção foi a expansão “Diamante & Pérola, Maravilhas Secretas”. Tal como em outros TCG, Pokémon é indicado para jogadores em busca de desafios e estratégias mirabolantes.

Curitiba sedia evento Mega Gamer UTFPR em agosto

Atenção jogadores de Curitiba, Paraná: nos dias 28 a 30 de agosto a cidade irá sediar a segunda edição do evento Mega Gamer UTFPR, um evento criado pela Associação Atlética Acadêmica de Esportes Eletrônicos da UTFPR (AAAE-sport UTFPR-CT), que visa reunir jogadores e fãs de jogos eletrônicos.

A edição de 2014 foi realizada em 2 dias e conseguiu atrair cerca de 750 visitantes, um número modesto, mas que serviu aos organizadores para mostrar que a ideia pode atrair os gamers. Para atrair mais pessoas e tornar o Mega Gamer UTFPR, a organização realizará uma série de atrações, incluindo campeonatos, palestras e mais de 30 estandes.

Entre as atrações estão espaços para card games, RPG e boardgames. Além disso, já foi confirmado que ocorrerão torneios de Just Dance, Pokémon, League of Legends, Dota 2, Counter Strike, Hearthstone, o primeiríssimo Campeonato Nacional de Minecraft etc. Um dos destaques deve ser o concurso cosplay que deve atrair muitos fãs de cultura pop e oriental.

Haverá uma Feira de Tecnologia e Games que vai servir para expor novas tecnologias ligadas à indústria de jogos eletrônicos, incluindo uma área de pesquisa e inovação das Universidades. A intenção parece ser mostrar aos visitantes o que pode ser tendência para os anos vindouros.

Os interessados podem conseguir maiores informações sobre o evento no site oficial. O evento ocorre na UTFPR no Campus Curitiba, localizado na Rua Pedro Gusso, 2635 – Bairro Novo Mundo.

Copag realiza Campeonato de Pokémon no dia 8 de fevereiro em SP

No próximo dia 8 de fevereiro a cidade de São Paulo sediará o Pokémon City Championship, um torneio que reúne os jogadores de um dos card game mais famosos do mundo.  O grande destaque é que essa competição rende pontos para participar do torneio nacional, que deve ocorrer em meados de junho de 2015.

Para participar basta preencher a a inscrição pessoalmente, no local do evento, na zona sul de São Paulo. Quem ingressar acumula Play! Points (pontos ganhos em uma atividade oficial de Pokémon) para o Campeonato Nacional, de 5 a 7 de junho.

O torneio será realizado pela Copag e será dividido entre diferentes faixa etárias, como Junior (nascidos em 2004 ou depois); Sênior (nascidos em 2000, 2001, 2002 ou 2003); e Master (nascidos em 1999 ou antes). O vencedor receberá boosters e produtos da loja.

“O Campeonato Nacional é um grande acontecimento para os fãs do TCG. A Copag vem investindo mais a cada ano e esperamos proporcionar uma ótima experiência para os jogadores”, afirma Fernando Carvalho, coordenador de Projetos Especiais da Copag.

Para entrar no Pokémon City Championship, o jogador deve pagar a taxa que varia de R$15 a R$ 20 (de acordo com a categoria).

Serviço

Quando: 08/02

Domain Games

Onde: Rua Domingos de Morais, 1881, sobreloja – Vila Mariana – SP

Fone: 11 5084-9864

Copag realiza torneio de Pokémon durante Brasil Comic Con em novembro

Nos dias 15 e 16 de novembro os fãs de Pokémon e Card Games irão se reunir no Campeonato Regional de Pokémon. O torneio ocorre das 10h às 20h durante a Brasil Comic Con, no Centro de Eventos Pro Magno. Os participantes acumulam Play! Points (pontos ganhos em uma atividade oficial de Pokémon) para o Campeonato Nacional, que ocorre em 2015. O campeão nacional disputará o Mundial nos EUA.

O torneio de Pokémon durante a Brasil Comic Com terá organização da Copag, empresa dedicada à fabricação de cartas e maior distribuidora de card games no mercado brasileiro. As inscrições podem ser realizadas no site da loja virtual, onde deve-se ficar atento à faixa etária como Junior (nascidos em 2004 ou depois), Sênior (nascidos em 2000, 2001, 2002 ou 2003) e Master (nascidos em 1999 ou antes). O valor é de R$ 10,00 para as categorias Junior e Sênior e R$30,00 para a categoria Master. O Centro de Eventos Pro Magno fica na Rua Samaritá, 230.

“O Campeonato Nacional é um grande acontecimento para os fãs do TCG e ainda possibilita a realização de um grande sonho: Participar do Campeonato Mundial de Pokémon. A Copag vem investindo mais a cada ano e esperamos proporcionar uma ótima experiência para os jogadores”, afirma Fernando Carvalho, coordenador de Projetos Especiais da Copag.

O Card Game Pokémon (TCG), é um dos jogos de cartas colecionáveis mais vendidos de todos os tempos. Lançado em 1996, no Japão, o card game está presente em mais de 73 países e conta com quatro novas expansões anuais. No Brasil, é um dos TCG mais populares já lançados. Se você sabe jogar Pokémon e quer tentar a chance de ir ao Torneio Nacional, aí está uma boa chance.

Banda nacional homenageia o Pokémon

O leitor Rafael Ballester, baterista da banda The Kira Justice, entrou em contato conosco para pedir a divulgação de uma nova canção, uma versão do Tema de Batalha Contra Treinador do Pokémon Red e Blue.

A música também foi utilizada no webgame Pokémon Tower Defense e pode ser baixada aqui. A banda, que já tem 4 anos de estrada, possui também um tema do Zelda.

Abaixo você confere a música, no YouTube:

:: Conheça melhor a banda The Kira Justice