Arquivo da tag: Pokémon Go

Night Terrors: The Beginning vai transformar sua casa em um cenário de filme de terror

Pokémon Go foi o primeiro grande título a utilizar realidade virtual no celular. Portanto, não é de se espantar que após o sucesso do jogo da Niantic outros jogos viessem nesse embalo. A próxima grande tacada é Night Terrors: The Beginnig, cuja temática deixa os monstrinhos fofinhos para apresentar verdadeiras aparições macabras (fantasmas, demônios e monstros) para assustar o jogador.  Apesar da fama de ser um clone sinistro de Pokémon Go, Night Terrors surgiu antes do jogo da Niantic Labs através do site de crowdfunding IndieGogo, porém o longo tempo de desenvolvimento atrasou o lançamento.

O detalhe é que assim como Pokémon Go, Night Terrors utiliza a câmera para mostrar as aparições como se estivessem nos corredores de sua casa. Ah, o jogo só funciona à noite, para dar mais um toque de horror na jogatina. Como se não bastasse, você precisa conectar os fones de ouvido para desfrutar da experiência, Além disso, o aparelho celular começa a funcionar de maneira estranha, como o flash piscando e interferências estranhas. É importante ressaltar que o game só funciona plenamente em ambientes internos e você deve desligar todas as luzes de casa.

Night Terrors junta elementos do filme Rec e da franquia Silent Hill, ou seja, você se guia através da escuridão da sua casa usando a parca iluminação do flash (que serve como lanterna). De tempos em tempos o celular tira fotos com aparições estranhas e objetos da casa se movem através da tela do celular. A ideia é fazer parecer que equipamentos eletrônicos sofrem interferência quando estão próximos de criaturas sobrenaturais.

A desenvolvedora Novum Analytics caprichou nos detalhes para tornar a experiência mais tenebrosa: o jogo até mesmo usa os sensores do smartphone para saber se o usuário está parado ou se movimentando. Todas as informações alimentadas pelo ambiente ditam o rumo da narrativa.  O objetivo inicial é encontrar uma garota perdida seguindo uma estranha frequência, porém, conforme as aparições surgem, seu objetivo rapidamente torna-se sobreviver. Caso você “morra”, seu progresso vai a zero e você deve recomeçar sua escabrosa aventura.

Segundo a Novum Analytics, após jogar Night Terrors, o jogador jamais verá a própria casa do mesmo modo. Se você ficou empolgado, saiba que o game já está disponível para download (por enquanto apenas para usuários iOS). A desenvolvedora promete que a versão para Android chega em breve, basta ficar antenado. Segundo os desenvolvedores, serão feitos updates de tempos em tempos para tornar a experiência melhor.

Abaixo tem o trailer de Night Terrors: The Beginning:

Aplicativo de mobilidade urbana “Leve-Me” ajuda a caçar pokémons

 

Já caçou Pokémons em todo o seu bairro e esgotaram-se as alternativas de onde encontrar os poderosos monstrinhos? Precisa de novas sugestões de rotas seguras e fáceis para a caminhada atrás de pokémons? Se a resposta for sim, então há uma boa chance de o aplicativo “Leve-me” ter sido criado para você. Trata-se de uma aplicação de mobilidade urbana gratuita desenvolvido pela Otima, que recebeu um upgrade recentemente que é ideal para os mestres pokemons.

Após uma atualização o aplicativo permite que o usuário veja no mapa quais são os locais da cidade de São Paulo que tem mais Pokémons e traçar a melhor rota para chegar lá, utilizando ônibus, metro, trem, bike ou táxi. Assim que você abre o programa, há um ícone que indica o modo para caçar pokémons. O aplicativo é bem intuitivo e fácil de utilizar, mesmo para jogadores mais jovens.

“Estamos usando a tecnologia para proporcionar ao usuário uma experiência diferenciada enquanto se locomove em uma cidade do tamanho de São Paulo. O usuário pode traçar a melhor rota para chegar ao seu destino e, ainda, se divertir caçando e conquistando mais Pokémons”, disse Gustavo Brancante, Gerente de Tecnologia e Inovação da Otima.

Ao escolher o destino pelo Leve-me, o usuário do aplicativo recebe em segundos as melhores opções de rotas seja de ônibus, metrô, trem, bicicleta ou táxi e pode optar pela mais rápida, mais confortável ou mais saudável. E ainda tem à sua disposição a função “ônibus em tempo real” que mostra o horário de chegada do ônibus em um determinado ponto.

Além das opções de rota, o usuário poderá interagir via QR Code ou Realidade Aumentada com campanhas publicitárias veiculadas nos painéis de pontos de ônibus da cidade, participando de promoções, recebendo conteúdos exclusivos, cupons de desconto e até brindes. De acordo com a Otima, este é o primeiro app da categoria a reunir todos esses atributos em uma única plataforma.

Onde encontrar o aplicativo Leve-Me

O Leve-me foi desenvolvido para os sistemas Android e iOS está disponível para download gratuitamente na Apple Store e na Google Play Store. Para mais informações, basta acessar o site especial.

Infográfico imagina onde estariam os pokémons raros de Pokémon Go

“Onde estarão os pokémons raros”? Esta é a pergunta que não para de vir à mente dos jogadores de Pokémon Go, o mais estrondoso sucesso dos jogos mobile. Infelizmente não há uma resposta concreta, mas sabemos que os jogadores mais dedicados ao menos conseguem visitar lugares bastante lugares interessantes. Talvez fosse pensando nisso que o pessoal da CarroAluguel criou um divertido infográfico conjecturando onde os pokémons deveriam ser encontrados no Brasil.

Vale destacar que o seguinte gráfico é apenas um exercício de imaginação. Não há qualquer indício de que os referidos pokémons realmente estão ou estiveram nas localidades indicadas dentro de Pokémon Go. Foi levado em consideração as características dos pokémons e das seguintes regiões do Brasil. Se fossem criaturas reais seria bem provável que eles fossem encontrados nessas localidades.

Confira abaixo o infográfico de onde deveriam estar os pokémons raros em Pokémon Go:

Obs: Você pode ver clicando na imagem abaixo ou no link da imagem:

Pokémon

Seis lições que os empreendedores podem tirar do sucesso de Pokémon GO! 

O lançamento de Pokémon Go foi extremamente bem sucedido em todas as partes do mundo e serve de lição para todos os desenvolvedores de jogos do mundo de como lançar um produto de sucesso, seja um estúdio grande ou um desenvolvedor indie. Foi pensando nisso que reunimos as principais lições que os empreendedores podem tirar do sucesso de Pokémon Go.

Essas dicas são preciosas para que o empreendedor saia na frente dos concorrentes para alcançar o grande público. Vale destacar que chegar aos 75 milhões de download de Pokémon é praticamente impossível se você não está trabalhando com uma franquia tão famosa, mas nada impede que seu jogo se torne a grande sensação. Basta ver casos de jogos que começaram independentes, tais como Minecraft, Angry Birds, entre outros. Que tal conferir uma lista de dicas de empreendedorismo preparadas pelos executivos de startups?

Confira abaixo seis dicas de profissionais que qualquer empreendedor pode tirar do sucesso de Pokémon Go

Inovação

Já não é de hoje que a Nintendo visa inovar em seus produtos. Desde o lançamento do Nintendo DS e do Wii a empresa tem focado mais em inovar do que seguir na mesma direção que os concorrentes. Mesmo em seus jogos é possível ver elementos que visam trazer elementos pouco explorados. Claro que Pokémon Go não é a primeira aplicação a utilizar a realidade virtual, mas foi ele justamente a massificar um conceito que era explorado tão timidamente.

“Pokémon GO é um exemplo de inovação e mostra que sempre está em tempo de pensar fora da caixa. A Nintendo saiu do modelo de negócios automático e explorou a essência do videogame, que não está apenas na tecnologia enfatizada pelas marcas, mas também na interatividade e na relação que os jogos podem ter com a vida real. Para ser bem sucedido no mercado, às vezes, é fundamental pararmos de seguir o fluxo da concorrência e olharmos para onde ninguém está olhando para enxergar o que os clientes realmente querem de nós”, disse Antônio Miranda, CEO do Cuponomia, plataforma que reúne cupons de desconto dos principais players de comércio eletrônico do país.

 

Ótica e reinvenção

“Não se prenda ao óbvio. Tente olhar as coisas sob outra ótica para encontrar as melhores oportunidades. O lance do jogo é procurar o Pokémon em lugares muitas vezes inusitados e até arriscando encontrar alguma raridade. Isso vale para os empreendedores também, que precisam treinar o “olhar” para oportunidades novas e às vezes escondidas”, recomenda Vitor Torres, CEO do Contabilizei, escritório de contabilidade online para micro e pequenas empresas dos setores de serviço e de comércio.

“Reinvente os clássicos. O jogo é uma reinvenção de um personagem e de uma empresa que estavam numa maré baixa e isso tem muito a ver com as startups de tecnologia, que pegaram mercados clássicos (táxi, contabilidade, etc) e reinventaram a forma de fazer as coisas melhorando consideravelmente o que já existia. Ou seja, para os empreendedores, reinventar os clássicos diz respeito a disrupção e impacto, e não exatamente reinventar a roda ou propor novidades que não trazem benefícios concretos”, completa Vitor.

 

Ouça o seu público

“No dia 1º de Abril de 2014 o Google lançou um jogo muito parecido com esse, a ideia era caçar Pokemons através de realidade aumentada, porém, utilizando o Google Maps. Era uma brincadeira, mas as pessoas foram a loucura, é claro! O sucesso já era anunciado, o que a Nintendo fez foi dar ouvido a essas vozes e criar o jogo que fez o valor da empresa na bolsa de valores subir impressionantes US$ 11 bilhões. Como empreendedores, muitas vezes temos problemas para ouvir o nosso público, pois temos certeza que conhecemos o produto e que sabemos nossas limitações internas. No caso do Pokemon Go o feedback do público foi extremamente positivo, mas também poderia ser negativo, temos que levar isso em conta em ambas as situações”, alerta Gisele Giardelli, country manager do DeeMe, aplicativo de mensagens através de imagem e texto com foco na criatividade.

Se você já chegou a lançar um jogo anteriormente, então já tem um feedback de seus usuários. Caso não tenha feito nenhum lançamento, dê ouvidos aos seus amigos, familiares e beta testes. As pessoas vão querer ajudar se perceberem que você está aberto a sugestões e críticas construtivas.

 

Foco no target

“Pokémon GO é um grande exemplo de que pensar no que o seu público-alvo realmente quer e está buscando sempre será a melhor estratégia de negócio. Vivemos em um mundo onde as pessoas estão conectadas durante todo o tempo e querem solucionar seus problemas e obter respostas para seus anseios a um clique, usando seus smartphones, de preferência. Simplificar os processos e entregar ao consumidor o que ele precisa é o que definirá se uma empresa terá sucesso”, disse Vanessa Louzada, fundadora da Holipet, marketplace para pets.

Deste modo, não mude seu foco simplesmente porque quer agregar mais conteúdo ao seu jogo. É sempre bom aprimorar, mas tenha em mente que há um objetivo prioritário. Se você vai criar um jogo ao estilo shmup (jogo de navinha), vá até o fim sem descaracterizar o produto final.

 

Adaptação e Agilidade

Fato: Há mais de uma década se fala em realidade aumentada, mas pela primeira vez a tecnologia está acessível a milhões de pessoas. Muitas empresas já incluíram o jogo Pokémon Go em suas ações de marketing e passaram a comprar itens do game, aproveitando dessa popularidade, para atrair clientes para os seus negócios. De acordo com Caio Lopes, Diretor de Tecnologia da Mobile2you, “(…) saem na frente àqueles que enxergaram essa oportunidade, adaptaram suas estratégias e estão investindo em algo que pode ou não ser passageiro, mas que com certeza atrairá um bom público aos seus estabelecimentos. Em um mundo globalizado, as empresas precisam ter agilidade para colocar suas ideias em prática e disponibilizar para o maior número de pessoas possível”.

 

Estude bem seu sistema de Monetização

Não podemos ser hipócritas em não assumir um sistema de monetização. Muitos jogos promissores quebraram seus estúdios por não ter um sistema de monetização eficaz. Imagine um game viciante, jogado por milhões de pessoas, mas que não consegue arrecadar nenhum centavo para o desenvolvedor? Acredite, isso já aconteceu.

Pokémon Go, além de implementar esse tipo de modelo de monetização com as compras de pokébolas e itens dentro do jogo, pensou fora da caixa e encontrou uma maneira realmente inovadora: locais patrocinados. Essa estratégia de geomarketing fez o aplicativo gerar receita de lojas e demais empresas que desejam atrair mais visitas de consumidores para seu estabelecimento. Eles pagam para colocar Pokémons dentro do local e, consequentemente, atrair pessoas até a loja. Os anunciantes são cobrados baseados em “custo por visita”, que é semelhante ao conceito de “custo por clique” utilizado para estratégias de SEO.

“O resultado disso foi que em apenas 7 dias, o aplicativo foi o jogo de maior monetização da história, baseado na receita de acordo com os downloads em celulares. O Pokémon Go é um exemplo perfeito de como implementar uma forma de monetização atraente para os dois lados: os anunciantes e os consumidores”, conta Guilherme Ebisui, CEO e sócio-fundador do Poppin, novo app de relacionamento disponível nos sistemas iOS e Android.

 

E aí, você acha que consegue implementar essas dicas em seu próximo projeto?

Além de Pokémon Go – Conheça outros 12 aplicativos de realidade aumentada

Pokémon Go pode até ser o jogo que popularizou a realidade aumentada, mas engana-se quem pensa que ele foi o primeiro game do gênero. Para quem gostou do estilo de Pokémon, existem outras aplicações que utilizam as telinhas do celular para revelar uma realidade alternativa. Hoje vamos apontar outros 12 aplicativos de realidade virtual com propostas tão interessantes quanto a dos monstrinhos de bolso.

Confira abaixo 12 aplicativos de realidade aumentada que você deve conhecer:

12 – Ingress

Ingress

Criado pela Niantic Labs, Ingress tem a fama de ser o melhor jogo de realidade aumentada do mercado. A dinâmica do jogo é dividir seus usuários entre dois times: Iluminados e a Resistência. A ideia é unir os membros desses grupos para trabalhar juntos e cumprir pequenas missões para derrotar a facção rival e vencer a guerra cibernética. Todo o jogo tem um clima de ficção científica ideal para amantes de histórias fantásticas e mundos distópicos. Tal como Pokémon Go, você vai precisar andar bastante, pois seu objetivo primário é conquistar portais para sua equipe antes que o time rival os conquiste. Está na biblioteca do Android.

 

11 – Zombies, Run!

zombies run

Já imaginou viver, ou melhor, sobreviver em um apocalipse zumbi? Zombies, Run! Tem um nome que não engana o jogador, de modo que muita da jogatina se baseia em correr por sua vida. A ideia é que o celular se torna a forma mais efetiva para ouvir os mortos-vivos se aproximando, e como você não tem armas para se defender a única forma de sair vivo é correr como se não houvesse amanhã. A ambientação e o clima de jogo são bem realistas, de modo que você vai se divertir com o jogo, se você não se sentir constrangido em sair em disparada após dar uma olhada na tela do celular.

 

10 – SpecTrek

Realidade

Este aqui é para quem não tem medo de aparições fantasmagóricas. Ao invés de pokémons, este aplicativo funciona como no famoso Fatal Frame, em que os jogadores utilizam as câmeras para revelar onde se encontram fantasmas e outras criaturas sobrenaturais. O clima é bastante tenso e há um mapa de locais reais que estão “assombrados”. Você teria coragem de jogar SpecTrek à noite? Já pensou descobrir que sua casa guarda alguma aparição especialmente horripilante? Afinal é um conceito de realidade aumentada também. Disponível para Android.

 

9 – Parallel Kingdom

Parallel Kingdom

Parallel Kingdom é um título para iOS e Android produzido para agradar os fãs de RPG clássico. Aqui você usa o GPS do celular para progredir através dos 40 estágios, coletando mais de 50 habilidades a fim de melhorar seu personagem. O melhor é que você pode escolher entre quatorze classes, que são bastante personalizáveis. No mundo do jogo há dungeons e monstros bastante violentos. Um prato cheio para amantes da dinâmica de Dungeons & Dragons.

 

8 – Parallel Mafia

Parallel Mafia

Este é dos mesmos criadores de Parallel Kingdom, a diferença é quem aqui a temática é mais voltada para a Máfica. Deste modo, o jogador vai passar por locais dominados pelo crime organizado e terá de realizar tarefas para os criminosos a fim de subir no ranking. A jogabilidade é típica de RPG e algumas missões demandam encontros com outros jogadores a fim de melhorar a estratégia de ação. É praticamente um GTA em realidade aumentada, a melhor forma de executar atos de contravenção sem ser ter problemas com a lei. As opções de customização são bastante amplas e você pode transformar seu avatar a seu gosto com riqueza de detalhes. Disponível para Android e iOS.

 

7 – Kick Ball

Kick Ball

Kickball é um jogo que cria bolas de futebol virtual para você fazer embaixadas e jogar futebol com os próprios pés. Os recursos são bastante simples, mas podem divertir o jogador àvido por futebol que está trancado em um escritório apenas com seu celular. O mesmo estúdio chegou a criar um jogo semelhante de basquete, mas foi o jogo de futebol que ganhou mais fama aqui no Brasil. Kickball está disponível para usuários do Android.

 

6 – Augment

augment

Apesar de não ser exatamente um jogo, Augment entra para a lista devido a sua popularidade e recursos para divertir o jogador. O aplicativo mapeia o ambiente ao redor para inserir modelos 3D dos mais diversos objetos que o jogador desejar, seja uma lata de refrigerante ou personagens de desenhos animados. Diversas marcas famosas utilizam o aplicativo para  se autopromover na realidade aumentada, tais como a Coca-Cola e a Samsumg. Está disponível para Android.

 

5 – Google Goggles

Google Goggles

Este é o aplicativo que eleva as buscas do Google para um novo patamar! Imagine tirar a foto de um logotipo, um produto ou um objeto e jogar na rede da Google para que ela te responda identificando o que se trata o produto com o maior número de informações possíveis. Claro que a aplicação não funciona em 100% das vezes, há ocasiões em que é necessário tirar várias fotos para que o aplicativo retorne o resultado correto, contudo o Goggles não deix de ser uma experiência interativa bastante divertida. É exclusivo para Android.

 

 

4 – iOnRoad Augmented Driving

ionroad

Esta é uma boa dica para motoristas. O iOnRoad utiliza a realidade aumentada para indicar placas na rua e alertar sobre o limite de velocidade. Além disso, o aplicativo informa sobre proximidade do veículo à frente e grava vídeos como as famosas dash cam. Se você estiver saindo da faixa, o iOnRoad ainda emite um alerta sonoro para evitar acidentes de trânsito. Há alguns problemas, mas em geral a aplicação funciona conforme promete. Também é exclusividade do Android.

 

3 – Invizimals

Invizimals

Invizimals é o mais próximo de um antepessado que Pokémon Go teria, pois ele foi lançado para PSP e tinha por objetivo encontrar e capturar monstros virtuais em ambientes reais através da câmera do portátil. Claro que Invizimals não era tão despojado quanto Pokémon Go, pois as funções de GPS não faziam parte do pacote. Outro problema que minou as chances de sucesso do jogo era que a câmera do PSP era vendida separadamente (e com um preço salgado), apesar disso os produtores chegaram a lançar algumas sequências.

 

2 – Eyepet

Eyepet

Invizimals não foi a única investida da Sony com a realidade aumentada. Eyepet chegou ao PS3 com toda a pompa. Os jogadores podiam interagir com uma estranha criatura que parecia o híbrido de cachorro com um símio. Uma coisa interessante era que o EyePet vinha acompanhado de um cartão que podia ser lido pela câmera do PS3 a fim de criar objetos no mundo real, dentro da tela da TV.

 

1 – Kinectimals

Kinectimals

E como falar de Eyepet sem mencionar o equivalente da Microsoft? Kinectmals colocava em tela pequenos animais para interagir com o jogador, utilizando o Kinect para fazer a criatura interagir com as crianças e com objetos do mundo real. Mas esta não é a versão de realidade aumentada que nos referimos. Tempos depois a Microsoft lançou uma versão para Windows Phone que colocava os animais a interagir com as pessoas nos ambientes reais.

É hora de pegar! Pokémon Go está disponível no Brasil

Parece que a Niantic não estava mentindo quando disse que estava trabalhando duro para o lançamento de Pokémon Go no Brasil. Um dia após este comunicado, eis que o jogo mobile mais esperado da história já está disponível para download nas lojas App Store e Google Play. O game está disponível desde às 19hs desta quarta-feira (3).

Desde que foi lançaedo em julho nos mercados americano, australiano e em outras partes do mundo, o jogo rapidamente tornou-se um fenômeno cultural, lembrando muito a febre que assolou os anos 90 quando a série animada foi lançada. Para ter ideia, o lançamento de Pokémon Go foi forte o bastante para valorizar as ações da Nintendo, se tornar a aplicação a bater o Twitter e o Tinder e (pasme) ser tornar a coisa mais procurada da internet, ultrapassando buscas por pornografia. E você achando que os pokémons não estavam com mais nada…

Alguns fenômenos acompanharam o lançamento de Pokémon Go, como ondas de assaltos, acidentes de trânsito e lendas urbanas geradas dentro da aplicação. Vamos acompanhar se tais acontecimentos se repetirão aqui no Brasil, agora que a aplicação está liberada. O lançamento local é parte da estratégia da Niantic em levar o game para 200 mercados.

Sobre Pokémon Go

Para quem não conhece, Pokémon Go é um jogo gratuito para smartphones que faz uso da realidade aumentada e do GPS para levar os pokémons para o mundo real. Os objetivos são capturar e treinar as criaturas. De acordo com os produtores, existem 151 monstrinhos dentro da aplicação, sendo que em updates futuros serão disponibilizados mais pokémons.

Comunidade estaria insatisfeita com Pokémon Go?

O jogo mais popular do ano é Pokémon Go, sem sombras de dúvidas. Mas as coisas não são apenas flores para o título dos pocket monsters: uma série de jogadores estão apontando falhas constantes e irritantes que estão fazendo o game perder sua popularidade mais rápido do que um ataque do Pikachu.

A maior crítica é ao sistema “nearby”, que serve para indicar pokémons nas proximidades dos jogadores. Assim que o game foi lançado o sistema nerby apontava até três pegadas para indicar o quão longe está a determinada criatura. Uma pegava significava que o Pokémon estava próximo, duas pegadas indicava uma distância intermediária e, por fim, três pegadas significava que o Pokémon estava bastante longe.

Até aí tudo estava bem, porém em algumas semanas pós-lançamento, o sistema nearby parou de funcionar, mostrando que absolutamente todos os pokémons estavam na distância mais longe possível (três pegadas). O problema era que o indicador não estava calibrado e alguns pokémons estavam realmente próximos dos jogadores. Mas com o sistema quebrado não havia opção ao jogador a não ser andar sem qualquer indicação se estava perto ou longe. Imagine sair andando do Centro de São Paulo até a região da Zona Leste achando que está perto de pegar um Pokémon…

pokemon

As reclamações vieram, porém ao invés de consertar o problema com um simples update, a Niantic simplesmente tirou a função do ar. De acordo com um comunicado da produtora publicado nesta semana, a função foi retirada por ser confusa e não atender às especificações de qualidade do estúdio. Ficou a promessa de reativá-la em algum momento futuro. Como se não bastasse, os servidores permaneciam instáveis desde o lançamento oficial nos EUA. Alguns updates tornaram os problemas de conexão menos evidentes, mas não deixaram de existir de modo geral.

Outra crítica bastante recorrente foi ao serviço de suporte da Niantic. Enquanto os jogadores passavam raiva com os mais diversos problemas, a Niantic não se pronunciava. Uma chuva de e-mails chegava aos escritórios da desenvolvedora, porém todos eram sumariamente ignorados. Nem mesmo a imprensa recebeu atenção.  A situação só serviu para deixar os ânimos mais acirrados: muitos jogadores começaram a baixar as notas do game com o propósito de sabotar a popularidade do produto. Na loja americana, inclusive, a avaliação chegou à vergonhosa marca de 1,5 estrelas de um total de 5 estrelas possíveis. Ah, e tem gente querendo o dinheiro que investiu no jogo de volta.

pokemon rating

Resposta da Niantic sobre os problemas com Pokémon Go

Claro que os problemas podem estar sendo exagerados por uma porção muito pequena dos jogadores de Pokémon Go, afinal o número de avaliações é extremamente pequena quando comparada com os 75 milhões de pessoas ao redor do mundo que já baixaram a aplicação.

A Ninatic chegou a publicar um comunicado dizendo que está trabalhando em melhorias do jogo, deste modo, espera-se que em algumas poucas semanas todos os erros sejam corrigidos. Vale destacar que atualmente todos os jogos chegam com problemas e acabam melhorados com o tempo, então essas ocorrências ainda estão dentro da normalidade diante de um lançamento tão grande.

 

Top 6: Dicas de segurança para Pokémon Go

Quer jogar Pokémon Go sem se preocupar com problemas que possam ocorrer? Fique atento então a essas dicas de segurança propostas pela Bidu Corretora que são simples e vão garantir que suas capturas sejam bem sucedidas. Claro que o jogo ainda não foi lançado no Brasil, mas os fãs já estão aguardando ansiosamente. E pelo que pudemos acompanhar, jogar Pokémon Go nem sempre parece seguro. Você já deve ter visto em jornais, revistas e na internet incidentes que ocorreram com os jogadores que se arriscam para capturar os pokémons.

Um homem que jogava enquanto dirigia em Auburn, nos Estados Unidos, bateu o carro e o veículo ficou destruído; no mesmo país algumas pessoas tiveram o smartphone roubado por um grupo que utilizava a geolocalização para encontrar as vítimas; e teve até um grupo de amigos que entrou em uma gruta, no Reino Unido, procurando espécies raras de Pokémon e teve que ser resgatado por bombeiros.

 

6 – Não utilize o celular enquanto dirige

Parece meio óbvio, mas sempre vale a pena destacar. Não tente capturar um novo Pokemón enquanto dirige, isso pode ser bem perigoso. Além dos riscos de causar um acidente, você poderá sofrer uma multa de R$85,13 e perder 4 pontos na CNH. Sem contar que, em caso de acidente, sua seguradora não irá cobrir os danos, afinal de contas mexer no celular e dirigir não é permitido e nem é uma boa ideia.

 

5 – Cuidado com pessoas suspeitas

Na série animada existem os vilões da equipe Rocket, que tenta desesperadamente roubar os pokémons dos protagonistas. Infelizmente isso pode ocorrer, pois existem pessoas esperando você se distrair para roubar o seu celular. Fique atento: nada de ir a lugares sem muito movimento, evite andar sem prestar atenção na movimentação e nada de ficar com o aparelho na mão em locais perigosos e em transportes públicos.

 

4 – Olhe para frente

Sabemos que você está ansioso pelo jogo, mas não ande por aí só de olho no celular. Além de aumentar as chances de você ter um problema na coluna, há uma grande chance de você se machucar (e machucar outras pessoas). Ande sempre de olho por onde anda, principalmente na rua e em plataformas de trens e metrôs.

 

3 – Nada de invadir locais privados

Não seria nada legal você ser preso enquanto captura um Pokémon raro e tentar justificar sua invasão de propriedade às forças policiais por causa de um jogo, certo? Cuidado para não se empolgar demais e entrar em locais privados, como casas, hotéis ou lugares onde você precisa pagar para entrar. Não vale a pena ser repreendido por invasão de propriedade.

 

2 – O Pokémon pode te entregar

Cuidado: não minta para seu(sua) companheiro (a), o chefe ou para a sua mãe sobre onde você está. O aplicativo mostra os locais exatos onde você capturou cada Pokémon. Falou que ia no médico, mas na verdade estava no shopping? Pois é, aquele Charmander pode te complicar.

 

1 – Contrate um seguro

Pode ser que você dê o azar de cruzar com alguma Equipe Rocket e ser roubado. Ou você pode estar quase chegando no local exato de onde está o tão sonhado Pikachu e, de tanta emoção, deixar o celular cair e ver a tela novinha rachar. Nada legal, até porque um smartphone pode custar bem caro. Algumas empresas oferecem seguros que cobrem perda/roubo de celulares. Se você é um usuário massivo, esta pode ser uma boa sugestão.

 

Enquanto espera o lançamento oficial, confira este trailer de Pokémon Go:

Guia para iniciantes em Pokémon Go

Poucos jogos causaram impacto tão grande na comunidade de jogadores quanto Pokémon Go, o novo jogo de celular que utiliza realidade aumentada para trazer os pocket monsters para o mundo real. O título ainda não está disponível oficialmente no Brasil, mas no que depender da expectativa dos brasileiros podemos esperar uma recepção tão grande quanto teve nos EUA e em outras regiões do mundo. Pensando nisso, resolvemos criar um guia especial para iniciantes em Pokémon Go.

O que tem de mais em Pokémon Go?

Trata-se d um jogo para dispositivos móveis que utiliza a realidade aumentada e multiplayer online para transformar o mundo real em um mundo Pokémon. Assim você encontra centenas de monstrinhos e outros treinadores em suas andanças pelo mundo, sempre sendo notificado sobre pokémons nas proximidades. A ideia é capturar a maior quantidade de pokémons possível, tal como ocorria nos jogos para portáteis e nas animações.

A Nintendo desenvolveu Pokémon Go?

Na verdade não, apesar de Pokémon ser de propriedade da Big N, Pokémon Go na verdade é fruto de colaboração entre as empresas Niantic, Inc., a Nintendo e a The Pokémon Company. A etapa de desenvolvimento e criação das mecânicas ficou sob responsabilidade da Niantic, ou seja, é ela quem mais está lucrando com o jogo.

O jogo é bom? Por que é tão popular?

Pokémon Go teve críticas mistas pelos veículos especializados e pelos usuários. De acordo com o agregador Metacritic, Pokémon Go tem score de 68 pontos pela crítica e 5,5 pelas avaliações de usuários. Estimativas apontam que o aplicativo foi baixado por mais de 75 milhões de pessoas ao redor do mundo, tornando-o um dos jogos mais baixados de todos os tempos. A popularidade é tanta que a palavra Pokémon Go foi o termo mais buscado da internet durante várias semanas, superando inclusive buscas por pornografia.

A que se atribui a polêmica envolvendo o jogo?

Houve algumas polêmicas envolvendo Pokémon Go devido a alguns fatos inusitados envolvendo jogadores de Go, tais como acidentes de carros, assaltos, encontros com cadáveres e até ataques de hackers a usuários da aplicação. Recentemente o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse que “Pokémon Go promove a cultura da morte, incentivando a violência entre os jovens”, em entrevista à TV Venezuelana. O jogo em si não tem nada comprovadamente perigoso.

Como capturar Pokémons?

Ao encontrar um Pokémon, basta entrar no modo de captura e mirar o celular de frente para o monstrinho e arremessar a pokébola. O Pokémon pode tentar desviar ou rebater a pokébola, de modo que o jogador precisa ter precisão e astúcia para ser bem sucedido.

Onde encontrar os Pokémons?

Em qualquer lugar. Sim, pokémons podem habitar qualquer tipo de ambiente, tais como museus, parques, praias, ou a casa do jogador. Vale lembrar que pokémon selvagens podem aparecer no mapa, dependendo do tipo de região em que se encontra. Com isso, ao estar próximo a uma praia ou rio, por exemplo, será mais fácil encontrar Pokémon do tipo água. A dica é ficar atento ao indicado “nearby”.

Quantos pokémons existem? Posso trocar pokémons com um amigo?

Até o momento existem 151 pokémons no universo do jogo, mas a Niantic não esconde a intenção de aumentar a biblioteca de monstros através de upgrades futuros. Ainda não há a opção de trocar os Pokémons com um amigo localmente, mas essa é uma função que deve ser implementada em algum momento.

Como posso evoluir pokémons?

ara evoluir as criaturas basta cumprir pequenas missões ingame, tais como andar por 10km ou encontrar uma quantidade determinada de treinadores nas suas andanças. Além disso, é possível evoluir as criaturas treinando-as em ginásios. Funciona da seguinte forma: ao encontrar um estágio, você é obrigado a escolher um time, Vermelho, Azul ou Amarelo, cada qual representando a cor de uma das três aves lendárias, Moltres, Articuno e Zapdos. Se este ginásio for do mesmo time que o do usuário, ele pode treinar nele e evoluir seus Pokémon.

Mas e se o estágio for de uma equipe inimiga?

Caso você tenha encontrado um ginásio inimigo, então irá batalhar com todos os membros dentro desse estágio e, caso ganhe, poderá tomar este ginásio para o time ao qual pertence, tornando-se o dono dele. Neste modo de batalha, também pode-se optar por utilizar o modo câmera para ver o Pokémon batalhando no mundo real. Caso os itens acabem e não haja uma PokéStop por perto, o usuário pode optar por comprar itens na loja do jogo.

O que é PokeStop?

É o termo utilizado no jogo Pokémon Go que designa os pontos onde o jogador pode conseguir itens como poções, incensos, revives, doces, pokébolas (pokéballs), ovos (eggs) ou até mesmo Pokémons. Nestes locais, não há a necessidade de lutar para conseguir Pokémons quando estes estão disponíveis nos PokeStops, os demais itens também são gratuitos.

Para encontrar os PokeStops, o jogador deve se orientar pelo mapa do jogo e basta se aproximar com seu smartphone e pegar o que está disponível no local utilizando o aplicativo para girar o disco azul que irá aparecer. Há a possibilidade de simplesmente sair do PokeStop que os itens também serão apanhados, no entanto, não funciona se estiver em deslocamento com carro ou ônibus.

Os PokeStops podem estar localizadas em shoppings, monumentos, praças, parques e lugares públicos em geral. Existem maior concentração nas grandes cidades do que nas pequenas, mas em geral não é necessário um deslocamento muito grande para encontrar um, sendo que são mais comuns do que os ginásios.

O que é CP? E como posso aumentar?

CP é o indicador que mostra o poder total do seu Pokémon. Quanto maior o CP, mais forte ele é. Para aumentar a força do Pokémon, basta equipar a criatura com os itens StarDust e Candy (que são ganhos a cada nova captura de Pokémon). Cada aumento de CP exige uma quantidade determinado desses itens. Quando você tiver a quantidade necessária, basta clicar em Power Up e ver seu Pokémon ficar mais forte.

Como faço para evoluir o Pokémon?

Não é difícil fazer seu Pokémon evoluir, mas é necessário dedicação. Para isso, você deve selecionar seu Pokémon na seleção do menu e clicar em Evoluir. Mas ele somente poderá proceder com a evolução se estiver com a quantidade pedida de Candys, por exemplo, 25 Candys para evoluir um Charmander.

Tem microtransações?

Sim. As microtransações servem para comprar itens que melhoram a forçam do Pokémon, curem seus ferimentos ou comprar novas pokébolas. Naturalmente você precisará gastar dinheiro de verdade. Alguns itens ingame podem ser adquiridos apenas ao jogar, tais como as pokébolas, que são conquistadas em ginásios ou subir de nível.

Preciso criar uma conta para jogar?

Sim, mas se você for usuário do Android, basta fazer login pelo Google. Caso não queira atrelar sua conta do Google com suas aventuras no mundo Pokémon não tem problema: basta criar seu perfil desde o zero no Pokémon Trainer Club.

Quais cuidados básicos ao jogar Pokémon Go?

Conforme dissemos, o título não oferece perigos em si, mas já que há incentivo por sair caminhando você vai ter de tomar cuidados básicos como se estivesse fazendo qualquer outra atividade física. Se for fazer longas caminhadas, procure se hidratar. Preste atenção no trânsito e nas pessoas que o cercam. Tome cuidado para não tropeçar em buracos e demais obstáculos. Também não fique dando mole andando com o celular à mostra nos grandes centros urbanos, pois há muitas pessoas mal intencionadas em todas as regiões do Brasil e do mundo.

Pokémon Go está disponível no Brasil? Quando chega?

Até o momento não há previsão de chegada de Pokémon Go no Brasil. De acordo com a Niantic, há muita vontade em lançar o título em nosso país, mas os esforços estão por manter o game estável nas regiões previamente lançadas. Deste modo só nos resta aguardar. Rumores dão certo de que o aplicativo será liberado ainda neste ano para os usuários brasileiros. A dica é aguardar o lançamento oficial e ficar longe de versões que circulam na internet, pois elas podem estar carregadas por cavalos de tróia e outras surpresinhas desagradáveis.

É verdade que a CIA e o governo americano nos espionam com Pokémon Go?

Para ser franco, não há como sabermos ao certo. Apesar de ter cara de teoria conspiratória barata, há diversas outras teorias que se mostraram verdadeiras, como o caso do “Experimento de Tuskegee”. A teoria acerca de Pokémon Go não é muito diferente daquela que diz que o governo americano tem parceria com o Facebook e o What’s App para coletar informações dos usuários. O detalhe é que até mesmo algumas autoridades russas entraram nessa onda conspiracionista.

“Suponha que o monstrinho em questão não apareça em um parque, mas sim em uma instalação secreta onde um alistado ou outro soldado o capture e tire uma foto com sua câmera”, declarou. “É recrutamento de espontânea vontade e sem qualquer coerção. Essa é a forma ideal de serviços de inteligência para conseguir informações”, disse o major general russo (já aposentado) Aleksander Mikhailov, em entrevista à agência de notícias estatal RIA Novosti.

Um boato assustador é que o criador do jogo foi John Hanke, o mesmo resposnável pela empresa Keyhole, que em algum momento do passado recebeu patrocínio da CIA. De acordo com algumas pessoas, o uso da câmera, GPS e microfone do smartphone são peças fundamentais para a CIA coletar informações do interior das casas de todos os usuários de Pokémon Go. Seja como for, Pokémon Go permanece como o top app dos últimos meses ao redor do mundo.

Abaixo tem um trailer de Pokémon Go: