Arquivo da tag: playstation

A Era dos Games: Exposição interativa sobre videogames desembarca no Brasil

Após passar por 33 cidades de 25 países, a exposição “A Era dos Games” finalmente chega a São Paulo. Idealizada pela Barbican Centre de Londres, a exposição é apresentada pelo Ministério da Cultura e Brasilprev, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura. A mostra ocupará o Pavilhão da Bienal, no Parque Ibirapuera, entre 16 de agosto e 12 de novembro e vai mostrar a evolução dos jogos eletrônicos desde o Atari até a geração atual.

Depois de São Paulo, a exposição segue para o Museu Histórico Nacional no Rio de Janeiro, onde ficará em cartaz de 6 de dezembro a 05 de março de 2018. Nas duas cidades, o público poderá interagir com mais de 150 jogos de sucesso. É uma oportunidade ótima de conhecer e interagir com verdadeiras pérolas dos jogos eletrônicos.

A exposição consumiu dois anos de trabalho intenso a um custo de um milhão de libras inglesas. São cerca de seis décadas escrutinadas, em 13 seções temáticas distintas. Dentre os mais de 150 jogos selecionados há uma longa lista de destaques, a começar pelo Pong, um jogo de tênis extremamente sintético. Criado em 1972, rodou o mundo e deu início a uma das megaempresas do setor, a Atari, que lidera o segmento ao lado de Nintendo, Sega, Microsoft e Sony. O Brasil também estará presente através de alguns jogos com tecnologia verde e amarela.

“Não há dúvida de que os videogames tiveram um grande impacto na cultura visual contemporânea. A Era dos Games pretende demonstrar a força criativa considerável que sustenta a indústria, destacando as contribuições de indivíduos e empresas-chave que desempenharam um papel na sua evolução. A exposição explora a influência de músicos, cineastas e artistas e mostra claramente que algumas das inovações mais criativas do nosso tempo passaram por este meio fenomenal”, resume NeilMcConnon, diretor do Barbican.

O público poderá conhecer personagens que fizeram história, como Super Mario — o encanador italiano criado pela Nintendo em 1985 e que chegou a ser usado pelo Japão na cerimônia de encerramento das últimas Olimpíadas como símbolo nacional; a crescente importância dos jogos infantis e seu potencial como ferramenta educativa; e ainda os enormes avanços tecnológicos que continuam sendo feitos, como o uso cada vez mais sofisticado da tecnologia 3D, a captação mais sensível dos movimentos pela tela ou por sensores e a constatação de que a realidade virtual é algo cada vez mais próximo.

Um embrião da exposição Era dos Games foi apresentado no Museu da Imagem e do Som de São Paulo em 2011. Batizada originalmente de Game On, mais tarde o evento incorporou o número 2.0 ao título para dar conta das atualizações tecnológicas surgidas ao longo do período em que excursionou pelo mundo. A edição que desembarca agora no país chega em versão ampliada, com games de última geração e inclui jogos produzidos no Brasil.

“Acreditamos muito no potencial dessa exposição. Ao apresentar a história do videogame de forma lúdica e divertida, ela integra diferentes gerações e proporciona um excelente programa para toda a família”, explica Cinthia Spanó, gerente de Comunicação Corporativa e Sustentabilidade da Brasilprev.

As visitas à exposição Era dos Games terão horários pré-agendados e serão realizadas em seis sessões diárias, com 90 minutos de duração cada. O público poderá adquirir ingressos antecipadamente online já a partir desta quarta, 5 de julho. Vendas de ingressos na bilheteria somente a partir da data de abertura, 16 de agosto.

 

SERVIÇO – A ERA DOS GAMES – Uma exposição do Barbican Centre de Londres

Quando: De 16 de agosto a 12 de novembro de 2017 – Terça a domingo, das 11 às 20 horas – Sessões diárias às 11h, 12h30, 14h, 15h30, 17h e 18h30

Quanto: Preço R$40,00 / R$20,00 meia entrada*

Onde: Endereço: Pavilhão da Bienal – 3º pavimento – Acesso pela rampa externa

Parque Ibirapuera – Portão 03 – Av. Pedro Alvares Cabral S/N – CEP 04094-000 – São Paulo, Brasil

Os 5 melhores (e piores) momentos da Sony na E3 2017

Pois bem, a gigante japonesa dos games conquistou ao longo dos anos a hegemonia dos consoles e não por acaso as maiores expectativas por parte dos jogadores estavam voltados para a Sony. O que a empresa iria trazer para esse ano? Novos exclusivos, novas franquias, continuações?

Como não poderia deixar de ser, a Sony apostou suas fichas em suas franquias mais fortes como God of War e Uncharted, além do retorno de Shadow of the Colossus e a sequência de Ni No Kuni. Além disso, a empresa ainda trouxe novidades do Playstation VR, uma grata surpresa, visto que a concorrência ignorou sumariamente a realidade virtual.

Confira abaixo os “highlights” da apresentação da Sony na E3 2017:

 

Uncharted The Lost Legacy e God of War

Desde que apareceu oficialmente durante a E3 2016, God of War se tornou um dos jogos mais esperados para o PS4, e não era por menos: a mitologia nórdica já é por si só brutal e colocar Kratos no meio desse universo tinha tudo para dar certo. Não é por menos que a decepção pelo jogo ter sido adiado para 2018 ser grande. Ao menos, o que foi mostrado convenceu e mostrou que a Santa Monica está empenhada em trazer o seu melhor game já produzido.

E também não podemos deixar de citar o título que deu abertura para a conferência da Sony. Uncharted The Lost Legacy conseguiu se provar como um produto essencial para quem é fã da franquia. Afinal de contas, ficou claro que ele não é apenas uma expansão, mas praticamente um jogo novo e com todos os elementos para agradar fãs de jogos de ação e exploração.

 

Ni No Kuni 2: Revenant Kingdom

Um dos melhores jogos de toda a biblioteca do Playstation 3 foi Ni No Kuni: Wrath of the White Witch. Imaginem a surpresa do público quando a Sony anunciou a sequência ainda para este fim de ano. Revenant Kingdom seguirá a história do rei Evan Pettiwhisker Tildrum, que foi destronado por um golpe e agora precisa retomar seu reino.

Pelo que foi mostrado, o jogo terá um mundo aberto muito grande, com muitas cidades e dungeons para explorar. O sistema de combate deve ser parecido com o jogo anterior, porém com melhorias a fim de tornar as coisas mais dinâmicas e divertidas.

 

Spider-Man está arrasador

Se por um lado a Marvel reinava soberana no ramo do cinema, o mesmo pode ser dito da hegemonia da DC em relação aos jogos eletrônicos. Parece que as coisas estão mais pareadas nas duas frentes, pois a DC acertou a mão com o filme da Mulher-Maravilha e a Marvel vai ter o jogo do Homem-Aranha, em produção pela Insomniac.

O gameplay parece incrível e cheio de detalhes, incluindo passagens em QTE (quick time events) e acrobacias animais. Se o que foi prometido se tornar real, a franquia Arkham terá um concorrente de peso. Infelizmente, os jogadores só vão colocar as mãos neste jogo em algum momento de 2018.

 

Remake de Shadow of the Colossus

A maior bomba de toda a apresentação da Sony foi o remake de Shadow of the Colossus. Sim, muita gente faz piada pelo fato de que o game é do PS2 e já teve uma remasterização para o PS3. Ainda assim, estamos falando de um dos melhores games já produzidos na história e a qualidade gráfica está fascinante.

A Sony não deu detalhes adicionais sobre esse remake, então não tem como saber se haverá mais cenários, armas, mecânicas ou até novos colossus projeto só sai em 2018, um tempo muito longo para um mero “tapa visual”. Então dá para sonhar sim que novos conteúdos façam parte do pacote de jogo.

 

Destaque para o VR

A Microsoft não mostrou nada em relação a realidade virtual, mas a Sony seguiu por um caminho oposto: a empresa mostrou uma sequência variada de títulos com suporte ao VR, deixando a impressão de que o acessório veio pra ficar. O maior de todos os projetos mostrados foi Skyrim, que ganhou suporte ao acessório e, deste modo, permite que os jogadores entrem no mundo do jogo literalmente.

Outros títulos compatíveis com o aparelho foram Star Child, The Impatient, Monster of the Deep: Final Fantasy, Bravo Team e Moss. Mais uma vez a Sony foi vaga com relação as datas de lançamento, mas ao menos que investiu seu rico dinheiro na tecnologia não tem o que temer.

 

E os piores momentos da conferência da Sony

 

Os jogos que esperávamos sumiram

Ainda que rumores e informações dispersas já adiantavam que pesos-pesados ficariam de fora da feira, como Final Fantasy VII, The Last of Us II e Shenmue 3. Não deu para não ficar decepcionado com essas ausências, afinal muitos jogadores imaginavam que talvez a Sony surpreendesse nem que fosse com algum vídeo novo.

Nem mesmo o Death Strading deu as caras. Mais agravante foi o fato de que a Sony nem sinalizou que esses jogos ainda existem e possuem um calendário de lançamento. Ao menos, sabemos que o histórico da companhia é de manter seus projetos até o fim, mesmo que o desenvolvimento perdure anos a fio.

 

Nenhuma atenção aos indies

Surgeon Simulator, um indie de respeito na PSN

 

Ao fim da apresentação da Microsoft muita gente queria “tirar onda” com o fato de que muito do painel da empresa de Redmond era dedicado aos produtores independentes. O mesmo não pode ser dito da Sony, porém partimos de oito para oitenta, pois a Sony ignorou completamente os indies.

Há quem diga que acompanha a E3 para ver os jogos grandes, mas muitos executivos já sacaram que são justamente os indies que tem mais possibilidade de criar produtos rentáveis (vide casos de sucesso como o Minecraft, por exemplo). Além disso, os grandes jogos estão cada vez mais espaçados e é bom saber que todo mês aparece um game menor, porém divertido. Neste aspecto a Sony pisou na bola feio ao não dar atenção aos desenvolvedores menores.

 

Onde estava Kojima?

Claro, Death Strading não estava na feira, então não teria porque o mítico produtor Hideo Kojima aparecer no evento. Entretanto, por algum motivo, muitos membros da comunidade esperavam que Kojima subisse ao palco para trocar algumas palavras com o apresentador e dizer a quantas anda o seu novo game.

Neste caso é seguro afirmar que o desenvolvimento do game está ainda cru e para os desenvolvedores não faz sentido mostrar nada ainda, até porque a Sony já tem um histórico perturbador de mostrar games que vão sair em dois ou três anos. Talvez este seja um indício de que a empresa está prestando atenção nas críticas da comunidade.

 

Onde estão as novidades?

E, por fim, o mais triste da conferência da Sony: onde estão as novidades? Muitos dos jogos mostrados já haviam dado as caras em conferencias passadas da E3 e da Playstation Experience. Ficou aquela sensação d que eles estavam escondendo alguma carta na manga, mas essa carta nunca aparecia. A sensação foi tão amarga que há que brinque que a conferência deste ano foi uma remasterização do que foi apresentado no ano anterior.

Seja como for, a expectativa é que na Playstation Experience deste ano a empresa mostre seus novos projetos, IPs e lançamentos para o ano fiscal. Além disso, vale lembrar que alguns dos jogos apresentados foram de alta qualidade como Days Gone, Detroit Become Human e Destiny 2.

 

Balanço geral da Brasil Game Show 2015

A Brasil Game Show foi encerrada na última segunda-feira (12) e reuniu cerca de 280 mil visitantes ao longo dos cinco dias de evento (nenhum outro evento de games conseguiu tal feito em terras tupiniquins). O saldo foi extremamente positivo, afinal de contas a organização conseguiu captar cerca de 70 toneladas de alimentos não perecíveis, que serão doados para a Casa de David, instituição que cuida de pessoas com deficiência intelectual, física e autismo. Além do numero gigantesco de pessoas e de alimentos, o evento contou com a participação de centenas de empresas ligadas ao ramo dos jogos eletrônicos e tecnologia.

Um dos grandes destaques (como não poderia deixar de ser) foi o estande da Microsoft, que reservou seu grandioso espaço para divulgar a melhor linha de jogos da história do Xbox. Entre as novidades estavam Forza 6, Halo 5: Guardians, Rise of the Tomb Rider,  Metal Gear Solid V: The Phantom Pain, Batman: Arkham Knight, Mad Max, Final Fantasy XV, , Cuphead, Rock Band 4, Killer Instinct Season 3, FIFA 16, Mortal Kombat X, entre outros.

O espaço da gigante americana estava bastante movimentado com fãs testando os mais diferentes jogos possíveis. Havia um espaço parecido com a dashboard do Xbox onde os visitantes podiam tirar fotos e posteriormente a equipe da Microsoft disponibilizaria as fotos para os fãs. Também foi montado um palco e um telão no estande, onde ocorriam desafios de jogos e apresentações de dança com o boneco de Cuphead. Rise of the Tomb Raider foi apresentado à portas fechadas e até havia uma garota com cosplay da Lara tirando fotos com os fãs. Ah, vale lembrar que o chefe da divisão Xbox, Phil Spencer esteve pessoalmente no estande para apresentar os jogos, receber a imprensa e até tirou fotos com fãs.

Quem também fez bonito foi a Sony com seu bonito estande para promover os próximos lançamentos do Playstation 4. Entre os jogos destacados estavam Dark Souls 3, Horizon Zero Dawn, o lindo Star Wars Battlefront,  Street Fighter V, Cavaleiros do Zodíaco: Alma dos Soldados, Uncharted: The Nathan Drake Collection, Pro Evolution Soccer 2016. O estande da Sony estava repleto de consoles fabricados aqui mesmo no Brasil, a fim de mostrar que a fabricação local está a todo vapor e tudo está indo bem.

O estande da gigante japonesa foi um dos mais concorridos da feira e andar por lá era uma tarefa heroica. Na área do palco principal houve uma grande surpresa para o público graças à participação do Yudi Tamashiro, que fez questão de relembrar seus tempos de Bom Dia e Cia, onde ele ganhou fama sorteando o Playstation 2 e Playstation 3.

No estande da Warner/EA não faltou animação, tudo graças aos badalados como FIFA 16, Star Wars Battlefront, Street Fighter 5, Need For Speed,LEGO Marvel Avengers, Mortal Kombat X, Batman Arkham Knight, Mad Max, Mega Man Legacy Collection, Resident Evil Origins Collection, além de títulos para dispositivos móveis. Street Fighter V, aliás, foi considerado por muitos como o melhor jogo da feira. No espaço da Warner tinha espaço também para um carro estilizado com o logo de Need for Speed, que também estava jogável.

A Activision não perdeu tempo e reservou seu espaço para divulgar o novo Call of Duty Black Ops 3, Guitar Hero Live e a expansão Destiny: O Rei dos Possuídos. As filas para jogar Guitar Hero estavam bem longas, mas ninguém estava reclamando.

Outra empresa que marcou presença foi a Ubisoft, que levou para a feira os seguintes jogos: Just Dance, Rainbow Six: Siege, Assassin’s Creed Syndicate e Tom Clancy’s The Division. O espaço dedicado a Just Dance era um dos mais celebrados pelos fãs, pois a Ubisoft organizou uma competição local para definir a última vaga para a final da Copa do Mundo de Just Dance. Os jogadores mais jovens puderam se divertir bastante no grande espaço dedicado à Minecraft, o jogo da Mojang que é um dos mais populares de todo o mundo.

Para os jogadores de PC não faltou tecnologia de ponta, graças aos estandes da Razer, Hyper X, Nvidia e Mad Catz. Teve até um espaço da DX Racer com cadeiras confortabilíssimas 0para gamers. Jogadores de PC tiveram vez, pois essas empresas trouxeram o que há de mais tecnológico no ramo de placas e processadores.

Quem queria fazer compra de jogos podia conferir as promoções da Saraiva ou da Americanas. Pena que a Nintendo não tem mais participação no Brasil, pois não era possível encontrar os jogos para Wii U em parte alguma. Na área dedicada aos Arcades formavam-se filas para testar os jogos que fizeram história ao longo dos anos. Street Fighter 2, as variações de King  of Fighters, Tekken, jogos de corrida de carros e de motos, enfim, tinha um pouco de tudo por lá.

Esse espaço até parecia uma casa de fliperama com a vantagem de que não era necessário pagar fichas para jogar. Tinha até um “jogo de botcha” para os mais entusiastas. Para completar o clima retrô, havia uma exposição de consoles antigos mostrando a evolução dos videogames desde a primeira geração.

Na área dedicada aos desenvolvedores independentes haviam jogos para todos os gostos, desde o futebol de botões da SmyOwl até as pipas da Maiworm. O espaço dos indies era grande e bem localizada, diferente do ano passado. Deste modo, os fãs de jogos eletrônicos encheram os corredores e estandes das produtoras nacionais. Os games apresentados lá estavam em ótimo nível de produção e o GameReporter vai abordar a maior quantidade deles em postagens futuras.

A novidade ficou por conta dos estandes localizados em outro pavilhão do Expo Center Norte: havia um estande do Youtube, onde passavam youtubers populares; a área da da Brasil Game Cup (com um torneio de Dota 2); a área de Cosplay Meeting para facilitar o encontro com cosplayers badalados; e um espaço chamado Meet & Greet que permitiu a interação entre os jogadores e personalidades da indústria como Yoshinori Ono (Street Fighter) e a Kenya Sommerfeld (apresentadora da BGS).

Por fim, a BGS mostrou-se ser um acontecimento da cultura pop e já está no calendário dos grandes eventos do Brasil. Marcelo Tavares, criador da feira, já confirmou a edição 2016, porém ocorrerão algumas mudanças. De acordo com Marcelo, a edição 2016 ocorrerá no mês de setembro e o local também será alterado: será no São Paulo Expo, o mesmo local onde ocorre a Comic Con Experience, na zona sul da cidade. De acordo com o executivo, as mudanças visam a melhoria do evento, contudo um dos maiores elogios da edição 2015 foi justamente o espaço do Expo center Norte.

Galeria de fotos da Brasil Game Show

Black Friday no universo dos games

A Black Friday está quase chegando e com ela vêm os descontos de diversos produtos nos principais sites varejistas do país, inclusive na área dos games. Muita gente acredita que a Black Friday é enganosa e os descontos ofertados são em cima de aumentos de preços fixados semanas ou até dias antes. Tudo pela metade do dobro do preço, dizem as piadas da internet.

Existem até estudos que comparam a edição brasileira com a americana. Um dos estudos é da agência de viagens online ViajaNet, que realizou um comparativo entre fazer compras na Black Friday brasileira e americana, considerando que existe o custo de passagem, hospedagem, alimentação, transporte e tributação sobre os produtos comprados nos EUA.

O resultado da pesquisa da ViajaNet foi alarmante: levando em consideração apenas os valores gastos em mercadorias, as compras no Brasil custam 137% a mais. Foram pesquisados produtos como câmeras de alta definição, câmeras esportivas, notebooks, televisões Ultra HD, videogames e smartphones.

“Conclui-se que é mais vantajoso viajar para os Estados Unidos para fazer compras de alto valor durante o Black Friday. Para aquisições de menor quantia, as ofertas nacionais permanecem mais vantajosas”, comenta Alex Todres, cofundador da ViajaNet.

De fato existem lojas que realizam tal prática, porém a maioria das grandes redes varejistas aderem à Black Friday de maneira coesa, levando em consideração que em geral o preço dos videogames já é superinflado no Brasil por causa dos impostos. Além disso, não são todos os brasileiros que poderão ir ao exterior aproveitar o desconto das lojas americanas.

Aqui no Brasil, participam da Black Friday algumas lojas conhecidas que já comercializam videogames como a Americanas, Walmart, Saraiva, Submarino, entre outras. Além delas, as redes online Xbox Live e Playstation Network devem preparar descontos em compras de jogos digitais como já ocorreu em anos anteriores.

Sabe-se que pelo menos a Blizzard baixou o preço de seus jogos para quantias praticamente simbólicas, como World of Warcraft que ficará por R$ 7,48 (valor ogirinal: R$ 29,90) e Starcraft II: Wings of Liberty e a expansão Heart of the Swarm estarão com 50% de desconto (R$ 24,95). Aos que ainda não puderam jogar Reaper of Souls, a última expansão de Diablo III, o jogo poderá ser adquirido com até 50%, com preço de R$ 39,95 (valor original: R$ 79,90).

A Black Friday pode não ser a maravilha que algumas lojas apregoam, mas os jogadores mais dedicados conseguem encontrar aquele jogo tão desejado por um preço mais camarada. Grand Theft Auto V é um game recente que deve ter alguma redução de valor. Por outro lado, alguns games recém-lançados provavelmente passarão longe da lista de descontos da Black Friday, como Dragon Age Inquisition e Assassins Creed Unity, mas talvez uma garimpada possa resolver a questão.

No site oficial da Black Friday estão listadas todas as lojas que aderem à campanha.

Colombo abre página dedicada a jogos eletrônicos

A Lojas Colombo colocou no ar uma página totalmente dedicada aos fãs dos videogames e promete manter os jogadores atualizados sobre os principais destaques da indústria, além de tirar dúvidas do setor. Não se trata de um site de notícias, mas sim uma página sobre games que conta um pouco sobre os consoles e traz muitas informações interessantes.

A primeira parte da página contém uma galeria com os principais videogames do mercado, incluindo os consoles de mesa e os consoles portáteis. Ao clicar em uma plataforma, o site mostra um pequeno resumo do console, contando dados do aparelho como data de lançamento, principais jogos e acessórios. Cada vez que algum jogo ou acessório, como um volante, por exemplo, é mostrado, há um hyperlink que redireciona para o produto na loja online da Colombo, para o caso de o visitante querer adquirir o produto.

A página também tem um resumo da E3 2014, falando em poucas linhas sobre o que é o evento e os jogos anunciados das principais empresas da indústria como Sony, Nintendo e Microsoft. Além da E3, a página tem espaço para falar do evento VGX, a premiação que honra os principais jogos da temporada 2013. Neste espaço, há a relação dos jogos vencedores em cada categoria.

Em outro espaço são mostrados os jogos mais vendidos em 2013, tanto no Brasil como nos EUA. Desse modo, os jogadores ficam cientes de quais são os jogos mais apreciados no Brasil e lá fora. Por fim, e provavelmente a parte mais interessante da página, há um calendário de 2014 destacando os principais lançamentos dos próximos meses. Com esse calendário, é possível ficar atento ao que está por vir e se programar para comprar os jogos que nos interessam.

lancamento_colombo

Além destas informações, a Lojas Colombo tem sua loja online, onde são encontrados os principais jogos do mercado, consoles, acessórios etc.

Playstation 4: o futuro é agora!

Playstation 4

O futuro chegou! Com certeza você já deve ter ouvido este clichê em algum lugar para se referir a novas máquinas, computadores, celulares ou videogames, certo? Pois bem, é justamente com esta frase que dou início a este texto sobre o Playstation 4, pois em vários aspectos ele parece avançado em seu tempo.

Como todos sabem, a Sony anunciou oficialmente no último dia 20 de fevereiro de 2013 a produção de seu 4º videogame de mesa a ser lançado até o final do ano. Durante o evento Playstation Meeting a empresa nipônica aproveitou quase duas horas para falar sobre o novo controle, as novas capacidades sociais do aparelho e 11 demos de jogos que devem chegar junto ao lançamento da plataforma.

A primeira coisa a chamar a atenção é o Dual Shock 4 que mantém o mesmo visual dos controles anteriores, porém desta vez conta com um painel táctil na parte frontal, bem semelhante ao utilizado no PS Vita. A Sony não falou muito sobre este aspecto do controlador, mas dá para esperar que as funções não serão tão profundas quanto as do Wii U. A Sony garantiu também que o PS4 dará suporte ao PS Move, PS Eye e ao PS Vita. Infelizmente os controles do PS3 não poderão ser utilizados no “4”.

O interessante mesmo é que mesmo mantendo o design da família Dual Shock, o novo controle ganhou novas funções como o botão Share que permite aos jogadores compartilhar momentos ingame de forma rápida e intuitiva. Outra mudança significativa é a fusão dos botões Start e Select, além disso, os gatilhos e botões analógicos foram redesenhados a pedido de produtores e jogadores. O controle tem um formato mais côncavo para se adaptar melhor as mãos dos jogadores, deste modo ele é um pouco mais semelhante do controle do Xbox 360. Fora isso, o controle mantém os botões tradicionais e o sensor de movimentos baseado em seis eixos.

O Playstation 4 em si sequer deu as caras, porém a gigante do entretenimento fez questão de falar sobre o hardware. Basicamente ele é tão poderoso quanto um PC para jogo, mas não é nem de longe a máquina mais potente para jogatina. Ele conta com um processador criado pela AMD em parceria com a Sony que traz CPU e GPU integrada. O processador tem oito núcleos de 64-bit X86 baseado na arquitetura Jaguar da AMD. A intenção da Sony era desenvolver uma plataforma mais fácil de desenvolver do que o poderoso e problemático Cell.

A GPU apresenta desempenho máximo de 1,84 TFLOPS, em outras palavras o PS4 tem bastante poder a ser utilizado em gráficos e simulação. Muitos sites descreveram o potencial da plataforma como “impressionante”. O mais incrível mesmo é a memória Ram com seus incríveis 8GB GDDR5, permitindo um potencial 16 vezes maior que o do Playstation 3. De acordo com a imprensa internacional, a resolução padrão dos jogos do PS3 será de 1080p. A mídia padrão continuará sendo os discos Blu-Ray. No meio dessa sopa de letras e números da arquitetura, o PS4 terá ainda um chip secundário que possibilitará aos jogadores fazer download de jogos mesmo com o aparelho em modo stand by.

Apesar das características de hardware serem consideradas poderosas, há muitos analistas e jogadores especulando que o próximo videogame da Microsoft poderá ser mais impressionante. Contudo isso não deverá ser verdade, no mais os dois videogames deverão contar com uma arquitetura muito semelhante, enquanto que os PCs de ponta ainda continuarão sendo melhores em desempenho. Essas especulações e torcidas de nariz se devem em muito ao fato de a Sony ter mostrado games insossos durante sua apresentação.

A Sony aproveitou para exibir alguns jogos como Knack, Driveclub, Killzone Shadow Fall, inFamous Second Son, The Witness, Deep Down, Destiny da Bungie e o supercomentado Watch Dogs da Ubisoft. Desses aí os mais apresentáveis foram Watch Dogs que também chega para a atual geração, e The Witness da Capcom que parece misturar as premissas de Dragon’s Dogma e Lost Planet. Além desses jogos foram anunciados um port de Diablo III e um novo (porém não informado) Final Fantasy.

Muita gente considerou que faltou uma bomba para o console ou vídeos mais empolgantes. De fato o vídeo do novo Killzone não era tudo isso, porém vale lembrar que tudo não passava de demos técnicas de um videogame que nem sequer começou a ser explorado pelos produtores. O consenso é que o que foi mostrado do PS4 poderia ser feito no PS3.

A Sony ficou de revelar mais sobre o novo console na E3 deste ano. A expectativa é que até lá o console tenha uma cara e mais jogos apresentáveis e com uma demonstração concreta de grande salto, afinal dá para perceber pelo hardware que a máquina pode bem mais do que mostrou no Playstation Meeting. E para aqueles que levantam a bandeira de PCs ou de consoles a recomendação é para baixar sua bandeira a meio mastro, pois as plataformas PC e videogame estão ficando cada vez mais parecidas. O Playstation 4 é apenas o primeiro a evidenciar essa quebra de barreiras.

O próximo player a mostrar sua plataforma será a Microsoft e de acordo com rumores isso deve ocorrer em abril de 2013 pouco antes da E3. Vamos aguardar pois o futuro dos jogos eletrônicos já está nossas portas. É esperar e acompanhar de perto!

E você, o que achou do novo Playstation 4?

Sony quer tentar levar realidade virtual para os games

A tentativa de trazer realidade virtual ao mundo dos games não é nova, mas a Sony quer tentar novamente ampliar a imersão em games com óculos da chamada RV.

Em uma entrevista concedida por Mick Hocking, diretor sênior da Sony Worldwide Studios, ao site Develop, o executivo comentou que além do 3D, a empresa também quer apostar na realidade virtual com um óculos que foi mostrado durante a CES, adaptado também aos games.

Entre as outras apostas para o setor de jogos está o monitor PlayStation, que além de imagens em alta definição, 2D e 3D, permitirá disputa entre dois jogadores, no mesmo dispositivo, impedindo que um jogador veja o que acontece na tela do outro.

Será que dessa vez a realidade virtual deslancha nos games?

[Via Joystiq]

Rumores dão conta de recursos de PS4 e data de chegada ao mercado

Um novo rumor que teve início com uma informação do Digi Times dá conta de que o próximo PlayStation terá controles de reconhecimento de movimento corporais semelhante ao Kinect, da Microsoft.

E mais, a produção dos dispositivos PlayStation 4 já estaria sendo iniciada por fabricantes de Taiwan, entre elas a Foxconn e a Pegatron Technology.

Caso os rumores se confirmem, o primeiro lote de aparelhos – com estimadas 20 milhões de unidades – estaria no mercado ainda em 2012.

Será? Em que você aposta suas fichas, leitor?

[Via DigiTimes]

Rumor: especificações de PlayStation Phone são divulgadas por site chinês

Novos rumores sobre o PlayStation Phone ganharam força na última semana, depois que um site chinês publicou uma lista dos supostos recursos de hardware que serão embutidos no aparelho.

Traduzido pelo Engadget, o material do site IT168 afirma que o dispositivo de marca Xperia terá GPU Adreno 205, da Qualcomm e processador Snapdragon QSD8255 de 1 GHz, como o do aparelho HTC Desire HD.

O novo Xperia PlayStation teria ainda bateria de 1.500 mAh, câmera de 5 megapixels com flash LED, 512 MB de memória RAM e 512 MB de memória ROM, slot microSD, microUSB, e tela de 4 polegadas, com resolução de 854×480.

Ainda não se sabe se o aparelho rodará jogos de PSP, PSOne ou títulos exclusivos. A Sony, que já indicou que o PlayStation Phone pode ser real, sequer anunciou o dispositivo oficialmente.

No Engadget você confere vários vídeos de um aparelho que o IT168 teria obtido.