Arquivo da tag: Nintendo

A Era dos Games: Exposição interativa sobre videogames desembarca no Brasil

Após passar por 33 cidades de 25 países, a exposição “A Era dos Games” finalmente chega a São Paulo. Idealizada pela Barbican Centre de Londres, a exposição é apresentada pelo Ministério da Cultura e Brasilprev, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura. A mostra ocupará o Pavilhão da Bienal, no Parque Ibirapuera, entre 16 de agosto e 12 de novembro e vai mostrar a evolução dos jogos eletrônicos desde o Atari até a geração atual.

Depois de São Paulo, a exposição segue para o Museu Histórico Nacional no Rio de Janeiro, onde ficará em cartaz de 6 de dezembro a 05 de março de 2018. Nas duas cidades, o público poderá interagir com mais de 150 jogos de sucesso. É uma oportunidade ótima de conhecer e interagir com verdadeiras pérolas dos jogos eletrônicos.

A exposição consumiu dois anos de trabalho intenso a um custo de um milhão de libras inglesas. São cerca de seis décadas escrutinadas, em 13 seções temáticas distintas. Dentre os mais de 150 jogos selecionados há uma longa lista de destaques, a começar pelo Pong, um jogo de tênis extremamente sintético. Criado em 1972, rodou o mundo e deu início a uma das megaempresas do setor, a Atari, que lidera o segmento ao lado de Nintendo, Sega, Microsoft e Sony. O Brasil também estará presente através de alguns jogos com tecnologia verde e amarela.

“Não há dúvida de que os videogames tiveram um grande impacto na cultura visual contemporânea. A Era dos Games pretende demonstrar a força criativa considerável que sustenta a indústria, destacando as contribuições de indivíduos e empresas-chave que desempenharam um papel na sua evolução. A exposição explora a influência de músicos, cineastas e artistas e mostra claramente que algumas das inovações mais criativas do nosso tempo passaram por este meio fenomenal”, resume NeilMcConnon, diretor do Barbican.

O público poderá conhecer personagens que fizeram história, como Super Mario — o encanador italiano criado pela Nintendo em 1985 e que chegou a ser usado pelo Japão na cerimônia de encerramento das últimas Olimpíadas como símbolo nacional; a crescente importância dos jogos infantis e seu potencial como ferramenta educativa; e ainda os enormes avanços tecnológicos que continuam sendo feitos, como o uso cada vez mais sofisticado da tecnologia 3D, a captação mais sensível dos movimentos pela tela ou por sensores e a constatação de que a realidade virtual é algo cada vez mais próximo.

Um embrião da exposição Era dos Games foi apresentado no Museu da Imagem e do Som de São Paulo em 2011. Batizada originalmente de Game On, mais tarde o evento incorporou o número 2.0 ao título para dar conta das atualizações tecnológicas surgidas ao longo do período em que excursionou pelo mundo. A edição que desembarca agora no país chega em versão ampliada, com games de última geração e inclui jogos produzidos no Brasil.

“Acreditamos muito no potencial dessa exposição. Ao apresentar a história do videogame de forma lúdica e divertida, ela integra diferentes gerações e proporciona um excelente programa para toda a família”, explica Cinthia Spanó, gerente de Comunicação Corporativa e Sustentabilidade da Brasilprev.

As visitas à exposição Era dos Games terão horários pré-agendados e serão realizadas em seis sessões diárias, com 90 minutos de duração cada. O público poderá adquirir ingressos antecipadamente online já a partir desta quarta, 5 de julho. Vendas de ingressos na bilheteria somente a partir da data de abertura, 16 de agosto.

 

SERVIÇO – A ERA DOS GAMES – Uma exposição do Barbican Centre de Londres

Quando: De 16 de agosto a 12 de novembro de 2017 – Terça a domingo, das 11 às 20 horas – Sessões diárias às 11h, 12h30, 14h, 15h30, 17h e 18h30

Quanto: Preço R$40,00 / R$20,00 meia entrada*

Onde: Endereço: Pavilhão da Bienal – 3º pavimento – Acesso pela rampa externa

Parque Ibirapuera – Portão 03 – Av. Pedro Alvares Cabral S/N – CEP 04094-000 – São Paulo, Brasil

E3: 43 milhões de pessoas no Facebook falaram sobre games durante o mês antes do evento

Podemos dizer que a E3 2017 foi um verdadeiro sucesso, em todos os aspectos. Afinal, pela primeira vez ela foi aberta ao público geral, as produtoras de jogos surpreenderam com suas novidades e novas tecnologias foram apresentadas. Em relação aos números, também não há de que reclamar: cerca de 68 mil pessoas de pessoas passaram pelos corredores do L.A Convention Center.

Em sua primeira participação na E3, o Facebook monitorou de perto as interações das pessoas relacionadas a conteúdos da feira americana. De acordo com a gigante da internet, cerca de 43 milhões de pessoas no Facebook falaram sobre games durante o mês antes do evento. O número expressivo serve como termômetro para mostrar o interesse crescente da comunidade gamer em relação às novidades e mostra que ao contrário do que se pensa este ainda é um setor bastante aquecido.

MicrosoftEste acompanhamento reforça o papel do Facebook para ajudar a comunidade a descobrir, assistir, jogar e compartilhar os seus games preferidos com as pessoas que mais gostam. O mais interessante é que o Brasil foi um dos países mais ativos em discussões sobre games e a E3, mostrando a força e o interesse dos brasileiros no mercado.

No mês que antecede os três dias do evento, registraram no Facebook sobre os novos jogos, consoles e as principais novidades do mundo dos jogos, incluindo a E3. Durante os últimos 30 dias, 35% das interações (curtidas, publicações ou comentários) partiram de mulheres, contra apenas 10% no ano passado. Isso demonstra o aumento do interesse das jogadoras em nossa plataforma.

SonyOs jogos mais mencionados nos sete dias antes da feira foram Fifa, Star Wars: Battlefront, State of Decay, Assassin’s Creed e Sea of Thieves. Isto significa que estes jogos tem tudo para se tornarem campeões de vendas quando forem lançados. Além disso, 22% das pessoas que interagiram, homens ou mulheres, têm pelo menos 35 anos de idade.

As empresas desenvolvedoras de jogos e as fabricantes de consoles também foram lembradas pelos produtores de conteúdo no último final de semana, depois das coletivas de imprensa: a Sony foi a mais citada na imprensa, seguida pela Microsoft, Electronic Arts, Ubisoft e Activision Blizzard.

“Este ano, mais do que nunca, estamos entusiasmados em ver o Facebook com uma participação maior na E3. Ao longo dos últimos meses, as pessoas de todo o mundo chegaram à plataforma para discutir e compartilhar os jogos que eles amam com as pessoas que lhes interessam”afirma Franco DeCesare, Head of Global Console & Online Gaming do Facebook. O executivo ainda comenta que a comunidade de jogadores continua a crescer e evoluir a cada ano “O Facebook é a voz da comunidade de jogos, com mais de 800 milhões de pessoas jogando pelo menos um jogo conectado ao Facebook todos os meses”, finaliza.

Abaixo você confere os melhores jogos da E3, segundo o UOL Jogos:

 

 

O 5 Melhores (e piores) momentos da Nintendo na E3 2017

Como já vem ocorrendo há alguns anos, a Nintendo não fez uma conferência para a imprensa durante a E3. Ao invés disso, a empresa japonesa publicou um vídeo no padrão Nintendo Direct para mostrar suas novidades para os próximos meses. E se pudéssemos resumir o que foi mostrado, seria: a Nintendo roubou a E3!

Mesmo tendo de competir com um novo console da Microsoft e com as exclusividades da Sony, a Nintendo não desapontou, mostrando a força de suas marcas e o empenho que está tendo com o Switch. Sério, foram trinta minutos extremamente bem aproveitados. A impressão geral foi que a Nintendo foi a que mais se destacou no evento americano.

 

Confira os highlights da Nintendo na E3 2017:

 

Kirby, Pokémon e Fire Emblem mostram a força da Nintendo

É incrível a força que a Nintendo tem, mesmo quando seus próprios fãs estão céticos e seus produtos desacreditados. A E3 2017 serviu para mostrar que a companhia deve se apoiar mais do que nunca em suas franquias. Este ano, tivemos muitas novidades sobre os exclusivos Nintendo e somente isso serviu para arrancar lágrimas de fãs por todo o mundo.

Desde um novo Kirby, conteúdo adicional para o Zelda, um novo Pokémon em produção e o Firem Emblem. Enfim, a Big N fez o que se esperava das concorrentes, ou seja, apostou alto no que tem, mostrou suas armas mais letais para os próximos meses e garantiu que quem investiu no Switch não vai passar maus bocados. Grande destaque, aliás, para o novo Kirby, que parece ótimo. Nessa lineup só faltou mesmo um novo Donkey Kong…

 

O novo Mario parece incrível

Na edição de 2016 a Nintendo mostrou um pouco do Super Mario Odissey, então ele não era realmente uma surpresa. Ainda assim, muita gente teve uma péssima impressão do que a empresa reservava para a próxima aventura do bigodudo. Neste ano tivemos alguns detalhes sobre a jogabilidade.

Pelo que foi apresentado, Odissey vai misturar elementos 2D e 3D, além disso, Mario vai poder controlar o corpo de outros personagens e inimigos ao jogar o chapéu em suas cabeças. Parece que a jogabilidade será das mais divertidas e os mundos de jogo serão diversos e coloridos. O mais impactante: Mario chega ainda em 2017, e possivelmente vai lutar contra Zelda pela corrida do Game of the Year.

 

Metroid Prime 4 está sendo feito

Fazia tempo que a comunidade clamava por uma sequência da respeitada franquia Metroid Prime. Após Metroid Other M e Federation Force, parecia que um novo Prime era uma utopia. Eis que a Nintendo surpreendeu ao revelar que Metroid Prime 4 está em produção. Nada além disso foi dito, nem data de lançamento, nem imagens, nada! O anúncio foi mais para surpreender mesmo e a expectativa é que este se torne um dos melhores games do Switch.

Sabe-se que o novo título não vai ter o dedo da retro Studios. Bill Trinen, diretor da Treehouse, não revelou quem são os responsáveis pelo desenvolvimento, porém revelou que o produtor Kensuke Tanabe, que trabalhou em títulos anteriores da série Metroid Prime, estará envolvido.

 

Yoshi tem novo jogo

Outra grata surpresa foi o anúncio de um novo jogo estrelado pelo Yoshi. A Nintendo está apostando alto no Yoshi, afinal não faz muito tempo que a comunidade foi presenteada com o ótimo Yoshi’s Woolly World. Este novo jogo segue mecânicas retiradas do clássico Yoshi’s Island do SNES, com um toque de Paper Mario.

O mundo de jogo é bem colorido e tem tudo para agradar jogadores mais novos, e também os antigos. Sabemos que o motor utilizado é a Unreal Engine 4, provando que o Switch não apenas é compatível, mas que pode surpreender bastante em aspectos gráficos e físicos.

 

Nintendo abraçando o cross-play

Um dos jogos mostrados durante a apresentação em vídeo foi Rocket League. Tudo bem que o jogo não é nenhuma novidade e quem tinha de jogar, já jogou. Contudo, um aspecto não pôde ser ignorado: o jogo vai ter cross-play, permitindo que quem joga no Switch possa competir com jogadores do PC e do Xbox One. É interessante ver que a Nintendo está de fato empenhada a oferecer à comunidade o que ela quer.

E aqui vai uma crítica para a soberba da Sony, que é a única a ignorar este desejo tão antigo da comunidade. E vejam só, logo a Nintendo que foi tão cabeça dura com relação às comunidades online agora está um passo a frente da Sony. A expectativa é que ao longo dos anos mais jogos tenha cross-play entre plataformas concorrentes.

 

E os pontos negativos da apresentação

 

Pouco tempo para jogos de alta qualidade

A Microsoft teve quase duas horas de apresentação e a Sony ficou no palco por uma hora inteira. Mesmo que esse tempo todo das duas empresas tenha sido aproveitado de forma mediana, vale dizer que poucas dúvidas ficaram no ar e serviu para mostrar muito conteúdo. Já a Nintendo teve apenas 30 minutos de vídeo.

Esse tempo é muito curto e não serviu para saciar o gosto de quero mais. Claro, o que foi mostrado roubou o show, mas porque não ter mais tempo de vídeo, mostrar os jogos com mais destaque e mais detalhes? A impressão foi que foi muito pouco tempo para mostrar tanta coisa boa.

 

Nada de novo no Virtual Console

A Nintendo não mostrou nada de novo para o Virtual Console, a plataforma de jogos online do Switch. Nenhuma nova promoção, nem jogos novos. Nem mesmo os indies deram as caras ou a retrocompatibilidade com plataformas antigas. A Nintendo está dando suporte ao Virtual Console, disso não há dúvidas, mas a impressão é que ao focar apenas nos jogos novos, a Big N ignorou uma base de fãs que esperam novidades sobre a plataforma.

 

Nenhuma nova IP

Tudo bem que Arms já é um dos jogos mais esperado do Nintendo Switch, mas ficamos sabendo dele na E3 2016. Deste modo, a Nintendo não apresentou nenhuma IP nova neste evento. Não que o line up tenha sido ruim, mas tal como a maioria das empresas desenvolvedoras, parece que o forte da indústria esteja em repetir fórmulas e em franquias já estabelecidas.

São raras as oportunidades que novas franquias podem brilhar e a E3 é o palco ideal para isso. Visto que a Nintendo conseguiu muito destaque nos últimos anos com Splatoon e Arms, seria de esperar que a companhia mantivesse sua sina de mostrar jogos novos no evento americano. Uma pena que desta vez isto não aconteceu.

 

3DS ficou às moscas

O Nintendo Switch é o grande foco da Nintendo para o ano e isto pôde ser visto durante a E3 2017. Assim, o 3DS acabou ficando meio que ignorado. Não que não houvessem novos jogos, afinal a empresa revelou Metroid: Samus Returns, Sushi Striker  e Mario & Luigi: Superstar Saga + Bowser’s Minions, mas a impressão geral foi que faltou alguma coisa.

Muita gente esperava que desta vez era um novo Zelda para o portátil ou quem sabe um novo Donkey Kong, mas a Big N deixou a oportunidade de lado e o que foi mostrado para o sistema foi muito pouco para uma das plataformas mais populares do mercado. A esperança é que ao longo dos meses surjam novos jogos para a sólida base instalada de jogadores do 3DS.

 

Third Parties ignoraram a Nintendo?

O principal jogo terceirizado para o Switch foi Skyrim, um título que continua estupendo, mas que já está no mercado há muitos anos. Outro destaque foi Mario + Rabbids Kingdom Battle, crossover que coloca os mascotes da Ubisoft no Reino do Cogumelo. Dois jogos. Será que o Switch vai sofrer o mesmo destino do Wii U? Ainda é cedo para cravar que o Switch será ignorada pelas desenvolvedoras, visto que a Nintendo está tentando atrair as empresas rapidamente.

Dados do VGChartz sugerem que já existem 3 milhões de consoles Switch no mercado, um número até expressivo para o pouco tempo de vida da plataforma. Mas esses números ainda não foram suficientes para que os desenvolvedores comecem a apoiar massivamente a plataforma. Se a e3 serve de termômetro, no próximo ano o Switch vai sobreviver quase que exclusivamente de jogos 1st Party.

Em ritmo Nintendo – Riachuelo lança coleção exclusiva de Super Mario

O lançamento do Nintendo Switc colocou a Big N no centro das atenções do público gamer/geek e para celebrar a ocasião, a Riachuelo lança hoje (6 de março) uma coleção exclusiva inspirada em Super Mario Bros. A linha traz um mix completo de produtos, com opções masculinas, femininas, infantis, de acessórios e de moda casa. O destaque fica por conta das almofadas de pescoço com o tradicional capuz da dupla Mario e Luigi, além de estampas repletas de detalhes e modelagens inspiradas nas últimas tendências.

De acordo com a Riachuelo, a coleção Super Mario chega à rede completa de lojas da Riachuelo em todo o Brasil com os preços que variam de R$ 29,90 a R$ 79,90. Serão mais de 30 itens na coleção e algumas já até estiveram à venda em eventos como a Comic Com Experience (CCXP) de São Paulo. Essa prévia serviu para mostrar que qualquer um que se denomine fã do Mario, precisa ter ao menos uma camiseta.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Vale destacar que esta não é a primeira vez que a Riachuelo investe no universo Geek para agradar os fãs: a companhia já lançou coleções de Star Wars e Harry Potter no passado. A coleção de Super Mario é exclusiva e oficial, ou seja, pode esperar um acabamento impecável e alta qualidade. Se você quer uma peça exclusiva ou agradar aquela pessoa especial, eis a oportunidade.

Abaixo você confere o vídeo que Hugo Gloss fez da coleção Super Mario Bros da Riachuelo:

Top 10: Games mais promissores do Nintendo Switch

O início de março marca a nova era para a BIG N. Apesar da pouca quantidade de games no lançamento, o novo console promete um primeiro ano incrível, graças a jogos extremamente promissores. Listamos aqui os dez games que parecem mais divertidos para a primeira temporada do Switch.

Tem para todos os gostos, RPG, ação e até games de luta. Não numeramos os games pela ordem de expectativa, pois consideramos cada um deles apenas promessas de boas vendas e alta qualidade. O tempo vai dizer se eles estarão entre os melhores da plataforma.

Confira abaixo os dez games mais promissores do Switch:

 

The Elder Scrolls V: Skyrim

Um dos primeiros games a ser revelado para o Switch foi justamente Skyrim, mas a Bethesda sempre se mostrou reservada em anunciar o título oficialmente. Pois bem, após confirmar a produção do jogo, Todd Howard, diretor da franquia, disse que os jogadores encontrarão a versão definitiva, baseada na edição mais recente que foi lançada para PC, Xbox One e Playstation 4.

Devido a natureza da Nintendo, não esperamos ver mods, mas apenas o fato de poder jogar Skyrim em qualquer lugar já é um incentivo e tanto para ficar interessado neste lançamento. Skyrim é considerado desde seu lançamento um dos melhores games de todos os tempos e, consequentemente, um dos mais influentes.

 

 

Ultra Street Fighter II The Final Challengers

Pois é, Street Fighter II já recebeu tantas versões que é difícil encontrar um jogador que não conheça esse clássico da Capcom. Prestes a completar 25 anos, o pessoal da Capcom decidiu lançar a versão definitiva do game exclusivamente para o Switch. Como não poderia deixar de ser, há novidades embasbacantes, como o tapa gráfico, a adição de um modo em que dois jogadores podem desafiar um inimigo solo e a adição de um modo em primeira pessoa.

Mais importante que esses mimos, é a adição de novos personagens, como o Evil Ryu e o Violent Ken. Aposto meu braço direito que a Capcom vai fazer de tudo para que Street Fighter II não seja um flop como foi Street Fighter V. Para isso, apostamos em mais suporte e marketing.

 

 

Fire Emblem Warriors

Apesar de não ser o único Fire Emblem para o Switch, é Warriors que chama mais as atenções. A Nintendo não soltou muitos detalhes do que os jogadores podem esperar, mas se tomarmos Hyrule Warriors como base, podemos aguardar muita ação e combates divertidos, com muitos power ups e milhares de inimigos na tela.

Ah, Chrom faz seu retorno, e a julgar pelo trailer, ele não está para brincadeira. Uma versão para o New 3DS também foi confirmada. O lançamento está previsto para o terceiro trimestre de 2017. A Nintendo deve revelar detalhes do agme na semana da E3, mesmo que a empresa não compareça ao evento americano.

 

 

Xenoblade Chronicles 2

A nova entrada de Xenoblade Chronicles 2 está a cargo do estúdio MonolithSoft sem data de lançamento ou informações sobre a história. Sabe-se que as principais características da série devem ser mantidas, tal como um mundo aberto gigantesco.

A história seguirá os passos de um novo personagem que partirá em busca de Elysium enquanto atravessa um vasto mundo enfrentando monstros gigantescos, cidades utópicas e animais fantásticos.

 

 

Mario Kart 8 Deluxe

Com novos pilotos, pistas e modos de jogo, Mario Kart 8 Deluxe é um dos lançamentos mais fortes da primeira leva de jogos do console. Além da galeria enorme da versão base do Wii U, a nova versão Deluxe traz os personagens das expansões que foram lançadas no console anterior, sendo eles dos games Animal Crossing, The Legend of Zelda e Super Mario 3D World.

Além disso, os Inklings da série Splatoon e King Boo de Luigi’s Mansion também fazem parte do pacote. Novos modos de jogo, cenários e itens também foram confirmados. Se for tão bom quanto na versão do Wii U, temos aqui uma das compras obrigatórias para o Switch.

 

 

Splatoon 2

O primeiro Splatoon foi uma surpresa total, afinal ninguém esperava que um shooter da Nintendo fosse  tão bem sucedido quanto o primeiro game foi. E o sucesso não foi por acaso: o game tem a cara da Big N, com seus gráficos coloridos, jogabilidade fácil e ausência de violência explícita.

Apesar de não ter falado sobre o game, rumores sugerem que finalmente teremos um modo espectador e um sistema de ranking. Uma das reclamações recorrentes é a campanha fraca do game. Se a Nintendo ouvir seus fãs, esperamos uma campanha mais sólida e completa e quem sabe novos modos de jogo. E sim, ainda torcemos para que ele se torne uma sensação dos eSports.

 

 

Super Mario Odyssey

Verdade seja dita: o Wii U não teve nenhum jogo do Mario totalmente 3D (3D World não é totalmente 3D). Pelo trailer revelado, Mario deve estar em uma viagem por diferentes dimensões, abandonando o mundo colorido e engraçadinho de Mushroom Kingdom, para explorar cidades reais, floresta densa e até o velho oeste americano.

Algumas das novas habilidades de Mario também foram mostradas, como a possibilidade de utilizar seu chapéu para pular mais alto em grandes distâncias. Os demais personagens também foram repaginados, como Bowser que usa um terno bem elegante e Peach que está pronta para um casamento (será que ela vai casar com o vilão forçosamente?). Seja como for, esperamos um game divertido e mais diversificado.

 

 

Super Bomberman R

Desde que Bomberman apareceu de maneira bisonha no Xbox 360, o mascote jamais desfrutou do mesmo prestígio que teve antes. Mas a Konami quer mudar esse cenário com Bomberman R, que resgata muito da fórmula original, agraciando os fãs com bastante fanservice.

Não espere um game inovador ou com mecânicas novas, mas sim um resgate do passado. Uma coisa que podemos ter certeza é que haverá um modo multiplayer online e rankings, além de torneios de tempos em tempos. Se der certo, podemos esperar que Bomberman volte com tudo na atual geração, ganhando versões para outras plataformas.

 

 

Arms

Se pudéssemos definir Arms em poucas palavras, diríamos que é um sucessor espiritual de Punch Out com o design de Splatoon. Trata-se de um jogo de boxe em que os jogadores usam braços expansíveis para atacar seus adversários em cenários coloridos e bastante engraçados. É quase um boxe em que você precisa mirar seus golpes como em um shooter.

Arms faz uso dos controles de movimento de maneira esperta e agradável. Para jogar, os jogadores usam um Joy Con em cada mão, usando controles de movimento para atacar, defender e desviar. O título será bastante acessível para todos os jogadores, mas oferecendo alto desafio para os gamers mais dedicados. Depois de Splatoon, sabemos que novas IPs da Nintendo são bastante promissoras.

 

 

The Legend of Zelda: Breath of the Wild

E por fim temos o motivo de compra definitiva do novo console da Nintendo. Breath of the Wild é espetacular, e sim, estamos afirmando. A recente nota máxima que recebeu da Edge apenas serve para chancelar as altas expectativas. O mundo do game é maior que o de Skyrim e mais vivo que o The Witcher III.

A versão do Wii U parece igualmente espetacular, mas a possibilidade de levar um Zelda em alta definição para qualquer lugar parece tentadora demais. Por fim, resta dizer que a franquia Zelda é conhecida por sua alta qualidade e games extremamente inventivos e divertidos.

 

NZN elege as as promessas em games para 2017

Os apaixonados por jogos já têm motivos para comemorar! O ano de 2017 definitivamente será um dos melhores para quem aguarda por lançamentos e novidades. E para atualizar os gamers de plantão, a NZN, um dos principais players em soluções para publicidade e comunicação do mercado, acaba de reunir as grandes promessas para o primeiro semestre.

A lista traz apenas os lançamentos para o primeiro semestre do ano, de modo que a comunidade terá muitas coisas boas para se entreter neste início de ano. Muitos outros games que devem sair no segundo semestre ainda não possuem data de lançamento definida, e tantos outros devem ser anunciados apenas durante a E3, a maior feira de games do mundo, a ocorrer em Los Angeles entre os dias 13 e 15 de junho.

Confira abaixo o calendário de lançamentos da NZN para 2017:

Janeiro

khhdgonbrasilComeçando em Janeiro, teremos Gravity Rush 2, exclusivo do PS4; Yakuza 0, prequel que vai explicar as origens da franquia; Kingdom Hearts HD 2.8: Final Chapter Prologue, compilação com conteúdo do RPG que mistura Disney com Square e Resident Evil 7, que promete revitalizar a série com uma perspectiva em primeira pessoa.

 

Fevereiro

c356330f-e4b0-4dca-8ef6-e685d5eb83c6Fevereiro também promete grandes surpresas: Halo Wars 2, que vai agradar os fãs de estratégia no Xbox One e no PC; Sniper Elite 4 que pretende ser um jogo mais acessível da franquia; For Honor que deve trazer combates cadenciados nas mãos da Ubisoft; NioH que seguirá uma fórmula Dark Souls com Onimusha e Horizon: Zero Dawn, grande promessa da Sony, que chegará ao PS4 (com direito a patch para o PS4 Pro).
Março

zelda0005Já em Março, o ritmo pode até acalmar, mas não irá esfriar: NieR: Automata é um RPG de ação futurista da Square Enix ainda envolto por muitos mistérios; Ghost Recon Wildlands que marcará o retorno de uma das franquias de ação mais amadas do selo Tom Clancy. Temos também Mass Effect Andromeda, o aguardado RPG sci-fi da EA. E para fechar o mês, teremos a chegada do jogo mais aguardado do mercado: o lançamento do Switch! Com alguns dos títulos já anunciados – entre eles The Legend of Zelda: Breath of the Wild, o novo Super Mario Odyssey, além de jogos third-party –, o console híbrido será lançado nos Estados Unidos no dia 3 de março e custará US$ 299. Este novo consoles da Nintendo promete ser um divisor de água em 2017.

 

Abril

maxresdefaultNo mês de Abril, temos quatro lançamentos já confirmados: Sniper Ghost Warrior 3, que segue uma fórmula com pouco Far Cry com Sniper Elite, e traz um mundo aberto militar; Persona 5, o tão esperado RPG da Atlus que dará continuidade ao formato descontraído da franquia; Yooka-Laylee, jogo de plataforma dos mesmos criadores de Banjo-Kazooie; e Dragon Quest Heroes 2, continuação do game que transformou a série de RPG japonesa em um hack-and-slash estilo Dynasty Warriors.

 

Durante o primeiro semestre

seaofthieves

Ainda sem data, mas previstos para o primeiro semestre de 2017, temos os aguardados: Outlast 2, Prey, Sea of Thieves, Uncharted: The Lost Legacy, South Park: A Fenda que Abunda Força e Sexta-Feira 13. A ideia é que esses títulos sejam lançados pelo menos até o final de junho.

Top 10: Games do Wii U que você deve jogar

Deixe-me adivinhar: você comprou o Wii U tão logo teve a oportunidade, pois tal como milhares de jogadores, esteve empolgado com as promessas da Nintendo de que este seria um console competitivo e que receberia amplo suporte das desenvolvedoras third parties, certo? Conforme a história mostrou, o Wii U está longe de ser um megassucesso e menos ainda de ser uma unanimidade entre a comunidade de jogadores. Entretanto, isto não quer dizer que você não pode se divertir com o console da Big N.

Ao longo dos seus quatro anos de existência, o Wii U recebeu alguns dos melhores jogos da geração. Alguns, inclusive, seriam facilmente apreciados por usuários de outras plataformas. Infelizmente a maior parte desta lista de obrigatórios são jogos da própria Nintendo, evidenciando qual foi o grande problema do sistema (pouco apoio de third parties).

Abaixo você confere os dez games que todo usuário do Wii U deveria conhecer:

 

Super Mario 3D World

super_mario_3d_worldSuper Mario 3D World surgiu em um período em que a comunidade começava a questionar a criatividade da Nintendo. Não podia ter saído em melhor hora: o título é tão atrativo e divertido quanto qualquer outro Mario da EAD Tokyo. A mistura da linearidade dos jogos 2D com a liberdade dos jogos do Mario em 3D funcionou perfeitamente, assim como o novo power up Super Bell, que transforma os protagonistas em gatos. Não bastasse a criatividade, o título ainda tem 114 fases e cinco personagens jogáveis: um prato cheio para os fãs do Mario, que nem sequer reclamaram o fato de que o jogo que eles queriam mesmo era Super Mario Galaxy 3.

 

The Legend of Zelda: The Wind Waker HD

wind-waker-hdPara quem não teve a oportunidade de jogar o Wind Waker no GameCube, a Nintendo tratou de relançar o game com novas características a jogabilidade, gráficos com 1080p de resolução, um novo sistema de iluminação, e outras pequenas modificações. O resultado é um prato cheio visual e um dos melhores games Zelda de todos os tempos. Vale destacar que em 2003, Wind Waker quase passou despercebido pela comunidade por causa de seus traços cartunescos. . O relançamento em HD significou uma segunda chance para um game tão bem produzido.

 

Splatoon

splatoon_wii_u_gameplay_screenshotEntão você ficou surpreso quando a Nintendo anunciou que produziria seu próprio shooter competitivo, certo? E que grata surpresa foi Splatoon, um game cheio de personalidade e divertido ao extremo, provando que a Big N ainda não perdeu o jeito para criar novas IPs. Não apenas os visuais são a cara da Nintendo, mas também a ideia central: pintar cenários e inimigos para definir quem vence. Pena que a rede online da Nintendo não é nada comparada aos dos consoles rivais, mas dentro de suas limitações, a Nintendo conseguiu criar uma comunidade dedicada e bastante fértil para Splatoon se tornar um sucesso e uma compra obrigatória para todos os usuários do Wi U.

 

Bayonetta 2

bayonetta-2Quem gostou do primeiro jogo não teve do que reclamar ao jogar esta sequência: Bayonetta é tudo o que os fãs poderiam esperar, ou seja, rápido, visceral, divertido, explosivo. Yusuke Hashimoto, Atsushi Inaba e Hideki Kamiya fizeram mágica com o hardware do Wii U, pois o game é capaz de apresentar efeitos visuais impressionantes e momentos de ação incessantes. Se você é fã de jogos ao estilo Devil May Cry e chegou a jogar o primeiro game, não há motivos para não experimentar Bayonetta 2. Tudo que o primeiro título fez de bom, Bayonetta 2 melhorou, seja mecânicas, efeitos visuais, jogabilidade, armas, habilidades etc.

 

Pikmin 3

pikmin-3-wallpaper-11Esta sequência pode até ser chamada de mais do mesmo. Mas o que não pode ser dito é que o jogo é ruim. Na verdade Pikmin 3 introduz um sistema co-op execelente, além de modos competitivos bastante instigantes. A campanha também não é nada mal e conta com boas nove horas em que os jogadores utilizam os pequenos Pikmins de maneira estratégica para derrotar diversos tipos de inimigos e obstáculos. Se você nunca jogou nenhum título da série, podemos comparar (em menor escala), como uma fusão de elementos de StarCraft e Command e Conquer, porém com criaturas coloridas e fofinhas.

 

Super Mario Maker

super-mario-makerTodos gostam do Mario, isto é uma máxima. E ao passo que a popularidade do bigodudo nunca está em queda, pode-se esperar novos jogos do mascote a cada nova temporada. Os games 2D do Mario estão entre os melhores jogos jamais criados e foi pensando nisso que a Nintendo criou o Mario Maker, uma ferramenta que permite a qualquer um criar seus próprios níveis. O resultado final não poderia ser diferente: milhares de cenários dificílimos e horas de diversão sem fim. Se você não tem paciência para criar cenários, pode se divertir apenas jogando os cenários criados pela comunidade. E se prepare para se frustrar bastante.

 

Mario Kart 8

mario-kart-8Mario Kart 8 não tem nada de inovador. Dito isto, deve dizer também que este é um dos melhores games do Wii U. Trata-se apenas de reutilizar a fórmula da franquia, dar uma polida gráfica e acrescentar cenários loucos e viciantes. Toda a diversão proporcionada pelo multiplayer do game do Wii foi mantida em MK8. Uma pena que a Nintendo não leve a sério a ideia de transformar Mario Kart em um eSport, pois imaginamos que seria um dos títulos mais disputados do cenário mundial.

 

Donkey Kong Country Returns: Tropical Freeze

tropical-freezeTropical Freeze é um presente para os fãs da amada série criada na geração 16 bits. Afinal temos o retorno de Diddy e Dixie, fases aquáticas, músicas de David Wise e design de fases que priorizam a diversão ao invés da dificuldade. Como se não bastasse, Tropical Freeze é o primeiro game da série em alta definição. Muitos jogadores nem colocaram as mãos neste game e a justificativa é que ele não é tão épico quanto a trilogia do SNES. Seja como for, Tropical Freeze é superior ao seu antecessor e um dos games mais divertidos e encantadores do Wii U. Em algumas horas será como relembrar os áureos tempos do SNES.

 

Super Smash Bros.

super_smash_bros-_wii_uTal como nos demais jogos da franquia Smash Bros. este aqui é uma das mostras de que a Nintendo ainda tem algumas cartas na manga. Afinal, quem poderia imaginar um embate entre o cachorro de Duck Hunt e o treinador do Wii Fit? A tela de seleção é a maior de toda a franquia, contando com quase todos os personagens de todos os demais games Smash Bros. Não fosse o suficiente, esta versão tem vários bônus, segredos desbloqueáveis e um combate divertidíssimo.

 

Monster Hunter 3 Ultimate

wiiu-monster-hunter-3-ultimateMonster Hunter 3 Ultimate é considerado por muitos como o maior e melhor game da franquia da Capcom. São centenas de criaturas para enfrentar e um clima de mundo aberto gigantesco. São criaturas para enfrentar em diversos ambientes, tais como oceanos, geleiras, cavernas e florestas. Os controles inovam graças à tela sensível ao toque e as habilidades e armas são bastante divertidas de utilizar. O game traz centenas de missões e subquests para completar. Se você é do tipo aventureiro e gosta de fazer centenas de coisas, Monster Hunter 3 é um prato cheio.

Ah, o canal Versus o Mundo também selecionou alguns games do Wii U que merecem destaque, confira abaixo:

Shopping SP Market recebe o Museu do Videogame Itinerante

Outra boa pedida para o mês das crianças é a exposição “Museu do Videogame Itinerante”, que estará no Shopping SP Market entre o dias 8 e 30 de outubro. Esta é a primeira vez que a atração vem para a capital paulista e, de acordo com os organizadores, haverão mais de 250 consoles para os visitantes conferirem de perto. A ideia é retratar cerca de 40 anos da história dos jogos eletrônicos mundiais.

A exposição é gratuita e é bastante recomendado para jogares das antigas e das novas gerações. Como não pode deixar de ser, os grandes clássicos estarão presentes como o Telejogo, Atari 2600, NES, Mega Drive, Super Nintendo, entre outros. Os consoles de nova geração também fazem da parte da mostra, assim os jogadores podem conferir toda a evolução ao longo os anos até culminar nos poderosos XBox One e PlayStation 4.

Além da exposição, o espaço Museu do Videogame Itinerante também é interativo. Lá os games podem conferir desafios de Just Dance, simuladores de corrida, desfile de cosplay e muitos outros. O evento, que somente em 2015 recebeu mais de 4 milhões de visitantes em nove estados, é o primeiro do gênero do país registrado pelo Ibram – Instituto Brasileiro de Museus.

Em 2014, o Museu do Videogame Itinerante recebeu o prêmio do Ministério da Cultura como o museu mais criativo do país. Em 2016, foi um dos museus brasileiros escolhidos para representar o país no maior encontro de museus do mundo, em Paris.

De acordo com o curador do evento, Cleidson Lima, entre as relíquias estão o primeiro console fabricado no mundo, o Magnavox Odyssey, de 1972; o Atari Pong (primeiro console doméstico da Atari), de 1976; o Fairchild Channel F, de 1976 (primeiro console a usar cartuchos de jogos); o Telejogo Philco Ford, de 1977 (o primeiro videogame fabricado no Brasil); o Nintendo Virtual Boy, de 1995 (primeiro a rodar jogos 3D); o Vectrex, de 1982 (console com jogos vetoriais que já vinha com monitor); entre outros.

Um passeio pelo Museu do Videogame Itinerante é uma ótima atividade em família, onde pais e filhos podem compartilhar bons momentos sobre as mesmas paixões: videogames. Para mais informações sobre o Museu do Videogame, basta acessar o site.

Serviço: Museu do Videogame Itinerante no Shopping SP Market

Endereço: Av. das Nações Unidas, 22.540 – ao lado estação Jurubatuba – Linha 9 da CPTM
Período: de 8 a 30 de outubro de 2016 – GRATIS
Estacionamento: R$ 8,00 por 2 horas, e R$ 2,00 por hora adicional / Manobrista: R$ 9,00 a primeira hora e R$ 2,00 por hora adicional (carro). Moto: primeira hora R$ 4,00 e R$ 1,00 por hora adicional.
Informações: (11) 5682.3666 – www.shoppingspmarket.com.br

É hora de pegar! Pokémon Go está disponível no Brasil

Parece que a Niantic não estava mentindo quando disse que estava trabalhando duro para o lançamento de Pokémon Go no Brasil. Um dia após este comunicado, eis que o jogo mobile mais esperado da história já está disponível para download nas lojas App Store e Google Play. O game está disponível desde às 19hs desta quarta-feira (3).

Desde que foi lançaedo em julho nos mercados americano, australiano e em outras partes do mundo, o jogo rapidamente tornou-se um fenômeno cultural, lembrando muito a febre que assolou os anos 90 quando a série animada foi lançada. Para ter ideia, o lançamento de Pokémon Go foi forte o bastante para valorizar as ações da Nintendo, se tornar a aplicação a bater o Twitter e o Tinder e (pasme) ser tornar a coisa mais procurada da internet, ultrapassando buscas por pornografia. E você achando que os pokémons não estavam com mais nada…

Alguns fenômenos acompanharam o lançamento de Pokémon Go, como ondas de assaltos, acidentes de trânsito e lendas urbanas geradas dentro da aplicação. Vamos acompanhar se tais acontecimentos se repetirão aqui no Brasil, agora que a aplicação está liberada. O lançamento local é parte da estratégia da Niantic em levar o game para 200 mercados.

Sobre Pokémon Go

Para quem não conhece, Pokémon Go é um jogo gratuito para smartphones que faz uso da realidade aumentada e do GPS para levar os pokémons para o mundo real. Os objetivos são capturar e treinar as criaturas. De acordo com os produtores, existem 151 monstrinhos dentro da aplicação, sendo que em updates futuros serão disponibilizados mais pokémons.

Guia para iniciantes em Pokémon Go

Poucos jogos causaram impacto tão grande na comunidade de jogadores quanto Pokémon Go, o novo jogo de celular que utiliza realidade aumentada para trazer os pocket monsters para o mundo real. O título ainda não está disponível oficialmente no Brasil, mas no que depender da expectativa dos brasileiros podemos esperar uma recepção tão grande quanto teve nos EUA e em outras regiões do mundo. Pensando nisso, resolvemos criar um guia especial para iniciantes em Pokémon Go.

O que tem de mais em Pokémon Go?

Trata-se d um jogo para dispositivos móveis que utiliza a realidade aumentada e multiplayer online para transformar o mundo real em um mundo Pokémon. Assim você encontra centenas de monstrinhos e outros treinadores em suas andanças pelo mundo, sempre sendo notificado sobre pokémons nas proximidades. A ideia é capturar a maior quantidade de pokémons possível, tal como ocorria nos jogos para portáteis e nas animações.

A Nintendo desenvolveu Pokémon Go?

Na verdade não, apesar de Pokémon ser de propriedade da Big N, Pokémon Go na verdade é fruto de colaboração entre as empresas Niantic, Inc., a Nintendo e a The Pokémon Company. A etapa de desenvolvimento e criação das mecânicas ficou sob responsabilidade da Niantic, ou seja, é ela quem mais está lucrando com o jogo.

O jogo é bom? Por que é tão popular?

Pokémon Go teve críticas mistas pelos veículos especializados e pelos usuários. De acordo com o agregador Metacritic, Pokémon Go tem score de 68 pontos pela crítica e 5,5 pelas avaliações de usuários. Estimativas apontam que o aplicativo foi baixado por mais de 75 milhões de pessoas ao redor do mundo, tornando-o um dos jogos mais baixados de todos os tempos. A popularidade é tanta que a palavra Pokémon Go foi o termo mais buscado da internet durante várias semanas, superando inclusive buscas por pornografia.

A que se atribui a polêmica envolvendo o jogo?

Houve algumas polêmicas envolvendo Pokémon Go devido a alguns fatos inusitados envolvendo jogadores de Go, tais como acidentes de carros, assaltos, encontros com cadáveres e até ataques de hackers a usuários da aplicação. Recentemente o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse que “Pokémon Go promove a cultura da morte, incentivando a violência entre os jovens”, em entrevista à TV Venezuelana. O jogo em si não tem nada comprovadamente perigoso.

Como capturar Pokémons?

Ao encontrar um Pokémon, basta entrar no modo de captura e mirar o celular de frente para o monstrinho e arremessar a pokébola. O Pokémon pode tentar desviar ou rebater a pokébola, de modo que o jogador precisa ter precisão e astúcia para ser bem sucedido.

Onde encontrar os Pokémons?

Em qualquer lugar. Sim, pokémons podem habitar qualquer tipo de ambiente, tais como museus, parques, praias, ou a casa do jogador. Vale lembrar que pokémon selvagens podem aparecer no mapa, dependendo do tipo de região em que se encontra. Com isso, ao estar próximo a uma praia ou rio, por exemplo, será mais fácil encontrar Pokémon do tipo água. A dica é ficar atento ao indicado “nearby”.

Quantos pokémons existem? Posso trocar pokémons com um amigo?

Até o momento existem 151 pokémons no universo do jogo, mas a Niantic não esconde a intenção de aumentar a biblioteca de monstros através de upgrades futuros. Ainda não há a opção de trocar os Pokémons com um amigo localmente, mas essa é uma função que deve ser implementada em algum momento.

Como posso evoluir pokémons?

ara evoluir as criaturas basta cumprir pequenas missões ingame, tais como andar por 10km ou encontrar uma quantidade determinada de treinadores nas suas andanças. Além disso, é possível evoluir as criaturas treinando-as em ginásios. Funciona da seguinte forma: ao encontrar um estágio, você é obrigado a escolher um time, Vermelho, Azul ou Amarelo, cada qual representando a cor de uma das três aves lendárias, Moltres, Articuno e Zapdos. Se este ginásio for do mesmo time que o do usuário, ele pode treinar nele e evoluir seus Pokémon.

Mas e se o estágio for de uma equipe inimiga?

Caso você tenha encontrado um ginásio inimigo, então irá batalhar com todos os membros dentro desse estágio e, caso ganhe, poderá tomar este ginásio para o time ao qual pertence, tornando-se o dono dele. Neste modo de batalha, também pode-se optar por utilizar o modo câmera para ver o Pokémon batalhando no mundo real. Caso os itens acabem e não haja uma PokéStop por perto, o usuário pode optar por comprar itens na loja do jogo.

O que é PokeStop?

É o termo utilizado no jogo Pokémon Go que designa os pontos onde o jogador pode conseguir itens como poções, incensos, revives, doces, pokébolas (pokéballs), ovos (eggs) ou até mesmo Pokémons. Nestes locais, não há a necessidade de lutar para conseguir Pokémons quando estes estão disponíveis nos PokeStops, os demais itens também são gratuitos.

Para encontrar os PokeStops, o jogador deve se orientar pelo mapa do jogo e basta se aproximar com seu smartphone e pegar o que está disponível no local utilizando o aplicativo para girar o disco azul que irá aparecer. Há a possibilidade de simplesmente sair do PokeStop que os itens também serão apanhados, no entanto, não funciona se estiver em deslocamento com carro ou ônibus.

Os PokeStops podem estar localizadas em shoppings, monumentos, praças, parques e lugares públicos em geral. Existem maior concentração nas grandes cidades do que nas pequenas, mas em geral não é necessário um deslocamento muito grande para encontrar um, sendo que são mais comuns do que os ginásios.

O que é CP? E como posso aumentar?

CP é o indicador que mostra o poder total do seu Pokémon. Quanto maior o CP, mais forte ele é. Para aumentar a força do Pokémon, basta equipar a criatura com os itens StarDust e Candy (que são ganhos a cada nova captura de Pokémon). Cada aumento de CP exige uma quantidade determinado desses itens. Quando você tiver a quantidade necessária, basta clicar em Power Up e ver seu Pokémon ficar mais forte.

Como faço para evoluir o Pokémon?

Não é difícil fazer seu Pokémon evoluir, mas é necessário dedicação. Para isso, você deve selecionar seu Pokémon na seleção do menu e clicar em Evoluir. Mas ele somente poderá proceder com a evolução se estiver com a quantidade pedida de Candys, por exemplo, 25 Candys para evoluir um Charmander.

Tem microtransações?

Sim. As microtransações servem para comprar itens que melhoram a forçam do Pokémon, curem seus ferimentos ou comprar novas pokébolas. Naturalmente você precisará gastar dinheiro de verdade. Alguns itens ingame podem ser adquiridos apenas ao jogar, tais como as pokébolas, que são conquistadas em ginásios ou subir de nível.

Preciso criar uma conta para jogar?

Sim, mas se você for usuário do Android, basta fazer login pelo Google. Caso não queira atrelar sua conta do Google com suas aventuras no mundo Pokémon não tem problema: basta criar seu perfil desde o zero no Pokémon Trainer Club.

Quais cuidados básicos ao jogar Pokémon Go?

Conforme dissemos, o título não oferece perigos em si, mas já que há incentivo por sair caminhando você vai ter de tomar cuidados básicos como se estivesse fazendo qualquer outra atividade física. Se for fazer longas caminhadas, procure se hidratar. Preste atenção no trânsito e nas pessoas que o cercam. Tome cuidado para não tropeçar em buracos e demais obstáculos. Também não fique dando mole andando com o celular à mostra nos grandes centros urbanos, pois há muitas pessoas mal intencionadas em todas as regiões do Brasil e do mundo.

Pokémon Go está disponível no Brasil? Quando chega?

Até o momento não há previsão de chegada de Pokémon Go no Brasil. De acordo com a Niantic, há muita vontade em lançar o título em nosso país, mas os esforços estão por manter o game estável nas regiões previamente lançadas. Deste modo só nos resta aguardar. Rumores dão certo de que o aplicativo será liberado ainda neste ano para os usuários brasileiros. A dica é aguardar o lançamento oficial e ficar longe de versões que circulam na internet, pois elas podem estar carregadas por cavalos de tróia e outras surpresinhas desagradáveis.

É verdade que a CIA e o governo americano nos espionam com Pokémon Go?

Para ser franco, não há como sabermos ao certo. Apesar de ter cara de teoria conspiratória barata, há diversas outras teorias que se mostraram verdadeiras, como o caso do “Experimento de Tuskegee”. A teoria acerca de Pokémon Go não é muito diferente daquela que diz que o governo americano tem parceria com o Facebook e o What’s App para coletar informações dos usuários. O detalhe é que até mesmo algumas autoridades russas entraram nessa onda conspiracionista.

“Suponha que o monstrinho em questão não apareça em um parque, mas sim em uma instalação secreta onde um alistado ou outro soldado o capture e tire uma foto com sua câmera”, declarou. “É recrutamento de espontânea vontade e sem qualquer coerção. Essa é a forma ideal de serviços de inteligência para conseguir informações”, disse o major general russo (já aposentado) Aleksander Mikhailov, em entrevista à agência de notícias estatal RIA Novosti.

Um boato assustador é que o criador do jogo foi John Hanke, o mesmo resposnável pela empresa Keyhole, que em algum momento do passado recebeu patrocínio da CIA. De acordo com algumas pessoas, o uso da câmera, GPS e microfone do smartphone são peças fundamentais para a CIA coletar informações do interior das casas de todos os usuários de Pokémon Go. Seja como for, Pokémon Go permanece como o top app dos últimos meses ao redor do mundo.

Abaixo tem um trailer de Pokémon Go: