Arquivo da tag: lançamento

Estúdio brasileiro Mad Mimic estará na Playstation Experience para apresentar o jogo No Heroes Here

Você já ouviu falar do jogo No Heroes Here? Se ainda não conhece, pode ter certeza de que ainda vai ouvir falar muito desse jogo. E não é por menos: o game brasileiro é uma das grandes apostas da Sony para a próxima temporada. Prova disso é que o estúdio desenvolvedor Mad Mimic Interactive é um dos destaques da PlayStation Experience, que ocorre nos dias 9 e 10 de dezembro, no Centro de Convenções de Anaheim, Califórnia. 

Convidados pela Sony, os criadores de No Heroes Here terão um estande exclusivo no evento. O estande tera nada menos que 12 metros quadrados, onde os desenvolvedores apresentarão  o game ao grande público do evento e  responderão as dúvidas da comunidade. É muito raro estúdios brasileiros conseguirem a oportunidade de apresentar seus games em eventos internacionais desse porte.

No Heroes Here é um ‘Castle Defense’ cooperativo e multiplayer para até quatro jogadores. O jogo teve o incentivo da prefeitura de São Paulo e parte do seu desenvolvimento foi financiado pela SPCine. Sua produção durou cerca de um ano e as versões para Windows e Mac OS foram lançados em outubro deste ano, na plataforma digital Steam. Com diversos personagens selecionáveis e fases a serem exploradas, criar estratégias e cooperar com outros jogadores para o desfecho de cada desafio é o ponto alto da diversão em No Heroes Here.

Nos últimos meses, No Heroes Here esteve presente em diversos eventos nacionais e internacionais como a Brasil Game Show, a GamesCom, o DreamHack, a Tóquio Game Show, a Campus Party e a Argentina Game Show, com destaque para a PAX 10, uma seleção oficial de jogos independentes do evento feita por 50 especialistas do mercado de games mundial.

No Heroes Here conquistou alguns prêmios como melhor jogo brasileiro do Brazil Game Awards, melhor jogo social da Game Connection Development Awardse melhor som e melhor jogabilidade, no evento MAX. Além disso, teve outras nomeações importantes em eventos como o SBGames e o Indie Playground.

De acordo com a Mad Mimic, No Heroes Here estará disponível no primeiro semestre de 2018 para consoles e será lançado para Nintendo Switch, PlayStation 4 e Xbox One. Para saber mais e jogar as versões de Windows e Mac OS, acesse o site do game.

Abaixo tem o trailer de No Heroes Here:

Starlit Archery Club é o spin off mais divertido que você verá do fenômeno Starlit Adventures

Outro estúdio que está fazendo bonito, e bem bonito, é o Rockhead Games (RS), que foi um dos destaques do evento da Abragames: Casos de sucesso 2017 com o título Starlit Archery Club. Basicamente é um puzzle de combinar cores, à lá candy Crush ou Bejeweled, porém com a diferença que o foco está nas divertidas e empolgantes batalhas contra outros jogadores online.

Em Starlit o jogador precisa unir estratégia e precisão para vencer os adversários, além de ser rápido e bastante atento. Para facilitar a vida do jogador existem power ups destraváveis que garantem ótimas vantagens. Vale lembrar que há diferentes modos de jogo para o jogador passar mais tempo se divertindo.

Você deve ajudar os personagens Bo e Kikki em uma competição de arco e flecha com regras bem peculiares. Diferente de outros jogos do gênero, aqui a jogabilidade busca inovação, exigindo raciocínio rápido para decidir o melhor alvo a ser atingido e o power up mais adequado para cada situação. A mecânica gira em torno de capturar uma determinada zona vazia, pois elas esvaziam a energia do adversário, como em um game de luta.

De tempos em tempos surgem desafios especiais que fazem o jogador encarar chefões barra-pesada. Conforme o jogador avança, surgem novos mundos com desafios específicos e novos personagens. Em um dos modos de jogo o gamer deve vencer copas online contra adversários de todo o mundo se quiser evoluir.

De acordo com os desenvolvedores, além de divertir os usuários, Starlit Archery Club também é um belo estimulante cerebral, uma vez que instiga a agilidade e pensamento estratégico. Aqui não basta mirar determinados alvos, mas sim dominar as regras a fim de criar estratégias próprias e vencer os adversários. Nesse aspecto o game até lembra um eSport, já que para ser o vencedor você deve mirar mais do que suas próprias ações.

Para quem não conhece, o universo do game surgiu em Starlit Adventures em 2015, um game de aventura 2D para mobile. O título foi baixado mais de 10 milhões de vezes, recebendo destaque nas lojas online em que esteve presente. Além disso, a aventura de Bo, Kikki e companhia conquistou vários prêmios de melhor game ao redor do mundo. O sucesso foi tanto que até uma revista em quadrinho foi lançada e um piloto de série animada já está em produção. Graças a esse esmagador sucesso os produtores decidiram levar os personagens para um novo estilo de game.

O game Starlit Archery Club é free-to-play e estará disponível para free-to-play em 7 de dezembro de 2017 para Android e iOS.

Abaixo tem um trailer de Starlit Archery Club:

Necrosphere é o jogo da Cat Nigiri para quem busca desafio e não tem medo de perder vidas

Está aí procurando um jogo desafiador e cheio de personalidade? Sua busca termina aqui! Nosso destaque do dia é o jogo Necrosphere, da produtora indie brasileira Cat Nigiri. Aqui temos uma aventura ao estilo metroidvania cuja dificuldade é bastante elevada e vai fazer o jogador perder muitas vidas. O título esteve presente em diversos eventos de games e conquistou bastante espaço e atenção dos jogadores Brasil afora.

O protagonista de Necrosphere é o jovem Terry Cooper, um agente secreto que acaba indo para o mundo pós-vida e deseja voltar desesperadamente para o mundo dos vivos. Para isso, ele deve passar por centenas de obstáculos e armadilhas mortais. Necresphere é basicamente o lugar para onde vão as almas dos que morreram, tantos os bons como os maus.

Neste plano astral não há outras pessoas, ou seja, cada indivíduo é condenado a passar por seu próprio inferno. Não há nada a se fazer aqui, apenas esperar por toda a eternidade. Contudo existe uma maneira de sair deste ambiente inóspito, mas para tanto é necessário passar por diferentes obstáculos e alcançar uma portal capaz de te levar de volta à normalsphere, o mundo dos vivos.

A jogabilidade é bem simplista: apenas dois botões de ação. Apesar da alta dificuldade do game (lembra bastante o Super Meat Boy), Necrosphere tem uma curva de aprendizado rápida, de modo que os jogadores irão dominar os desafios facilmente. Já até rolam desafios speed run entre a comunidade de jogadores. Se você curte um desafio, este jogo é bastante indicado. De acordo com os produtores, o game tem cerca de 2,5 horas de gameplay.

Necrosphere já está disponível para PCs através da Steam. Há planos de levar o jogo para outras plataformas no futuro. Ah, se você ainda tem dúvidas quanto a qualidade do título, saiba que ele é nada menos que o grande vencedor da SBGames Curitiba 2017 nas categorias Júri Popular e Melhor Jogo.

Abaixo tem o trailer de Necrosphere:

DUAIK Entretenimento anuncia sequência de Aritana e a Pena da Harpia

Em 2015 o mundo dos games foi surpreendido pelo ótimo Aritana e a Pena da Harpia. Pois bem, passados dois anos a DUAIK Entretenimento anuncia a produção de Aritana 2. De acordo com os desenvolvedores, no novo título os jogadores irão conferir as consequências do desfecho do primeiro jogo, como a perda do Cajado de Fogo e a derrota do Mapinguari. A expectativa é que o game seja tão bom e inspirado quanto o anterior e desenvolva ainda mais os personagens.

A história de Aritana 2

Um misterioso mascarado está prestes a destruir a Grande Arvore Ypy, utilizando de um antigo poder para corromper tudo ao seu redor. Enquanto isso, a busca pelo poderoso cajado do pajé Raoni leva Aritana ao templo que abriga Ypy e que agora corre grande perigo.

O destino de Aritana será guiado pela antiga guardiã do templo, a Artesã, e juntos precisam impedir que o mascarado alcance o topo do templo e destrua Ypy. No caminho, Aritana provará novamente seu valor enfrentando novos desafios e portando uma nova arma, o arco e flecha.

Mudanças para a sequência

Embora Aritana 2 seja uma continuação do primeiro da série, a arte foi aprimorada e as mecânicas de jogo foram totalmente modificadas, deixando de ser um jogo de plataforma para se tornar um game de aventura em 3ª pessoa. Esta nova ambientação transporta o jogador para dentro do universo de Aritana, oferecendo maior imersão e desafiando o jogador a encontrar soluções para os desafios que aparecem durante a história.

Um exemplo disso é um novo sistema de crafting, que permite criação de armas, poções e outros itens dentro do jogo, garantindo maior diversidade de gameplay e trazendo maior diversão para o jogador. Além disso, em Aritana 2 o jogador poderá escolher o gênero do seu personagem, tendo pela primeira vez uma nova personagem jogável para explorar o mundo aberto do game.

Assim como no jogo original, aqui o jogador embarca em um mundo fantástico, repleto de desafios e conta com uma história envolvente. O mundo é repleto de monstros e desafios extremamente instigantes, cabendo a Aritana resolver o mais rápido possível para salvar o mundo.

Os produtores por trás do projeto prometeram que as primeiras informações serão divulgadas no evento Games Brasileiros: Cases de Sucesso, que acontecerá no dia 23 de Novembro, das 11h às 12h30, na Escola Britânica de Artes Criativas, no bairro de Pinheiros, em São Paulo.

Abaixo tem o trailer do primeiro Aritana e a Pena da Harpia:

Hora do Duelo! Yu-Gi-Oh! Duel Links já está disponível para a Steam

Há mais de uma década a franquia Yu-Gi-Oh tem feito absurdo sucesso no Brasil. Apesar de não se fazer onipresente na mídia nacional como na época em que estourou, o jogo ainda conta com uma base sólida e bastante dedicada no país. Não por acaso, a Konami acaba de lançar a versão para PCs de Duel Links. O jogo já conquistou milhares de jogadores nos celulares e desta vez está disponível na Steam com algumas melhorias muito esperadas.

Duel Links permite que os duelistas revivam as aventuras de Yami Yugi, Seto Kaiba e outros personagens adorados da franquia Yu-Gi-Oh! em uma competitiva batalha de cartas. Ah, vale lembrar que os personagens da saga GX também fazem parte do pacote de jogo. Na versão para PC de Yu-Gi-Oh! Duel Links, jogadores poderão recuperar suas pontuações da versão móvel do jogo e duelar uns contra os outros jogadores das plataformas móvel e PC.

Além de permitir o crossplay entre PCs e mobile, a Konami ainda fez um belo trabalho para os fãs do card game: em Duel Links os monstros estão com animações 3D incríveis e até as vozes dos dubladores japoneses estão inclusas. Infelizmente ainda existe a limitação de apenas três zonas de monstros.

Desde seu lançamento internacional em janeiro deste ano, o Yu-Gi-Oh! Duel Links já alcançou mais de 55 milhões de downloads, chegando ao topo do ranking de aplicativos gratuitos na App Store e na Google Play. O título é totalmente grátis. Por enquanto não há planos de lançar versão para consoles. Mais informações no site da Konami.

Abaixo tem o trailer de Duel Links para Steam:

Campeonato universitário de Heavy Metal Machines acontece na próxima terça-feira (21) na URI

O jogo Heavy Metal Machines está fazendo história! Desta vez o jogo da Hoplon terá um torneio amistoso entre alunos da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), no Rio Grande do Sul. A competição inédita acontece na próxima terça-feira, 21 de novembro. O mais interessante é que o torneio é organizado pelos próprios alunos.

A competição é exclusiva para alunos e será sediada no campus de Frederico Westphalen/RS. Ao todo serão oito times na disputa, que terá o formato de eliminação simples, ou seja, uma única derrota é o bastante para que a equipe seja eliminada. De acordo com os organizadores, será utilizada a plataforma Battlefy para sortear os confrontos. Como premiação, todos os jogadores do time campeão ganharão um mouse Razer Krait, itens do jogo e camisetas.

“O Brasil é um grande mercado consumidor de games e sempre notamos nos nossos alunos um enorme interesse pelos jogos eletrônicos. A Hoplon participou de uma aula inaugural na URI e o feedback dos alunos foi excelente. Alguns, inclusive, formaram uma equipe e participaram do campeonato sul-americano de Heavy Metal Machines, ficando em quarto lugar”, disse Rosângela Faschel, coordenadora do mestrado em Letras da URI. “Diante do interesse dos estudantes e a fim de fomentar o game nacional, decidimos ampliar essa parceria entre URI e Hoplon com um campeonato de Heavy Metal Machines. Temos certeza que será um sucesso e esperamos um dia participar de torneios interuniversidades”, completou.

Esta não e a primeira vez que universitários organizam um torneio de Heavy Metal Machines: no ultimo dia 11 de novembro a Universidade do Vale do Itajai (Univali) recebeu o primeiro torneio do jogo e contou com partidas frenéticas. A expectativa da Hoplon e que esses torneios se tornem mais frequentes e mobilizem diversas universidades pelo Brasil e no exterior. Interessados em realizar torneios oficiais de Heavy Metal Machines em suas universidades podem entrar em contato com a Hoplon pelo e-mail marketing@hoplon.com.

Para quem não conhece, Heavy Metal Machines (HMM) é um jogo multiplayer online de batalha de carros free-to-play da desenvolvedora catarinense Hoplon. Ele coloca carros armados até os dentes em combates nas arenas mais surreais imaginadas. Lembra algo de Rock n Roll Racing e Twisted Metal. Heavy Metal Machines está disponível em beta aberto no Steam e pode ser baixado gratuitamente.

Abaixo tem um trailer de Heavy Metal Machines:

Solte sua voz para vencer os obstáculos em Ressonance – The Lost Score

Para fazer sucesso, um jogo indie deve inovar em algum sentido, certo? Se você pensa assim, te apresento Ressonance – The Lost Score, um jogo de plataforma musical em que a principal arma do jogador é a voz. Sim, aqui você utiliza um microfone para interagir com o cenário. O game esteve presente na BGS 2017 e foi uma das gratas surpresas do evento neste ano.

A trama é simples, porém divertida: você deve ajudar o jovem Wez a encontrar a Partitura Perdida. A partir daí o jogador deve passar pelos mais diferentes obstáculos para chegar até a misteriosa partitura. Para tanto, use sua voz para passar por obstáculos diversos, utilizando-se da frequência correta para ter sucesso. Ele lembra algo do quase desconhecido In Verbis Virtus.

A mecânica gira em torno da frequência da voz. Não adianta se esgoelar, a ideia aqui é usar o tom de voz adequado para interagir com o cenário. Existem algumas plataformas que só se movem com o som certo, ou seja, para fazê-la avançar você deve utilizar sua voz na frequência correta e mantê-la até o final. Se você fraquejar a voz, a plataforma retorna para o local de origem.

A princípio parece um jogo de plataforma comum, ou seja, você vai pular plataformas e diversos obstáculos seguindo a premissa de ir da esquerda para a direita. A diferença é que o controle principal é um microfone. Os principais obstáculos são cúpulas de vidro que são destruídos de acordo com a vibração que o jogador emite. Mas não basta apenas ficar gritando: cada obstáculo necessita de uma entonação específica. As frequências são simbolizadas por círculos de diferentes cores para ilustrar a entonação necessária.

Resonance – The Lost Score esteve presente na BGS 2017 no estande da PONG (Potiguar Indie Games), onde os jogadores podiam testar o game com um microfone profissional, mas os desenvolvedores já adiantaram que qualquer microfone pode ser ajustado para o jogo. O game está atualmente disponível na plataforma itch.io por U$ 1,99. Recentemente o jogo conseguiu sinal verde na Steam com previsão de lançamento na plataforma em algum momento do primeiro semestre de 2018.

Abaixo tem o trailer de Ressonance – The Lost Score:

Conheça o indie brasileiro Memories of Kami, o primeiro game da Yokai Collective Studio

Hoje vamos falar de um game indie brasileiro bastante promissor: Memories of Kami. Desenvolvido pela Yokai Collective Studio, o jogo é uma aventura de plataforma 2D com elementos de RPG. Aqui os jogadores embarcam no mundo mágico de Kami, habitado por Origamis, onde deve assumir o papel de nove guardiões que devem impedir as forças malignas de uma terrível contaminação que pretende devastar e destruir os seres vivos.

A grande sacada do jogo é sua mecânica baseada na troca de personagens a fim de tomar proveito de suas respectivas habilidades únicas. Estes personagens são caracterizados por nove animais sagrados – os guardiões da glória. Um dos aspectos que mais chamaram as atenções de quem conheceu Memories of Kami durante seu début na BGS 2017 foi o estilo visual, que lembra o consagrado Ori and the Blind Forest, mas a verdade é que o título tem inspirações mais antigas como Donkey Kong Country do Snes.

A trama: Kami é um mundo mágico habitado por criaturinhas de papel chamadas Origami. Esse mundo de luz e bençãos, onde todas as coisas boas do universo fluem abundantemente é, de tempos em tempos, atacado pela energia negativa de outros mundos. Os ataques de energia escura são chamados pelos habitantes de Kami de Incidentes. Quando a magia negra adentra Kami, ocorrem várias manifestações como doenças, acidentes, e qualquer tipo de desordem ou desgraça. Mas os Incidentes, geralmente não são nada demais, pois logo que surgem são combatidos e derrotados pelos nove famosos Sagrados Guardiões da Glória de Kami.

Os Guardiões da Glória são poderosos animais escolhidos pelo Destino e têm como dever eliminar toda e qualquer energia ruim que surge no belo paraíso de Kami. Não é preciso de todos os noves Guardiões para acabar com os Incidentes comuns. Mas a cada mil anos, um Incidente poderoso invade Kami, e esse sim, representa uma ameaça que necessita do poder de todos os Guardiões, juntos, para ser eliminado. Este Incidente grave é chamado de A Contaminação dos Mil Anos. E dessa vez, a Vigésima Sétima Contaminação dos Mil Anos veio muito mais feroz e irresistível, determinada a destruir de uma vez por todas o fantástico mundo dos nossos Guardiões.

Sua missão é guiar estes guardiões em uma busca pelos resquícios de energia que podem restabelecer Kami. Para tanto você adquire habilidades e poderes que lhe conferem novas transformações. Tal como num jogo de RPG, o jogo gratifica o jogador de acordo com seu estilo de jogo, graças a árvore de habilidades, ou seja, se você for do tipo defensivo, vai se tornar um grande defensor ao final da jornada.

Memories of Kami tem previsão de lançamento para 2018, sendo que uma demo deve ser lançada oficialmente em algum momento de maio do mesmo ano. Por enquanto o jogo é apenas para PC, mas os desenvolvedores esperam conseguir portar o título para Xbox One e Playstation 4. Mais informações no site oficial.

Abaixo você confere o trailer de Memories of Kami:

Dragon Raja, o sucesso da Coréia ganha jogo para dispositivos mobile

Provavelmente você ainda não ouviu falar de Dragon Raja, mas há uma chance de esta obra coreana desembarcar no ocidente e fazer tanto sucesso quanto tem feito na Ásia. O livro foi escrito por Lee Yeongado e é comumente comparado a Harry Potter graças ao seu ambiente de fantasia e ficção. Pois bem, a Publisher Playwith está apostando nesta franquia e por isso, está lançando para toda América Latina o jogo oficial de Dragon Raja.

O game segue os acontecimentos mais importantes dos 12 volumes dos livros, em um estilo de Action-RPG. Tal como um jogo do gênero, os jogadores podem esperar bastante ação e combates ferrenhos. Um dos destaques é que há a possibilidade de combate 30 vs 30 em PvP, em tempo real. Os cenários são bem desenhados e passam bem o clima de ficção e fantasia dos livros.

De acordo com os responsáveis por Dragon Raja, o game possui efeitos impressionantes que tiram o máximo proveito dos aparelhos celulares, graças as animações de personagens e a mistura de suspense, drama e romance. A missão principal dos jogadores é salvar o mundo de Bisus de um terrível dragão que aterroriza o reino por mais de 20 anos.

Para quem já conhece a série de livros, pode esperar rostos familiares, pois há a possibilidade de encarnar cinco dos personagens centrais das obras, sendo que eles possuem habilidades especiais únicas. Como não poderia deixar de ser, há dezenas de dungeons, incluindo a infinita e terrível “abyss”. O título está disponível para download gratuito para iOS e Android em toda América Latina.

Confira abaixo o trailer de Dragon Raja:

ABCDE anuncia a primeira temporada da Superliga de League of Legends

Se você é fã de League of Legends e tem um clube do coração, fique atento: mais um torneio deve reunir as equipes mais badaladas do Brasil. A partir do dia 4 de novembro, terá início a primeira temporada da Superliga ABCDE de League of Legends. Organizada pela Associação Brasileira de Clubes de eSports (ABCDE), a competição terá como um de seus principais papeis estender o calendário da modalidade no Brasil. A Superliga será disputada por dez clubes filiados à associação entre novembro e dezembro.

O torneio será organizado pela ESL Brasil e terá a participação dos seguintes 10 clubes: Brave eSports, CNB eSports Club, INTZ eSports Club, Kabum eSports, Vivo Keyd, paiN Gaming, ProGaming eSports, Operation Kino, Team One eSports e T Show eSports Club. Todos os participantes são membros da ABCDE.

“É com enorme alegria que comunicamos a criação deste torneio. Uma das premissas da ABCDE é fomentar os eSports no Brasil, e acho que esse é um passo muito importante para todas as partes. É a chance dos torcedores de League of Legends se aproximarem ainda mais de seus ídolos. Estamos atendendo ao pedido de toda a comunidade. É um marco para o League of Legends nacional”, afirma Carlos Fonseca, presidente da ABCDE.

Os 10 participantes da Superliga serão divididos em dois grupos de cinco equipes cada. Os times jogarão entre si, em sistema de turno e returno. As disputas na fase inicial serão em melhor de dois (md2). Os dois primeiros colocados de cada grupo se classificarão para as semifinais. As fases eliminatórias serão jogadas em melhor de cinco (md5).

As disputas serão presenciais. Serão quase 80 jogos até o fim da competição – número que eleva a quantidade de partidas realizadas pelos clubes brasileiros e vai auxiliar no desenvolvimento técnico do cenário.

“Quanto mais jogos pudermos fazer, melhor para todos. Para os jogadores, times e, sobretudo, os fãs de LoL. E a competição é pensada para ajudar exatamente neste aspecto. O torcedor agora terá ainda mais contato com o cenário competitivo. É um torneio que só tem a agregar ao circuito. Esperamos que seja o primeiro grande passo da nossa associação”, analisa Fonseca.

A decisão da Superliga será realizada em dezembro. Todas as partidas serão transmitidas via Youtube e Twitch. Mais detalhes no site da Associação.