Arquivo da tag: lançamento

Surfista brasileiro Gabriel Medina estrela seu próprio jogo mobile

E não é que Gabriel Medina, o 1º Brasileiro Campeão Mundial de Surf, ganhou seu próprio game? O jogo Go! Medina, chega aos celulares e tablets e pode ser baixado gratuitamente nos dispositivos móveis que utilizam os sistemas operacionais Android a partir de agora. Uma versão para iOS será lançada em agosto. Aqui os jogadores devem realizar manobras radicais nos circuitos mais desafiadores do mundo do surf.

Em Go! Medina, o jogador customiza seu personagem / surfista, e vai ter o privilégio de aprender a surfar com o campeão Medina, com dicas de seu técnico e padrasto, conhecido carinhosamente como “Charlão”. A partir daí, terá de seguir a própria carreira no Circuito de Surf. Quanto melhor for seu desempenho, melhores serão suas recompensas – que permitirão que o surfista adquira novos equipamentos, como pranchas, roupas, consumíveis e manobras especiais. Outra forma de evoluir no game é comprando itens. O modelo de negócios é free-to-play com venda de itens.

Destaque especial para a Ilha Medina, onde os jogadores poderão se divertir surfando em disputas de corridas contra o tempo, obstáculos e práticas do free surf. O game contará com um painel interativo incluindo a Rotina do atleta, acesso a promoções e conteúdos exclusivos. Ainda está previsto um e-commerce, onde serão comercializados produtos licenciados.

“É muito legal ver que as pessoas que acompanham a minha carreira poderão ficar mais próximos, através desse game que está fantástico. Nós fizemos um jogo para mostrar as emoções que sinto ao surfar e tenho certeza que a galera que curte o esporte, a galera do surf, vai se amarrar. Tudo foi pensado para ser o mais próximo do que eu vivo, de forma divertida e fácil de se jogar. Os cenários, os personagens são bem reais e construídos com muito carinho pela equipe de desenvolvimento. Está maneiríssimo”, diz Medina.

Mais sobre o Go! Medina

Go! Medina é publicado pela SOMA (+), empresa carioca cujo foco é promover games estrelados por personalidades – atletas, artistas e influenciadores. De acordo com os responsáveis pelo projeto, o game será disponibilizado no mercado global em cinco idiomas. Português e Inglês no seu lançamento, e nos próximos meses em Francês, Espanhol e Chinês. O game chega em um momento em que há muitos brasileiros disputando na elite do surf. Gabriel Medina já um dos ícones do Brasil no esporte, tal como Guga foi para o Tênis e Senna foi para o automobilismo.

A SOMA (+) entende que o Gabriel Medina é o cara certo para o lançamento do seu primeiro produto no mercado de jogos, uma vez que é um jovem de sucesso, e inspira milhares de pessoas ao redor do mundo – é talentoso, carismático e consegue atingir desde o público infantil aos quarentões.

Conheça o comovente jogo indie brasileiro White Lie

White Lie é ideal para quem procura por uma aventura diferente de tudo que já se viu. O jogo conta a comovente história de Greg, um coelho de pelúcia buscando por sua dona desaparecida em um mundo surreal e desolado. O projeto é de autoria do estúdio Ambize e uma das suas características mais marcantes é sua direção de arte desenhada a mão e colorida em tons sépia que complementa e intensifica as sensações e a ambientação solitária vivida durante o jogo. Podemos destacar o minucioso trabalho artístico do game.

O coelho Greg deve superar os desafios de seu passado com Emma se quiser descobrir a verdade por trás de tudo o que está acontecendo. De acordo com os desenvolvedores, a ideia de White Lie surgiu quando os envolvidos na produção refletiam o que podiam fazer de diferente para criar um jogo com um história emocional. O resultado foi um game inspirado por contos de fada e desenhos japoneses.

White Lie foi um dos ganhadores do edital de games da Spcine que aconteceu no fim de 2016 e também  da terceira turma da Core Labs Game Accelerator. O foco principal do jogo é contar uma história emocional sobre o relacionamento entre uma menina e seu brinquedo favorito, a lealdade dos dois e como sempre pertencerão um ao outro. É interessante notar a temática do coelho, também presente na literatura, histórias em quadrinhos e cinema.

O game tem uma jogabilidade simples e o foco não é o combate ou mecânicas elaboradas, mas sim a jornada. Espere por diálogos comoventes e cenas de arrepiar. Não por acaso, White Lie foi um dos premiados do edital da SPCine no fim de 2016. O game é exclusivo de PCs e você pode conferir mais detalhes no site oficial.

Abaixo tem o trailer de White Lie:

Projeto Terror Imersivo está em campanha de crowdfunding

Para quem curte histórias de terror, a dica é o projeto “Terror Imersivo”, criado pelo game designer Leandro Siqueira, que nada mais é que uma coletânea de 10 livros-jogos em formato de aplicativo. São dez histórias de terror que tem potencial para entreter adultos e crianças. Aqui os jogadores devem explorar fases e resolver mistérios para sobreviver, porém, ao invés de um jogo tradicional, o foco está no enredo e não nas mecânicas de jogo.

Terror Imersivo está em campanha de crowdfunding no apoia.se. De acordo com o desenvolvedor, escolher o formato de aplicativo permite dar uma liberdade e interação maior ao jogador. Para que o público pudesse entender melhor o projeto foi disponibilizado um demo de uma das histórias que compõe o aplicativo, o “cemitério do desespero“.

Esta demo pode ser baixada para Android ou para PC. Os demos são apenas para entendimento do projeto, o produto final será muito superior, promete Leandro. O valor arrecadado na campanha vai pagar os profissionais envolvidos no projeto como artistas, revisores de texto e programadores.

Segue abaixo os títulos de cada livro-jogo que compõe o Terror Imersivo:

– Cemitério do Desespero.

– 2 minutos para a meia-noite.

– A tumba do rei maldito.

– Vila Fantasma.

– Floresta sangrenta.

– Fim da linha.

– A morte está no quarto ao lado.

– 7 meninas.

– Pânico na estação.

– O Abismo profundo.

 

Abaixo tem o vídeo explicativo do projeto Terror Imersivo:

Derrote a invasão alienígena no shmup Esquadrão51

Quem curte shmups sabe que o gênero é um dos mais divertidos e reconhecidos da geração 16-32 bits. Infelizmente os produtores de jogos parecem ter esquecido este gênero de jogos, mas vez ou outra surgem pérolas que merecem atenção especial. Este é o caso de Esquadrão 51, um jogo indie brasileiro que te coloca em um combate ferrenho contra invasores alienígenas.

Tal como na maioria dos shmups, aqui você pode esperar chuvas de tiros e muita ação. Na breve descrição do enredo é dito que formas de vida alienígena enganaram e exploraram a raça humana por tempo demais. Para libertar a humanidade do julgo extraterrestre, cabe ao jogador pilotar um avião de guerra para combater os inimigos.

Essa invasão foi orquestrada pela Corporação Vega, que veio com a promessa de ajudar a humanidade a desenvolver a própria tecnologia, porém as coisas se converteram numa ditadura baseada na violência e exploração. Assim é formado o Esquadrão 51, a única esperança de derrotar os invasores alienígenas.

Quem esteve no BIG Festival 2017, maior evento de jogos independentes da América Latina, pôde conferir em primeira mão o Esquadrão 51, pois ele estava presente para testes e foi indicado aos prêmios de “Melhor Jogo Brasileiro” e “Melhor Arte”. Ambas as indicações são bastante justas, visto que a arte em preto e branco são extremamente chamativas e há ótimos efeitos gráficos de explosões e as naves inimigas possuem muitos detalhes.

Parece que a inspiração do jogo foram os inúmeros vídeos e documentários sobre OVNIS dos anos 50/60, além dos filmes de ficção da época, pois além do design em preto e branco, o design das naves remetem claramente as aeronaves do final da segunda guerra mundial. A primeira nave utilizada é um Republic P-47 Thunderbolt. Esquadrão 51 foi desenvolvido por Marcio Rosa, que fez o possível para homenagear os grandes jogos de navinha dos anos 90. O game é bastante nostálgico e uma verdadeira ode ao gênero.

Abaixo tem o trailer de Esquadrão 51:

Conheça o jogo de terror e stealth Hello Neighbor

Hoje vamos falar de um jogo ainda não lançado, mas que demonstra potencial para se tornar um dos indies mais divertidos da temporada. Hello Neighbor, um jogo da produtora independente tinyBuild que mistura terror e stealth de maneira engenhosa. Aqui você encarna um garoto que está numa missão de invasão na casa de um vizinho bastante suspeito. Parece que os desenvolvedores buscaram inspiração no filme A Casa Monstro, pois até mesmo o estilo visual é bem cartunesco.

Você é o novo morador do bairro e em pouco tempo percebe que um de seus vizinhos age de maneira estranha, como se estivesse escondendo algo no porão. A coisa mais lógica a fazer é investigar a casa por si próprio e descobrir que mistérios estão escondidos lá. Porem a tarefa não é simples, pois a casa esconde várias armadilhas. Cabe ao jogador utilizar a inteligência e habilidade para fugir das diversas armadilhas e resolver os puzzles até descobrir o grande segredo da estranha casa.

O jogo é em primeira pessoa, de modo que o jogador se sente na pele do garoto. Não faltam momentos de tensão ao longo do game, pois o jogador deve investigar a casa sem se deixar ser pego pelo vizinho que está em constante alerta. A ideia é tentar entrar na casa sem ser pego, mas a cada vez que você é encontrado o vizinho aprende com sua tática anterior, de modo que você deve elaborar um novo truque.

Hello Neighbour é um jogo furtivo de terror sobre invadir a casa do vizinho. Um dos elementos mais significativos é inteligência artificial avançada, capaz de evoluir em conjunto com o jogador. O vizinho será controlado pela inteligência artificial, que irá aprender com as ações do jogador.”, disse Yulia Vakhrusheva, produtora do jogo.

Hello Neighbor está na 4º fase alfa e já pode ser adquirido através do GoG. O lançamento oficial está agendado para o dia 29 de Agosto. Para celebrar sua eminente chegada, o resto do catálogo da tinyBuild, desenvolvedora do jogo, e alguns outros games de furtividade estão em promoção, com até 80% de desconto na GoG.

Abaixo tem o trailer de Hello Neighbor:

Finalistas do BIG Festival #05: Wuppo

Por fim vamos falar sobre o quinto, mas não menos importante, game a disputar o grande prêmio de Melhor Jogo do Ano do BIG Festival 2017, o maior evento de jogos independentes da América Latina. Estamos falando de Wuppo, da produtora Knuist & Perzik, da Holanda. O título mistura ação, aventura, RPG e plataforma 2D em um mundo colorido e bastante vibrante. Não por acaso, este é um dos mais frtes candidatos ao título máster.

A primeira coisa a chamar as atenções em Wuppo é seu estilo artístico extremamente caprichado, totalmente desenhado à mão.  A impressão é de estar jogando um desenho animado, pois o jogo é um dos mais bonitos já vistos. Aparentemente os desenvolvedores colocaram toda a dedicação no projeto, desde a parte visual até as mecânicas.

O enredo conta a história do pequeno Wum que é expulso de um hotel após uma confusão envolvendo sorvete. A partir daí, o personagem deve procurar um novo lar, passando por diversas localidades, das mais pacíficas até as mais perigosas. Do porto metropolitano de Popocity até a cavernosa Bliekopolis, nosso Wum descobrirá lugares mágicos e encontrará criaturas estranhas.

Mas esse Wum não é um herói tradicional e só sua inteligência e seu charme podem ajudá-lo nessa aventura desafiadora. Nesta jornada surgem inimigos perigosos e puzzles desafiadores para testar a inteligência do jogador. Pode esperar por um jogo que preza mais a jornada do que as mecânicas em si, tal como o famoso Journey, porém com seu próprio brilho.

Wuppo é um jogo bastante sensível, de modo que durante a jornada o jogador encontra diversos personagens com seus próprios problemas e desafios, que são expostos em diálogos comoventes. Cabe ao jogador ajudar os NPCs que surgem a todo o momento. A mecânica lembra algo de Zelda.

O título é bem simples de se aprender, não oferecendo dificuldades nas batalhas ou nos quebra-cabeças. O objetivo é que o game seja amigável para jogadores de todas as idades, combinando perfeitamente com os visuais até infantis. Wuppo está disponível para PC e pode ser adquirido através da Steam e GoG.

Abaixo tem o trailer de Wuppo:

Finalistas do BIG Festival #03: Figment

A Dinamarca não é um país muito conhecido pela produção de jogos digitais, mas é justamente de lá quem vem um dos destaques do BIG Festival: Figment. O título é da desenvolvedora Bedtime Digital Games, que aposta num conceito lúdico e em visuais caprichados para agradar o jogador. Não por acaso, o título concorre nas categorias Melhor Jogo, Melhor Narrativa e Melhor Arte do BIG 2017.

Figment é um jogo de ação e aventura com quebra-cabeças ambientado em um universo de sonhos com grande ênfase musical. Todo o jogo se passa na cabeça de um homem de 40 anos cuja mente é atormentada pela ansiedade e o estresse. Assim, o ambiente se parece com um mundo de fantasia extraordinário, onde tudo se transforma diante dos olhos. É neste mundo de sonhos que habitam Dusty e Piper, as protagonistas do jogo.

A missão dessas garotas é explorar a mente deste homem, cuja identidade é um mistério durante todo o game. Dusty e Piper devem resolver puzzles e corrigir os problemas do misterioso homem, além de combater pesadelos e restaurar um espírito fragilizado. Sim, toda a aventura é lúdica e o tema é bastante introspectivo.

O estilo visual é o grande chamariz do game, de modo que ele é um dos títulos mais impactantes que o visitante verá no BIG Festival 2017. O resultado de tanta beleza deve-se ao fato de que Figment foi todo desenhado à mão em perspectiva isométrica. Una-se ao conjunto da obra o fato de que o game possui melodias cativantes e bem diversificadas. Os puzzles são simples, porém mantém o jogador entretido.

Figment é um mundo surreal preenchido pelos mais profundos pensamentos, desejos e memórias, habitado pelas muitas vozes que se ouve na cabeça. Esta mente permaneceu calma durante muito tempo, mas graças ao estresse, novos pensamentos emergiram tomando a forma de criaturas assustadoras que espalham o medo por onde passam. A única esperança é que o carrancudo Dusty, a antiga voz da coragem da mente, consiga regressar à sua antiga forma e ajude a mente a combater os seus medos”, diz o release do game.

Figment está disponível para PC, Xbox One e Playstation 4. Ele é altamente indicado para quem curte jogos de quebra-cabeças e narrativas lúdicas e cheias de simbologia. Há quem compare a história e simbologia com o megassucesso Braid, graças à história cativante e universo de jogo fantástico.

Abaixo você confere o trailer de Figment:

Conheça o RPG brasileiro que ensina Química: O Olho do Dragão

Imagine um RPG com visuais e jogabilidade da geração 8-16 bits, porém com uma proposta de ensinar conceitos de química aos jogadores? Essa mistura maluca é o que dá origem à Olho do Dragão, o role playing game do estúdio indie Constellações. O título lembra muito clássicos como Final Fantasy e Chrono Trigger e tem tudo para agradar apaixonados por RPGs de turno.

Olho do Dragão ensina Química através de sua narrativa, um game de entretenimento com foco na passagem de conhecimento. O título está em desenvolvimento desde o final de 2016 e de cara chama a atenção seus visuais em pixel art extremamente trabalhados e a trilha sonora à lá chiptune. É sério: parece que o game saiu do túnel do tempo!

O enredo de Olho do Dragão circunda o conflito no reino de Trae entre os dragões e os humanos que dominam a arte da alquimia e cobiçam os olhos dessas criaturas fantásticas devido a sua beleza e poder. A partir daí o jogador pode controla um grupo de heróis em expedições para caçar dragões, ou se preferir controlar os dragões em combates pela própria sobrevivência. A trama é bastante densa e conta com detalhes sobre a formação das cidades e das forças de ataque dos humanos.

Este RPG possui dragões e humanos como protagonistas e mostra um novo conto sobre a sociedade e a origem destas duas espécies. A proposta deste game é permitir que jogadores estudem enquanto jogam e que estudantes joguem enquanto estudam, para isso o conteúdo da disciplina de Química foi incluído no enredo, como por exemplo ao explicar o processo de combustão ao responder à pergunta: “Por quê dragões cospem fogo?

O lançamento para Windows, Android e iOS acontece no segundo semestre de 2017, mais detalhes podem ser conferidos no site do game.

Abaixo tem um teaser de Olho do Dragão:

Isaac e o Enigma do Explorador é jogo indie de terror ambientado na região de SC

A dica é para quem procurar um jogo aterrador e repleto de mistério: o Laboratório de Tecnologias Computacionais – LabTeC – da Universidade Federal de Santa Catarina – acaba de lançar o jogo Isaac e o Enigma do Explorador, um título que coloca o jogador no papel de um jovem garoto em uma missão para resolver o mistério por trás do desaparecimento de seu avô. O game é repleto de momentos de tensão e muitos puzzles.

A trama começa após Isaac descobrir um cofre misterioso do Museu Histórico de Araranguá que contém pedaços de pergaminhos. Esse documento é parte de uma pista que o direciona até a Mina de Visitação Octávio Fontana em Criciúma. Dentro desse ambiente, o menino explora com uma lanterna que pode ser a luz que orienta o seu caminho, além de proteger dos perigos que somente a escuridão esconde.

O jogo se passa na cidade de Araranguá, que é a localização do LabTeC. Ou seja, além de transmitir uma sensação de pura tensão, o game permite ao jogador viajar pela história das cidades de Araranguá e Criciúma. A ideia é que o jogador tenha a sensação de estar em um ambiente mais realista. Perigosos desafios surgem a todo o instante e Isaac precisa ser cauteloso para que consiga ir até o fim em sua aventura.

Um dos pontos altos de Isaac e o Enigma do Explorador é a exploração das minas de Criciúma, pois ali a sensação de horror psicológico se torna mais denso. Aqui o jogador vai adentrar por subterrâneos lúgubres e frios, andar por um cofre misterioso, recolher lanternas e itens para se proteger de monstros horrendos. Os sustos são bem frequentes.

Como se não bastasse, Isaac deve resolver diversos puzzles e enigmas sobre as cidades de Araranguá e Criciúma, pertencentes ao sul de Santa Catarina. A intenção dos desenvolvedores foi de que os jogadores apreendessem sobre a história da região e seus pontos turísticos se divertindo. Durante o jogo pode-se recolher itens para montar um altar mágico e uma profecia misteriosa.

Apesar do clima pesado, Isaac não chega a afastar jogadores acostumados a jogos como Slender the Eight Pages ou Silent Hill, pois o enfoque é mais didático, o jogador vai aprender mais sobre os pontos turísticos de Araranguá e Criciúma de maneira prática e divertida. Para download gratuito do jogo, além de mais informações sobre o projeto, você pode acessar o site oficial do jogo.

Abaixo tem o trailer de Isaac e o Enigma do Explorador:

Distortions recebe o sinal verde e entrará para a Steam

Outro dia falamos sobre a campanha de Distortions na Steam. Agora voltamos a falar do jogo pois há uma excelente notícia: ele recebeu o sinal verde e entrará para a Steam. O título da Among Giants, conquistou o 53º lugar no ranking dos maiores títulos do Greenlight e somou mais de 2900 votos positivos. Assim, os usuários poderão baixar o jogo em breve na plataforma de jogos mais populares do mundo.

A notícia foi recebida pelos produtores na madrugada do dia 12 de junho e chegou para trazer ainda mais ânimo para a reta final de produção do Distortions. A primeira versão jogável do Distortions estará disponível no estande do jogo no BIG – Brazil’s Independent Games Festival e os fãs poderão ter seu primeiro contato com o game, conversar com os produtores e deixar seu feedback sobre o projeto.

“Estamos trabalhando muito para conseguir uma versão demo muito bem lapidada para o BIG e estamos confiantes de que vamos entregar um jogo memorável”, afirmou Thiago Girello, produtor chefe do Distortions. “Ficamos muito felizes em ter chegado nos 100 maiores do Greenlight e quando estávamos nos aproximando dos 50 o Greenlight foi descontinuado”, completou Thiago Girello

Para quem não conhece, Distortions trata-se de um game em 3D em terceira pessoa ambientado em um cenário surreal, que mistura suspense, drama e musical. Você controla uma garota que acorda em um quarto estranho e desconhecido. Sem entender o que se passa ou onde está, a jovem começa a investigar o quarto, mas para seu desespero percebe que o tempo parece estar parado e os objetos congelados, como se a gravidade já não mais existisse.

Distortions

A partir daí, o jogador deve conduzir a jovem através de um mundo vasto e solitário, na tentativa de descobrir respostas para os mistérios que a rodeiam. O estúdio espera entregar um jogo com viés artístico que possa cativar os jogadores com sua trama densa e ambientação belíssima. Mais informações de Distortions estão na página oficial no Facebook.

Abaixo tem o trailer de Distortions: