Arquivo da tag: lançamento

Conheça o RPG brasileiro que ensina Química: O Olho do Dragão

Imagine um RPG com visuais e jogabilidade da geração 8-16 bits, porém com uma proposta de ensinar conceitos de química aos jogadores? Essa mistura maluca é o que dá origem à Olho do Dragão, o role playing game do estúdio indie Constellações. O título lembra muito clássicos como Final Fantasy e Chrono Trigger e tem tudo para agradar apaixonados por RPGs de turno.

Olho do Dragão ensina Química através de sua narrativa, um game de entretenimento com foco na passagem de conhecimento. O título está em desenvolvimento desde o final de 2016 e de cara chama a atenção seus visuais em pixel art extremamente trabalhados e a trilha sonora à lá chiptune. É sério: parece que o game saiu do túnel do tempo!

O enredo de Olho do Dragão circunda o conflito no reino de Trae entre os dragões e os humanos que dominam a arte da alquimia e cobiçam os olhos dessas criaturas fantásticas devido a sua beleza e poder. A partir daí o jogador pode controla um grupo de heróis em expedições para caçar dragões, ou se preferir controlar os dragões em combates pela própria sobrevivência. A trama é bastante densa e conta com detalhes sobre a formação das cidades e das forças de ataque dos humanos.

Este RPG possui dragões e humanos como protagonistas e mostra um novo conto sobre a sociedade e a origem destas duas espécies. A proposta deste game é permitir que jogadores estudem enquanto jogam e que estudantes joguem enquanto estudam, para isso o conteúdo da disciplina de Química foi incluído no enredo, como por exemplo ao explicar o processo de combustão ao responder à pergunta: “Por quê dragões cospem fogo?

O lançamento para Windows, Android e iOS acontece no segundo semestre de 2017, mais detalhes podem ser conferidos no site do game.

Abaixo tem um teaser de Olho do Dragão:

Isaac e o Enigma do Explorador é jogo indie de terror ambientado na região de SC

A dica é para quem procurar um jogo aterrador e repleto de mistério: o Laboratório de Tecnologias Computacionais – LabTeC – da Universidade Federal de Santa Catarina – acaba de lançar o jogo Isaac e o Enigma do Explorador, um título que coloca o jogador no papel de um jovem garoto em uma missão para resolver o mistério por trás do desaparecimento de seu avô. O game é repleto de momentos de tensão e muitos puzzles.

A trama começa após Isaac descobrir um cofre misterioso do Museu Histórico de Araranguá que contém pedaços de pergaminhos. Esse documento é parte de uma pista que o direciona até a Mina de Visitação Octávio Fontana em Criciúma. Dentro desse ambiente, o menino explora com uma lanterna que pode ser a luz que orienta o seu caminho, além de proteger dos perigos que somente a escuridão esconde.

O jogo se passa na cidade de Araranguá, que é a localização do LabTeC. Ou seja, além de transmitir uma sensação de pura tensão, o game permite ao jogador viajar pela história das cidades de Araranguá e Criciúma. A ideia é que o jogador tenha a sensação de estar em um ambiente mais realista. Perigosos desafios surgem a todo o instante e Isaac precisa ser cauteloso para que consiga ir até o fim em sua aventura.

Um dos pontos altos de Isaac e o Enigma do Explorador é a exploração das minas de Criciúma, pois ali a sensação de horror psicológico se torna mais denso. Aqui o jogador vai adentrar por subterrâneos lúgubres e frios, andar por um cofre misterioso, recolher lanternas e itens para se proteger de monstros horrendos. Os sustos são bem frequentes.

Como se não bastasse, Isaac deve resolver diversos puzzles e enigmas sobre as cidades de Araranguá e Criciúma, pertencentes ao sul de Santa Catarina. A intenção dos desenvolvedores foi de que os jogadores apreendessem sobre a história da região e seus pontos turísticos se divertindo. Durante o jogo pode-se recolher itens para montar um altar mágico e uma profecia misteriosa.

Apesar do clima pesado, Isaac não chega a afastar jogadores acostumados a jogos como Slender the Eight Pages ou Silent Hill, pois o enfoque é mais didático, o jogador vai aprender mais sobre os pontos turísticos de Araranguá e Criciúma de maneira prática e divertida. Para download gratuito do jogo, além de mais informações sobre o projeto, você pode acessar o site oficial do jogo.

Abaixo tem o trailer de Isaac e o Enigma do Explorador:

Distortions recebe o sinal verde e entrará para a Steam

Outro dia falamos sobre a campanha de Distortions na Steam. Agora voltamos a falar do jogo pois há uma excelente notícia: ele recebeu o sinal verde e entrará para a Steam. O título da Among Giants, conquistou o 53º lugar no ranking dos maiores títulos do Greenlight e somou mais de 2900 votos positivos. Assim, os usuários poderão baixar o jogo em breve na plataforma de jogos mais populares do mundo.

A notícia foi recebida pelos produtores na madrugada do dia 12 de junho e chegou para trazer ainda mais ânimo para a reta final de produção do Distortions. A primeira versão jogável do Distortions estará disponível no estande do jogo no BIG – Brazil’s Independent Games Festival e os fãs poderão ter seu primeiro contato com o game, conversar com os produtores e deixar seu feedback sobre o projeto.

“Estamos trabalhando muito para conseguir uma versão demo muito bem lapidada para o BIG e estamos confiantes de que vamos entregar um jogo memorável”, afirmou Thiago Girello, produtor chefe do Distortions. “Ficamos muito felizes em ter chegado nos 100 maiores do Greenlight e quando estávamos nos aproximando dos 50 o Greenlight foi descontinuado”, completou Thiago Girello

Para quem não conhece, Distortions trata-se de um game em 3D em terceira pessoa ambientado em um cenário surreal, que mistura suspense, drama e musical. Você controla uma garota que acorda em um quarto estranho e desconhecido. Sem entender o que se passa ou onde está, a jovem começa a investigar o quarto, mas para seu desespero percebe que o tempo parece estar parado e os objetos congelados, como se a gravidade já não mais existisse.

Distortions

A partir daí, o jogador deve conduzir a jovem através de um mundo vasto e solitário, na tentativa de descobrir respostas para os mistérios que a rodeiam. O estúdio espera entregar um jogo com viés artístico que possa cativar os jogadores com sua trama densa e ambientação belíssima. Mais informações de Distortions estão na página oficial no Facebook.

Abaixo tem o trailer de Distortions:

Os 5 melhores (e piores) momentos da Sony na E3 2017

Pois bem, a gigante japonesa dos games conquistou ao longo dos anos a hegemonia dos consoles e não por acaso as maiores expectativas por parte dos jogadores estavam voltados para a Sony. O que a empresa iria trazer para esse ano? Novos exclusivos, novas franquias, continuações?

Como não poderia deixar de ser, a Sony apostou suas fichas em suas franquias mais fortes como God of War e Uncharted, além do retorno de Shadow of the Colossus e a sequência de Ni No Kuni. Além disso, a empresa ainda trouxe novidades do Playstation VR, uma grata surpresa, visto que a concorrência ignorou sumariamente a realidade virtual.

Confira abaixo os “highlights” da apresentação da Sony na E3 2017:

 

Uncharted The Lost Legacy e God of War

Desde que apareceu oficialmente durante a E3 2016, God of War se tornou um dos jogos mais esperados para o PS4, e não era por menos: a mitologia nórdica já é por si só brutal e colocar Kratos no meio desse universo tinha tudo para dar certo. Não é por menos que a decepção pelo jogo ter sido adiado para 2018 ser grande. Ao menos, o que foi mostrado convenceu e mostrou que a Santa Monica está empenhada em trazer o seu melhor game já produzido.

E também não podemos deixar de citar o título que deu abertura para a conferência da Sony. Uncharted The Lost Legacy conseguiu se provar como um produto essencial para quem é fã da franquia. Afinal de contas, ficou claro que ele não é apenas uma expansão, mas praticamente um jogo novo e com todos os elementos para agradar fãs de jogos de ação e exploração.

 

Ni No Kuni 2: Revenant Kingdom

Um dos melhores jogos de toda a biblioteca do Playstation 3 foi Ni No Kuni: Wrath of the White Witch. Imaginem a surpresa do público quando a Sony anunciou a sequência ainda para este fim de ano. Revenant Kingdom seguirá a história do rei Evan Pettiwhisker Tildrum, que foi destronado por um golpe e agora precisa retomar seu reino.

Pelo que foi mostrado, o jogo terá um mundo aberto muito grande, com muitas cidades e dungeons para explorar. O sistema de combate deve ser parecido com o jogo anterior, porém com melhorias a fim de tornar as coisas mais dinâmicas e divertidas.

 

Spider-Man está arrasador

Se por um lado a Marvel reinava soberana no ramo do cinema, o mesmo pode ser dito da hegemonia da DC em relação aos jogos eletrônicos. Parece que as coisas estão mais pareadas nas duas frentes, pois a DC acertou a mão com o filme da Mulher-Maravilha e a Marvel vai ter o jogo do Homem-Aranha, em produção pela Insomniac.

O gameplay parece incrível e cheio de detalhes, incluindo passagens em QTE (quick time events) e acrobacias animais. Se o que foi prometido se tornar real, a franquia Arkham terá um concorrente de peso. Infelizmente, os jogadores só vão colocar as mãos neste jogo em algum momento de 2018.

 

Remake de Shadow of the Colossus

A maior bomba de toda a apresentação da Sony foi o remake de Shadow of the Colossus. Sim, muita gente faz piada pelo fato de que o game é do PS2 e já teve uma remasterização para o PS3. Ainda assim, estamos falando de um dos melhores games já produzidos na história e a qualidade gráfica está fascinante.

A Sony não deu detalhes adicionais sobre esse remake, então não tem como saber se haverá mais cenários, armas, mecânicas ou até novos colossus projeto só sai em 2018, um tempo muito longo para um mero “tapa visual”. Então dá para sonhar sim que novos conteúdos façam parte do pacote de jogo.

 

Destaque para o VR

A Microsoft não mostrou nada em relação a realidade virtual, mas a Sony seguiu por um caminho oposto: a empresa mostrou uma sequência variada de títulos com suporte ao VR, deixando a impressão de que o acessório veio pra ficar. O maior de todos os projetos mostrados foi Skyrim, que ganhou suporte ao acessório e, deste modo, permite que os jogadores entrem no mundo do jogo literalmente.

Outros títulos compatíveis com o aparelho foram Star Child, The Impatient, Monster of the Deep: Final Fantasy, Bravo Team e Moss. Mais uma vez a Sony foi vaga com relação as datas de lançamento, mas ao menos que investiu seu rico dinheiro na tecnologia não tem o que temer.

 

E os piores momentos da conferência da Sony

 

Os jogos que esperávamos sumiram

Ainda que rumores e informações dispersas já adiantavam que pesos-pesados ficariam de fora da feira, como Final Fantasy VII, The Last of Us II e Shenmue 3. Não deu para não ficar decepcionado com essas ausências, afinal muitos jogadores imaginavam que talvez a Sony surpreendesse nem que fosse com algum vídeo novo.

Nem mesmo o Death Strading deu as caras. Mais agravante foi o fato de que a Sony nem sinalizou que esses jogos ainda existem e possuem um calendário de lançamento. Ao menos, sabemos que o histórico da companhia é de manter seus projetos até o fim, mesmo que o desenvolvimento perdure anos a fio.

 

Nenhuma atenção aos indies

Surgeon Simulator, um indie de respeito na PSN

 

Ao fim da apresentação da Microsoft muita gente queria “tirar onda” com o fato de que muito do painel da empresa de Redmond era dedicado aos produtores independentes. O mesmo não pode ser dito da Sony, porém partimos de oito para oitenta, pois a Sony ignorou completamente os indies.

Há quem diga que acompanha a E3 para ver os jogos grandes, mas muitos executivos já sacaram que são justamente os indies que tem mais possibilidade de criar produtos rentáveis (vide casos de sucesso como o Minecraft, por exemplo). Além disso, os grandes jogos estão cada vez mais espaçados e é bom saber que todo mês aparece um game menor, porém divertido. Neste aspecto a Sony pisou na bola feio ao não dar atenção aos desenvolvedores menores.

 

Onde estava Kojima?

Claro, Death Strading não estava na feira, então não teria porque o mítico produtor Hideo Kojima aparecer no evento. Entretanto, por algum motivo, muitos membros da comunidade esperavam que Kojima subisse ao palco para trocar algumas palavras com o apresentador e dizer a quantas anda o seu novo game.

Neste caso é seguro afirmar que o desenvolvimento do game está ainda cru e para os desenvolvedores não faz sentido mostrar nada ainda, até porque a Sony já tem um histórico perturbador de mostrar games que vão sair em dois ou três anos. Talvez este seja um indício de que a empresa está prestando atenção nas críticas da comunidade.

 

Onde estão as novidades?

E, por fim, o mais triste da conferência da Sony: onde estão as novidades? Muitos dos jogos mostrados já haviam dado as caras em conferencias passadas da E3 e da Playstation Experience. Ficou aquela sensação d que eles estavam escondendo alguma carta na manga, mas essa carta nunca aparecia. A sensação foi tão amarga que há que brinque que a conferência deste ano foi uma remasterização do que foi apresentado no ano anterior.

Seja como for, a expectativa é que na Playstation Experience deste ano a empresa mostre seus novos projetos, IPs e lançamentos para o ano fiscal. Além disso, vale lembrar que alguns dos jogos apresentados foram de alta qualidade como Days Gone, Detroit Become Human e Destiny 2.

 

Nexon revela novo trailer de Durango para a E3 2017

A Nexon e o What! Studio aproveitaram esse período pré-E3 para apresentar o novo trailer de Durango, o RPG online em mundo aberto que se passa em um universo habitado por dinossauros ferozes. O game para dispositivos mobile deve chegar ao mercado ainda nesta primavera e se diferencia de outros jogos graças a sua ambientação e estilo artístico incríveis.

Em Durango os jogadores usarão os materiais e tecnologias transportadas de suas vidas anteriores para explorar e desenvolver uma região. De acordo com os criadores, Durango é a próxima evolução das experiências de MMO, com recursos completos os quais oferecem aos jogadores plena liberdade para perseguir vários pilares de jogo, ao mesmo tempo em que usufrui experiências únicas de exploração e construção de cidades com colaborações em tempo real e batalhas diretas contra clãs inimigos e dinossauros colossais.

Durango aumenta o nível de jogos persistentes e maciços em dispositivos móveis”, disse Lawrence Koh, Gerente Geral da Nexon M. “O What! Studio criou uma experiência rica e dinâmica para que os jogadores realmente se tornem pioneiros entre os dinossauros, permitindo que eles formem o mundo, os eventos e a história através de jogadas sociais e eventos cooperativos e competitivos no jogo”.

Além da exploração, os jogadores devem se unir em combates contra dinossauros carnívoros que costumam ser extremamente perigosos. Os aventureiros aprenderão a usar a terra em sua vantagem para criar armas, armaduras e ferramentas, assim como desenvolver aldeias que possam crescer e se tornarem fortalezas. Durango utiliza um revolucionário sistema de construção de mundos, gerado por processos que preenche o enorme mundo aberto com um número infinito de locais para descobrir e explorar.

O título será jogável na Electronic Entertainment Expo (E3) 2017 no Centro de Convenções de Los Angeles, de terça-feira, 13 de junho até quinta-feira, 15 de junho, no Mobile and Social Games Pavilion, South Hall, Stand #2623.

Abaixo você confere o trailer de Durango para a E3 2017:

Distortions – Jogo indie está entre os cem mais votados na Steam Greenlight

Hoje vamos falar do jogo Distortions, da produtora indie brasileira Among Giants, pois o título de aventura musical acabou de alcançar um feito impressionante na Steam: o game acabou de entrar na lista dos cem maiores do Greenlight, ou seja, é um dos que mais estão recebendo sinal verde dos jogadores nos últimos tempos.

O jogo, que está em desenvolvimento há mais de oito anos, conquistou o 62º lugar na lista dos cem maiores jogos do Greenlight. O mais bacana é que o game está em campanha há apenas dez dias e já deixou mais de 3700 jogos para trás, conquistando mais de 2900 votos positivos. A expectativa é que o sucesso da campanha dê novo fôlego para os desenvolvedores e o projeto chegue ao mercado mais rápido do que se espera.

“Estamos muito felizes em ter chegado nos 100 maiores do Greenlight e a cada dia estamos mais próximos dos 50 e isso nos motiva muito”, disse Thiago Girello, produtor chefe do Distortions. “Temos certeza que com a ajuda da comunidade brasileira podemos chegar no top 10 do Greenlight, levando a bandeira brasileira para todos os países do mundo”, completou.

No próximo dia 24 de junho a 2 de julho começa o BIG Festival e Among Giants contará com um estande no evento para exibir o Distortions com a primeira versão jogável do game. Assim o público geral poderá conhecer em primeira mão este ambicioso projeto e ajudar a torna-lo ainda melhor. Além do BIG, Distortions estará na Brasil Game Show, a maior feira de games da América Latina, e ocupará três estandes da área indie do evento.

“Estamos trabalhando muito para ter a melhor build possível para o BIG Festival. O jogo ainda passará por muitas melhoras mas estamos muito satisfeitos com o rápido avanço que estamos conseguindo”, completou Thiago.

Em Distortions, você controla uma garota que viaja por ambientes hostis como montanhas, florestas, cavernas, rios, lagos e até mesmo o mar, e usar o poder das músicas aprendidas para moldar o mundo ao seu redor, criando pontes, explosões e barreiras. De acordo com os desenvolvedores, o game tem uma mensagem forte de superação de experiências passadas, sobretudo de relacionamentos.

Uma das mecânicas mais interessantes é misturar a música com muito suspense e drama para criar uma atmosfera única. O jogo, aliás, se passa em um lugar onde o tempo parece estar parado e as músicas são suas armas e os relatos de páginas de um diário, seu guia. A campanha no Steam Greelight continua no ar.

Abaixo tem o trailer de Distortions:

 

Uma aventura te aguarda nas profundezas em “Oceanos”, novo boardgame da Sherlock S.A

Nossa dica do dia é para os amantes de jogos de tabuleiros. A Sherlock S.A, uma das maiores distribuidoras de boardgames do Brasil está com uma série de novidades para agradar jovens e adultos e nessa época. Uma delas é o Oceanos, um jogo de seleção de cartas, com mecânicas profundas, onde você descobre e coleta tesouros esquecidos nas profundezas do oceano. O desafio é resistir aos ataques adversários para trazer o submarino de volta à superfície.

Em Oceanos você encarna o papel de um Capitão de Expedição que deve mergulhar nas profundezas do oceano a bordo de seu submarino. Ali você coleta surpreendentes espécies de animais, descubre corais de recifes, e reúne tesouros esquecidos com a ajuda de seus mergulhadores. Durante a jogatina é importante aprimorar seu submarino se quiser trazer todas suas descobertas de volta à costa. E o mais importante, tome cuidado com a maldição do Kraken!

Durante o jogo, cada jogador representa o progresso de sua expedição jogando cartas de Exploração, em três linhas empilhadas(uma linha por turno). Cartas de Exploração possuem diversos símbolos que permitem que você ganhe pontos ou aprimore seu submarino: peixes e espécies estranhas para coletar, recifes de corais, baús de tesouros e cristais raros que podem ser vendidos em bases submarinas para modificar seus veículos

Mais sobre “Oceanos”

O game costuma ser bastante divertido e desafiador, unindo os jogadores, mais do que competindo entre si. O pacote de Oceanos pode ser encontrado no site da Sherlock e contém 75 Peças de Submarinos, 135 Cartas, 9 Marcadores de Kraken, 15 Marcadores de Combustível, 15 Marcadores de Mergulhadores, 30 Marcadores de Tesouro, 1 saco opaco, 5 Referências para Jogadores, 1 Bloco de Pontuação e 1 Manual de Regras.

Battle Bruise – Acabe com os zumbis neste jogo indie repleto de ação

Sobreviver é o grande objetivo de Battle Bruise, o novo jogo dos desenvolvedores indies da Zanardi and Liza. Trata-se de um shooter 2.5D de arena bastante criativo e divertido em que os jogadores devem enfrentar hordas de zumbis em cenários acidentados. O game é repleto de ação, explosões e extremamente viciante.

Conforme você atira mata os zumbis as pilhas de corpos formam montanhas, o que deixa o terreno acidentado e bastante imprevisível. Além dos zumbis humanos, há animais morto-vivos também, que trazem um novo tipo de desafio para o jogador. A ação é bastante intensa, fazendo lembrar o clássico flash Pothead Zombies.

Há dois modos de jogo em Battle Bruise (arcade e car defense mode), este último funciona mais ou menos como um defense tower, com a diferença que você deve proteger seu carro estacionado das investidas dos zumbis. Além disso, há cinco armas disponíveis para destruir os inimigos que chegam de todos os lados do cenário. É possível fazer upgrades nas armas para torna-las ainda mais destrutivas.

A arte é simples, conhecido como “trash” (os jogadores dizem que lembra o jogo Drawn to Death), que funciona e dá personalidade ao projeto. A trilha sonora também é pesada e é assinada por Txai, que não perdeu o viés de humor que Battle Bruise pede. O título é uma ótima pedida para quem curte tiroteio desenfreado e bom humor. Já disponível na Steam.

Abaixo tem o trailer de Battle Bruise:

Evil Light – RPG brasileiro que mistura elementos de Gof of War e Darksouls está em campanha no Catarse

Já ouviu falar do Evil Light, o RPG brasileiro de mundo aberto? Pois bem, o projeto retomou sua campanha de crowdfunding no Catarse e merece uma atenção especial. O game é basicamente um RPG ao estilo Hack n Slash em que o jogador explora o cenário, resolve puzzles e enfrenta hordas de inimigos. Até aí nenhuma novidade, pense nele como uma mistura de God of War com Darksouls.

O jogador assume o papel de uma Elfa cujo objetivo é garantir sua própria sobrevivência em uma batalha contra as forças hostis em um mundo gigantesco e caótico. Além disso, a missão de nossa protagonista é resgatar o Fragmento de Luz que foi roubado e por isso ameaça a segurança do mundo de Celestin.

01O esquema de combate de Evil Light promete ser rápido e rasteiro. Você pode atacar vários inimigos ao mesmo tempo, de modo que os embates são repletos de ação. Dependendo do seu tipo de arma, no momento, você poderá ser uma presa fácil em algumas partes desse mundo. Por isso, é crucial buscar melhorar os seus itens antes de bancar o herói com qualquer arma, afinal os inimigos são bastante astutos e não dão trégua para o jogador.

A dificuldade do game é crescente: a cada Fragmento de Luz encontrado e recolhido no Submundo, mais difícil se tornará a sua jornada para se aproximar do Senhor do Submundo. Quando o núcleo for recuperado, a vida será restaurada. Mas não se preocupe: cada vez que você passar por uma batalha complicada, você recebe itens e armas diferentes para prosseguir a missão.

1_jpg

Como dito anteriormente, Evil Light está em campanha no Catarse e necessita da ajuda dos jogadores para atingir sua meta de R$ 38 mil. O game chegou a ser apresentado em alguns eventos de games em Pernambuco e quase foi parar na BGS 2016. Agora com a campanha retomada a expectativa é que o jogo encontre a luz e saia do papel.

Evil Light necessita de muitos parâmetros para ser concluído de maneira satisfatória. Mas, conseguimos chegar longe podendo ter a oportunidade de fazer a exposição do game em eventos locais, em Pernambuco. Um desenvolvimento não simples, a falta de recursos financeiros e de equipamentos de qualidades postergam a conclusão do jogo”, disse Well Gomes, criador do jogo.

Abaixo tem um trailer de Evil Light:

CANDY AND TRICKS será lançado em 13 de Outubro para PC e MOBILE

Hoje vamos falar de um game indie que tem potencial para agradar qualquer tipo de jogador. Candy and Tricks, da Gutierrez Games, é um jogo de puzzle e aventura que conta a história de um gato preto que tenta voltar para a casa de sua dona, uma bruxa. Porém, essa aventura não será fácil, pois para chegar em seu destino ele precisa enfrentar diversos desafios em um cenário de fantasia repleto de referências ao Halloween.

Candy and Tricks conta com 60 fases e foi criado para proporcionar uma desafiadora aventura ao jogador. O jogo foi elaborado para ter uma gameplay de 24h, onde o jogador encontrará desafios extremamente difíceis em que ele deverá usar estratégias criativas e muita agilidade para concluir suas fases. De acordo com Antonio Gutierrez, criador do game, o projeto traz de volta a jogabilidade divertida e desafiadora de um dos clássicos da web: “O Jogo mais difícil do Mundo”, porém com novos recursos.

pt1b“Desde nossa infância cultivamos o sonho de criar uma empresa de jogos bem sucedida. Já desenvolvemos diversos outros projetos, mas Candy and Tricks é o primeiro a ser produzido com o objetivo de ir para mercado de jogos. Com a ajuda de diversos mentores e usuários nos fornecendo excelentes feedback sobre o jogo, estamos aprendendo a cada dia que passa mais sobre nosso sonho”, conta Rodrigo Gutierrez, CEO da Gutierrez Games.

O grande desafio é vencer as diversas fases morrendo o menor número de vezes possível. Quanto mais rápido, melhores são os prêmios recebidos ao final das fases e há ainda recompensas a serem coletadas que facilitam a vida do jogador. Se você gosta de alto desafio e jogos com estética retrô, dê uma olhada no que os irmãos Gutierrez fizeram aqui após quatro anos conquistando editais públicos e sendo finalistas em competições na área de games.

Para quem não conhece, a Gutierrez Games é uma produtora paulista com dois jogos e dois aplicativos na Play Store. Dentre eles The Infection, jogo casual onde o jogador é um vírus que tenta sobreviver dentro da corrente sanguínea e Recado Para Você, aplicativo de frases motivacionais diárias.

Abaixo tem o trailer de Candy and Tricks: