Arquivo da tag: Kickante

Possessão Arcana é o novo board game nacional

Possessão Arcana é um jogo de tabuleiro desenvolvido especialmente para quem gosta de jogos desafiadores e que curtem temas de misticismo e ação. Criado pelo designer gráfico Thiago Henrique Ferri, o jogo tem como pano de fundo uma batalha entre forças demoníacas e humanos dotados de poderes mágicos que defendem nosso planeta.

O título é de tabuleiro, mas com temática dungeon crawler com progressão de personagens, gerenciamento de cartas, rolagem de dados etc. Possessão Arcana entra em financiamento coletivo através do site Kickante a partir do dia 20 de janeiro. A meta é de 23 mil reais com a ideia de “tudo ou nada”, de modo que se a campanha não conseguir os resultados esperados, os doadores recebem o dinheiro de volta. A contribuição pode ser feita através do Kickante a partir do dia 20 com valor mínimo de R$ 185,90.

Em Possessão Arcana os jogadores controlam heróis que enfrentam diferentes tipos de inimigos como diabretes e lordes supremos do submundo que invadiram o plano terrestre. Os heróis escolhidos são humanos capazes de manipular a magia arcana, uma habilidade mística poderosa, mas também perigosa. Se mal dominada, o herói é dominada pelas forças do oculto e se volta contra os outros heróis. Mas ainda que isso ocorra, os companheiros podem juntar as forças para reverter a possessão e trazer o herói possuído de volta à realidade.

Ainda através da magia arcana é possível utilizar poderes letais e diferenciados. Cada herói conta com seu próprio Familiar, uma espécie de animal de estimação treinado para lutar ao seu lado. A inspiração do game veio das crenças de que nós vivemos em um mundo paralelo ao plano espiritual, onde existe o bem e o mal, anjos e demônios etc. Os desenvolvedores utilizaram criaturas conhecidas para o desenvolvimento do jogo com o os Diabretes, Greminions, Minus, entre outros.

Abaixo tem o trailer de Possessão Arcana:

Conheça The Last War, o survival da equipe WolfB

Um game bem ambicioso está sendo produzido pela equipe brasileira do WolfB, mas para se tornar real precisa de ajuda no site de crowdfunding Kickante. O jogo em questão chama-se The Last War, um survival horror com foco em multiplayer online onde os jogadores precisam resistir ao apocalipse zumbi que varreu a maior parte da civilização. De acordo com os desenvolvedores, o grande destaque deve ser o nível de dificuldade, pois este está sendo aprimorado para tornar o jogo o mais desafiador possível.

O game permite que o jogador alterne a visão da câmera entre 1º e 3º pessoa, de modo que os jogadores deixem o jogo da forma que considerem melhor para jogar. The Last War está em desenvolvimento há cerca de um ano e tem influências em jogos bastante conhecidos do público gamer, como DayZ e Infestation.

Além de ser o primeiro projeto do gênero produzido por brasileiros, The Last War também quer inovar em outros aspectos, como a introdução do grupo A Ordem. Formada por administradores, a Ordem é um grupo criado com o objetivo nos servidores e monitorar a ação dos jogadores e, assim que algum player tentar burlar o sistema anticheat do jogo, a Ordem sai em seu encalço para assassiná-lo. A intenção é trazer paz para as cidades e eliminar jogadores com reputação negativa da jogatina.

Outro aspecto interessante é que o mapa inicial do game é a cidade do Rio de Janeiro. Já imaginou um apocalipse zumbi na Cidade Maravilhosa? Se a equipe conseguir passar demais metas, será incluído o mapa da Amazônia. Quem sabe futuramente eles não incluem mapas de outras cidades brasileiras, como São Paulo e Porto Alegre? Não custa sonhar.

A meta inicial é de R$ 30 mil, que serão utilizados para a compra de equipamentos e licenças de programas para a produção do jogo. A versão inicial terá 10 modelos de armas, quatro personagens jogáveis e três zumbis diferentes (cada um com suas habilidades especiais). A campanha fica no ar por mais 50 dias, então se você gostou do projeto e quer contribuir, corre lá na página do Kickante.

Abaixo tem o trailer de The Last War:

Magic Master: segundo jogo da Mopix Games aposta na mistura de gêneros para conquistar público

O estúdio Mopix Games de Belo Horizonte está com uma campanha de crowdfunding no Kickante para tirar seu segundo game do papel. O título é chamado de Magic Master e é uma mistura de dois gêneros bastante populares entre os jogadores: tower defense e beat ‘em up. A campanha vai até o final de agosto e precisa de R$ 10 mil para seguir a produção até ser lançado para Android e iOS.

No título o jogador assume o papel do último salvador das terras do reino e deve defender uma torre dos ataques incessantes de ordas de orcs e goblins, além de dragões e até gigantes. O game tem uma ambientação inspirada em universos medievais, como Senhor dos Anéis e Dungeons e Dragons.

Basicamente você deve disparar feitiços contra os atacantes através de um sistema de upgrades conforme as fases vão sendo vencidas. De acordo com a Mopix, o jogo tem um sistema de jogabilidade inovadora: os diferentes poderes são utilizados de acordo com o movimento de deslizar de dedos do jogador na tela. Um gesto para frente serve para lançar fogo; um deslizar para baixo conjura relâmpagos, por exemplo.

“É um jogo de muita ação e pancadaria que envolve combates frenéticos contra hordas de monstros, vale tudo para proteger a torre remanescente de Ukala”, esclarece Raoni Dorim, CEOe game designer da Mopix Games.

Além dos comandos únicos, o game ainda conta com combinações de poderes para causar mais danos aos inimigos. É possível combinar feitiços de água e raio, por exemplo, para atingir mais inimigos e causar mais danos. Além disso, à medida que o jogador combate a horda de orcs, mais poderes são liberados, possibilitando combos inimagináveis para destruí-los, diz a equipe da Mopix.

O game está em desenvolvimento para mobile, mas ainda não há plataformas definidas ou previsão de lançamento.

Vídeo explicando o game Magic Master:

Desire Universe inicia projeto multimídia que apresenta mundo de fantasia e ficção científica

Hoje o destaque é um projeto multimídia criada por brasileiros e que já está em fase de desenvolvimento há cerca de vinte anos e está prestes a se tornar algo grande! Trata-se de Desire, da empresa Desire Universe, um projeto de ficção científica e fantasia que envolve livros, RPG, animação e MMO.

O projeto Desire será lançado aos poucos, sendo que a primeira parte é o lançamento de um livro chamado Archin, que conta a história de Archin, uma divindade que está em busca de seu irmão no universo. Com o decorrer desta jornada, este ser precisou proteger sua essência, sendo assim, Archin fragmenta sua alma em três partes e as envia a um pequeno planeta chamado Uria (a Terra).

Cada um desses fragmentos é deixado aos cuidados de três nativos humanos: um guerreiro indígena, um padre bretão e um samurai japonês. O romance aborda de forma filosófica a história desses três seres humanos que contém uma entidade superior dentro deles e como isso influencia no convívio e contato com seu meio e pessoas ao seu redor. Ao longo da narrativa, o leitor vai entender o porquê de essas figuras carregarem algo tão especial.

Claro que o livro é apenas a ponta do iceberg, de acordo com os responsáveis pelo projeto, futuramente o universo Desire vai contemplar um MMO, animações, quadrinhos, pôsteres etc. Vale destacar, aliás, que essa vocação midiática de Desire não é de agora. Na verdade, quando o Universo Desire surgiu em meados dos anos 90 pela mente de  Daniel Abrahão, designer gráfico, ele era um jogo de RPG de mesa que acabou ganhando suas próprias regras e evoluiu nesses vinte anos até ser o que é hoje. Nesse caminho ele passou por diversos eventos como Animecon, Anime Friends, Mangacon, entre outros, sendo visto e jogado por mais de cinco mil pessoas.

Além de Daniel Abrahão, Desire também tem entre seus idealizadores o escritor de ficção científica, fantasia e horror, Roberto Causo, que é considerado o maior escritor de ficção científica do Brasil. Outra figura importante da equipe é o ilustrador Diego Cunha, que já fez trabalhos para a Wizards of the Coast em ilustrações para cartas Magic.

Quando o MMO e a animação chegarão ao mercado é incerto e tudo depende do sucesso da série de livros. O livro está em pré-venda no Kickante e precisa de sua ajuda. Vamos colaborar?

Vídeo da campanha Desire Universe:

Anjos & Dragões é novo Card Game de produtora indie brasileira

Trading Card Games são bastante populares no Brasil. Card Games como Magic, Pokémon TCG, Yugioh! e Hearthstone sempre atraem centenas de jogadores quando ocorre algum torneio ou evento envolvendo esses jogos em terras tupiniquins. É exatamente de olho neste público que a produtora indie brasileira Fiera Jogos irá lançar o jogo Anjos & Dragões.

O título é um novo jogo nacional de baralhos expansíveis que se assemelham aos consagrados títulos mencionados acima, porém sem compras aleatórias. Atualmente o título está em fase de preparativos e em breve deve ir para a etapa de financiamento coletivo no Kickante, mas ainda não existe uma data de lançamento definida. Sabe-se apenas que ele deve ser lançado em algum momento do 2º semestre.

Diferente dos outros TCGs, Anjos & Dragões pretende ser um card game bastante acessível e fácil de aprender, além de ter um preço acessível ao jogador. A princípio serão lançados 4 baralhos diferentes, sendo que cada um deles representa uma facção: Luz, Sombra, Fogo e Terra. O grande macete é que se o jogador quiser montar um deck de Terra, basta comprar o pack correspondente para ter todas as cartas dessa facção.

Em outras palavras, não é um TCG! Você não precisa comprar um pacote recheado de cartas aleatórias esperando que nele saia uma carta boa o bastante para incluir no seu deck personalizado. É claro que isso acaba sendo benéfico ao jogador, de forma que ele só precisa comprar um único deck e jogar com ele de forma competitiva. Mas por outro lado, as partidas podem ser um pouco previsíveis, uma vez que todos os decks de Terra terão as mesmas cartas.

A produtora garante, porém, que há muita variedade estratégica, ao mesmo tempo em que o jogo é de fácil aprendizado. Estima-se que o uma partida dure em média 15 a 30 minutos. Uma forma de melhorar as estratégias é comprar os outros decks, pois há cartas intercambiáveis (como Luz e Fogo), de modo que você pode montar estratégias mais avançadas e arrasadoras. De acordo com a equipe de criação, no futuro deverão ser lançados novos baralhos.

Na página da produtora há todas as regras de como jogar corretamente e demais informações sobre o lançamento e as ideias do time de produção. A divulgação do game está apenas começando, de modo que nos próximos meses os interessados devem acompanhar uma enxurrada de novas informações.

Jogo de tabuleiro Caçadores da Galáxia alcança arrecadação em tempo recorde no Kickante

Há menos de um mês a equipe da Histeria Games, em parceria com o desenvolvedor Daniel Alves e a Taberna do Dragão, lançou o projeto Caçadores da Galáxia, um game de tabuleiro  focado em estratégia com elementos de RPG. Pois bem, o projeto esteve em fase de arrecadação de fundos no site Kickante, mas para surpresa dos desenvolvedores, o jogo conseguiu um feito incrível.

Em apenas meia hora em que esteve no ar a campanha arrecadou todo o valor solicitado, ou seja, os R$ 25 mil. Atualmente o game está com mais de R$ 98 mil arrecadados, isto significa que o time de desenvolvimento pode adicionar coisas ao jogo. Vale lembrar que a campanha fica no ar por 60 dias.

Caçadores da Galáxia tem ambientação futurista, apresentando diversos robôs e batalhas colossais. O diferencial entre este jogo e demais de tabuleiro é que a mecânica deste baseia-se em estratégia, de modo que durante os turnos o jogador deve gerenciar recursos e possuir ótimo planejamento. O fator sorte é praticamente deixado de lado aqui.

“Dezenas de testes foram realizados com gamers especialistas e críticos de diversas regiões do país. Regras foram desenvolvidas de forma meticulosa, tornando o jogo equilibrado e possibilitando a execução de diferentes estratégias para vencer. Além disso, agregamos ao Caçadores peças idealizadas com olhares cuidadosos e criativos de designer, aliando produção visual e gráfica de alta qualidade”, disse Daniel Alves.

No breve enredo, estamos em um futuro distópico em que vários planetas estão arruinados pelos erros de megacorporações. Tais empresas empregam robôs gigantes como armas de guerra em planetas pacíficos. Eis que surge a oportunidade para sujeitos ousados tornarem-se Caçadores da Galáxia, e é aí que o jogador entra na história. Seu dever é batalhar contra outros caçadores e garantir os recursos naturais dos planetas que estão em disputa.

“A proposta é nobre e as expectativas estão altíssimas! Contando com o apoio de muitos jogadores e amigos, conseguimos aprimorar o jogo ao longo do tempo de desenvolvimento, e agora, a promessa é levar à casa dos interessados, muita diversão e estratégia, meio às grandiosas batalhas na Galáxia. De antemão, agradecemos a importante contribuição de todos”, explica o desenvolvedor.

Vale lembrar que o jogo é fruto da mente de Daniel Alves, um dos criadores do sucesso Masmorra de Dados. Para mais informações, basta acessar a página da campanha.

Caçadores da Galáxia