Arquivo da tag: Independentes

Top 10: Games Independentes que quebraram barreiras

Conheça os Top 10 Games Independentes que quebraram as barreiras do sucesso. Umas das atividades mais comuns no GameReporter é falar sobre jogos independentes e projetos de baixo orçamento nacionais. Hoje vamos fazer isso de uma forma diferente: vamos eleger 10 games indie que quebraram barreiras de sucesso, qualidade e prestígio. Serve como um belo incentivo para qualquer um que entra na indústria e almeja alcançar o sucesso de crítica e pública.

Não garantimos que todo mundo fica rico fazendo jogos, mas temos certeza que se o seu game for de qualidade, com certeza ele será tão bem sucedido quanto qualquer um dessa lista. Afinal de contas, a grande parte dos desenvolvedores dos jogos abaixo começou exatamente como os desenvolvedores brasileiros. Que saber quais os dez games indie que fizeram mais que o “arroz com feijão”?

Confira na lista abaixo:

10 – Machinarium

Machinarium é um daqueles jogos que você olha e pensa: “poxa, por que ainda não joguei isso?”. Se você realmente não jogou esta genialidade e obra de arte, a hora é agora! Sua missão é controlar um pequeno robô que desbrava uma cidade em busca de sua namorada, aprisionada por vilões que aterrorizam as ruas e a população. Com esse plot inicial muita gente acredita que Machinarium não é nem um pouco interessante. Entretanto, o game surpreende já nos primeiros minutos.

Com muitos desafios que exigem a criatividade do jogador, Machinarium é uma aula de como se faz um bom jogo. Extremamente obrigatório para fãs de jogos indies e para quem quer sair da rotina de jogos AAA. Ah e a direção de arte é uma das melhores que você verá em sua vida gamer.

9 – Castle Crashers

A época de fliperamas pode ter acabado, mas sempre tem como dar aquela revisitada com  alguns jogos que remetem a gêneros da época, e se você esta em busca de um ótimo beat ‘em up a nível de Knights of Round, acredite: Castle Crashers é a escolha certa.

Com gráficos cartunescos e genias, Castle Crashers coloca de um jogador até quatro jogadores em uma aventura com muita ação mesclando elementos de RPG. Além do modo história existem outros modos de jogo como o Arena que prolongam a jogatina por muito tempo. O game é referencia quando se fala em títulos indies de alta qualidade.

 

8 – FEZ

FEZ é provavelmente um dos jogos indies mais conhecidos da geração e um dos poucos que tornou seu criador em uma celebridade da indústria. Os méritos do jogo foram de misturar a simplicidade dos jogos 2D de antigamente com mecânicas em 3D para a solução de puzzles. No jogo você controla o ser bidimensional Gomez que descobre uma forma de explorar o mundo em 3 dimensões. Alguns problemas ocorrem e Gomez precisará usar sua nova habilidade para reunir pedaços de cubos para restaurar o mundo que vive.

Os quebra-cabeças em FEZ eram instigantes e a perspectiva de jogo parecia um sopro de criatividade em meio aos jogos de plataforma 2D. O título chegou na Xbox Live em 2012 e muita gente deve ter ficado se perguntando “porque ninguém pensou em fazer algo assim na geração 32 bits?”. FEZ sofreu vários adiamentos até chegar ao mercado, mas quando chegou foi um dos destaques da Marketplace. Acabou ganhando versão para as plataformas da Sony e até foi um dos temas do documentário Indie Game: The Movie. Phil Fish chegou a anunciar uma sequência, mas acabou se retirando da indústria por razões pessoais.

7 – Super Meat Boy

Flash Meat Boy foi um game indie que passou batido pela indústria, mas nem por isso seus criadores (Edmund McMillen e Tommy Refenes) desistiram de criar jogos. A justiça veio para a dupla com Super Meat Boy. Se você não conhece, provavelmente esteve ocupado demais com jogos AAA para se dar conta do que acontecia com o cenário indie. SMB é simples, isso é fato, não é um jogo ambicioso e tão pouco faz algo impensável em outros jogos de plataforma, mas ele é divertido e desafiador ao extremo.

A premissa segue a cartilha de jogos de plataforma da geração 8-16 bits, ou seja, você controla um jovem herói que precisa resgatar uma garota que foi sequestrada por um vilão. A partir daí você passa pelo cenário pulando e desviando de armadilhas mortais. Quando foi lançado em 2010, o título ganhou prêmios importantes da crítica e a atenção dos jogadores graças a seus controles precisos e a arte retrô. Se você curte games simples, mas bem feitos e desafiadores, Super Meat Boy é o que procura.

6 – Slender: The Eight Pages

Em 2012 já era evidente a crise dos games de terror: poucos eram os jogos que realmente metiam medo nos jogadores. Nem mesmo séries consagradas como Silent Hill e Resident Evil pareciam ter o mesmo fator aterrorizante de outrora. A solução para resolver o problema foi Slender, um game da produtora indie Parsec Productions. De cara o game já mostra o que define um game de horror psicológico: mistério, sensação de estar indefeso e ambientes escuros.

Você inicia numa floresta no meio da noite e precisa achar 8 páginas deixadas por uma suposta vítima da criatura Slender (retirada especialmente de lendas urbanas). Os problemas começam quando o jogador se dá conta que não há nada para se defender e a criatura está a te perseguir. O pior é que não se pode ficar olhando para o Slender por muito tempo, senão é Game Over.

Sua única ajuda é uma lanterna fraca e a coragem. Quem jogou sabe que o game dá muito medo mesmo, não por acaso o jogo foi um sucesso na internet (mais de 2 milhões de downloads). A boa recepção de Slender garantiu uma sequência em março de 2013. O game é importante entre os milhares de indies não por ser o melhor no gênero terror, mas por mostrar como o survival horror pode ser de qualidade com simplicidade. Arrepiante!

5 – Limbo

Limbo é provavelmente um dos melhores games dos últimos anos. Nele você controla um garoto em busca de sua irmã desaparecida passando por armadilhas e escapando de criaturas como vermes e uma aranha gigantesca. O que torna Limbo único é a junção da música minimalista com a arte gráfica pendendo para o preto e branco.

O grande macete são os quebra-cabeças que sempre se ligam ao tema de vida e morte: algumas armadilhas que matam o herói acabam por ajudá-lo a vencer inimigos mais à frente. Em outras palavras, Limbo é mais que um jogo de plataforma em side scroll, mas sim uma mistura desse gênero com um enorme puzzle. A estética do game mostra logo no início que Limbo não é um jogo qualquer, mas um produto lapidado com esmero. O final vago abre espaço para variadas interpretações e este é mais um dos motivos que Limbo é imperdível. O sucesso foi tal que o título enriqueceu a conta bancária de seus criadores de uma maneira surpreendente.

4 – Braid

Braid é outro game indie a vencer barreiras. Seu estilo artístico é dos mais bonitos que um platformer/puzzle já teve. Sua qualidade deve-se bastante aos cenários artísticos e à sensação de magia que o game transmite: você controla Tim, um jovem que precisa resgatar a princesa de um monstro. Mas não pense que a história é um Mario Bros. da vida. Na verdade toda a história é uma grande metáfora que fará o jogador pensar e repensar até entender toda a trama.

Os puzzles são bem desenvolvidos e envolvem muito de volta no tempo e refazer ações. A arte do game é belíssima, assim como a trilha sonora. Graças a esses elementos, Braid foi um dos jogos mais bem avaliados na Xbox Live e ganhou inúmeros prêmios. O título foi tão bem sucedido que até mesmo o cultuado game designer Suda 51 disse que o título o fez ter vontade de criar um jogo em 2D. Se você não o jogou, dê uma pesquisada, pois vale a pena. Apesar de ser curto, Braid é uma experiência de game como há anos não se via.

3 – Journey

Journey é um jogo diferente de tudo que você já viu, com um cenário simples e uma premissa cativante, a ideia aqui é levar o jogador a outro nível de exploração. A ideia básica é colocar os jogadores no comando de um personagem encapuzado que deve chegar até uma alta montanha. Os desenvolvedores queriam que os jogadores sentissem sentimentos de insignificância e grandiosidade. O resultado final foi um dos jogos mais memoráveis do PS3.

O estúdio responsável (Thatgamecompany) pela obra deve se orgulhar de ter conseguido transmitir diferentes sentimentos aos jogadores através deste jogo. Journey é realmente obrigatório para os donos de PS3, pois ele emociona do princípio ao fim. Extremamente lindo e com significados que  diferenciam de acordo com a interpretação do jogador, o titulo é sem duvidas um marco na historia do console e da criação de jogos independentes.

2 – Angry Birds

Angry Birds é um dos jogos indie mais famosos de todo o mundo, tanto que há quem considere que ele já nem deve ser considerado indie. De acordo com dados extraoficiais, o game da Rovio foi baixado cerca de 2 bilhões de vezes contando todas as plataformas em que está disponível, ou seja, um número muito acima de títulos AAA de consoles. O segredo do sucesso está obviamente no gameplay simples, porém viciante, no character design caricato e divertido, no preço baixo e na trilha sonora marcante.

O título é uma das experiências mais casuais que você pode ter: basta lançar pássaros contra porcos e seus obstáculos. Pronto, ai estava uma fórmula de sucesso sem igual. O game é provavelmente um dos mais bem sucedidos entre aplicações móbile e passou a barreira do sucesso, indo para consoles de bolso e de mesa. Depois disso, foi um “arremesso” para os pássaros mais bravos dos games ir parar em pelúcias, salgadinhos, brinquedos, um spin-off com Star Wars, etc. Um fenômeno. Você pode não gostar da simplicidade, mas com certeza tem de admitir que Angry Birds é um dos indies mais bem sucedidos da história.

1 – Minecraft

Um bom visual não precisa ser necessariamente realista e bem desenhado, mas sim criativo. Essa é a premissa de Minecraft, um dos maiores sucessos desta geração. Quem não perdeu horas e horas construindo algo nesse jogo e xingando os creepers aleatórios que surgem no mapa, não sabe o que esta perdendo. O game da Mojang deveria entrar para lista de drogas proibidas, pois o game realmente vicia muito. São raros os jogos capazes de prender o jogador na frente da TV com tanta competência quanto Minecraft.

Isso não é uma advertência, todavia. O jogo é muito bom e orientamos que todos o aprecie sem moderação. A ideia básica é permitir que o jogador construa coisas a partir de blocos usando picaretas e outros materiais. De acordo com produtora Mojang, Minecraft já foi acessado por mais de 11 milhões de jogadores (um número muito acima da maioria dos games AAA do mercado). Por fim, Minecraft é provavelmente o game indie de maior sucesso da história dos videogames.

 

Menções honrosas: Flow, Hotline Miami, Outlast, Max & the Magic Maker, Downfall, Papo & Yo, Tearaway

Colaboração: Victor Cândido

 E para você, quais Top 10 games independentes quebraram barreiras?

 

 

Mecânica quântica é o tema do game independente Gedanken

A mecânica quântica muitas vezes é tomada com uma ciência estranha, misteriosa e no mínimo não-intuitiva. Uma mecânica de jogo precisa ser clara, objetiva e, acima de tudo, divertida. O que acontece quando se mistura as duas em um projeto de jogo? O resultado é justamente o Gedanken experiment.

Gedanken é um jogo no melhor estilo puzzle action de plataforma 2D com gameplay baseado em desafios de física, lógica e ação. O jogador controla uma pequena partícula com um poder quântico de entrelaçar e manipular objetos do ambiente e percorre diversos planetas de uma galáxia diferente em busca de conhecimento próprio.

A história do jogo é assim: o personagem está sozinho em uma galáxia desconhecida e sua missão é ajudá-lo a explorar os mais diversos planetas para encontrar um amigo e descobrir o sentido de sua existência.

Gedanken é a palavra em alemão para “pensamentos”. Ela era comumente usada junto com a palavra experiment para indicar os experimentos mentais que os físicos faziam sobre determinadas ações do universo. Interessante demais, não?

No jogo você pode explorar vários mundos em busca de um sentido para sua existência, interagir com vários objetos usando seus poderes quânticos e tenha os mais estranhos resultados inimagináveis e ainda decifrar os intrigantes puzzles para descobrir que os mistérios do universo podem ser mais simples do que parecem.

Este projeto está sendo desenvolvido por:

  • Arthur Ciappina (Som /L evel Design)
  • Gabriel Ochsenhofer (Programação)
  • Ivan Freire (Arte / Animação)
  • Laura Couto (Storytelling)
  • Mariana Boucault (Game Design / Level Design)

Gostou? O game está sendo desenvolvido para Xbox 360, mas se você quiser jogar a versão alpha, pode baixar aqui, mas você precisa de um controle de Xbox com fio ligado no PC para jogar. Garanto que vale a pena e o projeto tem futuro. Vida longa ao Gedanken.

IGF divulga os finalistas de sua décima terceira edição

Os organizadores da IGF divulgaram a lista dos finalistas das seis categorias principais da edição 2011 do evento de premiação de games independentes.

São cinco escolhidos em cada categoria, além de diversas menções honrosas. A lista é um belo ponto de partida para quem quer conhecer games independentes de qualidade sem ter que ficar garimpando a web atrás deles.

Os vencedores serão divulgados durante a Game Developer Conference, que acontece entre os dias 2 e 4 de março nos Estados Unidos.

:: Confira a lista dos finalistas agora

PrimeSense lança drivers de código aberto para controle do Kinect

A PrimeSense, empresa responsável pelo sensor 3D do Kinect, disponibilizou oficialmente drivers open source para o aparelho. A novidade veio junto com a criação da organização OpenNI.

O OpenNI Framework traz as APIs necessárias para uso conjunto com dispositivos de Interação Natural (em inglês, Natural Interaction – NI). Os drivers permitem controle tanto do Kinect quanto do PSDK 5.0, um kit próprio de desenvolvimento da PrimeSense.

A idéia é integrar o OpenNI Framework ao conjunto de drivers independentes OpenKinect, comentou o site Next-Gen.

O download dos binários e dos códigos fontes do OpenNI Framework podem ser baixados do site oficial da OpenNI.

Nova competição de desenvolvimento independente dará US$ 150 mil em prêmios

Mais uma competição de desenvolvimento de games independentes está aberta, desta vez atrelada a comunidade IndiePub Games.

Esta é a primeira edição da premiação Propeller Awards, que acontecerá durante a convenção SXSW Interactive, entre os dias 11 e 15 de março em Austin, Texas, Estados Unidos.

Os games, que devem ser inscritos até o dia 18 de fevereiro de 2011 no site da comunidade, serão julgados por uma comissão e oferecerá ao grande vencedor o prêmio de US$ 50 mil.

Os quesitos arte, áudio, design e excelência técnica serão julgados separadamente, e o vencedor de cada uma das categorias receberá o prêmio de US$ 25 mil. O site do evento comenta, inclusive, da possibilidade dos participantes terem seus games distribuídos.

Caso você esteja interessado em participar, dê uma lidinha antes nas regras da competição, disponíveis aqui. E se for participar, deixe um comentário! Boa sorte!

[Via GamesIndustry]

Estúdio alemão prepara game para Dreamcast

O Dreamcast foi lançado há 12 anos. Há quase 10 anos a Sega anunciou que sairia do mercado de consoles, cessando a produção do aparelho. Mas o derradeiro videogame da empresa japonesa continua vivo.

Agora, a desenvolvedora alemã, Redspot Games, anunciou Sturmwind, um novo jogo de naves para o aparelho, que chegará ao mercado no meio de 2011. O game terá 16 níveis, e três diferentes modo de dificuldade.

Homebrews sendo lançados para o aparelho não são novidade, mas um game desse porte ser anunciado por um estúdio, para um console que já está morto comercialmente é curioso.

O game será vendido pelo site oficial da Redspot Games por 35 euros.

Difícil de acreditar? Tem uma entrevista com Max Scharl, da Redspot Games, no YouTube. Linkaremos aqui para o YouTube porque a entrevista está em alemão, e na página existe a transcrição, traduzida para o inglês.

[Via CVG]

Download: um game ao melhor estilo Contra em 8-Bit Commando

commando Hoje decidimos dar uma passeada pelos participantes da edição 2011 do Independent Games Festival, como fazemos todo ano.

Logo na primeira página, um game chamou a atenção: 8-bit Commando. Quando entramos no perfil do game, a imagem nos lembrou diretamente o bom e velho Contra.

Caimos no site oficial da americana 2DEngine e, felizmente, existe uma versão de testes beta para download. Baixamos e constatamos: é uma bela homenagem aos difíceis games de décadas passadas.

Corra na pele de um soldado, colete bônus, destrua inimigos, mas cuidado: um tiro e você já era. Um passo em falso, que leve a uma armadilha, não sobra soldado para contar história.

É muita sorte ter encontrado um game que nos trouxe tantas boas recordações ao visitar a primeira página, olhando o terceiro competidor…

A versão beta só tem o primeiro nível, mas vale o download.

:: Baixe 8-bit Commando agora

SBGames 2010 premia três produções brasileiras

Hoje mais cedo falamos do paper do leitor Fabrizio, que ganhou o prêmio de melhor artigo da track Arte & Design do SBGames 2010.

Mas ele não foi o único premiado. O evento premiou também três games brasileiros. Na categoria melhor jogo de PC, o game Krimson, resultado da colaboração entre os alunos da PUC-Rio, UFRGS e UFSM, levou o prêmio.

O game Star Triad, da Aiyra, foi considerado o melhor jogo de plataformas móveis e o jogo Paintin Rage, dos estudantes Luca Mattos Moller, Vinícuis Canaã Medeiros Ruela e Diego Ferreira Marcílio ganharam destaque entre os games criados na plataforma XNA, da Microsoft.

As equipes foram premiadas com licenças da Engine da Calibre Games (melhor game de PC), um carregador solar mobile da Intel (melhor jogo de plataformas móveis) e um treinamento na produtora Oniria (melhor game em XNA),

Em 2011, o SBGames acontecerá em Salvador, na Bahia.

Mudanças em Xbox Live Marketplace desagrada desenvolvedores indie

Alguns designers de games independentes acreditam que as recentes mudanças no Xbox Live Marketplace podem ter efeitos negativos, marginalizando suas criações.

A mudança em questão é que o Xbox Live Indie Games foram realocados da seção de Games para uma nova área chamada “Specialty Shops”, sumindo inclusive das buscas do Marketplace.

A preocupação é de que fique mais difícil encontrar os jogos, forçando gamers a procurar as criações indies em um lugar específico.

A Microsoft se explicou, informando que as mudanças são a melhor forma de melhorar a experiência do Xbox Live Marketplace, e afirmou que também melhorou a busca e classificação de jogos independentes no site Xbox.com e no Xbox Live Indie Games.

Download: White é um FPS gratuito e impressionante

Impossível não ficar impressionado com a qualidade do game White, principalmente quando vemos que ele foi criado em apenas quatro meses, por um grupo de estudantes de primeiro ano da Graduate School of Games and Interactive Medias, na França.

A equipe de oito talentosos profissionais resolveu direcionar o foco dos games de tiro em primeira pessoa para outro ponto. Em vez de sangue, os tiros espirram tinta. Mate os oponentes, e o cenário funcionará como uma tela, sendo preenchido com as cores.

O mais bacana é que White convida os jogadores a compartilhar a tela gerada durante a partida, o que gera curiosos resultados, disponibilizados para visualização a partir de seu site oficial.

Quer mais? O jogo é de graça. Infelizmente não conseguimos tempo de testá-lo ainda, mas já está na fila do download. Quem quiser, está convidado a resenhar o game nos comentários!

O pessoal que fez esse jogo vai longe…

:: Acesso o site oficial e baixe White