Arquivo da tag: Google Play

Conheça Ponami, o game inspirado na cultura indígena da Jogos Aurora

E é com inspiração na cultura indígena que o pessoal do estúdio Jogos Aurora criou o game Ponami, um RPG que conta a história de uma jovem arqueira que deve proteger seu povo das investidas violentas das criaturas místicas chamadas Talástreas. O game será lançado no próximo dia 20 de março para Android e a expectativa é que sua trama envolvente e o uso do folclore e costumes indígenas desperte o interesse do público.

De acordo com os desenvolvedores, Ponami é inspirado nos jogos de plataforma da década de 90 e nas mecânicas dos RPGs clássicos. A Jogos Aurora fez uma pesquisa ampla sobre culturas e costumes indígenas. O resultado foi uma aventura épica baseada nos mitos da cultura indígena das Cordilheiras. Ponami é uma guerreira que cresceu no povoado da Cordilheira de Sajor, uma civilização próspera.

unnamedDiferente da maioria dos jogos para celular, em Ponami o jogador irá encontrar um roteiro original e complexo, além de um conceito artístico criado para impressionar e cativar o público.

“Nós estudamos muito a cultura inca, seus mitos e expressões artísticas para produzir o jogo e deixa-lo o mais fiel possível”, explica Marina Torrecilha, artista do jogo. “Tudo o que o jogador encontrará em Ponami está alí por uma razão e tem papel importante na construção da narrativa ou na imersão”, completou.

Sobre o desenvolvimento de Ponami

O objetivo por trás do desenvolvimento de Ponami era criar um jogo com uma história completa, bem elaborada, com personagens cativantes e uma trilha sonora imersiva. De acordo com Pedro Schabib, programador e level design de Ponami, a América Latina é a região mais rica em mitologia e folclores e por isso foram a grande inspiração para o game.

16712055_1143024415823923_9126595889685626899_n

O jogo será lançado no dia 20 de março e estará disponível gratuitamente na PlayStore. Ainda serão lançados mais cinco mundos em formato de DLC gratuita que expandirão o universo de Ponami para outras culturas e civilizações. Você pode obter mais informações sobre Ponami, na página da Jogos Aurora no Facebook.

Conheça o game indie Ninja Pixel do estúdio FlipFlop Lab

Hoje o destaque é para o game indie Ninja Pixel, do estúdio paulista FlipFlop Lab. Trata-se de um game de plataforma em que os jogadores controlam um simpático ninja que precisa enfrentar hordas inimigas para resgatar a princesa Rosa que foi sequestrada inexplicavelmente. O game é para smartphones e tablets e promete ser uma boa pedida para quem busca jogos casuais com bastante diversão e fator replay.

O estúdio FlipFlop tentou inovar com este game, de modo que a jogabilidade é bastante inovadora, envolvendo elementos de time shift e visuais retrô.  A intenção é unir a melhor tecnologia com elementos do passado, tornando o game amigável para diferentes públicos. Os controles, aliás, são bastante simples e foram desenvolvidos para que as crianças possam jogar sem problemas.

A movimentação é descomplicada: basta tocar na tela e apontar para o lado contrário que você deseja se lançar como se fosse um estilingue. Já os ataques são efetuados ao simples toque da tela. Por falar nisso, os combates são elementos importantes da jogatina, pois você deve eliminar todos os adversários para libertar a princesa. Mas lembre-se que cada fase tem uma quantidade limitada de movimentos para dar mais emoção ao jogo.

Pixel Ninja já está disponível gratuitamente para mobile através da App Store e Google Play. Os desenvolvedores da FlipFlop lab estiveram na BGS 2016 para que os visitantes pudessem conhecer diversos jogos, destaques para New Slide Puzzle, Jack’s Halloween, Orbita e Scott & Gordon.  Este último, aliás, foi o principal destaque do estande. Nele os jogadores devem ajudar dois detetives a encontrar vilões escondidos ao redor do mundo. Sim, bem à lá Carmen Sandiego.

Abaixo você confere o trailer de Scott & Gordon, mesmo game dos criadores de Ninja Pixel:

Game indie Soccer Buddy atinge 1 milhão de downloads no Google Play

Hoje vamos falar de mais um título produzido no Brasil que já se tornou sucesso de público!  Soccer Buddy é um projeto bastante modesto, tendo sido produzido por apenas uma pessoa, mas que já tem público invejável por projetos grandes. O game acabou de alcançar mais de 1 milhão de downloads através da Google Play.

Para quem não conhece, em Soccer Buddy você treina jogadores e desenvolve suas habilidades até se tornarem estrelas do cenário internacional. O game tem um clima e visuais voltados para o público casual. Deste modo, você deve desbloquear diversas coisas ingame, como Camisetas de times, chuteiras, habilidades etc. Mas para tanto você deve desenvolver as habilidades típicas de uma estrela em ascensão, ou seja, pênalti, falta, pontapé livre, passe, driblar, controle de bola, ataque meio-campo e defesa!

De acordo com Raul Ando, criador do jogo, Soccer Buddy é feito para jogadores de todas as idades desfrutarem. Há diversos modos de jogo e o grande destaque é a Entrevista para a imprensa, onde o jogador fala exatamente o que você falar no celular, através do sistema de repetição. Dá para se divertir bastante e fazer aquela zoeira básica dos brasileiros.

O título está disponível para celulares a tablets Android gratuitamente. Devido a sua natureza casual, dá para jogar durante horas e a Inteligência artificial se adapta a seus passes e tiros fazendo com que cada partida seja diferente da anterior. Portanto é importante adaptar-se também para não ficar atrás, ou seja, definir formação, plano tático etc.

Abaixo tem um gameplay de Soccer Buddy:

Conheça o lançamento Paper Chicken 3D, do estúdio indie OpenLvl Games

Hoje vamos falar do projeto Paper Chiken 3D, um game de ação 3D que coloca o jogador no papel de um fazendeiro que deve defender suas preciosas galinhas contra hordas de inimigos e alienígenas utilizando estratégia e inteligência de maneira efetiva. O jogo parece simples, porém conta com um nível de dificuldade aguçado, que farão os jogadores mais determinados se divertiram bastante.

O título é criação do estúdio OpenLvl  Games, que fez todo o esforço possível para dar uma cara divertida ao título, desde a jogadbilidade até o estilo cartunesco. A intenção foi a de agradar todos os tipos de jogadores, inclusive os mais jovens. Mas o maior destaque é a dificuldade: os inimigos são incansáveis e não darão descanso ao jogador.

Para contê-los você terá uma variedade de armas, mas terá que poupar algumas moedas para desbloqueá-las e habilidade para conseguir os upgrades para deixá-las mais fortes, com mais munição e mais precisas. Além disso, você terá que combinar o tempo de disparo com o seu tempo para recarregar. E atenção para eventos aleatórios como a chuva, pode ser a sua chance de espantar todos os inimigos por algum tempo, se atirar na nuvem em precipitação.

Paper Chicken 3D é um jogo que testa o seu raciocínio, e a sua habilidade. Você terá que ser rápido no gatilho e contar com um pouco de sorte também. Outro destaque do jogo é sua extensão: o player terá que avançar 59 fases, enfrentando 9 inimigos e conquistando melhores armamentos para proteger suas galinhas.

Para quem não conhece, a OpenLvl Games é um estúdio bastante novo e cheio de ideias. De acordo com os responsáveis, há uma série de jogos no estilo cartoon para todas as idades, e Paper Chicken 3D é justamente o primeiro título dessa linha que combina simplicidade e diversão com ação e estratégia. O game já está disponível para download gratuito através da Google Play.

Abaixo tem o trailer de Paper Chicken 3D:

Will: game do estúdio Broz alerta para os males do tabagismo

O game de hoje e criação do estúdio independente Broz, criado pelos desenvolvedores Luis Rodrigo, Diego Brandao e Walter Yanko. O game chamado “Will” é uma forma de alertar sobre os males do tabagismo e os males do cigarro na saúde das pessoas. A forma como o jogo aborda o tema é de forma lúdica e bem simples de compreender.

Will apresenta diversos minigames, sendo que cada um deles incentiva o jogador a evitar o fumo, sendo ele ativo ou passivo. Para isso, o jogador deve prestar atenção em como a indústria do tabaco age na surdina para viciar o consumidor, como por exemplo, propaganda enganosa, coerção nos postos de venda, associação ao prazer gustativo etc.

Os minigames são bastante simples, mas a ausência de um tutorial no início das missões podem confundir e atrapalhar o jogador. Entretanto, de acordo com os desenvolvedores, parte do desafio é advinhar a mecânica de cada desafio e enfrentar a dificuldade progressiva. A intenção da equipe Broz parece ter sido justamente fazer o jogador refletir e agir rápido contra o fumo.

De acordo com Luis Rodrigo, o tabagismo é a principal causa de morte evitável do mundo e o principal alvo da indústria tabagista são as crianças e adolescentes. Não por acaso, algumas das missões do jogo até aparecem bebês e adolescentes. Cabe ao jogador evitar que essas pessoas caiam nas garras da indústria do fumo.

São diversos mingames que variam de colocar máscaras de gás em fumantes passivos, retirar maços escondidos nas compras do mercado, fugir de propagandas etc. Ao ter sucesso nas missões o score vai subindo, de modo que ao final você pode publicar seu score para desafiar os amigos nas redes sociais. Conforme avança nas missões, a velocidade vai subindo, tornando o desafio mais divertido e eletrizante.

O título é o primeiro game criado pelo estúdio Broz e é parte do movimento de serious games no Brasil: o ludoativismo. Apesar da falta de tutorial, o game e bem simples após descoberta a mecânica de cada missão. É um jogo que seu filho deve conhecer. O download pode ser feito na Google Play gratuitamente.

Will: jogo brasileiro contra o tabagismo

Fighting Game Rotation: desenvolvedor cria sistema de rotação para jogos de luta

Quem já jogou Smash Bros. em grupo de amigos sabe que é um verdadeiro martírio acompanhar para saber de quem é a vez após algumas rodadas. Em dado momento fica mais do que confuso saber de quem é a vez se a fila de amigos for superior a 50 pessoas, certo?

Foi pensando na ausência de um sistema “Rotation” que o desenvolvedor indie Tiago Dávila criou o aplicativo Fighting Game Rotation que serve para controlar a rotação de jogadores quando eles estão reunidos em grandes grupos, de modo que fica mais fácil acompanhar de quem é a vez nos jogos de luta. De acordo com Tiago, a aplicação surgiu porque ele e seus amigos utilizavam bastante o sistema, e sentiram-se perdidos quando o novo Smash Bros. não veio com esta função.

Fighting Game Rotation não serve apenas no Smash Bros., mas também em outros jogos como Tekken, Marvel vs Capcom, Splatoon, entre outros. A ideia é manter as partidas e o tempo de espera mais organizado, sem que nenhum dos jogadores fique omitido no meio da multidão. Além disso, a aplicação serve para mostrar quem é o melhor e o pior jogador do grupo.

O aplicativo foi lançado exclusivamente na Google Play e tem o preço de R$ 2,50.

Big Tower da Insane Sheep agora é gratuito

O time do estúdio Insane Sheep lançou recentemente o novo update do jogo Big Tower. Esta é a terceira atualização e com ela foi introduzidas novas características e conteúdos ao jogo original, bem como a transição do game para o modelo Free to Play e a disponibilidade é exclusiva para os usuários do Google Play.

Esta mudança de modelo de negócios é como um presente de fim de ano, visto que todos os jogadores podem jogar o game gratuitamente e sem as conhecidas microtransações. Vale lembrar que Big Tower foi lançado inicialmente em fevereiro de 2014 e desde então vêm recebendo atualizações constantes.

Além dessas mudanças, Big Tower ganha dois novos troféus; um sistema de recompensas para quem jogou o game antes de ele tornar-se gratuito; a adição de barras de energia para os inimigos; novos visuais para os menus, animações etc.Também vale destacar que o jogo ganhou um novo modo de jogo que visa testar o conhecimento do jogador. A lista completa de mudanças pode ser conferida no site oficial.

Para quem não conhece, o jogo é um Tower Defense com estilo visual clássico da era 8 bits. Na trama, o jogador deve ajudar o Kid Z e o Professor Genius em uma missão que envolve viagem no tempo para recuperar artefatos históricos  que servirão para criar a Big Tower, a maior torre jamais criada e a única arma capaz de vencer o vilão Kinky, que ameaça a segurança do mundo. O jogo é dos poucos a mesclar um conceito de jogo recente, com gráficos retro.

Veja abaixo o trailer do game Big Tower:

Street Skaters: novo game indie para amantes de manobras radicais

O game do dia é cortesia do desenvolvedor individual Raul Ando, o mesmo desenvolvedor responsável pelo jogo Dog Escape 3D. O novo jogo chama-se Street Skaters e é para plataformas mobile. Tal qual os games do gênero, o jogador deve seguir em frete fazendo manobras em diferentes cenários como ruas, parques, calçadas etc.

O game é bastante simples em diversos aspectos, como gráficos, sons e jogabilidade. Raul havia lançado dois games no primeiro semestre a fim de avaliar o mercado. Desta vez a intenção é lançar um game mais elaborado e estudar a reação dos consumidores, para posteriormente melhorá-lo e lançar uma nova versão.

A princípio, o jogador tem a opção de escolher qual personagem pretende utilizar para fazer as manobras, entre eles estão Mike Vick e Dereck. O objetivo é pontuar fazendo manobras tradicionais como ollie, kickflip, hellflip, 50-50, entre outras, nos obstáculos que surgem pelo caminho como rampas, escadas, bancos, plataformas etc.

Como destaques, podemos apontar que o game possui várias opções de idioma, incluindo português, inglês e espanhol. Além disso, o game tem integração ao Facebook, para que os jogadores exibam suas respectivas pontuações obtidas com as manobras na rede social. O game é gratuito e pode ser acessado através do Google Play.

Segue o trailer do trailer Street Skaters:

MaoGames lança seu primeiro game: Orange Blocks

O destaque de hoje é o game indie Orange Blocks, desenvolvido inteiramente pelo desenvolvedor Gleyton Lima de Manaus. O desenvolvedor montou um estúdio chamado MaoGames e este é o primeiro jogo da desenvolvedora. O título foi desenvolvido na Unity 3D e é um puzzle casual e lembra um pouco Crazy Construction do 3DS. Basicamente o jogador deve empilhar quantos blocos laranja for capaz para aumentar a pontuação.

A jogabilidade é simples, porém desafiante: basta tocar na tela para fazer a sequência de blocos que passa na tela descer, feito isso eles vão se equilibrando uns nos outros. A intenção é ter bons reflexos e ser preciso para empilhar os blocos, pois quanto mais alto vai ficando a pilha, mais rápido os blocos vão passando, tornando difícil a tarefa de manter pelo menos um bloco empilhado por vez.

De acordo com o desenvolvedor, mesmo na simplicidade existe uma breve história para se empilhar os blocos laranja: a energia deles vem do sol, portanto quanto mais alto eles chegarem mais contentes eles ficam. Ao atingir mais de 25 pontos é desbloqueado um desafio especial contra a figura maldosa do Losango Roxo, que pretende bloquear o sol com um feitiço e criar uma tempestade eterna.

O game é bem casual e busca agarrar os jogadores interessados em partidas rápidas, simples e divertidas. O gameplay pode até mesmo viciar, devido ao fator diversão. Orange Blocks já até foi lançado e está disponível no Google Play.

Abaixo tem o vídeo do jogo Orange Blocks:

Carranca Games apresenta KAIJU: Infestation, seu jogo de realidade aumentada

A realidade aumentada não é uma mera fantasia da ficção científica. A tecnologia já existe e está ao alcance de todos nós. Não vemos muitos games fazendo uso da tecnologia por algumas razões simples: a primeira é que a indústria considera a tecnologia pouco usual para ser utilizada fora de casa e pelo fato de muitos acreditarem que seu uso em aplicações é pouco rentável.

Apesar disso, a desenvolvedora indie Carranca Games acredita na inovação e por isso resolveu que seu novo jogo fará uso da realidade aumentada. O game em questão é KAIJU: Infestation, um mini-game para o mercado mobile que tenciona fazer do mobile do jogador em uma arma enquanto que o próprio jogador é um Robô Gigante.

Apesar de ser um mini-game, o título tem uma história pra contar: a trama se passa em uma ilha próxima a uma usina termonuclear. De alguma forma a usina emite um barulho que desperta os Kaijus (grandes monstros marinhos), e estes vão em direção à ilha para destruí-la juntamente com a usina que atrapalhou seus sonhos.

O que os Kaijus não sabem é que se destruírem a cidade eles próprios serão destruídos na explosão. A partir daí surge Kaori, a filha de um grande cientista, que motivada a salvar a cidade e continuar o legado de seu pai faz os últimos ajustes no robô gigante capaz de enfrentar os perigosos kaijus e evitar a eminente catástrofe.

O game é do estilo FPS e a realidade aumentada é amplamente explorada no game. Para jogar é necessário ter o tabuleiro do jogo, onde o cenário irá surgir. O smartphone é usado como arma contra os monstros que surgirem. O objetivo é simples: impedir que os kaijus cheguem até a usina. Esses monstros chegam em hordas, ou seja, a cada kaiju derrotado surgem novos mais rápidos e mais fortes, de modo que o game fica mais difícil com o passar do tempo. Ao todo são oito “waves” – o que dá cerca de 7 minutos de jogo.

O estúdio Carranca Games tencionou criar um game simples e casual, incentivando os jogadores a bater seus próprios recordes a cada nova partida. O uso da realidade aumentada serve justamente para distanciar o game de tantos outros que existem no mercado, ou seja, é um fator a mais para a imersão do jogador e criar um fator diversão pouco explorado por outras produções.

O game já está disponível no Google Play. Tomara que mais estúdios resolvam apostar na realidade aumentada, pois os resultados são sempre surpreendentes.

Abaixo tem o vídeo gameplay para que você tenha ideia de como o jogo funciona o game KAIJU: Infestation: