Arquivo da tag: Gears of War

Os 25 games mais marcantes da geração PS3, Xbox 360, Wii

consoles-ps3-wii-xbox-360-620x24

A geração PS3, Xbox 360 e Wii foi uma das mais longas da história dos videogames, porém tudo que tem um início também tem um fim, como declamava o cartaz de Matrix Revolutions. Provavelmente essa foi a melhor geração de videogames de todos os tempos. Vimos muitas inovações surgindo como controles de movimento e a adição do BluRay. Vimos também novas IPs surgindo como Dead Space e Dragon’s Dogma, mas também vimos franquias ressurgindo como verdadeiras Fênix como Street Fight e Tomb Raider. Pudemos acompanhar a consagração da Unreal Engine, a queda e levante de gigantes como Microsoft e Sony e a volta por cima da Nintendo como a maior fabricante de videogames do mundo.

Mais importante que isso: vimos centenas de jogos de qualidade surgindo ao mesmo tempo e de todos os lugares. Havia meses em que a grana ficava até curta para decidir qual jogo jogar em meio a tantos lançamentos queridos. O ano de 2013 marca a chegada definitiva dos videogames de nova geração (apesar do Wii U já estar no mercado), e isso significa que aos poucos nossos atuais consoles estarão obsoletos e esquecidos pelas produtoras de games. Por este motivo, resolvemos prestar uma ode aos 25 jogos que definiram a atual geração de videogames. Confira:

 

25 – Left 4 Dead 2

De acordo com a revista Edge, a Valve é a melhor produtora de games do mundo. Ora este é um título muito alto para ser dado a qualquer produtora. Talvez pelo conjunto da obra eles sejam mesmo, afinal foram eles os responsáveis por grandes obras como Half Life, Portal, Dota 2, Team Fortress e o nosso favorito: Left 4 Dead 2. O game de zumbis melhorou o que o original já tinha de bom e fez história com sua interação puramente baseada no trabalho em equipe. Nem é necessário dizer que virou febre entre os jogadores. O título foi um dos mais divertidos dessa geração e apesar de ter sido lançado em 2009 ainda podemos encontrar muitos jogadores nos servidores dispostos a conter todas aquelas ondas infernais de zumbis. Uma sequência ainda é muito aguardada!

 

24 – Minecraft

Minecraft provou que um game não precisa de gráficos foto realistas para fazer. O game não tem um visual feio, sejamos francos, mas sim criativos. Além disso, o jogo foi engendrado com aquele fator viciante, não por acaso tornou-se um dos campeões de download na Xbox Live. Outros games com alma indie conseguiram sucesso, tal como Fez, Super Meat Boy e Braid, mas foi Minecraft a romper a barreira dos milhões de jogadores. O jogo é um dos mais criativos da historia além de trazer um dos vilões mais irritantes de todos os tempos: o Creeper.

 

23 – Fallout 3

Fallout 3 foi mais um game da Bethesda Softworks, lançado em 2008, o título de RPG em primeira pessoa mostrava um mundo pós-apocalíptico em que o jogador tinha toda a liberdade de exploração. O game não se tornou tão famoso quanto o outro jogo da empresa (Elder Scrolls), porém nem por isso merece descrédito. A ausência de linearidade, a liberdade de customização e os finais alternativos foram muito elogiados pelos jogadores, que ainda aguardam uma sequência para a franquia. Provavelmente isso deve acontecer na nova geração de consoles.

 

22 – Far Cry 3

Num Mercado tão atulhado de FPS, é difícil um game se destacar positivamente. Far Cry 1 e 2 podiam ser bons jogos, mas não conseguiram cai nas graças do público tal qual ocorreu com Far Cry 3. O game da Ubisoft despontou com gráficos de ponta, um enredo de tirar o fôlego e uma liberdade de movimentação jamais vista em um game desse gênero. Os cenários também são um ponto alto do jogo, além da atuação dos atores. O trabalho cirúrgico resultou não apenas em boas críticas, mas também em m números para a Ubisoft: até o fechamento desta matéria o game tinha vendido cerca de 5 milhões de unidades, de acordo com o site VG Chartz, muito acima de seu antecessor.

 

 21 – Wii Sports

Wii Sports foi a estreia da Nintendo nesta geração e apesar do Wii não ser tão aperfeiçoado como o Kinect da Microsoft em questões tecnológicas, esse jogo de esporte com controles de movimentos não é ruim e proporcionou momentos de diversão sem igual. Claro que esse tipo de jogo não é para ser jogado sozinho, mas sim com uma grande galera, ou seja, não espere compromisso. Tudo aqui é para ser feito e levado na esportiva. Vale mencionar que este game foi o responsável pela massificação de jogos party na atual geração.

 

20 – Tomb Raider

Lara Croft foi um verdadeiro ícone no final dos anos 90 e era reconhecida até por pessoas que não jogavam videogames. O sucesso era tanto que os produtores até trataram de levar a franquia para o cinema duas vezes (e com status de arrasa-quarteirão). Mas daí vieram jogos de qualidade duvidosa na era PS2 e aos poucos a arqueóloga mais famosa do mundo foi perdendo a relevância. Era necessário fazer algo para recuperar o prestígio da série. Após o fim da  Eidos, ficou a cargo da Square-Enix tomar o peso de Tomb Raider para si. A reinvenção da série foi produzida pela conhecida Crystal Dynamics que não desapontou. O novo game chegou cheio de drama e ação, revelando uma lara mais frágil e humana. É cedo para afirmar que Tomb Raider é um dos mais marcantes dessa geração? Definitivamente não. Jogue e veja por si mesmo.

 

19 – Rayman Origins

Rayman finalmente voltou a ser um gigante com este game de 2011! Origins é um dos jogos mais belos desta geração, além de ser muito divertido, é claro. O jogo conta com uma aventura sem igual, cativante e totalmente descompromissada, afinal sempre é bom jogar algo para não se levar muito a serio. Como se não bastasse, o game da Ubisoft revitalizou sozinho o gênero de plataforma 2D.

 

18 – Batman Arkham City

Arkham Asylum foi o primeiro game de super-heróis a funcionar de verdade (desculpe Spiderman). Melhorar a experiência de jogo parecia uma tarefa impossível e houve quem estivesse preocupado se o time da Rockstead podia melhorar o que já era perfeito. A resposta foi um sonoro sim. O mundo aberto de Arkham City trazia uma melhoria gráfica (ainda que discreta) e toneladas de missões paralelas garantiram que nunca foi tão divertido estar na pele do Batman em um game. O final então foi digno de nota. A série Arkham tornou-se assim sinônimo de bons jogos: basta ver a expectativa da comunidade para pôr as mãos em Origins. A qualidade da obra é tanta que somente pode ser equiparada aos filmes de Nolan, nada mais.

 

17 – Red Dead Redemption

De fato, ele é o GTA do velho oeste, e o melhor: é um dos melhores games da Rockstar (talvez até melhor em alguns aspectos que GTA IV). É praticamente impossível não apreciar a aventura de John Marston em meio aos cenários e reviravoltas típicas dos filmes clássicos do Clint Eastwood. Para àqueles que achavam que a coisa ficaria melhor com zumbis (por mais estranho que pareça), a produtora ainda lançou o Undead Nightmare, que como diria o Amauri JR: “é simplesmente um luxo!”.

 

16 – Halo 3

Halo 2 teve um final insosso, e isso é um fato que até os maiores fãs da franquia criada pela Bungie não podem negar. Com Halo 3, havia a promessa de que Master Chief diria adeus (o que de fato não aconteceu). Apesar disso, o terceiro jogo da franquia foi um verdadeiro épico do início ao fim. Não tinha os melhores gráficos quando foi lançado e hoje em dia é fácil apontá-lo como o Halo mais fraco do Xbox 360, porém se o conjunto da obra não tivesse sido satisfatória a IP mais importante da Microsoft estaria abalada até hoje. As duas únicas ressalvas é que se você não jogou Halo 2 no primeiro Xbox fica difícil de entrar no clima do universo dos Spartans, mas nem por isso ele deixa de ser um dos melhores jogos da poderosa Caixa X.

 

15 – Street Fighter IV

SF IV pode não ser tão famoso quanto Street Fighter 2, porém consegue ser o melhor jogo de luta desta geração. A renovação visual, que mistura o 2D com o 3D, conseguiu reunir o melhor da velha escola com as inovações da atual geração. O game viralizou em eventos de games e tornou-se um dos favoritos dos jogadores em todo o mundo.

 

14 – GTA IV

A Rockstar ainda não lançou a quinta versão, mas até lá dá para se divertir muito com a Liberty City de GTA IV. Se o pacote principal não é o bastante, ainda tem as expansões que garantem GTA IV como um jogo obrigatório para quem está empenhado nesta geração, pois traz um visual deslumbrante, uma trama muito bem construída e muito conteúdo que só enriquece a obra. Se há um motivo para o entusiasmo geral com GTA V é porque a Rockstar não costuma desapontar a cada novo lançamento de sua série mais brilhante, como bem provou o quarto game.

 

13 – The Last Story

O último jogo de Hironobuo Sakaguchi, o lendário criador de Final Fantasy. Só isso já é motivo suficiente para considerá-lo um marco da geração de videogames, independente da qualidade do jogo. Para muitos, The Last Story é considerado o Final Fantasy XIII deveria ter sido. E, de fato, ele é um titulo realmente injustiçado, pois é um RPG bastante ambicioso. Diverte bastante e possui visuais agradáveis para o Wii. Infelizmente não se ouviu falar muito dele por aqui, como se nem existisse no ocidente. Na terra do sol nascente o titulo fez historia.

 

12 – Super Mario Galaxy

Nenhum console da Nintendo poderia ser cobiçado se não tivesse um game do Mario, isso é uma regra. E nenhum game do Mario pode ser mediano, essa é outra regra. Com Mario Galaxy a Nintendo conseguiu criar o game de plataforma mais bacana do Wii e dar um bom motivo para as pessoas investirem no aparelho. O game da Big N gerou uma continuação e inspirou outros títulos por aí, inclusive de seu antigo rival: Sonic Lost Worlds.

 

11 – MGS 4

O jogo foi lançado em 2008 e por isso parece batido atualmente, porém ele é um dos claros exemplos de jogos que envelheceram bem. Metal Gear Solid 4 é provavelmente o melhor MGS já feito, pelo menos até a chegada de MGS5. Com este jogo Kojima conseguiu reafirmar sua posição de um dos melhores produtores em atividade no mercado. Não por menos, a Kojima Productions é o estúdio mais rentável e maior esperança da Konami, que ficou cada vez mais dependente de Kojima e seus jogos atualmente.

 

10 – Uncharted 2

Uncharted 1 foi um game promissor e por isso conseguiu a confiança da Sony e dos jogadores para uma sequencia. Uncharted 2 chegou em 2009 e rapidamente se tornou um dos mais bem sucedidos jogos do Playstation 3. Além disso, a aventura de Nathan Drake foi muito ovacionada pela crítica, conquistando muitos prêmios ao redor do mundo e milhões de consumidores. Outro fator que eleva a importância de Uncharted 2 como um dos mais preciosos dessa geração é o fato de que games exclusivos simplesmente minguaram  nessa era e o game da Naughty Dog conseguiu ser um dos raros games que vendem consoles. Assim, a produtora colheu os louros desse excelente game, tornando-se o principal estúdio 1st party da Sony.

 

9 – The Legend of Zelda: Skyward Sword

Aqui temos Skyward Sword, o badalado título para Wii. O que falar do título? Dizer que é um dos melhores games Zelda já criados é chover no molhado. Talvez a pergunta certa seria: o que o torna tão bom? Será o fato de consertar a bagunça que é a cronologia da série? Ou será sua construção de design baseada no Wii Remote? Os gráficos que mesclam realismo e cell-shading? Ou seriam as mecânicas de jogabilidade que relembram os velhos clássicos. Esqueça. Os conjuntos da obra fizeram os jogadores esquecerem gradualmente o (ótimo) Twilight Princess para ovacionar Skyward Sword o melhor título da série para o Wii.

 

8 – Heavy Rain

Alguns relutam em considerar Heavy Rain como um jogo de videogame, e não podemos culpá-los: a Quantic Dream já disse certa vez que seus produtos funcionam mais como filmes interativos. Independente de como vamos considerá-lo, o fato é que Heavy Rain foi um marco nessa geração, seja por seus gráficos ainda impressionantes ou pela sua narrativa cheia de suspense. Sua importância pode ser constatada com o apelo que o próximo jogo da produtora já começa a gerar (Beyond: Two Souls). Além disso, pode ser cedo para dizer alguma coisa, mas a próxima geração pode ser fortemente influenciada pelo estilo de narrativa de Heavy Rain, ao menos o anuncio de Quantum Break da Remedy parece seguir por um caminho semelhante…

 

7 – Gears of War

Sejamos francos: a primeira onda de games do Xbox 360 não impressionariam nem mesmo o seu irmão menor. A EGM americana pegou muito no pé do novo console afirmando que o salto gráfico era pífio. A situação não melhorava a cada vídeo forçado que a Sony divulgava do Playstation 3. Parecia que o 360 era duas ou três vezes menos potente que o videogame da Sony. Mas aí surgiu Gears of War e toda a imprensa ficou encabulada. “O primeiro jogo com cara de nova geração”, diziam as chamadas. O game da Epic elevou o padrão e popularizou de vez o gênero TPS, além disso ele tinha muita ação e uma mecânica viciante. Por meses foi o game número 1 na Xbox Live.

 

6 – The Last of Us

A Naughty Dog foi a desenvolvedora que mais brilhou na trajetória dos exclusivos PS3, e o ultimo jogo da produtora para o console superou em muito as expectativas. Muitos irão dizer que é hype do momento e coisa e tal. Mas o fato é que The Last of Us foi uma gota de inovação que caiu nesta geração. Um jogo ousado, cinematográfico e que com certeza ficará em nossas memórias durante muito tempo. E o trabalho de dublagem merece muitas vivas!

 

5 – Assassin’s Creed

Existe a Ubisoft antes e depois de Assassin’s Creed, isso é fato. A franquia dos assassinos não apenas colocou a Publisher francesa em alta no mercado de games como tornou-se uma das séries mais adoradas em todo o mundo. Muitos hoje em dia torcem o nariz a cada anuncio de um novo jogo, contudo, as filas sempre se formam a cada lançamento. Em 2007 todas as produtoras estavam se esforçando para criar novas IPs que marcassem a geração que acabara de chegar ao mercado, mas poucas franquias tiveram um impacto tão grande na indústria. Quantas franquias de seis anos se tornaram best-sellers, lançaram livros, curta metragens, quadrinhos, etc? Não duvide se a mais valiosa e rentável série da Ubisoft chegar às telas de cinema.

 

4 – Modern Warfare 2

Uma maratona de ação! Depois do saudoso Contra III: The Aliens War para Snes jamais imaginaríamos outro jogo que levasse a guerra com uma pegada tão frenética. As batalhas eram intensas e levavam o jogador a uma verdadeira turnê mundial regada a balas e perseguições. E cara, apesar das polêmicas, como nós amamos a fase da favela carioca!

 

3 – Bioshock

Bioshock é um dos maiores destaques desta geração. Além de ter um dos personagens mais memoráveis dos games (Big Daddy), o título conta com um enredo rico e com em excelente conteúdo. Consegue ser filosófico, ousado e desafiante, ao mesmo tempo em que gera tensão.  Bioshock é sem duvidas um dos melhores desta geração e foi um dos maiores acertos da 2K Games.

 

2 – The Elder Scrolls V: Skyrim

Morrowind era grande, Oblivion era um titã e Skyrim foi um colosso. Quando foi lançado em 2011 poucos imaginavam que o game da Bethesda pudesse se tornar um dos melhores e mais famosos jogos dessa geração. Apesar das pequenas falhas técnicas, é inegável a qualidade conquistada pelos produtores, que conseguiram criar um jogo rico em detalhes e missões, o que se converteu em pelo menos 100 horas de jogo contando as side-quests. O sucesso de Skyrim também influenciou o desenvolvimento de outros RPGs ocidentais. Apostamos que quando o próximo Elder Scrolls for lançado, ele ditará novas tendências e irá se tornar mais um colosso da Bethesda. O título recebeu a lendária nota 40/40 da Famitsu e colecionou prêmios de “melhor do ano” em diversos veículos.

 

1 – Mass Effect 2

A franquia Mass Effect teve seu momento de auge com o segundo episodio. Não que o primeiro e o terceiro Mass Effect tivessem sido ruins, muito pelo contrario, mas o segundo jogo é marcante de verdade. São vários aspectos para coroá-lo o melhor da trilogia: o título traz um sistema de dialogo altamente funcional que faz com que qualquer coisa dita impacte severamente na historia do jogo, agrada em cheio os fãs de “space opera” e tem um quê de Star Trek que torna toda a experiência magistral.

 Colaboração: Victor Cândido

Quais games marcaram vocês nessa geração?

Thiago Adamo lança o disco “Clash of Game Music” gratuito para download

Depois do lançamento de Gears of Music, o compositor e produtor de trilhas sonoras para games, Thiago Adamo, lança durante a Campus Party Brasil 2012, o seu novo trabalho, intitulado Clash of Game Music. O disco traz composições feitas por Thiago Adamo para o mercado de jogos eletrônicos e também tributo a trilhas sonoras clássicas do mundo dos games. Neste álbum foram homenageadas as trilhas sonoras dos jogos Halo, Mass Effect, Forza MotorSport, Streets of Rage, Gears of War, e Shadow of the Colossus.

Com relação aos trabalhos autorais, o disco Clash of Game Music apresenta as composições que Thiago Adamo produziu durante os seus primeiros 5 anos de trabalho no mercado de games, entre elas a composição feita especialmente para o concurso Game Music Brasil, que foi o clipe da categoria “produção de trilha sonora” mais visualizado do evento. As produções variam entre composições orquestradas e eletrônicas.

O disco Clash of Game Music será apresentado durante a palestra de Thiago Adamo durante a Campus Party Brasil, no dia 9 de fevereiro, próxima quinta-feira, às 20 horas. Thiago Adamo falará sobre a criação e composição de trilhas sonoras para jogos de videogame.

Vale ressaltar que o disco Clash of Game Music não possui fins lucrativos e será disponibilizado para download gratuito, no endereço: www.pxldj.com/clashofgamemusic.