Arquivo da tag: Electronic Arts

Electronic Arts anuncia Fe para Xbox One, PS4, PC e Nintendo Switch

A Electronic Arts anunciou que Fe, do programa EA Originals, será lançando no mundo todo no início de 2018. Desenvolvido pelo estúdio sueco Zoink Games e vencedor de diversos prêmios, Fe é um novo tipo de jogo de plataforma sem palavras, mas cheio de sons. Com Fe, um pequeno filho que de repente acorda na floresta, os jogadores descobrirão um mundo que eles nunca mais vão querer deixar, enquanto usam sons para se comunicar, para se conectar com a natureza, identificar criaturas amigáveis ou hostis e interpretar a narrativa ao longo do caminho.

“Nós quisemos criar um jogo que dê o sentimento de explorar algo especial”, disse Klaus Lyngeled, CEO e Líder Criativo da Zoink Games. “Nós gastávamos horas nas florestas quando crianças, e enquanto isso parecia assustador no início, eventualmente os sons estranhos se tronavam familiares – você se torna parte da natureza e a floresta passa a parecer um lar. Os jogadores terão sentimentos parecidos enquanto jogam Fe. Quando e como ele for jogado, garantimos que será uma experiência única de descoberta, diferente de tudo que foi jogado antes.”

“Com Fe, o estúdio Zoink nos lembrou que tudo está conectado. Eles criaram um jogo em que a mágica e a beleza da natureza e suas criaturas vêm à vida, disse Patrick Soderlund, EVP da EA Worldwide Studios. “Esse jogo e esse estúdio incorporam o espírito do programa EA Originals que críamos há pouco mais de um ano – a Liberdade de criar e de trazer jogos inovadores e memoráveis para os jogadores de todo o mundo de forma única”.

Em Fe, os jogadores ficarão encantados com os entornos naturais enquanto descobrem segredos, cumprem missões paralelas e conhecem criaturas místicas da floresta. Os jogadores irão subir, deslizar e cavar enquanto viajam através de uma experiência aberta, conhecendo, interagindo e resgatando plantas e animais dos Silent Ones, os antagonistas que estão ameaçando a floresta. Com uma liberdade de exploração sem igual em um mundo cheio de mistérios para descobrir, os jogadores se tornarão Fe e nunca mais vão querer ir embora.

Fe será lançando mundialmente no início de 2018 para Xbox One, PlayStation 4, Origin para PC e Nintendo Switch. Para mais informações, clique aqui.

Veja o trailer de Fe da Electronic Arts:

The Sims 4 expande as opções de personalização de sexo

Muito tem se falado sobre identidade de gênero nas redes sociais e as pessoas começam a aceitar mais a sexualidade de cada indivíduo aos poucos. A Electronic Arts já havia demonstrado que não tem preconceitos ao permitir relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo em jogos como Mass Effect e Dragon Age. A bola da vez é The Sims 4, que ganhou um pacote de atualização que expande as opções de personalização de personagens.

O título já permitia que os jogadores se expressassem graças a uma jogabilidade aberta e uma personalização infinita. Na verdade não havia um roteiro definido, ou seja, os jogadores tinham a liberdade para fazer o que quisessem durante a jogatina. Com esta nova atualização gratuita expande-se ainda mais a liberdade do jogador. The Sims 4 possui agora o modo “Criar um Sim” aprimorado com novas opções de personalização de gênero, e oferece mais formas de jogar com a vida.

Para ser mais específico, você poderá personalizar seu Sim sem os limites de gênero previamente estabelecidos. Deste modo os jogadores podem criar Sims com qualquer tipo de físico, estilo de andar e tom de voz que quiser, independente do sexo. É possível utilizar qualquer roupa, penteado, joias e demais opções visuais em qualquer Sim, independente do sexo.

De acordo com a EA, são mais de 700 itens de conteúdo disponíveis para todos os Sims, independente da seleção inicial de sexo. Isso inclui conteúdo do jogo base The Sims 4 e dos pacotes lançados anteriormente. De acordo com a publisher, The Sims é feito por uma equipe diversa e para um público diverso. Assim, os produtores esperam alcançar um público mais amplo e diversificado.

“Para nós, é muito importante que os jogadores possam ser criativos e se expressar nos nossos jogos. Queremos ter certeza de que os jogadores sejam capazes de criar personagens com os quais possam se relacionar, usando ferramentas poderosas que oferecem controle sobre o sexo, a idade, a etnia, o tipo físico e outras características dos Sims”, dizia o comunicado da EA para a imprensa.

Abaixo tem o trailer de atualização de The Sims 4:

App Annie revela ranking de jogos mobile em 2015

Uma pesquisa da empresa App Annie mostrou-se muito interessante para pesquisadores da área de jogos eletrônicos para dispositivos mobile. A empresa mapeou as lojas online App Store e Google Play a fim de descobrir o que é popular e o que não é. Com esta pesquisa é possível saber como as desenvolvedoras estão posicionadas no mercado e quais os jogos fizeram mais sucesso no último ano.

De acordo com a App Annie, em 2015 os jogos eletrônicos se consolidaram como a maior categoria de receita para as stores, de modo que representam cerca de 90% do faturamento da Google Play e 75% da App Store. A Gameloft é a segunda maior empresa em termos de downloads considerando o mundo todo, perdendo apenas para a gigante Electronic Arts. Se considerarmos apenas o Brasil, a desenvolvedora número 1 é a Gameloft, conforme pode-se ver no ranking abaixo:

Companies

O jogo mais baixado no Brasil é Pou da Zakeh, seguido por Subway Surfers da Kiloo. Em terceiro lugar aparece My Talking Angela e em quarto lugar está My Talking Tom, ambos da Outfit7. O quinto lugar ficou com Despicable Me (Meu Malvado Favorito) da Gameloft. Jogos famosos como Bejeweled e Plants vs Zombies não aparecem no top 10 do Brasil. Candy Crush Soda Saga está em 9º lugar.

Pou

O relatório da App Annie também serviu para apontar alguns mercados emergentes e que devem ser bastante explorados por desenvolvedores grandes e pequenos. De acordo com a empresa, alguns países demonstraram grande crescimento no último ano, com destaque para Indie, Indonesia, México, Turquia e Vietnã.

Para ver o relatório completo do App Annie clique aqui.

EA abre vagas para QA no Brasil

Fazia algum tempo que não surgiam vagas relacionadas a videogames aqui no GameReporter, mas surgiu uma nova oportunidade para quem quer entrar de cabeça na indústria. A Electronic Arts publicou há pouco uma vaga em sua página no LinkedIn para Testador de desenvolvimento no Brasil (QA = Quality Assurance / Controle de Qualidade).

O objetivo é garantir a alta qualidade dos softwares desenvolvidos pela empresa, testando em primeira mão os novos produtos e garantindo que eles atendam as expectativas de produção e desenvolvimento das equipes e do consumidor final. Para isso, são realizados testes à exaustão em diversas modalidades a fim de identificar e comunicar erros e bugs que impactam nos jogos desenvolvidos.

A vaga é para São Paulo e de acordo com a gigante dos games, é recomendável que o candidato tenha graduação em Ciência da Computação ou curso equivalente. Além disso, é importante que o profissional entenda o processo de garantia de qualidade e como funcionam esses testes, capacidade de analisar ou desenvolver processors e sugerir melhorias.

Outras qualificações são: um ano de experiência em testes de QA (Quality Assurance), compreensão do ciclo de vida de desenvolvimento de softwares, forte capacidade de detectar e isolar problemas, conhecimentos de processo Bug Tracking, experiência com Microsoft Office, experiência em plataformas móveis iOS, Android, WP7 e Kindle. E por fim, é mais que necessário que o candidato goste de jogos eletrônicos.

Pessoas capazes de trabalhar com pouca direção ou supervisão são desejadas, bem como alto grau de organização no trabalho e boa capacidade para procurar e assumir novas tarefas, identificar, analisar e procurar resoluções por conta própria. Além disso, é bom que o candidato possua boa comunicação escrita e verbal a fim de comunicar-se com os membros da equipe de forma clara e concisa.

Para se candidatar, basta acessar o site da EA e preencher um cadastro interno, criando login/senha e inserindo suas informações pessoais e profissionais. Não foram detalhadas algumas informações sobre o cargo com horário de trabalho, benefícios ou salários. Tais informações devem ser transmitidas durante o processo seletivo.

Em 2020, o mundo terá 2 bilhões de jogadores

bilhões de jogadores

Em 2020, o mundo terá 2 bilhões de jogadores. Os principais responsáveis por esse crescimento desenfreado em jogos são os tablets, celulares e smartphones. Eles contribuíram bastante para o surgimento de novos gamers ao redor do mundo, pois agora você não precisa mais da sua “hora para jogar videogame”, apenas tire seu aparelho do bolso para começar a desfrutar de games casuais.

Segundo levantamento da Electronic Arts, em 2000 eram cerca de 200 milhões de gamers ao redor do mundo. Hoje esse número cresceu e pode alcançar a marca de 1,5 bilhão até o final deste ano. A empresa acredita que até 2020 a popularização das plataformas acontecerá de vez. Assim teremos 2 bilhões de gamers de diferentes idades jogando algum tipo de game em seus consoles, computadores ou dispositivos móveis.

Empresas como a PopCap e Pogo já estão explorando o mercado lançando versões de PC também para plataformas móveis. Juntas elas contam com cerca de 550 jogos disponíveis tanto para plataforma Android quanto para iOS.

Jane McGonigal está de acordo com esse crescimento

Ao longo de duas brilhantes apresentações na TED, a designer de jogos Jane McGonigal vem mostrando que em breve estaremos gastando por volta de 21 bilhões de horas por semana jogando games e conseguindo fazer um mundo melhor. Mas isso não será de todo o ruim, porque em sua última palestra ela conta como podemos ganhar 10 anos a mais de vida simplesmente tendo uma vida ativa em games.

E aí, assistiu? Então, o que está esperando? Aproveite o tempo livre para jogar mais games e garanta você também uma vida divertida e próspera!

Electronic Arts libera cupom com descontão especial (mas já acabou) :(

Electronic Arts

Como uma forma de incentivo a aproveitar games com preços especiais, no final de semana passado a Electronic Arts ofereceu descontos de U$ 20 dólares em sua loja virtual de jogos Origin. Para conseguir um cupom virtual bastava responder uma pesquisa da empresa disponível dentro do site.

Em poucas horas, os gamers perceberam que para conseguir o desconto bastava ter um perfil de conta americana ou canadense dentro do site. Além disso, se você limpasse os cookies do navegador esse mesmo código poderia ser usado de novo ilimitadamente, não expirando assim depois de usado.

Jogadores de todo o mundo começaram a notar que os títulos dos jogos da EA também podiam ser comprados dessa forma. Através do supercódigo era possível baixar todos os 44 títulos disponíveis no site totalmente de graça.

Foram feitos downloads de games como Dead Space 1 e 2, diferentes versões da série Medal of Honor, diferentes Need for Speed, Mass Effect 1 e 2, Spore, Crysis, Bulletstorm e Fifa 12. Cada um dos jogos custava originalmente U$ 19,99 cada.

Em nota, a EA afirmou que vai honrar todas as compras realizadas dessa maneira. O cupom de desconto já foi desabilitado e não pode mais ser utilizado.

Nessas horas nos arrependemos de ter uma vida social ativa aos finais de semana. Mas fica aqui o registro.

EA anuncia principais mudanças em FIFA 13: partidas serão mais realistas

Ainda disposta a reinar soberana no campo dos jogos esportivos, a Electronic Arts anunciou mudanças sensíveis em seu próximo simulador futebolístico, o FIFA 13. De acordo com a publisher, o game receberá algumas mudanças que tornarão o game ainda mais realista.

A primeira grande mudança será na IA (Inteligência Artificial) que estará mais sofisticada tanto nos consoles quanto no PC, tornando as partidas mais desafiadoras. Os jogadores do computador terão a inteligência para criar, ajustar ou alterar lances a fim de se aproveitar das aberturas concedidas pelo time rival no momento em que elas ocorrerem, fazer entradas para mover os defensores e abrir caminho para os colegas de time e alcançar posições mais vantajosas para novas oportunidades de ataque. Neste ponto, basta saber que os jogadores não ficarão esperando a bola chegar ao pé para começarem a se mexer.

Além disso, os dribles serão mais sensíveis, permitindo que os gamers mais habilidosos tratem a pelota com mais precisão. O sistema de “Dribles Completos”, aliás, foi inspirado no craque argentino Lionel Messi, deste modo as jogadas individuais tenderão a ser mais criativas e perigosas. Como exemplo, os jogadores poderão mudar de direção mais rápido e deverão ter alguma vantagem contra os defensores mais pesados.

Além dessas mudanças, outros fatores também devem tornar as partidas virtuais ainda mais parecidas com as reais, como por exemplo, fatores como a pressão da defesa, trajetória da bola e a velocidade do passe tornarão os passes perfeitos mais raros, dando à defesa a oportunidade de recuperar a bola. Ou seja, o domínio da bola já não será tão automático quanto antes.

Haverá também a possibilidade da falta tática, leia-se que você pode indicar dois jogadores para o lance de falta, sendo possível escolher um dos três para chutar a bola ou ainda correr à frente para receber o passe. Contudo os defensores também podem bolar alguma manobra para evitar o gol, como o pulo duplo da barreira ou ainda adiantar a mesma.

Por fim, a EA ainda anunciou que o game terá uma física mais elaborada, evitando as feias colisões entre os jogadores que ocorriam na versão 2012. Também graças à física apurada, haverá situações de empurra-empurra na área e puxadas de camisa sem a bola. Dessa forma, cria-se novas oportunidades de parar um ataque ou de possibilidades de gol, dependendo de como o árbitro interpreta o lance.

“Nós estamos aperfeiçoando os melhores jogos de esportes do mundo com inovações que capturam todo o drama e a imprevisibilidade do futebol de verdade”, disse David Rutter, produtor executivo do FIFA 13. “Essas são inovações que vão revolucionar a inteligência artificial, os dribles, o controle de bola e as colisões, para criar uma verdadeira batalha pela posse da bola em todo o campo e oferecer liberdade e criatividade nos ataques”.

O FIFA 13 também oferecerá outros implementos:

• Um modo carreira com mudanças importantes, desenvolvido em resposta aos pedidos dos maiores fãs da franquia;

• Novos recursos para aprimorar a substancial oferta on-line da EA SPORTS FIFA, incluindo melhorias no popular modo Head-to-Head Seasons (Temporadas Um Contra Um);

• Vários novos recursos e benefícios no EA SPORTS Football Club, o serviço que é a alma do FIFA;

• Autenticidade completa, com mais de 500 clubes oficialmente licenciados.

O game estará disponível no Xbox 360, Playstation 3, PS Vita, Wii, PS2, 3DS, PSP, iOS, PC e outros dispositivos móveis no terceiro trimestre deste ano. Mais informações podem ser conferidas no site da produtora ou no Facebook oficial. Em breve poderemos constatar se a EA conseguiu mesmo evoluir o simulador esportivo mais jogado da atualidade.

Executivo dos games critica Apple e seu iOS

Trip Hawkins, um dos fundadores da Electronic Arts e CEO da Digital Chocolate, deu uma entrevista ao site da revista Edge em que critica a Apple e seu iOS.

Hawkins fala com conhecimento de causa — já trabalhou como diretor de estratégia e marketing da companhia de Steve Jobs no começo dos anos 80. Segundo o executivo, na tentativa de forçar o uso da App Store, a companhia removeu o Flash do navegador do aparelho.

“Eles falam algo como ‘Ah, nada contra o Flash; nós apenas preferimos HTML5’. Bem, o Flash pode fazer coisas realmente boas, e com o HTML5 isso não pode ser feito”, criticou.

A natureza fechada da Apple também foi alvo de críticas de Hawkins, que acha que a censura não funciona muito bem, uma vez que no fim a lojinha de aplicativos está com um monte de aplicativos inúteis, como os que simulam o som de peidos.

O que você acha da decisão de remover o Flash do navegador do iOS? E da censura da Apple em aplicativos?

EA vê retorno fraco em jogos 3D

Em uma conferência anual com acionistas, John Riccitiello, CEO da Electronic Arts, deu uma declaração interessante a respeito do mercado de jogos 3D: a demanda, por parte dos consumidores, está muito baixa.

E o que isso significa? Significa que para a EA, o 3D não merece toda a atenção que tem recebido. “Não vimos um grande crescimento em TVs 3D em ambientes domésticos. Não estamos tentando direcionar o mercado. Estamos aqui para reagir ao que os consumidores querem”, comentou.

Será que, mais uma vez, o 3D nos videogames morrerá na praia? A EA, ao menos, parece decidida em focar nos mercados portáteis e sociais. Estariam eles certos?

[Via Next-Gen]

CEO da EA fala sobre mudanças na indústria de games

John Riccitiello, CEO da Electronic Arts, esmiuçou um pouco as novas tendências do mercado de games, opiniões bastante interessantes e que cabem a todos que trabalham ou são simplesmente apaixonados por jogos, a título de reflexão.

Durante uma conferência com investidores e analistas, o executivo afirmou que a indústria está mudando radicalmente e de forma acelerada. Que o período de 4 a 5 anos entre um lançamento e outro de console não existe mais e que hoje tudo acontece mais rápido.

“Pera lá! Mais rápido? Essa geração está durando mais?” – você pode ter se perguntado. É, não é bem assim! “Considere que apenas 18 meses atrás não havia iPad, o Google estava apenas testando o Android e a maior parte dos grandes jogos estava limitada a apenas uma oportunidade de faturamento em seu lançamento”, começou Riccitiello.

“Considere que cada um dos grandes consoles agora tem um controle que encoraja o usuário a sair do sofá e entrar na ação”, continuou acrescentando que hoje, é preciso ver que o faturamento que mais cresce no mercado de games, vem a partir de meios digitais e que tablets e smartphones ganharam um foco gigantesco no mercado de jogos.

Notou o drama? Todas essas mudanças, todo esse crescimento acelerado fica nas mãos do distribuidor ou, no caso do programador independente, do próprio desenvolvedor. Hoje, com o mercado amadurecendo, aumentam as possibilidades e também as responsabilidades.

Para a Electronic Arts, uma das maiores no mundo no que faz, a solução é atacar todas as frentes. Amadurecer as próprias franquias – que continuarão a ser atualizadas anualmente e receberão foco crescente em aspectos sociais e DLC -, estabelecimento da plataforma Origin – que vende games ao cliente final -, além do investimento em grandes talentos – pagando alto por pessoas chave na indústria.

Mas, e para quem não tem tantos recursos? Como você acha que todas essas mudanças impactarão?

[Via CVG]