Arquivo da tag: Educação

Quimgame levará Química Orgânica a alunos do ensino médio de forma mais fácil e interativa

gr-quimgame O game pode ser uma tremenda ferramenta de ensino, e recentemente mais empresas tem apostado nessa estratégia.

É o caso da Gestum, firma que apresentou o Quimgame à financiadora de projetos do governo brasileiro, FINEP. O Quimgame é um jogo que tentará tirar o medo da química de alunos do ensino médio.

Voltado à Química Orgânica, Quimgame foi desenvolvido em conjunto com professores e técnicos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul Riograndense/Pelotas.

Em Quimgame o jogador será um repórter, que investigará uma explosão acontecida em uma ilha ao sul do Brasil. Dentre os desafios encontrados durante sua jornada de trabalho estarão emergências químicas em um laboratório destruído, uso de ferramentas e gadgets e labirintos protegidos por sistemas de segurança.

Por enquanto, o game está pronto em versão piloto, que está em testes com alunos da rede pública e privada no RS. Escolas e interessados em conhecer o projeto podem entrar em contato com os organizadores. Os emails são beta@cesup.ufrgs.br, anzevedo@ufcspa.edu.br e luis.otoni@terra.com.br.

[Via Newsletter da Abragames]

Empresa cria games sérios para aulas de botânica e biologia

gr-gdl O estúdio internacional Spongelab Interactive lançou um pacote de games educativos online voltado para a educação de crianças e adolescentes.

Os games abrangem botânica e biologia e foram criados em um formato que permite o seu uso dentro da sala de aula, com o objetivo de complementar a grade curricular de escolas de ensino fundamental e médio.

O pacote Genomics Digital Lab é composto de oito jogos em diversos níveis de complexidade, sendo os últimos níveis convites ao debate de soluções para assuntos mundiais como a crise de energia.

A novidade é paga e está em inglês, mas vale a atenção. Uma versão de demonstração está disponível no site oficial do projeto.

[Via Serious Game Source]

Seminário Web sobre jogos educativos

gr-celebritycalamity

Na próxima quinta-feira, dia 9 de abril, a Doorways to Dreams Fund (D2D) realizará um seminário web (webinar) para discutir o desenvolvimento do game casual educativo “Celebrity Calamity”.

A idéia é debater os jogos de treinamento. Celebrity Calamity aborda a educação financeira de mulheres de renda baixa para moderada, uma ferramenta mais divertida para promover ensinamentos de economia.

O webinar estudará o case do game casual e dará uma luz a quem pretende seguir a carreira de jogos de treinamento. Para participar, é preciso se registrar e possuir computador PC (Windows 2000, XP, 2003 Server, Vista) ou Mac (OS X 10.4 ou superior).

:: Registre sua presença aqui

Mais Twitter para gamers

Na segunda-feira passada noticiamos uma lista de fontes no Twitter, criada por Sam Houston e que caiu na boca de gamers do mundo inteiro.

A repercussão foi tanta que Sam “QforQ” se empolgou e decidiu abrir um site para armazenar a lista e pedir mais colaboração.

O site agora relacionará, além de desenvolvedores e estúdios, imprensa especializada, relações públicas e fansites e comunidades no Twitter.

A aí resta um convite feito timidamente nos comentários da nota passada, aqui do GR. Que tal fazermos uma nacional? Quem ajuda?

:: Acesse aqui o site Game Industry Tweet

Workshop de Games na Vila Leopoldina

O SESI Vila Leopoldina promoverá entre os dias 13 e 31 de outubro, das 18h30 às 21h30, a Oficina de Desenvolvimento de Jogos Eletrônicos.

Gratuito, o evento exige inscrição prévia para preenchimento das vagas limitadas e trará oficinas com o designer de jogos Nicholas Lima de Souza e com o programador Paulo Roberto Nova.

Para participar, é necessário ter mais de 16 anos de idade e estar familiarizado com programação Flash. O processo será dividido em três módulos com 15 aulas de três horas de duração cada.

Os módulos abordarão a criação de um personagem, criação de cenários e a finalização de um título, tudo levando em consideração o gênero de jogos Plataformas.

Módulo I: Programando um personagem para jogos de plataforma

Segunda-feira (13/10) – Design: Criação de jogos de plataforma;
Apresentação geral da ferramenta Flash e proposta de desenvolvimento de jogo plataforma;

Terça-feira (14/10) – Design: Criação da primeira parte de um documento de game design para elaboração do jogo;
Aprofundamento da ferramenta Flash, explicando as principais funções a serem utilizadas para criação do jogo de plataforma;

Quarta-feira (15/10) – Design: Criação de personagem e suas características de jogo;
Desenvolvimento do personagem;

Quinta-feira (16/10) – Design: Criação da segunda parte de um documento de game design para a elaboração do jogo de plataforma;
Desenvolvimento de um cenário básico, incluindo o personagem;

Sexta-feira (17/10) – Design: Criação básica de cenário;
Criação de um cenário final e aprimoramento das habilidades do personagem;

Módulo II – Criando Cenários para Jogos de Plataforma

Segunda (20/10) – Design: Aprendendo sobre Level Design para jogos 2D;
Aprimoramento da colisão do personagem com o cenário;

Terça (21/10) – Design: Adaptação e teste de mecânicas básicas de jogo do personagem do jogador;
Incrementação de habilidades no personagem;

Quarta (22/10) – Design: Criando um inimigo. Como projetá-lo;
Desenvolvendo uma lógica básica para inimigos;

Quinta (23/10) – Design: Adaptando e testando as mecânicas básicas de jogo dos inimigos;
Interação do personagem com o inimigo;

Sexta (24/10) – Design: Criando power ups e outros itens de interação. Teste e adaptação;
Desenvolvimento dos itens e power ups do game implementando-os no cenário e finalização de uma fase de game plataforma;

Módulo III – Finalizando um Jogo Plataforma

Segunda (27/10) – Design: Interface Design – Parte 1
Planejamento de um menu principal de jogo;

Terça (28/10) – Design: Interface Design – Parte 2
Desenvolvimento do menu principal;

Quarta (2910) – Design: Efeitos sonoros e músicas. Como pensá-las para o game?
Músicas e efeitos sonoros no Flash;

Quinta (30/10) – Design: Estudo de funcionalidade e dificuldade do game;
Criação de Checkpoints e outras funcionalidades;

Sexta (31/10) – Design: Pós-produção e finalização de um jogo plataforma.

O SESI Vila Leopoldina fica na Rua Carlos Weber, 835. Em São Paulo, e as reservas devem ser feitas pelos telefones (11) 3834-5523 e 3832-1066, ou pelo site do SESI Leopoldina.

Se interessou? Corra! São 20 vagas. Mas nem precisamos pedir para que só os realmente interessados e dispostos a ir até o fim devem fazê-lo, certo?

Escoceses têm aula de games

gamedev.png

Uma notícia antiga que escapou aos nossos olhos, mas que certamente vale ser divulgada. Na Escócia, o videogame virou matéria de escola para crianças e adolescentes.

Por lá, alunos entre 3 e 18 anos de idade terão aulas de desenvolvimento de jogos, criação de animações, base teórica de plataformas e história dos games, graças ao resultado de uma análise de relatórios universitários que mostrou que estudantes estão fugindo de cursos de ciência da computação.

As aulas, então vêm como incentivo para os jovens, tentando impedir um enfraquecimento no mercado de games, na tentativa de garantir uma plena participação do país no mercado futuro de games.

A moda bem que poderia pegar por aqui também, em um momento em que o desenvolvimento de games se fortalece e bem que poderia usar um empurrãozinho desses também, não acham?

[Via MSN Jogos]

Os games não são culpados, diz doutora

Unreal

A especialista Tanya Byron, que publicou uma pesquisa do efeito de violência em filmes e jogos nos infantes, está cansada e pediu para que a indústria pare de ser considerada culpada por problemas pelos quais não é responsável.

Byron acredita que a indústria não está tentando “corromper os mais jovens” e que acha possível que “jogos adultos sejam criados com conteúdo adulto para a audiência adulta”.

A doutora explicou que joga com seus próprios filhos e que “há muitos videogames realmente bons”, acrescentando que acha que os games são positivos para as crianças por ajudar no desenvolvimento do raciocínio.

“Não podemos apenas isolar os videogames como responsáveis pelos problemas da sociedade”, declarou Byron que acha que alguns jogos podem sim ter impacto muito negativo em crianças, mas que nem por isso é necessário pânico. Via Eurogamer

E você, concorda com a doutora?

Especialização em games

Unicenp

Quem quer trabalhar com desenvolvimento de games levanta a mão. Pois é, já estão abertas as inscrições para a sexta turma da Especialização em Jogos do Unicenp. Como se pode ver, muita gente já passou pelo curso.

Algumas características do curso:

  • Foi o primeiro curso de especialização em jogos do Brasil e é reconhecido como um dos melhores para quem deseja projetar e/ou programar jogos.
  • Diversos ex-alunos trabalham ou trabalharam em empresas de jogos brasileiras.
  • Aulas com profissionais reconhecidos da área
  • Alguns tópicos abordados: OpenGL, DirectX, XNA (novo framework Microsoft para desenvolvimento de Games), programação para dispositivos móveis, Física Para Jogos, Inteligência Artificial para Jogos, arquitetura de engines, UML para Jogos, entre outros.

Alguns exemplos de jogos e engines desenvolvidas por alunos durante o curso podem ser encontrados neste blog. Para conhecer mais sobre disciplinas e professores do curso, visite o site do Unicenp.

Agora, se você já fez o curso da Unicenp, conte aqui para gente como foi.