Arquivo da tag: download

Conheça Duo, o puzzle indie minimalista mais desafiador da semana

Para quem gosta de puzzles, a dica do dia é Duo, um jogo minimalista onde o jogador deve fazer com que dois personagens se encontrem usando o cenário a seu favor e prevenindo que eles caiam no caminho. O game é bastante divertido e possui uma mecânica simples, ideal para jogadores mais jovens, porém com dificuldade crescente ao passo em que os cenários são vencidos.

O game foi criado pelo desenvolvedor independente Bruno Suco e já está na Steam para download pelo preço de R$ 2,99. Além de quebra-cabeças envolventes, Duo possui músias do compositor Kevin MacLeod, criador do projeto Incompetech, que permite que qualquer um possa usar suas músicas livremente.

Duo possui 30 fases, todas feitas à mão. Parece pouco, mas Bruno garante que o nível de dificuldade vai fazer você gastar mais tempo aqui do que em outros games AAA que custam 25 vezes o preço de Duo. Os visuais também são minimalistas, lembrando um jogo de tabuleiro. Basicamente os personagens são um casal tentando passar pelos obstáculos para se encontrar. Para quem gosta de desafio, Duo promete ser um prato cheio.

Confira o trailer de Duo:

Age of Sparta: novo jogo da Gameloft é batalha épica entre Espartanos e as forças de Xerxes

Parece que o filme 300 serviu de inspiração para o novo game da Gameloft: Age of Sparta coloca o jogador no comando do exército espartano e deve batalhar contra as forças do imperador Xerxes, da Pérsia. O game é do gênero estratégia e para obter sucesso durante as batalhas o jogador deve comandar com perspicácia as unidades de infantaria e aéreas, bem como as divindades. Sim, até mesmo os deuses tomam parte no conflito.

Os deuses, aliás, funcionam como invocações especiais para devastar as forças rivais, tais como ocorre em Battle for Middle Earth, da EA. Pois eles (os deuses) possuem poderes especiais que são decisivos. As batalhas são dinâmicas, interativas e cheias de reviravoltas, graças à possibilidade de virar o jogo com o uso de itens especiais. Além dos deuses, há criaturas saídas da mitologia grega, como bestas e monstros míticos.

Age of Sparta é de combates estratégicos, mas assim como a maioria dos RTS da atualidade, uma boa parte da jogatina é utilizada para fazer seu próprio povo prosperar. Para isso, basta construir tavernas, santuários e monumentos. Além disso, é importante fortificar suas cidades para evitar os ataques dos inimigos.

Fora isso, o game ainda oferece suporte para a comunidade de jogadores. Você pode se unir a outros jogadores para formar uma força maior e destruir seus rivais. A socialização com amigos também está em alta graças ao chat do jogo. O título está disponível gratuitamente para Android, iOS, Windows Phone e Windows.

Abaixo está o trailer do jogo Age of Sparta:

Carranca Games apresenta KAIJU: Infestation, seu jogo de realidade aumentada

A realidade aumentada não é uma mera fantasia da ficção científica. A tecnologia já existe e está ao alcance de todos nós. Não vemos muitos games fazendo uso da tecnologia por algumas razões simples: a primeira é que a indústria considera a tecnologia pouco usual para ser utilizada fora de casa e pelo fato de muitos acreditarem que seu uso em aplicações é pouco rentável.

Apesar disso, a desenvolvedora indie Carranca Games acredita na inovação e por isso resolveu que seu novo jogo fará uso da realidade aumentada. O game em questão é KAIJU: Infestation, um mini-game para o mercado mobile que tenciona fazer do mobile do jogador em uma arma enquanto que o próprio jogador é um Robô Gigante.

Apesar de ser um mini-game, o título tem uma história pra contar: a trama se passa em uma ilha próxima a uma usina termonuclear. De alguma forma a usina emite um barulho que desperta os Kaijus (grandes monstros marinhos), e estes vão em direção à ilha para destruí-la juntamente com a usina que atrapalhou seus sonhos.

O que os Kaijus não sabem é que se destruírem a cidade eles próprios serão destruídos na explosão. A partir daí surge Kaori, a filha de um grande cientista, que motivada a salvar a cidade e continuar o legado de seu pai faz os últimos ajustes no robô gigante capaz de enfrentar os perigosos kaijus e evitar a eminente catástrofe.

O game é do estilo FPS e a realidade aumentada é amplamente explorada no game. Para jogar é necessário ter o tabuleiro do jogo, onde o cenário irá surgir. O smartphone é usado como arma contra os monstros que surgirem. O objetivo é simples: impedir que os kaijus cheguem até a usina. Esses monstros chegam em hordas, ou seja, a cada kaiju derrotado surgem novos mais rápidos e mais fortes, de modo que o game fica mais difícil com o passar do tempo. Ao todo são oito “waves” – o que dá cerca de 7 minutos de jogo.

O estúdio Carranca Games tencionou criar um game simples e casual, incentivando os jogadores a bater seus próprios recordes a cada nova partida. O uso da realidade aumentada serve justamente para distanciar o game de tantos outros que existem no mercado, ou seja, é um fator a mais para a imersão do jogador e criar um fator diversão pouco explorado por outras produções.

O game já está disponível no Google Play. Tomara que mais estúdios resolvam apostar na realidade aumentada, pois os resultados são sempre surpreendentes.

Abaixo tem o vídeo gameplay para que você tenha ideia de como o jogo funciona o game KAIJU: Infestation:

Os desafios da distribuição digital de games

Quando você quer comprar um novo jogo, qual a sua primeira opção? Comprar o jogo via download ou comprar mídia física?

Tradicionalmente, a distribuição de games no início da indústria era feita apenas em suportes físicos. As primeiras
gerações de consoles, como o Atari 2600, Odyssey e Super Nintendo, os suportes eram cartuchos com memórias ROM. Com o lançamento do PlayStation One da Sony e do Dreamcast da Sega, os consoles passaram a contar com leitores de discos ópticos.

Contudo, com a disponibilidade das conexões de banda larga a partir dos anos 2000 a distribuição de conteúdo digital pela internet se popularizou, viabilizando a exploração comercial da distribuição digital em larga escala.

Diversos estudos mostram o impacto da distribuição digital e do crescimento dos jogos online sobre o mercado físico de jogos digitais, seja no varejo convencional ou nas lojas virtuais.

Mas apesar de tudo, quando falamos de acessórios para videogames, nada como uma loja física, para ver, tocar e experimentar o produto.

Muitos distribuidores digitais de jogos, existentes desde o meio da década de 90, são versões das lojas convencionais, apenas substituindo o envio de mídias físicas pela possibilidade de
download do software para instalação em PCs.

Os fabricantes de console também criaram suas redes de distribuição proprietárias, que permitem aos donos de console adquirir jogos digitais pela internet. As redes são a Nintendo  Network, a Play Station Network (PSN) e a Xbox Live.

O grande marco da distribuição digital foi o lançamento do Steam pela Valve, em 2003. O Steam expandiu o conceito, oferecendo novas funcionalidades e serviços complementares, tanto para desenvolvedores quanto para usuários, criando comunidades em torno de seus títulos e um mercado de jogos modificados pelos próprios usuários, além de itens especiais e da distribuição de softwares voltados ao desenvolvimento de jogos.

Mas de nada adianta a distribuição digital sem os acessórios bancas para complementar a jogatina. E isso, acho que cabe mesmo às lojas físicas.

Mas a pergunta que fica é: você prefere comprar um jogo usando a distribuição digital, via download? Ou prefere mesmo a mídia física?

 

Fonte: relatório Mapeamento da Indústria Brasileira e Global de Games, realizado pelo grupo de estudos GEDIgames por encomenda do BNDEs.

Conheça Colina, um game indie de terror feito por brasileiro

Colina
Games de terror simplesmente conseguem mexer com nosso subconsciente de uma forma como nenhum outro game consegue e é justamente por isso que eles são tão comentados entre os jogadores, principalmente quando conseguem transmitir a real sensação de terror ao jogador. Veja só alguns casos como os primeiros jogos da franquia Silent Hill, ou mesmo Dead Space e o ovacionado Slender: The Eight Pages. São todos games que transmitem o terror psicológico e por isso tornaram-se Cult entre os fãs do gênero.

Se você curte ficar assustado na frente da TV, anime-se, pois há uma novo game no pedaço que promete te deixar sem dormir. Colina é um game indie totalmente em português criado por uma única pessoa, o desenvolvedor Denis Alvarez que o finalizou em árduos 3 meses. Na trama o jogador encarna um adolescente à procura de seus pais que desapareceram em uma pequena casa no topo de uma colina. O problema é que o lugar é recheado de histórias de arrepiar os cabelos. A missão do adolescente é sobreviver e descobrir que segredos se escondem na pequena casa.

Além da trama pontuada por mistério e acontecimentos estranhos, Colina conta a seu favor com a mesma engine utilizada em Slender, o Unity 3D, ou seja, o game não fica devendo em nada para sua inspiração mais evidente, pelo menos não em recursos e aspectos técnicos. Quem tiver peito para jogar vai encontrar corredores escuros, florestas ao anoitecer, barulhos medonhos e… fantasmas.

De acordo com Denis, o projeto foi iniciado em novembro de 2012 e todo o processo foi fruto de seu esforço, desde a arte até o roteiro. Apesar de se utilizar da mesma engine, Colina não é uma cópia de Slender, apesar de alguns jogadores prejulgarem o game dessa forma. “Na verdade (essas semelhanças) se devem a alguns mecanismos padrões da engine que existe para todos os jogos do mesmo gênero”, disse o produtor.

Uma curiosidade é que o game demandou tanta força de vontade de seu criador que ele até pensou em desistir do projeto. De acordo com ele, o game só podia ser trabalhado durante os finais de semana e madrugadas. O jogador mais atento vai perceber dentro da misteriosa casa da colina um porta retrato com a foto de um casal. O casal é justamente o produtor do game e sua esposa, que auxiliou no processo de criação.

O objetivo de Colina é apresentar uma proposta diferente no ramo dos jogos de suspense existentes no mercado. A ideia é criar suspense e tensão com conteúdo e mistério a ser desvendado. E pelo que pudemos conferir o game é recomendadíssimo para quem tem nervos de aço, pois o clima é de verdadeiro terror. O game Colina está disponível gratuitamente para download em site próprio.

Abaixo você confere o trailer do game:

Steam Linux já é realidade. Que venham os pinguins!

Steam Linux

Steam Linux já é realidade! Uma ótima notícia para não-usuários de Windows que buscam uma ótima experiência de compra.  A Valve anunciou que partir de agora o portal Steam também está disponível para usuários de Linux. De acordo com a companhia, o aplicativo “cliente Steam” pode ser baixado gratuitamente através da Central de Programas Ubuntu.

“A chegada do Steam para Ubuntu demonstra a crescente demanda por sistemas abertos por parte dos jogadores e desenvolvedores de games” diz David Pitkin, Diretor de Aplicações para Consumidores da Canonical. “Nós esperamos que um grande número de desenvolvedores de jogos comece a incluir o Ubuntu entre as opções de plataforma de seus produtos. Estamos ansiosos para ver o desenvolvimento de jogos AAA que tenham o Ubuntu em mente, como parte de um lançamento multiplataforma no Steam”, explica ele.

Alguns dos primeiros games disponíveis para o Steam Linux são da própria Valve como Team Fortress 2, Half Life, Counter-Strike 1.6 e Counter-Strike: Source. De acordo com a Valve, Team Fortress 2 premiará os jogadores que estiverem utilizando o Linux com o Tux, o mascote oficial do sistema, que será um item in-game. Além dos games, foi disponibilizada a opção Big Picture, uma ferramenta projetada para utilizar o serviço com a combinação TV e Joystick.

Com este lançamento a Valve esperar alcançar mais jogadores através do Steam. Mais informações sobre os serviços e novidades poderão ser encontradas na Central da Comunidade Steam para Linux.

Quem já está usando o Steam Linux?

Conheça Esquadrão Patada, o novo game da Pankeka Games

Esquadrão Patada

O time da Pankeka Games, produtora independente situada em Cuiabá, MT, acaba de lançar um game gratuito para plataformas iOS. Chamado de Esquadrão Patada, o título é um game que mistura plataforma e puzzles a fim de divertir o jogador.

No game você controle uma trupe formada por quatro animais que devem passar por 4 cenários variados, divididos igualmente por quatro prédios. Porém para chegar até a saída o grupo de animais devem passar por puzzles e inimigos perigosos. Você alterna o controle entre um macaco, um tatu, um camaleão e uma anta, cada um com suas próprias habilidades que devem ser usadas de forma sábia para enfrentar os desafios.

O macaco consegue empurrar caixas, o tatu rola por calhas onde nenhum outro animal consegue ir, o camaleão se camufla para não ser visto por inimigos e a anta tem uma enorme força conseguindo quebrar paredes para abrir novos caminhos.

O game conta com 40 fases recheadas de quebra-cabeças bastante elaborados. Como a mecânica do game é um pouco simples, mas não menos divertido, ele é muito indicado para exercitar a mente dos jogadores mais jovens. O título já foi lançado e está disponível para iPhone e iPad. Para acessar o game basta ir até a App Store e proceder com o download gratuito.

Além dos puzzles, o game oferece a possibilidade de postar seus recordes online, integrado ao Game Center, e publicar seu score através de redes sociais.

Abaixo você confere o vídeo do Esquadrão Patada no iPad:

Conheça Pesadelo, um game de terror feito por brasileiros

Pesadelo

Games de terror são um pouco raros hoje em dia, porém quando aparecem a gente não perde a oportunidade de divulgá-los a fim de causar espanto nas pessoas. O game de hoje tem um nome bastante sugestivo e é fruto dos esforços da, que o produziu como Trabalho de Conclusão de Curso.

Pesadelo é um game, que já tem uma página no Facebook que conta a história de Alex, um fiscal de obras que cai no sono entre um dia e outro de trabalho e sonha com um ambiente assustador e muito pouco convidativo.

A primeira fase do game é em uma estação que é muito conhecida por suas histórias tenebrosas. Ao passo em que Alex resolve enigmas dentro do jogo, coisas estranhas começam a ocorrer, como luzes que se apagam, aparições medonhas e por fim uma criatura terrível que persegue o jogador ao som de gritos capazes de gelar a espinha.

Acredite, o game é tão assustador quanto qualquer outro game indie de terror que você conheça, tanto que tem gente que o compara com o clássico Slender – The Eight Pages. Os cenários escuros e os sons ambientes dão o tom do que é um game para ser jogado naquelas  madrugadas solitárias.

O jogo tem versão em inglês, mas o pessoal que produziu preocupou-se em também lançar uma versão em português. Não por acaso, Pesadelo já está fazendo bastante barulho pela rede social, e já conta com mais de mil downloads só no Brasil.

De acordo com a produtora, há planos de expandir o game, lançando mais fases e desafios em uma futura versão que deve sair na Steam. O game pode ser baixado diretamente no site da Skyjaz Games.

Confira o trailer oficial do Pesadelo O início

O Natal não acaba antes de jogar Cata Presente da Gaz Games

Cata Presente

O Natal já passou, porém as árvores de natal só serão desfeitas em meados de Janeiro, ou seja, o clima de Natal ainda não vai embora tão cedo. E foi pensando no clima de Natal que o pessoal da Gaz Games criou o jogo Cata Presente para tablets e celulares que utilizam o sistema Android.

No game, o usuário deve focalizar uma imagem impressa posicionada aos pés de sua árvore de natal para conferir uma bacana imersão em 3D com aparições do Papai Noel, gnomos, presentes, neve, música natalina e muito mais. A ideia é deixar o clima mais propício para essa época do ano.

O aplicativo ainda compreende um modo chamado GAME, em que o jogador controla o bom velhinho posicionando-o através da tela de toque para pegar presentes que caem do céu. O fator desafio é evitar as bombas e cristais de gelo que estão misturados em meio aos presentes. As bombas fazem o Papai Noel perder tempo e os cristais de gelo convertem o personagem em um boneco de neve, dificultando a movimentação.

O Game já está disponível no Android Market. Mais informações e links para download no site da empresa, abaixo está o vídeo do jogo:

Confira as edições das revistas digitais Acigames e Jogos 80

Jogos 80

Após algum tempo de espera, os jogadores finalmente podem ler a nova edição da Acigames Magazine. A publicação, que é produzida pelos mesmos responsáveis pelo movimento Jogo Justo, chega a sua terceira edição prometendo matérias muito criativas em sua terceira edição.

A revista pode ser baixada gratuitamente pela App Store ou pelo Android Market, além disso, pode ser acessada virtualmente pelo computador. Algumas matérias incluem uma entrevista com o diretor de marketing da Warner Bros Games; um apanhando sobre as assitências técnicas de games no Brasil; Games educativos; Censo Gamer; e a vida de Garotas Jogadoras; além de outras matérias.

Jogos 80 em sua 9ª edição

E por falar em revista digital, também vale mencionar que a Jogos 80 está em sua 9ª edição. A capa chama para uma edição toda especial comemorando os trinta anos do ZX Spectrum, computador que marcou época na era 8 bits.

Além disso, há matérias curiosíssimas como uma entrevista com os produtores do game Macunaíma do Commodore 64; Review do livro 1984: A Febre dos Videogames Continua (que já falamos aqi no GameReporter);  a compatibilidade da interface DivIDE para os TKs, além de reviews de jogos retro como Doo (ZX Spectrum), Mr. Postman (Atari 2600), Zaxxon (TRS-Color), Camelot Warriors (diversas plataformas), Zzoom (ZX Spectrum), Deathstrike etc.

Para acessar a revista, basta acessar a página oficial do projeto. Caso a capa do ZX Spectrum não apareça de imediato você só precisar atualizar a página.