Arquivo da tag: Disney

DISNEY APRESENTA O CODE BAYMAX – JOGO ONLINE PARA APRENDER PROGRAMAÇÃO

Hoje vamos falar sobre a iniciativa Code Baymax, um jogo da Disney indicado para crianças de 8 a 12 anos que estão aprendendo programação. O título coloca os personagens do filme Operação Big Hero para dar dicas para os jovens em como resolver puzzles por meio do uso de tecnóloga computacional. De acordo com os desenvolvedores, Code Baymax é fruto dos esforços da produtora em termos de alfabetização digital.

A ideia básica é familiarizar as crianças com conceitos básicos de programação e superar testes com a ajuda dos personagens Hiro e Yokai, do filme Operação Big Hero. Deste modo, o game serve como incentivo para introduzir dicas de programação e incorporar ferramentas de pensamento lógico-matemático ao mesmo tempo em que estimula a curiosidade e imaginação. Para isso, os jogadores exploram diferentes localidades com a ajuda dos protagonistas do filme e vão resolvendo puzzles.

Apesar de simples, Code Baymax possui um enredo: Yokai sequestrou o Hiro e agora cabe a Baymax resgatá-lo. O jogador deve programar Baymax usando listas de instruções por controle remoto para chegar até Yokai e salvarHiro. A tarefa não é das mais fáceis, pois no caminho surge todo tipo de perigos e obstáculos.

“Estamos muito entusiasmados com este lançamento, em que estamos trabalhando com uma equipe multidisciplinar de experts faz muitos meses, para contribuir com que as crianças possam aprender programação jogando. O nosso principal motor é incentivar a imaginação delas e favorecer seu desenvolvimento cognitivo”, comentou Belén Urbaneja, Diretora de Corporate Citizenship & Brand Management, The Walt Disney Company Latin America. “Sabemos que a programação é uma linguagem que está se tornando uma das mais importantes desta geração e queremos colaborar com os pais e educadores para que tenham ferramentas facilitadoras do ensino”, acrescentou.

É interessante notar que Code Baymax foi desenvolvido na América Latina, mostrando que a Disney está de olho na região. Conforme avança pelas fases, os jovens adquirem conhecimentos de algoritmos (o que envolve sequenciar instruções para resolver um problema), procedimentos, decomposição de problemas em ações mais breves, correção de erros, dentre outros. Além disso, o jogo serve para mostrar que a programação ajuda a resolver problemas de diferentes maneiras e não há uma única forma de o fazê-lo na maioria dos casos.

Com isso, os jovens adquirem habilidades computacionais e passam a enxergar a tecnologia como ferramenta útil para solução de problemas e de expressão de ideias. Talvez até tomem gosto por expressar ideias digitalmente que futuramente possam se expressar através do desenvolvimento de histórias interativas, jogos, animações, música e simulações. Não há como prever até onde a tecnologia pode incentivar a educação, pois elas de fato promovem pensamento crítico e criativo.

Por outra parte, o enfoque do aprendizado baseado no jogo e na criação transforma a colaboração em uma área de aprendizado divertida e estimulante para as crianças.  Para acessar Code Baymax basta acessar a página do Disneylatino.

Abaixo tem o trailer de Code Baymax:

Code.org lança jogo de programação de Star Wars

Star Wars está em alta, bem como o mercado de jogos eletrônicos. Talvez seja por isso que a Disney juntou-se a Code.org para criar um jogo interativo para aprender programação. Star Wars: Construindo uma Galáxia com Código é uma aplicação gratuita cujo objetivo é introduzir as crianças ao mundo da programação e promover o raciocínio lógico.

Em poucas palavras, o aplicativo funciona da seguinte forma: as crianças criam desafios e jogos com personagens de Star Wars como a Princesa Leia, C3PO, BB8, Rey, R2D2, entre outros. Em uma das interações, os jogadores devem ajudar Leia a criar seu próprio jogo, utilizando ferramentas reais de programação. Deste modo, os jovens aprendem técnicas de programação de maneira rápida e fácil.

“Durante gerações, Star Wars despertou a curiosidade e imaginação das crianças e esperamos que o atrativo de personagens como a princesa Leia e Rey ajude a incentivar uma maior participação nas ciências e nas matemáticas, especialmente, entre as crianças de todo o mundo”, disse Kathleen Kennedy, presidente da Lucasfilm. “As ciências da computação contribuíram para dar forma ao nosso legado e mudaram a forma em que os filmes são realizados e, por esse motivo, projetos como esse são tão importantes para nós”.

A aplicação é gratuita e pode ser acessada através do site especial. A ideia não é que os usuários saiam da aplicação prontos para programar o próximo Star Wars Battlefront sozinhos, mas que a programação simplificada desperte o interesse e que no futuro esses jogadores possam se tornar desenvolvedores, porquê não?

Como acessar a aplicação de Star Wars:

Esta não é a primeira vez que a Disney se alia a Code.org para a criação de aplicações para jogadores mais novos. No ano passado as duas empresas criaram um tutorial de programação com as personagens Anna e Elsa de Frozen: Uma Aventura Congelante. Tal aplicação foi utilizada por mais de 13 milhões de vezes. Para acessar Star wars: Construindo uma Galáxia pode ser acessado no site da aplicação.

Kingdom Hearts III poderá ser o maior RPG da Square Enix

eurogamer-s257wq

Lá se vão 7 anos desde o lançamento de Kingdom Hearts II no Playstation 2 e desde então tivemos uma sucessão de spin offs para manter a franquia fresca na cabeça dos jogadores como 358/2 Days, Dream Drop Distance e Birth By Sleep para plataformas portáteis. Esses lançamentos não eram ruins, entretanto é certo que não eram exatamente aquilo que os fãs mais fervorosos esperavam. Provavelmente a franquia Kingdom Hearts está somente atrás de Final Fantasy e Dragon Quest em ordem de importância no portfólio da Square Enix. A saga protagonizada por Sora foi uma das mais vendidas na geração 128 bits e conquistou milhões de fãs em todo o mundo.

Os anos se passaram, os RPGs orientais foram perdendo espaço na mídia, incluindo Final Fantasy XIII e sua sequência, ao passo em que games como Skyrim e The Witcher ganhavam as massas com seus jogos para consoles de mesa. É difícil entender os motivos que levaram a demora para o lançamento de Kingdom Hearts 3, passamos uma geração inteira sem um novo capítulo para os consoles “grandes”. Mesmo assim a franquia criada por Tetsuya Nomura se manteve relevante entre os adorares de um bom Action-RPG.

Eis que a E3 2013 surgiu e durante uma morna apresentação do Playstation 4 a Square anuncia a produção do 3º capítulo da série para surpresa de muita gente (que nem botava mais fé no projeto). Agora que Kingdom Hearts III é uma realidade podemos olhar para trás e apenas conjecturar o que foi feito da Disney e da Square Enix ao longo de todos esses anos e imaginar que IPs poderiam integrar o próximo game de Nomura? O próprio produtor já deu sinais do que gostaria de fazer com o novo jogo.

Claro, seria ótimo trazer conteúdos da Marvel e da Lucas Arts para Kingdom Hearts 3. Mas existem várias restrições e regras que a Disney impõe, então não podemos pôr tudo que as pessoas querem, mas iremos preparar várias surpresas para os fãs, aguardem mais informações”, disse Nomura ao site Finaland. “Temos falado sobre Star Wars desde que se tornou conteúdo da Disney recentemente. Quando eu ouvi a notícia eu disse “Uau!”. Sim, obviamente vai ser ótimo se pudéssemos adicioná-lo, mas como eu disse, há uma série de restrições e regras da Disney por isso não sei o que vai acontecer, mas, sim, vamos ver”, finalizou o produtor.

star-warsA Disney adquiriu os direitos de Star Wars em um negócio de US$ 4,05 bilhões e de cara anunciou o tão prometido Episódio VII. É óbvio que uma forma esperta de promover a marca e trazer mais dinheiro (como se Star Wars por si só precisasse de marketing…) seria com um novo jogo que unisse o melhor desses dois universos. Que melhor forma do que em Kingdom Hearts? Todos já estão extasiados com a possibilidade de levar Sora e Donald aos corredores sufocantes da Estrela da Morte em uma batalha contra o Império Galáctico. Mas há quem acredite que Star Wars é grandioso demais para um papel secundário na trama de Kingdom Hearts. Balelas se querem saber, até porque não tem como deixar de imaginar que uma batalha contra Darth Vader (Keyblade vs Sabre de Luz) seria empolgante. Mas vale lembrar que Star Wars não é a única novidade da Disney nos últimos anos…

Outra importante aquisição da Disney nesse meio tempo foi a editora Marvel e todo o seu catálogo de super-heróis. Ao contrário de Star Wars, acredito que adicionar os cenários de X-Men, Quarteto Fantástico, Vingadores, entre outros, ao mundo colorido da franquia KH seria mais difícil do que parece. Não que Nomura e sua equipe não pudessem fazê-lo. Seria bem legal ver o Wolverine se juntando ao Sora numa batalha contra Em Sabbah Nur ou contra o Magneto, mas é sabido que os personagens da Marvel estão com tantos contratos vinculados que é quase impossível que a Square possa utilizar todos eles a seu bel prazer. Atente-se que a sequência para os cinemas de X-Men: Primeira Classe teve seus atritos com os produtores de Vingadores 2. Naturalmente é lógico afirmar que caras como Deadpool e Spiderman dificilmente aparecerão em um game não produzido pela Activision.

Tem também a Pixar, a consagrada melhor produtora de animação do mundo é responsável pela criação de alguns dos personagens mais carismáticos do cinema como Toy Story e Monstros S.A. Se a Square puder utilizar os personagens da Pixar imaginamos que no mínimo  iremos esquecer a enfadonha sequência musical da Pequena Sereia em Kingdom Hearts II em prol de uma aventura nas profundezas de Procurando Nemo. Ou quem sabe teremos uma versão inseto de Sora lutando contra os gafanhotos de Vida de Inseto? Seria legal também uma versão monstruosa do grupo numa missão de resgate da pequena Boo no mundo de Monstros S.A.

originalVocês conseguem imaginar o Sora vestido de Super Herói ajudando Os Incríveis? Ou como um brinquedo em Toy Story? As possibilidades serão limitadas unicamente pela mente de Tetsuya Nomura e da liberação por parte da Disney. Isso garante que Kingdom Hearts III poderá ser o RPG mais variado e grandioso já criado pela Square-Enix, além de elevar a marca Disney no mundo dos games após a investida com Epic Mickey.

Square-Enix, Pixar, Star Wars e Marvel. Isso já dá um game e tanto, certo? Mas dá para expandi-lo ainda mais. Afinal a Disney tem tantas propriedades intelectuais sob sua batuta, e que não foram previamente inclusas em Kingdom Hearts I e II, que o terceiro game pode soar como uma novidade completa. Certamente isso é viajar demais, e nem gostaríamos de visitar tais mundos, mas imaginem breves aparições de Chicken Little, Força G, Bolt: Supercão, A Espada era a Lei, Mogli, Aristogatas, Robin Hood, Hocus Pocus (Abracadabra), A Incrível Jornada, Doug, Irmão Urso, A Família do Futuro, A lenda do Tesouro Perdido, Detona Ralph, etc. Além desses, tem os mundos que já exploramos e foram divertidos ao extremo e seriam bem vindos se retornassem. Contudo, há quem pense que o mundo Disney clássico já foi bem explorado nos jogos anteriores e não faria mal para a franquia buscar novos ares.

Será que mesmo as dezenas de GB de uma mídia Bluray poderão comportar um game com tanta coisa envolvida? Do lado da Square, imaginamos que será fatal a aparição de personagens de Final Fantasy XIII e XV. Afinal de contas, a empresa japonesa também precisa lustrar sua série mais influente. Só não conseguimos imaginar as recentes aquisições da Square fazendo parte do mundo de Kingdom Hearts, como Tomb Raider e Hitman, por exemplo. Mas nada impede que outros títulos da companhia façam alguma ponta, principalmente àqueles que tiveram o dedo de Tetsuya Nomura, como The World Ends with You (que já apareceu em Kingdom Hearts 3D), ou quem sabe o improvável The 3rd Birthday?

No fim, até que a Tokyo Game Show 2013 ocorra só dá para ficar especulando e imaginando que Kingdom Hearts 3 será um jogo e tanto!

E vocês, estão empolgados com Kingdom Hearts III?

Colaboração: Victor Candido

Disney Infinity é anunciado e terá personagens da Disney e da Pixar juntos

Disney Infinity

No dia 15 de janeiro de 2013 em Los Angeles, a Disney anunciou sua nova empreitada no mercado de games e ela se chama Disney Infinity. Por se tratar de um “Toy Box”, o Infinity é uma plataforma composta por uma base plástica com espaço para três peças: duas de personagem e uma onde os jogadores devem colocar o cenário onde vão interagir.

Com um conceito similar ao de Skylanders Spyro’s Adventure, o Infinity é um produto interessante onde os brinquedos “ganham vida” num ambiente de simulação e cada figura possui poderes e fraquezas específicas.

Antes de discorrer mais sobre o Infinity, seguem alguns fatos sobre Skylanders: no Reino Unido essa franquia foi a terceira série mais vendida no ano passado ficando atrás somente de FIFA e Call of Duty. No mesmo período, Skylanders arrecadou 500 milhões de dólares, somente nos Estados Unidos. Esse valor inclui jogos, acessórios e personagens da série.

Um dos maiores chamativos para esse lançamento é que o Disney Infinity unirá personagens da Disney e da Pixar em um ambiente de simulação. Eu já joguei Skylanders e sei que embora não seja o público alvo deste produto (que “teoricamente” são crianças), gostei bastante da jogabilidade e da experiência de trocar suas figuras para obter bônus de acordo com o level bem como de ser incentivado a explorar o universo do jogo com bonecos de poderes diferentes para obter mais benefícios.

O universo de Skylanders não teve um apelo tão forte para mim quanto para minha namorada, dona da cópia do jogo e fã de carteirinha de Spyro. Agora, dado que o Infinity terá cenários e personagens das animações da Pixar além do vasto e em crescente expansão universo da Disney (lembrando que Star Wars e Marvel também são da família Disney), sou muito mais propenso a jogar Disney Infinity a Skylanders. Spyro que me desculpe.

Confira abaixo o trailer de lançamento de Disney Infinity e nos diga o que você achou e com qual personagem da Disney (ou Pixar) você gostaria de jogar.

Se estiver com seu inglês em dia, recomendo esse vídeo que detalha bastante a plataforma do Infinity e das figuras que vem em um dos pacote iniciais: Jack Sparrow (Piratas do Caribe), Sr. Incrível (Os Incríveis) e Sulley (Monstros SA).

O conteúdo da Plataforma Disney Infinity será:

– Uma linha inicial de 40 figuras colecionáveis para expandir sua experiência de jogo;
– 17 figuras de personagens;
– Base do Disney Infinity;
– Discos de “Power Up” para você colocar embaixo dos seus personagens dando a eles poderes especiais.

Disney Infinity tem previsão de lançamento para junho de 2013 e sairá para XBox 360, Playstation 3, Wii, Wii U, Nintendo 3DS, PC e dispositivos móveis e o Kit de Iniciante está cotado em US$ 74.99.

Fontes: ToyNews Online, Tech Crunch, Examiner

Universidade Monstros: Disney lança game de Monstros S.A.

Universidade Monstros

A Disney Pixar lançará em meados de Julho de 2013 o segundo filme dos Monstros S.A. estreará nos cinemas. Chamado de Universidade Monstros, o novo filme revela o segredo de como Mike e Sulley superaram suas diferenças e se tornaram melhores amigos. Enquanto filme não chega às telas de cinema, a gigante do entretenimento encomendou um novo game baseado no universo dos monstros mais divertidos das telonas.

Monsters, Inc. Run foi desenvolvido pela Get Set Games, os mesmos criadores de Mega Run, e é um jogo para iOS que reconta a história vista no primeiro Monstros S.A. Ou seja, o jogador ajudará os personagens Mike e Sulley a resgatar a pequena Boo que se encontra em perigo.

Ao todo o jogo conta com 48 fases em que o jogador deve passar por fases inspiradas no filme, como os telhados da cidade Monstrópolis e as Cavernas do Himalaia. O game tem uma pegada de plataforma, então o jogador deve pular, correr e atravessar obstáculos nas fases. Para facilitar a vida dos monstros o jogador pode utilizar cerca de 20 itens especiais e ainda chamar a ajuda de parceiros para ajudar nas fases.

O game já está disponível na App Store pelo preço de 99 centavos e é compatível com iPhone, iPod touch e iPad. Se você curtiu o primeiro filme da franquia e está ansioso para ver a sequencia, o game tem tudo para entreter até o próximo lançamento nos cinemas.

Abaixo você confere o trailer do game Universidade Monstros:

Review: Detona Ralph e 5 dicas de filmes sobre games

Detona Ralph

Já falamos sobre a animação mais recente da Disney, Detona Ralph no Game Reporter nesse post e no final de novembro estive na pré-estreia desse filme que achei fenomenal por ser uma ótima história sobre auto-conhecimento além de exibir diversas piadas e elementos referenciando o universo dos games.

Sinopse: um vilão de videogame quer ser herói e se prepara para realizar seu sonho, mas sua busca traz confusão para todo o flipper onde ele vive.

Um dos motivos que me deixou interessado neste filme, além do universo de games presente na história, é o time de vozes originais: John C. Reilly como Ralph, Jack McBrayer como Fix-It Felix Jr. (o “arquinimigo” de Ralph), Jane Lynch como Sergeant Calhoun e Sarah Silverman como Vanellope von Schweetz.

Portanto, quando anunciaram os dubladores para as cópias dubladas: Tiago Abravanel (que teve uma performance elogiada pela crítica no musical sobre Tim Maia) como Ralph, Rafael Cortez como Felix Jr. e Mari Moon como Vanellope confesso que fiquei com um pé atrás dado o histórico de animações com vozes de pessoas famosas não ser dos melhores. Entretanto, após assistir ao filme, sou obrigado a dizer que a dublagem está muito bem adaptada, em especial as vozes de Cortez e de Moon tornando até difícil identificá-las.

O universo em que a história se passa é extremamente rico e interessante, por seu um “flipper”, o ambiente que nos é apresentado possui um enorme potencial de expansão, muitos elementos adicionais podem ser explorados em filmes futuros. Sinceramente espero ter uma continuação pois o potencial de novas histórias é gigantesco!

Os elementos visuais, como por exemplo a forma dos moradores de Pleasent Ville se movimentarem com alguns quadros a menos, sem tanta movimentação, simulando gráficos mais antigos como até uma simples sujeira ser mostrada em pixel art foi um toque de gênio.

A quantidade de “easter-eggs” é realmente impressionante. É um verdadeiro festival de referência para gamers, principalmente quem jogava consoles antigos. Recomendo que você preste muita atenção nas cenas que se passam na Game Central pra talvez conseguir pegar todas as referências da primeira vez que assistir o filme. Pra mim a exibição na cabine não foi suficiente e estou decidido a assitir novamente, pra tentar achar todas as piadas internas presentes.

O filme me supreendeu positivamente e conta com boas piadas “abrasileiradas” que rendem boas risadas. E a mensagem de Detona Ralph é sincera e verdadeira e eu interpretei como sendo: aceite quem você é pois só assim será feliz de verdade.

E já que estamos falando sobre filmes aqui no Game Reporter, dê uma conferida no vídeo abaixo para ver cinco recomendações de filmes sobre games:

Marvel leva os Vingadores para os smartphones com Marvel Initiative

Vingadores

Os Vingadores foram, sem dúvidas, os grandes heróis do verão. A bilheteria do filme foi assombrosa e até rendeu um post aqui no GameReporter, e olha que em geral nós falamos quase que exclusivamente de jogos eletrônicos. Com o sucesso no cinema do grupo de heróis da Marvel, é natural que a máquina do marketing explore os heróis até a última gota possível.

Recentemente a Marvel anunciou o lançamento do projeto Avengers Initiative, que consiste em vários lançamentos de jogos para smartphones baseado nos heróis. O primeiro deles é o Hulk, que ganha um jogo que conta uma história inédita e serve para apresentar um pouco mais do vingador mais temível.

O game segue o estilo de ação e está em desenvolvimento pelo estúdio Wideload Games, que tenciona levar aos smartphones a experiência de jogo similar ao que é encontrado nos consoles de mesa, graças aos gráficos em HD e um esquema de combate mais intuitivo com as telas sensíveis ao toque e os golpes elaborados dos personagens.

De acordo com a produtora, há a possibilidade de customizar o Hulk, escolhendo roupas e definindo habilidades e superpoderes que mais se adequarem aos momentos do jogo, melhorando as estatísticas de combate.

“O Avengers Initiative representa o maior e mais ambicioso projeto de jogo para celular da Marvel até hoje”, disse TQ Jefferson, vice-presidente de produção de jogos da Marvel. “Com este lançamento, a Marvel oferece gráficos e estilo de jogo com qualidade de console para jogos de celular, junto com uma experiência que terá continuidade com a adição de novos Vingadores.”

O game está interligado com Marvel: Avengers Alliance do Facebook e conta um pouco mais do evento Pulso, um desastre que acabou libertando famosos vilões como os Skrulls, Wendigo, Abominável, etc, que estavam encarcerados numa prisão de segurança máxima da S.H.I.E.L.D. A missão do Hulk é pegar esses criminosos antes que façam mais estragos.

Avengers Initiative já está disponível por $6,99 na App Store para iPhone 4, iPhone 4S, iPad 2 e o novo iPad. O jogo também está disponível para dispositivos Android específicos no Google Play. Vamos ver se a Marvel conseguirá repertir nas telinhas o mesmo sucesso que fez nas telonas.

Confira o trailer de lançamento abaixo:

Detona Ralph: uma animação da Disney baseada nos videogames

Detona Ralph

Wreck-it Ralph, (ou Detona Ralph! como será o título por aqui) é uma animação em 3D da Disney que tem data prevista de estreia para 02 de novembro de 2012 e contará a história de Ralph, um gigante de 2,70 metros de altura com quase 300 quilos que após passar por um período de “raiva” sendo um vilão de um arcade 8-bits, começa sua jornada em busca de sua verdadeira identidade, tentando provar que é mais do que um personagem secundário que só sabe destruir. Confira o novo trailer dessa animação com diversas aparições de personagens famosos dos games.

Este longa possui um elenco de dubladores de alto nível com: John C. Reilly como Ralph, Jack McBrayer como Fix-It Felix Jr. (o “arquinimigo” de Ralph), Jane Lynch como Sergeant Calhoun e Sarah Silverman como Vanellope von Schweetz.

Pra mim, a melhor parte desse trailer foi o grupo de ajuda para vilões, prestando uma homenagem a diversos personagens clássicos dos games, como: Bowser (ou Copa), Zangief, M.Bison (ou Vega), Robo Tinik (ou Dr. Eggman).

Em entrevista para o site Total Film, o produtor Clark Spencer falou sobre outras aparições como a de Skrillex, o famoso DJ de Dubstep, que inclusive está envolvido na trilha sonora do filme. Spencer também comenta sobre a ausência de Mario (sim, aquele) e diz que “o difícil foi, que nós estávamos tentando descobrir o jeito certo de usar um personagem como Mario. Tinha que ser algo orgânico para o filme, nós não queremos apenas inserí-lo lá.”

E senão bastasse um novo trailer, confira abaixo os novos posters liberados pela Disney. Veja abaixo.

No site oficial do filme, você pode enfrentar Ralph no “Fix-it Felix Jr.“, o jogo original onde ele é o vilão, “destruir” o vídeo compartilhando seu score nas redes sociais, baixar wallpapper, backgrounds para seu twitter e muito mais.

E você, gostaria de ver qual vilão ajudando Ralph nessa jornada?

(Via Allgames Beta 2 e Total Film)