Arquivo da tag: Dicas

Seis lições que os empreendedores podem tirar do sucesso de Pokémon GO! 

O lançamento de Pokémon Go foi extremamente bem sucedido em todas as partes do mundo e serve de lição para todos os desenvolvedores de jogos do mundo de como lançar um produto de sucesso, seja um estúdio grande ou um desenvolvedor indie. Foi pensando nisso que reunimos as principais lições que os empreendedores podem tirar do sucesso de Pokémon Go.

Essas dicas são preciosas para que o empreendedor saia na frente dos concorrentes para alcançar o grande público. Vale destacar que chegar aos 75 milhões de download de Pokémon é praticamente impossível se você não está trabalhando com uma franquia tão famosa, mas nada impede que seu jogo se torne a grande sensação. Basta ver casos de jogos que começaram independentes, tais como Minecraft, Angry Birds, entre outros. Que tal conferir uma lista de dicas de empreendedorismo preparadas pelos executivos de startups?

Confira abaixo seis dicas de profissionais que qualquer empreendedor pode tirar do sucesso de Pokémon Go

Inovação

Já não é de hoje que a Nintendo visa inovar em seus produtos. Desde o lançamento do Nintendo DS e do Wii a empresa tem focado mais em inovar do que seguir na mesma direção que os concorrentes. Mesmo em seus jogos é possível ver elementos que visam trazer elementos pouco explorados. Claro que Pokémon Go não é a primeira aplicação a utilizar a realidade virtual, mas foi ele justamente a massificar um conceito que era explorado tão timidamente.

“Pokémon GO é um exemplo de inovação e mostra que sempre está em tempo de pensar fora da caixa. A Nintendo saiu do modelo de negócios automático e explorou a essência do videogame, que não está apenas na tecnologia enfatizada pelas marcas, mas também na interatividade e na relação que os jogos podem ter com a vida real. Para ser bem sucedido no mercado, às vezes, é fundamental pararmos de seguir o fluxo da concorrência e olharmos para onde ninguém está olhando para enxergar o que os clientes realmente querem de nós”, disse Antônio Miranda, CEO do Cuponomia, plataforma que reúne cupons de desconto dos principais players de comércio eletrônico do país.

 

Ótica e reinvenção

“Não se prenda ao óbvio. Tente olhar as coisas sob outra ótica para encontrar as melhores oportunidades. O lance do jogo é procurar o Pokémon em lugares muitas vezes inusitados e até arriscando encontrar alguma raridade. Isso vale para os empreendedores também, que precisam treinar o “olhar” para oportunidades novas e às vezes escondidas”, recomenda Vitor Torres, CEO do Contabilizei, escritório de contabilidade online para micro e pequenas empresas dos setores de serviço e de comércio.

“Reinvente os clássicos. O jogo é uma reinvenção de um personagem e de uma empresa que estavam numa maré baixa e isso tem muito a ver com as startups de tecnologia, que pegaram mercados clássicos (táxi, contabilidade, etc) e reinventaram a forma de fazer as coisas melhorando consideravelmente o que já existia. Ou seja, para os empreendedores, reinventar os clássicos diz respeito a disrupção e impacto, e não exatamente reinventar a roda ou propor novidades que não trazem benefícios concretos”, completa Vitor.

 

Ouça o seu público

“No dia 1º de Abril de 2014 o Google lançou um jogo muito parecido com esse, a ideia era caçar Pokemons através de realidade aumentada, porém, utilizando o Google Maps. Era uma brincadeira, mas as pessoas foram a loucura, é claro! O sucesso já era anunciado, o que a Nintendo fez foi dar ouvido a essas vozes e criar o jogo que fez o valor da empresa na bolsa de valores subir impressionantes US$ 11 bilhões. Como empreendedores, muitas vezes temos problemas para ouvir o nosso público, pois temos certeza que conhecemos o produto e que sabemos nossas limitações internas. No caso do Pokemon Go o feedback do público foi extremamente positivo, mas também poderia ser negativo, temos que levar isso em conta em ambas as situações”, alerta Gisele Giardelli, country manager do DeeMe, aplicativo de mensagens através de imagem e texto com foco na criatividade.

Se você já chegou a lançar um jogo anteriormente, então já tem um feedback de seus usuários. Caso não tenha feito nenhum lançamento, dê ouvidos aos seus amigos, familiares e beta testes. As pessoas vão querer ajudar se perceberem que você está aberto a sugestões e críticas construtivas.

 

Foco no target

“Pokémon GO é um grande exemplo de que pensar no que o seu público-alvo realmente quer e está buscando sempre será a melhor estratégia de negócio. Vivemos em um mundo onde as pessoas estão conectadas durante todo o tempo e querem solucionar seus problemas e obter respostas para seus anseios a um clique, usando seus smartphones, de preferência. Simplificar os processos e entregar ao consumidor o que ele precisa é o que definirá se uma empresa terá sucesso”, disse Vanessa Louzada, fundadora da Holipet, marketplace para pets.

Deste modo, não mude seu foco simplesmente porque quer agregar mais conteúdo ao seu jogo. É sempre bom aprimorar, mas tenha em mente que há um objetivo prioritário. Se você vai criar um jogo ao estilo shmup (jogo de navinha), vá até o fim sem descaracterizar o produto final.

 

Adaptação e Agilidade

Fato: Há mais de uma década se fala em realidade aumentada, mas pela primeira vez a tecnologia está acessível a milhões de pessoas. Muitas empresas já incluíram o jogo Pokémon Go em suas ações de marketing e passaram a comprar itens do game, aproveitando dessa popularidade, para atrair clientes para os seus negócios. De acordo com Caio Lopes, Diretor de Tecnologia da Mobile2you, “(…) saem na frente àqueles que enxergaram essa oportunidade, adaptaram suas estratégias e estão investindo em algo que pode ou não ser passageiro, mas que com certeza atrairá um bom público aos seus estabelecimentos. Em um mundo globalizado, as empresas precisam ter agilidade para colocar suas ideias em prática e disponibilizar para o maior número de pessoas possível”.

 

Estude bem seu sistema de Monetização

Não podemos ser hipócritas em não assumir um sistema de monetização. Muitos jogos promissores quebraram seus estúdios por não ter um sistema de monetização eficaz. Imagine um game viciante, jogado por milhões de pessoas, mas que não consegue arrecadar nenhum centavo para o desenvolvedor? Acredite, isso já aconteceu.

Pokémon Go, além de implementar esse tipo de modelo de monetização com as compras de pokébolas e itens dentro do jogo, pensou fora da caixa e encontrou uma maneira realmente inovadora: locais patrocinados. Essa estratégia de geomarketing fez o aplicativo gerar receita de lojas e demais empresas que desejam atrair mais visitas de consumidores para seu estabelecimento. Eles pagam para colocar Pokémons dentro do local e, consequentemente, atrair pessoas até a loja. Os anunciantes são cobrados baseados em “custo por visita”, que é semelhante ao conceito de “custo por clique” utilizado para estratégias de SEO.

“O resultado disso foi que em apenas 7 dias, o aplicativo foi o jogo de maior monetização da história, baseado na receita de acordo com os downloads em celulares. O Pokémon Go é um exemplo perfeito de como implementar uma forma de monetização atraente para os dois lados: os anunciantes e os consumidores”, conta Guilherme Ebisui, CEO e sócio-fundador do Poppin, novo app de relacionamento disponível nos sistemas iOS e Android.

 

E aí, você acha que consegue implementar essas dicas em seu próximo projeto?

Conheça a Game Audio Academy, projeto que disponibiliza dicas e tutoriais gratuitos sobre Game Music

Hoje vamos dar uma dica para quem tem interesse específico em game music ou para quem está desenvolvendo um game, mas não se envolve com a parte da trilha sonora e também efeitos especiais. Vamos falar sobre o Game Audio Academy, plataforma de ensino criada por profissionais que atuam com áudio para games, cujo objetivo é ensinar e trazer novidades sobre o mercado de game music.

Na página do projeto há tutoriais básicos que servem como verdadeiros guias de sobrevivência para game áudio. Além disso, há dicas sobre o mercado de trabalho e palestras gratuitas e cursos completos. A intenção é trazer o máximo de conteúdo possível para estudantes e profissionais brasileiros, de modo que qualquer um possa ter acesso sem sair de casa.

O projeto é liderado pelo Thiago Adamo, nacionalmente conhecido como PXL DJ, compositor e sound designer que atua no mercado desde 2008 e já realizou trabalhos em diferentes eventos como a Video games Live, a Game Music Brasil, Campus Party, entre outros. De acordo com ele, a Game Audio Academy surgiu devido à escassez de conteúdo voltado á Game Music em português e pela falta de pessoas dedicadas a falar sobre este conteúdo. Ou seja, desde o princípio, a intenção foi de ajudar novos designers.

Cerca de 70% do conteúdo disponibilizado na “GAA” é gratuito. Isso inclui palestras de como criar áudio para jogos, cursos completos, podcasts e vídeos semanais com entrevistas realizadas com produtores, etc. Há conteúdos pagos, que aprofundam ainda mais essa temática. Não por acaso, a GAA é uma instituição de ensino com diversos alunos espalhados pelo país. Alguns dos quais tem trabalhos incluídos em jogos de diferentes estúdios de desenvolvimento.

O Game Audio Academy é um projeto único e uma das poucas investidas em um aspecto específico dos jogos eletrônicos. Se você é game designer e estava à procura de dicas para melhorar o som do seu jogo, é uma boa dica começar a procurar neste espaço.

Game Audio Academy

Editora Europa lança guia oficial de Warlords of Draenor

A mais recente expansão de World of Warcraft (Warlords of Draenor) foi lançada no último dia 13 de novembro. Para celebrar o lançamento, a Editora Europa lançou o Guia de Estratégia Oficial do game. O encadernado conta com 228 páginas com as mais variadas informações sobre o jogo.

Entre outras coisas, os compradores podem conferir no guia dicas e novidades da expansão, mapas das regiões, estratégias para criação de guarnições, ilustrações, conceitos do game, guia de controles etc. É um prato cheio para fãs e iniciantes de WoW. A obra está em português e chega às bancas e livrarias de todo o país em 24 de novembro pelo preço de R$ 39,90. Também é possível fazer a compra pelo site da Editora Europa.

No game os jogadores entram na batalha por Draenor após Garrosh Grito Infernal escapar do Portão Negro e forjar os antigos clãs orcs em uma máquina de guerra conhecida como Horda de Ferro capaz de varrer todo o mundo.

Veja o trailer de Warlords of Draenor:

Gamedev: livro digital esclarece dúvidas sobre desenvolvimento de games

Quem sonha em atuar na área de jogos eletrônicos e ainda têm várias duvidas na cabeça e não encontra as respostas apropriadas pode tentar consegui-las através do livro digital Gamedev – Fazendo Carreira no Mundo dos Jogos Digitais. A obra foi escrita por Raphael Dias, criador do site Produção de Jogos e pós-doutorando em Física.

O livro aborda assuntos corriqueiros de quem está ingressando na área de jogos eletrônicos, como possibilidades no Brasil, quais os cursos existentes, solidez do mercado de trabalho interno e possíveis empresas para se estagiar ou trabalhar no país. De acordo com Raphael, a ideia de criar o livro surgiu ao se dar conta que frequentemente ele respondia questões dos visitantes de seu site. Essas questões eram das mais básicas como “O que um Game Designer faz?” ou “Quanto é o salário médio dos profissionais de jogos digitais?”.

O ebook Gamedev aborda os seguintes assuntos:

  • O perfil do profissional que trabalha com games;
  • O que a carreira em games não é;
  • Como é o trabalho de um indie game developer
  • Quais os tipos de carreiras que existem hoje no mundo dos games;
  • Salário médio de mais de 10 tipos de profissionais que trabalham com jogos no Brasil e no exterior;
  • Quais são os mercados de atuação;
  • Descubra as mentiras que contam sobre a carreira de games;
  • Porque todo mundo quer entrar na carreira de jogos digitais;
  • Onde estudar desenvolvimento de jogos no Brasil e no exterior;
  • Algumas das melhores empresas para se trabalhar com games no Brasil;
  • Dicas de como se destacar no mercado.

Além do livro em PDF, Raphael criou um kit para quem adquirir o material, de forma que as dúvidas sejam sanadas e o aspirante a game designer tenha em mãos um material forte para se lançar no mercado futuramente. No tal kit vem o livro em PDF e em ePub (para tablets); um audiolivro em mp3; uma listagem de 89 empresas brasileiras de games; uma lista de 105 cursos nacionais e internacionais de jogos digitais; entrevistas com desenvolvedores e por fim um acesso para participar de um grupo no facebook.

Existe ainda um ebook bônus de 106 páginas com detalhes sobre desenvolvimento indie. Neste arquivo há informações preciosas como qual engine utilizar, programas indicados para fazer a arte e sons do jogo, como definir o plano de negócios do game, como obter atenção da mídia, como conquistar fãs e criar uma comunidade de fãs para seu jogo, além de outras informações bastante úteis. Mas este ebook bônus está disponível por tempo limitado!

A intenção deste pacote é tornar-se um guia de bolso para quem almeja sucesso na área de jogos eletrônicos. Quem tiver interesse, basta acessar a página de vendas do livro dentro do site Produção de Jogos. Não esqueça depois de comentar o que achou do conteúdo do livro!

Livros explicam passo a passo criação de personagens para games

Personagens para Games

Então você é estudante de game design e estava com muitas dúvidas com relação ao desenvolvimento de personagens? Se este for o seu caso, sinta-se aliviado, pois hoje o Gamereporter trará três sugestões de livros voltados para a criação de games. Todos os livros são da série “Games Next-Gen” do Alessandro Lima, lead character design no estúdio Aquiris Game Experience de Porto Alegre, além de escritor e professor da Universidade Feevale de Novo Hamburgo.

Todos esses livros tem um foco muito grande na criação de personagens, sendo que dois desses livros foram publicados pela editora Ciência Moderna, o terceiro e último foi publicado pela Uniritter. Essas publicações podem ser encontradas à venda pela internet a fim de facilitar a vida do estudante.

O primeiro deles é o “Design de Personagens para Next-Gen Volume 1” que explica o processo de criação de personagens. O produto final apresenta o máximo possível de informações que o estudante a fim de aprender sobre character design precisa saber. O preço sugerido é de R$ 99,00 e vem acompanhando de um DVD que serve como suporte aos ensinamentos do livro, apresentando exercícios e o passo-a-passo detalhado.

O segundo é o livro “Design de Personagens para Games Next-Gen Volume 2que serve como complemento do primeiro volume (como sugere o título) e trata do design de personagens para games no Xbox 360 e Playstation 3. Assim como no primeiro volume, este também contém um DVD como material de apoio. A compra do livro pode ser feita através do site da editora.

A obra contém, sobretudo, material relacionado às ferramentas de modelagem como o 3Ds Max e o PolyBoost, além disso, o livro explica todas as etapas desde a definição de layout até a pintura digital. Se sua ideia é ler o primeiro volume, certamente vai precisar do segundo volume também para enriquecer seus conhecimentos e não deixar qualquer informação crucial passar batida.

E por fim vem o livro “Projeto de Personagens Tridimensionais e Virtuais: Validação e Adaptação de Metodologias” que trata basicamente de questões metodológicas da construção de modelos digitais em jogos. Diferente dos outros livros, este aqui fala sobre aquilo que o autor considera necessário para a construção de um personagem sólido como análise linguística, desenhística e psicológica.

Esse último  livro leva mais em consideração alguns pormenores da criação de personagens do que a técnica em si, são metodologias comumente descritas por outros autores de peso como Meurer e Szabluck (2009), Doizon (2008), Fox (2004), Taylor (2009), Mitchell (2007), Lima (2011), Ward (2008) e Johnston (1995). Vale destacar que o livro é vendido exclusivamente pela editora Uniritter de Porto Alegre.

Com esses três livros e os DVDs, o estudante de jogos digitais que está quebrando a cabeça com a criação de personagens terá a vida descomplicada, bastando um bom estudo sobre o material publicado. Aqueles que conferirem, depois compartilhe suas impressões das obras.

Em tempo: o autor Alessandro Lima informa que mantém um fórum como suporte para possíveis dúvidas.

Game indie brinca com cores e formas geométricas para exercitar o cérebro

Mind of Me / Kongregate

Sempre que há uma oportunidade o GameReporter abre espaço para que desenvolvedores indie mostrem seu trabalho, afinal achamos importante valorizar o trabalho de brasileiros que também se empenham tanto para trabalhar com videogames. Assim é o caso do game Mind of Me, produzido pelo brasileiro João Neto.

O game está hospedado no site Kongregate e busca a simplicidade, graças a sua temática educativa. A ideia básica é exercitar a mente com um puzzle baseado em cores e geometria. O jogador deve memorizar onde estão as formas geométricas coloridas na tela e clicar em cima daquela que o jogo pedir. Ou seja, o esquema de jogo é bem simples e serve para medir a atenção do jogador.

O gameplay baseia-se quase que exclusivamente nos botões do mouse. Você deve clicar com ele na posição provável da figura pedida pelo computador. Ao clicar e segurar o botão direito você seleciona uma área circular, a fim de manter o foco do jogo em um determinado local. Isto facilita as coisas, contudo a pontuação é menor. Quando o cursor do mouse estiver sobre a pergunta, um balão de dica com a figura a ser encontrada irá aparecer.

Quanto mais acertos, mais pontos você ganha e assim pode entrar para o ranking mundial do jogo. Além de fácil de jogar, o game também é gratuito, bastando o jogador criar uma conta no site Kongregate (ou logar através do Facebook) e baixar o Plugin Unity.  Por enquanto o jogo está apenas em inglês, porém o produtor já nos adiantou que há planos para criar versões em outros idiomas.

Após testar o jogo Mind of Me dê uma força para o produtor contando aqui o que achou do game, deste modo ele pode aperfeiçoar sua criação!

David Perry dá as dicas de como ganhar dinheiro com games

David Perry é um nome forte na indústria há 27 anos, quando começou sua carreira. Fundou a Acclaim Games, onde exerceu a função de chefão criativo, criando games como Earthworm Jim, Aladdin e Matrix.

Ou seja: o cara tem algo a dizer, e em uma entrevista com o site BusinessWeek ele comentou alguns modelos de negócio que podem ser adotados por quem está chegando à indústria e quer fazer dinheiro com games.

São 33 maneiras de ganhar dinheiro, dispostas em uma galeria de fotos que merece ser vista e lida cuidadosamente. Está em inglês, mas os textos são curtos e bem ilustrados. Dica do Roberto Caetano, da FMU.

:: Veja as dicas de David Perry agora

Quer aprender a fazer jogos em Unity 3D?

O leitor Rodrigo Miranda Porto entrou em contato com a gente para contar sobre tutoriais de Unity 3D, engine para games 3D.

A Unity também conhecida como Unity 3D e é um motor de jogo 3D (game engine). Unity é similar ao Blender e Torque Game Engine, em relação a sua forma de fazer de jogos: a sua interface gráfica. A engine cresceu a partir de uma adição de um suporte para a plataforma Mac OS X e depois se tornou um motor multi-plataforma e uma das mais usadas atualmente.

Um bom repositório para quem está querendo aprender a programar pode ser encontrado aqui.

Quem prefere vídeos e entende inglês, pode aprender os básicos da plataforma no YouTube. Basta acessar a parte 1 e a parte 2 do tutorial da TornadoTwins.

Quer mais? Aqui tem 5 aulas fantásticas:

Tutorial de Unity 3D # 1

Tutorial de Unity 3D # 2

Tutorial de Unity 3D # 3

Tutorial de Unity 3D # 4

Tutorial de Unity 3D # 5

Curso: aprenda a criar e programar jogos em Blender

gr-blenderaula Se você quer começar a criar e programar jogos em Blender, tem curiosidade ou já começou a dar seus primeiros passos, pode achar isto interessante. Encontramos hospedado no portal de vídeos Vimeo um curso de como criar um jogo em Blender, de modelagem 3D.

Para quem não sabe, o Blender é um doftware de código aberto, desenvolvido pela Blender Foundation, para modelagem, animação, texturização, composição, renderização, edição de vídeo e criação de aplicações interativas em 3D. Com ele também é possível programar e criar jogos de computador.

O curso possui onze aulas de Blender, em português, e pode ser um bom ponto de partida. Além das 11 aulas, há ainda mais dicas de modelagem e tutoriais no perfil do autor, Caleb. Dê uma conferida e nos diga o que achou.

:: Acesse as video aulas de Blender aqui

Seminário Web sobre jogos educativos

gr-celebritycalamity

Na próxima quinta-feira, dia 9 de abril, a Doorways to Dreams Fund (D2D) realizará um seminário web (webinar) para discutir o desenvolvimento do game casual educativo “Celebrity Calamity”.

A idéia é debater os jogos de treinamento. Celebrity Calamity aborda a educação financeira de mulheres de renda baixa para moderada, uma ferramenta mais divertida para promover ensinamentos de economia.

O webinar estudará o case do game casual e dará uma luz a quem pretende seguir a carreira de jogos de treinamento. Para participar, é preciso se registrar e possuir computador PC (Windows 2000, XP, 2003 Server, Vista) ou Mac (OS X 10.4 ou superior).

:: Registre sua presença aqui