Arquivo da tag: Detona Ralph

Q Bert: dos fliperamas para o filme Detona Ralph

Q Bert

Quem se lembra do Q Bert? Aquela bolinha laranja saltitante que fazia muito sucesso nos anos 80? Com a sua recente participação no filme Detona Ralph, muita gente pôde matar a saudade do pequeno personagem, mas ainda há jogadores que nem se lembram de onde ele surgiu e o que está fazendo no filme. Hoje o GameReporter vai relembrar a história desse personagem que foi esquecido há muito tempo entre os jogadores.

No filme da Disney, Q Bert e seu eterno rival Coily estão na Estação Central dos Jogos esperando uma oportunidade para fazer uma ponta em algum novo jogo. Os dois foram para na Estação porque seu game foi desplugado, ou seja, tornou-se obsoleto e esquecido pelos jogadores (ninguém mais quer jogá-lo). Após a aventura de Ralph, os personagens de Q Bert conseguem um final feliz, porém vocês lembram como surgiram esses personagens?

Lançado em 1982, Q Bert foi um jogo de plataforma para arcades que fez muito sucesso em sua época. O game foi criado pela empresa Gottlieb, que era bastante conhecida por suas máquinas de pinball. O game apresentava gráficos em 2D e o objetivo do jogador era pular em cima de cada um dos quadrantes de uma grande pirâmide.

Cada vez que o pequeno Q Bert pulava em cima de um dos cubos da pirâmide, eles mudavam de cor. O objetivo era mudar todas as cores da pirâmide, desviando de objetos e inimigos. Em alguns estágios o jogador deveria pular em cima do mesmo cubo várias vezes.

Apesar da simplicidade, Q Bert tornou-se meio que um garoto propaganda da Gottlieb, estampando lancheiras, brinquedos e até aparecendo na televisão americana. O game ganhou outras versões também para arcades, Atari 2600 e outras plataformas. De acordo com dados não oficiais, o fliperama vendeu mais de 25 mil unidades, tornando-se o maior e único sucesso da fabricante Gottlieb.

O sucesso do game foi justificado por vários fatores: a qualidade técnica era muito boa para a época, as cores eram vibrantes e os gráficos eram bem definidos. O Guinness World Records chegou a incluir Q Bert como um dos jogos mais clássicos já criados devidos ao seu impacto cultural.

No auge, o pequeno personagem laranja rivalizava com outras figuras dos games como Pac-Man e Jumpman (o Mario de Donkey Kong). O sucesso do personagem chegou a tal ponto que ele até virou um desenho animado em um show infantil da emissora CBS chamado Saturday Supercade que apresentava aventuras dos personagens da era de ouro dos videogames como o próprio Q Bert, Donkey Kong, Frogger e Pitfall.

No ano 1999 a Hasbro Interactive  chegou a lançar uma versão do jogo para o Playstation e o Dreamcast, porém com gráfico em 3D. A nova versão apresentava a versão clássica, uma aventura principal e um modo multiplayer. Essa versão não conseguiu ressuscitar a franquia, apesar de contar com gráficos melhorados. O real problema é que todo o game em si já estava obsoleto.

Apesar disso, Q Bert jamais saiu da memória de seus fãs. Tanto é que o game foi lançado na Playstation Network em meados de 2007, o primeiro game clássico de árcade a aparecer na loja da Sony. A versão para o 3° console de mesa da Sony contava com gráficos renovados, suporte ao Sixaxis e opções online. De fato, não é a primeira opção da maioria dos jogadores, mas com certeza é um jogo obrigatório para quem gosta de uma sensação de nostalgia.

Abaixo, você relembra como foi o primeiro game Q Bert:

Review: Detona Ralph e 5 dicas de filmes sobre games

Detona Ralph

Já falamos sobre a animação mais recente da Disney, Detona Ralph no Game Reporter nesse post e no final de novembro estive na pré-estreia desse filme que achei fenomenal por ser uma ótima história sobre auto-conhecimento além de exibir diversas piadas e elementos referenciando o universo dos games.

Sinopse: um vilão de videogame quer ser herói e se prepara para realizar seu sonho, mas sua busca traz confusão para todo o flipper onde ele vive.

Um dos motivos que me deixou interessado neste filme, além do universo de games presente na história, é o time de vozes originais: John C. Reilly como Ralph, Jack McBrayer como Fix-It Felix Jr. (o “arquinimigo” de Ralph), Jane Lynch como Sergeant Calhoun e Sarah Silverman como Vanellope von Schweetz.

Portanto, quando anunciaram os dubladores para as cópias dubladas: Tiago Abravanel (que teve uma performance elogiada pela crítica no musical sobre Tim Maia) como Ralph, Rafael Cortez como Felix Jr. e Mari Moon como Vanellope confesso que fiquei com um pé atrás dado o histórico de animações com vozes de pessoas famosas não ser dos melhores. Entretanto, após assistir ao filme, sou obrigado a dizer que a dublagem está muito bem adaptada, em especial as vozes de Cortez e de Moon tornando até difícil identificá-las.

O universo em que a história se passa é extremamente rico e interessante, por seu um “flipper”, o ambiente que nos é apresentado possui um enorme potencial de expansão, muitos elementos adicionais podem ser explorados em filmes futuros. Sinceramente espero ter uma continuação pois o potencial de novas histórias é gigantesco!

Os elementos visuais, como por exemplo a forma dos moradores de Pleasent Ville se movimentarem com alguns quadros a menos, sem tanta movimentação, simulando gráficos mais antigos como até uma simples sujeira ser mostrada em pixel art foi um toque de gênio.

A quantidade de “easter-eggs” é realmente impressionante. É um verdadeiro festival de referência para gamers, principalmente quem jogava consoles antigos. Recomendo que você preste muita atenção nas cenas que se passam na Game Central pra talvez conseguir pegar todas as referências da primeira vez que assistir o filme. Pra mim a exibição na cabine não foi suficiente e estou decidido a assitir novamente, pra tentar achar todas as piadas internas presentes.

O filme me supreendeu positivamente e conta com boas piadas “abrasileiradas” que rendem boas risadas. E a mensagem de Detona Ralph é sincera e verdadeira e eu interpretei como sendo: aceite quem você é pois só assim será feliz de verdade.

E já que estamos falando sobre filmes aqui no Game Reporter, dê uma conferida no vídeo abaixo para ver cinco recomendações de filmes sobre games: