Arquivo da tag: Defense Tower

Battle Bruise – Acabe com os zumbis neste jogo indie repleto de ação

Sobreviver é o grande objetivo de Battle Bruise, o novo jogo dos desenvolvedores indies da Zanardi and Liza. Trata-se de um shooter 2.5D de arena bastante criativo e divertido em que os jogadores devem enfrentar hordas de zumbis em cenários acidentados. O game é repleto de ação, explosões e extremamente viciante.

Conforme você atira mata os zumbis as pilhas de corpos formam montanhas, o que deixa o terreno acidentado e bastante imprevisível. Além dos zumbis humanos, há animais morto-vivos também, que trazem um novo tipo de desafio para o jogador. A ação é bastante intensa, fazendo lembrar o clássico flash Pothead Zombies.

Há dois modos de jogo em Battle Bruise (arcade e car defense mode), este último funciona mais ou menos como um defense tower, com a diferença que você deve proteger seu carro estacionado das investidas dos zumbis. Além disso, há cinco armas disponíveis para destruir os inimigos que chegam de todos os lados do cenário. É possível fazer upgrades nas armas para torna-las ainda mais destrutivas.

A arte é simples, conhecido como “trash” (os jogadores dizem que lembra o jogo Drawn to Death), que funciona e dá personalidade ao projeto. A trilha sonora também é pesada e é assinada por Txai, que não perdeu o viés de humor que Battle Bruise pede. O título é uma ótima pedida para quem curte tiroteio desenfreado e bom humor. Já disponível na Steam.

Abaixo tem o trailer de Battle Bruise:

Hue Defense: novo jogo da BraveWolf é um defense tower que faz paródia com a política brasileira

O destaque de hoje é outro título indie que fez bastante barulho durante a Brasil Game Show: Hue Defense. Trata-se de um defense tower com uma crítica política singela, porém mordaz. A cortesia é do estúdio indie BraveWolf, que surgiu em 2015 coma intenção de trazer inovação nos jogos eletrônicos.  Estamos na pequena ilha de Hue (sacou a referência?), que está sendo invadida por duas espécies danosas e especialmente perigosas: os azuis e os vermelhos. Cabe ao jogador construir poderosas torres munidas com armamentos pesados para eliminar essas terríveis ameaças.

A jogabilidade lembra bastante o famoso Defense Grid, do Xbox 360, ou seja, os inimigos começam a andar em fila indiana e o jogador deve montar suas torres em pontos estratégicos para deter o avanço dos inimigos e impedir que eles tomem os diversos pontos de interesse da ilha. Para tanto, você tem à sua disposição sete diferentes tipos de torres, cada uma com um tipo de poder de fogo. O desafio vai aumentando à medida que os inimigos surgem em maior número e se tornam mais resistentes.

O grande macete de Hue Defense é que cada torre possui seus próprios poderes e servem a diferentes propósitos. Assim, o jogador deve montar uma estratégia para destruir todos os invasores, não sendo suficiente apenas montar estruturas de defesa a esmo. Você pode montar torres de coxinha, mandioca, entre outras. São mais de 30 habilidades únicas. Inclusive há um sistema de níveis bem estruturado para que o jogador melhore suas defesas ao passo que derrota os inimigos.

Hue Defense faz uma paródia do atual cenário político do Brasil com bastante bom humor e sátiras. Ao longo das 20 fases que compõe o game você vai se deparar com situações facilmente reconhecíveis da política brasileira. Durante a semana da BGS 2016 o estúdio BraveWolf chegou a dar uma amenizada no tema político na página da Steam, porém as características dele permanecem as mesmas. A ideia é fazer os jogadores se divertir, porém sem deixar de lado uma reflexão sobre a política nacional.

Abaixo tem um trailer de Hue Defense:

Magic Master: segundo jogo da Mopix Games aposta na mistura de gêneros para conquistar público

O estúdio Mopix Games de Belo Horizonte está com uma campanha de crowdfunding no Kickante para tirar seu segundo game do papel. O título é chamado de Magic Master e é uma mistura de dois gêneros bastante populares entre os jogadores: tower defense e beat ‘em up. A campanha vai até o final de agosto e precisa de R$ 10 mil para seguir a produção até ser lançado para Android e iOS.

No título o jogador assume o papel do último salvador das terras do reino e deve defender uma torre dos ataques incessantes de ordas de orcs e goblins, além de dragões e até gigantes. O game tem uma ambientação inspirada em universos medievais, como Senhor dos Anéis e Dungeons e Dragons.

Basicamente você deve disparar feitiços contra os atacantes através de um sistema de upgrades conforme as fases vão sendo vencidas. De acordo com a Mopix, o jogo tem um sistema de jogabilidade inovadora: os diferentes poderes são utilizados de acordo com o movimento de deslizar de dedos do jogador na tela. Um gesto para frente serve para lançar fogo; um deslizar para baixo conjura relâmpagos, por exemplo.

“É um jogo de muita ação e pancadaria que envolve combates frenéticos contra hordas de monstros, vale tudo para proteger a torre remanescente de Ukala”, esclarece Raoni Dorim, CEOe game designer da Mopix Games.

Além dos comandos únicos, o game ainda conta com combinações de poderes para causar mais danos aos inimigos. É possível combinar feitiços de água e raio, por exemplo, para atingir mais inimigos e causar mais danos. Além disso, à medida que o jogador combate a horda de orcs, mais poderes são liberados, possibilitando combos inimagináveis para destruí-los, diz a equipe da Mopix.

O game está em desenvolvimento para mobile, mas ainda não há plataformas definidas ou previsão de lançamento.

Vídeo explicando o game Magic Master:

PX57: Logitech lança game criado via crowdsourcing na App Store

Recentemente a Logitech lançou o game PX57, um Tower Defense tradicional que carrega uma história de sucesso muito antes de chegar ao mercado. Este foi o primeiro game criado por uma grande marca através do esquema de crowdsourcing. O jogo é fruto do projeto “Together We Game”, da Logitech.

PX57 foi projetado e desenvolvido por jogadores de todo o mundo: de acordo com a Logitech, mais de 12 mil pessoas ao redor do mundo puderam participar de alguma forma do projeto. Ao final, o game foi realizado por Frank Lantz, diretor do New York University Game Lab, além de um time de experts em jogos digitais da Tiny Mantis. De acordo com os desenvolvedores, o game é bastante acessível e pode ser jogador por gamers de todos os níveis.

“A Logitech possibilitou que milhares de pessoas de vários países se unissem e contribuíssem para a criação do PX57 e vissem o que acontece por dentro do processo de design e desenvolvimento de um game”, disse Frank Lantz, diretor do New York University Game Center. “O PX57 reflete as ideias e escolhas criativas de todos que estiveram envolvidos e estamos felizes em vê-lo se tornar realidade. O Together We Game foi um processo colaborativo e divertido e agora é hora dos jogadores conhecerem o resultado final.”

O processo de criação reuniu uma comunidade de jogadores no Reddit por cinco meses para indicar e votar em elementos cruciais do game, como o cenário, personagens principais, sistema de pontuação e armamento. O objetivo da Logitech era desenvolver uma maneira de os próprios jogadores participar da criação do game ideal, compartilhando suas ideias e opiniões, de modo que o design do jogo foi moldado seguindo especificações trazidas pela própria comunidade.

O visual do título é bastante simples, mas é nessa simplicidade que ele esconde elementos para viciar os jogadores. As torres são customizáveis e durante as partidas os jogadores devem manter-se sempre atentos para bolar as melhores estratégias. De acordo com a Logitech, o game oferece muitas horas de jogatina e o fator replay é alto.

Baixe o PX57

O título já está disponível para download gratuitamente através da App Store. Para mais informações, basta visitar o blog da Logitech.