Arquivo da tag: Cultura

Flying Circus, de Monty Python, virará game social

Uma notícia bizarra para começar a terça-feira: o estúdio de desenvolvimento de games sociais, Zattikka, teria comprado os direitos para a criação de um jogo baseado na série Flying Circus, da trupe inglesa Monty Python.

O jogo baseado na série de esquetes cômicas mais lendária da história, e também a participação de Terry Gilliam, um dos integrantes que assinava as animações de cada um dos episódios e também a direção dos longa metragens.

Maluco? Talvez. Mas com a participação de Gilliam pode ser que saia coisa boa daí. “Adquirindo estes direitos transportaremos Monty Python para o século 21, com uma experiência totalmente nova para sua comédia única, que deliciará velhos e novos fãs da mesma forma”, apostou Tim Cheney, CEO da Zattikka. Tomara, Cheney, tomara…

[Via GamesIndustry]

Fluxograma aponta os clichés de JRPGs

Dias atrás o site Boing Boing surgiu com uma pérola: um fluxograma com a fórmula genérica dos RPGs japoneses.

A criação de Joe Juba, que trabalha para uma revista de videogames, é mais que uma paródia e pode ser considerada também um estudo dos games, apontando clichés e ajudando designers que querem fugir do senso comum.

“Se você já jogou um monte de RPGs, sabe que as histórias se misturam depois de um tempo”, afirma Joe. Você concorda?

:: Veja fluxograma aqui

[Via BoingBoing]

Trilogia De Volta para o Futuro em Blu-ray trará voucher de game

A Telltale Games é famosa em lançar tendência (ou ao menos dar força a elas). Depois dos games por episódio, que tornaram a empresa famosa ao lançar uma continuação de Sam & Max, a empresa planeja sua próxima campanha.

Agora anunciou que a trilogia do filme De Volta para o Futuro, que completou 25, a ser lançada em Blu-Ray na próxima semana, nos EUA, trará um voucher para o download gratuito do primeiro dos cinco episódios do game baseado na série.

A idéia é ótima, mas é uma pena que provavelmente não chegará por aqui. Primeiro porque a base de proprietários de Blu-ray ainda é minúscula, depois porque esse tipo de acordo nunca costuma ser global.

O game do De Volta para o Futuro, da Telltale Games, ainda não tem data de lançamento oficialmente confirmada.

Museu da Imagem e do Som de São Paulo (SP) terá eventos a gamers fãs de música

Gamers saudosos e fãs de música poderão participar de uma oficina que acontece neste fim de semana, nos dias 16 e 17 de outubro, em São Paulo, SP.

O workshop ministrado por Cristiano Rosa proporá aos participantes a montagem de um dispositivo chamado “Atari Console Punk”, que cria efeitos sonoros inspirados no console clássico da década de 80, o Atari.

Cristiano trabalha com instrumentos eletrônicos usando brinquedos antigos, e já participou de espetáculos no mundo inteiro.

O evento dirigido a jovens acima de 14, possui vagas limitadas e custa R$ 15 (desconto de 50% para estudantes). O evento acontecerá no Museu da Imagem e do Som, das 14 às 19 horas.

Para se inscrever é preciso enviar um email com nome e telefone para o endereço educativo@mis-sp.org.br, informando qual o workshop que você deseja participar.

Facção islâmica Talebã é removida de novo Medal of Honor

A Electronic Arts removeu as referências ao grupo Talebã do game de tiro em primeira pessoal Medal of Honor depois de reclamações de amigos e parentes de soldados americanos mortos na guerra e que não queriam ver o grupo terrorista exaltado em um jogo.

Greg Goodrich, produtor executivo de Medal of Honor, explicou que nos últimos meses recebeu grande feedback de gamers, militares, amigos e familiares de soldados que estão em missão. “A maioria deste feedback tem sido altamente positivo”, comentou acrescentando que receberam também feedback de familiares e amigos de soldados mortos preocupados com a inclusão do Talebã na parte multiplayer do jogo.

“É uma voz muito importante à equipe de Medal of Honor. É uma voz que ganhou o direito de ser ouvida. É uma voz com a qual nos preocupamos muito”, justificou Goodrich.

Ainda que o discurso oficial da EA tenha sido esse, pode haver um outro grande motivo por trás disso tudo: pressão. O site Kotaku afirma que a equipe de desenvolvimento teve apoio do exército americano para a criação de um ambiente o mais autêntico possível. Todavia, representantes do exército americano não teriam sido informados do conteúdo do modo multiplayer e da existência da facção inimiga e, portanto, estava cessando seu suporte à empresa.

Segundo o blog GameLife, o que era Talebã em Medal of Honor foi rebatizado de “Opposing Force”, o que no fim das contas não muda em muita coisa para o jogador. Medal of Honor estará disponível no mercado internacional a partir do dia 12 de outubro para PC, PS3 e Xbox 360.

[Via VideoGamer]

Você já ouviu falar no Museu Soviético de Fliperamas?

Quando falamos em videogames, é natural que venham grandes nomes, títulos de sucesso. Se falamos de fliperama, as coisas são parecidas. Todo mundo tem um preferido, mas dificilmente conhece algum que tenha vindo de fora do circuito japonês ou americano.

Talvez seja por isso que o um post do blog A Dangerous Business, publicado em janeiro deste ano, seja tão relevante a ponto de ganhar um destaque no GR mais de oito meses depois de sua publicação original. É um daqueles posts que não envelhecem e que merecem ser vistos.

O autor narra um passeio que fez por um museu de fliperamas soviéticos. O artigo riquíssimo em detalhes do passeio vale apena até mesmo para quem não entende patavinas de inglês, uma vez que é recheado de imagens interessantíssimas do museu.

Depois de ler o post e ver as fotos, ficamos com uma vontade tremenda de conhecer Moscou. E você?

:: Leia o post sobre o museu agora

Coréia do Sul está banindo alguns jogos independentes

Alguns desenvolvedores independentes que estão querendo ganhar o importante território da Coréia do Sul estão vendo seus jogos serem banidos do país.

O site GamesIndustry traz uma notícia curiosa de que alguns criadores de jogos gratuitos estão tendo seus jogos proibídos por não pagarem uma taxa necessária para que o órgão regulamentador da Coréia do Sul (GRB) defina a faixa etária dos títulos.

Por lá, esta classificação pode custar de US$ 20 a US$ 700, dependendo do tamanho do jogo. A exigência de pagamento, entretanto, afasta desenvolvedores independentes que estejam criando jogos para aprender ou por puro entusiasmo do mercado.

Pesquisa curiosa mostra que jogos com personagens femininas recebem melhores notas em resenhas

Existem algumas críticas de que os games são sexistas e raramente trazem uma mulher como protagonista. Ainda assim, há exemplos clássicos de games com mulheres no papel principal, como Tomb Raider, com a icônica Lara Croft e tantos outros.

No fim da semana passada um estudo curioso foi divulgado pela EEDAR: games cuja personagem principal é do sexo feminino tendem a receber melhores notas em resenhas.

Foram comparados 910 games importantes, e a pesquisa revelou que, na média, jogos com mulheres como personagens receberam pontuação de 67,88, comparado a apenas 65,78 (em games com homens no papel de protagonista) e 67,21 (em títulos em que se pode escolher).

Jogos com personagens jogáveis sem sexo aparente definido (robôs e criaturas bizarras) receberam pontuação média de 59,86.

O que você acha? Costuma preferir jogos com personagens masculinas ou femininas?

[Via CVG]

Fãs de Monopoly criam versão de mídias sociais

Monopoly Difícil encontrar quem não goste de Monopoly (ou Banco Imobiliário, de acordo com o nome dado pela Estrela quando trouxe o jogo de tabuleiro para o Brasil). No decorrer dos anos dezenas de versões inspiradas foram criadas, algumas oficiais, outras apenas brincadeiras de fãs.

Agora, uma destas brincadeiras de fãs ganhou atenção na web. É o Social Media Monopoly, um “Banco Imobiliário” das mídias sociais, que substitui endereços famosos do país por sites e produtos conhecidos por qualquer usuário de internet.

Monopoly das mídias sociais

A brincadeira colocou no tabuleiro gigantes como Facebook, Twitter, Google, WordPress, Blogger, PCs e Macs. A prisão ganhou o nome de MySpace, e a casa de coleta de dinheiro a cada rodada ficou como o campo WiFi. As cartas recebem o nome de Technorati e Mashable.

O jogo não está sendo vendido, mas você pode imprimir a imagem do tabuleiro e das próprias cartas, pegar suas pecinhas e dinheiro do Banco Imobiliário e jogar.

Artista imagina games atuais para consoles antigos

Somos fãs de remakes e demakes independentes. Já comentamos vários deles por aqui, mas sobre a iniciativa do designer sueco Junkboy nunca falamos.

O artista reinterpreta clássicos modernos a partir de imagens que se assemelham a capturas de telas feitas a partir de consoles de 8 e 16 bits.

O resultado é surpreendente e pode ser visto no blog Gizmodo, que referencia outros dois endereços: o site PixelJoint e o deviantART do sueco.

E aí? O que você achou das imagens?