Arquivo da tag: celular

Top 6: Dicas de segurança para Pokémon Go

Quer jogar Pokémon Go sem se preocupar com problemas que possam ocorrer? Fique atento então a essas dicas de segurança propostas pela Bidu Corretora que são simples e vão garantir que suas capturas sejam bem sucedidas. Claro que o jogo ainda não foi lançado no Brasil, mas os fãs já estão aguardando ansiosamente. E pelo que pudemos acompanhar, jogar Pokémon Go nem sempre parece seguro. Você já deve ter visto em jornais, revistas e na internet incidentes que ocorreram com os jogadores que se arriscam para capturar os pokémons.

Um homem que jogava enquanto dirigia em Auburn, nos Estados Unidos, bateu o carro e o veículo ficou destruído; no mesmo país algumas pessoas tiveram o smartphone roubado por um grupo que utilizava a geolocalização para encontrar as vítimas; e teve até um grupo de amigos que entrou em uma gruta, no Reino Unido, procurando espécies raras de Pokémon e teve que ser resgatado por bombeiros.

 

6 – Não utilize o celular enquanto dirige

Parece meio óbvio, mas sempre vale a pena destacar. Não tente capturar um novo Pokemón enquanto dirige, isso pode ser bem perigoso. Além dos riscos de causar um acidente, você poderá sofrer uma multa de R$85,13 e perder 4 pontos na CNH. Sem contar que, em caso de acidente, sua seguradora não irá cobrir os danos, afinal de contas mexer no celular e dirigir não é permitido e nem é uma boa ideia.

 

5 – Cuidado com pessoas suspeitas

Na série animada existem os vilões da equipe Rocket, que tenta desesperadamente roubar os pokémons dos protagonistas. Infelizmente isso pode ocorrer, pois existem pessoas esperando você se distrair para roubar o seu celular. Fique atento: nada de ir a lugares sem muito movimento, evite andar sem prestar atenção na movimentação e nada de ficar com o aparelho na mão em locais perigosos e em transportes públicos.

 

4 – Olhe para frente

Sabemos que você está ansioso pelo jogo, mas não ande por aí só de olho no celular. Além de aumentar as chances de você ter um problema na coluna, há uma grande chance de você se machucar (e machucar outras pessoas). Ande sempre de olho por onde anda, principalmente na rua e em plataformas de trens e metrôs.

 

3 – Nada de invadir locais privados

Não seria nada legal você ser preso enquanto captura um Pokémon raro e tentar justificar sua invasão de propriedade às forças policiais por causa de um jogo, certo? Cuidado para não se empolgar demais e entrar em locais privados, como casas, hotéis ou lugares onde você precisa pagar para entrar. Não vale a pena ser repreendido por invasão de propriedade.

 

2 – O Pokémon pode te entregar

Cuidado: não minta para seu(sua) companheiro (a), o chefe ou para a sua mãe sobre onde você está. O aplicativo mostra os locais exatos onde você capturou cada Pokémon. Falou que ia no médico, mas na verdade estava no shopping? Pois é, aquele Charmander pode te complicar.

 

1 – Contrate um seguro

Pode ser que você dê o azar de cruzar com alguma Equipe Rocket e ser roubado. Ou você pode estar quase chegando no local exato de onde está o tão sonhado Pikachu e, de tanta emoção, deixar o celular cair e ver a tela novinha rachar. Nada legal, até porque um smartphone pode custar bem caro. Algumas empresas oferecem seguros que cobrem perda/roubo de celulares. Se você é um usuário massivo, esta pode ser uma boa sugestão.

 

Enquanto espera o lançamento oficial, confira este trailer de Pokémon Go:

Dez jogos para celular que você precisa jogar

Quem nunca jogou algum game no celular? É quase impossível encontrar alguém que tenha um celular e nunca tenha passado alguns minutos no transporte público ou na fila de espera. Os jogos eletrônicos, que antes eram taxados de perda de tempo, hoje em dia tornaram-se populares até mesmo entre quem nunca imaginou pôr as mãos em um controle. Não por acaso, muita gente escolhe celulares parrudos na hora da compra visando aquele que possua um sistema operacional com boa biblioteca e disponibilidade de jogos.

Ao contrário da indústria de jogos para consoles e PC, os games para celulares são lançados com muito mais frequência. Afinal de contas, programar um game para mobile não tem a mesma complexidade de criar um jogo para videogames. Fato também que muitos jogos para celulares são medianos e sofríveis, porém, existem jogos de altíssima qualidade para plataformas móveis.

Pensando nisso, hoje resolvemos citar dez jogos que qualquer possuidor de celulares usados e novos precisa conhecer:

N.O.V.A 3

O terceiro game da franquia da Gameloft é bastante conhecido entre os jogadores mais inteirados. O sucesso e reconhecimento são atribuídos aos gráficos de ponta e a jogabilidade imersiva. O pacote do jogo inclui 10 fases, muitas armas e veículos para dirigir.

Na trama, o jogador assume o papel do soldado Kal Warden, que é escalado em uma série de missões para enfrentar a ameaça de uma raça alienígena chamada Volterites. O enredo não é muito inovador, mas o game muito bem produzido em seus mínimos detalhes.

O game conta ainda com suporte a multiplayer online. Imperdível para quem curte ação e ficção científica. Muita gente considera que N.O.V.A 3 tem uma experiência muito próxima à dos jogos de consoles.

Angry Birds Star Wars

A franquia Angry Birds dispensa apresentações: pássaros nervosos lançam-se em ataques kamikazes contra seus inimigos porcos, que roubaram seus ovos dourados. O game ficou mais empolgante mesmo com o crossover com Star Wars.

A Rovio não desprendeu recursos para garantir que o acabamento de Angry Birds Star Wars fosse dos melhores. O resultado é um dos jogos mais divertidos e cheios de referência à Galáxia tão tão distante com uma dose de bom humor na medida. Quanto à jogabilidade não há muito que comentar: a Rovio acertou a mão mais uma vez. É um título que merece ser jogado por qualquer fã de Star Wars e de Angry Birds.

Flappy Bird

Esse é bastante recente e ficou mais famoso pelas polêmicas de seu criador, o vietnamita Dong Nguyen, do que pela sua qualidade. O game é bastante simples: temos um pássaro voando em perspectiva side scroll que deve passar por obstáculos. Cada toque na tela é um bater de asas. O game é bastante desafiador e nenhum pouco fácil, mas ainda assim viciante.

Apesar de ser publicado por uma empresa indie e o Vietnã não ser nenhuma Meca da produção de jogos digitais, Flappy Bird ficou extremamente conhecido até chegar ao ponto de encabeçar o ranking dos jogos mais baixados na iOS App Store em janeiro de 2014.

Na altura do auge o game colocava cerca de US$ 50 mil nos bolsos de seu criador por dia. O sucesso não fez bem ao seu criador, todavia, que resolveu retirar o jogo do ar. Sim, o game não pode mais ser encontrado para download, mas é um game que você deve conhecer. Por sorte existem muitos clones espalhados na própria App Store.

Modern Combat 3: Fallen Nation

Modern Combat 3 é a pedida para quem gosta de FPS e é muito fã de Call of Duty Modern Warfare. O game da Activision serviu como inspiração para Modern Combat, e não apenas no nome, mas também na construção do produto. São armas, cenários e até jogabilidade portadas para a telinha dos celulares.

O legal mesmo é o design das fases e dos personagens que foram construídos de modo a apresentar gráficos muito bonitos. Poucos jogos de ação apresentam explosões e tanta ação quanto Modern Combat.

Dead Trigger

Dead Trigger é indicado para quem curte games de zumbi e estava carente de uma boa experiência de jogo em plataformas móveis. O game apresenta ambientes em três dimensões, jogabilidade aguçada e bastante sanguinolência.

O game é dos mesmos criadores do aclamado Shadowgun e recebeu muitas críticas positivas e respeito dos jogadores graças a seu ótimo design, ambientes bem construídos e fator replay. Para coroar tudo, Dead Trigger é gratuito.

Real Racing 2

Real Racing 2 é da EA e é um jogo de corrida bastante interessante. Apesar do pouco espaço que ocupa da memória do celular, o jogo é muito bem trabalhado graficamente (um dos mais bonitos que você verá numa plataforma mobile). Como se não bastasse, o game conta com uma precisão de controles de dar inveja em muito game de console de mesa. O jogo oferece ainda opções de customização de controles.

Mas não adianta, o que mais chama a atenção são os gráficos. O game é capaz de mostrar carros e cenários em detalhes, com efeitos de luz e sombra muito convincentes, elem dos reflexos no carro. Para os amantes da velocidade este é um grande jogo.

Uno

Uno você já conhece: aquele jogo de cartas mundialmente famoso. A Gameloft tratou de levar o jogo para as telinhas de celular. É possível jogar contra o computador ou contra amigos por multiplayer online.

As regras são as mesmas do jogo real, a diferença é que você pode alterar algumas regras e penalidades de modo a deixar o jogo ainda mais desafiador. Uno da Gameloft não é nenhuma invenção mirabolante, mas funciona do jeito que deve e pode divertir muito, principalmente em multiplayer. É uma maneira de abandonar os baralhos impressos sem perder o feeling.

Knights of Pen & Paper

O game da Behold Studios é muito famoso no Brasil por ter ressuscitado o espírito dos jogos de RPG de mesa, porém misturando a jogabilidade com lutas de RPG virtual. Em alguns momentos o jogo lembra jogos como Phantasy Star e Dragon Quest por causa das batalhas por turno.

O visual é retro, lembrando muito os jogos da geração 16 bits e a ambientação é perfeita para lembrar os jogadores da época dos jogos de RPG de mesa. Ao centro fica o mestre passando informações sobre as missões, ao passo que os jogadores devem passar por ambientes hostis enfrentando monstros perigosos. O jogo mexe com a imaginação do jogador. É simples e muito cativante.

The World Ends With You

A franquia é da Square-Enix e chegou primeiro ao Nintendo DS, porém ganhou uma versão para celulares. Só por ser produção do mesmo time por trás da saga Kingdom Hearts já vale uma olhada. Porém o game não se prende a nomes: a qualidade é visível nos primeiros minutos de jogo.

Você controla um garoto chamado Neku que está em uma versão anime de Shibuyia, Japão. Não espere espadas gigantes ou matar dragões: apesar de ser um JRPG genuíno, o game tem uma pegada mais voltada para a era contemporânea. O game ganhou a versão para iOS em 2012 e é muito conhecida entre os admiradores de RPGs orientais. Ah, poucos jogos são tão bem elaborados com a tela de toque em mente.

Zenonia 4

Zenonia 4 é um RPG de ação muito cultuado entre os jogadores do Android e os motivos são óbvios: altíssima qualidade gráfica, enredo cativante, personagens bem desenvolvidos e um mundo muito rico a ser explorado. A franquia já teve até a honra de ser comparada à franquia Zelda da Nintendo, ou seja, não é um joguinho qualquer. Méritos da produtora GAMEVIL.

A trama é clichê: um homem cruel almeja destruir o mundo por ambições pessoais. Para impedi-lo, surge um grupo de heróis bem intencionados e bastante corajosos. Cada um dos personagens possui habilidades únicas e ataques poderosos.

O visual do jogo é um dos maiores atrativos: são ambientes bastante coloridos e personagens bastante característicos da escola oriental de desenhos. Há ainda opções de customização de personagem, o que deixa a jogatina ainda mais divertida e extensiva.

Gostou? Qual game você acrescentaria nesta lista de jogos para celular?

Hugo está de volta em game para iPhone e iPad

Hugo Troll Race

“Subindo a montanha, sem fazer manha”. Se você tem boa memória e assistia com assiduidade a TV aberta pelos idos dos anos 90 certamente que a frase acima não lhe é estranha. Pois bem, o troll mais popular dos games, Hugo, está prestes a retornar em grande estilo graças ao novo jogo dos dinamarqueses da Hugo Games. Trata-se do jogo Hugo Troll Race que chega com exclusividade para a iPhone e iPad.

O game remete ao estilo que virou febre no gameshow que foi exibido durante muito tempo na TV Gazeta, temos o velho Hugo em um carrinho de mineração fugindo de terríveis inimigos como a bruxa Scylla e os crocodilos Don Croco e Mexi-Croco. Além de fugir de seus perseguidores, Hugo deve tomar cuidado com os obstáculos no caminho e os trens que surgirem no caminho oposto, tudo mantendo a estética retro.

O game tem versão traduzida para o português  e promete trazer muita ação e desafio aos jogadores mais jovens. O grande macete é fazer com que os jogadores dominem o equilíbrio e inclinação do celular ou tablet para se esquivar das placas e obstáculos no caminho. Outro ponto de interesse do game é que ele permite ao jogador customizar o carrinho graças à adição de peças e partes especiais que são desbloqueadas conforme o jogador avança no jogo.

O melhor é que Hugo Troll Race é leve e pesa menos de 50 MB. Por falar nisso, o game acaba de chegar à App Store em português. Para os mais curiosos, segue abaixo o video do jogo:

Três vagas para trabalhar com games em Campinas (SP)

Gustavo Fujimoto, do estúdio de games para celular MobJoy, entrou em contato conosco para pedir a divulgação de três vagas de trabalho.

A todos os candidatos é preciso o perfil de paixão em trabalhar com games e estar por dentro das novidades do mundo gamer e seus eventos. É preciso, também, ser um entusiasta, jogando diversas plataformas e ter interesses correlatos, como jogos de RPG tradicionais, quadrinhos e cinema.

A primeira oportunidade é para Level Designer, profissional que trabalhará na análise, concepção e teste de níveis dos novos produtos lançados pela empresa. Precisará documentar modificações de level design, notificando suas escolhas para a equipe de desenvolvimento. Colaborará diretamente com o game designer propondo soluções e supervisionará testes de balanceamento de levels de produtos com os usuários.

É preciso ser comunicativo, expressando ideias com clareza tanto na forma oral quanto escrita; colaborativo, ou seja, ser flexível a críticas e sugestões da equipe em que trabalhará; além de integrador, ao manter toda a equipe de desenvolvedores informada com as necessidades levantadas. É necessário experiência em balanceamento de produtos, documentação de Level Design e experiência de uso e/ou produção para iPhones ou aparelhos similares.

A outra vaga é para QA (ou Quality Assurance), o profissional que testa produtos a fim de encontrar bugs e oferecer feedback. É o que se aproxima do consumidor final, se colocando em seu papel e apontando, previamente, falhas encontradas e que devem ser resolvidas antes do jogo chegar ao mercado.

O perfil requer proatividade na proposta de soluções técnicas, capacidade de decidir entre tecnologias nas primeiras elaborações do projeto, colaboratividade para trabalhar em equipe, experiência em programação de jogos para Android ou iPhone e apreciação por soluções elegantes e qualidade de software.

É preciso ter, ainda, conhecimento básico de game design, de interfaces e usabilidades, além de cuidado com detalhes e organização.

A última vaga é para UX Designer, que trabalha na concepção, desenvolvimento, supervisão e teste de novas interfaces. Esse profissional participará de todo o processo de concepção de interfaces para jogos, aplicativos e interface web desenvolvidas, incluindo wireframes, fluxogramas, mockups e finalização.

Elaborará pesquisas de perfil, estilo de vida e hábitos de consumo dos usuários, levantará as necessidades do público alvo de cada projeto e aplicará métodos de avaliação de usabilidade das interfaces em desenvolvimento. É o cara que realizará a produção gráfica de diversos elementos na composição das interfaces, participará na elaboração da identidade visual dos produtos e colaborará, junto à arte, na elaboração de novos conceitos e estilos visuais para os jogos.

O perfil buscado é de um designer “compulsivo”, que busque sempre novas fontes de inspiração e referências de arte e usabilidade, além de ser um cara “desapegado”, que não trate cada nova criação como uma obra-prima irretocável, mas sim algo que sempre pode ser aperfeiçoado.

É necessário ter experiência como webdesigner ou designer de interfaces, em produção gráfica em meio digital (dominar as ferramentas Photoshop e/ou Illustrator e similares), ter experiência com produção de conteúdo e interface para dispositivos móveis e conhecimentos em diagramação, teoria das cores, identidade visual e branding.

Gostou de alguma das vagas? Mande seu currículo e portifólio para o email start@mobjoygames.com.

Zynga compra estúdio canadense Five Mobile

A Zynga acaba de comprar mais um estúdio para trabalhar em games de seu portfólio. Agora foi a vez da canadense Five Mobile, baseada em Toronto.

Especializada em aplicativos para celulares, a Five Mobile manterá seus empregados, inclusive seus quatro fundadores (Ameet Shah – que liderará a equipe, Jeff Zakrewski, Oliver Tabay e Troy Hubman).

A Five Mobile passa a se chamar Zynga Toronto. Não foi divulgado o valor pago na aquisição, mas segundo o site da revista Edge, essa é a décima quinta aquisição da Zynga, gigante no Facebook, nos últimos 13 meses.

[Via Zynga]

Valve diz que está pensando em versão de Steam para celulares

Doug Lombardi, vice-presidente da Valve, afirmou em entrevista recente que a companhia está estudando trazer a rede Steam para portáteis.

A versão estaria sido planejada após demanda dos próprios gamers, mas ainda não há nada realmente concreto.

É meio difícil pensar em como uma rede desse tipo se integraria a outras lojas já existentes. Precisaria ser uma parceria firme, mas isso tiraria uma fatia que hoje é destinada às proprietárias das lojas, visto a rentabilidade dos games.

O que você acha? Será que uma versão do Steam para celulares e portáteis pegaria?

[Via CVG]

Criadores de game de destruição de frutas plantarão pomar

Neste fim de semana o Joystiq estampou em suas páginas um artigo curioso, contando que o estúdio Halfbrick, responsável pelo game de portáteis Fruit Ninja, arranjou uma forma diferente de comemorar seu sucesso.

O game, que utiliza a interface de sensibilidade ao toque das telas de smartphones modernos, convida o jogador a destruir frutas com sua espada virtual. Basta cruzar o dedo sobre uma delas para que a fruta seja cortada ao meio.

Com seis milhões de downloads apenas em sua versão de iPhone, o joguinho pago já promoveu a destruição de mais de 150 bilhões de frutas, e a Halfbrick encontrou uma forma de amenizar o desperdício.

Em conjunto com a ONG Fruit Tree Planting Foundation, a Halfbrick patrocinará o plantio de um pomar em uma comunidade de baixa renda nativo americana, e prometeu mostrar aos seus jogadores a evolução da ação.

Gostou da idéia? Leia mais a respeito no site oficial do estúdio.

Tectoy Mobile lança Tron Legacy para celulares em seis países

Aproveitando que o filme Tron: O Legado está nos cinemas, a brasileira Tectoy Mobile lançou no Brasil (e em outros cinco países da América Latina) o game para celulares Tron Legacy.

Criado pela Disney Interactive Studios, o game conta a história do filme, com o portagonista Sam Flynn, expert em tecnologia que investiga o desaparecimento do pai Kevin Flynn. Sam é engolido pelo mesmo mundo digital que absorveu seu pai há 20 anos.

A parceria entre a Tectoy Mobile e os games da Disney já é antiga. A empresa lançou anteriormente jogos como Toy Story 3, Up: Altas Aventuras, Alice no País das Maravilhas e Força G. A novidade é que agora a empresa está expandindo o lançamento para outros países da América Latina, ou seja, mais força para o setor nacional.