Arquivo da tag: Brazilian Game Developers

Brasil tem maior delegação participando da GDC e Game Connection America

A GDC e a Game Connection America começam hoje (27) e vai até o dia 3 de março, na cidade de São Francisco, EUA. Mas sabe o que é mais legal? O Brasil tem a maior delegação participando dos eventos, mostrando a força dos desenvolvedores brasileiros. O Projeto Brazilian Game Developers, BGD, uma parceria da Abragames com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), leva 36 empresas de games e mais de 100 profissionais para a Game Developers Conference, GDC, e Game Connection America (GCA), duas das principais conferências de games do mundo.

Esta é a primeira vez que o Brasil tem dois jogos finalistas na Game Connection Development Awards 2017, uma das mais importantes premiações internacionais de games, organizada pela Game Connection. O jogo No Heroes Here, da empresa Mad Mimic, foi nomeado para o The Best Social Game, e o game The Rabbit Hole, da VR Monkey, concorre na categoria The Best Hardcore Games, The Most Creative & Original Game e Best Indie Game.

rabiit-holeDesde 2015, o Brasil tem algum representante como finalista deste prêmio que acontece na Game Connection America, em São Francisco, e na Game Connection Europe, em Paris. My Night Jobs, da Webcore, concorreu em 2015, Alkimya, Bad Minions, em 2016 na Game Connection America, e Hempire, Lumentech, foi finalista em 2016 pela Game Connection Europe. Vale lembrar que No Heroes Here e The Rabbit Hole também concorrem na categoria People’s Choice, que possui votação aberta.

Segundo Eliana Russi, gerente executiva do BGD, esses resultados mostram como a indústria brasileira de games cresceu e amadureceu nos últimos dois anos. “Temos empresas muito competentes, de todo o Brasil, que estão competindo com estúdios de países com indústrias de games muito mais sólidas e reconhecidas do que a nossa”, explica.

heroes-hereEsse crescimento de qualidade dos jogos desenvolvidos no Brasil pode ser atribuído a diversos fatores, tais como a parceria da Abragames com a Apex-Brasil, por meio do BGD, a criação do BIG Festival, maior festival de games independentes da América Latina, e a participação de muitas empresas em programas de aceleração de games internacionais, tais como GameFounders e Core Labs, nos quais 14 estúdios foram acelerados desde 2015.

Outro destaque do Brasil na Game Connection é a empresa Gazeus Games, única empresa brasileira a desenvolver jogos para o Instant Games do Facebook. Dominoes Battle é o único jogo multiplayer dessa plataforma. É um jogo de dominó no qual os usuários da rede social podem enfrentar em tempo real outros jogadores ao redor do mundo ou um robô. O Jogo está no ar desde o dia 16 de fevereiro e, por enquanto, está disponível apenas na Austrália.

 

Serviço: Game Connection America 2017

Data: 27 de Fevereiro a 1 de março

Local: At&T Center, San Francisco, CA

 

Evento:  Game Developers Conference, GDC

Data: 27 de Fevereiro a 3 de março

Local: Moscone Center, San Francisco, CA

Empresas brasileiras de games vão ao Vale do Silício em busca de novos negócios

O Brasil está em alta no ramo dos videogames, ainda que as aparências digam o contrário. Devido ao Projeto Setorial de Exportação Brazilian Game Developers (BGD) e uma parceria entre a Abragames com a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportação de Investimentos), algumas empresas brasileiras de games terão a oportunidade de ir até São Francisco e ao Vale do Silício para participar de dois grandes eventos da indústria, a GDC e a Game Connection, além de uma agenda paralela com visitas a empresas como a Electronic Arts e a divisão PlayStation.

De acordo com os organizadores, serão cerca de 30 empresas e quase 100 desenvolvedores brasileiros a fazer parte desta delegação. Este acontecimento ocorrerá entre os dias 2 e 9 de março. As empresas que participarão do programa são: a Behold Studios, criadores dos jogos “Chroma Squad” e “Knights of Pen & Paper”; Prosperity Games, criadores de Full Metal Wars (ex-Jotunheim Project), vencedor da DemoNight 2014 no BIG Festival, e muitos outros. Além deles, 2Mundos , 44 toons, Aquiris, BadMinions, Cat Nigiri, Eudora, Flux Game Studio, Gameplan, Hoplon Infotainment, Kokku, Lumentech, Manifesto Game Studio, MKT Virtual, Nuuvem, Oktagon, Pandora Game Studio, Reload, Rockhead Games, Smyowl , Virgo Game Studios, Webcore, Swordtales, Joysticket.

O objetivo desta delegação é puramente fortalecer as desenvolvedoras de games brasileiras. De modo, que os devs poderão exibir suas propostas e negócios para possíveis patrocinadores e parceiros comerciais.

Além desta novidade, há o anúncio do projeto Brazilian Game Developers, na Game Connection America, a maior convenção de negócios da indústria de videogames, que desenvolveu um APP Gameficado para incentivar a visitação de tomadores de decisão em seu stand no evento. Lá as empresas internacionais poderão conhecer os jogos e serviços de 20 empresas brasileiras e concorrer a uma viagem ao Brasil,  para participar do Fórum de Negócios do BIG Festival, o maior evento de jogos independentes da América Latina.

O app foi desenvolvido pela Flux Game Studio. O objetivo da ação é fortalecer a presença internacional das empresas brasileiras, que hoje compreende cerca de 200 empresas,  de estúdios de desenvolvimento a prestadores de serviços em diversas áreas.

A Game Connection acontece entre 2 e 5 de março e o vencedor da Gameficação será anunciado na Festa de Network do BGD, na quarta-feira, dia 4 de março, no bar central da Game Connection.  Vamos torcer para quem os desenvolvedores brasileiros possam chamar as atenções dos gringos e atraiam novos negócios para nosso país!

“Considerando o perfil de nossas empresas a Game Connection America é o melhor evento para gerar novas oportunidades de negócios” declara Eliana Russi, gerente executiva do Projeto Brazilian Games Developers.

De acordo com Flávia Egypto, Gestora do setor na Apex-Brasil, o Centro de Negócios da agência em São Francisco também oferecerá aos empresários a experiência no apoio à internacionalização de empresas brasileiras. “Isso é fundamental num setor tão globalizado e competitivo como o de games”, destaca Flávia.