Arquivo da tag: BNDEs

Seminário sobre Políticas Públicas para a Indústria Brasileira de Jogos Digitais

Após o BNDES divulgar o resultado de uma pesquisa que dissecou a indústria de jogos eletrônicos no Brasil, surgem os primeiros frutos desse trabalho. Na próxima terça-feira (10/06) ocorre na USP um Seminário que busca explicar o estudo e elucidar aos interessados sobre como as políticas públicas podem amadurecer o setor.

Basicamente, um grupo de pesquisadores organizados por meio do PGT-USP desenvolveu um projeto para estabelecer um conjunto de políticas públicas visando o desenvolvimento da indústria de games nacional.

Para isso, foi realizado um mapeamento da indústria global de games, estudando os sistemas de políticas públicas adotados por países líderes do setor, sem deixar de analisar a indústria local, estudando os ecossistemas prioritários e consultando a comunidade nacional e internacional. Neste seminário serão discutidos os resultados de tamanho trabalho.

O seminário contará com a participação de Davi Nakano, Professor do Departamento de Engenharia de Produção da Poli/USP; Marina Moreira Gama, Economista do Departamento de Cultura, Entretenimento e Turismo da Área Industrial BNDES; Lídia Goldenstein, especialista em economia brasileira; Ale McHaddo, Presidente da Associação Brasileira dos Desenvolvedores de Jogos Digitais (ABRAGAMES), e Afonso Fleury, professor titular do Departamento de Engenharia de Produção da Poli/USP.

O evento inicia na terça (10) às 11h e vai até as 13hs. Quem puder comparecer será muito bem vindo. É muito importante reunir o maior número de interessados possível para levantar a bandeira dos games no Brasil e ficar a par de políticas públicas efetivas para mudar nosso cenário para melhor.

Serviço: Seminário – Políticas Públicas para a Indústria Brasileira de Jogos Digitais 10/06/2014 (terça-feira), das 11h30 às 13h na Sala Ruy Leme, FEA/USP –  Cidade Universitária

BNDEs divulga resultado de extensa pesquisa sobre games

O Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDEs) publicou na quarta-feira (2) uma pesquisa inédita que mostra o atual estado da indústria de jogos eletrônicos no Brasil. O estudo é bastante extenso e revelador, explorando características da indústria, tendências, necessidades e até soluções para o mercado progredir. A pesquisa está disponível online.

O relatório levou cerca de uma no para ser concluído e foi realizado pela Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo (FUSP). Apesar de a pesquisa demonstrar interesse do BNDES pela indústria, isto não indica de modo algum que a entidade planeja criar linhas de crédito para investir no setor ou criação de novos projetos. De acordo com Luciane Melo, gerente do departamento de pesquisa e operações do BNDES, o banco pode financiar jogos sem a criação de uma linha de crédito específica.

A pesquisa deixa claro que existe uma diferença muito grande entre a indústria nacional e os países líderes do setor. “O mercado brasileiro não é maduro como o de outros países e se inserir nele não seria algo simples e barato”, alerta Davi Nakano, vice coordenador da pesquisa.

O mais interessante do estudo é que ele disseca a indústria de modo cirúrgico, contando até como começa o desenvolvimento de um projeto e formas de conseguir sucesso financeiro com um projeto. Todavia, apesar de um cenário promissor para a indústria, o Brasil ainda está muito atrás dos EUA, Canadá, Japão, França, entre outros, no quesito investimento em políticas públicas para o setor. Investir na produção de jogos para consoles de mesa como PS3 e X360 não é o correto a se fazer, de acordo com o BNDES, mas sim investir em jogos para plataformas mobile e jogos sociais.

Ainda de acordo com o mapeamento, o Brasil possui cerca de 133 empresas dedicadas a produzir jogos no Brasil, ainda que e a indústria não tenha grandes diferenças entre startups e de empresas desenvolvedoras de aplicativos. A maior parte das empresas são pequenas e ainda precisam de incentivos governamentais para continuar existindo.

Por fim, o relatório diz que o Estado é muito importante para difundir novos paradigamas tecnológicos através de capacitar profissionais, superar atrasos tecnológicos, promover a produção internar e aumentar a competitividade e inovação. Uma etapa importante para isso é incentivar universidades dedicadas a jogos digitais e promover financiamento estudantil a quem mostrar-se interessado.

Além de apontar o estado atual, o relatório mostra onde os jogos brasileiros podem melhorar, como na criação de novas IPs, melhorar a qualidade profissional. O BNDES até sugere que para não só os inteiramente pobres, mas sim ocupados demais em suas carreiras.

Os relatórios completos você pode baixar aqui.