Arquivo da tag: audiovisual

Redibra lança RLab, incubadora para projetos audiovisuais. Primeiro projeto será Boris & Rufus, nova animação nacional

Esta notícia é especialmente promissora para quem está produzindo algum projeto audiovisual e ainda não sabe como tirá-lo do papel: a Redibra, agência de licenciamento e extensão de marcas, está lançando o RLab, uma incubadora que tem como objetivo auxiliar a nova safra de projetos que estão surgindo no mercado audiovisual brasileiro. A ideia do RLab é prestar serviços de orientação no desenvolvimento e licenciamento dos projetos tanto em âmbito nacional quanto internacional visando monetização dos mesmos.

O RLab deve se apoiar na experiência de David Diesendruck, sócio diretor da Redibra. O executivo pretende repetir casos de sucesso em que já se envolveu, como a Galinha Pintadinha, que se tornou reconhecida mundialmente. O primeiro projeto da RLab será a animação brasileira Boris & Rufus, produzida pela Belli Studio, de Blumenau-SC.

A série conta as aventuras do cachorro Boris e o furão Rufus que vivem no quintal do adolescente Enzo, cuja vizinha Jennifer é dona do gato Leopoldo. Todos os personagens passam a ter atitudes humanas quando seus donos saem de casa. Eles acessam diariamente a interpetnet e outras tecnologias e vivenciam diversas aventuras.

Boris e Rufus é uma série disruptiva, que mescla descontração, amizade, tecnologias e fantásticas situações. A melhor forma de tornarmos essa produção uma marca é contarmos com parcerias que tenham este olhar diferenciado ao material e, por isso, contamos com o RLab”, afirma a produtora executiva da Belli Studio, Aline Belli.

O RLab tem sede dentro da Redibra (São Paulo-SP) e vai oferecer a mesma gestão abrangente que atende aos parceiros da empresa-mãe com pesquisa de tendências de mercado, desenvolvimento de produtos, ativações no varejo, monitoramento dos royalties e contratos. Atualmente, a lista de marcas licenciadas pela Redibra inclui Chevrolet, Capricho, Boa Forma, Os Simpsons, Super Mario Bros., Galinha Pintadinha, Show da Luna e Coca-Cola.

Com o novo selo RLab, é possível que mais projetos audiovisuais sejam abraçados pela Redibra. Então fica aí a dica: se você tiver algum projeto, vale a pena apresentá-lo à RLab. Afinal, estamos falando de uma incubadora com bastante expertise e motivada a elevar a produção nacional para novos ares.

Abaixo tem um trailer de Boris & Rufus:

Indústria de games ganha destaque na MAX 2017

A capital Belo Horizonte será sede de um grandioso evento cuja finalidade é mostrar a força nacional em produções audiovisuais como cinema, televisão e internet, profissionais de artes gráficas, música, publicidade e, jogos eletrônicos. A MAX 2017 – Minas Gerais Audiovisual Expo. A expectativa é que todos os setores tenham um crescimento grande graças aos novos negócios que devem ser fechados. O evento será realizado entre 23 a 25 de agosto e terá muitas atrações ligadas aos jogos eletrônicos.

O evento é realizado pelo Governo de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais (Sebrae Minas) e pela Federação das Indústrias de Minas Gerais (Sistema FIEMG), por meio do Serviço Social da Indústria (Sesi-MG).

“Essa abertura ao mercado de games é fundamental, pois a televisão e o cinema há muito já se relacionam com este universo e o Brasil é um dos maiores consumidores de jogos do mundo. Na MAX, teremos uma mostra da intensa produção nacional, inclusive com uma categoria de jogos transmídia, que deixam ainda mais clara a sinergia entre as áreas”, analisa Victor Hugo da Pieve, fundador da For Us Studios.

De acordo com a Associação Brasileira dos Desenvolvedores de Jogos Digitais (Abragames), o mercado de games no Brasil registrou crescimento de 25% entre 2014 e 2016, ano em que as empresas do setor no Brasil faturaram US$ 1,6 bilhão. São 61 milhões de brasileiros considerados usuários de jogos eletrônicos, o que chama a atenção das cerca de 300 empresas desenvolvedoras de jogos no país, número que teve crescimento de 600% nos últimos 8 anos. E as expectativas ficaram ainda melhores com o anúncio de redução nos tributos aplicados a games feito pela ANCINE, com apoio aos desenvolvedores independentes. O programa Brasil de Todas as Telas, por exemplo, fez sua primeira chamada pública em 2016, para investir R$ 10 milhões em cerca de 20 projetos brasileiros.

Programação abre cada vez mais espaço para games

Dezenas de painéis serão realizados durante três dias, de 23 a 25 de agosto, reunindo influentes personalidades nacionais e internacionais. Em cinco salas de diferentes, serão realizados painéis simultâneos em Negócios & Mercado, Tendências,Criatividade &Capacitação e Políticas & Regulamentação, além das rodadas de negócio com os mais importantes players do mercado. Confira, a seguir, alguns pontos da programação de painéis da Max – Minas Gerais Audiovisual Expo 2017, que tem curadoria da BRAVI, sob a coordenação de Lucas Soussumi.

Entre os painéis ligados aos games os jogadores vão ver a evolução dos óculos de realidade virtual, discussão sobre tendências no Brasil, debates sobre plataformas de crowdfunding, desenvolvimento de personagens, trilhas sonoras, entre outros. Toda a programação está disponível no site da MAX.

 

Serviço – MAX 2017 – Minas Gerais Audiovisual Expo 2017

Onde: SERRARIA SOUZA PINTO – Av. Assis Chateaubriand, 809, Centro Belo Horizonte/MG

Quando: 23 a 25 de agosto

Programação: http://www.minasgeraisaudiovisualexpo.com.br/max-2017/programacao/

Bibliotecas de São Paulo e Parque Villa-Lobos oferecem atividades sobre a evolução dos games

Atividades gratuitas incluem narrativa e tecnologia dos videogames, conteúdo para aprimorar a produção de vídeos e a bate-papo sobre relação entre games e literatura. Entre os convidados estão o produtor musical Felipe Parra e o jornalista João Varella
Algumas bibliotecas da cidade de São Paulo e o famoso parque Villa Lobos serão o centro de atrações bem interessantes ligada são mundo dos games e da tecnologia no mês de julho. Acontece que as instituições, mantidas pela Secretaria da Cultura do Estado, oferecerão três atividades gratuitas envolvendo jogos, literatura, tecnologia e produção audiovisual. A intenção é oferecer cultura e diversão aos amantes da jogatina e entretenimento audiovisual.

O produtor Felipe Parra ministra o curso de produção audiovisual e ensina técnicas para aprimorar os vídeos, enquanto o jornalista João Varella fala da evolução dos videogames, história e tecnologia passando por modelos clássicos do Atari, além dos jogos Pong, Pacman, Sonic e outros até chegar no Candy Crush Saga.

Na Biblioteca de São Paulo ocorre o Curso de Produção Audiovisual para Web realizado às terças-feiras, entre 5 e 26 de julho. Das 14h30 às 17h30. Neste ambiente o produtor musical, compositor e roteirista Felipe Parra abordará aspectos conceituais, técnicos e criativos para melhorar as produções em vídeo. Ao final, os participantes deverão produzir conteúdo, utilizando a teoria apresentada. Indicado para maiores de 15 anos, para participar basta enviar email ou se dirigir ao balcão de atendimento da biblioteca até o dia 1 de julho.

No domingo, dia 10, a atividade Games e Literatura apresentará alguns dos maiores clássicos da literatura por meio do jogo, trabalhando a intersecção entre jogos digitais e livros. Serão apresentadas as obras 1984, de George Orwell e A Divina Comédia, de Dante Alighieri. Realizada das 10h às 17h, a atividade é indicada para maiores de 10 anos e será coordenada pelo Game Arte. Neste evento não é necessário inscrição.

Já na Biblioteca do Parque Villa-Lobos, o jornalista João Varella coordenará a oficina A Evolução Artística dos Videogames, aos sábados, entre os dias 9 de julho e 6 de agosto. Das 14h30 às 17h30, serão apresentados diversos aspectos que envolvem o tipo de narrativa dos jogos eletrônicos, tecnologia, economia e até que ponto tais fatores influenciam os games. Os encontros incluem clássicos do Atari como o Pong e Pacman, técnica japonesa de produção, por meio de jogos como Super Mario Bros e Sonic, passando pelo Playstation e realidade virtual como Guitar Hero e Candy Crush Saga. Para participar basta ter mais de 15 anos e enviar um email ou comparecer ao balcão de atendimento até o dia 7 de julho.

Serviços – Atividades Games nas bibliotecas de São Paulo

Biblioteca de São Paulo
Curso de produção audiovisual para web – com Felipe Parra
Data: Terças-feiras, 5, 12, 19 e 26 de julho
Horário: 14h30 às 17h30
Local: auditório
Inscrições: A partir de 15 anos, pelo e-mail agenda@bsp.org.br ou no balcão de atendimento da biblioteca até o dia 1 de julho.

Games e Literatura – com Game Arte
Data: domingo, 10 de julho
Horário: 10h às 17h
Local: auditório
Inscrições: A partir de 10 anos, vagas serão preenchidas por ordem de chegada – 30 minutos de antecedência.

Parque da Juventude
Endereço: Avenida Cruzeiro do Sul, 2.630 – Estação Carandiru do Metrô – Linha Azul
Telefone: (11) 2089-0800
Aberta de terça a domingo e feriados, das 9h30 às 18h30 horas.

Biblioteca Parque Villa-Lobos
Oficina: A evolução artística dos videogames – com João Varella
Data: Sábados nos dias 9, 16, 30 de julho e 6 de agosto
Horário: 14h30 às 17h30
Local: sala criatividade 3
Inscrições: A partir de 15 anos, pelo e-mail agenda@bvl.org.br ou no balcão de atendimento da biblioteca até o dia 7 de julho.

Endereço: Avenida Queiróz Filho, 1.205, Alto de Pinheiros.
Telefone: (11) 3024-2500.
De terça a domingo, das 9h30 às 18h30