Arquivo da tag: 16 bits

Balloon: game relembra a geração 16 bits

O game Balloon é um puzzle de aventura clássico lançado recentemente para iOS pelo desenvolvedor indie Rodrigo “Odig” Campos, que remete aos visuais clássicos de jogos clássicos da geração 16 bits.

O jogador toma o controle de Balloon, um caçador de tesouros que vê seu ouro ser roubado por seu irmão gêmeo Loon. O tesouro é de origem pirata e cabe ao herói e seu amigo Moonkey recuperar o tesouro pedido.

O game possui 90 fases divididas em seis mundos recheados de referencias de jogos dos anos 80 e 90. Durante as fases o jogador deve utilizar as mais variadas habilidades e poderes especiais que Balloon coleta em sua progressão.

O game tem toda uma história desenvolvida que explica as motivações dos personagens e como o protagonista Baloon tornou-se um caçador de tesouros habilidoso, mas com problemas para controlar seu vício em bebida e como seu irmão era ambicioso e planejava roubar o desejado tesouro. Ainda que a jogabilidade seja simplificada, o game não é e a trama promete bastante diversão.

A trilha sonora do jogo conta com 19 músicas composta pelo músico André Colares e os visuais do game assemelham-se vagamente Twinbee e a outros games de plataforma da era SNES. Baloon está disponível para download através da App Store pelo preço de US$ 1,99.

Abaixo está o trailer do game Balloon:

Prepare sua espada: a pré-venda de Odallus já começou

Nosso destaque do dia é o mais recente projeto da JoyMasher, selo independente de jogos criados pelos desenvolvedores Danilo Dias, Thais Weiller e Marco Galvão. O estúdio é focado em proporcionar ao jogador o mesmo tipo de experiência vista na geração 8-16 bits. O novo game chama-se Odallus: The Dark Call e trata-se de um game com elementos de ação e exploração.

Na trama, diz-se que os deuses abandonaram os humanos à própria sorte, tornando o mundo em um lugar caótico e a mercê de pessoas e criaturas sedentas por poder. O clima explora um mundo apocalíptico que visa a sobrevivência do mais forte. Nesse ínterim, surge o herói Haggis que deve empunhar sua espada para lutar pela justiça e pelas pessoas que ama.

O game busca inspiração em antigos jogos do NES e sua exploração é dividida em estágios alinear, ou seja, com diversos caminhos a serem seguidos e diferentes itens e upgrades espalhados pelo cenário. Nos ambientes os jogadores deparam-se com estranhas criaturas e armadilhas mortais, de forma que o jogador deve ficar sempre atento. Ele lembra um pouco jogos como Castlevania e Ghosts’n Goblins.

O game foi desenvolvido para Windows e já está disponível para pré-compra. Para isso, basta acessar o site do game e fazer a reserva. Os jogadores que comprarem terão acesso ao beta mais recente do jogo. O preço é de US$ 14,99.

Abaixo tem o trailer do game Odallus:

Maldita Castilla: game indie que homenageia clássicos da era 16 bits

Maldita Castilla

Hoje vamos falar de um jogo que é relativamente bem conhecido entre os fãs de jogos independentes. Seu nome é Maldita Castilla, fruto dos esforços de um estúdio espanhol chamado Locomalito. O game é uma homenagem aos jogos old school, sendo um prato cheio para os adoradores de games da geração 16 bits.

Maldita Castilla lembra muito o clássico Ghost ‘n’ Goblins da Capcom, sendo que há quem o veja como uma pseudossequência do jogo. Mas na verdade o jogo da Locomalito também guarda similaridades com outros hits dos anos 80 como Shinobi e Rygar. O que ocorre é que tanto a ambientação quanto o character design parecem inspirados no jogo da Capcom.

No game você controle o cavaleiro Don Ramiro que deve utilizar suas habilidades para enfrentar estranhos monstros que invadiram seu reino. O clima do jogo é todo medieval e até mesmo as músicas lembram o que se fazia na era de ouro dos árcades. O game é uma verdadeira ode aos jogos de ação do passado, afinal o nível de detalhismo foi tal que o time de criação até mesmo colocou um filtro a fim de deixar as imagens in game semelhantes àquelas distorções dos fliperamas a favor de uma nostalgia gostosa de se ver.

A exemplo de Ghost N’ Goblins, Maldita Castila abusa do nível de dificuldade, garantindo muito tempo de diversão mesclado com a frustração inevitável. Entretanto não pense que é um título injogável: na verdade ele tem um gameplay mais simplificado graças ao nível de energia do personagem principal, continues infinitos e a um sistema de checkpoint que permite que você sempre volte onde morreu por último. As primeiras fases são relativamente fáceis, mas a dificuldade vai aumentando ao avançar da aventura de Don Ramiro.

O design dos inimigos é um show à parte! Prepare-se para enfrentar Armaduras que se movem sozinhas, morcegos de fogo, pássaros com cabeça de humano, o pé grande, insetos estranhos, plantas venenosas, esqueletos, etc. Há uma grande variedade de inimigos e o mais interessante é que em alguns momentos você vai perceber que alguns desses inimigos foram colocados em áreas do cenário propositadamente só para garantir a perda de uma vida. Você sempre enfrentará alguma coisa nova e inesperada ao passar por um checkpoint.

O resumo da obra é um game bastante desafiador e que encantará retro players. A melhor forma de descrever o título é chamando-o de fusão de Ghouls N’ Goblins com Castlevania. Certamente este aqui faria grande sucesso há algumas gerações atrás. O título está disponível para download gratuito no site dos desenvolvedores.

Se você ainda está em dúvida, confira o vídeo abaixo de Maldita Castilla:

 

Conheça as 25 melhores e as 25 piores caixas de Super Nintendo

O blog Destructoid criou uma compilação com as 50 capas mais memoráveis dos jogos de Super Nintendo. A lista com as icônicas capas é dividida entre as 25 melhores e as 25 piores artes do videogame de 16 bits da Nintendo.

Entre elas estão figurinhas carimbadas como a clássica (e bela) capa de Super Mario World, ou a terrível (e vexatória) capa do game da Barbie.

Uma lista que merece ser vista, tanto pelo fato de trazer clássicos absolutos, quanto por revelar alguns títulos que nós não conhecíamos ainda.

:: Veja a lista completa do Destructoid aqui