gr-gow3boxart

Quem tem mais exclusivos? Isso realmente importa?

Quando um novo videogame é lançado, muito se fala a respeito de “títulos exclusivos”. Até a época dos 16 bits, com os cartuchos, quase todos os jogos que podemos nos lembrar eram exclusivos de uma plataforma ou de outra. Hoje, o alto custo de desenvolvimento de um título eleva a necessidade de um sucesso estrondoso de vendas, que é melhor obtido se o mesmo game for desenvolvido para cada uma das plataformas existentes.

Ainda assim, há quem conte com os exclusivos para vender consoles. Aaron Greenberg, executivo da Microsoft, afirmou que nenhuma outra plataforma oferece mais exclusivos que o Xbox 360. Greenberg comentava o mercado de games para 2010 e seu otimismo com relação ao sucesso da segunda geração de consoles de sua companhia.

A declaração seguiu outra de Rob Dyer, vice presidente sênior de relações com distribuidoras da Sony Computer Entertainment America, dada ao site Industry Gamers. O executivo da Sony afirmou, entre outras coisas, que a Microsoft tem poucos estúdios próprios e, tirando a franquia Halo, a concorrente está fraca na produção de jogos próprios.

Mas, interessante mesmo foi ver que a Sony enxerga uma mudança na importância dos exclusivos. “Exclusivos não são mais lugar comum como foram nos dias do PlayStation 2”, explicou acrescentando que o que direcionará o mercado serão as campanhas publicitárias exclusivas e o conteúdo exclusivo para jogos.

Parece que a visão de Dyer é certeira, mas será que franquias como Halo e God of War não continuarão, por muito tempo, pesando bastante na decisão de compra de muitos jogadores? Em que você aposta?

2 opiniões sobre “Quem tem mais exclusivos? Isso realmente importa?”

  1. Lógico que importa ! se uma plataforma faz um jogo exclusive e sai como favorito vai ser um estouro… melhor pra desenvolvedora !

Deixe seu comentário