Psicólogo pesquisador de games fala sobre “fenômeno de transferência dos games”

Mark Griffiths é professor de psicologia e pesquisador de videogames na Nottingham Trent University, no Reino Unido, e está prestes a publicar um novo estudo bem interessante.

Griffiths cunhou um novo termo chamado “fenômeno de transferência dos games”, um efeito psicológico que ainda não havia sido abordado, e que consiste na transferência de elementos de games para a vida real, refletindo em sensações posteriores, pensamentos e ações por parte do jogador, mesmo quando não está jogando.

É como se um gamer passasse um tempão jogando um game e depois, quando fechasse os olhos – por exemplo – visse o jogo ou sentisse como se estivesse jogando ainda. São pensamentos intrusivos, sensações, impulsos, reflexos e ilusões ópticas, com base em uma pesquisa com 42 gamers suecos de idades entre 15 e 21 anos.

Um dos pesquisados, de 15 anos, teria afirmado que depois de muito jogar passou a ver barras de vitalidade em cima da cabeça de pessoas reais. Bizarro? Bastante, mas quem aqui nunca foi dormir e, ao fechar os olhos, sentiu como se estivesse jogando?

O universo pesquisado também é pequeno e não serve como conclusão de que o problema existe, mas é uma abordagem diferente do efeito dos videogames na saúde e reflexos dos jogadores.

Quem aqui já passou por algo parecido?

[Via Boston Globe]

10 opiniões sobre “Psicólogo pesquisador de games fala sobre “fenômeno de transferência dos games””

  1. Bem, teve uma época que ou eu estava jogando Zelda ou eu estava dormindo e sonhando que estava jogando Zelda. Isso conta?

    Bem interessante a matéria, parabéns pelo blog, Dolemes!

  2. Claro, como o Bruno comentou, e tenho dito, videogame pode ter comparações com esporte (virtual). E qualquer atividade, quando praticada com regularidade, pode influenciar nossa criatividade, ações etc. Até sonhos, como não?

  3. Mais de uma vez eu já vi as gemas coloridas de Rock Band vindo na minha direção ao olhar para o túnel do metrô esperando a composição =P

  4. Posso realmente dizer que isso acontece.

    Esses dias fui jogar Vanquish, e como eu sabia que o game era curto joguei umas 13 horas direto, sem parar, do inicio ao fim.

    Antes de dormir, eu fechava o olho e via cenas do jogo. Muito claramente, como se fosse um sonho (mas eu estava acordado).

    E não era uma imagem estatica, era tudo em movimento com a mesma ação frenetica do jogo.

  5. Ridículo. Manda esse cara (o psicólogo) procurar um emprego de verdade.

    32 anos e posso dizer que já joguei quase tudo que vcs imaginarem.

    De Atari a ps3 e nunca tive problema nenhum com game nenhum.

  6. Isso acontece comigo quando a mecânica do jogo permanesse um pouco depois de parar de jogar. Como quando vc joga muito Portal e fica pensando com a lógica do jogo de solucionar problemas. Mas também acontece com sites. Como com o Reddit, q tem aquele sistema de pontos de karma, em q vc acaba pensando em comentários engraçados durante o dia q renderiam karma à pessoa que disse.

  7. Isso nem é tão incomum assim. Acredito que funciona com profissões corriqueiras até.

    Acho que o lance que pega nisso é a repetição de ações, pouco tendo a ver com videogames em específico.

    Eu por exemplo trabalho muito no computador, e quando me pego fazendo algo "na vida real" que gostaria de voltar atrás, logo penso em "command+z".

  8. Aconteceu comigo algumas vezês já, após jogar durante muitas horas Need For Speed. Quando ia dormir e fechava os olhos via claramente por pouco tempo (3 a 4 segundos) meu carro correndo e fazendo as curvas, muito estranho.

  9. Quando ganhamos nosso SNES e jogamos Super Mario World o dia inteiro, meu irmão e eu fomos dormir e escutamos nitidamente o barulho das moedas do jogo. No outro dia, comentamos que o vizinho também deveria estar jogando, mas ninguém tinha escutado nada.

Deixe seu comentário