Profissionais falam um pouco mais sobre Nintendo 3DS

JC Connors, responsável pelo estúdio Griptonite Games, um dos primeiros a apoiar o portátil 3DS, da Nintendo, declarou que o aparelho com capacidades 3D terá recursos dignos de console.

Em uma declaração ao Gamasutra, o executivo declarou que muitos dos games casuais que surgiram no catálogo do DS hoje migraram para o iPhone e, por isso, o 3DS terá a oportunidade de chegar como um console.

Para ele, os desenvolvedores já viram o poder que o aparelho terá, com joystick analógico e tela 3D, e acrescentou que isto está sendo visto como “uma oportunidade para trazer jogos de qualidade de console para o portátil”, algo que não poderia acontecer no DS.

Ian Curran, vice presidente de distribuição global da THQ, disse que o que mais o empolga no 3DS é a tecnologia de combate à pirataria. Curran explicou que o problema com o mercado para DS nos últimos anos, principalmente no DS Lite, veio por conta da pirataria, algo que começou a ser melhor combatido no DSi.

O profissional não explicou muito bem como a tecnologia foi feita, avisando que pediu explicação sobre a tecnologia à própria Nintendo e que teve como resposta o fato de que ela é tão sofisticada que é difícil de explicar.

Em um recente Pach Attack, o analista Pachter apostou que o 3DS será o último portátil da Nintendo com cartuchos e que, no futuro os games serão baixados para uma memória Flash. Será?

3 opiniões sobre “Profissionais falam um pouco mais sobre Nintendo 3DS”

  1. o sonho de todas empresas é passar a comercializar os jogos digitalmente, porém vendo o desempenho em vendas do PSP Go, vê-se claramente que o mercado ainda não aceita tal medida, logo o certo será a fórmula mídia e conteúdo físico convivendo por alguns anos, até chegar ao ponto das mídias serem deixadas de lado pelos consumidores. Algo que já acontece com jogos para PC, que atualmente prevalece a venda digital via steam e outros consórcios, porém nessa plataforma a mídia ainda não foi suplantada, mas será algo não muito tardio.

Deixe seu comentário