Arquivo da categoria: PC

Estúdio MiniBoss lança o game retrô Out There Somewhere

A desenvolvedora independente MiniBoss acaba de lançar seu novo jogo, Out There Somewhere. Inspirado em jogos de PC da década de 90, Out There Somewhere conta com uma inovadora mecânica de teletransporte. Com aproximadamente 2 horas de tempo de jogo, ele está sendo vendido por US$4,99 pelo Desura e pelo próprio blog do estúdio.

O jogo foi desenvolvido por Pedro Medeiros e Amora B., e com trilha sonora de Iuri Rodrigues, o jogo é um puzzle-platformer retrô que conta com uma mecânica de teletransporte para a resolução de seus quebra-cabeças. O jogador controla Yuri, o herói do Planeta Mãe, que está à procura de seu arqui-inimigo Grigori em um planeta distante. Atualmente o jogo roda apenas em PCs, mas uma versão para Mac está nos planos do estúdio.

A MiniBoss foi fundada em agosto de 2010 por Pedro Medeiros, também conhecido como Santo, e Amora B. Participaram de diversas maratonas de desenvolvimento, onde produziram jogos como Planetary Plan C, Down Goes the Phoenix, Frostbite e Trapped! In the Chamber of Eternal Darkness. Atualmente, estão trabalhando em Out There Somewhere e Talbot’s Odyssey.

O estúdio recebeu diversos prêmios durante seus quase 2 anos de vida, como o e-Games 2010 do Sesc São Paulo, Gamesauce Challenge 2011, Game Music Brasil 2011, SBGames 2011 e Ludum Dare #22.

Vida longa e próspera ao estúdio MiniBoss. Amora B., obrigado pelo contato e continue enviando as novidades para o GameReporter. Abaixo vocês podem conferir o trailer do jogo.

IndieReporter com Daniel Martins: Estamos Pensando e outras coisas


Para comemorar a chegada de 2012, começaremos uma série aqui no GameReporter explorando o mercado independente de games e seus representantes.

A ideia é dar foco a quem faz game por conta própria no Brasil, seja de forma solitária ou ainda a partir da formação de seu estúdio. A série se dividirá em etapas, explorando o profissional, o estúdio em que trabalha e o game que criou.

Assim, em algum tempo pode ser que a gente consiga traçar um perfil do cenário independente nacional e, de quebra, dar um pequeno caminho das pedras para quem quer entrar nessa. Incentivo é sempre bom, né?

Nosso primeiro perfil é de Daniel Martins Novais, paulistano que programa há dez anos, mas que em 2008 entrou para o mercado de games.

Daniel cursou escola técnica pública no segundo grau e pegou gosto pelo assunto. Virou tecnólogo em processamento de dados pela Fatec-SP e depois partiu para Tecnologia em Jogos Digitais na PUC-SP. Mesmo sem ter concluído nenhum dos cursos, decidiu continuar pelo setor.

É dele o Estamos Pensando, seu primeiro jogo, criado para o SBGames 2008 e que ganhou destaque no exterior. Junto com outros projetos, trilhou o caminho para seu primeiro lançamento comercial, o Mystery of the Japanese Werewolf, de iOS, que traremos em ficha (e resenha) no fim da semana.

Daniel Martins Novais
Idade: 30 anos
Jogo preferido: Prince of Persia: Sands of Time (GC/PS3)
Jogo indie inspirador: Minecraft
Faz parte de algum estúdio? Não, corre sozinho

Mecânica quântica é o tema do game independente Gedanken

A mecânica quântica muitas vezes é tomada com uma ciência estranha, misteriosa e no mínimo não-intuitiva. Uma mecânica de jogo precisa ser clara, objetiva e, acima de tudo, divertida. O que acontece quando se mistura as duas em um projeto de jogo? O resultado é justamente o Gedanken experiment.

Gedanken é um jogo no melhor estilo puzzle action de plataforma 2D com gameplay baseado em desafios de física, lógica e ação. O jogador controla uma pequena partícula com um poder quântico de entrelaçar e manipular objetos do ambiente e percorre diversos planetas de uma galáxia diferente em busca de conhecimento próprio.

A história do jogo é assim: o personagem está sozinho em uma galáxia desconhecida e sua missão é ajudá-lo a explorar os mais diversos planetas para encontrar um amigo e descobrir o sentido de sua existência.

Gedanken é a palavra em alemão para “pensamentos”. Ela era comumente usada junto com a palavra experiment para indicar os experimentos mentais que os físicos faziam sobre determinadas ações do universo. Interessante demais, não?

No jogo você pode explorar vários mundos em busca de um sentido para sua existência, interagir com vários objetos usando seus poderes quânticos e tenha os mais estranhos resultados inimagináveis e ainda decifrar os intrigantes puzzles para descobrir que os mistérios do universo podem ser mais simples do que parecem.

Este projeto está sendo desenvolvido por:

  • Arthur Ciappina (Som /L evel Design)
  • Gabriel Ochsenhofer (Programação)
  • Ivan Freire (Arte / Animação)
  • Laura Couto (Storytelling)
  • Mariana Boucault (Game Design / Level Design)

Gostou? O game está sendo desenvolvido para Xbox 360, mas se você quiser jogar a versão alpha, pode baixar aqui, mas você precisa de um controle de Xbox com fio ligado no PC para jogar. Garanto que vale a pena e o projeto tem futuro. Vida longa ao Gedanken.

GOG.com planeja vender jogos novos a partir de 2012

Boa notícia para os fãs de distribuição digital: o serviço Good Old Games (GOG.com) planeja oferecer jogos novos em seu catálogo a partir do ano que vem.

O site é especializado em “dar um tapa” em jogos antigos e disponibilizá-los para download por valores entre US$ 6 e US$ 10, com alguns itens oferecidos gratuitamente. Normalmente, oferece junto com os títulos vendidos manual digitalizado e trilha sonora.

Atualmente, o serviço procura games que tenham três ou mais anos de idade, o que deve ser mudado em breve. “Continuaremos a adicionar jogos clássicos, é claro, mas estamos ativamente trabalhando para trazer novos títulos agora. Esses novos títulos chegarão a um preço novo, mais alto”, explicou Guillaume Rambourg, responsável pelo GOG, acrescentando que tentará manter os preços baixos que popularizaram o site.

A meta é ter 400 títulos no catálogo até o fim do ano que vem. O serviço oferece apenas títulos sem a proteção DRM, o que seria muito bem vindo no caso de downloads novos também, mas ainda não sabemos como isso ficará.

[Via GamesIndustry]

Blizzard oferece Diablo III junto com assinatura anual de WoW

Uma boa notícia para os jogadores de World of Warcraft: a Blizzard está oferecendo, junto ao passaporte anual de jogo, uma cópia gratuita de Diablo III, um de seus games mais aguardados.

A assinatura anual não precisa ser paga de uma vez só, pode ser parcelada. O que a Blizzard quer, no caso, é apenas que seus jogadores se comprometam com o MMO e sua conta. De brinde, além do game é dada ao jogador uma montaria exclusiva de Tyrael para usar no game e acesso ao beta da próxima expansão.

Se interessou? A promoção é válida apenas para quem possui o jogo com uma conta criada antes do dia 18 de outubro de 2011.

:: Mais informações no site da Blizzard

Rockstar anuncia GTA V

A Rockstar Games anunciou em seu site oficial a produção de Grand Theft Auto V. No modesto anúncio não há nenhuma informação sobre o título, personagens, enredo, data de lançamento ou detalhes adicionais.

A única informação concreta é que o primeiro trailer estreará na próxima semana, em 2 de novembro. Fora isso, a companhia ainda não revelou quais plataformas receberão o título, ou qual estúdio trabalhará no game. Continue lendo Rockstar anuncia GTA V

Diablo III será lançado no início de 2012

A Blizzard Entertainment anunciou hoje (23) que o aguardado título Diablo III será lançado no mercado no início de 2012, contrariando as expectativas de quem esperava jogar o game no fim de 2011. Aparentemente, o adiamento será necessário para dar uma polida extra no produto final.

“A cada jogo que criamos a tentação de lançar o mais rápido possível é sempre muito forte. Entretanto, não investimos tantos anos de trabalho em Diablo III para lançar um jogo que estava quase pronto,” diz Mike Morhaime, CEO e cofundador da Blizzard Entertainment. Continue lendo Diablo III será lançado no início de 2012

IsoClinous: um game indie que pode ser controlado com o Wiimote

Adoramos jogos independentes e ideias simples. Por conta disso, IsoClinous é um game que nos chamou a atenção. O plataformas para dois jogadores está disponível para Windows e Linux, gratuitamente.

O game de apenas quatro níveis coloca os jogadores no controle de um urso e um urso panda que precisam encontrar um gatinho perdido. O mais legal? IsoClinous pode ser controlado a partir de joysticks do Wii, que conforme movimentados definirão a inclinação de plataformas no cenário.

Criado na Espanha, o jogo ganhou o segundo prêmio no Wiideojuegos 2010 e o terceiro prêmio no iDeame++ 2011. Seus menus estão em espanhol, o que não deve ser um problema.

:: Baixe IsoClinous agora

Fundador de estúdio criador de Just Cause diz que DRM é prejudicial

Proteções DRM são muito criticadas por gamers, por desenvolvedores independentes e, vez ou outra, por membros em posições privilegiadas da indústria. Foi o caso das declarações recentes de Christofer Sundberg, fundador da Avalanche, criadora de Just Cause.

Em entrevista ao site da revista Edge, o executivo afirmou que embora a pirataria afete bastante o mercado de games, principalmente para PCs, proteções DRM não são a solução, e apenas punem o consumidor legítimo.

“Se um sistema DRM precisa ser defendido constantemente, algo deve estar errado”, comentou acrescentando que esse tipo de proteção é mostrar ao consumidor baixa confiança.

E, o mais grave, é que o jogador punido é o que paga pelo game, afinal, as cópias pirateadas vem sempre com a proteção quebrada. “Eu conheço pessoas que compram o jogo, mas baixam a versão pirata apenas para se livrar da proteção always-on”, afirmou, se referindo aos jogos cuja proteção DRM exigem que o jogador esteja sempre online.

“Jogos de PC sempre foram e sempre serão pirateados, destravados, modificados e o que você pensar. Essa é a natureza do PC como plataforma; você nunca poderá resolver esse problema”, defendeu acrescentando que acredita que a solução é provar aos clientes que há valor em comprar uma cópia original, ouvindo suas demandas e tentando atendê-las.

É claro que, em muitos casos, o desenvolvedor tem pouca responsabilidade no uso da DRM. “Não temos muita escolha, já que a distribuidora detém os direitos da franquia, mas posso garantir que gritaríamos antes de qualquer coisa assim acontecesse em um título da Avalanche”, disparou.

Baixe dois games clássicos para o fim de semana, um grátis

Boa notícia da sexta-feira: dois games de peso foram acrescentados ao catálogo do serviço de distribuição digital de jogos antigos, Good Old Games (GoG) e um deles está de graça.

Populous foi criado em 1989 por Peter Molyneux, na época da Bullfrog. Nele, você é uma divindade que precisa controlar pessoas, moldando cenários, e disputando contra uma divindade inimiga. O clássico pode ser comprado por US$ 5,99, uma pechincha para colecionadores de títulos importantes.

Mas, de graça, está Ultima 4: The Quest of the Avatar. Mais antigo (esse é de 1985), o RPG clássico traz uma história complexa e de muitas horas no mundo de Sosaria. Junto com o game, vem ainda o manual, um livro de dicas e um mapa. Download obrigatório para entusiastas, gamers saudosos que jogaram Ultima IV na época e estudantes.

[Via Joystiq]