Arquivo da categoria: Mobile

“Vovó, fuja dos Zumbis” é jogo nacional para iPhone e iPod Touch

O pessoal do m.gaia studio entrou em contato conosco para avisar que em setembro lançará seu novo game para iPhone e iPod Touch.

“Vovó, fuja dos Zumbis” é um game para fãs de jogos plataformas e de zumbis que colocará o jogador no papel de protetor da Vovó Amelinha, uma cozinheira de mão cheia que saiu em busca de ingredientes para fazer um bolo.

Só que a vovó não está com a vista muito boa e não percebeu que, durante a noite, quase toda a humanidade foi transformada em zumbis. Você deverá proteger a velhinha dos zumbis e ajudá-la a coletar os ingredientes, interagindo com o cenário.

O jogo será lançado exclusivamente para o público brasileiro e custará US$ 1,99. Possuirá também uma versão Lite para quem quiser testar antes de pagar.

:: Confira o site oficial de Vovó, fuja dos Zumbis

Almanaque anos 80: jogo de perguntas e respostas para iPhone e iPad

Almanaque anos 80 Muitos dos nossos leitores cresceram na década de 1980 e sentem saudade da época. Se você é um desses leitores, vai gostar muito do Almanaque anos 80. Há alguns anos surgiram festas com músicas da época, um revival dos brinquedos antigos e a década reviveu.

Na tentativa de acompanhar o filão, e Ediouro publicou o Almanaque dos Anos 80, um livro cheio de curiosidades da época. O jogador Eduardo Baião entrou em contato conosco esse mês para contar que criou um game para iPhone e iPad baseado no livro. É o Almanaque anos 80.

É um jogo de perguntas e respostas para quem viveu a época, dividida de acordo com os temas Esportes, Música, Cultura e Lazer, Comportamento, e Fatos Marcantes. São 300 perguntas, com mais 1700 a serem lançadas em futuras atualizações.

Para o futuro, o jogo permitirá escolher filtrar as categorias de conhecimento que serão jogadas, além de incluir mais 300 perguntas (disponíveis a partir do próximo dia 25). O autor inclusive planeja lançar uma versão com base no Almanaque dos Anos 90.

:: Compre o jogo na iTunes Store (US$ 0,99)

The Gravedigger é RTS brasileiro para iPhone

O estúdio brasileiro Behold Studios nos contatou semana passada para avisar que lançou seu primeiro game, The Gravedigger, para iPhone.

O game de estratégia em tempo real coloca o jogador no papel de um coveiro de uma pequena cidade do interior, que decide procurar novas amizades nas covas do cemitério.

O padre da cidade decide convocar os fiéis para uma “caça às bruxas” e o coveiro deve se defender, com seus amigos mortos-vivos.

Em The Gravediggeré possível escolher o lado dos humanos ou dos mortos-vivos, cada qual com unidades diferentes e habilidades peculiares, evoluídas no decorrer das partidas.

O jogador pode optar também por um modo campanha, com 16 níveis, ou jogo rápido, em que vencerá quem derrotar o líder do time adversário.

Gostou da idéia? Visite o site oficial de The Gravedigger e compre-o na iTunes Store por US$ 1,99.

Game nacional para iPhone brinca com a má fama da bola Jabulani

A Copa do Mundo terminou, a Espanha foi campeã e entre as muitas surpresas do campeonato mundial esteve a bola, a famosa Jabulani.

Com uma estrutura diferente, a bola pregou peças nos jogadores e mudou bastante os resultados que a Copa poderia ter. A coitadinha ficou tão mal falada que chegaram a brincar que havia uma maldição com ela.

Pois então, os designers do estúdio brasileiro Aquiris criaram um jogo para iPhone chamado Jabulaaaaaaani (uma brincadeira com a narração de Cid Moreira, que era inserida durante os jogos, normalmente quando a bola tinha alguma responsabilidade em uma jogada errada ou resultado inesperado).

O game coloca o jogador no controle da bola, mas acabou chegando um pouquinho mais tarde do que o pessoal da Aquiris previa, uma vez que o processo de autorização da Apple é mais demorado.

Ainda assim é uma boa chance para quem tem iPhone ou iPod e quer carregar o ícone da copa deste ano por muito tempo…

:: Acesse o site oficial de Jabulaaaaaaani e baixe o jogo (US$ 0,99)

Opinião: para Mark Rein iPhone, iPad e Android são consoles do futuro

Quando foi lançado, o iPhone revolucionou o mercado de games. Centenas de estúdios, dos grandes aos independentes, se voltaram para a produção de games para a plataforma, que passou a ser vista como um importante segmento da indústria de games portáteis.

Com o lançamento do iPad, tablet da Apple que roda o mesmo sistema do iPhone, o iOS, as coisas pareciam que esquentariam, e de fato começaram a esquentar. A tela maior é um adicional importante para quem criticava a telinha minúscula do iPhone.

Agora, Mark Rein, vice-presidente da Epic, declarou que aparelhos como o iPad, o iPhone e o Android merecem atenção, e que um dia jogos blockbusters como Gears of War chegarão a estes dispositivos.

“São os consoles do futuro”, declarou se referindo aos portáteis, acrescentando que “prefere vender 10 milhões de jogos a US$ 25 e ter uma chance de vender DLC [conteúdo para download] a vender 5 milhões por US$ 50, em mídias que podem ser trocadas”.

A potência dos aparelhos que hoje carregam o iOS e o Android pode não ser comparável a dos portáteis da Nintendo e da Sony, mas é fato que estão melhorando.

Será que chegam tão longe?

Game nacional fazendo bonito no iPad

O iPad foi lançado a pouco tempo, mas tem desenvolvedor brasileiro se beneficiando da novidade da Apple.

O pessoal do estúdio pernambucano MusiGames, criador do game de iPhone Drums Challenge, aproveitou a tela maior do aparelho para criar uma versão revista do título, que batizou de Drums Challenge HD.

A adaptação é o game musical mais vendido para iPad nos Estados Unidos e no Canadá, e entra na onda dos games rítmicos como Guitar Hero, só que permitindo ao jogador tocar em duelos de bateria em diversos ritmos.

Também de iPad, o quebra-cabeça sonoro iMusic Puzzle está no top 10 dos games musicais mais vendidos para o aparelho.

Já tem um iPad e quer conferir? O Drums Challenge HD pode ser comprado pela AppStore por US$ 2.

[Via Newsletter da Abragames]

Opinião: jogos sociais enriquecem o mundo dos games, diz Sid Meier

Sid Meier, cérebro por trás da série Civilization, declarou que os jogos sociais são a nova “fronteira” para os desenvolvedores de jogos.

O designer, que trabalha em Civilization Network, uma versão do game de estratégia para a rede social Facebook, minimizou o medo de alguns jogadores hardcore que acreditam que os jogos sociais estejam recebendo toda atenção que deveria ser dos títulos para “veteranos”.

“Eu não acho que [os jogos sociais] substituam qualquer outra forma de jogo. Só é atraente para um tipo diferente de jogador. Você não verá jogadores hardcore mudando totalmente para jogos sociais ou jogos do iPhone ou qualquer coisa”, comentou acrescentando que estes novos mercados só enriquecem o mundo dos games.

E, porque está recebendo tanta atenção? Simples, por ser um território novo, sem noção do que funciona ou não funciona, com novas regras a serem criadas e novos paradigmas a serem quebrados.

E você, leitor? Qual sua opinião sobre estes novos mercados?

[Via IndustryGamer]

Ballmaster: mais um jogo brazuca para iPhone

Já tem um monte de brasileiro se destacando com games para iPhone na AppStore. Agora é a vez do pessoal da carioca Corbata Informática, que lançou o Ballmaster, um basquete de dedo para iPhone.

Ballmaster conta com leis de física e se beneficia da interface sensível ao toque do aparelho da Apple para permitir ao jogador entrar em quadra e, com as pontas dos dedos, realizar arremessos de 2 e 3 pontos.

O site do estúdio traz ainda algumas promoções para jogadores que possuam perfil no Twitter ou acesso à AppStore.

O Ballmaster pode ser comprado por US$ 0,99 na AppStore.

Webgame: torne-se um macaco faixa preta em caratê com o brasileiro Karate Monkey

O webgame de hoje é brasileiro, produzido pela Overplay. O game de iPhone acaba de receber uma versão web que nos foi enviada em primeira mão, depois de passar 8 dias como o game mais vendido na iTunes Store BR.

Karate Monkey desafia os jogadores a reproduzir os movimentos corretos da arte marcial japonesa com sequências de teclas direcionais. Quanto mais acertos, mais evoluções na faixa em um treino que fica mais e mais difícil.

Três erros e seu mestre é derrubado, junto com sua pontuação. Chegue até a faixa preta, torne-se um mestre e destrave o desafio especial que acaba com o limite de golpes e treina quão longe você é capaz de levar seus combos.

Um game divertido e com uma utilidade a mais: se você gostar, pode baixar o game para iPhone também (falamos dele no mês passado).

:: Jogue Karate Monkey agora

Investimento de desenvolvimento em portáteis cresce, mas Ubisoft continua cautelosa com iPhone

Durante a última semana, um artigo do blog Game|Life, da Wired, apontou que desenvolvedores de games estavam abandonando o Wii ao mesmo tempo em que a plataforma da Apple, iPhone, crescia.

O artigo se baseou em uma pesquisa da revista Game Developer com 800 desenvolvedores, que mostrou que 25% deles estão criando games para portáteis, quase o dobro da estimativa de 2009, sendo que destes, quase 75% apoiavam o iPhone, o dobro do número somado de desenvolvedores que se dedicam a DS e PSP.

Enquanto o crescimento de portáteis e do iPhone foi grande, houve queda de suporte ao Wii. De 42% no ano passado, apenas 30% dos desenvolvedores para consoles afirmaram estar trabalhando em jogos de Wii.

Ainda que a pesquisa tenha mostrado uma nova tendência de apoio ao celular da Apple como plataforma de jogos, a Ubisoft se mostra cética e cautelosa com lançamentos para a plataforma.

A empresa francesa anunciou três versões de games para iPhone que chegarão ainda no primeiro trimestre de 2010: “Assassin’s Creed II: Discovery”, “Silent Hunter 5: Battle for the Atlantic” e “Anno Dawn of Discovery: The Harbor”, mas teme que as vendas não sejam tão lucrativas como acontece em outras plataformas.

Parece que a opinião casa com a de analistas como Michael Pachter, que na época do anúncio do novo portátil da Apple, iPad, declarou que para ser considerado um videogame portátil de verdade, os games para o aparelho deveriam ser vendidos por aproximadamente US$ 20.