Arquivo da categoria: Mobile

Webgame: torne-se um macaco faixa preta em caratê com o brasileiro Karate Monkey

O webgame de hoje é brasileiro, produzido pela Overplay. O game de iPhone acaba de receber uma versão web que nos foi enviada em primeira mão, depois de passar 8 dias como o game mais vendido na iTunes Store BR.

Karate Monkey desafia os jogadores a reproduzir os movimentos corretos da arte marcial japonesa com sequências de teclas direcionais. Quanto mais acertos, mais evoluções na faixa em um treino que fica mais e mais difícil.

Três erros e seu mestre é derrubado, junto com sua pontuação. Chegue até a faixa preta, torne-se um mestre e destrave o desafio especial que acaba com o limite de golpes e treina quão longe você é capaz de levar seus combos.

Um game divertido e com uma utilidade a mais: se você gostar, pode baixar o game para iPhone também (falamos dele no mês passado).

:: Jogue Karate Monkey agora

Investimento de desenvolvimento em portáteis cresce, mas Ubisoft continua cautelosa com iPhone

Durante a última semana, um artigo do blog Game|Life, da Wired, apontou que desenvolvedores de games estavam abandonando o Wii ao mesmo tempo em que a plataforma da Apple, iPhone, crescia.

O artigo se baseou em uma pesquisa da revista Game Developer com 800 desenvolvedores, que mostrou que 25% deles estão criando games para portáteis, quase o dobro da estimativa de 2009, sendo que destes, quase 75% apoiavam o iPhone, o dobro do número somado de desenvolvedores que se dedicam a DS e PSP.

Enquanto o crescimento de portáteis e do iPhone foi grande, houve queda de suporte ao Wii. De 42% no ano passado, apenas 30% dos desenvolvedores para consoles afirmaram estar trabalhando em jogos de Wii.

Ainda que a pesquisa tenha mostrado uma nova tendência de apoio ao celular da Apple como plataforma de jogos, a Ubisoft se mostra cética e cautelosa com lançamentos para a plataforma.

A empresa francesa anunciou três versões de games para iPhone que chegarão ainda no primeiro trimestre de 2010: “Assassin’s Creed II: Discovery”, “Silent Hunter 5: Battle for the Atlantic” e “Anno Dawn of Discovery: The Harbor”, mas teme que as vendas não sejam tão lucrativas como acontece em outras plataformas.

Parece que a opinião casa com a de analistas como Michael Pachter, que na época do anúncio do novo portátil da Apple, iPad, declarou que para ser considerado um videogame portátil de verdade, os games para o aparelho deveriam ser vendidos por aproximadamente US$ 20.

Mais especialistas e analistas falam sobre iPad, o tablet da Apple

Na semana passada foi anunciado o iPad, o aguardado tablet da Apple. Isso já não é novidade e foi nossa capa aqui no blog durante toda a última quinta-feira.

A promessa que, ao menos no futuro, pode afetar um pouco o mundo dos games está sendo vista até o momento com ceticismo por especialistas e profissionais da indústria dos jogos eletrônicos, e também por nossos leitores.

Mas, nada como alguns dias para que novas opiniões interessantes surjam das bocas de profissionais importantes da indústria. Aliás, se depender da opinião de Satoru Iwata, o tablet da Apple terá um árduo caminho para conquistar os games. Para Iwata, o dispositivo é na verdade um grande iPod touch e não apresentou nenhuma surpresa.

Porém, onde a Nintendo vê “mais do mesmo”, a Sony enxerga oportunidade. Para John Koller, diretor de marketing de hardware da Sony, o iPad servirá como um trampolim, beneficiando as vendas do portátil PSP. “A entrada da Apple no mercado de jogos portáteis tem sido positiva para a Sony. Quando as pessoas procuram um aparelho mais aprofundado, rico, começam a jogar o PSP”, comemorou.

Embora a base de aplicativos (e jogos) atualmente na App Store sejam compatíveis com o iPad, alguns desenvolvedores já planejam um salto para o tablet. É o caso da australiana Firemint, especializada em games portáteis. O estúdio já prometeu uma versão revista do bem sucedido Flight Control para o iPad.

Em uma análise da Wired, foi mencionado que por seu tamanho os games serão beneficiados. O artigo cita executivos da Electronic Arts e da Gameloft, que afirmam que a tela é bastante divertida e comparam o aparelho com uma televisão de alta definição portátil.

Pé no chão, o analista Jesse Divnich explica que para ser uma plataforma bem sucedida de jogos, é preciso que uma grande base de jogadores seja também usuária do iPad. Para Divnich, é preciso que a Apple garanta que a base de usuários do iPad chegue a 20 milhões de usuários nos próximos anos. Ainda assim, a adesão de desenvolvedores de game será lenta.

Mas estes não são os únicos desafios do iPad: a Fujitsu ficou chateada com o nome do portátil, que afirma ser sua marca registrada desde 2002 e considera tomar uma ação judicial contra a Apple. Será que a companhia precisará mudar o nome de seu tablet?

São muitas perguntas levantadas poucos dias depois do anúncio oficial do portátil. As respostas, porém, saberemos apenas com o tempo: alguns meses depois do lançamento do aparelho, previsto para março de 2010.

Tetris para celulares atinge 100 milhões de downloads

O mercado casual é um mercado sério. Que diga a Blue Planet Software e a EA, que possuem os direitos de licenciamento do jogo Tetris, que só para celulares já viu mais de 100 milhões de downloads desde 2005.

O game está disponível para 64 mil plataformas portáteis no mundo todo, e seus títulos são vendidos pela EA Mobile entre US$ 1,99 e US$ 4,99, o que mostra que Alexey Pajitnov além de feliz por ter criado um sucesso, deve estar colhendo muitos frutos de seu game.

[Via Joystiq]

Overplay lança Karate Monkey, seu primeiro jogo do ano no Brasil

O estúdio brasileiro Overplay lançou o game Karate Monkey, seu primeiro título de 2010 no Brasil.

Karate Monkey é um game de iPhone baseado em jogo homônimo de 2007, em que o jogador assume o papel de um macaco cujo sonho é ser um mestre faixa preta de caratê.

Continue lendo Overplay lança Karate Monkey, seu primeiro jogo do ano no Brasil

id Software pede remoção de adaptações não autorizadas para Android

gr-doom300 Um dos principais chamarizes de novos smartphones, como é o caso do iPhone e de aparelhos baseados no sistema Android, da Google, é a existência de aplicativos para download.

Estas plataformas se provaram sucesso, inclusive, entre jogadores e se firmaram de forma importante na indústria de games. Mas, em meio a tantos games, surgem alguns que preocupam desenvolvedores.

A id Software, criadora de alguns dos principais FPS do mercado e pioneira no gênero, registrou uma reclamação junto à Google para que 11 aplicações fossem removidas de seu catálogo.

Entre os games, já removidos, estão adaptações de games como Doom, Quake e Wolfenstein, algumas das principais franquias da empresa. Uma das empresas, a L!TH!UM, afirmou já estar em contato com os detentores para tornar a adaptação legítima.

Estaria a id planejando versões de seus games clássicos para Android ou apenas teria se incomodado com o uso indevido? A empresa não é estranha dos smartphones: uma versão de Doom, chamada Doom Resurrection, foi lançada em junho para iPhones, complementando a história do clássico Doom 3.

[Via Android and Me]

Curso: iAi promove curso para desenvolvimento de games para iPhone

gr-iaicocos2d O Instituto de Artes Interatives (iAi) anunciou um novo curso: o de desenvolvimento de games para iPhone em Cocos2D.

Cocos2D é o framework mais usado atualmente na criação de jogos para a plataforma portátil da Apple, que possui workflow, transições, sprites, ações, motores de física integrados, renderização de textos, acelerômetro e muitos outros recursos.

O curso, que começa agora em novembro, pode ser feito de duas formas: semanal noturno (5 aulas de três horas, entre 19:00 e 22:00) e intensivo de final de semana (2 aulas de oito horas, entre 10:00 e 19:00).

É preciso ter bons conhecimentos na SDK do iPhone e também em Objective-C. O curso custa R$ 800 e será ministrado por Luiz Gustavo Lino, ex-desenvolvedor da Oniria e programador de jogos desde 14 anos.

Para reservar é preciso efetuar o pagamento de 30% para a reserva e o restante no início do curso.

:: Veja mais informações e inscreva-se para o curso aqui

Jogo da Pitty é criado para promover novo trabalho

gr-chiaroscurojogo O novo trabalho da roqueira baiana Pitty, Chiaroscuro, ganhou um game produzido pela Tectoy Digital para ajudar em sua promoção.

Criado para celulares em parceria com a gravadora Deckdisk, o game é composto de três mini-jogos que espelham vida e trabalho da cantora.

Desconstruindo Amélia espelha a vida da mulher moderna, que precisa tomar conta da família, da profissão e de si mesma. Já Medo é um jogo de tabuleiro em que o jogador confronta seus medos e controla Pitty contra sua sombra. Por fim, Rato na Roda coloca o jogador no papel de um fã que invade o palco de um show da roqueira e precisa fazer o stage diving, se jogando de cima do palco na galera da pista.

Quando um dos mini-jogos é finalizado, uma das faixas do CD pode ser ouvida no celular. Chiaroscuro: O Jogo pode ser comprado na seção WAP de celulares das mais variadas operadoras pelo preço sugerido de R$ 9,90.

[Via Newsletter Abragames]

Advergame: o mercado e o novo lançamento da Webcore Games

gr-hondacityadvergame Recebemos em nossa caixa de emails um release interessante a respeito de Honda City, um advergame produzido pela Webcore Games, que está se especializando na criação de games para iPhone.

Nele, a empresa comenta que hoje são cerca de 17 milhões de iPhones e 13 milhões de iPods touch no mercado, que elevou o interesse das desenvolvedoras. O resultado é novos títulos diários na App Store, que atualmente conta com um catálogo de 13 mil games para download.

Contudo, o ponto mais interessante é que isso tem atraído, também, empresas de fora do setor que estão vendo mais e mais os advergames como uma alternativa importante para a divulgação de sua marca.

Honda City, o segundo jogo da empresa para o iPhone, depois de Papercraft, que já noticiamos no GameReporter, é um game de corrida 3D que dá a sensação de dirigir o veículo homônimo em cidades brasileiras como Curitiba, Rio de Janeiro e São Paulo.

Para Fernando Chamis, CEO da Webcore, a plataforma da Apple traz possibilidades e mecânicas que antes eram improváveis, um atrativo ainda mais interessante.

Que os portáteis ganharão ainda mais espaço no setor, acho que ninguém duvida. Agora, é interessante ver que isso abre ainda mais o nicho dos advergames e as portas para novas empresas que estejam procurando um lugar ao sol.

Apple deve dominar o crescimento do mercado de portáteis nos próximos anos

gr-iphone O iPhone e o iPod touch podem se tornar ainda mais vitais para a indústria de games se as estimativas de David Cole, analista da DFC Intelligence se concretizarem. Para o especialista, em cinco anos a plataforma Apple dominará 24% do mercado de games portáteis.

As líderes atuais, Sony e Nintendo devem manter-se no topo do setor, mas seu crescimento já atingiu seu auge. Até 2014 devem ser as plataformas Apple as responsáveis pelo principal crescimento do setor, estimado a chegar ao faturamento de US$ 11,7 bilhões.

Em pesquisa conduzida com 8 mil pessoas na Europa e Estados Unidos, a DFC Intelligence descobriu que 69% dos europeus e 54% dos norte-americanos jogaram em seus celulares no último ano, sendo que 36% dos europeus e 45% dos norte-americanos pagaram por um aplicativo.

A lojinha virtual da Apple, App Store, é o serviço mais popular para compras. O estudo revelou que 29% dos entrevistados possui um DS, enquanto 15% afirma já ter tido um iPhone ou iPod Touch.

Você acha que David Cole está correto em suas estimativas? O que acha que isso significará no futuro?

[Via GamesIndustry]