Arquivo da categoria: Mobile

MediaTek reúne especialistas para discutir futuro dos games para smartphones

Como será o futuro dos games? Muitos apostam que os celulares serão a plataforma definitiva para games em alguns anos. Faz todo o sentido, afinal os consoles de bolso não são tão populares como no passado e existem analistas que preveem que os consoles de mesa deixarão de existir até 2020. Não fosse o bastante, pesquisas apontam que mais de 80% dos jogadores utilizam celulares como plataforma.

Pensando nisso, a MediaTek realizou na sede da Punto Comunicação Multimeios, em São Paulo, a quinta edição do TechDive, programa de disseminação do conhecimento sobre novas tecnologias destinado à imprensa. Para quem não conhece, a empresa é uma proeminente fabricante global de semicondutores com produção terceirizada. Seus chips equipam mais de 1,5 bilhão de produtos conectados ao ano como smartphones, tablets, TV digital, OTT boxes, wearables e soluções automotivas.

Samir Vani
Samir Vani, da MediaTek falando sobre o futuro dos jogos mobile

O evento teve como tema “Tendências de hardware e software para o mundo dos games para smartphones” e os palestrantes Samir Vani, country manager da MediaTek no Brasil; Hernan Descalzi, Sales & Marketing Manager da MediaTek; e Rodrigo Russano Dias, social media & community manager da Gameloft. A ideia era mostrar tendências para a jogatina no celular e os desafios que a indústria enfrenta na atualidade.

De acordo com Samir Vani, country manager da MediaTek, os smartphones já são a principal plataforma para games e o hardware está melhorando a cada ano a fim de atender uma experiência melhor para o usuário. O executivo ainda lembrou que os fabricantes de processadores precisam equilibrar questões como desempenho, consumo de energia e temperatura para oferecer a melhor combinação aos usuários de smartphones.

Rodrigo Dias, da Gameloft, explica a visão da empresa
Rodrigo Dias, da Gameloft, explica a visão da empresa

Quem também esteve no evento foi a Gameloft, que aproveitou o espaço para discutir os rumos do desenvolvimento mobile e a tecnologia de seus games. Entre outras coisas, a empresa falou que desenvolve métodos para portar seus games para os mais diversos modelos de celulares, levando em consideração a capacidade técnica, de modo que as diferenças técnicas não sejam tão evidentes.

“Os nossos jogos triple A exigem muito dos devices e existe uma série de requerimentos que os celulares precisam atender”, ressalta Rodrigo Russano Dias, social media & community manager da Gameloft, empresa que desenvolve jogos mobile há 17 anos. A equipe de “testers” da Gameloft só libera o jogo para um aparelho se todos os requerimentos forem atendidos. “Se o celular não suporta aquele game, o jogo nem aparece na Loja de Aplicativos daquele usuário”, afirma.

MediaTek e Gameloft também falam sobre a realidade virtual

2882181-oculus-touch-2-1434465834-ej3p-full-width-inline

No evento, os especialistas também abordaram as novas tecnologias que estão surgindo no mercado, como o uso de óculos de realidade virtual. O consenso é que esse tipo de tecnologia é promissor, mas precisa de uma base de usuários maior para que os estúdios de desenvolvimento de games (tanto de celulares, quanto de consoles de mesa) comecem a investir seu tempo e dinheiro com novos projetos.

“Estamos no limiar de uma nova era em relação à demanda por processamento, para atender à evolução de tecnologias como realidade aumentada”, afirma Vani, referindo-se aos requisitos de hardware que as novas tecnologias irão demandar.

Conheça o game indie Tower Escape do Moraes Studio

Tower Escape é um game feito sob medida para quem curte desafio e quer testar seus reflexos. Criado pelo estúdio indie brasileiro Moraes Studio, o jogo é do gênero plataforma 2D e o jogador deve ajudar o pequeno herói a passar por obstáculos como buracos e estacas no chão. O game tem sangue e lembra bastante a dinâmica de Super Meat Boy, inclusive com o tom de humor e controles fáceis, mas desafiador.

Tower Escape é totalmente gratuito e já está disponível para usuários do Android. Todo o cenário de Tower Escape é dinâmico e aleatório, em Tower Escape você tem que subir o mais longe possível, evitando armadilhas, passando por obstáculos insanos e coletando moedas para desbloquear novos personagens. O game é bastante desafiador, de modo que o jogador vai passar por maus bocados se quiser ir longe.

moraes-studioTower Escape traz a emoção de competir com outros jogadores através de um ranking global, quanto mais jogar, melhor será no ranking. Os visuais remetem aos jogos retrô da geração 8 bits, graças aos gráficos pixelados. Até mesmo a trilha sonora soam como os jogos do Nintendinho.

Onde baixar Tower Escape

O estúdio Moraes se esforçou para criar um jogo divertido e altamente viciante, capaz de cativar os retro gamers e jogadores ávidos por alto desafio. Tower Escape é um ótimo jogo para passar o tempo, divirta-se tentando ser o melhor do mundo no ranking do jogo. O download é gratuito.

Conheça o game indie Lester Quer Queijo, disponível para Android

Lester Quer Queijo é a nova produção do estúdio indie Dual Games Brasil (os mesmos criadores de Sieg Adventure). Basicamente é um jogo casual em que os jogadores devem ajudar o pequeno Lester a roubar queijo da residência de uma família bastante avessa aos ratos. O grande desafio é desviar dos inúmeros gatos que habitam a casa e pegar o queijo, onde quer que esteja.

O game tem perspectiva do alto, de modo que o jogador tem boa visão dos obstáculos e inimigos que estão em seu caminho. Mas nem por isso a tarefa de roubar queijos é fácil: os gatos são tão rápidos quanto Lester e os humanos não dão sossego para o pobre ratinho. Como se não bastasse, há armadilhas espalhadas por toda a casa, tais como ratoeiras, queijo envenenado, caixas, mancha de óleo etc.

lstFelizmente é possível ter a tarefa facilitada com o upgrade Power Run, que aumenta a velocidade de Lester. Deste modo, é possível fugir dos inimigos rapidamente. Além dele, há outros upgrades bacanas como o Escudo e o aumento de tamanho. Quanto mais queijo você pegar, maior a sua pontuação (que é usada para comprar os upgrades na loja do game). O grande objetivo é entrar no ranking do game e desafiar seus amigos a bater seu recorde.

Onde encontrar o game Lester Quer Queijo

A jogabilidade de Lester Quer Queijo é simplificada, de forma que qualquer jogador pode apreciar a obra. Os gráficos e a trilha sonora fazem seu papel de cativar o jogador e mostram a força do estúdio Dual Games. O objetivo parece ter sido fazer um game simples, porém divertido. Se você curte desafio e games casuais, vale a pena conferir. O título está disponível gratuitamente para Android.

Faeria, o jogo de cartas estratégico, tem atualização com várias novidades

Faeria não é bem uma novidade: o game está em constante desenvolvimento desde 2010, mas é agora que a atualização mais espantosa vê a luz do dia, de modo que os desenvolvedores da dev Belga Abrakam praticamente consideram a atual atualização como o lançamento definitivo do game. A intenção é oferecer um game mais equilibrado e uma alternativa para quem já se cansou de Hearthstone.

Para quem não conhece, Faeria apareceu aos olhos do público em 2013 graças a uma campanha bem sucedida no Kickstarter. O game pode ser descrito como um misto entre Magic e Hearthstone, porém com o plus de suas cartas ocuparem espaços em um tabuleiro (à lá Duelists of the Roses, do Playstation 2). Assim, o game não se conforma em ser apenas um card game, mas também um boardgame bastante estratégico. Suas cartas possuem atributos de ataque e habilidades mágicas, tal como em outros TCGs, a diferença é que elas são utilizadas mais para reafirmar o poderio em campo do que reforçar as próprias capacidades do deck. Isto graças ao living board (leia mais abaixo).

ahkahA mecânica de game é simples tanto na construção de decks, quanto nos combates. Jogadores mais antigos de Magic irão se sentir em casa e não enfrentarão grandes dificuldades para dominar as estratégias e submeter os adversários. Vale mencionar que a mecânica living board (os jogadores formam o tabuleiro através das cartas que recebem) torna o ato de formar o tabuleiro dinâmico e bastante decisivo nas batalhas.

Isto não significa necessariamente que o mais sortudo seja o vencedor, pois o jogador consegue montar estratégias com as cartas puxadas a fim de montar o tabuleiro da melhor maneira possível, mesmo que o adversário ocupe uma posição que você desejava. Isto significa que jamais haverá dois combates iguais. Mais do que isso: os combates tendem a ser rápidos (cerca de 11 minutos) e sempre competitivos, pois você pode ir em direção ao adversário ou tentar obter recursos para invocar monstros mais poderosos e devastadores.

unnamedUma ótima adição na atualização é o modo single player, que é ideal para quem está começando a jogar Faeria e dominar estratégias mais complexas. De acordo com a Abrakan, há mais de 20 horas de jogo disponível. O modo singleplayer, aliás, era um dos pedidos mais contundentes da comunidade desde que o título chegou ao mercado. Outro elemento que merece destaque no novo Faeria é o inédito Monthly Cup, a primeira parte do sistema de eventos competitivos que os desenvolvedores pretendem. A ideia é colocar o game no circuito de eSports ao redor do mundo.

É interessante que Faeria permita que se coloque cartas de diferentes elementos num mesmo deck, tal como em Magic, deste modo o jogador fica livre para montar um baralho capaz de ter vantagem sobre qualquer tipo de terreno ao invés de simplesmente tentar montar um deck adaptado a um único campo de batalha. Ao fim, o game é mais sobre quem tem a melhor estratégia, deixando em segundo plano a sorte ou monstros mais fortes.

Faeria está atualmente em acesso antecipado pela Steam e operando como Open Beta para Ipads na Russia, Alemanha e França. O título continuará a expandir para rodar em outros dispositivos no próximo ano. Os planos futuros como plataformas móveis seguidas da geração de consoles serão anunciados em 2017. Para mais informações, por favor, visite o site do game.

Confira abaixo o divertido gameplay que o Fatality fez de Faeria:

Corre Desnecessauro é o game para mobile inspirado na série do Gato Galactico

É do estúdio indie brasileiro KEISE Entertainment o infinite runner Corre Desnecessauro, um game inspirado na série animada para Youtube “O Gato Galactico”, que conta com mais de 2,8 milhões de inscritos e 270 milhões de visualizações.  Basicamente o jogador vai ajudar o pobre Desnecessauro a desviar de armadilhas e obstáculos até derrotar seu melhor amigo, o Coitadossauro.

O game apresenta todo o humor e cores vibrantes característicos da série original, de modo que o há muitas piadas ao longo da aventura. O jogador também vai se divertir com a dublagem do game. Na questão desafio o game não deixa a desejar, apresentando obstáculos variados e inesperados. Cabe ao jogador desviar das armadilhas ou destruí-las rapidamente.

desnecessauroA jogabilidade de Corre Desnecessauro é simplificada, de modo que ela agrada todos os tipos de jogadores, inclusive os mais novos. O estúdio KEISE, aliás, teve bastante cuidado com os detalhes: além de roupas (inspiradas em ícones da culta nerd) e fotos para colecionar, há conquistas, troféus e um sistema de rankings para os jogadores mais empenhados.

A trilha sonora ficou por conta do Daniel Miura, que já havia trabalhado no Gato Galactico remix. Foi um trabalho feito especialmente para os fãs da série, mas que tem o potencial para agradar até mesmo quem nunca ouviu falar da franquia. O mais bacana é que o download é gratuito e já está disponível para iOS e Android.

cats

O Corre Desnecessauro em seu dia de lançamento obteve mais de 100 mil downloads e em menos de uma semana já chegou a marca de mais de 350 mil downloads! O jogo também chegou a ocupar a primeira colocação em diversas categorias na App Store e na Google Play Store desde o seu lançamento.

Abaixo você confere o trailer de Corre Desnecessauro:

Playmove lança mais cinco games interativos para educação

A Playmove acaba de anunciar que a PlayTable, plataforma de jogos educativos para crianças, receberá mais cinco games ainda neste mês. De acordo com a empresa, os novos games contemplam diferentes áreas de ensino, de modo que o raciocínio, idioma estrangeiro, lógica de programação serão contempladas pelos novos jogos. O objetivo é aliar o conceito do aprender brincando da ludopedagogia com a tecnologia para desenvolver habilidades e consolidar conteúdos para alunos de quatro a nove anos.

Uma das principais novidades é o “Croac, uma melodia verde!“, indicado para crianças a partir de quatro anos. Ele é ideal para ensinar lógica de programação com o uso de recursos de musicalização infantil. O game é bastante colorido e ideal para aumentar a capacidade de resolução de problemas das crianças.

playtable“A nova geração de estudantes já nasceu em um ambiente extremamente tecnológico. É fundamental que se introduzam conceitos do segmento de programação através das brincadeiras. Com esse game eles desenvolverão a capacidade de resolução de problemas e a criatividade”, explica o especialista em ludopedagogia da Playmove, Cristiano Sieves.

Crianças a partir dos quatro anos também poderão interagir com o “Coelhos Construtores“. Elas terão que ajudar os animais a levar alimentos para a cidade, construindo estradas e pontes. A ideia é estimular a descoberta e identificação de cores e formas.

Já para os alunos acima dos seis anos a indicação é o “Box-in“, game que ajuda os jogadores a testar e ampliar o vocabulário de inglês arrastando e guardando diferentes objetos em suas caixas. O game possui cerca de 100 palavras divididas em oito temas, de modo que os jogadores terão melhora nos níveis da pronúncia e escrita, além de desenvolver o raciocínio.

plamoveA área de ciências também ganhou um reforço com o “Guardiões da Natureza – Mamíferos“, em que crianças a partir dos oito anos precisarão usar cartas para duelar na arena dos guardiões. Os duelos ocorrem através de atributos fisiológicos, físicos, ambientais e alimentares de mamíferos da fauna brasileira. Com isso, elas aprenderão características importantes de vários animais nativos do Brasil. A última novidade contempla a educação financeira e é indicada para crianças a partir dos nove anos.

“É uma área que ainda não faz parte da educação tradicional das escolas,mas que é fundamental para o desenvolvimento dos alunos. No “Edu no Planeta das Galinhas“, eles terão que administrar a produção de ovos e negociar de maneira inteligente os recursos”, conclui o especialista da Playmove.

Confira abaixo um vídeo que a Playmove fez para explicar a PlayTable:

Ministério da Saúde entra no universo dos games em nova Campanha de Vacinação

Ciente da força dos videogames entre os jovens, o Ministério da Saúde entrou de cabeça no universo dos jogos eletrônicos para a nova campanha de vacinação contra a Meningite C e o HPV. A intenção é atingir o maior número possível de jovens entre 9 e 14 anos. Com o conceito “É nessa fase que você fica mais forte”, a campanha estreia com o filme em uma linguagem que mistura o mundo real com o mundo dos games, em 8 Bits e 3D, para contar a história da aventura de dois jovens que fogem dos vírus para encontrar uma unidade de saúde e se vacinarem.

MS_Cartaz_460x640mm.inddA locução é do embaixador da campanha, o famoso Youtuber dos games, Zangado. Adolescentes poderão assumir o controle da aventura ao baixar o jogo para mobile, Detona Vírus, onde enfrentarão vilões dentro do corpo humano, recebendo a cada nova fase, conteúdos importantes sobre a saúde e a importância de tomarem as vacinas. A expectativa é que muitos jovens se conscientizem e tomem a vacina durante a campanha.

Algumas pessoas e organizações se mostraram contra a nova campanha do Ministério da Saúde, utilizando argumentos de que é um desperdício de dinheiro e que o foco deveria ser a prevenção. Entretanto, o governo e o Ministério entendem que é importantíssimo alertar os jovens sobre a importância de tomar a dose da vacina. Não é a primeira vez que governos utilizam as novas mídias para se comunicar com os mais jovens (vide a campanha de prevenção ao HIV) e é extremamente importante que as autoridades se voltem para as novas mídias.

Como o principal ponto de contato entre os jovens e o Ministério da Saúde serão as plataformas digitais, haverá uma Websérie com 4 episódios na linguagem Minecraft no canal do Youtuber Fê Batista e uma ativação com os principais atletas de E-sport do país, competindo entre si no Detona Vírus. Você pode encontrar mais informações sobre a campanha no site do Ministério da Saúde.

Abaixo você confere o vídeo da campanha do Ministério da Saúde:

Sistema Matific para o ensino da matemática será usado no Programa Escolas Plugadas da Fundação Lemann

O sistema de jogos educativos da startup Matific, empresa israelense especializada em gamificação para o estudo da matemática desde a educação infantil até o sexto ano, foi selecionado pela Fundação Lemann para integrar o programa Escolas Plugadas em 2017, com o objetivo de conectar educadores da rede pública de ensino a empreendedores do setor de tecnologias educacionais.

sc552x414-1A proposta do programa Escolas Plugadas é facilitar a identificação, a implementação e o desenvolvimento de novas tecnologias educacionais de alta qualidade para as escolas públicas brasileiras. A ideia é que os professores avaliem e utilizem as tecnologias em suas aulas já durante o primeiro semestre letivo de 2017. Nesta edição, outras cinco startups de educação também participarão e o programa, no total, impactará mais de 30 escolas públicas.

A plataforma israelense Matific é utilizada atualmente por mais de 100 mil alunos da rede pública e privada de ensino. No Brasil, uma parceria entre a Diretoria de Ensino Centro Oeste (em São Paulo), a ONG Parceiros da Educação e a Matific viabilizou a implantação do sistema de gamificação para o ensino da matemática em 105 escolas estaduais paulistas. A plataforma é utilizada atualmente por cerca de 100 mil alunos, com mais de 320 mil jogos realizados, além de estar presente na grade curricular dos principais colégios particulares da capital paulista.

Sistema Matific apresenta melhoras no ensino da matemática

Uma das escolas que apresentam melhorias significativas no ensino da matemática é a EE Padre Pasquale Filippelli, localizada em Diadema, que utiliza a plataforma há 2 anos e conquistou um resultado 25% acima da meta do Estado no IDEB 2015. De acordo Dennis Szyller, Gerente Nacional da Matific, a tecnologia educacional pode contribuir para a obtenção de melhores resultados e em menos tempo.

unnamed-9“A plataforma emite em tempo real relatórios de desempenho de cada aluno, dando ao professor uma poderosa ferramenta de avaliação. Assim, o educador pode adaptar os próximos jogos às dificuldades de aprendizagem de cada um”, comenta Szyller.

A psicopedagoga da Matific, Ana Paula Carmagnani destaca que, nos jogos educativos da empresa, as crianças aprendem os conceitos matemáticos por meio de situações do dia a dia, manipulando objetos familiares, como contagem de animais, classificação de potes de biscoito, cortando e colando figuras geométricas e assim por diante.

“Essas interações guiadas são projetadas cuidadosamente para facilitar a exploração prática e a autodescoberta de conceitos e percepções matemáticos, dentro de um ambiente de aprendizagem favorável e divertido”, comenta Ana Paula.

Se você ficou interessado no Matific, não deixe de baixar o aplicativo para Android e iOS. Mais informações no site do programa.

Conheça Ponami, o game inspirado na cultura indígena da Jogos Aurora

E é com inspiração na cultura indígena que o pessoal do estúdio Jogos Aurora criou o game Ponami, um RPG que conta a história de uma jovem arqueira que deve proteger seu povo das investidas violentas das criaturas místicas chamadas Talástreas. O game será lançado no próximo dia 20 de março para Android e a expectativa é que sua trama envolvente e o uso do folclore e costumes indígenas desperte o interesse do público.

De acordo com os desenvolvedores, Ponami é inspirado nos jogos de plataforma da década de 90 e nas mecânicas dos RPGs clássicos. A Jogos Aurora fez uma pesquisa ampla sobre culturas e costumes indígenas. O resultado foi uma aventura épica baseada nos mitos da cultura indígena das Cordilheiras. Ponami é uma guerreira que cresceu no povoado da Cordilheira de Sajor, uma civilização próspera.

unnamedDiferente da maioria dos jogos para celular, em Ponami o jogador irá encontrar um roteiro original e complexo, além de um conceito artístico criado para impressionar e cativar o público.

“Nós estudamos muito a cultura inca, seus mitos e expressões artísticas para produzir o jogo e deixa-lo o mais fiel possível”, explica Marina Torrecilha, artista do jogo. “Tudo o que o jogador encontrará em Ponami está alí por uma razão e tem papel importante na construção da narrativa ou na imersão”, completou.

Sobre o desenvolvimento de Ponami

O objetivo por trás do desenvolvimento de Ponami era criar um jogo com uma história completa, bem elaborada, com personagens cativantes e uma trilha sonora imersiva. De acordo com Pedro Schabib, programador e level design de Ponami, a América Latina é a região mais rica em mitologia e folclores e por isso foram a grande inspiração para o game.

16712055_1143024415823923_9126595889685626899_n

O jogo será lançado no dia 20 de março e estará disponível gratuitamente na PlayStore. Ainda serão lançados mais cinco mundos em formato de DLC gratuita que expandirão o universo de Ponami para outras culturas e civilizações. Você pode obter mais informações sobre Ponami, na página da Jogos Aurora no Facebook.

Pesquisa da Kantar revela maior interesse das mulheres na tecnologia

Neste dia Internacional das Mulheres, a Kantar Brasil Insights realizou uma pesquisa que aponta maior participação do público feminino em todos os ramos da tecnologia, como games, serviços de straming e smartphones. O tema da disparidade de gênero tem feito parte de reuniões de negócios, estratégias de contratação, posicionamentos de marca e até debates em grandes eventos, como foi o caso recente da Mobile World Congress, que através da programação Women4Tech levantou debates que provocavam sobre a necessidade de mais inclusão feminina na indústria de tecnologia móvel.

Na semana do dia internacional da mulher, é interessante ver que aos poucos o mercado também vai refletindo essas mudanças, especialmente dentro do setor de tecnologia. Dados da Kantar mostram que no Brasil as mulheres têm se interessado mais por vídeo games nos últimos 3 anos, segundo dados do estudo Connected Life.

Clique na imagem para ampliar
Clique na imagem para ampliar

Em 2015, 30% das mulheres no Brasil que possuem acesso à internet tinham um console de games, enquanto 9% declaravam ter intenções de comprar um vídeo game no futuro. Dois anos mais tarde, 40% das brasileiras possuem um vídeo game em casa, enquanto 15% pretendem comprar um.

“O aumento do interesse das mulheres por games e tecnologia, em geral, está muito associado ao incentivo”, explica Aline Pereira, jornalista e editora do coletivo MinasNerds. Para ela, esses setores sempre foram dominados por homens e as mulheres nunca foram encorajadas a descobri-los. “Os coletivos, como o MinasNerds, ajudam a mostrar que elas não estão sozinhas, que existem milhares de outras garotas que enfrentam as mesmas dificuldades, mas que apoiamos umas às outras”, defende ela.

Além disso, grupos e comunidades de games e de tecnologia com foco no público feminino incentivam o diálogo, a troca de ideias e experiências e o empoderamento. A própria indústria de tecnologia e games acaba precisando rever seus posicionamentos.

“A boa notícia é que ao longo dos últimos anos as mulheres têm ficado menos tolerantes [ao sexismo] e mais conscientes em relação à estereótipos que inferiorizam as mulheres, o que faz com que a indústria gradualmente passe a investir em histórias e personagens que fogem de preconceitos de gênero”, conclui Pereira.

unnamed-2

O mesmo tipo de mudança também pode ser percebido com a tecnologia móvel, como smartphones e tablets. Hoje, 91% das mulheres do Brasil possuem um smartphone e 49% pretendem comprar (ou atualizar os seus) smartphones. Tablets também estão nas mãos de 48% das brasileiras, um bom crescimento se comparado aos 27% de 2015.

Clique na imagem para ampliar
Clique na imagem para ampliar

Ao comparar mulheres dos principais mercados globais, como EUA, Reino Unido, França, China, Espanha, Malásia e Cingapura, as brasileiras estão entre as que mais se interessam em comprar equipamentos tecnológicos como tablets, console de games, smartphones, smartwatches, dispositivos de realidade virtual e serviços de streaming online, um comportamento bem similar ao de outros mercados em desenvolvimento, como China e Malásia. Entre estes países, o Brasil aparece entre os top 3 onde as mulheres mais possuem smartwatches e serviços de streaming online.

unnamed-5

Em termos de consumo de mídias digitais, mulheres e homens no Brasil tem comportamentos muito parecidos. Não existem diferenças significantes entre os gêneros em termos de acesso a redes sociais ou ao tempo gasto em sites/aplicativos como Twitter, Facebook e Linked In, ou até mesmo em sites de entretenimento, como Netflix ou Spotify, segundo dados do Target Group Index da Kantar IBOPE Media. Além disso, 41% das brasileiras declaram se manter em dia com os avanços tecnológicos e 59% dizem fazer a maior quantidade possível de buscas antes de comprar um equipamento eletrônicos.

No entanto, ainda se percebe uma disparidade de comportamento entre os gêneros no Brasil no modo como as mulheres acompanham as novidades de tecnologia ou no comportamento de compra de aparelhos tecnológicos. Elas ainda estão menos propensas a visitar sites de tecnologia (23% das mulheres versus 28% dos homens) e também estão menos propensas a pedir conselho aos amigos na hora de comprar um equipamento eletrônico (23% das mulheres versus 30% dos homens).