Arquivo da categoria: Mac

Conheça o jogo de boxe brasileiro Cruz Brothers

Já ouviu falar do Cruz Brothers Game? Se você esteve na área indie da BGs 2016 as chances são altas de que tenha visto ou ouvido falar no título da produtora Donut Coffeeshop, mas se não esteve no evento, vamos falar um pouco deste título que possui uma proposta bem bacana. Basicamente é um simulador de boxe baseado em uma história real.

O estúdio Donut Coffeeshop juntou-se à Escola de Boxe Marcus Luz para criar uma web serie de boxe durante uma viagem a Cuba. O projeto deu tão certo que os responsáveis decidiram criar um jogo eletrônico, porém ao invés de simplesmente fazer um game de luta eles decidiram criar um simulador, mostrando como treinar o esporte. Além disso, questões extra-ringue podem interferir na performance dos atletas.

marc_luz-768x512A ideia parece ter sido criar uma homenagem ao mundo do boxe profissional. Os protagonistas são os irmãos Felipe Cruz e Igro Cruz, que são lutadores de boxe. Não por acaso, o modo campanha mostra a trajetória dos atletas para se tornarem campeões mundiais. O macete é que durante a aventura o jogador evolui os personagens  para encarar os desafios de maneira mais eficiente.

Esses pontos personalizáveis são atributos como dureza, força, confiança, agilidade etc. Além disso, alguns itens alterarm a performance do atleta como luvas e tênis melhores. Na fase de treinamento pré-desafio você vai para o centro de treinamento para treinar os golpes e movimentos básicos. Não basta sair esmagando os botões, mas sim esperar o melhor momento para atacar e se defender, tal como em um combate real.

A câmera se posiciona em lateral (side scrolling), lembrando muito jogos da era árcade dos games de luta como Tekken e Virtua Fighter. Porém, a mecânica é mais fiel a um combate real, ou seja, quando você tenta atacar automaticamente está abrindo mão da defesa. Mas não se preocupe: é possível tirar a defesa adversária atingindo áreas mais vulneráveis como o abdômen ou esperar o contragolpe fatal.

Mas fica o aviso: o Cruz Brothers não é totalmente uma simulação. Na verdade ele está num meio termo com o estilo árcade. Os lutadores não se cansam, por exemplo, evitando-se que os combates sejam desacelerados. Existem cinco modos de jogo, incluindo o divertido multiplayer local para até quatro participantes. Há uma versão para testes para PC e MAC. A expectativa é que o título desperte o interesse de jogadores pelo esporte de lutas marciais e pelo trabalho realizado pela Escola de Marcus Luz.

Abaixo você pode conferir um trailer de Cruz Brothers Game:

Conheça o shoot ‘em up Racketboy do estúdio Double Dash

Hoje vamos falar sobre o jogo Racketboy da produtora carioca Double Dash Studios. O game é uma mistura de shoot ‘em up (shmup) e block breaker que está dando o que falar nas redes sociais. O game venceu uma competição internacional promovida pelos canais do Pewdiepie, Markiplier e o Jacksepticeye. Desde então o game conquistou bastante destaque entre os jogadores.

Racketboy está em uma campanha de levantamento de fundos no Indiegogo. O título conta a história de uma garota que está em uma missão para salvar a galáxia da invasão de criaturas destrutivas (mas bem engraçadinhas). Tal como nos jogos de “navinha”, para ter sucesso nas missões é necessário desviar de chuvas de balas e ter reflexos rápidos. O contra-ataque é feito com a raquete que o garota segura, pois ela serve para rebater os ataques inimigos.

Um dos pontos altos do game é o alto grau de desafio: quem jogou pôde comprovar que a dificuldade aumenta progressivamente. No princípio o jogador está ocupado em somente rebater e desviar dos tiros, porém ao final as coisas tornam-se desafios à coordenação motora do jogador. Fácil de jogar, difícil de dominar.

O game tem visual bastante colorido e remete às gerações 8-16 bits. Até mesmo a trilha sonora é bem retrô, de modo que o jogo lembra clássicos como Parodius e Keio Flying Squadron. O pacote de jogos oferece seis mundos diferentes com quinze batalhas contra chefões e cerca de trinta inimigos diferentes. Para auxiliar nos combates, existem os famigerados power ups.

Racketboy está em desenvolvimento para as plataformas PC, Mac e Linux. Para sair do papel ele precisa da contribuição dos jogadores através do site de crowdfunding Indiegogo. Entretanto já é possível jogar a demo do jogo.

Abaixo está o trailer de Racketboy:

Mono Studios lança primeira demo de InSomnia

A divulgação de hoje vai para o jogo InSomnia da produtora Studio Mono, uma developer russa formada por profissionais de diferentes nacionalidades como Malásia, EUA, Japão, Holanda, entre outros. O jogo está no Kickstarter e já conseguiu metade do orçamento necessário e tudo indica que conseguirá o dinheiro necessário para viabilizar o projeto. Para comemorar o feito, a produtora disponibilizou a primeiro demo jogável.

“A equipe e eu estamos impressionados com o nível de expectativa demonstrado pelos jogadores para o nosso jogo. É realmente emocionante conseguir 50% de financiamento em dez dias”, disse Anatoliy Necrasov – desenvolvedor líder no Studio MONO. “Para comemorar esta marca e para mostrar a nossa gratidão, nós decidimos lançar a primeira demo jogável como um grande obrigado a todos os nossos apoiadores!”, finalizou o produtor.

InSomnia é um RPG de ação tática que coloca o jogador em um futuro distópico no meio de uma estação espacial. Neste futuro, vivenciamos a saga da humanidade em busca de um novo planeta para chamar de lar. Na trama, sobreviventes chamados Noman embarcam na nave Ark a fim de escapar da sangrenta batalha entre a República Noma e o Regime SORG. O problema é que não há local seguro no futuro.

O game será um sandbox grandioso: a produtora promete entre 15 a 20 horas de jogo quando estiver pronto. Mas isso não é tudo: haverá atualizações constantes e lançamento de DLCs. Pelo menos são esperados 20 DLCs gratuitos após o lançamento do jogo, sendo que cada um deve conter entre 3 a 6 horas de jogo.

A produtora esforçou-se por criar um jogo escuro, com uma trama envolvente e mecânica de jogo simples, mas divertida. Os ambientes fazem uso inteligente de efeitos de luz e sombra que ajudam a tornar o game mais sombrio, além disso, a perspectiva isométrica ajuda a dar uma identidade ao título. Além do modo singleplayer, haverá a possibilidade de jogar em co-op com os amigos.

Apesar de ser um chamado RPG pelos produtores, o game quebra o paradigma de sistemas de aumento de níveis, classes de personagens, etc. Além disso, o jogo apresenta suas missões sem linearidade e com múltiplas possibilidades de soluções. Porém nem tudo dos RPGs foi abandonado: além da clássica perspectiva isométrica, o jogo também permite customização de personagens. A Mono Studios tem um projeto ambicioso nas mãos e por isso a campanha no Kikcstarter está sendo bem sucedida. Esperamos que o jogo consiga entregar a experiência prometida. O lançamento é previsto para 2015 nas plataformas PC, Mac e Linux com suporte aos idiomas francês, alemão, inglês, polonês e russo.

Abaixo tem um vídeo conceito de customização de personagens do projeto InSomnia:

HTR+ chega ao Steam no dia 29 de maio

Quem nunca brincou com autorama? Pois bem, a QUByte Game Studio inspirou-se no clássico brinquedo para seu game High Tech Racing Plus (ou simplesmente HTR+). O game é o sucessor do bem sucedido HTR que saiu para plataformas móveis e conquistou a marca de 8 milhões de downloads.

Na nova versão, o time de criação deu upgrade gráfico, incluiu novas pistas e tornou o gameplay mais balanceado. A ideia foi tornar o jogo mais divertido e simples, com controles intuitivos e trazer de volta a diversão dos autoramas que marcaram os anos 80 e 90.

O game oferece três níveis de dificuldade e 20 circuitos que desafiam o jogador em manobras diferenciadas como loops, saltos, estradas e curvas em alta velocidade. Além das pistas já inclusas, o jogo oferece um modo de edição de circuitos, deste modo o jogador pode criar suas pistas e compartilhar com outros jogadores. A interação com os amigos também é feita através de um sistema de ranking online.

A produtora também informa que o game conta com físicas realistas, deste modo ele se aproxima de um simulador ao invés da experiência mais voltada ao arcade. Por fim, mas não menos importante, HTR+ permite a customização de veículos em muitos detalhes: de acordo com a produtora, há mais de 240 possibilidades de configurações dos veículos.

O jogo está disponível para Windows e Mac e pode ser acessado através do Steam a partir de 29 de maio. Mais informações podem ser obtidas através do site da Libredia, distribuidora do jogo.

Abaixo está o trailer de HTR+:

Papo & Yo chega ao Linux e Mac

Papo & Yo

Um de nossos jogos indie favoritos é Papo & Yo da produtora Canadense Minority desde que ele surgiu no BIG em 2012. O título apenas nas plataformas Playstation e PC, porém o game acaba de ganhar novas casas para a alegria de quem ainda não teve oportunidade de jogá-lo:  a produtora levou o game para as plataformas Linux e Mac OS X.

O game é parte do pacote Humble Indie Bundle X, que inclui outros 6 games indies com um valor inicial de US$ 0,01 (um sistema de “pague quanto quiser”). Além de Papo & Yo, o pacote inclui destaques como To the Moon, Reus, Surgeon Simulator 2013, entre outros. Esta é uma ótima oportunidade de conhecer um dos games mais profundos já criados.

Nosso time trabalhou duro para trazer Papo & Yo para mais plataformas. Eu sempre sonhei em criar uma aventura mágica que tocasse jogadores no mundo inteiro, e agora e exatamente isso que estamos fazendo!” disse Vander Caballero, diretor criativo da Minority. “Colaborar com o time da Humble esta sendo maravilhoso porque sentimos que eles compartilham a nossa filosofia indie. Vamos adorar repetir isso no futuro com outros jogos.”

Para quem não conhece, Papo & Yo conta a história de Quico, um garoto pobre, e seu amigo desengonçado chamado Monstro, cuja maior ameaça não são seus dentes afiados, mas seu vício em sapos venenosos. Após devorar um, o Monstro tem um violento acesso de raiva, do qual nem mesmo Quico está a salvo. O jogador deve explorar os cenários tentando salvar seu companheiro do maior perigo de todos: ele mesmo.

O game chegou à PlayStation Network em 2012, e para PC em 2013. Com o lançamento para Mac e Linux em 2014, só nos resta aguardar para ver se enfim os utilizadores do Xbox Live também serão agraciados com o game.

Enquanto isso não acontece confira o trailer abaixo:

Mr. Bree + no Steam Greenlight

Mr. Bree +

A produtora brasileira Taw Studio ficou conhecida pelos seus jogos Mr. Bree Returning Home e Jelly Escape. Agora ela está prestes a lançar uma versão melhorada do Mr. Bree para PC e Mac. E sabe qual é a melhor parte? Você pode ajudar a fazer isso acontecer!

Mr. Bree é um jogo de plataforma onde você ajuda um porco que perdeu sua memória a voltar para casa. E essa versão Plus terá mais fases, lutas com chefes, diferentes modos de jogo entre outras atualizações.

Para ajudar Mr. Bree + a ser lançado, basta votar nele no Steam Greenlight. O Greenlight é o sistema da Valve onde a própria comunidade decide através de votação os próximos jogos que ficarão disponíveis no Steam.

Assista o trailer oficial de lançamento do Mr. Bree + abaixo e siga as instruções aqui para ajudar esse ótimo jogo brasileiro a fazer parte do Steam.

O pessoal da Taw Studio participou de duas palestras na última edição da Campus Party. Na primeira delas, chamada “Onde nascem os jogos?” eles compartilham seu processo criativo e de produção de um jogo. Na segunda, em um formato de mesa redonda, chamada de Top 5 Indie Team a Taw Studio dividiu o palco com o pessoal da Joy Masher e da Vortex Game Studios em um debate sobre desenvolvimento independente.

Arkaneiro Demon Hunters, o novo game de American MacGee

Akaneiro Demon Hunters

O célebre produtor American McGee, famoso por títulos como Doom, Quake e o recente Alice, acabou de lançar seu mais novo jogo para Mac e PC. Batizado de Akaneiro Demon Hunters, o título retrata o período Edo no Japão, época em que bravos guerreiros enfrentavam demônios conforme o folclore japonês.

O game foi desenvolvido pelo estúdio Spicy Horse Games de Xangai, China, do próprio McGee e que esteve por trás de Alice: Madness Returns.  Assim como fez com o conto de Alice, McGee utilizou uma obra bastante conhecida como base de seu game, desta vez o jogador encontra uma versão do conto da Chapeuzinho Vermelho mesclado ao folclore nipônico e seus mitos.

Basicamente o jogador irá caçar criaturas lendárias do Japão em um mundo vasto (cerca de 20 mapas). Você irá acompanhar a saga da Order of Arkane, uma organização conhecida como caçadores vermelhos que dedicam suas vidas a combater os temíveis Yokais (monstros, fantasmas e demônios). No mundo dos jogos, eles agem como os famosos Templários do ocidente.

O estilo de jogo é RPG de ação com um estilo visual bastante vivo e vibrante. Além das versões para PC e Mac, a produtora havia disponibilizado uma campanha no Kickstater para financiar versões para Linux e celulares. A meta de 200 mil foi alcançada com sucesso, então é só aguardar informações sobre essas versões.

Voltando a falar da versão de PCs, o game já está disponível e o download é gratuito, porém com algumas restrições. Se o jogador preferir desbloquear todos os mapas e conteúdos, terá a opção de fazê-lo desembolsando US$ 20 dólares. Além disso, há uma moeda dentro do jogo chamada Karma que possibilita habilitar os conteúdos aos poucos.

Para jogar Akaneiro, os jogadores devem visitar a página oficial, registrarem-se e fazer o download gratuito.

Abaixo, vocês conferem o vídeo de Akaneiro Demon Hunters:

Universe Project: o projeto de game mais ambicioso da história

universe project

Sabe aquelas ideias loucas e futuristas de viver na Matrix? Aquela ideia que já deve ter passado por todo gamer de criar um avatar e fazer o que quiser com ele num mundo virtual? Ter um game que pudesse ser jogado como um game de luta, ou um RPG, ou um gerenciador de construções ao mesmo tempo? Está na hora de conhecer o Universe Project.

Se você joga videogames certamente já pensou que seria o máximo ter um jogo que o deixasse fazer o que quisesse, certo? Candidatos ao posto de “vida alternativa” não faltaram ao longo dos anos, vide The Sims e Second Life que, diga-se de passagem, fizeram muito barulho por aí.

Mas o fato é que um game que permitisse liberdade irrestrita ao jogador parecia muito longe de ser criado, até agora. Um grupo de desenvolvedores decidiu colocar em prática a ideia de criar um universo virtual. Para eles, um game assim só surgiria em mil anos, porém pode ser feito hoje se tiver pessoas dedicadas e recursos necessários.

Conheça o Universe Project

Apelidado de Universe Project, o game promete se tornar uma verdadeira realidade virtual alternativa para todos os jogadores e poderá ser jogado em qualquer plataforma, seja ela PC, consoles, tablets ou smartphones.  Além disso, cada personagem do game será controlado por uma pessoa real, ou seja, nada de NPCs (personagem não jogável).

O game será um gigantesco MMO com um mundo do tamanho do planeta Terra. Os jogadores podem construir suas próprias cidades, plantar coisas, roubar outros jogadores, criar exércitos, enfim, viver uma vida alternativa dentro do jogo, sem que haja leis ou impedimentos para fazer o que sempre quis.

O problema é que um game desse tamanho ainda não existe, e sequer está no forno. A obra demanda recursos financeiros que esses desenvolvedores ainda não têm. Por isso eles planejam lançar uma campanha de crowdfunding para arrecadar a grana necessária para iniciar o processo de desenvolvimento. A meta planejada ainda não foi informada. Os investidores interessados devem mandar seus e-mails no site  da (pré) campanha . De acordo com o site, os futuros doadores na campanha serão contemplados com desconto na hora de comprar o produto final.

Se o projeto vingar e for bem executado, tem tudo para se tornar uma boa razão para abandonar sua vida social. Porém, até que a verba seja garantida, vamos esperar para ver no que vai dar. Abaixo você confere o vídeo da campanha que explica melhor como o game funciona e o plano traçado pelos desenvolvedores:

Angry Birds Star Wars: o melhor game da série

angry birds star wars

Antes de qualquer coisa, responda mentalmente a seguinte pergunta: como um jogo com o universo de Star Wars e a jogabilidade de Angry Birds pode ser considerado ruim? Exatamente, Angry Birds Star Wars tem tudo para ser o melhor jogo da série!

Recentemente a Rovio disponibilizou o game para diferentes plataformas mobiles. Ele conta com versões para Android (versão full e grátis), PC (US$ 5), iPhone (US$ 1), iPad (US$ 3), Mac (US$ 5) e Kindle Fire (US$ 3).

Durante o jogo você reconhecerá cenários dos filmes de Star Wars nos episódios IV, V e VI da série. O interessante foi que os desenvolvedores adaptaram os planetas de Star Wars como sendo os cenários do jogo.

Jogando Angry Birds Star Wars

angry birds star wars

Como não podia ser diferente, o novo Angry Birds já mostra de cara uma das frases mais clássicas do cinema: “A long time ago in a galaxy far, far away…”

O primeiro planeta a ser explorado será é Tatooine. Nele os pássaros começarão o treinamento jedi, podendo utilizar sabres de luz e a força. Aos poucos novos itens são liberados na medida em que for passando as fases. Aqui você também conhecerá o pássaro Han Solo.

O próximo cenário é a temida Death Star, com direito a um novo layout como orelhas, orelhas e focinho de porco. Você também poderá trilhar o Path of the Jedi assim que desbloqueado, podendo passar os mesmos pântanos de Dagobah em que o Mestre Yoda se encontra no quinto filme.

Assista aos teasers de lançamento do game e tire suas próprias conclusões.

Angry Birds Star Wars: teaser e gameplay

Se você gosta dos outros jogos da série Angry Birds, você tem muitos motivos para também baixar esse novo game. Boa sorte durante a aventura e que a força esteja com você!

Muitos sustos com o game Slender The Eight Pages

Slender The Eight Pages

Já ouviu falar em Slender The Eight Pages? Prepara-se! Apague as luzes e coloque os fones de ouvido com o volume e prepare-se para muitos sustos com  Slender The Eight Pages, nossa dica de game de hoje! O game não é nenhuma novidade e já é bem conhecido dos jogadores, porém vale uma menção aqui no GameReporter.

Desenvolvido pela produtora indie Parsec Productions, o game é de terror psicológico em primeira pessoa. Foi criado a partir da Unity Engine e roda em Windows e no Mac OS X. O game é tecnicamente bem simples, porém assustador. Muita gente o compara a Amnesia: The Dark Descent da produtora Frictional Games.

Slender The Eight Pages baseia-se numa lenda urbana chamada “Slender Man” uma figura que dizem raptar crianças em locais próximos a playgrounds e florestas, basicamente é o que muitos chamariam de “um conto para assustar crianças levadas”.

O jogo começa numa floresta à noite e o jogador só tem em seu poder uma fraca lanterna e sua própria coragem. O objetivo é encontrar oito bilhetes de uma vítima espalhados pelo cenário. A ambientação do jogo somada aos bilhetes e ao som inspirado do time de desenvolvimento tornam o game perturbador.

Como se não bastasse, por vezes o próprio Slender aparece em locais aleatórios e quando isso acontece a câmera fica distorcida, acompanhada do som, garantindo bons sustos. Quando o Slender aparece o jogador só pode correr já que não há armas a serem coletadas pelo cenário. Se o jogador ficar olhando para a figura macabra do Slender é game over. Com certeza você vai levar um susto ou outro se jogar em condições preparadas.

Slender The Eight Pages para download

A boa notícia é que o próprio site do game possui links para download gratuito. Além disso, uma sequência chamada Slender: The Arrival foi anunciada em setembro deste ano, e será lançada pela Parsec em parceria da Blue Isle Studios. De acordo com os produtores, a sequência contará com visuais mais bonitos, novos cenários e um enredo mais aprofundado, porém, mantendo a fórmula de sucesso do original.

Enquanto essa sequência não chega, a gente pode continuar levando sustos com o original. Confira o trailer de Slender The Eight Pages abaixo: