Arquivo da categoria: Indie

Damned: jogo de terror é lançado na Steam

citamos o jogo Damned da desenvolvedora indie brasileira 9heads anteriormente, na ocasião o jogo estava em fase de crowdfunding. Desta vez voltamos a falar do título devido ao sucesso do projeto em ser lançado. O game acaba de ser lançado na Steam e pode ser adquirido por R$ 36,99 no pacote básico.

Para quem não se recorda, o jogo é produto do estúdio Catarinense 9heads. O título é um survival horror típico, com a diferença de que ele foi construído como um multiplayer online, ou seja, os jogadores se unem em uma mansão mal assombrada tentando escapar de criaturas medonhas e fantasmas. Para fugir é necessário coletar chaves e diferentes itens.

Outro truinfo do game Damned é permitir que um jogador assuma o papel do monstro que está em perseguição aos sobreviventes. Damned tem um clima soturno e bastante doentio, lembrando até mesmo o conhecido Amnesia. Os cenários são mal iluminados e os jogadores que controlam os sobreviventes não tem outra saída que não escapar. Lutar é inútil.

O jogador que controla o monstro é invencível, tornando a tarefa dos sobreviventes mais penosa e assustadora. A 9heads adicionou elementos aleatórios no jogo, ou seja, itens aparecem (ou não) em determinadas salas, e os objetivos variam de partida para partida.

O game está disponível na Steam e promete muitas horas de horror em uma gameplay cooperativo diferente de qualquer game já produzido de horror.

Abaixo temos o trailer do game Damned:

Mr. Avalanche: primeiro game do estúdio Tilt Machine

A recomendação de hoje é o game indie Mr. Avalanche, o primeiro título do estúdio carioca Tilt Machine Studio. No título, o jogador encara uma corrida no papel de uma bolinha de neve muito gulosa que deslize por três pistas horizontais desviando de obstáculos e coletando cubos de gelo.

Na pele do Mr. Avalanche, o jogador está em universo congelado e deve completar variadas missões enquanto coleta cubos de gelo e come esquiadores desavisados. Basicamente deve-se sobreviver a saltos em penhascos, desviar de obstáculos como árvores e outros itens no cenário. O mascote consegue crescer até 4 tamanhos diferentes, de modo que ele possa continuar rolando pelas ladeiras e garantir o lugar no topo da montanha congelada do ranking.

O game é indicado pelo público casual e está disponível para sistemas iOS (e em breve para Android). Um dos destaques do jogo é o visual bastante colorido e divertido. A jogabilidade é simples, mas bastante desafiadora. Mr. Avalanche é integrado com o Facebook e com o Game Center, assim o jogador pode desafiar seus amigos e disputar recordes.

O jogador pode trocar os cubos de gelo coletados por Frozen Ups na Loja de Sorvetes. Esses Frozen Ups servem para facilitar a vida do jogador como o Açaí Maromba que torna o personagem invencível, além de outros itens. Por fim, o estúdio aposta que o game tem tudo para agradar todos os tipos de jogadores graças a sua estética e jogabilidade divertida.

Abaixo tem o trailer do game Mr. Avalanche:

Zombie Zoid Zenith: game brasileiro coloca garoto no meio de um apocalipse zumbi

Zombie Zoid Zenith (Z³) é mais um game brasileiro que merece destaque e atenção dos jogadores. O game é do gênero ação em terceira pessoa e coloca o jogador no papel de um garoto chamado Arthur, que se vê no meio de um apocalipse zumbi e acaba em uma epopeia para cruzar a cidade em busca de sua namorada.

O título é fruto da parceria das empresas AdHoc e Cisterlabs de Francisco Beltrão (interior do Paraná). O grande diferencial são os ambientes que apostam na complexidade do mundo 3D e na ação desenfreada vivida por Arthur. Vale destacar que os ambientes são inspirados em cenários da atualidade. Os zumbis atacam em bandos e o pobre Arthur deve derrotá-los com um bastão de baseball e outros itens espalhados pelo cenário.

O nível de dificuldade é elevado e os jogadores mais novos encontrarão dificuldades. Felizmente, há itens que podem ser comprados no jogos que facilitam a vida do personagem. A trilha sonora é outro ponto forte e tem tudo para cativar os jogadores. Já os gráficos são simples, porém abusam do humor.

O humor, aliás, é o que não falta em Zombiezoid: o game está cheio de diálogos e acontecimentos cômicos, além de easter eggs espalhados pelos ambientes. Há citações de jogos famosos e de filmes de sucesso que os jogadores certamente irão reconhecer durante a jogatina.

Zombiezoid tem lançamento oficial esperado para 2015 e os produtores planejaram o título para as plataformas PC, Playstation 3 e Xbox 360. Mas não se preocupe, já existe uma versão demo para testes disponível no site do game. Além disso, o grande público poderá conhecer o game durante a Brasil Game Show 2014, que ocorre em outubro.  Vale prestigiar os games nacionais.

Abaixo tem o trailer do game Zombie Zoid Zenith:

MaoGames lança seu primeiro game: Orange Blocks

O destaque de hoje é o game indie Orange Blocks, desenvolvido inteiramente pelo desenvolvedor Gleyton Lima de Manaus. O desenvolvedor montou um estúdio chamado MaoGames e este é o primeiro jogo da desenvolvedora. O título foi desenvolvido na Unity 3D e é um puzzle casual e lembra um pouco Crazy Construction do 3DS. Basicamente o jogador deve empilhar quantos blocos laranja for capaz para aumentar a pontuação.

A jogabilidade é simples, porém desafiante: basta tocar na tela para fazer a sequência de blocos que passa na tela descer, feito isso eles vão se equilibrando uns nos outros. A intenção é ter bons reflexos e ser preciso para empilhar os blocos, pois quanto mais alto vai ficando a pilha, mais rápido os blocos vão passando, tornando difícil a tarefa de manter pelo menos um bloco empilhado por vez.

De acordo com o desenvolvedor, mesmo na simplicidade existe uma breve história para se empilhar os blocos laranja: a energia deles vem do sol, portanto quanto mais alto eles chegarem mais contentes eles ficam. Ao atingir mais de 25 pontos é desbloqueado um desafio especial contra a figura maldosa do Losango Roxo, que pretende bloquear o sol com um feitiço e criar uma tempestade eterna.

O game é bem casual e busca agarrar os jogadores interessados em partidas rápidas, simples e divertidas. O gameplay pode até mesmo viciar, devido ao fator diversão. Orange Blocks já até foi lançado e está disponível no Google Play.

Abaixo tem o vídeo do jogo Orange Blocks:

Rats Attack: mais um jogo casual para Android

O estúdio indie JYMidia lançou há pouco tempo para Android o game Rats Attack, um título voltado para o público casual que aposta na clássica mecânica de Tetris, ou seja, destruir o máximo possível de elementos que descem na tela. A diferença é que ao invés de blocos, o jogador deve dar cabo de ratos que estão invandindo a casa.

O jogador toma o controle de um gato e deve organizar os ratos por cores para em seguida eliminá-los. A jogabilidade é bem simples, bastando arrastar os roedores pela cauda e pressionando a tela para destruir os ratos. Durante o jogo, surgem ratos diferentes que podem ajudar ou atrapalhar o jogador a derrotar mais rápido.

O game foi desenvolvido pelos amigos Marcos Paulo (programador) e Guilherme Takashi (designer) e conta com 45 fases e um fator desafio que vai aumentando conforme o jogador progride. Além disso, há 135 estrelas desbloqueáveis  e um modo de jogo especial chamado survivor que coloca os jogador em uma disputa para quem ver quem é o melhor exterminador de ratos. O game já está disponível na Google Play.

Abaixo está o trailer do game Rats Attack:

Rivais em Batalha: game coloca os mascotes de Cruzeiro e Atlético para lutar

Nosso destaque do dia é o jogo indie Rivais em Batalha, um título criado pelo desenvolvedor Humberto Milanez. O game é um TPS (Tiro em Terceira Pessoa) que coloca um grupo de galos em confronto contra um grupo de raposas humanóides. Os combates são realizados entre você e outros 15 jogadores em disputas online.

Uma curiosidade: Humberto é estudante na UFMG e foi na rivalidade entre os times mineiros (Atlético e Cruzeiro) que surgiram os personagens centrais do jogo.  O objetivo do game é bem simples, tal qual a jogabilidade: mirar e destruir as forças inimigas. As batalhas são vencidas pelo time que tiver maior pontuação. Lembrando que a cada soldado inimigo derrotado, a pontuação do time vai subindo.

Os jogadores têm à disposição diferentes tipos de armamentos como rifles, pistolas, metralhadoras, entre outros. A intenção é que as batalhas ganhem um ar de estratégia ao invés de apenas mirar e atirar.

O game tem como grande foco as partidas online e na dinâmica de atacar e defender. O game está em fase beta e ainda precisa de alguns ajustes, mas o desenvolvedor espera que a comunidade possa ajudar a melhorar o título.

Abaixo tem o trailer do game Rivais em Batalha:

Games for Change convoca desenvolvedores e estudantes para a 2ª edição da Gelly Jam

Com a organização da Games for Change, do Media Education Lab e grande mobilização de professores engajados em projetos que façam uso de novas tecnologias, a cidade de São Paulo sedia a segunda edição do Gelly Jam, um desafio para que desenvolvedores criem um game em apenas três dias. A ideia é colocar a mão na massa para criar games educativos.

O Gelly Jam já começou para dizer a verdade, foi no dia 30 de agosto, mas ele continua nos dias 13 e 14 de setembro, com a intenção de reunir desenvolvedores interessados em criar projetos de cunho educacional através da gamificação.

“Decidimos ampliar e prolongar a experiência de imersão no uso criativo de games na educomunicação após verificar na prática o impacto das oficinas na prática dos professores envolvidos”, afirma Gilson Schwartz, diretor da G4C no Brasil e curador, ao lado de Alexandre Sayad (MEL), da “Gelly Jam”.

Além da oportunidade de desenvolver um projeto inovador e fazer novos contatos, os participantes da Gelly Jam recebem uma cópia digital do livro (recém-lançado) “Brinco, Logo Aprendo: Educação, Videogames e Moralidades Pós-Modernas” do Prof. Gilson Schwartz, além de licenças dos games “Conflitos Globais”, “Ludwig” e “FazGame” e por fim, a adesão anual à comunidade “Games for Change no Brasil”. Esta adesão concede descontos em atividades da Games for Change até agosto de 2015.

Além da Game Jam, há outras atividades como oficinas e palestras que buscam explicar tendências da gamification na educação, com Alexandre Sayad e Bruna Waitman; e debate sobre a cultura dos games e a educomunicação digital, com Gilson Schwartz, diretor da Games for Change.

Quem tiver interesse em participar dos eventos, basta entrar em contato através de email para contatogellyjam@gmail.com e verificar disponibilidade e custo. Ou ainda entrar no site do evento. O Gelly Jam é uma rara oportunidade de conhecer e interagir com pessoas que querem levar os videogames para as salas de aula sem preconceitos.

2ª Gelly Jam

Insight Games Studios apresenta seus dois primeiros games

Hoje falaremos sobre os dois games criados pela produtora brasileira Insight Games Studios, pois eles têm características que podem deixar qualquer jogador casual bastante interessado. Trata-se dos games Tap Small Fish e Endless Flight. O estúdio surgiu há pouco tempo e é formado pela dupla José Renato e José Rodrigo.

O primeiro é um game que segue a fórmula de sucesso de Flappy Bird, sendo que a jogabilidade é praticamente idêntica ao do jogo que tornou-se hit na App Store. A diferença é que ao invés de um pássaro, os jogadores controlam um peixe que explora as profundidades do oceano, desviando de obstáculos. Tal qual o game inspirador, Tap Small Fish aposta no fator viciante para cativar os jogadores, além de um sistema de ranking social para desafiar os amigos.

Tap Small Fish tem gráficos mais elaborados que Flappy Bird e já que o original não pode mais ser encontrado para download, este aqui candidata-se a substituto imediato. Os jogadores devem desviar do máximo de obstáculos possíveis para alcançar a pontuação mais alta e ficar à frente dos amigos no ranking. O game está disponível para Android e iOS. Abaixo tem o trailer do game:

Já o segundo game é Endless Flight nos pareceu o mais interessante entre os dois. No título o jogador controla um pequeno avião e deve desviar de obstáculos também. A diferença é que nele você deve coletar itens no cenário para continuar o voo. A ideia deste game é de testar os reflexos dos jogadores como em um típico Infinite Run 2D.

O game oferece também um sistema de ranking global e entre amigos. O que torna o game bastante interessante são seus visuais repletos de cores vivas e o design das fases todo elaborado. Além disso, há um toque de estratégia aqui ao forçar o jogador a prestar atenção nos pontos de combustível para continuar a viagem. São necessários bons reflexos mesmo. O game também está disponível para iOS e Android.

Ajude o pobre Louis a sobreviver neste game Endless Runner

No início de agosto foi lançado na App Store e na Google Play outro game indie brasileiro que tem potencial para ser um grande sucesso. Criado pelo estúdio Team Louis, o jogo Louis destaca-se rapidamente de tantos outros jogos que estamos acostumados a ver de outros produtores brasileiros devido a variados aspectos.

O game é do gênero Endless Runner, ou seja, corrida desenfreada pela sobrevivência. Nele, os jogadores tomam o controle de um minúsculo verme de maçã chamado Louis que deve escapar a toda velocidade da mordida de um humano que está prestes a devorar sua casa. A complicação começa ao perceber que a maçã abriga diversos obstáculos como pedras, insetos, serras, pedras etc. Cabe ao jogador desviar desses perigos e levar o pobre verme para a segurança.

O estúdio não poupou esforços para tornar o game diferenciado e bastante trabalhando. Louis possui várias fases e o nível de dificuldade vai aumentando conforme o progresso do jogador. Ao final das fases os jogadores são confrontados por chefões, uma inspiração clara de Megaman e outros jogos de plataforma de ação.

O gameplay é simplificado, bastando ao jogador tocar na tela para subir e soltar para descer: tudo intuitivo de modo a conquistar jogadores de diversas idades. Além da necessidade de desviar dos obstáculos, o jogador deve soletar sementes ao longo das fases a fim de utilizá-las para comprar itens na loja do game, como novas roupas e chapéus como ternos e a roupa do Papai Noel.

Louis foi desenvolvido em um período de pouco mais de um ano e é fruto dos esforços de três desenvolvedores de Brasília. Além do fator gameplay facilitado, o título destaca-se pelo visual cartunesco e cores vibrantes. Há suporte para os idiomas inglês e português e pode ser encontrado para download por US$ 0,99 na App Store e  Google Play.

Abaixo tem o trailer do game Louis:

INdT lança Wake Woody Infinity, segunda versão do jogo que fez história no SBGames

Quem acompanhou a última edição do Simpósio Brasileiro de Games e Entretenimento Digital (SBGames), deve ter conhecido o jogo Wake Woody, afinal o jogo foi destaque durante o evento e conseguiu ficar em segundo lugar na categoria jogo para mobile: aspecto visual/artístico e o terceiro lugar na categoria aspecto tecnológico. Pois bem, o Instituto Nokia de Tecnologia (INdT) lançou uma nova versão do game para as principais plataformas mobile do mercado.

O game apresenta o cãozinho Woody que, deve executar manobras radicais em cima de um wakeboard enquanto coleta moedas e desvia de obstáculos. A primeira versão do game estava disponível apenas para Windows Phone, porém a nova versão foi disponibilizada também para iOS e Android.

Entre as mudanças no gameplay, a principal é a possibilidade de Woody mergulhar na água e continuar avançando. Além disso, a progressão do game não se dá mais por fases, ou seja, o jogador avança por check points em um tempo limitado ao invés de escolher uma determinada fase como na primeira versão. Existem três Power ups ao longo do game: ímã de moedas, ampliador de tempo e multiplicador de moedas.

As moedas que são coletadas podem ser utilizadas para melhorar os Power ups, adquiri continues e uma habilidade que permite ao jogador coletar moedas sem bater em nada. A intenção dos desenvolvedores foi expandir o fator diversão e desafio do game original. Existe até um ranking para medir as habilidades dos jogadores e desafiar os amigos através da integração com o Facebook. Quem não quiser partir coletando moedas pode comprar pacotes de moedas na loja do game. Outro destaque é o aspecto gráficos do game que, em perspectiva, simulam efeitos 3D.

“Com o lançamento de Wake Woody Infinity para as três plataformas simultaneamente, buscamos fazer com que o máximo de pessoas conheça e curta esse jogo apaixonante. Esse lançamento tem ótima jogabilidade e pode ser praticado com os amigos, na forma de desafios, o que o torna mais atraente”, disse Silvio Silva, o gerente de projeto do INdT.

O jogo é gratuito e já pode ser baixado através da Google Play, App Store e Windows Phone Store.

Abaixo tem o vídeo do game Wake Woody Infinity: