Arquivo da categoria: Indie

FoxOne: conheça o simulador de combate aéreo brasileiro

Hoje o destaque é o game indie brasileiro FoxOne da produtora Skyfox Games. O game é um simulador de combate aéreo e está disponível para as plataformas Android, iOS e Windows Phone.  O título está em sua segunda versão, batizada pelo estúdio como Advanced Edition. De acordo com o estúdio, o game é bastante popular entre a mídia estrangeira, mas teve pouca recepção nos sites brasileiros.

Originalmente, Skyfox foi pensado como um game de simulação de vôo para PC orientado à ação, contudo, no decorrer do desenvolvimento a empresa mudou sua estratégia de mercado para suportar primeiramente os dispositivos móveis, e assim FoxOne foi retrabalhado para o lançamento simultâneo nas plataformas iOS e Android.

“Para uma equipe pequena e indie localizada na América do Sul, as plataformas móveis são a oportunidade perfeita para entrar no mercado global e iniciar uma presença. Estamos confiantes de que a qualidade do nosso primeiro produto, Fox One, é de um padrão tão alto, e é tão bem adaptado e otimizado para as nossas plataformas alvo, que nós vamos ter sucesso na construção da base de usuários necessária, bem como proporcionar uma nova e interessante adição para a coleção de qualquer entusiasta de jogos para celulares e tablets”, disse Rafael Rangel, produtor do game.

O título coloca o jogador no papel de um piloto de combate, voando para um esquadrão mercenário secreto composto por pilotos de diversas forças aéreas de todo o globo. A jogatina não é linear, de forma que o jogador pode escolher o local da missão no mapa mundial.

FoxOne possui 10 jatos de combate com base em aeronaves reais, e 15 missões emocionantes ao redor do mundo. Além disso, há uma série de cenários variados, como geleiras, oceanos, desertos e florestas. O game conta ainda com um fator estratégico, pois o jogador tem de gerenciar as suas armas, comprar novas armas e também adquirir recursos para comprar novos e melhores aviões à medida que progride no jogo. Não se trata de apenas um jogo de ação aérea.

O game pode ser baixado através da App Store, Google Play e Amazon. De acordo com a produtora, há planos para que em algum momento ele receba versões para PC (Steam) e VR (Oculus Rift, Gear VR).

Abaixo está o trailer do game FoxOne:

 

Break Loose ganha pacote de novidades após bater 1 milhão de partidas

O estúdio indie Pixtoy de Vitória, ES, está com a corda toda, pois o jogo Break Loose ultrapassou a marca de 1 milhão de partidas realizadas. Para comemorar o feito, o estúdio liberou um pacote de atualização para a versão Android. Entre as novidades estão a possibilidade de pular missões; obter um starter pack; melhorias gráficas; correção de bugs; e por fim os itens estão mais baratos no Me e todos os pacotes de moedas estão mais baratos para os jogadores brasileiros.

Para quem não conhece, Break Loose : Zombie Survival é um game mobile do gênero endless runner. Lembra bastante Temple Run, porém com temática zumbi, basicamente você está em um mundo devastado por mortos-vivos. Para sobreviver, você deve matar os infectados e desviar de armadilhas. O título é bastante frenético e possui um senso de urgência difícil de encontrar em jogos mobile.

Durante as corridas nas cidades arruinadas, o jogador se depara com centenas de zumbis, além de obstáculos e itens vitais para a sobrevivência. Conforme você vai passando por fases, o ranking vai aumentando, de modo que você vai competindo com outros jogadores ao redor do mundo pela melhor pontuação. Um dos diferenciais do jogo é seu fator desafio, que torna o game mais fácil no começo e mais difícil à medida que avança.

Break Loose está disponível para Android e iOS gratuitamente. De acordo com a produtora, há uma versão planejada para Windows Mobile, mas ainda sem uma data definida.

Abaixo está o vídeo do game Break Loose:

Epic Games anuncia Unreal Engine Tour no Brasil

Durante o início do mês de maio a Epic Games organizará o evento Unreal Engine Tour em quatro cidades do Brasil (Rio de Janeiro, São Paulo, Fortaleza e Recife). O evento ocorrerá entre os dias 2 e 10 de maio e tem como foco mostrar as capacidades do motor Unreal Engine 4, a mais recente versão da engine mais popular do mundo.

O evento contará com 6 horas de duração, onde haverá palestras de personalidades da Epic e convidados especiais. De acordo com a empresa, o conteúdo cobrirá todos os aspectos da Unreal Engine, incluindo programação em C++. O público assistirá o evento em um auditório com capacidade para até 400 pessoas.

Em são Paulo, o evento ocorre nas dependências da USP. Uma das grandes vantagens do motor para os desenvolvedores indies é que a desde março eles podem obter a licença totalmente gratuita. A engine pode ser utilizada para desenvolvimento para consoles, PCs e até dispositivos móveis.

Além de produção de games, a UDK4 pode ser utilizada pelos desenvolvedores para arquitetura e visualização, realidade virtual, edição de filmes e animações. Com a Unreal Engine 4, é possível criar jogos para PS4, Xbox One, Windows, OS X, Android, iOS e para a web (HTML5). Além disso, o código fonte está totalmente disponível, fazendo com que a Unreal Engine 4 seja uma grande ferramenta para ensinar desenvolvimento de jogos e computação gráfica 3D em um ambiente acadêmico.

Parece que a intenção da Epic Games pretende utilizar o evento para agarrar os desenvolvedores indies do Brasil que nos últimos anos estão cada vez mais utilizando outras engines como a Unity. Mais informações do evento no site da Unreal Engine.

Primeiro game brasileiro baseado em Tormenta é lançado

Tormenta já é um ícone da cultura pop, afinal a obra de RPG já rendeu quadrinhos, romance e outros formatos. A bola da vez é o jogo Tormenta: O Desafio dos Deuses, da Jambô Editora, que foi lançado no dia 31 de março no Splitplay. Apesar de o pré-lançamento ter ocorrido apenas no final de março, o game já é considerado um grande sucesso, pois o número de usuários registrados já passa de 80 mil. Este número é ainda mais espantoso se levarmos em consideração que a Splitplay possui apenas 10 meses de existência.

“Estamos extremamente empolgados em trazer aos jogadores o game deste incrível universo inteiramente brasileiro! Centenas de fãs já compraram o jogo através de sua campanha de financiamento coletivo em 2013, e agora é a vez de trazê-lo ao resto do Brasil!”, afirmou Rodrigo Coelho, CEO do Splitplay, Rodrigo Coelho.

O game foi produzido com o apoio da Universidade Feevale e produzido pelo Laboratório de Jogos Digitais da instituição. O título conquistou apoio massivo da comunidade, angariando  mais de 70 mil reais em sua campanha no Catarse  – o maior valor já alcançado por campanhas de financiamento coletivo para jogos realizadas no Brasil.

Até então o game sai para as plataformas PC e Mac e tem como inspiração alguns jogos conhecidíssimos como Streets of Rage e Golden Axe, porém com elementos de RPGs mais modernos. A ação ocorre no mundo de Tormenta, uma aventura épica romantizada em uma série de livros que foi estendida também para quadrinhos.

Há suporte para até dois jogadores, que podem fazer várias firulas típicas do gênero, como personalizar personagens, explorar os quinze cenários e interagir com vários personagens de Tormenta como os heróis Talude, Niele e Sir Orion Drake, ou ainda os vilões como Thwor Ironfist e Mestre Arsenal.

Além do game, será lançado, em livrarias do Rio e de São Paulo, uma publicação de RPG com o mesmo nome (O Desafio dos Deuses). O livro transpõe todo o material do jogo para o RPG de mesa. Quem comprar o livro de RPG Tormenta: O Desafio dos Deuses também receberá um código especial para comprar o jogo com desconto no Splitplay.

O Desafio dos Deuses pode ser adquirido com exclusividade no Splitplay. A expectativa é de uma boa demanda e interesse pelos produtos. O mais interessante é que Tormenta é um dos poucos produtos nacionais que conseguem fazer a mudança para várias mídias de forma bem sucedida.

Abaixo tem o trailer do game Tormenta:

Colina 1.5 chega ao Desura e ao Steam Greenlight

Muita gente já conhece o game de horror Colina, criado pelo estúdio indie Samurai Games. O que algumas pessoas talvez não saibam é que os desenvolvedores atualizaram o game, agora chamado de Colina 1.5. Esta atualização traz algumas mudanças que melhoram a experiência de jogo, como uma trama mais densa, gráficos mais trabalhados e a adição de puzzles mais complexos para que o jogador possa escapar da casa da montanha.

Esta atualização é tratada pela equipe da Samurai praticamente como o lançamento de um novo game e é exatamente por isso que o time comemorou com bastante entusiasmo a entrada do game no site Desura no último dia 24 de março. Para a equipe este lançamento é a chance do jogo ganhar mais destaque e visibilidade entre os jogos independentes.

Além disso, há outra boa notícia para os desenvolvedores do jogo: Colina 1.5 entrou em votação no Steam Greelight recentemente. A Samurai Games está em campanha para conseguir votos suficientes para que o jogo entre na Steam e alcance a grande massa de jogadores. De acordo com a desenvolvedora, se o game conseguir entrar na Steam eles poderão continuar o desenvolvimento, de forma que poderão lançar uma versão renovada e ainda melhor do título. E até há a chance de lançarem um provável Colina 2.

Para quem não conhece, Colina é um jogo de horror psicológico que coloca o jogador no papel de um adolescente que deve procurar seus pais que desapareceram em uma estranha casa no topo de uma colina. As dificuldades surgem ao passo em que a casa mostra-se um ambiente bastante perturbador e perigoso. O título é comumente comparado ao famoso Slender: The Eight Pages. O grande objetivo é desvendar qual o mistério que cerca a casa da colina e os fantasmas que surgem no local.

O game já está no Desura e já pode ser votado no Steam Greenlight. Se você é fã do jogo e da equipe da Samurai Games, basta dar o apoio e torcer para que as atualizações sejam lançadas em breve e com qualidade.

Abaixo tem o trailer da primeira versão do game Colina:

Scram Kitty DX é lançado para PlayStation Vita e PS4

No ano passado um jogo indie fez relativo sucesso ao redor do mundo: “Scram Kitty and his Buddy on Rails”. Pois bem, os usuários do Playstation 4 já podem jogar uma versão melhorada no console, pois o estúdio Dakko Dakko lançou Scram Kitty DX na PSN em 10 de março.

Para quem não conhece, o título é um jogo de tiro de plataforma intenso, com embates frenéticos. A produtora buscou inspiração em jogos clássicos, porém com alguns macetes mais atuais, de modo que a mistura forma um jogo com identidade própria.

O game possui uma jogabilidade bastante diferenciada, permitindo ação de plataformas em 360 graus e um sistema de tiro em 2D que lembra os famosos shmups. A diferença é que ao contrário de jogos de nave, a movimentação é realizada através de trilhos coloridos. Parte do desafio é desviar de armadilhas e inimigos que estão espalhados pelas fases.

De acordo com a desenvolvedora, o game chega à PSN por US$ 9,99 e de modo cross-buy, ou seja, donos de PS4 e PSVita podem baixar o game para os dois sistemas ao preço de uma compra.

“Depois de um grande ano com Scram Kitty em 2014, estamos muito animado por trazer Scram Kitty DX para os jogadores da PlayStation! Estou especialmente feliz em dizer que, porque fizemos um DX Cross-Compre e Cross-Save jogo, os jogadores que possuem tanto PS4 e Vita pode sincronizar seu progresso entre os dispositivos e manter os gatos de poupança seja em casa ou em qualquer lugar!, disse Rhodri Broadbent, fundador do estúdio Dakko Dakk”

Para mais informações de Scram Kitty DX, basta acessar o site do game. E depois nos conte o que achou. ;)

Confira o vídeo do game Scram Kitty DX:

Vortex Game Studio anuncia datas para SPJam 2015

Entra ano, sai ano e a SPJam mantém-se firme e forte como o principal evento de game jam brasileira. Prova disso é que Vortex Game Studio já anunciou a realização da 5º edição do evento para os dias 28, 29 e 30 de agosto de 2015. O evento ocorrerá no campus Marquês de Paranaguá da PUC-SP. Mesmo campus que abriga o curso de Jogos Digitais da Universidade.

Tal como nas edições anteriores, os participantes terão um prazo de 48 horas para desenvolver um game completo a partir de um tema a ser divulgado na hora. O grande macete é que os participantes acabam desenvolvendo novas amizades e conexões dentro da indústria, além de aprender novas técnicas e utilizar novas ferramentas para desenvolvimento de jogos eletrônicos.

Muitos dos desenvolvedores de sucesso no cenário nacional já participaram de game jams, como é o caso de Saulo Camarotti, da Behold Studios (Knights of Pen & Paper, Chroma Squad). Para ele “game jams são especiais, pois em poucas horas você aprende o que levaria meses para aprender. É uma experiência longa comprimida em pouco tempo. E é muito melhor errar em um projeto de 48 horas, do que jogar fora meses de trabalho por conta de uma má decisão”, diz Camarotti.

Para participar da SPJam 2015, basta ficar antenado no site do evento.

SPJam 2015

Quando: 28 a 30 de agosto de 2015

Onde: PUC-SP – Marquês de Paranaguá

Escape Block: novo game indie é puzzle desafiante

Sabe aqueles jogos que mexem com o raciocínio lógico do jogador, daqueles que o jogador precisa pensar antes de agir? Pois bem, assim é o novo game criador pelo desenvolvedor indie Beto de Oliveira,  que foi batizado de Escape Block.

Trata-se de um puzzle 2D em que o jogador deve levar um bloco azul até um portal no menor tempo e número de movimentos possíveis. Para simples, mas a missão é dificultada ao passo em que o jogador vai passando de fases, pois a dificuldade vai aumentando gradativamente.

Ao todo são 18 fases por temporada, sendo que três são liberadas se o jogador conseguir um total de três estrelas em todas as fases anteriores. A cada nova temporada um novo obstáculo aparece para que o jogador vença-o. O jogo é frenético.

Para jogá-lo, basta tocar e arrastar seu dedo para a direção em que quer empurrar o bloco. Para passar a fase o jogador somente precisa que o bloco caia no portal. Parece simples, porém existem fases realmente desafiadoras. O highscore é baseado no número de estrelas conquistadas nas fases, no tempo utilizado para passar o nível e a quantidade de movimentos até conseguir colocar o bloco no portal.

Tanto a parte da jogabilidade, quanto a parte gráfica e sonora são simples. De modo que o jogo é voltado para jogadores casuais e para quem procura por desafios ininterruptos. O título chegou inicialmente apenas para dispositivos iOS, mas já conta com a versão Android e está disponível para download gratuito.

Trailer do game Escape Block

 

Ninja vs World: ajude o ninja a dominar o mundo neste endless runner para Android

O gênero endless runner praticamente dominou os dispositivos mobile, mas como a fórmula está em alta sempre surgem novos games para cativar os fã do gênero. O novo concorrente mistura o mundo ninja com correria e ação.

Ninja vs World: Endless Runner  coloca o jogador no papel de um ninja que está em uma missão de conquistar o mundo todo. Para isso, ele deve correr por diversos cenários como florestas, montanhas, pontes etc, desviando de obstáculos e enfrentando perigosos samurais pelo caminho.

O título foi desenvolvido pelo produtor indie Alberto Alcides e está disponível gratuitamente para Android. Tal como a maioria dos títulos do gênero, a jogabilidade é simples e seu ponto alto está nos ambientes 3D e nos cenário s desafiadores.

Trailer do game Ninja vs World:

Kiwi – Kindly I Will Increase é o novo game do estúdio Yellow Shark

O estúdio Yellow Shark de Curitiba (PR), acaba de lançar mais um game para dispositivos mobile. Kiwi – Kindly I Will Increase é um game casual de fácil aprendizado que foi desenvolvido para cativar fãs de jogos simples e divertidos. Nele, temos o controle de Steve, um pássaro Kiwi que não pode voar. Os cientistas desenvolvem métodos para que a ave possa ganhar os céus através de balões e foguetes.

O desafio é voar o mais alto possível, desviando de diversos obstáculos em uma jogabilidade típica do gênero, ou seja, basta deslizar o dedo para desviar dos objetos que surgem pelo caminho. Entre os cenários desbravados estão a floresta, o espaço e acima do mar. Enquanto avança pelos ambientes, o jogador deve coletar frutas e estrelas para desbloquear novos cenários e habilidades especiais.

O estúdio Yellow Shark esforçou-se bastante para criar um game divertido e que possa ser apreciado por qualquer jogador. O público casual é o alvo neste game simples e a jogabilidade combina com o estilo artístico, que é colorido e cartunesco.

O game é gratuito e o modo principal é bastante curto. A jogabilidade lembra bastante algumas fases do recente Donkey Kong Country Returns. Kiwi – Kindly I Will Increase já está disponível nas plataformas Android e iOS.