Arquivo da categoria: Indie

Documento explica processo de direitos autorais nos games

Flappy Bird foi um grande sucesso quando chegou ao mercado. Por razões diversas o criador do game decidiu interromper a comercialização do produto nas plataformas em que ele estava disponível, mesmo ganhando milhares de dólares toda semana. Tão logo Flappy Bird saiu de cena, surgiram centenas de cópias dispostas a roubar o seu trono de “jogo mais baixado no Android”.

Agora imagine o cenário: você é um produtor independente que está lançando seu primeiro game para mobile. Apesar de simples, o jogo tem bastante originalidade e acaba se tornando bastante reconhecido pelos jogadores e explode nas vendas. Tudo ótimo, certo? Não até que outro desenvolvedor espertinho roube sua ideia ou que um grande estúdio lance um jogo semelhante, porém com o poder do marketing por trás, e derruba suas vendas e arrebata o seu público.

Direitos autorais é uma questão praticamente desconhecida pelos desenvolvedores de jogos pequenos e, não raro, seus jogos chegam ao mercado sem que os criadores conheçam os dispositivos legais que protegem sua propriedade intelectual. Talvez fosse pensando nisso que o Moacyr Alves da ACIGAMES, e o Helio Tadeu da Terras Coelho Advogados, lançaram o primeiro documento oficial falando sobre direito do autor em jogos digitais.

O trabalho analisa e discute os processos de registro, o regime e a proteção dis jogos eletrônicos à luz do direito autoral, especialmente àqueles desenvolvidos para consoles e computadores na categoria MMORPG. O documento possui mais de 30 páginas e resume de maneira fácil as leis que amparam o desenvolvedor de jogos eletrônicos.

O estudo sobre os direitos autorais nos games está disponível em PDF no Slideshare e sem sombras de dúvidas, é leitura obrigatória para todos os desenvolvedores indies que pretendem lançar um game no mercado.

Direitos autorais nos games

Triangulae: puzzle desafiador é lançado para iOS

O destaque do dia é cortesia do desenvolvedor indie Ricardo Fonseca, que criou o jogo para homenagear a esposa, mas devido à qualidade do produto acabou lançando no mercado. Trata-se do game Triangulae, um puzzle em que o jogador deve mover triângulos de forma a posicioná-los e formar um quadrado.

A jogabilidade lembra títulos como Candy Crush e Bejeweled, de modo que o jogador só precisa arrastar as peças para o lado que deseja posicioná-las. O título possui três modos de jogo (clássico, tempo e persistência), assim o jogador encontra desafios diferenciados a cada partida. O melhor é que há suporte para idioma português, assim os jogadores mais jovens podem se divertir sem empecilhos.

“Estou na etapa final de criação de um protótipo feito para um jogo de tabuleiro inspirado em Triangulae, e assim como a versão mobile, eu adoraria fazer uma versão multi-jogador também”, revelou Ricardo Fonseca, criador do game.

Triangulae foi desenvolvido totalmente por apenas uma pessoa (em apenas cinco dias), inclusive a trilha sonora, que persistiu após Ricardo descartar cerca de 19 faixas que ele criou para o game. O game é a prova que trabalho e dedicação e esforço rendem frutos.

O game está disponível para download na App Store com preço de US$ 1,99. Até o momento não há previsão de lançamento para uma versão Android.

Abaixo está o trailer do game Triangulae:

Big Festival 2015 recebe público recorde na terceira edição

O BIG Festival 2015 conseguiu um recorde que nem mesmo os organizadores esperavam: o a terceira edição do evento bateu recorde de público.  De acordo com a organização, o evento atraiu mais de 12.600 visitantes, cerca de 4.600 pessoas a mais que a edição anterior.  Além disso, foram mais de 1.600 participantes no fórum de negócios e mais de 600 reuniões de negócios entre desenvolvedores brasileiros e empresas compradoras do Brasil e exterior.

Estes resultados demonstram interesse crescente por parte da comunidade gamer em relação aos jogos independentes. Durante o evento, foram apresentados 50 jogos independentes para o público que passou pelo Centro Cultural. “Esse foi o ano de consolidação do evento” diz Eliana Russi, organizadora do Festival.

A expectativa é que as próximas edições sejam ainda maiores e recebam um público maior. Vale destacar que neste ano o BIG contou com uma expansão no Rio de Janeiro, na Firjan, onde ocorreram palestras e a participação dos vencedores do Festival. Entre as atrações internacionais estavam David Brevik, criador de Diablo 1, 2 e Marvel Heroes, e Ina Jang, CEO do Cross Fire, jogo de tiro mais jogado no mundo.

Tal como divulgado aqui no GameReporter, o grande vencedor do BIG festival 2015 foi o jogo “This War of Mine”, da desenvolvedora polonesa 11 Bits Studios, que venceu os prêmios de Melhor Jogo do Ano e Escolha Popular. Além, dele, Toren, da Swordtales venceu na categoria Revelação Brasil. Esses jogos já conseguiram a aclamação da crítica, logo é lógico afirmar que o grande público passe a conhece-los mais a fundo.

 

Fighting Game Rotation: desenvolvedor cria sistema de rotação para jogos de luta

Quem já jogou Smash Bros. em grupo de amigos sabe que é um verdadeiro martírio acompanhar para saber de quem é a vez após algumas rodadas. Em dado momento fica mais do que confuso saber de quem é a vez se a fila de amigos for superior a 50 pessoas, certo?

Foi pensando na ausência de um sistema “Rotation” que o desenvolvedor indie Tiago Dávila criou o aplicativo Fighting Game Rotation que serve para controlar a rotação de jogadores quando eles estão reunidos em grandes grupos, de modo que fica mais fácil acompanhar de quem é a vez nos jogos de luta. De acordo com Tiago, a aplicação surgiu porque ele e seus amigos utilizavam bastante o sistema, e sentiram-se perdidos quando o novo Smash Bros. não veio com esta função.

Fighting Game Rotation não serve apenas no Smash Bros., mas também em outros jogos como Tekken, Marvel vs Capcom, Splatoon, entre outros. A ideia é manter as partidas e o tempo de espera mais organizado, sem que nenhum dos jogadores fique omitido no meio da multidão. Além disso, a aplicação serve para mostrar quem é o melhor e o pior jogador do grupo.

O aplicativo foi lançado exclusivamente na Google Play e tem o preço de R$ 2,50.

The Smart Test Nerd: teste seus conhecimentos nerds com o novo game da Izyplay

O game de hoje é a primeira criação do estúdio indie IzyPlay para dispositivos mobile. O game chama-se The Smart Test NERD e trata-se de um quis que visa avaliar os conhecimentos de cultura nerd dos jogadores.  O grande macete é que o game tem a linguagem típica da juventude nerd, de modo que ele se aproxima dos jogadores de uma forma que outros games de quis não conseguem.

O game é recheado de perguntas que medem os conhecimentos dos usuários sobre HQs, games, filmes, além de atividades lógicas e pegadinhas para deixar as coisas mais divertidas e desafiantes. Além de abordar perguntas sobre a cena pop, o The Smart Test tem questões mais científicas, ou seja, algo para os nerds verdadeiros, não os meros apreciadores de quadrinhos.

O título possui dois modos de jogos: o Normal, que traz 90 desafios; e o Super Desafio Mega Ultra Nerd, que é indicado para os verdadeiros gênios e conhecedores da cultura pop/geek. De acordo com a IzyPlay, o game foi desenvolvido para  ser mais do que um apanhado de perguntas e respostas. Para isso, há muito humor em meio às perguntas, além de pegadinhas para ver se o jogador está mesmo atento aos desafios propostos.

O game foi desenvolvido para as plataformas Android e iOS e tem suporte para os idiomas inglês e português.

The Smart Test Nerd

BIG Change: BIG Festival formaliza parceria inédita com a Games for Change

Mais uma notícia envolvendo o BIG Festival, o maior evento de games independentes do Brasil! Desta vez a novidade é que o evento terá uma parceria inédita com outro grande evento que prestigia desenvolvedores independentes: o Games for Change. A ideia é criar o BIG Change, um espaço para discutir o potencial de games como ferramenta na educação.

Basicamente serão realizados palestras e workshops que abordarão os jogos como ferramenta de transformação eficaz para alcançar propósitos sérios e que envolvam aprendizado, desenvolvimento cognitivo, conscientização, sensibilização etc. Tais palestras serão realizadas nos dias 4, 6 e 7 de julho.

No dia 4 de julho a palestra será no Centro Cultural, em São Paulo, durante o BIG. Nesta ocasião serão realizadas várias palestras que abordam temas distintos como “Jogos na sala de aula”, “Design Thinking e jogos com impacto social”, “Modelos de Negócios e Distribuição” etc. Vale destacar que o professor  Gilson Schwartz (Games for Change) estará presente no evento para dar as boas vindas aos visitantes. Além dele, haverá a participação de outras personalidades nas palestras e debates como a Profa. Estela Picones (FEUSP), Alexey Dodsworth (MEC), Cássia Santos (Escola da Rede Pública Estadual), Francisco Tupy (Colégio Visconde de Porto Seguro), Eduardo Suplicy (Prefeitura de São Paulo), Eliana Russi (Brazilian Game Developers), Gustavo Steinberg (BIG Festival), Mario Lapin (Virgo Games), entre outros.

Já nos dias 6 e 7, as palestras ocorrem no FIRJAN/SENAI, no Rio de Janeiro. Aqui estão previstos três debates com os temas “Oportunidades de Negócio: Jogos sérios e educativos”, “Criando um estúdio indie dentro de um ambiente acadêmico” e “Games para transformar: modelo de negócios da virgo”.

A intenção dessa união é mostrar que jogos indie e serious games tem tudo a ver. Quem sabe até inspirar outros desenvolvedores a criar seus próprios jogos e mostra-los em eventos como a Games for Change? Vale o lembrete que além destas palestras, a cidade do Rio de Janeiro também recebe o do Fórum de Negócios do BIG, em 6 e 7 de Julho, na FIRJAN. No site do BIG Festival tem as datas e horários de cada palestra a ocorrer nos eventos do Rio e São Paulo, além do cronograma completo do evento.

Cinema Nosso realiza 4º edição da Batalha de Games no Rio de Janeiro

Qual gamer jamais imaginou jogar seu game favorito em um telão de cinema? Pois bem, se você estiver no Rio de Janeiro é bem capaz de isso acontecer graças ao evento Batalha de Games, realizado pela instituição Cinema Nosso, que ocorre no próximo dia 30 de junho, na Lapa. O evento é uma grande oportunidade de conhecer um game independente e testá-lo em uma tela grande.

Batalha de Games já está na 4º edição e tem como objetivo reunir jogadores para testar alguns lançamentos e novidades do mercado. Os jogos contemplados nesses eventos sempre são novidades do mercado independente. Os produtores dos jogos, aliás, acabam marcando presença para apresentar seus projetos aos jogadores e bater um papo com os visitantes. Vale destacar que o evento é único em seus moldes e tem entrada franca.

O game destacado para esta edição foi Porcunipine, que foi desenvolvido por brasileiros e acabou ganhando bastante destaque na mídia graças a sua jogabilidade e temáticas bem desenvolvidas. De acordo com os organizadores do evento, a cada edição é escolhido um jogo, que tem história, regras, fases e peculiaridades comentadas por especialistas da área.

“A proposta é abrir um espaço para que jovens desenvolvedores de games possam apresentar suas produções de forma bastante dinâmica e numa telona de cinema, dialogando com o público que gosta de jogar e que, principalmente, tem movimentado a indústria do audiovisual no mesmo patamar que o cinema”, disse Antoanne Pontes, curador do evento.

Apesar de já estar na quarta edição, o evento “Batalha de Games” está apenas em seu segundo ano. A primeira competição aconteceu no ano passado, durante o VI Festival CineMundo. O evento foi bem sucedido e por isso acabou ganhando edições mensais a partir de março deste ano. A cada novo evento é concedido uma premiação para os vencedores das batalhas.

Batalha de Games

Quando: 30 de junho às 14h
Onde: Espaço Cinema Nosso – Rua do Rezende, 80, Lapa – Rio de Janeiro
Quanto: Entrada franca / Classificação livre

Belo Horizonte sedia 1º Minas Games Festival em junho

Atenção jogadores e entusiastas da cidade de Belo Horizonte! A cidade vai sediar o 1º Minas Games Festival entre os dias 18 e 21 de junho. Trata-se de um evento composto por exposições, palestras, workshops, shows, torneios, exibição de filmes, concurso cosplay, entre outras atrações voltadas ao público gamer casual e hardcore.

O evento é organizado por Marcelo Nery, mestre e doutorando em Ciência da Computação, com apoio da POP Produções Artísticas e da Firmato Consultoria e Projeto. O evento ocorrerá no espaço Oi Futuro. O evento surgiu para ser um espaço para a experimentação, inovação e discussão de diversas vertentes do mundo dos jogos. Pelo jeito é um evento menos comercial, e mais culturas, de modo que serão discutidas questões culturais, sociais e econômicas envolvendo os jogos eletrônicos. A organização espera que os jogadores compareçam em peso, pois a entrada é gratuita.

A ideia dos organizadores é propiciar aos visitantes uma experiência de imersão total no universo gamer, além de inserir Minas Gerais na rota de atividades da indústria, visto que o estado vem crescendo gradualmente tanto em produção de jogos como na comercialização de jogos no varejo. Além disso, vale destacar que por anos a fio a indústria de produção estava restrita ao eixo Rio-São Paulo, mas agora as coisas se expandiram para outras partes do país. Assim, “o 1º Minas Games Festival terá a missão e a proposta de fomentar e valorizar o mercado e os profissionais  da área, permitindo  o encontro de várias gerações”, diz a organização do evento.

Além das palestras com diversos profissionais da área, o evento contará com uma exposição de consoles que recontam a história dos videogames desde a época do Telejogo até os dias atuais. Também ocorrerá uma Game Jam de 16 horas envolvendo 12 desenvolvedores divididos em 4 equipes para desenvolver um game funcional. Para participar da Jam é necessário fazer a inscrição até o dia 15/06, sendo que somente serão aceitos os primeiros a preencher a ficha no site do evento.

Para os desenvolvedores indies, haverá um espaço para que elas mostrem seu trabalho aos visitantes (a cada hora uma empresa mostrará seu trabalho aos jogadores e possíveis investidores). Além de tudo isso, o Minas Games Festival também vai ter uma mostra de filmes relacionados a videogames e um espaço chamado Game House, onde estarão espalhados diversos títulos para aquele free-play entre os jogadores.

Mais informações podem ser obtidas no site do evento.

Minas Games Festival

Quando: 18 a 21 de junho

Onde: Espaço Oi Futuro – Av. Afonso Pena, 4001, Mangabeiras, Belo Horizonte – MG

Quanto: Entrada gratuita

SBGames 2015 divulga prazo para submissão de jogos

Já está aberto o período de inscrição e submissão para o SBGames 2015, um dos maiores eventos relacionados a computação, arte, cultura e jogos eletrônicos do Brasil. O evento ocorre entre os dias 11 a 13 de novembro de 2015 na cidade de Teresina, PI. A organização do evento já publicou as datas limites de submissão de projetos para participar do SBGames.

O grande destaque, para quem estuda e curte videogames é o Festival de Jogos 2015, que vai definir os melhores jogos desenvolvidos na temporada em várias categorias como “Principal”, “Serious Games” “Outras Plataformas” e “Advergame”. O importante é ficar de olho nos prazos, se quiser participar. De acordo com os organizadores, os desenvolvedores têm até o dia 03 de agosto para submeter os jogos.

Vale destacar que apenas jogos independentes podem participar do SBGames 2015, com exceção da categoria “Advergame”, que permite a inscrição de jogos que divulgam produtos de terceiros. Para inscrever seu jogo, basta fazer uma inscrição no site do evento e encaminhar o material de divulgação, como imagens, vídeos e release. Os games submetidos passarão por avaliação de banca julgadora, composta por especialistas como professores, pesquisadores, jornalistas etc.

Ao final serão escolhidos 5 jogos em cada categoria, sendo que esses ficarão disponíveis para jogatina e votação popular nos dias de evento. As categorias são: Melhor jogo; Melhor jogo Serious; Melhor jogo Advergame; Melhor jogo Outras plataformas; Melhor jogo pela votação popular; Melhor arte: (independente da categoria do jogo); Melhor som: (independente da categoria do jogo; exclui boardgames…); Melhor game design: (independente da categoria do jogo); Melhor tecnologia: (independente da categoria do jogo; exclui boardgames…); Melhor jogo de estudante: (independente da categoria do jogo).

Ah, não são apenas os jogos digitais que participam do evento: os boardgames também podem participar. Os jogos nessa categoria serão avaliados no dia do evento pelos juízes. Haverá cinco mesas para os boardgames ou semelhantes (categoria: outras plataformas).

Se você é desenvolvedor indie e quer levar seu game para a SBGames 2015, basta fazer a inscrição no site e torcer para que ele esteja entre os cinco escolhidos para estar no evento.

A página também tem as regras que regem o Festival de Jogos, então não deixe de conferir! Boa sorte!

Overpaint: um dos destaques do BIG Festival 2015

Hoje vamos falar de um dos jogos mais destacados deste ano no cenário indie. Trata-se de Overpaint, da desenvolvedora Landka, de Portugal. O game concorre ao prêmio de Melhor Jogo de Educação e Aprendizado no BIG Festival 2015 e chama as atenções por seu visual minimalista e fácil de jogar.

O título é um puzzle que visa a simplicidade na jogabilidade, enquanto entrega um estilo artístico diferenciado. A mecânica do jogo são sobre as cores e como elas são interessantes. O objetivo é sobrepor os três painéis de cores primárias para limpar os círculos do tabuleiro. A princípio o jogo é fácil, mas em pouco tempo as coisas vão se complicando, pois o sucesso depende da combinação de cores escolhidas pelo jogador.

Para ter sucesso é primordial observar os padrões de cores apresentados na tela. E não basta sair apertando qualquer coisa na tela, pois o raciocínio é premiado, enquanto que a imprudência penaliza o jogador. Pense duas vezes antes de deslizar as cores! Nas fases mais avançadas surgem vários círculos ao mesmo tempo.

O game prima por um visual limpo, sem poluição na tela. Não há anúncios durante as mais de 225 fases. De tempos e tempos, o game apresenta curiosidades sobre as cores (daí vem o cunho educacional do game). Ou seja, o game tenta ensinar sobre o mundo das cores aos jogadores.

O game tem a opção para desafiar os amigos pelo melhor score. Além disso, há suporte para os idiomas português, espanhol, japonês, mandarim e inglês. Overpaint está disponível gratuitamente no iPad, iPhone, Mac, Android, Windows Phone, Windows 8 e Kindle.

Abaixo está o trailer de Overpaint: