Arquivo da categoria: Indie

Diretor da Hoplon ministra palestra sobre arte de Heavy Metal Machines em universidade gaúcha

Se você é gaúcho e quer receber dicas valiosas sobre arte em jogos eletrônicos, a dica é a palestra apresentada por Paulo Ítalo Medeiros, diretor de arte da Hoplon Infotainment (Heavy Metal Machines, Taikodom, Apocalypse Party’s Over). Ele irá ministrar uma palestra com o tema “Trabalhando com arte para games e o desenvolvimento de Heavy Metal Machines” na Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões – campus de Frederico Westphalen-RS.

Na palestra, Medeiros contará um pouco da história da Hoplon, uma das mais importantes desenvolvedoras e publicadoras de jogos do Brasil, apresentará Heavy Metal Machines – game multiplayer online de batalha veicular free-to-play que já está disponível em beta aberto no Steam –, abordará as etapas do desenvolvimento de um game e os trabalhos realizados pela criação, design e arte, e falará sobre as oportunidades e opções de carreira na área.

“Muitas pessoas gostam de jogar, mas nem todas conhecem os processos de desenvolvimento de um game e as oportunidades profissionais que essa indústria oferece”, diz Medeiros. “Estou entusiasmado em poder mostrar todas essas possibilidades e apresentar nosso trabalho para os alunos de uma das mais importantes universidades da região noroeste do Rio Grande do Sul”.

Para quem não conhece, Paulo Ítalo é especialista em design conceitual, modelagem 3D e animação, é diretor de arte da Hoplon, onde gerencia uma equipe de 13 game artists responsáveis pela arte do game Heavy Metal Machines. Antes de passar pela Hoplon, Paulo trabalhou nas poderosas Ubisoft, SouthLogic e na Lunart.

Serviço: Palestra – Trabalhando com arte para games e o desenvolvimento de Heavy Metal Machines

Quando: 25 de setembro

Hora: 19h

Local: Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões – campus de Frederico Westphalen-RS

Palestrante: Paulo Ítalo Medeiros

Rogue Snail revela primeiro gameplay de Relic Hunters Legend

O time de desenvolvedores da Rogue Snail já é conhecida do público brasileiro graças ao ótimo Chroma Squad e ao shooter Relic Hunters Zero. Pois é, os desenvolvedores já mostraram que têm potencial e isso deve se provar mais uma vez com o lançamento de Relic Hunters Legend, sucessor direto do jogo mencionado. O primeiro game da franquia Relic Hunters ficou disponível no Steam gratuitamente e tinha o código fonte aberto, o que serviu para atrair mais de 1 milhão de jogadores.

Os produtores lançaram recentemente o trailer de Relic Hunters Legend e serviu para mostrar o que os jogadores podem esperar da nova aventura: um incrível RPG com ambientes 3D, maior variedade de armas, mais patos espaciais para atirar e uma história nova e totalmente imersiva. “É como se Destiny e Enter The Gungeon se fundissem em um jogo único!”, diz o lançamento do trailer.

De acordo com os produtores, o título terá um modo cooperativo online para até 4 jogadores e manterá a perspectiva isométrica que foi bastante elogiada no original. A história deve brincar com paradigmas de viagem no tempo  e a amizade entre os protagonistas. A melhor parte: o jogo será gratuito, para sempre.

Além do trailer, a Rogue Snail também está lançando uma série em quadrinhos dividida em três partes, que serão reveladas semanalmente, até o lançamento da campanha de financiamento coletivo no Kickstarter, no dia 5 de outubro de 2017. A produtora está preparando um beta fechado, em 2018, e uma versão completa do jogo para PC e outras plataformas, prevista para 2019. Sim, vai demorar um bocado.

Além disso, novos jogadores que se inscreverem para receber novidades sobre o jogo receberão gratuitamente a mini trilha sonora de Relic Hunters Legend. Para mais detalhes, acesse o site do game.

Abaixo tem o trailer de Relic Hunters Legend:

Especialista em storytelling para games estará no Mediamorfosis 2017

Uma das etapas mais sensíveis durante o desenvolvimento de um game é a roteirização. Não adianta muito ter uma mecânica bacana se a história for pobre. E é esse um dos temas abordados durante o Mediamorfosis Brasil 2017. Uma das referências em storytelling em games é o americano Nick Fortugno, o cara por trás de Diner Dash e vários projetos da produtora indie Playmatics e Gamelab.

O americano é presença confirmada na segunda edição do Mediamorfosis Brasil, evento que acontece nos dias 15 e 16 de setembro em São Paulo, com debates sobre a tecnologia e seus reflexos na forma como produzimos e consumimos conteúdo. A edição brasileira do evento é uma realização do Brazilian Content, programa de exportação da Brasil Audiovisual Independente (BRAVI) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Fortugno dedica-se atualmente à Playmatics, empresa com foco no desenvolvimento de games, experiências de usuário e aplicativos para redes sociais e plataformas conectadas à Internet. Ele também leciona design de games e narrativas interativas na Parsons The New School of Design. O game designer é cofundador do festival Come Out and Play, que acontece em Nova York e São Francisco desde 2006, com a proposta de transformar as cidades em playgrounds gigantes e proporcionar experiências públicas com o universo dos games.

Além de Fortugno, o Mediamorfosis também conta com uma galeria estrelada de convidados, como Christian Bennett, editor executivo de jornalismo visual no theguardian.com; Hal Kirkland, diretor de VR, e as norueguesas Julie Andem e Mari Magnus, responsáveis pela série “Skam”. Exibida pela NRK, canal público da Noruega, a atração mistura ficção e realidade nas redes e tem sido aclamada mundo afora pela inovação em linguagem.

Serviço – Mediamorfosis Brasil 2017

15 e 16 de setembro, das 10h às 18h

Unibes Cultural – Rua Oscar Freire, 2.500, São Paulo

Game Nacional: Startup inova ao apoiar games nacionais independentes

Você já conhece a Game Nacional, a start up dedicada a apoiar os jogos nacionais? Lançada no final de 2016, em São Lourenço no sul de Minas Gerais, a Game Nacional, é a primeira plataforma brasileira a atuar na promoção dos trabalhos de desenvolvedores indie de jogos digitais brasileiros, dando suporte desde a venda e compra de cotas em seus projetos – que podem estar em estágio de desenvolvimento ou já finalizados.

A start up é extremamente benéfica com os desenvolvedoras, pois além de selecionar, ainda fazem trabalhos de advisor, apresentando os games para veículos especializados e investidores em potencial. Para o desenvolvimento deste trabalho, a startup conta com parceiros de peso, a BGC (Brasil Game Cup) e a BGS (Brasil Game Show), que disponibilizam stands para a apresentação dos jogos eletrônicos.

“Exibimos os games em eventos e festivais, apresentamos para investidores, orientamos sobre a gestão das redes sociais, fornecemos tradutores para dar uma nova perspectiva de distribuição, oferecemos sonoplastia e suporte no relacionamento com a imprensa e influenciadores. Enfim, criamos toda base para levar o game a um novo nível, podendo alcançar outras plataformas antes não vislumbradas como o Xbox, Playstation ou AppStore. Tudo isso com a curadoria de consultores experientes no mercado”, explica Adriano Reis, fundador da plataforma que atualmente conta no portfólio com seis jogos, dos quais três já receberam investimento.

A plataforma já conquistou aporte para três jogos, e um deles está sendo atualizado para o lançamento até o final do ano. O Restless (um game 3D de ação com uma pegada de terror em terceira pessoa com puzzles); O DarkElf, um RPG 2D de ação com um visual vivo e um enredo dinâmico , e o game do Sansão, ação e aventura com gráficos incríveis, tendo sua história adaptada da Bíblia, também receberam aporte e estão investindo em melhorias para serem lançados a partir do segundo semestre desse ano.

Playbor: Maratona de desenvolvimento de jogos eletrônicos será realiza em Belo Horizonte

Mais uma boa oportunidade de se destacar no cenário de desenvolvimento de games no Brasil: O Sebrae Minas e a pré-aceleradora de games Playbor lançam desafio para programadores, artistas, designers e empreendedores desenvolverem games. A Game Jam, como é conhecida a maratona de desenvolvimento de jogos eletrônicos, será realizada no dia 7 de setembro, feriado da Independência, na sede do Sebrae Minas, em Belo Horizonte. 

Em 48 horas de imersão, os participantes receberão orientações sobre mercado e tendências, e terão o desafio de criar um protótipo de um jogo eletrônico.

“Os games deverão ser desenvolvidos a partir do direcionamento que daremos no início do desafio sobre as principais demandas de grandes players e investidores do segmento”, explica João Guilherme Paiva, diretor de negócios da Playbor.

Os projetos com as melhores ideias e potencial comercial participarão do programa de pré-aceleração da Playbor. Durante três meses, as equipes receberão mentorias, consultorias e capacitações na área técnica e também em marketing, finanças e gestão.  

“Não é só fazer o game, os empreendedores também devem estar preparados para colocar o produto no mercado e conseguir investidores”, afirma Márcia Valéria, analista do Sebrae Minas.

Algumas equipes já foram selecionadas na fase on-line. Porém, quem quiser participar do desafio ainda pode se inscrever presencialmente no dia 7 de setembro, das 13h às 15h, durante o evento Música Mundo, que será realizado no espaço CentoeQuatro (Praça Rui Barbosa, 104, Centro). As inscrições gratuitas são individuais e os participantes serão divididos em equipes no dia do desafio.

 

Serviço – Game Jam Playbor/Sebrae em MG

Dia 7 de setembro (quinta-feira), a partir das 16h

Sede do Sebrae Minas – Avenida Barão Homem de Melo, 329 – Nova Granada

Inscrições presenciais gratuitas: 7 de setembro, das 13h às 15h, no Música Mundo (Praça Rui Barbosa, 104 – Centro)

Distortions estará disponível para gameplay na BGS 2017

O Pavilhão Indie da Brasil Game Show promete ser um dos melhores de todos os tempos graças a presença de jogos fantásticos, como é o caso de Distortions, da produtora indie brasileira Among Giants. O game terá uma demo exclusiva na maior feira de games da América Latina para quem quiser testar. O título é o atual vencedor do BIG Festival, tendo levado os prêmios de Melhor Jogo Brasileiro e Melhor Jogo no voto popular.

Among GiantsAlém de testar o game, os visitantes poderão bater um papo com toda a equipe de desenvolvedores do Distortions. É a oportunidade para descobrir quais engines foram utilizadas para obter o resultado final e as inspirações por trás do enredo. Mas se você quiser perguntar qual pizza era a mais pedida pela equipe durante o desenvolvimento não tem problema. Vale destacar ainda que no estande de Distortions haverá uma cosplayer com os trajes da garota que protagoniza o game. Você pode tirar fotos à vontade. A intenção é popularizar ainda mais a franquia entre os jogadores brasileiros.

Em Distortions você controla uma garota que acorda em um quarto estranho e desconhecido. Sem entender o que se passa ou onde está, a jovem começa a investigar o quarto, mas para seu desespero percebe que o tempo parece estar parado e os objetos congelados, como se a gravidade já não mais existisse. A partir daí, o jogador deve conduzir a jovem através de um mundo vasto e solitário, na tentativa de descobrir respostas para os mistérios que a rodeiam.

Sua única arma é um violino, que deve ser utilizado para defender-se. Mas não pense que ela deve golpear os inimigos com golpes de violino, mas sim encontrando partituras perdidas de músicas que servem para deter os inimigos, manipular o ambiente, entre outras ações. Além disso, a jovem deve encontrar páginas perdidas de um estranho diário que contém pistas que a guiarão em sua jornada. De acordo com os produtores, Distortions conta com referencias de games como Shadow Of The Colossus, Silent Hill 2, e de filmes como Brilho Eterno De Uma Mente Sem Lembranças e Once, apenas uma vez.

Abaixo tem um trailer de Distortions:

Hoplon anuncia sua primeira participação na Gamescom, o maior evento de games da Europa

Os desenvolvedores brasileiros estão em alta e a Hoplon é uma das empresas nacionais em ascensão graças ao sucesso de Heavy Metal Machines. Mas a ideia do estúdio não é restringir o game aos jogadores brasileiros. A Hoplon se prepara para estrear em um dos maiores eventos de jogos eletrônicos do mundo e o maior da Europa, a Gamescom. De 22 a 26 de agosto, em Colônia, na Alemanha, o estúdio terá um estande no espaço da Abragames (Associação Brasileira das Empresas Desenvolvedoras de Jogos Digitais).

De acordo com a Abragames, o espaço será dedicado às desenvolvedoras brasileiras independentes e os visitantes poderão conhecer e jogar Heavy Metal Machines, jogo multiplayer online de batalha veicular free-to-play criado pela Hoplon e que já está disponível em beta aberto no Steam. A expectativa é que os visitantes conheçam a força do desenvolvimento de jogos brasileiros.

“É muito importante participar da Gamescom, ambiente perfeito para nos manter conectados com o que há de melhor na indústria mundial, trocar experiências com outros estúdios e profissionais desse mercado”, disse Rodrigo Campos, CEO da Hoplon. “Temos trabalhado muito para que Heavy Metal Machines esteja cada vez mais inserido no cenário competitivo de esportes eletrônicos, e participar de um evento dessa grandeza também será uma oportunidade única para receber o feedback de gamers de todas as partes do mundo e tornar o jogo ainda mais conhecido.”

Para quem não conhece, Heavy Metal Machines é um jogo de combate veicular onde os competidores devem se enfrentar em pistas de um mundo pós-apocalíptico. Como se não bastasse todo o clima de destruição, as partidas são embaladas pelo som pesado do Rock n’ Roll. Habilidade no volante e a malandragem são essenciais para garantir a vitória nos confrontos. O clima lembra muito o clássico Rock ‘n Roll Racing. Heavy Metal Machines está disponível em beta aberto no Steam e pode ser baixado de graça. Para conhecer as novidades do game, acesse o site.

Confira o vídeo de Heavy Metal Machines da Hoplon

Conheça Decoherence, a primeira IP do estúdio Efecto da Colômbia

Nosso destaque do dia vem diretamente do estúdio Efecto da Colômbia. O game chamado Decoherence, um jogo de ação e estratégia em que jogadores constroem e colocam robôs para travar lutas ferrenhas. O foco do jogo é o PvP, de modo que a ação online é onde as coisas ficam mais agitadas.

Você monta os robôs com componentes destrutivos e em seguida coloca sua equipe para brigar na arena de combate. Após configurar o comportamento de suas unidades, basta lutar ao lado delas para submeter o time adversário. Decoherence é a primeira IP do Efecto Studio, que é composta por desenvolvedores atuantes na indústria há mais de dez anos.

Decoherence proporcionará uma experiência multiplayer competitiva mesclando a ação frenética com estratégia e táticas completas, tornando o jogo em uma proposta bastante diferente no gênero. Duas partidas jamais serão iguais pois as lutas são definidas não apenas pela habilidade, mas também pelas decisões estratégicas”, disse Miguel Posada, game designer e cofundador da Efecto Studios.

Decoherence ainda está em na fase mais delicada do desenvolvimento, que é captar feedbacks dos jogadores a fim de tornar a experiência perfeita. Para isso, eles estão recrutando alpha testes. Se você quiser testar o game e enviar um feedback basta preencher um formulário.

Abaixo tem um trailer de Decoherence:

Abertas inscrições do segundo programa de pré-aceleração da Playbor

Estão abertas desde o último domingo (13 de agosto de 2017), as inscrições para a próxima pré-aceleração da Playbor. A intenção é auxiliar novos produtores de jogos a lançarem seus produtos no mercado. Desta vez haverão duas turmas: uma presencial em Minas Gerais, com o patrocínio do Sebrae Minas; e outra nacional e remota, repetindo o mesmo modelo que foi consolidado no começo do ano. Você tem até o dia 27 de agosto para enviar a inscrição do seu game.

A abertura do processo será com uma GameJam que começa no dia 1 de setembro. Depois disso, 20 times selecionados (10 em cada turma) passarão por oito semanas de uma maratona de desenvolvimento de jogos voltada para o produto. Ao fim, haverá mais uma seleção e os finalistas passarão por duas semanas de uma consultoria focada em negócios e empreendedorismo.

“A ideia do programa é criar oportunidades para o desenvolvimento de jogos independentes no Brasil. A Playbor oferece suporte, contatos e mentorias com as figuras mais importantes do cenário de games nacional para que os times forem uma boa estrutura e consigam caminhar no mercado com as próprias pernas”, explicou Marcelo Faria, diretor de aceleração da Playbor.

As inscrições estão abertas no site da Playbor para equipes com dois ou mais integrantes que estejam dispostos a empreender no mercado de jogos. A primeira edição revelou muitos jogos interessantes que até saíram aqui no GameReporter como o Cursiva e Bonded Heroes.

Sobre a Playbor

Para quem não conhece, a Playbor foi fundada em 2015 por empreendedores e entusiastas de games. Ela é a primeira empresa do Brasil focada em acelerar o desenvolvimento de jogos digitais. Executou seu primeiro programa de pré-aceleração no começo de 2017, revelando talentos como a Kaldra Games e a Rev Studio.

ATUALIZADO | Guia: onde estudar desenvolvimento de jogos digitais no Brasil

O mercado de games no Brasil é no mínimo promissor, não por acaso muitas instituições de ensino formam cursos voltados para a produção e desenvolvimento de jogos digitais. O grande problema é que a maior parte das universidades estão concentradas no eixo Rio-São Paulo, de modo que estudantes de outros estados encontram dificuldades em encontrar cursos em suas regiões.

Pensando nisso, o GameReporter organizou uma lista de instituições que oferecem cursos voltados ao desenvolvimento de jogos digitais no Brasil. O MEC aprova cerca de 50 universidades que oferecem graduação tecnológica.

Instituições que oferecem graduação em Jogos Digitais:

Fora essas instituições, existem outras maneiras de entrar na área dos jogos eletrônicos, como por exemplo, os cursos oferecidos pela SAGA, pela renomada Melies, AXIS e também a Zion Escola de Entretenimento no Rio de Janeiro. A Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul) também oferece um curso sequencial de Modelagem Gráfica e Jogos de Computador. Um belo destaque é a Escola Brasileira de Games, instituição voltada exclusivamente à cursos ligados aos jogos eletrônicos. A instituição é nova e encontra-se em São Paulo.

Além destas instituições, o Colégio FECAP oferece também o Ensino Médio Técnico Integrado em Jogos Digitais.

Especializações com menor duração também são oferecidas no Brasil, como o Curso de Atualização em Game Marketing da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) e o curso de Desenvolvimento de Jogos do Instituto Dom Bosco, em Piracicaba, São Paulo. A PUC-SP também conta com diversos cursos de Extensão na área de Jogos Digitais.

Se seu sonho é entrar na área de produção e desenvolvimento de jogos digitais, esteja preparado! O caminho é difícil, mas bastante promissor e só tende a crescer em nosso país. Aproveite que a maioria das universidades estão com vestibulares abertos e comece a estudar!

Comente sobre os cursos abaixo. Se esquecemos de algum, por favor, nos envie o link para publicarmos. Basta colocar nos comentários deste post ;)