Arquivo da categoria: Indie

Garden Paws – Game indie mistura elementos de Harvest Moon e Minecraft com jogabilidade de RPG Online e Simulação

Nosso destaque do dia é um jogo que mistura os gêneros RPG Online e simulação. Trata-se de Garden Paws, produzido pela empresa Bitten Toast Games. O título aposta numa jogabilidade relaxante para segurar as atenções do jogador. Basicamente o título oferece um playground em que o jogador pode plantar plantas, abrir uma loja, pescar, treinar animais, reconstruir a cidade e até mesmo explorar ambientes inóspitos.

Já que tem foco no multiplayer online, Garden Paws busca criar uma comunidade ativa de jogadores, tal como em uma grande comunidade. Tem até uma trama para justificar a aventura: você deve tomar conta da fazenda de seus avós enquanto eles viajam pelo mundo. Ao assumir o comando dos negócios, você deve ajudar o prefeito da cidade a melhorar a cidade e construir um ambiente agradável de se viver.

Para ter sucesso na missão você deve coletar moedas e a forma mais fácil (mas não a única) é construir sua própria loja. O que será vendido cabe a você decidir. Pode ser flores ou objetos do dia a dia. Quanto mais a cidade cresce, mais habitantes chegam para enriquecer o ambiente graças aos novos itens e quests que o jogador pode completar.

A inspiração mais óbvia de Garden Paws é o saudoso Harvest Moon. Inclusive o jogador pode plantar sementes e vender os frutos em sua própria loja, ou ainda criar animais e vender produtos aos visitantes da cidade. Entretanto as coisas não ficam tão paradas: de vez em quando acontecem desastres naturais para tirar a alegria do jogador. Quando isso acontece toda a comunidade online deve se unir para reconstruir a cidadezinha.

Há momentos de combate no jogo. Há uma mina local habitada por um perigoso necromante capaz de trazer os mortos de volta a vida. Cabe também ao jogador explorar as minas labirínticas para destruir as ameaças e recuperar valiosos tesouros. Aqui dá para sacer uma inspiração de Minecraft, mostrando que os produtores pretendem fazer um game variado e divertido.

Garden Paws permite que até três amigos se juntem na partida e colaborem para transformar o vibrante comércio da zona rural. O título está em campanha no Kickstarter e tem boas chances de ser bem sucedido graças aos visuais coloridos e ambientes bonitos. Os personagens são fofinhos, de modo que o game deve fazer sucesso especial com jogadores mais jovens e amantes do gênero administração.

Apesar de estar em desenvolvimento com foco no idioma inglês, o game é tocado adiante pelo brasileiro Daniel “SND” Silveira e tem auxílio da lenda brasileira em soundtracks – Thiago Adamo e da Kristina Vandale, especialista em level design. A previsão é lançar o projeto em 2019 para PCs via Steam e Nintendo Switch.

Abaixo tem o trailer de Garden Paws:

BIG Festival 2018 bate recorde de visitantes em sua 6ª edição

porO BIG Festival já é considerado o maior evento de jogos independentes da América Latina há alguns anos e apesar das recentes polêmicas, a peteca não deixa de cair ano após ano. Prova disso, é o recorde de visitantes nesta 6º edição, que atraiu cerca de 30 mil pessoas. O evento aconteceu entre os dias 23 de junho e 1º de julho em São Paulo, no Centro Cultural São Paulo, e no Rio de Janeiro, no Centro Cultural Oi Futuro.

“É muito importante para nós esse sucesso de público”, diz Gustavo Steinberg, diretor do BIG Festival. “Isso mostra o interesse da comunidade e da indústria quando se trata de desenvolvimento de jogos no Brasil. Se considerarmos os games finalistas da premiação, Panorama Brasil, jogos de estudantes brasileiros e BIG Brands, tivemos um total de 50 jogos brasileiros em exposição (57% dos jogos de todo evento). Isso ajuda a posicionar nosso país como hub internacional de negócios para jogos independentes na América Latina”, completa.

De acordo com a organização do BIG, a Rodada de Negócios chegou a mais de 2.200 reuniões entre desenvolvedores e investidores, com a participação de 428 empresas, de 29 países e 850 profissionais de toda indústria criativa. A intenção foi discutir tendências do setor no Brasil, além de reunir investidores que façam o Brasil crescer ainda mais no mercado de jogos digitais. Inclusive uma delegação de empresas chinesas vieram até o evento para conhecer a produção nacional de jogos.

Vale também destacar que cerca de 646 games foram inscritos no evento, oriundos de 53 países. O grande vencedor da cerimônia foi o game de estratégia Frostpunk, desenvolvido pela polonesa 11 bit Studios. Entre os games nacionais, No Heroes Here, do estúdio paulistano Mad Mimic Interactive, ganhou tanto como Melhor Jogo Brasileiro quanto como Voto Popular, prêmio escolhido pelos visitantes do festival.

BIG Festival 2019 já está confirmado

O BIG Festival 2019 acontecerá de 22 a 30 de junho. No BIG 2018 foi montado um ponto de recebimento de sugestões, elogios e críticas para as próximas edições. A organizacao promete trazer o melhor do BIG Festival no ano que vem, com grandes novidades e surpresas.

Zumbi Olé – Futebol é a arma para combater zumbis em game de aluno da Fatec Carapicuíba

Ainda inspirados pelo clima de Copa do Mundo, hoje vamos falar de um game criado pelo aluno Raul Tabajara da Fatec de Carapicuíba. Trata-se de Zumbi Olé, um game de celular em que o jogador precisa driblar zumbis para somar pontos, salvar o mundo e se tornar um novo craque. O game é para dispositivos Android e já é bem conhecido do público brasileiro, de modo que já ultrapassou a marca de 33 mil downloads e está disponível gratuitamente.

O game gira em torno de Yara, uma menina que sonhava em ser jogadora de futebol, mas viu seu futuro ameaçado após um apocalipse zumbi dominar o planeta. Para sobreviver, ela resolve encarar a batalha e sair driblando os mortos-vivos, tomando cuidado para não ser capturada e devorada por eles.

A grande diferença do Zumbi Olé para tantos outros jogos é sua proposta inusitada ao misturar dois temas tão diferentes como futebol e apocalipse zumbi. Como se não bastasse, o game não tem nada de violência. Tudo aqui está envolto na habilidade e talento esportivo de Yara. O jogo foi uma das atrações do Big Festival, um dos principais eventos de games independentes do Brasil, e se classificou entre as 15 melhores produções nacionais do gênero em 2017.

A Copa do Mundo também contribuiu para aumentar o interesse dos usuários pelo aplicativo, mas o destaque tem sido a ótima aceitação do público feminino. De acordo com Raul Tabajara, colocar uma garota como protagonista foi proposital e serviu para quebrar paradigmas, dando representatividade às mulheres no esporte mais amado do país.

Para desenvolver o Zumbi Olé, o desenvolvedor contou com a parceria de amigos e do professor Alvaro Gabriele Rodrigues. Ele conta que a ideia surgiu assistindo ao seriado de zumbis Walking Dead. “Os monstros são muito lentos. Não precisa de armas para derrotá-los, basta pular para o lado e gritar: olé”, explica. “Poderia criar um jogo com essa concepção e colocar uma bola nos pés da personagem, fazendo uma alusão ao esporte mais popular do Brasil”.

Segundo o estudante, que também lançou recentemente o jogo Masmorra da Tortura, o próximo passo será uma nova versão do Zumbi Olé para computador com novos recursos, como loja virtual para compra de chuteiras mais potentes e uniformes de clubes e seleções. O game está disponível gratuitamente na Google Play.

Abaixo tem o trailer de Zumbi Olé:

No Heroes Here – Game vencedor de edital da Spcine ganha prêmios no BIG Festival

O ano de 2018 tem sido extremamente positivo para os desenvolvedores brasileiros do estúdio indie Mad Mimic Interactive: após confirmar versões para PS4 e Switch, o game No Heroes Here sagrou-se um dos campeões do BIG Festival, o mais importante evento de jogos independentes da América Latina. O game levou dois prêmios do festival: o de melhor jogo brasileiro e de melhor jogo pelo voto popular. Foi o único da lista de vencedores a ter uma vitória dupla.

Vale lembrar que esta não é a primeira vez que o jogo da Mad Mimic conquistou um prêmio importante! Durante a etapa de desenvolvimento, o game foi contemplado no edital de games da Spcine de 2016. De acordo com Luis Tashiro, um dos produtores de No Heroes Here, o jogo veio em um período sensível para a empresa.

“ Nós estávamos há 2 meses produzindo um jogo que acabou dando bastante errado. Até que um dia conversei com a equipe e disse que estava cancelando o projeto e que nos próximos dias iríamos começar um brainstorm para pensar em ideias novas. Todas as nossas referências foram tiradas de jogos do gênero couch co-op. Ao final do terceiro dia de discussão sobre o novo jogo, eu dei a ideia de juntar o processo de cozinhar (produção) do Overcooked com derrotar inimigos em estações diferentes do Lovers in a Dangerous Spacetime. Dessa união veio a primeira ideia do No Heroes Here”.

Para quem não teve a oportunidade de conhecer, No Heroes Here é um jogo co-op para até 4 jogadores. Neste frenético simulador de defesa de castelo, os jogadores precisam gerir recursos, cooperar e coordenar entre si. O trabalho em equipe torna-se mais importante que as habilidades individuais.

A premissa é que o Reino de Noobland perdeu seus heróis, mas há um ataque inimigo chegando. Cabe aos “Não-Heróis” a tarefa de impedir os inimigos. Você deve forjar diferentes tipos de munição para carregar os canhões, tais como barris de mel, galinhas enlouquecidas, entre outras loucuras. A jogabilidade é bem simples e divertida. Não é por acaso que o game foi tão premiado.

Ao todo existem mais de 50 fases e o macete é tomar decisões rapidamente e em conjunto a fim de destruir as hordas invasoras. Para isso, você deve manter a comunicação com seus parceiros de quest.

Abaixo tem um trailer de No Heroes Here:

Noord Games organiza Game Jam em Recife que promete aproximar o Brasil e a Holanda

A cidade de Recife será a sede de uma nova Game Jam que promete aproximar o Brasil e a Holanda neste mês de julho. Organizado pelo time da startup Noord Games em parceria com a embaixada do Reino dos Países Baixos, o evento vai desafiar os produtores de games brasileiros a produzir um game do zero com o tema “Brasil-Holanda”. A ideia do tema é ressaltar a influência histórica e cultural do período da ocupação holandesa no Estado.

O evento em si acontece entre os dias 20 a 22 de julho, mas para participar você deve fazer a pré-inscrição até o dia 12 de julho. Tanto a inscrição, quanto o evento são gratuitos. Para participar, você deve formar sua equipe com até 07 pessoas. A organização promete um fim de semana inteiro de competição, mas também de muito aprendizado.

De acordo com a Noord Games, a premiação acontece apenas no dia 25 de agosto após a banca julgadora avaliar os games produzidos. A premiação total para os vencedores é de R$ 14 mil, sendo que o primeiro colocado fica com R$ 8 mil, o segundo colocado leva para casa R$ 4 mil e o terceiro colocado tem direito a R$ 2 mil. As inscrições estão abertas no site, onde também é possível consultar o edital completo.

Antes da Game Jam em si a Noord Games também realiza uma serie de palestras a fim de unir ainda mais o Brasil e a Holanda. A primeira apresentação ocorre no dia 8 de julho, quando a organização explica o que é o evento principal e em seguida teremos o Professor Maurício Rocha palestrando sobre “A Arquitetura Urbana Recife-Amsterdã”. No dia 14 de julho teremos outra palestra com o Professor Marcos Galindo cujo tema é “O Brasil-Holanda e a Cidade Mauricia”.

A Game Jam pretende atrair desenvolvedores de games e entusiastas por jogos digitais. Com o apoio da embaixada da Holanda e as palestras, pode-se esperar que o evento em si deva reunir historiadores e estudantes da cidade de Recife. Se você curte jogos eletrônicos, não pode perder!

Serviço – Game Jam Noord Games

Onde: Centro Cultural Correios Recife, Av. Marquês de Olinda, 262 – Bairro do Recife

Quando: 20 a 22 de julho

Quanto: Gratuito

Inscrições no site da Noord Games até o dia 12 de julho

BIG Festival 2018 – Chegou a hora de conhecer os grandes vencedores do maior evento de jogos independentes da América Latina

O BIG Festival 2018 terminou e foi mais um sucesso retumbante, apresentando as novas tendências dos jogos independentes do Brasil e do mundo. O evento contou com a presença de milhares de visitantes no Centro Cultural São Paulo, de modo que o evento deu a oportunidade dos jogos da feira em aumentar a sua participação em solo brasileiro, além de conquistar a atenção da mídia e investidores.

O BIG 2018 deu ainda aos desenvolvedores indies a oportunidade de apresentar seus projetos a uma platéia composta por desenvolvedores, potenciais investidores, nomes relevantes do game design nacional e internacional, jornalistas e outros formadores de opinião. Além disso, os visitantes da feira tiveram a oportunidade de colocar as mãos nos projetos e votar em seus favoritos.

Quem se sagrou vencedor da noite foi o polonês Frostpunk, da desenvolvedora 11 bit Studios. O game para PCs levou o título de Melhor Jogo na premiação. Ele coloca o jogador no papel de administrador de uma cidade no séc. XIX, com a diferença que há mecânicas de survival e estratégia. O título, aliás, já está disponível para jogatina.

Já na categoria Melhor Jogo brasileiro ficou com os talentosos desenvolvedores da Mad Mimic Interactive e seu ambicioso No Heroes Here. O título do gênero tower defense fez bastante sucesso graças ao modo multiplayer cooperativo que é bastante visceral. O Brasil ainda teve outros prêmios importantes como Melhor Jogo Infantil, por Foffuuu; e no BIG Impact, com Marvellous.

De acordo com a organização do evento, nesta edição foram inscritos mais de 156 jogos. Os grandes vencedores apresentaram características que fazem de seus produtos únicos, tais como aspectos audiovisuais, interativos, mecânica e criatividade. Os grandes ganhadores receberam um belo troféu e um prêmio de R$ 10 mil cada.

Abaixo você vê os vencedores do BIG Festival 2018:

 

Melhor Jogo
VENCEDOR: Frostpunk (11bit Studios), da Polônia
Comentário do Júri Internacional:
“Seu gameplay inteligente alcança um novo marco ao combinar estratégia, conexão emocional e fantástico visual artístico.”

Melhor Jogo Brasileiro e Melhor Jogo Voto Popular
VENCEDOR: No Heroes Here (Mad Mimic Interactive), do Brasil
Comentário do Júri Internacional:
“Amizades frenéticas e gameplay caótico. É isso que um couch co-op tem que ser.”

Melhor Jogo da América Latina
VENCEDOR:Iron Marines (Ironhide Game Studio), do Uruguai
Comentário do Júri Internacional:
“A grande conquista de perfeitamente traduzir um RTS para mobile.”

Melhor Gameplay
VENCEDOR: Dead Cells (Motion Twin),da França
Comentário do Júri Internacional:
“Mecânicas inovadoras combinadas com direção de arte linda chamam a atenção até daqueles que nunca ouviram falar do gênero metroidvania.”

Melhor Multiplayer
VENCEDOR: Muddledash (Slampunks), do Reino Unido
Comentário do Júri Internacional:
“Uma reimaginação única, acessível e muito fofa do gênero de corrida.”

*Melhor Jogo Infantil
Fofuuú (FOFUUU SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS PARA SAÚDE E EDUCAÇÃO LTDA), do Brasil
Comentário do Júri:
“Um game que coloca empatia e diversão em fonoaudiologia.”

*Melhor Jogo BIG Brands 
VENCEDOR: PSG FOOTBALL FREESTYLE (Hermit Crab Studio), do Brasil
Cliente: Paris Saint-Germain (PSG Football Club)
Comentário do Júri:
“Jogo que explora o tema do futebol de maneira bastante interessante, com jogabilidade desafiadora e conceito visual dinâmico. PSG Football Freestyle entrega uma boa experiência casual e valoriza a marca do cliente.”

*BIG Impact – Educacional 
VENCEDOR: MARVELLOUS INC (Marvellous Soft), do Brasil
Comentário do Júri:
“Introduz os jogadores ao mundo da lógica de programação, alcançando uma experiência sólida e engajadora.”

BIG Impact – Questões Sociais
VENCEDOR: Lenin The Lion (Lornyon), do Brasil
Comentário do Júri Internacional:
“Lenin the Lion lida com uma importante e complexa questão social como a depressão através de gameplay simples e cativante.”

Melhor Jogo de Realidade Virtual
VENCEDOR: Luna (Funomena LLC), dos Estados Unidos
Comentário do Júri Internacional:
“Um exuberante playground imersivo que é perfeito para VR.”

Melhor Arte
VENCEDOR: CHUCHEL (Amanita Design), da República Tcheca
Comentário do Júri Internacional:
“É como estar em um programa de criança, impossível não sorrir.”

Melhor Narrativa
VENCEDOR: Where The Water Tastes Like Wine (Dim Bulb Games), dos Estados Unidos
Comentário do Júri Internacional:
“Uma façanha narrativa. Um time colaborativo de 21 escritores uniram forças para construir essa coesa coleção de fábulas interativas.”

Inovação 
VENCEDOR: Haimrik (Below The Game), da Colômbia
Comentário do Júri Internacional:
“Inovação é a palavra. Literalmente.”

Melhor Som
VENCEDOR: Rhythm Doctor (7th Beat Games), do Peru
Comentário do Júri Internacional:
“Faz seu coração bater.”

Melhor Jogo de Estudante 
VENCEDOR : Motif (Yeta Gamefrost), Turquia
Comentário do Júri Internacional:
“Um caleidoscópio de diversão geométrica”.

*Menção Honrosa – Melhor Jogo de Estudante Brasileiro
VENCEDOR: WILD GLORY (LAJE Studios e Manalith Studios), da PUC-PR
Comentário do Júri:
“Um frenético multiplayer competitivo em que personagens carismáticas se digladiam diante de um público fanático. A diversão é garantida, mas tome cuidado para não perder suas amizades.”

BIG Starter – Melhor Jogo Educacional ou de Impacto Social
VENCEDOR: Mompas (Studio Nebulosa)
Comentário do Júri:
“Divertido, educativo e competitivo. Leva em conta os conhecimentos individuais.”

BIG Starter – Melhor Jogo de Entretenimento
VENCEDOR: One Beat Min (PixJuice)
Comentário do Júri:
“Proposta diferenciada com estética singular e potencial de público.”

Conheça o Fast 4 Foods, primeiro game mobile da produtora indie Night Lab

O destaque para iniciar a semana é o primeiro game desenvolvido pelo estúdio Night Lab, uma empresa indie do Brasil que é dedicada em jogos eletrônicos e HQs. O título em questão chama-se Fast 4 Foods e é exclusivo para Android, onde o jogador deve ajudar os pobres animais da fazenda a escapar de um terrível cozinheiro.

Basicamente você deve ajudar o animal a fugir antes que ele vire comida. Desenvolvido na plataforma Unity, o Fast 4 Foods te coloca numa corrida desenfreada onde o jogador deve tocar na tela para desviar de obstáculos como outros animais da fazenda. Fast 4 Foods é do gênero infinite runner e conta com um tom de humor bem sacado para divertir os jogadores. Se você for pego, por exemplo, o porquinho vira bacon.

Tal como ocorre em jogos do gênero infinite runner, a dificuldade é gradativa, de modo que a cada obstáculo a velocidade aumenta até chegar um nível de dificuldade extrema. O desafio mesmo é conquistar a melhor pontuação possível e desafiar os amigos para ver quem consegue o melhor score.

Sobre os aspectos técnicos: Fast 4 Foods tem um gráfico mais cartoon, colorido e divertido que vai agradar os jogadores mais jovens. A trilha sonora também é bem frenética para combinar com o estilo de jogo. A jogabilidade é bem simple: um toque na tela faz o personagem pular. É tudo bem intuitivo para agregar jogadores de todas as idades. O jogo está disponível gratuitamente no Google Play.

Abaixo tem um trailer de Fast 4 Foods:

BIG Festival 2018 – Jam City está no Brasil procurando novos talentos para o estúdio de Bogotá, na Colômbia

Quem estiver no Brasil Game Show poderá conhecer o pessoal da Jam City, um estúdio de jogos digitais da Califórnia com estúdios espalhados em vários locais. O estúdio está ampliando sua participação na América Latina e, para isso, está aumentando o número de funcionários em seu escritório de Bogotá, na Colômbia.

De acordo com um informe para a imprensa, a Jam City está procurando pelos melhores e mais brilhantes talentos para se juntar a seu estúdio em Bogotá. Entre as vagas disponíveis para trabalhar estão a de Artista Técnico e Engenheiro Sênior de Unidade Móvel, para desenvolver jogos e aplicativos para smartphones.

A produtora informa que o salário é compatível com as funções, além de disponibilizar plano de saúde, vale refeição, treinamentos e um ambiente agradável para se trabalhar e fazer amigos. A expectativa nesta incursão no Brasil é encontrar talentos capazes de reforçar e tornar o estúdio ainda mais bem sucedido.

Para se candidatar à vaga de Artista Técnico é necessário preencher alguns requisitos, tais como habilidade em software 3D Studio Max e Photoshop, experiência em Unity e C#, habilidade para trabalhar em grupo, organização, capacidade de resolver problemas, fluência em inglês e ser um apaixonado por videogames.

Já a vaga para Engenheiro Sênior de Unidade Móvel requer experiência mínima de 6 anos em programação, mais de 3 anos em desenvolvimento com Unity e C#, conhecimento com plataformas mobile, experiência com uGUI, TMPro e outras ferramentas de ‘Frameworks’ de UI, ser determinado, analítico, criativo, habilidade para trabalhar em equipe e habilidade em liderança e boas habilidades de comunicação (escrita e falada) em inglês.

Além das vagas em Bogotá, a Jam City ainda conta com vagas abertas na Califórnia, EUA. Para se candidatar a essas e outras vagas basta acessar o site da produtora ou procurá-los no BIG Festival 2018.

Para quem não conhece, a Jam City é uma produtora dedicada em jogos mobile. Entre seus jogos mais bem sucedidos estão Cookie Jam, Harry Potter: Hogwarts Mystery, Snoop Pop e Marvel Avengers Academy. A produtora conta atualmente com mais de 500 funcionários espalhados em estúdios de Los Angeles, San Francisco, San Diego, Bogotá e Buenos Aires.

Abaixo você vê um vídeo que apresenta a Jam City:

Já estão abertas as inscrições para a segunda edição da Game Jam+, o maior evento de desenvolvimento da América Latina

Após passar por seis capitais e realizar uma final emocionante no Rock in Rio 2017, chegou a vez de começar a segunda edição do Game Jam+, o maior evento de desenvolvimento de jogos do Brasil. Neste ano a game Jam será dividida em duas etapas: a primeira consiste em uma maratona de desenvolvimento de jogos, dos dias 27 a 29 de julho, que acontecerá simultaneamente em todas as cidades participantes. A segunda etapa reúne os finalistas de cada região em um evento sediado no Rio de Janeiro em novembro.

A previsão dos organizadores é contar com a participação de 1500 desenvolvedores, 150 mentores e 180 jogos criados ao longo de toda a maratona. A final será realizada no Rio de Janeiro e o vencedor levará uma premiação especial para melhor jogo de impacto social com crivo da UNICEF. O objetivo é que não apenas sejam criados bons jogos, mas que os títulos desenvolvidos possam crescer e fortificar ainda mais o cenário de jogos desenvolvidos no Brasil.

A Game Jam+ cria ambiente para o desenvolvimento de jogos de vídeo game por amadores, oferecendo suporte de profissionais da indústria de games e professores especializados. Os desenvolvedores se reúnem para fazer um protótipo de jogo em uma maratona que dura 48 horas e acontece simultaneamente em todas as cidades participantes. As equipes capazes de concluir a primeira etapa são avaliadas por uma banca de jurados, que seleciona um finalista por região.

Vale mencionar que os protótipos também serão disponibilizados em uma plataforma online para votação do público. Assim, duas equipes terão a oportunidade de disputar a final no Rio de Janeiro. Até o momento são 15 cidades confirmadas: Belém, São Luís, Teresina, Fortaleza, Natal, Recife, Aracaju, Brasília, Belo Horizonte, Pato de Minas, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre. As inscrições estão abertas no site da Game Jam+, você pode se inscrever aqui.

Dogurai – jogo indie da Hungry Bear relembra os clássicos do Gameboy

Nosso destaque do dia é o jogo Dogurai, produzido pelo pessoal do estúdio indie Hungry Bear. Trata-se de um título de plataforma 2D nos moldes de clássicos, cuja principal inspiração são os jogos da série Megaman. Aqui você controla um cachorro samurai chamado Bones e deve combater a ameaça robô que tomou conta de toda força militar. O game é altamente indicado para quem gosta de jogos com estética retro, altos desafios e um gameplay arrojado.

Dogurai foi inicialmente pensado para a GameboyJam 2014. O jogo segue uma estética retrô inspirada nas limitações do Gameboy clássico. São apenas quatro cores na tela a todo momento e a resolução é 144×160 pixels. De acordo com os produtores, o game busca experimentar e atualizar a estética dos jogos atuais e a jogabilidade ao focar em controles precisos e responsivos e incluir diversas mecânicas que variam o gameplay durante as diversas fases.

Outro detalhe importante: o jogo não é totalmente linear, possuindo uma fase introdutória, quatro fases que podem ser concluídas em qualquer ordem e, por fim, um segmento final. Ao longo da jogatina você vai passar por esgotos, fábricas, desertos etc. Para coroar o clima retro, Dogurai também tem uma trilha sonora pensada nos jogos das antigas.

A dificuldade é o ponto alto do game. Os inimigos estão em maior número e são extremamente perigosos. Felizmente o Dogurai é bastante habilidoso com a espada e pode fatiar os adversários facilmente. Há batalhas contra chefões que são bem satisfatórias e vão te fazer penar para ganhar. O título é para PCs e está disponível no itch.io. E também na Steam.

Abaixo você vê o trailer de Dogurai: