Arquivo da categoria: Indie

Inscrições para o BIG Festival 2018 estão prorrogadas até o dia 28 de abril

Ainda não teve tempo de cadastrar seu jogo no BIG Festival 2018, o maior evento de jogos independentes da América Latina? Pois não deixe a oportunidade passar! A organização do evento prorrogou o período de inscrições até o dia 28 de abril. Desenvolvedores do mundo todo devem submeter suas criações gratuitamente através do site oficial.

A sexta edição do BIG Festival acontecerá de 23 de junho a 1 de julho, no Centro Cultural São Paulo, na capital paulista, e no Oi Futuro, no Rio de Janeiro. Os jogos finalistas, produzidos para computadores, tablets, smartphones, consoles e dispositivos de realidade virtual (VR), estarão disponíveis em dezenas de estações para o público em uma exposição gratuita, em que todos poderão testá-los e contribuir para a premiação votando em seus favoritos.

Todos os jogos inscritos serão analisados pelo Comitê de Seleção do festival e os selecionados irão competir em categorias como Melhor Jogo, Melhor Som, Melhor Arte, Melhor Narrativa, Realidade Virtual, entre outras. Os vencedores serão anunciados no palco do evento.

Os representantes dos jogos finalistas recebem, ainda, acesso gratuito às rodadas de negócios do maior hub do setor de games e animação da América Latina, e podem ter a oportunidade de fazer uma palestra sobre o seu jogo. Na última edição, 3200 profissionais do setor estiveram presentes com o objetivo de fortalecer a indústria e criar oportunidades.

Neste ano, uma novidade será uma ação do BIG Festival no Rio de Janeiro. O BIG Rio acontece de 23 de junho a 1 de julho, no centro cultural Oi Futuro, na capital carioca. A ação terá foco em jogos de impacto social com exposição gratuita de games em todos os dias, além de discussões nos dias 29 e 30 de junho, e será realizada em parceria com o Oi Futuro, instituto de inovação e criatividade da Oi.

Serviço – 6º BIG Festival (Brazil’s Independent Games Festival)
De 23 de junho a 1 de julho (Segunda, 25, não abre)
Rodadas de Negócios – de 27 a 29 de junho
De terça a sexta: 10h às 22h / Sábado e domingo: 14h às 22h
Centro Cultural São Paulo – Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso, SP
Entrada: Gratuita

Conduza os negócios de uma firma de investimentos no bem humorado Tap Tap Trillionaire, jogo para Mobile

O game de hoje não é um lançamento, mas é uma dica bem legal se você quer um jogo divertido viciante e desafiador. Tap Tap Trillionaire é um game mobile da Pixio, desenvolvedora dos EUA, cujo objetivo é se tornar um rico playboy. Para tanto você assume a liderança de uma empresa de investimentos e deve usar suas habilidades de negociação para comprar e vender ações no mercado.

O jogo segue o esquema de “tap”, ou seja, quanto mais toques você der na tela, mais dinheiro você consegue. Com a grana conquistada você pode comprar ações de diferentes empresas e depois revendê-las com algum lucro. O problema é que o mercado de ações é imprevisível e muitas vezes você acaba saindo no prejuízo.

Conforme suas riquezas aumentam você pode contratar negociantes que também vão sugerir a compra e venda de certas ações. Mas cuidado! Eles também erram muito, trazendo prejuízos de preciosos milhares de dólares para sua empresa. O macete é que em Trillionaire você pode usar o dinheiro conquistado para investir em treinamento para seus agentes subirem de nível. Quanto maior o nível, maiores as chances de uma negociação bem sucedida e de contratos maiores.

Um dos destaques de Trillionaire é o humor ácido e bem divertido de certas situações. Você vai ver muitas referências da cultura pop, como o negociante Lobo de Door Street, o Pato Tiozinho, o Sr Pergunta, o refrigerante Craka Cola e a rede social Facelook. Espere dar boas risadas com o jogo e altas referências nerds. Os gráficos são  em arte pixelada 8 bits, que dão um ar de personalidade ao game. O jogo recebeu recentemente a tradução em português, de modo que o bom humor permanece bem evidente. Antes de baixar, fica o aviso: oojogo vicia muito! Você pode encontrar o Tap Tap Trillionaire no App StoreGoogle Play.

Abaixo tem um trailer de Tap Tap Trillionaire:

Dolmen entra em campanha no Kickstarter e participa do evento PAX, nos EUA

Nosso destaque de hoje é um jogo brasileiro chamado Dolmen, criado pela Massive Workshop Studio trata-se de um RPG de ação inspirado em Dark Souls. O game está fazendo bonito em seu circuito de divulgação: após causar impacto na BGS 2017 e da GDC 2018, agora é a vez dos visitantes da  PAX conferirem o título brasileiro. O game terá um estande no evento de Boston nos dias 5 a 8 de abril.

A presença no evento marcará o pontapé inicial da campanha de financiamento coletivo via Kickstarter, que também começou na última quinta-feira. Você pode acessar a campanha aqui. Quem jogou Dolmen ficou impactado com o alto nível do jogo e sua semelhança com o aclamado Dark Souls. É um dos poucos jogos brasileiros comparável aos AAA americanos.

Dolmen levará os jogadores a um mundo alienígena hostil conhecido como Revion Prime, a localização do maior massacre registrado na história galáctica. Os cadáveres daqueles que lá viviam há muito tempo orbitam o planeta – como uma vala comum suspensa no tempo. Como o único sobrevivente de uma tripulação de astronautas humanos, puxado do espaço e raptado em um futuro distante, você acorda abaixo da superfície do planeta sem suprimentos. 

Para sobreviver, você deve se adaptar e dominar o sistema de combate do jogo, procurando recursos e criando novos itens que melhorem seu armamento e seu traje de suporte à vida. Revion Prime é implacável; você aprenderá da maneira mais difícil.

“Estamos muito felizes em participar da PAX East”, anunciou Pedro Bastos, produtor do jogo. “Nossa campanha de financiamento coletivo começará no mesmo dia que a PAX abrirá seus portões e estamos muito ansiosos para mostrar o jogo para todos os visitantes. Estamos nos Estados Unidos desde o começo de Março, quando participamos da Game Developers Conference e está sendo uma experiência incrível”, completou.

A campanha de financiamento coletivo do Dolmen está aberta e busca arrecadar US$ 90 mil, que será utilizado para o desenvolvimento de novas mecânicas, polimentos gráficos e adição do modo multiplayer online.

Abaixo tem um trailer de Dolmen:

Ferreiros e Alquimistas – jogo brasileiro reconta a história da tribo indígena Tayronas da Colômbia e o processo de alquimia para criar o ouro de tolo

O jogo Ferreiros e Alquimistas é um daqueles projetos educativos que transcendem a barreira e o preconceito que muitos jogadores têm com jogos do gênero. O game é uma verdadeira aula de história e química, apesar de ter cara de um adventure moderno. Aqui o jogador entra na pele de uma jovem da tribo Tayrona, que deve utilizar seus conhecimentos em alquimia para forjar o famoso “ouro” de Tumbaga. O game nasceu de um projeto da UFRGS e já conquistou bastante aclamação desde o ano passado.

O game é uma analogia ao que o povo Tayrona fazia na época dos conquistadores espanhóis. Nativos da região da Colômbia, os Tayronas viviam.pacificamente até os espanhóis chegarem e passarem a exigir o ouro da região. A partir de seus conhecimentos da região, os Tayronas faziam expedições para buscar elementos químicos a fim de criar a liga Tumbaga, composta de ouro e cobre, a liga mais usada entre os ourives pré-hispânicos do território colombiano.

Para isso, o jogador deve coletar diferentes itens em determinados locais do relevo colombiano, tais como lagos, montanhas, cavernas e a vegetação nativa. Ao todo são três objetivos a serem cumpridos nesta primeira fase do game: produzir o espelho de Tumbaga, criar um colar de Tumbaga e a criação de uma escultura da mesma liga. Cada uma dessas etapas necessita de um processo específico, como polir ouro, coletar cera de abelha, ou adquirir argila. Cada um desses processos replica as etapas que os verdadeiros Tayronas faziam para entregar o ouro aos espanhóis.

Na época de colonização da América do Sul os espanhóis estavam surpresos com a quantidade de ouro que os Tayronas possuíam, mas o que eles não sabiam era que todo o material era composto por 95% de cobre e apenas 5% de ouro. Acontece que no processo de alquimia, os indígenas realizavam uma infusão feita com uma planta chamada chulco, que fazia com que a superfície em cobre fosse corroída e deixasse à mostra apenas os átomos de ouro na parte exterior. Quando os espanhóis descobriram o engodo começou uma tensão entre os povos. Foi daí que surgiu a expressão ouro de tolo.

Ferreiros e Alquimistas foi desenvolvido por um grupo pertencente ao NAPEAD (Núcleo de Apoio Pedagógico à Educação a Distância da UFRGS), com liderança do professor de química Marcelo Eichler. O grupo, aliás, já pensa nas próximas duas fases do game. De acordo com Marcelo, o segundo capítulo vai se passar no Caribe e contará uma parte da história envolvendo escravatura e o trabalho de Ferreiros nas formas de Siderito (um metal advindo de um meteoro). A terceira parte será mais focada na alquimia e vai levar o jogador até a Europa.

Ferreiros e Alquimistas foi possível graças a um financiamento em 2015 através do CNPQ (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e da FAPERGS (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul). Em meados de 2017, o título foi finalista em Curitiba da SBGames (Simpósio Brasileiro de Games e Entretenimento) na categoria jogos educativos. A expectativa é que o game conquiste ainda mais sucesso entre os jogadores brasileiros e se torne um marco entre os jogos educativos. Você pode acessar o game aqui.

Abaixo tem um trailer de Ferreiros e Alquimistas:

Delegação da Abragames na GDC recebe prêmios e faz bastante sucesso

Os desenvolvedores de jogos nacionais tem muito a comemorar, afinal a expedição para a GDC foi um tremendo sucesso. Tanto que a delegação teve de apresentar aos fiscais de aeroportos os prêmios que receberam ao desembarcar no Brasil. Sim, nossos jogos foram altamente elogiados e prestigiados no evento americano. Até mesmo o Ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, compareceu, pela primeira vez, no evento em São Francisco, para prestigiar o setor.

Neste ano a delegação brasileira bateu o  recorde de integrantes no evento ao enviar nada menos que 44 empresas e mais de 120 profissionais do Brasil para a GDC. Esta participação em eventos internacionais é uma iniciativa do Projeto Brazilian Game Developers (BGD), parceria da Abragames com a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos).

Os desenvolvedores brasileiros voltaram da GDC 2018 com muitos prêmios. Entre eles podemos citar que o game Relic Hunters Legend, da Rogue Snail, foi o grande vencedor do GDC Pitch; novamente a Rogue Snail, e a Bad Minions, ganharam Menções Honrosas na GDC Play; o game Plushie Mania, da Gazeus Games, foi exibido no estande do Facebook, e o Viking Days, da VR Monkey, no estande da Intel.

“Em 2017 tivemos o Kickstarter bem-sucedido e um investimento da empresa sul-coreana GTR. Esse ano já começamos ganhando o edital da Ancine no Brasil e com a premiação na GDC no exterior”, comemora Marco Venturelli, CEO e Presidente Criativo da Rogue Snail.

Com o sucesso da delegação brasileira na GDC espera-se que mais companhias invistam na produção nacional. Potencial já sabemos que temos para fazer frente aos jogos de qualquer país.

Abaixo tem um vídeo dos jogos que participaram da delegação Abragames no evento:

Conheça DefenderZ – Zombies Attack, o novo joga da Gamix Studio

Para quem curte jogos de ação e estratégia, a dica é o DefenderZ – Zombies Attack, título criado pelo estúdio indie Gamix Studio, da Bahia. Aqui o jogador é o único defensor de uma barricada que impede o ataque de uma horda de zumbis. O game tem forte influência do webgame The Last Stand 2, que fez bastante sucesso há alguns anos.

DefenderZ – Zombies Attack possui câmera isométrica a fim de dar maior visibilidade e imersao ao jogador.  Sua missão é proteger a barricada dos Zombies de outra dimensão, se você falhar, tudo será destruído. Mas não pense que a tarefa será fácil: diferentes tipos de zombies saem da barricada, de zombies lentos à tankers monstruosos, o jogador terá que usar de estratégia e agilidade para alternar entre as 5 rotas e acabar com os invasores, tomando cuidado com os zumbis corredores, pois muitas vezes eles são mais perigosos que os próprios tankers.

Atualmente o DefenderZ possui alguns recursos para facilitar a vida do jogador,, como os valiosos Itens de defesa (Tapete de pregos e Armadilha de urso), 1 item de ajuda(Caixa de vida,que quando recolhida pelo player aumenta o hp da BARRICADA), 3 personagens com armas e habilidades próprias e ranking via Facebook.

De acordo com a Gamix, uma atualização está a caminho que vai melhor a experiência de jogo e até adicionar um modo história. A versão beta já está disponível na Google Play e pode ser baixada gratuitamente.

Abaixo tem o trailer de DefenderZ:

Robô Breakout é o game indicado para quem curte jogos de plataforma 2D e um desafio de alto nível

A dica de hoje é para quem curte jogos de plataforma 2D e está procurando algo divertido do gênero para jogar no celular. Criado pelo estúdio indie End Level Studios, o jogo Robô Breakout coloca o jogador no papel do pequeno robô rbx-N5F, que tenta de todas as formas escapar das terríveis armadilhas de uma estação de reciclagem. Para sobreviver você deve guiá-lo através de plataformas e diferentes armadilhas que visam destruir qualquer artefato mecânico.

A trama de Robô Breakout conta que em um futuro distante, os robôs com mau-funcionamento devem ir para a esteira de reciclagem. De alguma forma rbx-N5F acabou mandado para a reciclagem. O problema é que seu o pequenino está consciente de seu triste destino e decide fugir da fábrica. Porém as coisas não serão nada simples, pois no caminho você se depara com poças de lava, espinhos e até mísseis teleguiados que tentarão destruir o rbx-N5F. Cabe ao jogador usar seus reflexos rápidos e atenção para pular pelas plataformas e chegar em segurança até o final da usina de reciclagem.

Robô Breakout foi desenvolvido com o público casual em mente, de modo que ele pode ser jogado por todos os públicos. Ainda assim, o nível de dificuldade é bem elevado e você vai sofrer para passar as 30 fases que o jogo oferece. Felizmente existem Power ups capazes de ajudar o rbx-N5F a passar pelos desafios.

Um dos pontos de destaque do game são seus visuais cartunescos que dão bastante personalidade ao projeto, além do design de fases bem estruturado. De acordo com a End Level, há muitos conteúdos a serem lançados para tornar a experiência de jogo ainda melhor. Se você curte o gênero platformer, confira o game (já disponível na Google Play).

Abaixo tem o trailer de Robô Breakout:

Alpha Beat Cancer – Game brasileiro para crianças com câncer é premiado no World Summit Awards

Que os games são ferramentas importantes até mesmo para a medicina, você já sabia, certo? Pois bem, a bola da vez é o Alpha Beat Cancer,   desenvolvido pela Mukutu em parceria com o Instituto Beaba, que acaba de ser premiado com o World Summit Awards na categoria global de Saúde e Bem Estar. O game ajuda crianças com câncer a entender melhor a doença.

Para quem não conhece, o WSA é uma importante premiação global que tem o intuito de selecionar e promover os melhores e mais inovadores conteúdos digitais do mundo, valorizando a relevância em relação ao contexto em que foi criado, bem como a contribuição a inclusão e acessibilidade digitais.

A equipe da Mukutu e do Instituto Beaba viajaram para o congresso da premiação, que aconteceu na cidade de Viena, na Áustria, entre 20 e 22 de março de 2018.

De acordo com os.desenvolvedores, a ideia do Alpha Beat Cancer é desmistificar o câncer para pacientes infantis. No jogo, a criança pode se divertir atendendo pacientes, higienizando objetos ou contendo hemorragias – entre outras missões distribuídas em 20 mini-games. Assim o jogador aprende os termos do mundo oncológico e se sente mais confiante para aderir ao tratamento. O jogo é totalmente grátis para o usuário, sem nenhum tipo de publicidade.

A competição global é resultado de seleções nacionais, envolvendo mais de 150 países, que em concursos locais, selecionam as melhores práticas e os melhores projetos em oito categorias. O WSA teve início em 2003, em Genebra, no âmbito da Cúpula das Nações Unidas sobre a Sociedade da Informação (WSIS – World Summit on the Information Society) e vem sendo realizado a cada dois anos, coordenado pelo Centro Internacional de Novas Mídias (ICNM – International Center for New Media), de Salzburg, Áustria. Por conta da premiação, o Instituto Beaba também ganhará uma aceleração mentorada pelo WSA.

“Entre a ideia e o reconhecimento que o Alpha Beat Cancer vem recebendo foram três anos. Agora milhares de pacientes da pediatria oncológica já baixaram o game, aprenderam mais sobre o câncer e estão mais engajados no tratamento”, comemora Ludmila Rossi, CMO do grupo Mkt Virtual.

Você pode baixar Alpha Beat Cancer para iOS ou Android aqui.

HUE Defense: detenha políticos corruptos que ameaçam a paz na ilha paradisíaca de HUElândia neste Tower Defense brasileiro

São tempos difíceis na HUElândia e os políticos não medem esforços para se dar bem na ilha mais corrupta do mundo. A única coisa que pode salvar o povo desta ilha é você! Este é o pano de fundo para o jogo HUE Defense, criado pela produtora Brave Wolf, um título que mistura os gêneros Tower defense e RPG. Aqui você deve tomar decisões importantes e bolar estratégias ousadas para combater políticos oportunistas.

HUElândia é uma ilha cheia de paralelismos com o Brasil, ou seja, um paraíso natural com os mais complexos e corrompidos sistemas governamentais do mundo. Sim, o game tem uma crítica social velada, levada com bom humor e leveza. Cabe ao jogador lutar contra corruptos e seus apoiadores nas diferentes fronteiras, campos ou cidades. Customize a sua estratégia defensiva com diversas torres atualizáveis e seus aprimoramentos.

HUE Defense foi criado a partir da Unreal Engine 4 e possui nada menos que 26 fases cheias de ação. O mais legal é que as decisões tomadas pelo jogador terão impacto direto na campanha. Para defender a HUElândia haverá disponível cerca de sete Torres com 21 upgrades para montar a melhor estratégia. Isto para não mencionar as habilidades especiais que aparecem de tempos em tempos. O game segue um esquema bem semelhante ao divertido Defense Grid.

Mas não pense que as coisas em HUE Defense serão fáceis: os inimigos são ardilosos e podem atacar em bandos. De acordo com os desenvolvedores, são mais de 20 tipos de inimigos e é comum eles vierem te assaltar durante a campanha. Além disso, existem oito batalhas contra chefes que não devem ser moleza. Mas tudo isso com bom humor e boa diversão. “Essa cidade precisava de um toque, um toque partid…digo, gerencial. Admire, Defensor, as lindas ciclovias de nossa grande cidade: vermelho, todas em vermelho. Admita: este elegante vermelho cai muitíssimo bem”, diz um dos políticos corruptos. HUE Defense chega para a Steam no dia 6 de junho por R$ 24,99.

Abaixo tem o trailer de HUE Defense:

ARVORE: estúdio brasileiro anuncia parceria para criação de centro de entretenimento voltado para a realidade virtual em SP

O estúdio brasileiro ARVORE não pára de inovar! A novidade da vez é a parceria de exclusividade no país com o grupo MK2 VR, o maior e mais avançado espaço dedicado à realidade virtual da Europa. O objetivo é a inauguração de um centro de entretenimento de última geração de VR em um dos shoppings de São Paulo. Vai ser mais ou menos como um fliperama das antigas, porém totalmente voltado à realidade virtual.

A parceria foi anunciada na última quarta-feira (14), em apresentação da MK2 VR durante o SXSW 2018, em Austin, Texas. De acordo com a ARVORE, a inauguração deve ocorrer ainda neste semestre em shopping ainda a ser anunciado.  O espaço contará com games, experiências cinemáticas e outros conteúdos interativos em realidade virtual.

Entre as experiências licenciadas internacionalmente do catálogo da MK2 estarão “Life of Us”, premiada no Sundance Film Festival 2017, o game “Superhot”, com uma inovadora relação entre tempo e ação, e muitas outras experiências interativas.

Ainda de acordo com o pessoal  da ARVORE, os visitantes vão encontrar 10 unidades dos inovadores MK2 VR Pods, capazes de processar as melhores experiências em VR disponíveis para Oculus Rift e Vive. O espaço de 220 m² também contará com simuladores de corrida, remo e voo, games de Playstation VR e experiências multissensoriais de larga escala espacial.

“Coisas incríveis em realidade virtual têm sido feitas ao redor do mundo, mas muitos deles ainda estão fora de alcance para maioria das pessoas no Brasil. Por esse motivo, para nós, é muito importante disponibilizá-los no país. Para a ARVORE, a parceria com a MK2  vai ajudar a apresentar da melhor forma possível a mais recente tecnologia de conteúdo imersivo” diz Ricardo Justus, CEO da ARVORE.

Vale lembrar que a ARVORE vai incluir no catálogo de seu centro de entretenimento alguns de seus produtos originais, como o jogo game Pixel Ripped 1989, criado pela pioneira em jogos em realidade virtual no Brasil, Ana Ribeiro, que será lançado neste ano nas plataformas Oculus, Vive e PSVR; e Beleaf, experiência multissensorial que explora as diferentes sensações que a realidade virtual pode incorporar